Jaboatão - Nova UBS PET

11/09


2021

Presidente atormentado, Congresso acovardado e STF acuado

Por Arnaldo Santos*

Cuidamos, aqui, na maior parte deste escrito, de um indivíduo que, sem qualquer pudor, já comemorou a morte de um voluntário durante o período de testes para aprovação de uma vacina contra o coronavírus, embora sua morte não tenha tido relação com o imunizante.  

Por deficiência cognitiva e incapacidade de avaliar a gravidade da insólita atitude, não satisfeito e sem qualquer escrúpulo, em outra oportunidade também fez horrendas caretas em rede nacional de televisão e mídias sociais, imitando o sofrimento de uma pessoa agonizando por falta de oxigênio, em decorrência da omissão do próprio governo. Com esses deploráveis exemplos, o Presidente já havia provado ser desprovido de caráter, de um mínimo de humanidade, e padecente de agudos transtornos mentais, o que sugere uma grave psicopatia. 

Diante de um comportamento tão atroz, não configurou surpresa o que afirmou nos dois pronunciamentos no dia Sete de Setembro, quando, mais uma vez, vilipendiou a Constituição, desafiou o acuado STF ao afirmar que não mais cumpriria suas decisões, e agrediu o ministro Alexandre de Moraes, com as costumeiras bravatas ameaçadoras, comportamento típico de um medroso desesperado, que se acovarda ante a realidade, que sabidamente não tem condições de enfrentar, além de submeter a xeque a decisão da Câmara dos Deputados, que rejeitou o voto impresso. O que se viu mais uma vez, foi o “mito” visivelmente transtornado e atormentado com a possibilidade cada vez mais real de ser apeado do poder, e vir a ser preso pelos inúmeros crimes que cometeu, como demostra esse trecho da sua fala em São Paulo: “[...] não serei preso; e só quem me tira do poder é Deus, ou se me matarem”. Com essa afirmação ele tenta se colocar como vítima.

    Em uma contextura de visíveis transtornos psíquicos, como os que estamos observando no comportamento do Presidente, o que se viu no último Sete de Setembro foi um homem visivelmente perturbado, isolado em uma bolha criada pelos seus apoiadores, intelectualmente, tão ou mais limitados, e também atormentados pela derrocada do “mito”, formando um labirinto de alienação e isolamento cada vez mais distante da realidade. Não é demais afirmar que, se atestado de sanidade mental fosse uma exigência para qualquer pessoa se candidatar à Presidência República, o então postulante, Jair Bolsonaro, em vez do registro de sua candidatura, teria recebido uma guia de internação para tratamento psiquiátrico. 

Desde já, peço vênia aos psiquiatras, psicólogos e psicanalistas por fazer essas afirmações, e ressalto que não se trata nem de pretensão, muito menos do exercício indevido e ilegal da profissão, mas, tão somente, constitui uma opinião ancorada na observação das falas e ações do atual ocupante do Palácio do Planalto, desde que assumiu o poder, pois ele, ao que parece, além de sofrer de atrofia mental, carece de qualquer sentimento de afeto, pois demonstra acentuada indiferença aos não pertencentes ao seu grupo de apoio, se sente perseguido pelo ministro Alexandre de Moraes, denota alteração dos sentidos, o que o impede de entender a realidade, tem a sensação de ouvir a voz rouca do Lula, ameaçando sua reeleição. Todos esses sintomas, segundo a literatura médica, caracterizam a mais rara das doenças mentais, que é a esquizofrenia. 

A propósito, o jurista Miguel Reale Júnior, um dos maiores estudiosos do Direito Penal no Brasil, como o foi seu genitor – Miguel Reale, Reitor da USP e filósofo do Direito - declarou que o Presidente deveria ser interditado, e que juristas e parlamentares responsáveis têm que estudar uma fórmula para tal; chegou, inclusive, ainda em março do ano passado, a sugerir que o Ministério Público pedisse para que Jair Bolsonaro fosse submetido a uma junta médica para saber se teria sanidade mental para o exercício do cargo.

A respeito da interdição de um presidente por problemas de saúde mental, é bem espalhado na história do Brasil, como afirma o professor Rogério Tadeu Romano, em artigo publicado no Jusbrasil, o fato de que Delfim Moreira, havendo exercido a Presidência da República em 1918 e 1919 - em substituição ao presidente Rodrigues Alves, que morrera acometido pela gripe espanhola - foi o único afastado do cargo por ter sido considerado clinicamente louco. Isso porque, ao lume do Código Civil de 1916, o que deve preponderar é o interesse público. Desse modo, toda pessoa considerada “louco de todo gênero”, em tese, não pode permanecer no serviço público, tomando decisões e agredindo impunemente colegas e outras pessoas. Não é preciso dizer mais!

Reafirmando que se trata de um ser mentalmente transtornado, medroso bravateiro, por inspiração do ex-presidente Michel Temer, (os golpistas se identificam), dois dias depois do espetáculo circense que protagonizou em Brasília e em São Paulo, retrocedeu e publicou uma carta aberta, se desculpando com o STF e o Congresso, ora transcrita: […] “No instante em que o país se encontra dividido entre instituições, é meu dever, como Presidente da República, vir a público para dizer: 1. Nunca tive nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes. A harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional que todos, sem exceção, devem respeitar. 2. Sei que boa parte dessas divergências decorrem de conflitos de entendimento acerca das decisões adotadas pelo Ministro Alexandre de Moraes no âmbito do inquérito das fake news. 3. Mas na vida pública as pessoas que exercem o poder, não têm o direito de "esticar a corda", a ponto de prejudicar a vida dos brasileiros e sua economia”. Atentemos quanto tempo vai durar essa candura. A tal carta é a manifestação de oportunismo por medo do impeachment.

Sabe-se, de sobejo, que o deputado Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados, reiteradas vezes foi desmoralizado pelo Presidente da República. A última ocorreu quando teve o resultado da decisão acerca do voto impresso, mais uma vez questionado pelo atormentado ocupante do Planalto, está sentado sobre cerca de 130 pedidos de impeachment. A pergunta que a maioria da sociedade brasileira, que mantém intacto o bom senso e da razão, está fazendo é: - quando o Deputado vai cumprir com o dever constitucional e pautar o pedido de abertura do processo de afastamento do Presidente? Ou será necessário que os “neoinsentaos” invadam a Câmara e o STF, o que seria uma desmoralização ainda maior, perante a Nação e o Mundo, para poder Sua Excelência cumprir com a responsabilidade que lhe cabe? 

Senhor presidente, Arthur Lira; senhor presidente, Luiz Fux: a Nação está com medo e envergonhada do acovardamento dos senhores, que não agiram com a autoridade e a tempestividade necessárias que lhes cabem como representantes dos Poderes montesquieuanos do Legislativo e do Judiciário, ao tempo de impedir os desmandos da realidade em curso, que nos ameaça a todos. 

No contexto do significado de medo e covardia, quem é, e/ou são os marica(s) - nós jornalistas integrantes da “urubuzada”, como fomos qualificados, por termos a coragem de desvendar e revelar para a Nação o possível cometimento dos crimes de responsabilidade do Presidente, pelos reiterados atentados à Constituição e à Democracia, pelo uso da Policia Federal, Receita Federal, COAF e ABIN, em favor dos seus membros familiares e amigos, revelando a movimentação financeira suspeita nas contas do senador Flavio Bolsonaro, há muito denunciado pelo MPF, por corrupção, lavagem de dinheiro e comando de organização criminosa, ou quem deixou de exercer as prerrogativas constitucionais para impedir que esses e outros crimes continuassem a ser praticados, inclusive contra a honra dos senhores? Discursos de indignação nem resolvem e tampouco significam nada. Se lhes servem de consolo, produzem apenas manchetes de jornais e comentários dos analistas do óbvio.

Aliás, ante todas essas evidências, reafirmo a pergunta ao Presidente da Câmara, deputado Arthur Lira: o que falta para abertura do processo de impeachment? 

*Jornalista, sociólogo e doutor em Ciências Políticas. Comentários e críticas para: [email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo - Pavimentação e Drenagem

11/09


2021

Paulo lamenta morte de Anchieta Santos

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), lamentou a morte do radialista Anchieta Santos. O gestor se manifestou por meio das redes sociais:

“Pernambuco perdeu nesta sexta-feira, o radialista Anchieta Santos. Com décadas de trabalho dedicados a levar informação de qualidade à sociedade, Anchieta, com seu timbre marcante, era a voz do Sertão pernambucano. Quero prestar minha solidariedade aos familiares, amigos e admiradores nesse momento de dor.”


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina setembro 2

11/09


2021

Anchieta Santos deixa muitos admiradores

Por Adilson Gomes

A partida precoce do meu amigo Anchieta Santos deixa todos nós extremamente traumatizados. Sinto a perda do grande comunicador, o maior animador de palanques que conheci. Mas sinto mais ainda a perda da pessoa com quem tive mais de 35 anos de convivência e que era, antes de mais nada, meu amigo. 

Enfrentamos muitos momentos difíceis desde que começamos a trabalhar juntos, na campanha de Arraes de 1986, eu na mobilização e ele incendiando os comícios com sua voz poderosa. Lembro de um episódio dramático em Flores. Quando a chapa majoritária - Miguel Arraes, Mansueto de Lavor e Antonio Farias - chegou na cidade começaram as provocações.

Procurei as autoridades, que eram o juiz e o delegado, para pedir proteção, quando um dos provocadores chegou com um apito bem perto do meu ouvido e soprou com força, de surpresa. Disse ao delegado que aquilo estava errado e ele concordou e mandou prender o agitador.

Dali fiz o sinal para Anchieta, que começou a puxar o povo na maior animação, nem parecia que estava acontecendo. Saímos de lá para Serra Talhada com proteção policial.

Fizemos várias campanhas juntos. Durante os momentos que ele anunciava Dr. Arraes, Anchieta citava versículos bíblicos e as pessoas choravam na praça. Mais de uma vez vi o próprio Dr. Arraes pegar o lenço para secar as lágrimas.

Meus sentimentos aos familiares, amigos e à imensa legião de admiradores de Anchieta.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sindicontas

11/09


2021

Vice rompe com prefeito em Ibimirim

CARTA ABERTA AO POVO 

Meus queridos amigos e eleitores de toda Ibimirim,

Eu me dirijo a vocês para expressar meu sentimento de profunda decepção com o prefeito Wellinton Siqueira. Durante a campanha eleitoral encarnamos a esperança do povo, que nos escolheu para trazer dias melhores. Mas a verdade é que eu o povo fomos usados como escada pelo atual prefeito, que, desde o início do seu mandato, rasgou todos os compromissos e governa apenas para seus próprios interesses.

Temos visto o povo de Ibimirim ser deixado de lado. A cada dia vamos descobrindo que nossa gente foi escanteada e as oportunidades de trabalho e emprego estão sendo dadas para pessoas de outras cidades forçando nossos conterrâneos a ir buscar o sustento em outras terras. Como vocês sabem, tenho atendido a todos que nos procuram em nosso gabinete e os relatos que ouço são escandalosos e retratam o descaso do prefeito para com o povo de Ibimirim. O que temos assistido é um festival de mentiras e de quebra de palavra que envergonha a cidade.

Com muita honra atendi o chamado do povo ibimiriense para cuidar de nossa terra e nossa gente na condição de vice-prefeito e tenho ciência da minha importância para que o projeto fosse vitorioso, no entanto, diante da forma desastrosa que o prefeito vem conduzindo a gestão não posso ser conivente com os desmandos. Vocês conhecem a minha integridade e honradez e sabem que ela não está a venda. 

Assim sendo, diante do reiterado desrespeito do prefeito para comigo, que covardemente me impede de trabalhar.

Diante da traição dos compromissos feitos junto ao povo, comunico o rompimento da minha aliança política e declaro que passo a ser oposição ao prefeito Wellinton. 

Sigo na condição de vice prefeito, servindo e sendo fiel a quem merece o nosso respeito, o povo de Ibimirim.

Um abraço, do amigo de sempre.

 

Charles do Paulistão

Vice-prefeito de Ibimirim


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/09


2021

Antonio Souza parabeniza Araripina pelos 93 anos

O empresário Antonio Souza, da Cab Motors, gravou um vídeo em homenagem à cidade de Araripina pelo aniversário de 93 anos. Confira!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca - Microempreendedores

11/09


2021

Um piso que mexe com o setor de Enfermagem

Por Paulo Magnus*

Este é um assunto de altíssimo impacto na manutenção da saúde dos brasileiros. Temos setores de saúde público, privado e filantrópico, cada um com sua realidade e respectivo financiamento.

O orçamento do SUS é insuficiente para pagar os serviços que adquire e que se propõe ao povo brasileiro. 

Vale lembrar que todo o sistema público de saúde, ao qual recorrem mais de 150 milhões de brasileiros, depende vitalmente dos hospitais filantrópicos. E, com efeito, está desmoronando devido às pressões financeiras, histórico endividamento e pelo aumento exponencial dos custos. 

Por uma diária de UTI o SUS paga R$ 478 ou R$ 800, dependendo do programa inserido, sendo que para os prestadores custa em torno de R$ 2 mil. Na pandemia, o Ministério da Saúde passou a pagar R$ 1,6 mil por diária UTI exclusiva de pacientes covid. Sendo assim, os entes públicos continuaram incrementando mais recursos para conseguirem abrir leitos. 

E agora, como ficaremos?

Sem a pandemia haverá necessidade de leitos UTI ou os pacientes continuarão morrendo nas históricas filas que nunca ninguém deu atenção? E os pacientes que morrem nas filas?  

Será que agora vamos dar mais valor e manter leitos abertos para atendimento à população com um financiamento adequado? Nos hospitais privados e operadoras, quem vai pagar o reajuste necessário dos planos de saúde para custear este aumento de custos?

Todos devem ter remuneração adequada, mas qualquer piso não pode ser imposto sem ter a origem e garantia dos recursos para todas as áreas, ao meu entender. 

Alguém pagará a conta!

O que se vê, no que está posto, é mais desemprego e menos saúde para todos brasileiros

Boa semana para todos.

* Diretor-presidente da MV Sistemas


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fábio

Esses caras enriquecem com o trabalho escravo dos profissionais de saúde. Muitos desses profissionais morreram nessa pandemia para ganhar um pouco mais de 1 salário mínimo.


Caruaru volta as aulas 2021

11/09


2021

Tchau, querido!

Por Marcelo Tognozzi*

O ex-presidente Michel Temer prestou um serviço ao Brasil ao colocar em prática seu talento e experiência de político veterano, que comeu o pão que o diabo amassou quando esteve na presidência da República. Temer mostrou que gente madura faz política de verdade. O governo Sarney foi um exemplo, com um presidente capaz de se conduzir com a dignidade que o cargo merece, mesmo sob intenso bombardeio de muitos que hoje frequentam sua casa atrás de conselhos. Os 8 anos de FHC deixaram saldo positivo, porque gente madura da qualidade de um Pedro Malan cumpriu seu dever.

Michel Temer vem de longe. Em 1987 desembarcou em Brasília como suplente de deputado num Congresso focado em escrever a futura Constituição. Enfrentou todo tipo de adversário. ACM o chamava de “mordomo de filme de terror” e o acusava sem provas de comandar esquemas no Porto de Santos. Renan Calheiros foi outro osso duro de roer. Na presidência, foi ferido pelas flechadas do ex-procurador-geral Rodrigo Janot. Quando deixou o Planalto, acabou preso numa operação injusta e mal explicada. Seu esforço e obstinação fizeram dele um dos políticos mais importantes da sua geração, 3 vezes eleito presidente da Câmara, vice-presidente e presidente da República. Chegou lá por mérito próprio.

Em todos esses anos nunca vi o presidente Temer xingar alguém em público ou cometer qualquer tipo de grosseria. Sua marca sempre foi a cortesia e o cavalheirismo. E também saber ouvir. É um mestre nessa arte. Ouviu segredos inimagináveis de muitos políticos e jamais cometeu uma indiscrição. Suas qualidades o credenciaram para estancar a sangria do 7 de setembro.

Bolsonaro faz política como um adolescente, cercado de gente imatura e carente de habilidades. Quando eu era criança ia com minha mãe no Largo da Carioca e sempre havia um camelô vendendo algum utensílio e repetindo o bordão de que “não requer prática ou habilidade, qualquer criança sabe manejar“. Bolsonaro acreditou –e fez com que muitos acreditassem– que tinha prática, habilidade e sabia manejar. O resultado é um só: tem queimado seu capital político com uma volúpia capaz de causar inveja ao Fernando Collor de 1992 ou à Dilma Rousseff de 2016.

O atual presidente está gradativamente perdendo o controle do governo e repercutindo cada vez menos expectativa de poder. Corre o sério risco de perder a condição de candidato viável no ano que vem. Tudo piora ainda mais com a péssima comunicação do Planalto. Já escrevi uma vez e repito: a história tem mostrado que são os presidentes que se tornam seus maiores inimigos, inviabilizam seus governos e deixam escapar o poder. Jânio Quadros, João Goulart, Fernando Collor e Dilma são os melhores exemplos.

No dia 7 de setembro Bolsonaro estava nos braços do povo e 2 dias depois as redes sociais do bolsonarismo exibiam uma decepção jamais vista, tipo meu mundo caiu. Hoje, pelo que se percebe do discurso de muitos líderes e formadores de opinião da direita conservadora, a confiança no presidente está profundamente abalada. Temos uma legião de viúvas do 7 de setembro que vivenciou um clima de vitória, de euforia total, incluindo compartilhamento de uma agenda de tomada de poder prevendo a instalação de um tribunal constitucional militar, deposição de juízes do Supremo, volta da prisão em 2ª instância e uma mudança na vida do país com o emparedamento da esquerda e dos “isentões”.

O presidente incendiou os ânimos falando em descumprimento de decisões judiciais e xingando o ministro Alexandre de Moraes de “canalha“. Noves fora, sobrou apenas blábláblá. Os caminhoneiros foram convidados pelo próprio Bolsonaro a saírem da Esplanada dos Ministérios com o rabo entre as pernas, levando ao delírio adversários como João Doria e Rodrigo Maia, que o chamaram de frouxo e covarde. Até o ministro Luís Roberto Barroso beliscou com um “farsante“.

Os que imaginavam mudar o Brasil no 7 de setembro acabaram voltando para casa com as bandeiras enroladas, a alma em pedaços e um gostinho amargo de traição na boca. Quem quiser conferir basta abrir as redes sociais. Esses caminhoneiros, militares, policiais ou militantes da classe média envolvidos nos debates pós carta do dia 9 estão indignados. Muitos já disseram tchau, querido!

Nos anos 1970, Richard Nixon também despedaçou milhões de almas republicanas ao ser obrigado a renunciar à presidência. Ele colocara em prática o que chamava de teoria do louco, a qual usava indiscriminadamente contra quaisquer adversários políticos. E explicou como ela funcionava para seus auxiliares mais próximos: “Quero que os vietcongues acreditem que eu chegaria ao ponto de fazer qualquer coisa para acabar com a guerra. Iremos somente dizer algumas palavras: pelo amor de Deus, vocês sabem que Nixon está obcecado com o comunismo. Não poderemos contê-lo quando ficar com raiva. Ele pode apertar o botão nuclear. Ho Chi Min estaria em Paris em dois dias implorando por paz“.

Não deu certo. Os Estados Unidos perderam a guerra e foram corridos do Vietnã. Pouco depois, Nixon perdeu o poder e teve de sair de cena para sempre. A teoria do louco não passava de coisa de maluco.

*Texto publicado originalmente no Poder360.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

11/09


2021

Uma Surubim que avança

Surubim completa hoje 93 anos de sua emancipação. Vivi o seu quotidiano nos últimos quatro dias. Cumprindo agenda no Agreste Setentrional, montei meu QG na Capital da Vaquejada e pude constatar como a terra de Chacrinha e de Capiba, além do meu amigo e sócio José Nivaldo Júnior, anda de vento em popa.

Boa gastronomia, excelente rede hoteleira e obras que vão dando ao município uma feição diferente na gestão de Ana Célia, com quem jantei na quarta-feira passada na companhia do seu marido, o ex-vereador Biu Farias, irmão do ex-senador Antônio Farias.

Também presente, um filho ilustre da cidade, o líder do PSB na Câmara dos Deputados, Danilo Cabral, cujo nome também está numa das apostas como candidato a governador, caso o PSB não banque de fato a candidatura do ex-prefeito Geraldo Júlio.

Já na noite de ontem, quem movimentou um jantar em torno de mim foi a jornalista Maluma Marques, do jornal Terra da Gente. Está super animada para voltar a realizar a festa das personalidades, uma das mais importantes da região, suspensa por causa da pandemia. Ela já agendou para novembro e com certeza será um grande sucesso.

Na região, Vertentes, vizinha a Surubim, também está em festa de emancipação hoje. Daqui a pouco, o prefeito Romero Leal inaugura um moderno e bem equipado hospital construído com recursos próprios. Dentre os políticos que confirmaram presença, dois pré-candidatos a governador pelo bloco da oposição - Raquel Lyra, do PSDB, prefeita de Caruaru, e Anderson Ferreira, do PL, prefeito de Jaboatão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

11/09


2021

Romero Leal celebra novo Hospital de Vertentes

Por Romero Leal*

Parabéns para nossa cidade das Vertentes, juntamente com o povo. Nossas orações para os que já se foram. Minha gratidão para aqueles que me escolheram por quatro vezes para ser o gestor municipal desta amada cidade.

Hoje, dia importante para os anais da história desta terra, entregaremos a população da cidade e região, o Hospital Municipal Evaristo Ferreira Filho. Certamente Vertentes, aos 93 anos de existência, conquista a emancipação necessária no tratamento da saúde do seu povo.

Estamos saindo do julgo de hospital privado para um centro médico chapa branca. Vamos prestigiar este evento hoje, às 10h. Vocês serão os beneficiários desta ação cidadã. Lembrete: tudo executado com recursos próprios do tesouro municipal.

*Prefeito de Vertentes


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

SESC Agosto 2021

11/09


2021

Morre radialista Mary Silva, da Surubim AM

Faleceu por volta das 22h de ontem, no Hospital do Vale, em Limoeiro, a radialista Mary Silva, da Rádio Surubim AM. Ela tinha 60 anos e estava internada na UTI da unidade de saúde há 11 dias por causa da Covid-19. As informações são do Correio do Agreste.

Segundo familiares, Mary havia completado o esquema vacinal com o imunizante Astrazeneca, mas desenvolveu a forma grave da doença porque estava com a imunidade baixa, já que há quatro meses tinha iniciado o tratamento contra um câncer de mama, que incluía sessões de quimioterapia. Além disso, ela foi fumante por 30 anos e, de acordo com a equipe médica, esse fator também contribuiu para o agravamento do quadro de saúde.

A radialista era funcionária da Rádio Surubim AM desde a inauguração da emissora, há 35 anos. Iniciou a carreira como secretária e depois passou a atuar também como locutora, no comando do Show da Tarde. Há cinco anos Mary se aposentou mas continuou trabalhando. Se afastou apenas quando começou o tratamento do câncer.

Muito querida pelos colegas, chegou a presidir o Centro Esportivo dos Radialistas, um time de futebol formado por vários comunicadores da cidade. Ela era solteira e não deixa filhos.

Ainda de acordo com parentes, não haverá velório. O corpo será levado para o sepultamento no Cemitério São José, em um cortejo, saindo às 13h de hoje do Velatório do PAFF, no Centro da cidade, passando em frente à Rádio Surubim AM e à residência na qual Mary morava, na Avenida São Sebastião.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Agosto 2021

11/09


2021

O impacto do piso da Enfermagem nos municípios

Por João Batista*

Tramita no Senado Federal o Projeto de Lei n° 2.564 de 2020, que institui o piso salarial nacional do Enfermeiro, do Técnico de Enfermagem, do Auxiliar de Enfermagem e da Parteira, de iniciativa do Senador Fabiano Contarato (Rede-ES), com Relatoria da Senadora Zenaide Maia (Pros-RN), o projeto prevê que a Lei deve entrar em vigor no exercício seguinte ao de sua aprovação. 

O projeto fixa o piso de enfermeiros em R$ 7.315,00, para os técnicos o direito a 70% deste valor. Na prática os empregadores devem desembolsar, no mínimo, R$ 5.120,00 com o salário de técnicos em enfermagem e o valor de R$3.657,00 com o salário de auxiliares de enfermagem e as parteiras. Segundo o projeto, esse piso salarial deve ser atendido inclusive pelos Estados e Municípios. 

A Constituição Federal no artigo 7º, inciso V, prevê que o piso salarial das categorias profissionais devem ser proporcionais à extensão e à complexidade do trabalho realizado, nessa senda, destacamos que enfermeiros e demais profissionais de enfermagem estão na linha de frente da pandemia da Covid-19, são os primeiros e os principais profissionais expostos ao risco de contágio, os responsáveis pela vacinação e é do trabalho desses profissionais que depende o funcionamento dos hospitais e dos postos de saúde, portanto é justo que os profissionais de enfermagem sejam bem remunerados. 

O problema é: quem vai pagar a conta? O piso significa a menor remuneração do profissional a partir da sua fixação e como a maioria dos Estados e Municípios paga salários muito abaixo do valor que se pretende fixar por intermédio da proposição em discursão, haveria a necessidade de enormes gastos adicionais por parte de Estados e Municípios para cumprir com a determinação criada por iniciativa do Senado da União, ou seja, de cima para baixo. 

Para se ter uma ideia do impacto, de acordo com o portal de transparência da Prefeitura de Petrolina (https://petrolina-pe.portaltp.com.br/consultas/detalhes/servidor.aspx), por exemplo, o salário atual da técnica de enfermagem A.C.M corresponde ao valor de R$1.104,71 já na proposta do Senado o valor mínimo a ser percebido pela mesma profissional passaria  a corresponder ao valor de R$ 5.120,00, com um incremento de quase 364% na folha da categoria para a Prefeitura. 

Já a Prefeitura de Serra Talhada que hoje paga em média R$ 3.300,00 ao profissional Enfermeiro, passaria a arcar no mínimo com R$ 7.315,00 mais que o dobro do valor atual, correspondendo a um impacto na folha de 122%.

O aumento da folha implica na retirada de recursos de outras áreas e um forte impacto na folha dos aposentados que possuem direitos adquiridos à paridade e integralidade. O resultado desse aumento de volume de recursos na folha de ativos e inativos é um possível extrapolamento do limite de despesas com pessoal, uma vez que a maioria dos municípios já se encontram próximos ao limite definido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, ou seja, é provável que os Gestores de Estados e Municípios sejam punidos com multas pelo extrapolamento de despesas com pessoal gerados pelo atendimento a legislação de piso salarial.

Preocupado com este impacto, o Presidente da Confederação Nacional de Municípios, Paulo Ziulkoski, declarou, ao participar de reunião com representantes de hospitais particulares: “sim, tem que ter um piso, mas precisamos chamar a União para o debate. Somos contra o piso por falta de condições de pagar o piso para os profissionais”. 

Para o Presidente da AMM – Associação Mato-Grossense dos Municípios, Neurilan Fraga, a solução seria uma emenda ao Projeto, propondo à União, que fica com a maior parte do bolo tributário do país, que seja responsável pelo incremento da despesa, conforme defendeu em reunião do Conselho Político da CNM.

Apesar de ser uma pauta justa, o aumento do piso salarial dos profissionais de enfermagem promete uma boa discussão sobre o impacto que esse custo adicional pode gerar na folha de Estados, Municípios e também, as repercussões no setor privado, especialmente na saúde financeira de hospitais e clínicas particulares. 

*Ex-prefeito de Triunfo e advogado


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

arnaldo luciano da luz alencar ferreira

Basta os senhores Prefeitos diminuírem a contratação de tanto baba ovo e vagabundos que nada fazem e vai sobrar dinheiro para pagar quem tanto faz pela sociedade e em uma área tão importante como a saúde.



11/09


2021

Coluna do sabadão

Os 20 anos dos atentados nos EUA

Por Houldine Nascimento – interino

Há 20 anos, o mundo acompanhava apreensivo os atentados nos Estados Unidos. Foi um momento em que as TVs pararam para mostrar o trágico acontecimento que mudou o curso da História. O sequestro de quatro aviões comerciais visando a atacar edifícios que tinham uma representatividade do poderio estadunidense.

Entre os envolvidos, 19 terroristas vinculados à Al-Qaeda. As imagens mais emblemáticas foram das colisões no World Trade Center, no coração de Nova York. A primeira aeronave, AA11, se chocou contra a torre norte às 8h46. Já a segunda, UA175, colidiu com a torre sul às 9h03, num intervalo de 17 minutos. Em tempo real, foi possível assistir ao ataque.

Outro avião (AA77) atingiu o prédio do Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos EUA, às 9h37. Já o voo UA93 tinha como alvo o coração político, Washington D.C., onde fica a Casa Branca, moradia Presidencial. Antes que isso acontecesse, passageiros se rebelaram contra os sequestradores, impedindo uma tragédia maior.

Ao todo, 2.996 pessoas morreram no que é considerado o maior atentado em território estadunidense. O então presidente, George W. Bush, recebe o primeiro aviso às 8h47, enquanto fazia uma visita a uma escola na Flórida. Os ataques ainda estavam em curso.

Os atentados serviram de justificativa para a invasão dos Estados Unidos ao Afeganistão, em 2001, e ao Iraque, em 2003. Uma "guerra ao terror" danosa ao Oriente Médio e aos próprios estadunidenses. As consequências dessas ações são vistas até hoje. Entre elas, a saída atabalhoada dos militares norte-americanos do solo afegão, no último mês de agosto.

Diálogo – No dia seguinte à Declaração à Nação feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o ministro Anderson Torres (Justiça e Segurança Pública) se reuniu com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes por mais de quatro horas. Torres foi à casa do magistrado em São Paulo e disse ter saído “otimista da conversa”, descrita por ele como “cordial e respeitosa”, segundo a colunista Bela Megale, de O Globo. Até pouco tempo, Moraes foi alvo de ataques do chefe do Executivo.

Perseverança ­– A deputada federal Marília Arraes (PT-PE) demonstra que não desistiu da pré-candidatura ao Governo de Pernambuco. Em entrevista à Rádio Clube, disse que o cenário é “favorável” para o PT se lançar em faixa própria ao Palácio do Campo das Princesas: “As chances de a gente ter essa candidatura em 2022 são maiores do que em 2018. Fiquem atentos. Muitos dizem que a aliança com o PSB já está certa, mas não está. Eu estou na estrada e a gente tem um cenário nacional e local que favorece muito mais o PT ter uma candidatura própria.”

Comarcas desativadas ­– O Tribunal de Justiça de Pernambuco definiu o cronograma de desinstalação de 24 comarcas no Estado. O presidente do TJPE, desembargador Fernando Cerqueira, assinou a portaria n° 28/2021, que estabelece todo o processo. A medida foi publicada no Diário Oficial da Justiça ontem e começa a ser implantada no próximo dia 20. Na lista de cidades que terão comarcas desativadas: Belém de Maria, Poção, Pedra, Gameleira, Orobó, Palmeirina, Betânia e Terra Nova; Iati, Ibirajuba, Calçado, Jataúba, Lagoa do Ouro, Primavera, São Joaquim do Monte e Angelim; Jurema, Tacaratu, São Vicente Férrer, Ferreiros, Cachoeirinha, Cortês, Moreilândia e Riacho das Almas.

Queda no prazo – A Prefeitura do Recife vai reduzir de 90 para 60 dias o tempo para tomar a segunda dose da vacina Pfizer/BioNTech. A medida já está valendo para quem recebeu a primeira dose do imunizante nesse prazo. O agendamento está disponível no Conecta Recife. Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, 44.151 pessoas estão aptas a receber a dose nesse período mais curto. Para isso, é preciso agendar no conectarecife.recife.pe.gov.br ou pelo aplicativo disponível na App e na Play Store.

Desembarque – A vereadora Perpétua Dantas anunciou a saída da base da prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (ambas do PSDB). A legisladora justificou o desembarque por haver “pouquíssimo diálogo” com a gestão e por rejeição a emendas que apresentou, uma delas para incluir músicos instrumentistas no BEm São João, auxílio financeiro para artistas. “Todas as emendas que tratavam das pautas trabalhadas no meu plano de vereança, para trabalhar com a população excluída, foram asfixiadas sumariamente”, disse.

CURTAS

NOVA SOCIALISTA – Após litígio com o PDT, a deputada federal Tabata Amaral (SP) se filiará ao PSB no próximo dia 21. O partido programa uma festa de gala, segundo informações da revista Veja. O prefeito do Recife e seu namorado, João Campos (PSB), deve participar do evento.

MAIS ÁGUA – O secretário nacional de Segurança Hídrica do MDR, Sérgio Costa, visitou ontem a Estação de Bombeamento EBI-1, em Cabrobó (PE), para acompanhar o andamento da operação que elevou a capacidade de transporte das águas no Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco.

Perguntar não ofende: Até quando dura a paz entre Bolsonaro e STF?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
Publicidade

Publicidade

Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Opinião

Publicidade
Apoiadores
Parceiros