FMO janeiro 2020

01/05


2014

Segura a fera: regime diferenciado

 O governo de São Paulo quer que Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, líder do Primeiro Comando da Capital (PCC), volte a cumprir pena no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). O secretário de Administração Penitenciária (SAP), Lourival Gomes, afirmou que vai pedir a internação do chefe da facção por um período de 360 dias no RDD.

No dia 9 de abril, Marcola obteve uma liminar na Justiça para deixar o regime de isolamento. Ele ficou no RDD entre os dias 11 de março e 10 de abril deste ano, a pedido do governador Geraldo Alckmin (PSDB), após a descoberta de um plano de fuga cinematográfico da P-2 de Presidente Venceslau.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

joao carlos da silva

SOLTA O RAPAZ, ELE NA FRENTE DE DIRCEU, JENUINO, JOÃO PAULO E DEMAIS MENSALEIROS É UMA CRIANÇA KKKKKKK


Prefeitura de Jaboatão

01/05


2014

Gente é para brilhar, não para ser insultada

Carlos Brickmann

 A sacada do lateral Daniel Alves, da Seleção brasileira, de comer a banana que um idiota atirou em campo, teve efeito-cascata instantâneo: despertou a opinião pública para a tragédia do racismo no futebol. É ótimo, mas tardio.

No futebol brasileiro, por exemplo, o racismo é antigo e já foi bem mais explícito. O Palmeiras só contratou o primeiro jogador negro, o volante Og Moreira, em 1942, 28 anos após a fundação do clube (o segundo negro, Djalma Santos, viria em 1959, dez anos após a saída de Og Moreira). O time do Santos era conhecido como ''Melindrosas'', por jogar todo de branco e não aceitar negros no elenco - justo o Santos, que teria Pelé, Coutinho e Edu!

O Fluminense, fundado em 1902, contratou em 1914 um mulato, Carlos Alberto - e, para disfarçar, fez com que entrasse em campo coberto com pó-de-arroz. Valeu até que começasse a transpirar; o Flu ganhou o apelido que ostenta até hoje, ''pó de arroz''.

E a Seleção?

Depois que o Brasil perdeu para o Uruguai em 1950, no Maracanã, surgiu a lenda de que negro não tinha condições emocionais de aguentar a pressão de uma final. À Seleção, ''faltava raça''. Em 1958, houve vários negros convocados, mas os brancos eram preferidos: De Sordi, grande jogador, pôs Djalma Santos, muito melhor, na reserva; Zózimo perdeu o posto para Orlando (que, aliás, jogou um bolão); o mulato Canhoteiro nem foi cogitado para a ponta-esquerda. Didi era titular, mas seu reserva Moacir também era negro. Pelé era Pelé. Djalma Santos jogou só a final, e foi considerado o melhor lateral do mundo. Pelé e Didi liquidaram o mito. Pelé - o Crioulo, o Negrão, o Craque-Café - era indiscutível.

Morreu ali, nos campos da Suécia, a discriminação no time campeão do mundo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo de Santo Agostinho

01/05


2014

Na TV Dilma ataca a oposição e ajusta Bolsa Família

 

 

 

 

 

 

 

 

Em queda nas pesquisas de intenção de voto, a presidente Dilma Rousseff aproveitou o Dia do Trabalho para anunciar, na noite desta quarta-feira, 30, em cadeia nacional de rádio e TV, medidas como correção da tabela do Imposto de Renda em 4,5%, reajuste de 10% do Bolsa Família para todos os 36 milhões de beneficiários e destacar a “luta pelo emprego e pela renda” do governo pela continuidade da “política de valorização do salário mínimo”.

“Acabo de assinar uma medida provisória corrigindo a tabela do Imposto de Renda, como estamos fazendo nos últimos anos, para favorecer aqueles que vivem da renda do seu trabalho. Isso vai significar um importante ganho salarial indireto e mais dinheiro no bolso do trabalhador”, afirmou Dilma.

“Assinei também um decreto que atualiza em 10% os valores do Bolsa Família recebidos por 36 milhões de brasileiros beneficiários do programa Brasil sem Miséria, assegurando que todos continuem acima da linha da extrema pobreza definida pela ONU. Anuncio ainda que assumo o compromisso de continuar a política de valorização do salário-mínimo.”

A presidente fez ataques indiretos aos adversários que enfrentará nas urnas. “Algumas pessoas reclamam que o nosso salário mínimo tem crescido mais do que devia. Para eles, um salário mínimo melhor não significa mais bem-estar para o trabalhador e sua família, dizem que a valorização do salário mínimo é um erro do governo e, por isso, defendem a adoção de medidas duras, sempre contra os trabalhadores”, afirmou, em referência a frase atribuída ao economista Armínio Fraga, conselheiro do tucano Aécio Neves no setor. “Nosso governo nunca será o governo do arrocho salarial, nem o governo da mão dura contra o trabalhador.”

Mudança. Ao comentar o desejo de mudanças no governo detectados pelas pesquisas, Dilma defendeu que isso pode ocorrer sob seu comando. “Nosso governo tem o signo da mudança e, junto com vocês, vamos continuar fazendo todas as mudanças que forem necessárias para melhorar a vida dos brasileiros, especialmente dos mais pobres e da classe média”, disse.

“Continuar com as mudanças significa também continuar lutando contra todo tipo de dificuldades e incompreensões, porque mudar não é fácil, e um governo de mudança encontra todo tipo de adversários, que querem manter seus privilégios e as injustiças do passado, mas nós não nos intimidamos.”

Dentro do discurso econômico que levará para a campanha, ela procurou enfatizar ganhos de renda e geração de empregos dos últimos anos. “Vocês que estão nas fábricas, nos campos, nas lojas e nos escritórios sabem bem que estamos vencendo a luta mais difícil e mais importante: a luta do emprego e do salário. Não tenho dúvida, um país que consegue vencer a luta do emprego e do salário nos dias difíceis que a economia internacional atravessa, esse país é capaz de vencer muitos outros desafios.”

Petrobrás. Responsabilizada pelos partidos de oposição por ter autorizado, quando presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, a compra da Refinaria de Pasadena, a presidente Dilma Rousseff aproveitou o pronunciamento para prometer “combate incessante e implacável à corrupção”.

Depois de afirmar que a exposição desses fatos “causa indignação e revolta”, definiu a Petrobrás com “a mais bem-sucedida empresa brasileira” e prometeu: “O que tiver de ser apurado deve e vai ser apurado com o máximo rigor”. Ao concluir, a presidente afirmou: “Não vou ouvir calada” aqueles que, “por proveito político, não hesitam em ferir” a imagem da Petrobrás. (De O Estado de S.Paulo - João Domingos e João Villaverde 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

30/04


2014

Aécio: "Eu me autointitulo candidato do agronegócio"



























Estadão Conteúdo.

O pré-candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves, disse nesta quarta-feira (30), ao chegar à Agrishow, em Ribeirão Preto, no Interior de São Paulo, que se autointitula "o candidato do agronegócio". A declaração ocorre após uma série de críticas de líderes do setor ao Governo Federal e à presidente Dilma Rousseff (PT), pré-candidata à reeleição, e da cobrança de projetos efetivos por parte dos candidatos à sucessão.

"Eu tenho muito orgulho de me intitular o candidato do agronegócio, o agronegócio produtivo que gera renda, empregos, divisas ao Brasil", disse Aécio, que foi aplaudido por vários líderes do setor ao chegar ao evento.

De acordo com o senador, o país, mesmo com indicadores extremamente baixos, ainda cresce com vigor do agronegócio. Ele repetiu que os setores agrícola e pecuário no Brasil são extremamente eficientes da porteira para dentro, mas sofrem com os problemas logísticos, além da tributação e do seguro rural "ineficiente".

Aécio defendeu a execução de uma política externa mais ousada que abra novos mercados e citou, ainda, a crise no setor produtivo de açúcar e etanol, o qual, segundo ele, foi "desmontado" pelo atual governo com o fechamento de dezenas de usinas.

O tucano ironizou a ausência da presidente Dilma Rousseff na Agrishow e prometeu que, se eventualmente for eleito presidente, estará na feira todos os anos.

A ironia se estendeu ainda à provável ida da petista no sábado à Expozebu, em Uberaba, Minas Gerais, estado que foi governado por ele. "Desde que se apresentou como pré-candidata, ela voltou a ir a Minas Gerais, e lá será bem recebida com a hospitalidade tradicional", concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOSE PINTO DA SILVA

ELE E O CANDIDATO DO AGROPO DE COCA COISA QUE ELE GOSTA TE CUIDA BRASIL DUDU CAMPOS E AECIO NEVES VAI ACABR COM O BRASIL UM NAS DROGAS E O OUTRO NA MENTIRA ABAIXO AECIO DI PO E DUDU CAMPOS REI DA MENTIRA E DOS PRECATORIOS DE PERNAMBUCO.

Wellington Antunes

Eita oposição sem projetos.

weltgeist da silva

É muito atrevimento. Deveria ser candidato do povo. Que o agronegócio o ponha no "trono", porque o povo tem outros candidatos.Essa "turma" desse tal psdb é...



30/04


2014

Deputados irão investigar racismo no futebol brasileiro



























Agência Brasil.

A Comissão Externa de Combate ao Racismo da Câmara dos Deputados aprovou hoje (30) a realização de diligências nos estados do Rio de Janeiro, de Minas Gerais, de São Paulo e do Rio Grande do Sul para investigar a prática de racismo no futebol. O requerimento dos deputados Eurico Júnior (PV-RJ) e Benedita da Silva (PT-RJ) pede a investigação de denúncias envolvendo três episódios de discriminação, nos quais os jogadores Tinga, do Cruzeiro, e Arouca, do Santos, além do juiz Márcio Chagas, foram chamados de macaco durante as partidas.

A agressão a Tinga ocorreu em fevereiro, durante partida válida pela Copa Libertadores da América, na cidade de Huancayo, no Peru, quando torcedores do Real Garcilaso praticaram atos de racismo.

Em março, o volante Arouca, do Santos, foi chamado de macaco por torcedores do Mogi Mirim. O atleta classificou como "lamentável e inaceitável" os xingamentos. O Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJDSP) julgou o time por ofensas e aplicou multa de R$ 50 mil.

No caso do árbitro Márcio Chagas, ele trabalhou na partida entre Esportivo e Veranópolis pelo Campeonato Gaúcho, no dia 6 de abril de 2014, e depois encontrou bananas em seu carro, que também foi danificado por torcedores do Esportivo.

O caso foi parar na Justiça Desportiva e o pleno do TJD do estado decidiu tirar nove pontos do clube, que acabou rebaixado para a divisão de acesso com a decisão do tribunal.

Além dos casos envolvendo racismo no futebol, os parlamentares também vão investigar o episódio em que o ator Vinicius Romão de Souza permaneceu mais de 15 dias preso por ter sido acusado de ter assaltado uma mulher. No registro de ocorrência, o policial militar que fez a prisão disse que nenhum pertence da vítima foi encontrado com o ator.

Também vai ser investigada a morte da auxiliar de serviços gerais Cláudia da Silva Ferreira, baleada durante uma operação no Morro da Congonha, em Madureira, zona norte do Rio de Janeiro, no dia 16 de março. Durante o socorro prestado em viatura policial, Cláudia ainda foi arrastada por cerca de 250 metros ao cair do veículo.

Esta semana, ato de racismo praticado contra o brasileiro Daniel Alves, jogador do Barcelona, em partida contra o Villareal, na final da Copa do Rei, domingo (27), na Espanha.

Após o ocorrido, foi lançada a campanha #somostodosmacacos, iniciada com a divulgação da foto do jogador Neymar segurando uma banana, ao lado do filho. Artistas, jornalistas e também a presidente Dilma Rousseff (PT) apoiaram a ideia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima - Prefeitura - Abreunozap

30/04


2014

Ouça agora o Frente a Frente desta quarta 30/04



Se você perdeu o Frente a Frente desta quarta 30 de abril de 2014, programa que apresento de segunda-feira a sexta-feira, ao lado do jornalista Adriano Roberto, das 18 às 19 horas, pela Rede Nordeste de Rádio, tendo como cabeça de rede a Rádio Folha FM 96,7 formada por 35 emissoras, Clique aqui e ouça agora.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

30/04


2014

Berzoini vê ampla aliança de apoio à reeleição de Dilma



























Reuters.

Nem a queda da avaliação positiva do governo e da presidente Dilma Rousseff (PT) nas pesquisas, nem o movimento ''Volta, Lula'' impedirão a petista de formar uma grande aliança partidária para seu projeto de reeleição, disse nesta quarta-feira (30) o ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini.

Nas últimas semanas, pesquisas eleitorais têm mostrado a queda na avaliação da gestão da petista e das suas intenções de voto, alimentando a discussão dentro de alguns partidos aliados sobre a manutenção da aliança eleitoral com o Partido dos Trabalhadores, o que levou o Partido da República (PR) a lançar um manifesto pela volta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para a disputa deste ano.

Berzoini atribuiu o crescimento desse movimento às incertezas econômicas sobre a retomada do crescimento econômico e o controle da inflação. ''Temos efetivamente um diálogo com todos os partidos que, no nosso entendimento, caminha para ampla coalizão'', afirmou.

Na avaliação do governo, nesse momento de pré-convenções partidárias é natural que haja mais tensão para formação da aliança nacional, porque as legendas estão ajustando seus projetos regionais para ganhar o maior número possível de cadeiras no Congresso Nacional e eleger governadores nos estados.

Berzoini considera ainda o debate sobre o ''Volta, Lula'' uma discussão ''sem senso prático'' e que é defendido por uma ala minoritária do ''mundo político''. Segundo ele, quando o debate eleitoral se estabelecer efetivamente, em julho, os aliados terão maior facilidade para defender o projeto de reeleição, porque, segundo ele, há muitos avanços sociais que foram sentidos pela população.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Mario Chaves Peixoto

Num País democrático como o Brasil,temos o direito de votar livremente em qualquer candidato, por isso mesmo e que toda região canavieira das Matas Norte e Sul do Estado, estão fechados com Paulo Câmara/Henry,Fernando Bezerra e Eduardo Campos Presidente.

S. C. B. M.

Como estes sujeito do P T mentem.- Paul Joseph Goebbels foi o ministro da Propaganda “De tanto se repetir uma mentira, ela acaba se transformando em verdade.”

Marcos Alexandre

Estou com Dilma pra Presidente, João Paulo pra Senador e Armando Monteiro pra Governador de Pernambuco.


O Jornal do Poder

30/04


2014

O senador Requião está no Ponto a Ponto de Lavareda



“Ainda acredito na parte idealista do PT, que não concorda com a entrega do Brasil ao capital”. A frase bem que poderia ser de um militante tradicional de esquerda, mas é do senador Roberto Requião (PMDB), em entrevista a Mônica Bergamo e Antonio Lavareda no programa Ponto a Ponto deste sábado (3), na Band News TV. Pré-candidato ao Governo do Paraná, Requião cravou voto em Dilma nas eleições de outubro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Mario Chaves Peixoto

É incrível como a ganancia de querer voltar ao cega as pessoas, é difícil acreditar, que Senador Roberto Requião irá votar na reeleição de Dilma, ele que sempre fez oposição ferrenha ao governo mais cheio de escândalos da história do Brasil, contaminou-se com o vírus da corrupção da impunidade do P


Potencial Pesquisa & Informação

30/04


2014

FBC defende nova partilha de despesas no SUS
















O pré-candidato da Frente Popular de Pernambuco ao Senado Federal, Fernando Bezerra Coelho (PSB), defendeu hoje (30) uma maior participação do Governo Federal nas despesas do Sistema Único de Saúde. O ex-ministro lembrou que estados e municípios investem, respectivamente, 12% e 15% de suas receitas no sistema, mas a União, segundo ele, deixa apenas 4,5%, mesmo concentrando dois terços de todos os recursos.

“Quando o SUS foi criado, no final dos anos 80, ficou definido que o investimento do Governo Federal deveria ser de 10% de sua receita. Na prática, a participação da União foi diminuindo, enquanto as despesas aumentaram. O resultado é o estrangulamento de estados e municípios”, disse Fernando Bezerra.

O ex-ministro antecipou que pretende debater o assunto com especialistas no setor, médicos e gestores públicos. “Este é um ponto importante na construção do novo pacto federativo, as contribuições para a saúde pública precisam ser mais equilibradas no Brasil. Caso contrário, as deficiências do sistema serão ainda mais agravadas”, concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Wellington Antunes

12% das receitas dos estados, 15% das receitas dos municípios e 4,5% da receita da União. O ex-ministro tenta vender a ideia que os Estados e municípios contribuem com muito mais, quando todos sabem que 4,5% da receita da União supera em muito os 12% de qualquer Estado e 15% de todos os municípios.



30/04


2014

Afogados da Ingazeira rende homenagens ao Cine São José

A Câmara Municipal de Afogados da Ingazeira, no Sertão do Pajeú, realiza, nesta quarta-feira (30), sessão solene em homenagem aos vinte anos do movimento de restauração do Cine Teatro São José e Associação São José, que continua movimentando o cinema por meio da exibição diária de filmes.

A sessão foi requerida pelo vereador Igor Sá Mariano e vai ser conduzida pelo presidente do Legislativo Municipal, Augusto Martins, um dos articuladores do movimento em defesa da restauração do Cine São José.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha