Lavareda

19/11


2020

Datafolha em SP: Covas 48% e Guilherme 35%

Pesquisa Datafolha divulgada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S. Paulo”, hoje, aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o segundo turno das Eleições 2020 para a Prefeitura de São Paulo:

  • Bruno Covas (PSDB): 48%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 35%
  • Branco/nulo: 13%
  • Não sabe/não respondeu: 4%

Votos válidos

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no 2º turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

  • Bruno Covas: 58%
  • Guilherme Boulos: 42%

Destaque por segmento

Boulos fica numericamente à frente do tucano entre os mais jovens, de 16 a 24 anos (46% a 31%) e na faixa seguinte, de 25 a 34 anos (44% a 38%), nesta última dentro da margem de erro. Nos demais segmentos socioeconômicos relevantes do eleitorado, Covas tem vantagem, ou ao menos se posiciona numericamente à frente do adversário, com distância mais ampla entre eleitores acima de 60 anos (65% a 23%) , menos escolarizados (59% a 28%), católicos (53% a 32%) e evangélicos (52% a 29%). No eleitorado com curso superior, há empate, com o tucano pontuando a frente (44% a 39%).

Na parcela do eleitorado que votou no 3º colocado no 1º turno, Márcio França (PSB), 38% agora pretendem votar no candidato do PSDB e outros 38% em Boulos. No grupo que escolheu Celso Russomanno (Republicanos), a maioria (56%) declara voto em Covas, e 27% têm intenção de votar no candidato do PSOL. Entre eleitores de Arthur do Val (Patriota), 47% preferem o atual prefeito, 15% escolhem Boulos e 29% dizem que irão votar em branco ou anular no 2º turno. Entre os que votaram em Jilmar Tatto (PT), a maioria (72%) agora declara voto em Boulos, e 18% optam pela candidatura de Covas.

Decisão do voto

A pesquisa também perguntou o grau de decisão do voto: 81% dos eleitores estão totalmente decididos e 18% afirmam que ainda podem mudar. Veja o grau de decisão em relação a cada candidato:

Bruno Covas: 82% estão totalmente decididos; 18% ainda podem mudar o voto.

Guilherme Boulos: 82% estão totalmente decididos; 17% ainda podem mudar o voto.

Sobre a pesquisa

Levantamento foi feito entre os dias 17 e 18 de novembro e ouviu 1.254 pessoas na cidade de São Paulo.

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos;

Quem foi ouvido: 1.254 eleitores da cidade de São Paulo;

Quando a pesquisa foi feita: entre os dias 17 e 18 de novembro de 2020;

Número de identificação na Justiça Eleitoral: SP-03437/2020

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S. Paulo”;

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

19/11


2020

Nos votos válidos, Marília já tem 10 pontos de frente

Do G1/PE

O Datafolha divulgou, hoje, o resultado da primeira pesquisa do instituto sobre o segundo turno da eleição para prefeito do Recife. O levantamento foi realizado nos dias 17 e 18 de novembro e tem margem de erro de 3 pontos, para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes:

  • Marília Arraes (PT): 41%
  • João Campos (PSB): 34%
  • Em branco/nulo: 21%
  • Não sabe/não respondeu: 3%

Votos válidos

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes:

  • Marília Arraes (PT): 55%
  • João Campos (PSB): 45%

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no 2º turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Destaques por segmentos

De acordo com o Datafolha, Marília Arraes tem maior vantagem entre os homens (41% a 30%) do que entre as mulheres (42% a 37%). Na análise por idade, ela fica à frente na faixa de 16 a 24 anos (42% a 32%), entre quem tem de 25 a 34 anos (47% a 30%) e no grupo de 35 a 44 anos (41% a 30%). Nas demais, há empate (38% para Marília e 37% para João Campos entre quem tem de 45 a 59 anos, e 41% a 40% no segmento com 60 anos ou mais).

Entre os eleitores com ensino fundamental, o candidato do PSB tem 46%, ante 41% da candidata do PT. Na parcela com escolaridade média, 39% votariam em Marília, e 32% em Campos, e entre eleitores com curso superior, a vantagem é da petista (46% a 25%). A taxa de eleitores que pretendem votar em branco ou nulo salta de 9% entre os menos escolarizados para 26% entre quem tem escolaridade média, no mesmo nível dos mais escolarizados (27%).

Por faixa de renda, a candidata do PT tem 43% entre os eleitores com renda familiar de até dois salários-mínimos, contra 37% de Campos. Nas demais, a vantagem é ampliada: 40% a 31% na parcela com renda de dois a cinco salários-mínimos, e 42% a 26% entre os mais ricos, com renda familiar superior a cinco salários.

Entre os eleitores que declaram ter votado em Mendonça Filho (DEM) no primeiro turno da eleição, 28% agora preferem Marília e 27% pretendem votar em João Campos, com 40% optando pelo voto em branco ou nulo. No eleitorado que votou em Delegada Patrícia (Podemos), 17% têm intenção de votar na petista, e 24% em Campos, com migração majoritária para o voto em branco ou nulo (57%).

De acordo com o Datafolha, 80% dos eleitores citam corretamente o número que irão digitar na urna, no segundo turno, com o conhecimento do número de Campos (86%) em patamar próximo ao registrado para o de Marília (80%).

Ampla maioria (88%) também está totalmente decidida sobre seu voto, com eleitores convictos da candidata do PT (91%) e Campos (87%) em nível similar neste momento. Entre os que declaram votar em branco ou nulo, 86% também já estão totalmente decididos.

Apoio no segundo turno

De acordo com o Datafolha, para 39% dos eleitores, o candidato derrotado Mendonça Filho (DEM) deveria apoiar Marília Arraes no segundo turno, e 34% acreditam que ele deveria oferecer apoio a João Campos. Entre aqueles que votaram no candidato do DEM, 29% gostariam de vê-lo apoiando a candidata do PT, e 27% o candidato do PSB. Para 37% dos eleitores de Mendonça, no entanto, ele deveria apoiar nenhum deles, e 8% não responderam.

De forma geral, 35% dos eleitores recifenses acredita que Mendonça Filho irá apoiar Campos no segundo turno. Para 30%, ele irá oferecer apoio a Marília Arraes, e 25% avaliam que ele não irá apoiar nenhum dos dois candidatos, com 11% sem opinião a respeito.

Uma parcela de 37% do eleitorado acredita que Delegada Patrícia (Podemos) deveria apoiar a candidata do PT neste segundo turno, e para 34%, ela deveria apoiar João Campos. Entre aqueles que votaram em Patrícia Domingos, 49% preferem que ela não apoie nenhum dos candidatos; 23% acham que ela deveria apoiar Marília Arraes, e uma parcela igual (22%) avalia que seu apoio deveria ir para Campos.

Perguntados sobre quem Delegada Patrícia irá apoiar, 34% apontaram que ela deverá dar seu apoio a Campos, e 31%, que deverá apoiar Marília. Há 24% que apontam que a candidata do Podemos não irá apoiar ninguém neste segundo turno, e 11% não opinaram.

Entre os que pretendem votar em Marília Arraes no segundo turno, 82% gostariam que Mendonça Filho desse seu apoio à petista, e 69% gostariam de contar também com o apoio de Delegada Patrícia. Os números são parecidos para os eleitores de Campos no segundo turno: 81% acham que o candidato derrotado do DEM deveria apoiar seu candidato nesta etapa da eleição, e 68% acreditam que a candidata do Podemos também deveria oferecer seu apoio a Campos.

Decisão do voto e ida às urnas

Ainda segundo a pesquisa do Datafolha, 57% dos eleitores decidiram o voto para prefeito um mês da votação para primeiro turno, e os demais, cerca de 15 dias antes (13%), uma semana antes (9%), na véspera (4%) ou no dia da eleição (15%). Entre eleitores com escolaridade fundamental, 23% decidiram seu voto no último domingo, índice que cai para 14% entre quem tem escolaridade média, e para 7% no eleitorado com escolaridade superior.

Na parcela de menor renda, 19% decidiram em quem votar no dia da eleição, ante 10% entre aqueles com renda familiar de dois a cinco salários, e 9% entre os mais ricos, com renda superior a cinco salários. Entre os que votaram em Campos no primeiro turno, 17% decidiram no domingo, e na parcela que votou em Marília os eleitores de última hora somam 11%.

Na parcela de eleitores do Recife que não foi votar no último domingo, 25% deixaram de ir às urnas porque não estavam na cidade; 17% estavam doentes ou com algum problema de saúde; 13% estavam trabalhando e 12% estavam desinteressados pela eleição, entre outros motivos menos citados pelos que se abstiveram.

Sobre a pesquisa

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

Entrevistados: 924 eleitores do Recife

Quando a pesquisa foi feita: entre 17 e 18 de novembro

Registro no TRE: PE-06761/2020

Nível de confiança: 95%

Contratantes da pesquisa: TV Globo e jornal "Folha de S.Paulo"

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 3 pontos, para mais ou para menos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

ABAIXO FALSO MORALISMO

Fecha o cu Carlos

Alberto Costa Santos

A soma dos votos nulos e brancos com as abstenções foi de cerca de 42,4 milhões. Em comparação, o candidato eleito, Jair Bostanaro, recebeu 57,7 milhões de votos, e o Fernando Haddad, obteve 47 milhões de votos. Pra tu vê 89,4 milhões tiveram vergonha na cara e não votaram nesse LIXO BOSTANARO. Faz a conta Bostaminion.

Fernandes

Tem calma Carlos tais com raivinha teu candidato perdeu, pega o beco. Aceita dói menos.

murilo arraes de alencar

Tu já foi melhor, agora tais falando pela boca de Marcelo Texeira e José Nivaldo,uma pena,nem Aline conseguiu eleger

Carlos

24% de brancos/nulos/não responderam, ou seja, 1/4 dos eleitores do Recife têm vergonha na cara e não irão votar em nenhum dos dois LIXOS.


O Jornal do Poder

19/11


2020

Gol contra de Carlinhos Bala

O guia eleitoral do segundo turno nem começou, mas a Frente Popular do Recife já colocou seus integrantes para "pegar no serviço" em favor de João Campos (PSB). Um deles é o ex-candidato a vereador pelo PP Carlinhos Bala, que usa a todo custo o nome de Deus, até mesmo para lançar fake news. 

No vale-tudo para eleger João, o ex-jogador fez uma publicação em seu perfil oficial no Instagram com uma série de mentiras contra Marília Arraes (PT). Entre elas, a de que a prefeiturável queria proibir a leitura da Bíblia e o nome de Deus na Câmara Municipal.

Na mesma postagem, Bala vai além ao fazer um comparativo entre PSB e PT, com uma imagem que exibe a rede pública de saúde do Recife como se fosse um paraíso, quando a realidade é outra: há muita dificuldade para conseguir vagas em hospitais, com muitos pacientes amontoados em corredores sujos sem ter sequer direito a um leito.

Se na emergência é assim, imagine para marcar uma consulta. É um verdadeiro sofrimento há anos. Além da precariedade de infraestrutura, médicos e enfermeiros penam para receber salários, o que já foi diversas vezes noticiado pela imprensa, mostrando o que de fato existe nas gestões de Geraldo Julio e Paulo Câmara, ambos do PSB, na tabelinha torta entre a Prefeitura do Recife e o Governo do Estado. Ou seja, uma grande mentira que não dá para acreditar nem fazendo um enorme esforço. 

Desinformado ou simplesmente mal intencionado, Bala também traz outra inverdade ao dizer que Recife é a única capital brasileira em que o PT disputa o segundo turno: se tivesse a capacidade de buscar o mínimo de informação, saberia que Vitória, no Espírito Santo, também conta com um representante petista na corrida eleitoral do dia 29 de novembro.

Carlinhos Bala, contudo, parece mais preocupado em disparar mentiras a serviço de seu amigo, como é possível ver nesta imagem. Trata-se de uma postagem com teor verdadeiramente terrorista, que deturpa e apela de forma maliciosa para a boa fé dos cristãos recifenses e, assim, tenta arrancar votos de Marília. 

Carlinhos Bala, que se diz cristão, viola ao menos dois dos dez mandamentos: "Não usar o Santo Nome de Deus em vão" e "Não levantar falsos testemunhos contra o próximo". Se for temente a Deus como diz ser, se apressará em apagar a postagem.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

19/11


2020

Gilvandro vê rombo de R$ 100 milhões em Belo Jardim

O prefeito eleito de Belo Jardim, Gilvandro Estrela (DEM), disse, há pouco, em entrevista gravada para o Frente a Frente, que herdará terra arrasada do prefeito Hélio dos Terrenos, do PTB. “A cidade começou a ser destruída por João Mendonça, afastado por corrupção, e recebeu a pá de cal com o atual prefeito. Temos informações extraoficiais de um rombo da ordem de R$ 100 milhões”, afirmou.

Ligado ao grupo do ex-ministro Mendonça Filho, Gilvandro teve três mandatos de vereador e foi prefeito do município por três meses. Na condição de presidente da Câmara, substituiu o então prefeito João Mendonça (PSB), afastado por corrupção. Na eleição suplementar disputou a Prefeitura, mas perdeu para Hélio dos Terrenos, que fez a pior gestão do município nos últimos anos.

Advogado, 61 anos, Gilvandro foi eleito com uma frente de 10 mil votos ante Isabelle Mendonça (PSB), esposa de João, e Wilsinho Maciel, do PTB. Seu grande desafio pela frente será o soerguimento econômico do município, assim como a questão fiscal. Mesmo sabendo das dificuldades de caixa, o prefeito eleito disse que quer pagar o salário dos servidores em dia, já a partir da folha de janeiro.

A entrevista vai ao ar entre 18 e 19 horas, no horário do programa Frente a Frente, retransmitido pela Rede Nordeste de Rádio para mais de 40 emissoras nos Estados de Pernambuco, Alagoas e Bahia. Se você deseja ouvir o programa pela internet clique no botão rádio na página acima do blog ou baixe o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio no play store.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


19/11


2020

Analistas voltam a questionar pesquisa IBOPE/Globo/XT

A pesquisa Ibope, divulgada ontem, traz um dado considerado absurdo por alguns analistas de levantamento: aponta apenas 1% de indecisos. Isso virou chacota, porque, se for verdade, o levantamento do Ibope já elegeu Marília Arraes como prefeita do Recife. Os analistas observam que a pesquisa que mais errou no primeiro turno foi a do IBOPE.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

19/11


2020

Agências do INSS estarão fechadas na próxima segunda

As agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) estarão fechadas próxima segunda-feira (23) devido ao ponto facultativo relativo ao Dia do Servidor. A informação foi divulgada pelo Ministério da Economia.

Inicialmente, a data seria comemorada em 30 de outubro, mas essa previsão foi alterada e as agências permaneceram abertas naquele dia.

Segundo o INSS, antes da mudança do feriado, tinham sido feitos agendamentos "residuais" para o dia 23 de novembro, próxima segunda-feira.

Porém, o órgão afirmou que a Central 135, do INSS, "já está fazendo ligação ativa para remarcar quem eventualmente marcou".

O INSS informou que os cidadãos podem buscar informações, pedir benefícios e agendar serviços pelo Meu INSS, também disponível como aplicativo para celular, ou por meio do telefone 135, que funciona de segunda a sábado, de 7h às 22h.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


19/11


2020

Ex-deputado do Ceará é preso em flagrante com R$ 2 mi

Um ex-deputado federal e estadual do Ceará foi preso em flagrante, na manhã de hoje, com R$ 2 milhões em espécie que estavam guardados em caixas de aparelhos de televisão. O dinheiro foi achado em uma empresa operada pelo ex-deputado, que, segundo a investigação, é o chefe da organização criminosa.

A operação KM Livre, que prendeu o ex-deputado, investiga desvio de recursos públicos, fraudes em licitações, lavagem de dinheiro, entre outros crimes no estado, conforme o delegado Carlos Joelson, coordenador da operação.

A prisão ocorreu durante o cumprimento de um dos 27 mandados de busca e apreensão realizados pela Polícia Federal em Fortaleza e em cidades de mais dois estados – Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro, onde foram apreendidos valores em euro e ouro.

Na primeira fase da Operação Km Livre, realizada em 2016, a polícia apreendeu mais de R$ 5,9 milhões em espécie no mesmo local, uma empresa ligada ao ex-deputado Adail Carneiro. Os investigadores, entretanto, não confirmaram ter sido ele o ex-deputado preso nesta quinta.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


19/11


2020

PF e TSE apontam que hackers acessaram dados de 2020

Análise feita pela Polícia Federal em conjunto com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontou que o suposto ataque hacker que acessou dados pessoais de funcionários do tribunal foi mais amplo e teria ocorrido neste ano.

O invasor, aponta a apuração inicial, acessou dados de 2020, como endereços e telefones, no Portal do Servidor, um sistema administrativo e sem relação com o processo eleitoral. A informação inicial, porém, era de que esses dados se referiam apenas ao período de 2001 a 2010.

A suspeita é de que o ataque tenha acontecido antes de 1º de setembro porque o material não mostra informações registradas nos arquivos do TSE após o dia 2 daquele mês.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


19/11


2020

Superfaturamento até nas camas dos hospitais do Recife

EXCLUSIVO

Outro escândalo na gestão do prefeito Geraldo Júlio (PSB) está prestes a estourar, informam ao Blog fontes na área criminal da esfera federal, sob reserva.

Relatório oficial dos auditores do Tribunal de Contas do Estado (TCE) aponta suposto superfaturamento e possível desvio de verbas da covid-19 em compras sem licitação para os hospitais de campanha da covid-19 da Prefeitura do Recife (PCR).

Foram analisadas as dispensas de licitação 27 e 46, da Secretaria de Saúde do Recife, para cama, maca e poltrona hospitalar nos hospitais de campanha. Os gastos sem licitação nas duas dispensas chegaram a R$ 2.700.000,00 e, segundo os auditores do TCE, em R$ 1.159.236,20 deste valor pago houve superfaturamento nas compras.

O relatório oficial do TCE, recheado de provas e documentos, aponta como responsáveis pelo suposto superfaturamento Felipe Soares Bitencourt (assessor comissionado e homem-forte de Geraldo Júlio nas compras da saúde), Mariah Simões da Mota Loureiro Amorim Bravo (diretora da Prefeitura e sobrinha de Sileno Guedes, presidente estadual do PSB) e Jaílson de Barros Correia (secretário de Saúde do Recife que teve pedido de prisão feito pelo MPF). O relatório do TCE pede que os três, nomeados por Geraldo Júlio para responder pelos gastos da Prefeitura na pandemia, sejam condenados solidariamente a devolver aos cofres do Recife a quantia de R$ 1.159.236,20.

Ou seja, segundo os auditores do TCE, dos R$ 2,7 milhões gastos nas macas, camas e poltronas dos hospitais de campanha, mais de um milhão de reais teria que ser devolvido pelos responsáveis pela saúde na PCR, ou seja 40% dos gastos podem ter sido supostamente desviados, segundo o relatório oficial do TCE.

Segundo os auditores, com conhecimento prévio, a gestão de Geraldo Júlio comprou os equipamentos por valores muito acima dos praticados no mercado durante a pandemia.

"Verifica-se que os itens Cama Hospitalar Fawler, Carro Maca Hospitalar e Mesa para Exame Clínico, adquiridos por meio dos Processos de Dispensa 27/2020 e 46/2020, apresentam fortes indícios de superfaturamento, que podem chegar ao montante de R$ 1.159.236,20 (um milhão, duzentos e cinquenta e nove mil, duzentos e trinta e seis reais e vinte centavos). Essa diferença de valores é oriunda de preços que não se coadunam com os valores praticados no mercado", diz o relatório oficial do TCE.

Em um dos casos, a gestão de Geraldo Júlio comprou uma quantidade de "Carros Maca Hospitalar' por R$ 4.120,86 a unidade, quando, segundo o TCE, o preço praticado no mercado era de R$ 1.535,31. Neste item, o superfaturamento, segundo os auditores do TCE, passou de 268% em cada unidade comprada. Em quase todos os itens, a gestão de Geraldo Júlio, segundo o relatório do TCE, teria pago mais que o dobro do que os equipamentos valiam.

Como os auditores comprovaram no relatório do TCE, na época das compras sem licitação, até na Internet as macas estavam sendo vendidas por menos da metade do preço pago pela gestão de Geraldo Júlio.

"Ao utilizar o método estatístico descrito no início desta análise, verifica-se que o preço que melhor representa a pesquisa realizada, ou seja, que o Preço de Mercado para o item é de R$ 496,86. No entanto, o item foi adquirido pela Secretaria de Saúde do Recife ao preço unitário de R$ 2.186,80 valor 340% superior ao Preço de Mercado", apontam os auditores do TCE, no relatório oficial.

Segundo os auditores do TCE, no caso, não estaria valendo uma conhecida "desculpa" da gestão municipal de que "os preços subiram pela pandemia de covid-19". Todos os preços usados pelos auditores do TCE para comparação foram de produtos idênticos comprados pelo Governo Federal na mesma época, durante a crise de covid-19.

"Como o Painel de Preços do Governo Federal disponibiliza dados e informações apenas de compras públicas homologadas no Sistema de Compras do Governo Federal - COMPRASNET, com o objetivo de ampliar a base de dados utilizada para uma maior segurança ao preço aferido, esta equipe de fiscalização ampliou sua pesquisa de preços públicos utilizando a base disponibilizada pelo Banco de Preços", diz o relatório do TCE.

Além do suposto superfaturamento, os auditores do TCE apontaram possível "montagem" dos processos licitatórios supostamente para favorecer a empresa beneficiada com a dispensa emergencial sem licitação.

"Nos Processos das Dispensas de Licitação 27/2020 (doc. 01) e 46/2020 (doc. 02) foram identificadas deficiências nas estimativas de preços. Observou-se que as pesquisas foram realizadas de maneira extemporânea e, em alguns casos, com identificação de um produto/equipamento divergente do estabelecido no Termo de Referência. Além disso, não foram documentados todos os contatos realizados com os potenciais fornecedores dos itens das dispensas em análise", apontam os auditores do TCE.

Outra coisa que impressionou os auditores é que a empresa, em que a gestão de Geraldo Júlio foi buscar a compra emergencial sem licitação, é uma empresa do interior do Estado de Goiás, na cidade de Aparecida de Goiânia

Segundo o relatório do TCE, há indícios que a gestão de Geraldo Júlio favoreceu a empresa do interior de Goiás.

"No Processo de Dispensa 27/2020, foram observadas pesquisas de preços com datas posteriores a 19 de março de 2020, data da publicação, no Diário Oficial do Recife, do Termo de Ratificação da Dispensa de Licitação 27/2020. Isso representa indício de que os preços foram cotados em momento posterior a escolha do fornecedor", aponta o relatório oficial do TCE.

Sob reserva de fonte, uma autoridade que comandou uma das sete operações que foi alvo a Prefeitura do Recife disse ao Blog que "é impressionante" como há irregularidades "em quase todos os contratos da Prefeitura do Recife (PCR) para enfrentamento à pandemia".

O relatório está disponível no site do TCE na Internet, no processo 20100093-3. O caso ainda vai ser julgado no TCE.

Como publicado pelo Jornal do Commercio na edição de hoje, o relator dos processos sobre os gastos da saúde da Prefeitura do Recife (PCR) é o conselheiro Carlos Neves, que já foi advogado de Geraldo Júlio. Em nota ontem ao Jornal do Commercio, ontem, a assessoria do TCE disse que Carlos Neves "não tem um prazo definido para julgar o processo" dos respiradores de porcos, outro escândalo da gestão municipal que está bombando nas redes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha