Jaboatão - Nova UBS PET

12/09


2021

ONU cobra Bolsonaro por crimes da milícia e Ditadura

Por Jamil Chade, do UOL

O governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vai ser colocado sob pressão nesta segunda-feira, quando o Comitê da ONU sobre Desaparecimentos Forçados iniciar a primeira avaliação feita sobre a situação no Brasil. O exame cobrará respostas do governo sobre a violência policial, sobre as milícias e a atitude do estado em relação aos desaparecidos durante a ditadura militar (1964-1985), dois aspectos que Bolsonaro abriu polêmicas por defender posturas que violam o direito internacional.

A reunião contará com representantes sociedade civil brasileira e com autoridades do Itamaraty e do Ministério dos Direitos Humanos, Família e Mulher. Do lado da ONU, porém, a cobrança será feita ainda sobre o desmonte dos mecanismos de monitoramento e prevenção da tortura e sobre o que o país tem feito para investigar os autores dos crimes cometidos durante a Ditadura Militar. O organismo ainda quer esclarecimentos ainda sobre as investigações que tenham sido realizadas no país sobre milícias.

Os temas são alguns dos mais delicados envolvendo o comportamento do Palácio do Planalto. Por fazer parte dos mecanismos da ONU, o Brasil será obrigado a dar respostas. Nos últimos meses, por conta da preparação à sabatina, o governo Bolsonaro submeteu um informe sobre o tema para a ONU. Mas o Comitê deixou claro que não ficou satisfeito com as explicações.

No informe, o governo de Jair Bolsonaro omitiu qualquer referência à existência de um regime militar no país entre 1964 e 1985. Tampouco houve uma avaliação ampla sobre o papel das milícias e a atuação do estado para contê-las.

A ONU contestou e, numa comunicação, fez perguntas claras sobre o que o estado está investigando milícias e grupos paramilitares. A entidade quer números de quantos casos existem e quantos foram condenados.

Outro ponto destacado pelo comitê se refere à independência dos processos de investigação. A entidade quer saber o que tem sido feito para evitar que pessoas não influenciem investigações, além de garantias de que forças de ordem implicadas em um caso não participem justamente do inquérito.

O Comitê ainda cita o caso de Amarildo Dias de Souza, além de conflitos de terras e ameaças contra indígenas. De acordo com o documento, o Comitê deixa claro que o Brasil não apresentou informações sobre quantas pessoas estariam desaparecidas no país e pede que o governo esclareça se existe a suspeita do envolvimento de algum ator do estado nesses casos.

O Comitê ainda recebeu documentações e informações do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania, Comissão D. Paulo Evaristo Arns de Defesa dos Direitos Humanos - Comissão Arns e da Conectas Direitos Humanos alertando para declarações do presidente Bolsonaro em apoio às operações policiais e suas atitudes.

As entidades ainda entregaram para a ONU uma lista de casos de desaparecimentos ainda não esclarecidos, como o de Anderson Henrique da Silva Rodrigues, que desapareceu depois de ter sido parado pela polícia militar do Ceará em 2019, Carlos Eduardo dos Santos Nascimento, Alex Júlio Roque, Rita de Cássia Castro da Silva, Weverton Marinho e Lucas Eduardo Martins dos Santos.

Para Gabriel Sampaio, coordenador do Programa de Enfrentamento à Violência Institucional da Conectas, a mensagem que as entidades querem passar durante a sabatina é de que o governo tem sido "negligente com a violência institucional em curso" no país e que, nos últimos anos, houve um desmonte deliberado das estruturas de controle.

Omissão sobre Ditadura

Ciente da postura de Bolsonaro de elogiar os generais da Ditadura Militar e sua apologia a autores de crimes, o Comitê da ONU ainda cobrou o governo de forma ampla sobre o que o estado tem feito sobre tal período da história do país e sobre o combate à tortura. O organismo, por exemplo, quer explicações oficiais por parte do governo sobre quais seriam os limites da Lei de Anistia e se a lei nacional criminaliza o desaparecimento forçado como um crime contra humanidade.

A ONU ainda quer esclarecimentos sobre "os esforços que tem sido feitos" para investigar desaparecimentos entre 1964 e 1985, se os responsáveis por esses atos foram levados à Justiça e se as vítimas foram alvo de reparação. Bolsonaro nega a existência de um golpe de estado em 1964 e insiste em receber torturadores. Um dos principais documentos submetidos para a entidade veio do Instituto Vladimir Herzog, que alertou a ONU sobre o caráter "extremamente grave e problemática" de apresentar a questão da tipificação do crime de desaparecimento limitada à Lei de Anistia.

"É uma interpretação extremamente equivocada que está em absoluto desacordo com os regulamentos e tratados internacionais, dos quais o Brasil é signatário, que postulam que as leis de anistia não podem e não devem ser aplicadas em casos de crimes como tortura e desaparecimento forçado", alertou a entidade, em suas informações prestadas às Nações Unidas.

A matéria completa está disponível no UOL.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo - Pavimentação e Drenagem

12/09


2021

De bigu com a modernidade

Os impressionantes preços dos carros

A Volkswagen lançou o novo SUV médio da marca, o Taos, há apenas três meses. Ele veio para se tornar o “irmão do meio”, posicionado entre o T-Cross e o Tiguan. Pois bem: a empresa acaba de anunciar reajustes de quase R$ 5 mil nas versões Comfortline e Highline. Em algumas lojas, a de entrada pulou de R$ 155 mil para R$ 160 mil; a topo de linha foi R$ 181,8 mil para R$ 187 mil. O problema seria simples se esses reajustes afetassem apenas os produtos da VW. Bastaria deixar de comprá-los. Mas não é. 

A soma da pressão inflacionária nos custos de produção com a falta de oferta (exatamente em razão do sumiço de insumos, como semicondutores) dá nisso. O aço, matéria-prima básica de qualquer carro, subiu neste ano 30%. Junte também desvalorização cambial e combustível caro. Sem falar, claro, no lucro dos acionistas: um Fiat Doblò, versão Essence, com motor 1.8 e câmbio manual (e alguns pacotes de acessórios) pode sair por impressionantes R$ 132 mil. Quem quiser um Fiat Fiorino básico para trabalhar, e somente tendo como opcional a direção hidráulica, tem que desembolsar até R$ 90 mil. Quem aguenta?

Esse comportamento faz sobrar até para quem quer apenas (ou só pode) um carro usado: no primeiro semestre, eles encareceram 13%. Os preços dos modelos 0km, devido a recessos extemporâneos de montadoras como a Chevrolet, subiram acima dos 4% neste mesmo período, segundo dados da Kelley Blue Book Brasil, empresa especializada na pesquisa de preços de veículos. 

Dados da Fipe  mostram que, entre fevereiro de 2020 (mês anterior ao início da pandemia de Covid-19) e julho de 2021, os preços de carros 0km subiram 19,9%. Esse resultado semestral da variação dos 0km torna clara a pressão maior dos preços de modelos ainda fabricados pelas montadoras. Exemplo: os modelos 2022 passam dos 7,5% de acréscimo. Os 2021, que foram sendo substituídos ao longo do semestre, e mais desatualizados, como os 2020 e 2019, tiveram seus preços estabilizados nos primeiros seis meses do ano. 

Agosto sem gosto - Os seminovos e usados subiram mais do que os 0km, segundo a KBB Brasil. Os modelos até 2018 subiram 0,92% em relação a julho; os produzidos até 2011 ficaram 1,46% mais caros. As marcas que tiveram maiores reajustes foram Jeep (1,24%), Fiat (1,23%), Volkswagen (0,9%) e Renault (0,78%). Chevrolet, Citroën, Mercedes-Benz, Volvo e outros não elevaram seus preços. A picape Renault Oroch foi a que teve maior acréscimo, custando 2,03% a mais do que em julho. 

Carros usados - A Fenauto, que representa o setor de lojistas de veículos multimarcas por todo o Brasil, publicou relatório com os resultados das vendas de veículos seminovos e usados durante agosto. Em relação ao mesmo mês do ano passado, foi registrado um aumento de 13,8%. No comparativo acumulado do ano, a evolução também é positiva em 47,2% (ante ao mesmo período do ano passado). Em Pernambuco, o crescimento em todo 2021 foi de 53% (283.501 unidades vendidas contra as 185.504 de 2020).  Em percentual, o melhor desempenho foi do Piauí, com crescimento de 119% no mesmo período.  Alagoas registrou alta de 88%. No Ceará, o comércio cresceu 79,3%. Segundo o presidente da Federação, Ilídio dos Santos, a expectativa é que, até o final de 2021 o setor consiga manter um ritmo positivo - até em função da alta procura pelos seminovos e usados provocada pela dificuldade na compra de veículos 0km.

Caoa Chery - A marca sino-brasileira emplacou 4.717 unidades em agosto. Com isso, conquista, pela primeira vez, a oitava posição no ranking das montadoras nacionais de veículos de passeio, de acordo com a Fenabrave. Com crescimento de 25% em relação a julho e de 189% sobre agosto de 2020, a montadora teve participação de 3,94% no período, considerando apenas automóveis de passeio. A marca segue na contramão da indústria que, novamente, registrou retração nas vendas. Em agosto, o mercado brasileiro vendeu pouco mais de 158 mil unidades, o que representa uma queda de 2,1% em relação ao mês anterior e 8,7% menor que agosto de 2020.

Financiamento de veículos - O comércio de veículos em agosto de 2021 somou 527 mil unidades, entre novos e usados, incluindo automóveis, motos e pesados (caminhões e ônibus). Isso representa um aumento de 4,6% se comparado a agosto de 2020, segundo dados da B3, que opera o Sistema Nacional de Gravames (SNG), a maior base privada do país. Mas os financiamentos de veículos usados registraram aumento de 9,7%, enquanto os de novos tiveram queda de 6,4%, se comparado ao mesmo mês do ano passado. No segmento de automóveis leves, a redução nas vendas a crédito de veículos novos foi ainda maior, queda de 19,7% em relação a agosto de 2020. Já o segmento de veículos pesados registrou 31,6% de aumento nos financiamentos, em comparação a agosto do ano passado, com relevante crescimento para os veículos novos - numa elevação de 55,1% no período. No acumulado do ano de 2021, até agosto, as vendas dos veículos financiados somaram 4 milhões unidades, entre novos e usados, o que representa crescimento de 20,4% em relação ao ano de 2020.

Salão de Munique - Acaba hoje o mais festejado salão do automóvel do mundo, o IAA, realizado em Munique, na Alemanha. Agora chamado de IAA Mobility, ele é o primeiro salão automotivo no velho continente desde 2019: a partir daí, a Covid parou tudo e este se tornou uma espécie de marcação econômica e social. A vida pós-pandemia, com retorno à convivência presencial e interativa; os negócios em si; e o foco em mobilidade (e não em carros apenas) deram o tom. Obviamente, os carros (e até bicletas) elétricos se destacaram. O elétrico BMW i4 foi o modelo mais tietado no estande da marca alemã. O sedã totalmente é baseado no Série 4 Gran Coupé e chega ao mercado europeu ainda este ano. A versão eDrive40 tem potência de 340cv e tração traseira e acelera de 0 a 100 km/h em 5,7 segundos. A velocidade máxima é de 190 km/h e a autonomia pode chegar a 590km. 

E por falar em BMW, ela também mostrou o conceito BMW i Vision Amby, bike de pedal assistido para uso urbano e até estrada com três opções de velocidade: 25 km/h para a ciclovia; 45 km/h para ruas; e 60 km/h para vias expressas. O Renault Mégane sumiu, sem deixar muitas saudades, das ruas brasileiras, mas na Europa ele resiste. E vai virar elétrico: o E-Tech Electric tem duas opções de motor (um de 96 kW e 130cv, com torque 25,5kgfm, e outro de 160 kW, 218cv e 30,6kgfm. A Mercedes-Benz levou o EQE, um sedã elétrico com dois motores e potência de 292cv e 53,0kgfm de torque. A autonomia é de 660 km. A Porche mostrou o conceito Mission R - Feito levando-se em conta a sustentabilidade ambiental, terá - caso entre em produção massiva - dois motores elétricos com até 800 kW e 1.088cv de potência.

C4 Cactus X-Series - A Citroën vai trazer para o Brasil 600 unidades do C4 Cactus X-Series, ao custo de R$ 107 mil. Ele ganha detalhes externos e internos (nova cor e monograma, por exemplo) e personalizados nos bancos e volante (couro). A versão tem freios ABS , controle de estabilidade de comando (ESP) e de tração (ASR), assistente de partida em rampa (Hill Assist) e piloto automático com regulador e limitador de velocidade. Do ponto de vista tecnológico, um cluster 100% digital e central multimídia de 7” com sistema de espelhamento Google Android Auto e Apple CarPlay. O motor é um flex 1.6 com 118cv e câmbio automático sequencial de 6 marchas.

Vem aí o Cruze RS - Já noticiamos por aqui que a Chevrolet está preparando uma ofensiva de produtos no mercado brasileiro, com quatro novidades: o Novo Bolt, Novo Equinox, a inédita versão Z71 da S10 e o Cruze RS. Será a primeira vez que o Cruze ganha uma configuração com visual realmente esportivo na região. A RS é uma das versões mais cultuadas da Chevrolet no mundo, pelo fato de agregar acabamentos exclusivos e design mais arrojado. Já a versão Z71 da picape S10 no Brasil chega em outubro, com visual mais aventureiro. O modelo tem mais 25 anos de tradição e é a única picape da categoria com mais de 1 milhão de unidades produzidas no país.

Investimento pouco, estradas ruins - Os investimentos públicos para manutenção, adequação e construção de rodovias na última década despencaram nos últimos anos. Em 2010, por exemplo, foram gastos R$ 17,7 bilhões para essas obras. No ano passado, só foram aplicados R$ 6,7 bilhões - ou apenas 20% daquele valor. No Senado, o tema foi debatido numa reunião da Comissão de Agricultura. O presidente do colegiado, senador Acir Gurgacz (PDT-RO), disse à Agência Senado que a diminuição de investimentos se reflete na situação precária das vias federais, que põe em risco os usuários e aumenta as dificuldades para o transporte de cargas. “Isso compromete o desempenho e a competitividade da indústria e da agricultura e eleva o custo dos alimentos”, ressalta ele.

O senador Esperidião Amin (PP-SC) demonstrou pessimismo quanto à possibilidade de aumento dos investimentos públicos no setor. Para ele, não é certeza de sucesso o modelo de parcerias público-privadas (PPPs), que “sempre exige subsídios e garantias e também requer dinheiro público”. E quanto às privatizações? Gurgacz diz que a concessão das rodovias federais, transferindo o custo de manutenção para os usuários, também não têm dado conta de realizar os investimentos previstos e, portanto, não podem ser consideradas bem-sucedidas. Segundo o senador, dos oito trechos cedidos na última etapa do programa federal até 2018, um foi cassado e os demais enfrentam processos de ajustes que podem resultar em sua caducidade ou devolução. Dos 12 leilões de rodovias previstos inicialmente para 2021, apenas 6 devem ser leiloados este ano.

*Renato Ferraz, ex-Correio Braziliense, tem especialidade em jornalismo automobilístico.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina setembro 2

11/09


2021

Lucas fala em novo ciclo para Salgueiro com aeroporto

O edital para contratação da empresa que executará os serviços de recuperação do Aeroporto de Salgueiro, no Sertão do Moxotó, foi publicado hoje no Diário Oficial do Estado. O deputado licenciado e secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco, Lucas Ramos, aponta que o pacote de obras será fundamental para um novo ciclo de desenvolvimento na cidade.

"Estamos dando o primeiro passo para colocar Salgueiro na rota da aviação comercial, tanto de passageiros, quanto de cargas, gerando milhares de novas oportunidades de emprego e renda para a população", celebrou Lucas Ramos, destacando que os investimentos de R$ 3,13 milhões, dentro do Plano Retomada do Governo de Pernambuco, são fruto da parceria com o prefeito Marcones Sá. "Um trabalho conjunto que ainda trará muitas conquistas para a população de Salgueiro", reforçou.

As obras consistem na restauração do pavimento, execução da sinalização horizontal da área de movimento das aeronaves e melhorias na cerca do aeroporto. De acordo com o edital, as propostas serão apresentadas no dia 21 de outubro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sindicontas

11/09


2021

Bolsonaro: “Vida de presidente não é facil”

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) discursou, hoje, na 44ª Expointer, onde recebeu a Medalha do Mérito Farroupilha, máxima do Rio Grande do Sul. De acordo com o chefe do Executivo federal, "a vida de presidente não é facil”. “Troco com quem quiser agora”, brincou. 

Bolsonaro disse ainda que entende que ter sido eleito em 2018 foi uma “missão” que Deus deu para ele. “O país aos poucos está mudando. Nós acompanhamos a mudança das cores nesse país. Cada vez mais o verde amarelo toma conta da nossa pátria”, afirmou.

Marco Temporal 

Bolsonaro também citou o Marco Temporal previsto no PL 490. O Projeto de Lei 490 (PL 490) determina que são terras indígenas aquelas que estavam ocupadas pelos povos tradicionais em 5 de outubro de 1988. Ou seja, é necessária a comprovação da posse da terra no dia da promulgação da Constituição Federal.

De acordo com o chefe do Executivo Federal, ele anda conversando com especialistas sobre o assunto, chamado por ele de “problema”. “O STF voltou a discutir uma data diferente daquela fixada no Marco Temporal. Se a proposta do Fachin (ministro do STF) vingar, teremos de demarcar novas áreas indígenas equivalentes à região Sudeste toda. Ou seja, o fim do agronegócio. Simplesmente isso, nada mais que isso”, declarou.

Ainda segundo Bolsonaro, a primeira regra do governo é “não atrapalhar” o agronegócio. “Dificuldades são transformadas em facilidades. Deixamos o campo livre, escolhemos uma pessoa excepcional para estar à frente da pasta da Agricultura, nossa pequena grande mulher Tereza Cristina”, disse.

*Com informações do Estado de Minas


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Para o Bozo é facílima. Não trabalha, só vive em motociatas, passeando de helicóptero, gasta milhões com cartão corporativo e tudo isso com o dinheiro nosso, ou seja, não tem vida melhor.



11/09


2021

Chico processa Leite por uso indevido de imagem

Poder360

O cantor, compositor e escritor Chico Buarque entrou na Justiça contra o governador Eduardo Leite (PSDB), do Rio Grande do Sul. O artista acusa o chefe do Executivo estadual de utilizar, sem autorização, sua imagem e nome em um vídeo veiculado em ocasião do dia 7 de setembro.

A defesa de Buarque, representada pelo advogado João Tancredo, pede retirada imediata do conteúdo das redes sociais e uma indenização no valor de 40 salários mínimos, aproximadamente R$ 44.000.

No dia 4 de setembro, Leite divulgou em suas redes sociais um vídeo com a inscrição “Ninguém vai roubar as cores do Brasil”. Nele, o governador diz que “o Brasil precisa voltar parar o Centro”. E, critica, a política de “nós contra eles“, a exemplificar por “Basta ver em Chico Buarque e Sérgio Reis duas belezas musicais, e não só duas escolhas políticas. Basta lembrar que nós, assim como eles, somos todos brasileiros”, afirmou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca - Microempreendedores

11/09


2021

Gilvandro assina ordem para escola, quadra e praça

Os moradores do Bairro Viana & Moura da BR comemoraram a assinatura da ordem de serviço de uma escola, uma praça e uma quadra poliesportiva. O ato encerrou as comemorações dos 93 anos de emancipação política do município de Belo Jardim, hoje.

"Os moradores dedicidiram democraticamente o destino que iríamos dar a esse terreno que estava abandonado. Se Deus quiser, no próximo dia 20 de dezembro, antes do Natal, estaremos entregando esse presente aos moradores", afirmou o prefeito Gilvandro Estrela (DEM).

Mais de R$ 3 milhões do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e da Manutenção e Desenvolvimento do Ensino (MDE) serão investidos nas obras. A escola vai atender cerca de 500 alunos do Viana & Moura e de bairros adjacentes, como Frei Damião, Bela Vista, Planalto, entre outras localidades no entorno da BR-232. 

"Comemoramos o marco do início dessa obra que vai atender a uma comunidade importante em Belo Jardim. O Viana & Moura da BR é um bairro carente de investimento, infelizmente, abandonado pelas gestões anteriores. Gilvandro está no caminho certo e conta com o meu apoio. Em breve vamos novamente à Brasília, em busca de recursos do FNDE para fortalecer ainda mais a educação em Belo Jardim", antecipou o ex-ministro da Educação Mendonça Filho, que participou do ato.

O evento também contou com a participação do vice-prefeito, Dr. Maneco, da primeira-dama, Márcia Feitosa, de colaboradores e secretários municipais. A secretária municipal de Educação e Tecnologia, Carmem Peixoto, detalhou a construção da unidade escolar e da quadra poliesportiva a redação do portal BJ1 Notícias.

“Essa semana as máquinas já iniciaram a terraplanagem do local. A escola contará com 12 salas de aula, biblioteca, sala de informática, entre outros ambientes físicos. A quadra pertence à construção da escola, no entanto, terá um acesso exclusivo para a comunidade”, revelou.

Ainda de acordo com a Secretaria de Educação, inicialmente, a escola municipal não atuará em tempo integral. A unidade irá atender todos os segmentos de ensino, do pré-escolar ao 9° ano do ensino fundamental II, além da Educação para Jovens e Adultos (EJA), destinada ao público que não concluiu ou não teve acesso à educação formal na idade apropriada. 

Homenagem No evento, o prefeito Gilvandro Estrela anunciou que a Escola Municipal receberá o nome da professora Maria Antonieta Gomes Barbosa. Já a praça contará com espaço de convivência, brinquedos infantis, concha acústica e academia das cidades. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru volta as aulas 2021

11/09


2021

Volta às aulas em Serra Talhada

Por Marcelo Martins*

Depois de um longo e tenebroso inverno, eis que recomeçaremos as aulas presenciais na próxima segunda-feira dia 13 de setembro. De início volta às atividades os 9ºs anos e a EJA (Educação de Jovens e Adultos).

A aula inaugural será na Quadra Egidio de Carvalho a partir das 19 horas com a presença das escolas municipais que tem a Educação de Jovens e Adultos (EJA). A Escola Municipal Martin Luther King estará presente com todo seu corpo docente para dar as boas vindas a esse público que depende da escola para continuar seus estudos, coisa importante na vida do ser humano.

Será um momento ímpar, pois lá também estarão presentes personalidades políticas do nosso cotidiano, como a prefeita Márcia Conrado e alguns secretários que já confirmaram presença num ato de muita relevância para todos os discentes.

“Ensinar é um exercício de imortalidade. De alguma forma continuamos a viver naqueles cujos olhos aprenderam a ver o mundo pela magia da nossa palavra. O professor, assim, não morre jamais.”

Rubem Alves

*Funcionário públicoblico Municipal lotado na Escola Municipal Martin Luther King Junior


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

11/09


2021

Sertanejo responde à Ana Paula Padrão


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

11/09


2021

Da Fonte segue Paulo em agenda do Plano Retomada

O deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE), ao lado do governador Paulo Câmara, cumpriu uma intensa agenda ontem (10) e na última quinta (9) pela região do Sertão do Moxotó. Nos municípios de Itaíba e Manari, o deputado acompanhou a assinatura de contratação para obra de restauração da PE-300 em Itaíba e da PE-270, entre a BR-232 em Arcoverde, serviço que irá contemplar também os municípios de Tupanatinga e Manari.

A obra foi uma solicitação levada ao governador por Eduardo da Fonte, pelo secretário estadual de Agricultura e Desenvolvimento Agrário, Claudiano Martins, e pelo vice-presidente do PP Pernambuco, Lula da Fonte. “Esses dias foram muito importantes. Agradeço ao governador Paulo Câmara por ter atendido à nossa solicitação e ter garantido essa obra que é fundamental para a região. Investir em recuperação de estradas é oferecer mais segurança e desenvolvimento para os pernambucanos”, destacou Eduardo da Fonte.

O deputado também acompanhou a abertura de licitação do projeto de recuperação asfáltica da PE-300, entre Manari e Cercadinho, outra demanda levada por Eduardo, Lula e Claudiano. O parlamentar ainda visitou os municípios de Inajá e Ibimirim, onde participou de anúncio da restauração da PE-336 e obras para as áreas de infraestrutura, abastecimento e educação.

Em Tupanatinga, Eduardo acompanhou o teste de vazão do Sistema Adutor do município, que integra a Adutora do Agreste. As obras anunciadas fazem parte do Plano de Retomada do Governo de Pernambuco.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

SESC Agosto 2021

11/09


2021

Pé na estrada

Depois do giro pelo Agreste Setentrional encerrado hoje, no qual passei por seis municípios e dei uma esticada até a paraibana Umbuzeiro, a 26 km de Surubim, já estou arrumando as malas de novo. Semana que vem, vou ao Sertão do Araripe. A princípio, passo por Araripina (na foto), Trindade, Ouricuri, Ipubi, Bodocó e Santa Cruz da Venerada. 

Crise do gesso, estradas mal cuidadas e a volta dos carros pipas no abastecimento humano, dentre outros assuntos, estão na pauta do percurso, que vai durar até o sábado. Há muito, não visito os municípios da belíssima Chapada do Araripe, região que começa a avançar também como centro universitário com a chegada de uma faculdade de Medicina em Araripina, município governado pelo prefeito reeleito Raimundo Pimentel, do PSL.

Aliás, Araripina está em festa também hoje pelos seus 93 anos de emancipação política. Já na outra semana, de 20 a 24, boto o pé na estrada e fico cinco dias no Agreste Meridional, tendo como QG a charmosa Garanhuns. Na pauta desta região, a crise na bacia leiteira, seca e os investimentos privados que estão gerando emprego e mudando o perfil econômico do Interior.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Agosto 2021

11/09


2021

Anderson e Raquel juntos no Agreste

Os prefeitos de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PL), e de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), estiveram hoje nos municípios de Vertentes e São Joaquim do Monte, no Agreste do Estado, que celebraram os 93 anos de emancipação política. Juntos, pontuaram as dificuldades que passam os municípios pernambucanos, a troca de experiência entre os gestores e destacaram, durante a inauguração do Hospital Municipal Evaristo Ferreira Filho, em Vertentes, a "esperança no futuro melhor".

“Aqui se abre mais uma porta de esperança para esta cidade. Investir na saúde é pensar no futuro. E eu vejo tanto na saúde como na educação uma revolução promovida pelo prefeito Romero Leal aqui em Vertentes. Por isso fiz questão de vir aqui hoje, para trocar experiências. Obrigado pela oportunidade de aprender e poder rever grandes amigos como a prefeita Raquel Lyra. A gente tem uma ligação de amizade muito forte e tem mantido esse elo”, disse Anderson.

Já a prefeita Raquel Lyra ressaltou que o fato de o prefeito de Vertentes, Romero Leal (PSDB), entregar o hospital após passar pela pandemia demonstra que é possível sair da crise, “desde que se tenha pessoas comprometidas em trabalhar pelo povo e junto com o povo”.

A inauguração do hospital em Vertentes reuniu diversos políticos, entre prefeitos e parlamentares. O prefeito Anderson Ferreira também foi a São Joaquim do Monte visitar o prefeito Duguinha Lins (PSDB), seu vice, Guto Coelho, e o ex-prefeito Joãozinho Tenório, devido à passagem dos 93 anos de emancipação da cidade.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/09


2021

Moacyr Franco: Ninguém fala do meu passado glorioso

Por Maria Fortuna, de O Globo

Moacyr Franco está embaixo de uma mesa e, ajoelhada ao seu lado, Joana Jabace sussurra frases como: "Você está com 84 anos, todos os seus sonhos podem estar indo embora, você não calcula onde está". A provocação vai comovendo o ator num crescente até quer ele alcance o estado emocional desejado pela diretora para rodar uma passagem da nova temporada de "Segunda chamada", que estreou nessa sexta (10), no Globoplay.

Na série, Moacyr é Seu Gilsinho, um homem que sofre de Alzheimer e que concluir os estudos antes que a doença evolua. Na cena, o personagem é tomado por um lapso total e, confuso, se esconde sob um móvel na sala da diretoria da Escola Estadual Carolina Maria de Jesus. Esse foi o momento do trabalho que mais emocionou Moacyr, "um ator aberto, que topa tudo", como define Joana.

— A gente arregaçou nessa cena! Foi tão bonito que, quando terminou, nos abraçamos sem máscara e tudo — empolga-se ele, se apressando em dizer que tomou "tudo quanto é vacina" e foi alvo de cuidados redobrados da equipe de produção por causa da idade.

A experiência de décadas fazendo shows em asilos e a convivência intensa com familiares mais velhos fizeram o ator de 85 anos já ancorar no personagem familiarizado com sintomas do Alzheimer. Mas o trabalho de preparação foi fundamental para ele, forjado em programas de humor, virar a chave na direção do drama.

— Fiz comédia a vida inteira, shows que são muito improvisados... A gente cria um estilo, né, mas não tenho uma escola oficial, um estudo — conta ele, que vem fazendo lives diárias em que conta causos reais e fictícios, no Instagram .

Apesar das dificuldades vividas pelo personagem, Moacyr consegue injetar um pouco de humor e até fazer suas graças em cena. Como quando, no meio de um assunto sério, comenta que o Vasco empatou. Isso com aquele seu famoso tempo de comédia que serve de referência para alguns atores da nova geração. Fã do Café com Bobagem, Porta dos Fundos e de Tom Cavalcante, Moacyr diz achar "ruim esse negócio de politicamente correto".

— Ter que escrever pensando nisso é chato. Eu não me preocupo, só em ser engraçado. Agora, sempre achei que temos obrigações como ser humano. Penso que estou na sala da casa da minha tia, com criança, avó, mãe... O que não posso dizer, não digo. Temos que ter uma autocensura. Às vezes, sugerir algo é mais proveitoso do que dizer. Embora meu personagem em "A Praça é nossa" se chamasse Jeca Gay, nunca fiz uma piada de gay.

'Fico tentando provar que eu existi'

Ao falar do passado, Moacyr parece carregar uma certa mágoa. Diz que não é "muito lembrado". Conta que, recentemente, recebeu de Bruno Mazzeo uma reportagem publicada na "Revista Intervalo", de 1963, sobre o sucesso de seu programa de auditório, "Moacyr Franco Show", na TV Excelsior. Na hora, enviou aos filhos — ele tem seis, que vão de 19 a 63 anos.

— Fico tentando provar a eles que eu existi. Chega uma hora em que tudo se perde. Ninguém fala de mim, do meu passado glorioso. Nunca fui muito comentado. Às vezes, estou no meio de uma história e me dá uma vergonha danada, porque eles pensam que estou mentindo. Aí falo, "pode perguntar para o... ih, morreu!", "já sei, eu estava com o... morreu!". Morreram todos! Mas não tenho lamentação, eu fui trabalhando.

A pandemia, aliás, teve impacto negativo nas oportunidades de trabalho.

— Ela me tirou o emprego e o direito autoral. Fecharam os botecos, onde sempre tinha uma música minha tocando. Acabou com os shows sertanejos, que cantam minhas canções. O meu show era para velho, mas os velhos morreram... — enumera ele, contando tudo em tom bem humorado e anunciando, animado, que já retomou suas apresentações presenciais (misto de show e palestras em que conta histórias) e está com a agenda cheia em outubro.

Em defesa de Sérgio Reis

Moacyr lembra com carinho a época em que fez sucesso com canções do gênero sertanejo-raiz. Nas décadas de 1980 e 1990, compôs várias músicas que alcançaram os primeiros lugares nas paradas, como "Dia de formatura", com Nalva Aguiar, e "Seu amor ainda é tudo".

— Naquela época, a música tinha uma história, um enredozinho e um defecho. Hoje, acho um pouco pobre o assunto. Se resume a "garçom, quero te contar minha vida, deixa eu beber outra...". É muita discussão de relacionamento.

Moacyr também gravou com Sérgio Reis (a canção "Questão de tempo"), que, recentemente, convocou manifestação antidemocrática contra o STF. Ele sai em defesa de seu “grande amigo”:

— Achei uma pena ( artistas terem desistido de participar do novo disco do artista ), porque o Sérgio não é isso. Ele é uma pessoa muito legal, companheiraço, preocupado com os outros. Depois, é um homem já doente... — diz ele, que pede para não falar de política. — Estou evitando tocar nesse assunto. É um momento de mexida, tempos de balanço.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha