Ipojuca 2021

10/04


2021

Coluna do sabadão

Criminalização injusta

A criminalização da política no Brasil, especialmente após os mega escândalos na República gerados na era petista, entre os governos Lula e Dilma, se espalhou de forma tão contagiosa no seio da sociedade que assusta, provoca calafrios e horror. Mas tem que haver por parte da mesma sociedade, entretanto, uma permanente vigilância contra o discurso prejudicial a quem venha a ser atingido de morte ferida injustamente, sem culpa no cartório, sem dolo ou pecado.

Um caso simbólico, lembro bem, se deu com o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Ibsen Pinheiro. Investigado pela CPI dos Anões do Orçamento, teve seu mandato cassado em 1994. Quatro anos após, em 1999, o Supremo Tribunal Federal arquivou a denúncia e a considerou insatisfatória, sem consistência em nenhuma prova. Dois anos antes, em 1992, Ibsen havia presidido a sessão que autorizou a abertura do processo de impeachment contra o então presidente Fernando Collor de Melo.

Em 2003, Ibsen voltou à política como secretário de Comunicação do governo Germano Rigotto, no Rio Grande do Sul, depois de trabalhar como professor, diretor de clube de futebol, jornalista e comentarista esportivo. Em 2004, foi o vereador mais votado em Porto Alegre. "Foi um resultado de lavar a alma", comemorou à época. Na eleição de 2006, Ibsen recebeu 76.165 votos e voltou à Câmara dos Deputados consagrado.

Por isso, a criminalização da classe política sem provas provoca danos irreparáveis. Em Pernambuco, o deputado federal Sebastião Oliveira, atual líder do Avante na Câmara, que o diga. Sofreu um ataque covarde e injusto há um ano, resultado de uma ação da Polícia Federal de investigação de uma obra na BR-101 quando secretário dos Transportes. Teve suas contas devassadas, seu celular recolhido, sua vida privada invadida.

Quarta-feira passada, porém, praticamente com um ano do ocorrido, a própria PF comprovou que Sebá, como o parlamentar é conhecido, não teve nenhum envolvimento. E agora, não cabia ao deputado entrar com uma ação por perdas e danos contra a Polícia Federal, que o constrangeu em cima de uma denúncia do “ouvi dizer”?

Deputado estadual por três mandatos, secretário de Transportes de Pernambuco em duas ocasiões e, atualmente, no exercício do segundo mandato na Câmara Federal, Sebá disse, ontem, ao blog, que não esperava outro resultado do relatório final da Polícia Federal, que não fosse o que aponta a total ausência de provas em relação à sua pessoa - que de fato aconteceu. A investigação minuciosa realizada pela Polícia Federal, que durou mais de um ano e culminou com a conclusão da sua inocência, fez uma varredura na vida do parlamentar, que foi exaustivamente exposta à opinião pública pela mídia.

Sigilos bancário, fiscal e telefônico foram quebrados.  E, na medida que a investigação avançava, ficava mais claro que o parlamentar, que sempre colaborou com o trabalho investigativo, era inocente. “Momentos difíceis foram enfrentados, mas a consciência tranquila, a serenidade e a confiança foram minhas aliadas”, desabafa. Por sua vez, em investigação paralela, o Tribunal de Contas da União (TCU) não imputou qualquer tipo de irregularidade ligada ao nome dele.

No relatório do principal órgão de controle da esfera Federal, apenas a constatação apenas de erros formais e, que, em nenhum momento, representaram sobrepreço na obra da BR-101. “Tal conclusão comprova a lisura do processo. A prova disso é que a intervenção jamais foi paralisada, pois o TCU entendeu que os problemas encontrados não justificavam uma decisão desta natureza. Sendo assim, os serviços prosseguiram normalmente”, destacou.

Ciente de sua responsabilidade com a cidadania pernambucana, o parlamentar reforça os compromissos com a probidade e a luta incansável pelos interesses do Estado. A sua inocência, apesar de esperada, renova as suas energias para continuar atuando em prol da melhoria de vida do povo pernambucano, sobretudo, dos sertanejos e dos mais necessitados. “Homem devoto de Nossa Senhora, Oliveira acredito piamente que “Conhecendo a verdade, ela vos libertará”, afirmou.

Obra mais barata – Ainda sobre o Tribunal de Contas da União, ao tomar conhecimento da Medida Cautelar emitida pelo órgão, Sebastião Oliveira, imediatamente, montou uma equipe de monitoramento, que tinha como prioridade atender às demandas que, por ventura, surgissem do TCU. O que sempre foi feito. “É importante destacar que a obra viária da BR-101, orçada inicialmente pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes em R$ 250 milhões, foi licitada pela Secretaria de Transportes de Pernambuco, sob a gestão de Sebastião Oliveira, por R$ 192 milhões, o que resultou na economia de R$ 58 milhões aos cofres públicos.

Injustiçado – Em quase 20 anos dedicados à vida pública – Executivo e Legislativo –, Sebastião Oliveira nunca respondeu a qualquer tipo de processo, seja penal ou civil, assim como, nunca teve uma conta rejeitada. Zelar pelo patrimônio público sempre norteou a sua conduta, cuja trajetória é marcada pela cooperação com as atividades investigativas da Polícia e do Ministério Público, pois considera e trabalha para que a corrupção seja combatida com vigor, desde que não haja a penetração de injustiças.

Bolsonaro ataca – O presidente Jair Bolsonaro afirmou que “falta coragem” ao ministro Luís Roberto Barroso, do STF, e sobra a ele “ativismo judicial”. O comentário foi feito na manhã de ontem a apoiadores. Bolsonaro comentava a decisão do ministro que obriga o Senado a instalar a CPI da Covid para investigar as ações do governo federal no combate à pandemia. “Pelo que me parece, falta coragem moral para o Barroso e sobra ativismo judicial “, disse o presidente. E completou: “Não é disso que o Brasil precisa. Vivendo um momento crítico de pandemia, pessoas morrem. E o ministro do Supremo Tribunal Federal faz politicalha junto ao Senado Federal “.

Supremo rebate – O Supremo Tribunal Federal cobrou “espírito republicano” depois de o presidente Jair Bolsonaro ter acusado o ministro Luís Roberto Barroso de praticar “politicalha” e “ativismo judicial”. Em nota, o Supremo disse que questionamentos a decisões da Corte “devem ser feitos nas vias recursais próprias”. “O Supremo Tribunal Federal reitera que os ministros que compõem a Corte tomam decisões conforme a Constituição e as leis e que, dentro do Estado democrático de Direito, questionamentos a elas devem ser feitos nas vias recursais próprias, contribuindo para que o espírito republicano prevaleça em nosso país”, diz o texto.

João gotinha – O ritmo de vacinação contra a Covid-19 está bastante avançado no Recife e tem chamado atenção e despertado ciúme. Acabou levantando suspeitas em prefeitos, especialmente dos que estão situados no campo da oposição. Em reserva, alguns deles falam em benefício do Governo à gestão de João Campos (PSB). O incômodo tem sido tão grande a ponto de uma montagem com o gestor recifense, em tom sarcástico, passar a circular em grupos de WhatsApp. Um prefeito chegou a apelidá-lo de "João Gotinha", uma associação jocosa ao Zé Gotinha, histórico mascote utilizado pelo Governo Federal em campanhas de vacinação.

CURTAS

PARA 62 ANOS – O prefeito João Campos, aliás, anunciou, ontem, a ampliação da campanha de vacinação contra a Covid-19 para idosos com idades entre 62 e 63 anos. O agendamento, feito pela internet ou por meio da ferramenta Conecta Recife, começou às 12h e a aplicação das doses poderá ser feita a partir de hoje. As doses serão aplicadas nos centros de vacinação da prefeitura, incluindo os do modelo drive-thru, sem a necessidade de sair do carro.

MAIS VACINAS – O Banco Mundial vai destinar US$ 2 bilhões em financiamento para a compra, o desenvolvimento e a fabricação de vacinas até o final de abril, segundo anunciou, ontem, o diretor-gerente de operações da instituição, Axel Van Trotsenburg, acrescentando que mais de 40 países estão envolvidos nesse esforço. Já o diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu vontade política para intensificar a produção de vacinas contra Covid-19 e compartilhar suprimentos.

Perguntar não ofende: O governador Paulo Câmara está privilegiando João Campos nos lotes da vacina anti Covid?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro é Ladrão e Genocida

Fernandes

marcos de camaragibe, quero exterminar o seu orifício ruguso, com meus 23 C. Viado cabra safado.

marcos

Lula é Ladrão.

marcos

Se fosse por Nehemias Fernandes (Nazista) o Brasil já teria Exterminado 57 Milhões de pessoas e o Presidente.

marcos

Nesta quarta feira o STF julga em plenário se Lulla o Ladrão pode ser candidato ou não. Os idiotas úteis já compraram todas as velas e as galinhas pretas do Brasil. SEGURUUUUUUUUUUUUUUUURA Corrupção.


Petrolina abril 2021

09/04


2021

De onde veio o Mané?

Por José Nivaldo Junior

Quem já era adulto na época, não esquece. As novas gerações não sabem do que se trata. O episódio transcorreu na campanha de 2.000 para prefeito do Recife. Naquele pleito, Roberto Magalhães concorria à reeleição, com uma gestão aprovada e largo favoritismo nas pesquisas divulgadas. Além disso, era apoiado por um governador forte, Jarbas Vasconcelos, e pelo presidente FHC. Uma aliança que parecia indestrutível. Mesmo assim, Roberto acabou derrotado por menos de 1% pelo metalúrgico João Paulo.

ENTROU PARA A POSTERIDADE

O assunto ficou bem registrado graças a Magno Martins, que escreveu sobre aquela campanha surpreendente um livro minucioso e gostoso de ler, intitulado A DERROTA NÃO ANUNCIADA.  Nas últimas semanas, Magno está republicado, no seu blog campeão de acessos, os capítulos do livro, como aperitivo para a edição digital, que está a caminho.

A iniciativa, que vem fazendo um tremendo sucesso, está refrescando a memória sobre muitos episódios marcantes daquela jornada cheia de ineditismos. Como por exemplo a "invasão" do Jornal do Commercio por um Roberto Magalhães exibindo revólver na cintura para acertar contas com o colunista social Orismar Rodrigues; ou as "bananas" que o mesmo Roberto distribuiu na Avenida Boa Viagem durante uma carreata; ainda a greve da PM em cima do segundo turno... ingredientes que apimentaram os fatos e o relato.

COMO ENTREI NO IMBRÓGLIO

Sou personagem do livro graças à criação de um personagem que, sem modéstia propiciou o mais engraçado momento de todos os tempos nas campanhas eleitorais na televisão: o Mané da China. Irrepetivel, inclusive porque novas regras impedem participação de atores no chamado Guia Eleitoral. O Mané foi representado pelo extraordinário ator Walmir Chagas, contracenando com o não menos talentoso Aramis Trindade. Uma dupla do barulho.

CADA TURNO, UM PERFIL

Só para situar os leitores:  naquele ano, atuei como marqueteiro de Carlos Wilson (uma figura maravilhosa, fico devendo mais elogios em outra ocasião), no primeiro turno. No segundo me incorporei à campanha vitoriosa de João Paulo. O Mané atuou no primeiro turno, ajudando, através do humor, a desconstruir a imagem da gestão de Roberto Magalhães.

TE VIRA

Um belo dia, Carlos Wilson, que para os amigos era simplesmente Cali, entra na Makplan com uma novidade. Registre-se que atuei na agência   do final dos anos 80 até o ano passado, quando surgiu O PODER. Então, na boa, decidimos pelo meu afastamento das atividades publicitárias, para evitar conflito de interesses.

Pois bem: o então pré-candidato, que assessoramos nos vitoriosos 11 meses de governo, em 1990, e também na eleição surpreendente para o Senado, em 1994, comunicou que tinha contratado os atores Walmir e Aramis. Os dois tinham atuado na campanha anterior de Roberto Magalhães. Fiquei perplexo. E soltei: " Cali, o que danado eu vou fazer com essa dupla? Eles são a cara da campanha de Roberto". Fazendo redemoinho com o indicador no topete, ele disse algo como:  "Bota a cabeça para trabalhar e te vira". Fiquei com o problema na mão.

FIAT LUX

Uma bela tarde entra Marcelo Teixeira na minha sala com um calhamaço, joga na mesa com força e diz: olha o programa de governo que Roberto Magalhães apresentou na campanha. Te distrai aí..."

Mal comecei a folhear e ver as centenas de promessas estrambóticas, a grande maioria longe de serem cumpridas, deu o estalo.

Walmir seria um fervoroso adepto de Roberto que, após a eleição, viajou para a China, onde ninguém tem notícia do Recife. Voltou desinformado, cheio de expectativas com a gestão. Aramis, que tinha ficado aqui, já estava desencantado. Mané andava com um chapéu de chinês e uma mala cheia de etiquetas, de onde tirava o programa de governo e escolhia uma obra prometida para visitar.  Os dois representavam em situações que faziam os espectadores caírem em gargalhadas.

NINGUEM FAZ NADA SÓ

Não vou ser modesto logo agora. Criei os personagens e o contexto geral. Contudo, no acabamento, nos desdobramentos, várias mãos foram fundamentais. Meu filho João Henrique, na época diretor de criação da Makplan (Hoje, dedica-se integralmente, com os parceiros da Mr. Plot, ao fantástico Mundo Bita). O diretor de vídeo Alexandre Alencar. Os próprios Walmir e Aramis, cujo talento vai muito além de representar. E vários   outros companheiros da agência e da produtora. Todos deram contribuições fundamentais para o sucesso.

EM CENA

O PTB, partido de Cali, na época, tinha um programa de 10 minutos no rádio e na televisão, em junho ou julho, por aí. Apresentei a ideia, André Campos, então presidente da sigla, topou. O programa foi todo com os dois personagens.

Para não alongar a conversa que já está comprida: o Mané entrou em cena no centro da cidade:  "Voltei da China para ver as maravilhas do Recife 2.000 que Roberto Magalhães prometeu" Aramis, no papel de adepto desencantado, com uma cara cética, só respondia: " Tem isso aqui não, Mané".

O Mané era tão confiante que correu de olhos fechados para atravessar uma ponte prometida. Que ponte que nada.  Caiu no Capibaribe e foi resgatado de barco pelo parceiro. Enquanto elogiava as ruas bem conservadas, caiu num buraaaaaaaacooooo. Levou a esposa de bicicleta para dar à luz numa maternidade que Roberto prometeu concluir e, ao encontrar a obra mais degradada ainda, sentou choramingando na calçada, com aquele jeito de palhaço de circo que Walmir representa com perfeição. A cada frustração, o Mané se lamentava:" Mai Robethu, rapai... eu vou voltar pra China". Quando repetia o bordão, repuxava os cantos dos olhos. Caiu nas graças do povo. Virou meme, crianças e mesmo adultos, viviam repetindo a frase e o gesto. Era uma gréia, como se diz em pernambuquês.

NOVAS CENAS HILARIANTES

Na campanha, além do programa e de animar comícios e passeatas, o Mané protagoniza a inserções na TV. Vou destacar duas, sensacionais: ele escalando as paredes da prefeitura para simbolizar a dificuldade do povo falar com o prefeito. E jogando bola com crianças em pleno meio dia na ponte inaugurada no bairro dos Coelhos, para mostrar que a obra não tinha nenhuma utilidade.

E ASSIM...

O Mané tirou Roberto Magalhães do sério.

A candidatura de Carlos Wilson estava crescendo em disparada. Temendo um segundo turno com ele, a campanha de Roberto usou de, digamos, uma bem articulada baixaria que abateu Cali em pleno voo. João Paulo, que era considerado pato morto, ocupou o espaço, foi para o segundo turno, ganhou. Confirmou-se a lição de que em eleição não se deve escolher adversário.

Entre um turno e outro, o Mané saiu de cena para entrar na História. Tinha cumprido com louvor o seu papel.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

09/04


2021

Alvaro Dias defende CPI da Covid ampla

O senador Alvaro Dias (Podemos-PR) foi às redes sociais, hoje, para falar sobre a liminar concedida pelo ministro Luís Roberto Barroso, do STF, para que seja aberta a CPI da Covid. O parlamentar lembra que a decisão de Barroso "consagra uma jurisprudência, já firmada pelo Supremo, quando em governos do PT a oposição recorreu à Corte para garantir o direito da minoria de fiscalizar atos do Poder Executivo, por meio da instalação da CPI".

Além das ações do Governo Federal durante a pandemia, Dias também defende que o Congresso investigue denúncias de desvios em estados e municípios. “É dever do Congresso investigar as denúncias de desvios de recursos destinados a estados e municípios para o combate à pandemia”, afirmou o líder do Podemos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes 2021

09/04


2021

A versão da deputada sobre o aeroporto de Araripina

Nota oficial

Atendendo solicitação da família de Espedito Arraes, que doou o terreno para a construção do Aeroporto de Araripina, enviei um PLO que denominava o referido aeroporto de Espedito Granja Arraes.

Porém, já existiam duas leis aprovadas que denominavam o mesmo bem público, uma datada do ano de 1996 e outra do ano de 2013, a primeira denominava o aeroporto de Antônio Batista de Souza e a segunda, de Mairson Rodrigues Bezerra.

Para efeitos legais apenas a primeira tem vigor, a segunda, pela existência da primeira, é inconstitucional, ou seja, o aeroporto leva o nome de Antonio Batista de Souza, pai do ex-deputado Valdeir Batista.

Entendendo a situação e buscando sanar o problema, pedi a retirada de pauta do projeto de sua autoria, e, sabendo da importância em registrar o nome de Mairson Rodrigues Bezerra naquele bem, especialmente pela sua história de vida, enquanto piloto, pretende tornar legal essa denominação.

Considerando que hoje, existem duas leis com denominação para o mesmo bem, pretendo elaborar um novo projeto que venha a regularizar essa denominação, atendendo tanto a família do doador do terreno, quanto a do piloto Mairson.

Esclareço, ainda, que jamais busquei legislar em causa própria, o fato ocorrido é situação corriqueira nas casas legislativas, sanáveis a partir do uso do bom senso.

Sempre pautei meu trabalho no compromisso com o povo e, especialmente, no respeito às famílias, jamais teve intenção de prejudicar ou desmerecer os nomes escolhidos para denominação do aeroporto de Araripina, especialmente uma família na qual tem profundo respeito, admiração e amizade.

Por fim, lamento que esse fato tenha sido usado como plataforma política pelo prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel, que não aceita a chegada de obras, através de mim. O que realmente está em jogo é a luta pelo desenvolvimento e pela viabilização do Aeroporto Regional, que está sendo uma busca incansável. Destinei R$ 500.000,00 em emenda para esse fim, enquanto o atual prefeito como deputado e a ex-deputada Socorro Pimentel, foram inertes, pois além de homenagens justas como essas, deveriam ter trazido obras estruturadoras, perdendo seu mandato e da esposa pela sua incompetência, ineficiência e arrogância.

Deputada estadual Roberta Arraes (PP)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/04


2021

FBC pedirá a senadores retirada de assinaturas da CPI

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), afirmou, hoje, que pedirá a senadores que retirem as assinaturas de apoio à abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito conhecida como CPI da Pandemia.

Ontem, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), atendeu a um pedido de dois parlamentares e mandou o Senado instalar a CPI. A decisão foi criticada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Pelo requerimento, a CPI deverá apurar ações e omissões do governo federal na pandemia. Atualmente, segundo o autor do requerimento, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o pedido de abertura da CPI conta com 32 assinaturas. Para se instalar uma comissão desse tipo, é necessário o apoio de pelo menos 27 parlamentares.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), tem dito que cumprirá a decisão de Barroso e fará a leitura do pedido de criação do colegiado na próxima sessão deliberativa da Casa, o que deve ocorrer na terça-feira (13). Senadores têm até a meia-noite do dia da leitura do requerimento em plenário para retirarem as assinaturas.

Na avaliação de alguns senadores, no entanto, Bezerra terá dificuldades para conseguir evitar a instalação da CPI. O líder do governo no Senado tem se posicionado contra a abertura da CPI neste momento. Ele diz avaliar que não há condições sanitárias para atividades presenciais no Senado e, na mesma linha de Rodrigo Pacheco, acredita que a comissão servirá de "palanque político" para as próximas eleições.

"Nós vamos conversar com os que subscreveram, para aqueles que eventualmente possam estar dispostos a rever a sua posição, para que a gente possa evitar a instalação da CPI", afirmou Fernando Bezerra à TV Globo.

Ele também disse que esse movimento já era estudado pela base do governo e seria feito quando o Senado retornasse às atividades presenciais, mas que a decisão de Barroso pegou os governistas "de surpresa".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

09/04


2021

Caruaru: Oposição faz dossiê sobre Governo Raquel

Os vereadores Fagner Fernandes (PDT) e Galego de Lajes (MDB), que compõem a bancada de oposição na Câmara Municipal de Caruaru, prepararam um relatório destacando os problemas encontrados na cidade e que deixaram de ser atendidos pela prefeita Raquel Lyra (PSDB). No centésimo dia do segundo mandato da tucana, os legisladores apresentaram um dossiê, apontando falhas na administração.

Entre as críticas, estão a demissão de mais de 1 mil funcionários, entre comissionados e contratados, a ausência de um titular na Secretaria Municipal de Educação por 30 dias e o desligamento de professores, além desligamento de profissionais da saúde. Para acessar o relatório, basta clicar neste link.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Anuncie Aqui - Blog do Magno

09/04


2021

Cab Motors apresenta primeiro veículo elétrico

O empresário sertanejo Antônio Souza, presidente do Grupo Ferreira Souza, enviou, há pouco, ao blog, em exclusividade, imagens do veículo elétrico produzido pela sua empresa produtora de veículos, a Cab Motors. O e-CAB é desenvolvido com tecnologia totalmente nacional e com nível de qualidade, eficiência e preços compatíveis com os melhores do mundo.

Suas peças e insumos são fabricados em Campina Grande, na Paraíba, e a montagem é feita em Araripina, no Sertão pernambucano. O modelo foi desenhado para dois ocupantes mais bagageiro interno. Ele tem carregamento completo em até 90 minutos, em tomada simples, com autonomia de até 100 km a 50 km de velocidade

O veículo foi desenvolvido para curtos e médios trajetos, ideal para parques florestais, shopping centers, condomínios, universidades, e etc. Com certeza, será um sucesso de vendas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

09/04


2021

Santanna e Petrúcio fazem live em prol de Reinaldo Belo

Os músicos Santanna e Petrúcio Amorim estarão em uma live, daqui a pouco, às 20h, para arrecadar recursos em prol do radialista Reinaldo Belo. Há alguns anos, ele vem enfrentando sérios problemas de saúde.

Conhecido pelo bom humor e irreverência enquanto se comunicava com os ouvintes, Belo foi afetado ainda em 2019 por uma violenta depressão, a doença do século. Para acompanhar a live, basta acessar o Instagram (@santannaocantador).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/04


2021

Em livro, Cunha diz que Joesley colocou Fachin no STF

O livro "Tchau, Querida — O Diário do Impeachment", do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, tem lançamento previsto para o próximo dia 17. A revista Veja teve acesso antecipado à obra e trouxe algumas revelações em reportagem publicada na última sexta-feira (2). Uma delas diz respeito ao trânsito fácil que o empresário Joesley Batista, da JBS, tinha com o ministro do STF Edson Fachin e teria favorecido sua chegada à Suprema Corte. 

"Cunha também relembra que o empresário tinha acesso ultrapreferencial ao ministro do STF Edson Fachin e atuou para emplacá-lo no tribunal, em 2015. Um ano depois da posse do ministro, assolado pelo pelo pedido de afastamento da presidência da Câmara que sofria, o ex-de­putado recorreu a Joesley na esperança de que o empresário intercedesse a seu favor junto a Fachin. 'Eu queria uma chance', relembra Cunha."

"Joesley combinaria com Fachin que ele julgaria em agosto a ação em plenário', completa o autor, tentando ganhar tempo. Foi inútil. A pressão fez com que Cunha renunciasse à cadeira, em julho de 2016", continua a reportagem.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/04


2021

Grupo LAC completa 51 anos de crescimento

Conhecida como o coração do Nordeste, a capital pernambucana é berço de muitos empreendimentos de grandes sucessos. Seja no ramo industrial, empresarial ou tecnológico. Um exemplo de sucesso é a trajetória do Grupo Luiz Alberto Carneiro – LAC, que reuniu os principais ramos econômicos durante seus 51 anos de fundação e segue firme no mercado brasileiro.

Quando o assunto é empreendimento, o grupo consegue mostrar sua força com o Shopping Guararapes, com a Social Boats, maior plataforma de aluguel de barcos do Brasil, e com a organização Asa Branca Residence, um sofisticado complexo de flats e bangalôs localizado na cidade serrana de Gravatá. No ramo da inovação, o grupo possui duas empresas: Lactron – Eficiência Energética e Lactech – Soluções de Tecnologia. A Lactron é uma empresa de tecnologia de iluminação que busca o desenvolvimento de projetos inovadores para energia renovável. Já a Lactech é voltada em consultoria especializada no desenvolvimento de projetos e serviços de base tecnológica. Outro nome de peso no grupo é Instituto de Tecnologia Tributária do Brasil (ITT do Brasil).

De acordo com Tiago Carneiro, sócio-diretor da instituição, a empresa mantém a experiência e inovação como aliadas no desenvolvimento do grupo. “O Grupo LAC é uma empresa de mais de 50 anos de mercado e a nossa resiliência é baseada na inovação. O ano de 2020 foi muito desafiador e 2021 não tem sido muito mais fácil. Como os avanços tecnológicos foram bem antecipados por causa do cenário atual, o Grupo LAC também se adiantou e antecipou o lançamento de alguns novos negócios, ligados à tecnologia e inovação”, pontuou.

Atualmente, o renomado grupo conta com novidades, principalmente voltadas à tecnologia e inovação. O lançamento de um banco digital, um software de auditoria tributária, um software de suporte e gestão de saúde, além de novas operações das empresas do grupo e de alternativas inovadoras para a reciclagem de resíduos sólidos são algumas das ações recentes. “Em 2020, investimos ainda mais em tecnologia da informação, tanto com soluções prontas, como customizadas para os setores público e privado. Agora, iremos fazer o lançamento oficial do banco, ampliar as operações do Instituto de Tecnologia Tributária do Brasil para além de Pernambuco e Rio Grande do Norte. Outra novidade é que estamos participando de PPPs de iluminação pública, em consórcio com empresas do Rio Grande do Sul”, celebrou.

E seguindo alinhados com os avanços tecnológicos do momento, o Grupo LAC estará consolidando mais um projeto inovador com a chegada do robô de compras e de reposição. Uma plataforma analítica avançada de compras com grandes funcionalidades para os mercados de varejo, atacadista e industrial. Entre elas: criação de uma rede neural para predição de vendas com grandes variáveis de mercado, desenvolvimento de modelos estatísticos, mineração de dados em mais de 400 portais de comércio eletrônico para captação de sinais da concorrência, monitoramento das emoções dos consumidores com base em programas de rádio, redes sociais e televisão, realização de mais 250 projetos de inteligência de mercado e outras grandes funcionalidades.

Grupo LAC – Fundado por profissionais com muitos anos de experiência no mercado imobiliário e de empreendimentos, o Grupo LAC, desde 1970, vem desenvolvendo projetos com o compromisso de concretizá-los através de soluções sob medida e afinadas com o tom do mercado. Veja mais informações nos sites: www.grupolac.com, www.lactron.com.br, www.lactech.com.br e www.ittdobrasil.com.br.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha