Faculdade de Medicina de Olinda 2

16/09


2006

Heloisa promete auditorias nos governos FHC e Lula

 A candidata do Psol à Presidência da República, Heloísa Helena, garantiu neste sábado, em Curitiba, que, caso seja eleita, irá promover uma auditoria no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e no do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Os dois viabilizaram crimes contra a administração pública, um no processo de privatização e o outro no processo desvairado de banditismo na máquina pública", afirmou. "Só existe Congresso Nacional bandido quando o chefe do Executivo bandido é, porque quem tem a chave do cofre para liberar os recursos é o presidente da República ou um governador ou o prefeito."

Para ela, no caso das acusações de fraudes para compra de ambulâncias, "infelizmente não houve a apuração devida ainda". "Eu não tenho dúvida que o governo Lula estabeleceu um esquema tão maldito que vai ser descoberto. É só uma questão de dias, porque não descobriu quem não quis, a imprensa não divulgou se não quis, o Congresso não abriu procedimento investigativo porque não quis também", disse.

Segundo ela, durante o governo Lula recursos extra-orçamentários foram distribuídos para beneficiar governadores do PT, "num ´propinódromo´ instalado dentro do Ministério da Saúde, da Educação e da Ciência e Tecnologia".

A candidata esteve em Curitiba para assinar o termo de compromisso com a honestidade na política, melhor distribuição de renda e redução das desigualdades, preparado pela Pastoral da Criança. De acordo com ela, a elaboração do orçamento com a participação de toda a sociedade é uma das formas de acabar com a corrupção.

Ao lado da coordenadora da pastoral, Zilda Arns, Heloísa Helena relutou em responder perguntas sobre denúncias de corrupção. "Não quero constranger a doutora Zilda se for falar mal do governo", ponderou. "A pastoral é suprapartidária", respondeu Zilda, antes de se afastar.

Perguntada se o presidente Lula poderia assinar o termo, a candidata atacou novamente: "O governo não tem autoridade moral para dizer que combate a corrupção ou que assume compromisso com as crianças e jovens brasileiros."

Esperança

Ela ainda manifestou esperanças de que pode ser eleita. "Estou entre as mães de família que ensinam a seus filhos que é proibido roubar. Portanto, espero que o banditismo político não seja vitorioso", acentuou. E confessou dificuldades financeiras na campanha, o que a levou a reprisar programas de televisão. "Porque não temos dinheiro público roubado e nem vamos fazer acordos sujos para viabilizar dinheiro para a campanha", afirmou.

A candidata entrou na sala da Pastoral da Criança carregada pelo ambientalista José Pedro Naisser (Foto). "Ela é a Ghandi do novo milênio porque luta contra os poderosos", afirmou. Depois da assinatura do termo, a candidata foi ao centro de Curitiba para uma caminhada pelo Calçadão da Rua 15 de Novembro. (Estadão.com)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

guilherme alves

A mulher que vomita andando de cadeirinha é um show.


Detran

16/09


2006

Dossiê Serra: CPI quer saber a origem do dinheiro

Integrantes da CPI dos Sanguessugas defenderam ontem uma investigação profunda para descobrir a origem dos R$ 1,7 milhão, encontrado em poder do empresário Valdebran Padilha da Silva, que foi arrecadador da campanha do PT à prefeitura de Cuiabá, em 2004, e do advogado Gedimar Passos. Os dois foram presos pela Polícia Federal, que suspeita que o dinheiro seria usado para comprar imagens e documentos do empresário Luiz Antonio Trevisan Vedoin, chefe da máfia dos sanguessugas. O material mostraria envolvimento dos tucanos José Serra e Geraldo Alckmin com o esquema de superfaturamento de ambulâncias.

''É evidente que há uma tentativa de usar dinheiro sujo para comprar provas forjadas. Isso é coisa de bandido. Este não é um governo; é uma quadrilha'', disse o líder da minoria na Câmara, deputado José Carlos Aleluia (PFL-BA), que integra a CPI dos Sanguessugas.

''Considero o caso grave. É preciso ver de onde veio esse dinheiro. É evidente que Valdebran e Gedimar estavam a serviço de alguém'', afirmou o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ). ''Pode até ser que as fotos e os documentos sejam insignificantes, mas elas têm peso em um processo eleitoral'', argumentou Gabeira, outro integrante da comissão de inquérito que investiga a máfia das ambulâncias.

Mas a duas semanas das eleições, a cúpula da CPI dos Sanguessugas não tem nenhuma reunião agendada para tratar do assunto. Nesta reta final, a maioria dos integrantes da comissão de inquérito está dedicada a suas campanhas nos Estados e só deve voltar a Brasília na primeira semana de outubro.''Quem deve pedir uma investigação imediata à Polícia são os candidatos que foram atingidos'', observou Gabeira.

Tanto ele quanto Aleluia afirmaram que os depoimentos dados por Luiz Antonio e Darci Vedoin, donos da Planam, principal empresa do esquema de venda de ambulâncias superfaturadas, não perderam a credibilidade diante da suspeita de que eles iriam vender o dossiê contra os tucanos. ''Nós não denunciamos ninguém apenas com base nos depoimentos da família Vedoin. O depoimento deles serviu como um início para as investigações'', observou o pefelista. ''A palavra deles daqui para frente vale pouco. O que vale são as provas'', disse Gabeira. (Estadão.com)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

O importante não é o dinheiro q se pagaria pelas provas(isso é crime imperdoável)Mas esconder e omitir provas também é crime.A sujeira da política brasileira vem de priscas eras. Desde os tempos das capitanias,dos tempos dos barões e senhores de engenho,fazendeiros do café e do cacau.MP/CGU/TCU/TSE?

guilherme alves

A CPI deve quebrar o sigilo bancário de todo mundo que tá envolvido nesse episódio, inclusive das pessoas e empresas que os Vedoins denunciaram. Aí teriam um real quadro do processo. Fora disso é jogo para as arquibancadas.

guilherme alves

A CPI para ter credibilidade precisa: a)saber se há veracidade no que foi dito(contéudo);b) se os documentos são forjados ou originais;c) a quem interessava o dossiê d)de onde vem o dinheiro?; e por último deixar de dar antecipadamente habeas corpus, haja vista que não agiu dessa forma anteriormente

Para os hipócritas que estão querendo defender Serra e Alckmin, estão querendo saber de onde veio o dinheiro, o conteúdo que deveria ser o fator principal, pois a falcatrua está no conteúdo, ficaria para segundo plano. PF e MPF no caso imediatamente.


13° Bolsa Familia

16/09


2006

Berzoini: Dossiê é golpe contra candidatura Lula

 O presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini, atribuiu a suposta compra de dossiê contra tucanos por petistas à tentativa de desestabilizar o partido e a candidatura à reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Diante da consolidação da liderança de nossa candidatura presidencial e da frustração daqueles que desejaram destruir o PT, não nos surpreende que ocorram episódios dessa natureza, com o objetivo de conturbar a disputa eleitoral, que está sendo conduzida de nossa parte para o debate exclusivamente programático", declarou Berzoini em nota divulgada à imprensa na tarde deste sábado.

Também serão tomadas providências quanto ao filiado do PT preso pela Polícia Federal em São Paulo, acusado de portar dinheiro para comprar material contra o candidato do PSDB ao governo de São Paulo, José Serra, informou Berzoini:

"Encaminharei ao Diretório Nacional a aplicação da suspensão cautelar, conforme o estatuto, e abertura de procedimento disciplinar".

Segundo a nota, o PT considerou graves as novas acusações relativas ao escândalo dos sanguessugas publicadas pela revista "Isto É" e que envolvem o governo anterior.

"Ao contrário dos nossos adversários, não prejulgaremos, mas exigimos a rigorosa e isenta investigação das denúncias, para apurar todas as responsabilidades", afirmou o texto assinado por Berzoini, também coordenador nacional da campanha à reeleição de Lula.

Outro ponto da nota disse que, por ter sido vítima de procedimento semelhante, "o PT sempre rejeitou o denuncismo eleitoral e a produção ilegal de dossiês". E manifestou confiança do partido na apuração da Polícia Federal dos fatos e das circunstâncias que envolvem as prisões relacionadas com o episódio.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Paulin de Caruaru.

Ah a paixão...Essa força avassaladora que cega a razão..EH,eh,eh...

guilherme alves

Teremos um novo caso Abílio Diniz na praça. Quem participou do processo eleitoral de 1989 sabe como foi posteriormente desmascarada a farsa. Uma candidatura em céu de brigadeiro precisa de expediente desse jaez. Infantil e simplória a operação.


Prefeitura de Limoeiro

16/09


2006

Advogado preso diz que dinheiro do dossiê veio do PT

 O advogado Gedimar Pereira Passos --que foi preso ontem em São Paulo, onde receberia um dossiê contra o candidato a governador pelo PSDB, José Serra-- disse à Polícia Federal que recebeu de um representante da Executiva do PT de São Paulo, cujo nome ele disse não saber, o dinheiro para comprar o material.

Outra parte do dinheiro veio, segundo Passos, de uma revista cujo nome ele não soube dizer no depoimento à PF. A revista iria pagar pela exclusividade de uma reportagem.

O dossiê --uma fita de vídeo, um DVD e seis fotos-- foi enviado pelo empresário Luiz Antonio Trevisan Vedoin, apontado como chefe da máfia dos sanguessugas. Por conta do negócio, Vedoin foi preso ontem. A Justiça Federal determinou a prisão alegando que Vedoin ocultava provas e chantageava pessoas envolvidas com a máfia dos sanguessugas.

O material mostra Serra em maio de 2001, então ministro da Saúde, participando da entrega de 41 ambulâncias em Cuiabá (MT). Esses veículos, pagos com verbas federais, foram vendidos a municípios pela máfia dos sanguessugas.

Há ainda uma foto, sem data, em que o candidato a presidente pelo PSDB, Geraldo Alckmin, aparece cumprimentando uma pessoa identificada pela PF como Sinomar Martins Camargo, representante da empresa Santa Maria, que pertencia aos sanguessugas e fornecia ambulâncias. Serra e Alckmin negam envolvimento com os sanguessugas e falam de armação eleitoral.

Com Passos, foram apreendidos, segundo a PF, US$ 139 mil e R$ 410 mil em dinheiro. O empresário Valdebran Padilha Silva, filiado ao PT de Mato Grosso, também foi preso. Ele, que era o outro comprador, estava com US$ 109 mil e mais R$ 758 mil.

A PF prendeu Paulo Roberto Trevisan, tio (ontem a PF divulgou que era primo) de Vedoin, após a Justiça decretar sua prisão.

Trevisan foi encarregado de levar o material a São Paulo. Ele foi detido na quinta-feira à noite no aeroporto de Várzea Grande, região de Cuiabá, quando embarcava no avião.

No aeroporto de Congonhas (SP), seria recebido por Valdebran e Passos. O dinheiro estava em um hotel.

R$ 20 milhões

Em depoimento à PF, Passos disse que recebeu parte do dinheiro no hotel de um representante do PT de São Paulo. Ele não disse o nome.

Inicialmente, segundo Passos, Vedoin teria pedido R$ 20 milhões pelo material. O preço foi então reduzido a R$ 2 milhões.

A função de Passos, agente aposentado da PF, seria analisar o material. Além de fotos, DVD e vídeo, Trevisan levava numa pasta azul três páginas com os nomes de prefeituras dos Estados de Ceará, Rondônia, Alagoas, Amapá, Bahia, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraná e Rio de Janeiro.

Na relação, há o nome de 12 prefeituras e ao lado de cada uma foram listados valores de R$ 66 mil a R$ 64 mil.

Preso junto com Passos, Valdebran, segundo o Diretório do PT de Cuiabá, chegou a ser indicado para um cargo de diretor da Eletronorte no início do governo Lula. Mas uma ala do PT impediu a nomeação enviando um dossiê contra ele sobre superfaturamento em prefeituras de Mato Grosso.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/09


2006

O valor do voto da bancada de Pernambuco

 Foram apenas dois dias de trabalho em agosto, que resultou em nada. Nenhuma matéria relevante foi votada naquele mês na Câmara dos Deputados. Mas, mesmo assim, a maior parte da bancada federal de Pernambuco não deixou de cobrar a "verba indenizatória", referente aos gastos que os parlamentares alegam ter com combustíveis, hospedagens, escritórios políticos, alimentação, consultorias e material de escritório, TV a Cabo e Internet. A Casa faz o ressarcimento do parlamentar.

Muitos sequer estiveram presentes às votações. Nota-se que em agosto houve um surto de ''viagens oficiais'', que acabam justificando as ausências nas duas únicas sessões do plenário.

Confira agora como se comportaram os deputados nas duas sessões de agosto e quanto alegaram que tiveram em termos de gastos naquele mês.

1 - André de Paula 

Presença nas sessões dos dias : 01/08/2006 - 02/08/2006 

Gastos Totais: R$ 15.550,75 

2 - Armando Monteiro

Ausência não justificada no dia  01/08/2006  e Presença no dia 02/08/2006.

Gastos Totais: R$ 10.366,22 

3 - Carlos Batata

Presença nos dias: 01/08/2006  e 02/08/2006 

Gastos Totais: R$ 15.000,00 

4 - Carlos Eduardo Cadoca

Ausência Justificada por Missão Oficial no dia 01/08/2006 e presença no dia
02/08/2006

Gastos Totais: R$ 8.109,83 

5 - Eduardo Campos

Ausência Justificada por Missão Oficial nos dias 01/08/2006 e 02/08/2006

Gastos Totais: Não apresentou à Câmara gastos no mês de Agosto

6 - Fernando Ferro

Presença nos dias 01/08/2006  e 02/08/2006 

Gastos Totais: R$ 941,74 

7 - Gonzaga Patriota

Presença nos dias 01/08/2006 e 02/08/2006

Gastos Totais: R$  16.348,89

8 - Inocêncio Oliveira

Presença nos dias 01/08/2006 e 02/08/2006

Gastos Totais: Não apresentou gastos no mês de Agosto

9 - Joaquim Francisco

Ausência Justificada por Missão Oficial no dia 01/08/2006 e presença no dia 02/08/2006

Gastos Totais: R$ 16.249,22

10 - Joel de Holanda

Presença nos dias 01/08/2006 e 02/08/2006

Gastos Totais: R$ 2.018,72 

11 - Jorge Gomes

Presença nos dias 01/08/2006 e 02/08/2006 

Gastos Totais: R$  7.613,04 

12 - José Chaves

Ausência não justificada no dia 01/08/2006 e presença no dia 02/08/2006

Gastos Totais: R$ 14.427,72

13 - José Mendonça

Ausência nas duas sessões dos dias 01/08/2006 e 02/08/2006 justificadas por ''Licença para tratamento de saúde''. 

Gastos totais: R$ 15.030,68 

14 - José Múcio Monteiro

Ausência Justificada por Missão Oficial no dia 01/08/2006 e presença no dia 02/08/2006 

Gastos Totais: Não apresentou gastos no mês de Agosto.

15 - Luiz Piauhylino

Presença nos dias 01/08/2006 e 02/08/2006

Gastos Totais: R$ 12.318,37 

16 - Marcos de Jesus

Presença nos dias 01/08/2006 e 02/08/2006 

Gastos Totais: R$ 6.253,06 

17 - Maurício Rands

Presença nos dias 01/08/2006 e 02/08/2006 

Gastos Totais: R$ 12,46 

18 - Osvaldo Coelho

Presença nos dias: 01/08/2006 e 02/08/2006

Gastos Totais: R$ 13.840,00

19 - Pastor Francisco Olímpio

Presença nos dias 01/08/2006 e 02/08/2006

Gastos Totais: R$ 10.478,35 

20 - Paulo Rubem Santiago

Presença  nos dias 01/08/2006 e 02/08/2006 

Gastos Totais: R$ 8.365,64 

21 - Raul Jungmann

Presença nos dias 01/08/2006 e 02/08/2006

Gastos Totais: R$ 13.840,13 

22 - Renildo Calheiros 

Ausência Não Justificada no dia 01/08/2006 e presença no dia 02/08/2006

Gastos Totais: Não apresentou gastos no mês de Agosto.

23 - Roberto Freire

Presença nos dias 01/08/2006 e 02/08/2006

Gastos Totais: R$ 7.807,16

24 - Roberto Magalhães

Presença nos dias 01/08/2006 e 02/08/2006

Gastos Totais: R$ 5.628,06  
 
25 - Salatiel Carvalho

Presença nos dias 01/08/2006 e 02/08/2006

Gastos Totais: R$ 16.445,06


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Malandros Federais. Não têm nenhuma sintonia com o povo. Sua Sintonia Fina é com relação ao erário. O povo fica ausente das informações. Existe a informação, mas não é divulgada pela imprensa que alcance o povareu. Os veículos de imprensa popular omitem esse tipo de informação.Não interessa, né?

De acordo com esse demonstrativo, a farra foi boa, Deputados que só foram duas vezes, gastaram R$ 15.000,00 valor que me parece limite, tem até quem não foi e gastou. Precisa ter um deputado que seja mais rigoroso na sindicância desses levantamentos, para confirmar os gastos reais. Vou cobrar do meu


Magno coloca pimenta folha

16/09


2006

Assessoria diz que resposta de Serra será na Justiça

A assessoria de imprensa de José Serra, ex-ministro da Saúde e atual candidato a governador de São Paulo pelo PSDB, disse hoje à Agência Brasil que ele não fará nenhum pronunciamento sobre o esquema da máfia dos sanguessugas, que teria sido beneficiado durante sua gestão como ministro da Saúde.

As respostas às acusações divulgadas na imprensa, de acordo com a assessoria, serão encaminhadas diretamente à Justiça. Na sexta-feira, a Polícia Federal prendeu, em São Paulo, Valdebran Padilha, filiado ao Partido dos Trabalhadores, e Gedimar Pereira Passos, agente da Polícia Federal aposentado.

Junto com eles, em dois quartos de hotéis próximo ao aeroporto de Congonhas, foram encontrados U$ 248,8 mil e R$ 1,168 milhão, que seriam utilizados para comprar imagens de vídeo, agenda e fotografias supostamente mostrando imagens de Serra e outros políticos ao lado de deputados acusados de participarem do esquema de compra superfaturada de ambulâncias com recursos do Orçamento Geral da União.

As imagens seriam compradas de Luiz Antonio Vedoin, acusado de chefiar a máfia das ambulâncias, que também foi preso na sexta-feira, pela Polícia Federal, em Cuiabá. Informações do JB Online com Agência Brasil.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

O PT faz jogo de bandido. Tentaram incriminar Serra e Alckmin encomendando dossie por R$ 2.750.000,00. Chegamos ao fim do poço. É bandidagem pura.


Banner de Arcoverde

16/09


2006

Cristovam volta ao tema Coreia e Heloisa valoriza mulheres

 No guia eleitoral deste sábado, o candidato do PDT Cristovam Buarque fez um chamado para o segundo turno e recorreu ao caso coreano de investimento em educação e tecnologia para valorizar a bandeira de sua campanha, a educação.

''O salário de um coreano é cinco vezes maior que o de um brasileiro'', destacou.

Também mencionou o exemplo de sucesso da Embraer e sua relação com os bancos escolares do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica).

Já a candidata do PSOL à Presidência da República, Heloísa Helena, dedicou seu programa para falar às mulheres. ''Nós mulheres estamos preparadas para governar o Brasil e construir uma pátria justa, ética e fraterna'', afirmou. (Folha Online) 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/09


2006

Lula: Emprego será "obsessão" no segundo mandato

 Com o programa abreviado, Lula explorou "o tripé social, econômico e tecnológico" em um possível segundo mandato. Elencou vários programas do seu governo, desde o Bolsa-Família até o de biocombustíveis, passando pelo de energia elétrica, habitação, emprego.

"Emprego vai ser uma obsessão em nosso segundo mandato", disse o presidente.

E usou o tema para atacar o governo de Fernando Henrique, em imagem de um comício: "No governo anterior, eram criados 8 mil empregos ao mês. Nós criamos 103 mil", disparou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Paulin de Caruaru.

O emprego de quem?Dos 40.000 cargos comissionados?


Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores