Cabo Agosto 2021

08/10


2006

Suape alavanca a economia, diz presidente da Fiepe

 Grandes projetos estruturais na região do porto de Suape deverão produzir reflexos positivos na modernização do parque industrial pernambucano. Jorge Corte Real, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), acredita que a economia pode dar uma guinada para o alto graças aos efeitos germinativos desses projetos, entre os quais se destacam uma refinaria de petróleo e um estaleiro.

Para Corte Real, a dinâmica do complexo de Suape, que desde 1970 se beneficia de estímulos à industrialização, permitirá que Pernambuco ingresse, a curto e médio prazos, em novo patamar de desenvolvimento. Na visão do empresário, “o desenvolvimento econômico, reforçado pela vontade política, é instrumento poderoso para alavancar melhorias consistentes nas áreas social, ambiental e de infra estrutura”. Veja a seguir parte da longa da entrevista que o presidente da Fiepe concedeu ao jornalista Angelo Castelo Branco, da Gazeta Mercantil.

Qual a análise que o senhor faz das atuais condições do parque industrial pernambucano?

A se concretizarem as perspectivas e oportunidades que se abrem para Pernambuco, este momento representa um ponto de partida para importantes transformações lideradas pelo setor industrial. Tendo como base a melhoria de sua infra-estrutura física, a consolidação do Complexo Industrial e Portuário de Suape e uma convergência de decisões políticas favoráveis, caminha-se para a implantação de empreendimentos germinadores, como a refinaria de petróleo, o estaleiro, os pólos têxtil e de resinas e outros projetos do ramo petroquímico. São marcos decisivos de saltos quantitativo e qualitativo, de grandes repercussões no perfil socio-econômico do Estado.

A defasagem tecnológica das unidades de produção estaria causando retração e perda de espaço nos mercados consumidores?

Corte Real Não identifico defasagem tecnológica generalizada no setor industrial. O parque pernambucano é competitivo tecnologicamente e até de primeira linha em muitos empreendimentos. Cito a produção de baterias automotivas, cimento, borracha sintética, construção civil, plásticos, bebidas, papel e embalagens e muitos outros. É importante registrar também o forte sentimento de modernidade do empresariado. Deve-se considerar, no entanto, que a integração dos novos investimentos com a indústria local implicará, em muitos casos, na necessidade de mudanças técnicas e de processos, além de treinamento empresarial e de mão-de obra. Já estamos trabalhando para possibilitar novas oportunidades aos profissionais e empresários.

Qual o grupo de produtos que Pernambuco fabrica atualmente com potencial para marcar efetiva presença nos mercados da região Nordeste e do País?

No mundo globalizado, qualidade, competitividade e responsabilidade social são mandamentos que a empresa não pode deixar de cumprir, permanentemente. Mesmo assim, existem produtos que encontram melhores condições de produção por contarem com vantagens locais, como mão de obra e insumos. Neste caso, temos a produção de baterias, embalagens, plásticos e a crescente produção de vinhos no Vale do São Francisco, que se tornou conhecido mundialmente. Outro exemplo é a produção sucro-alcooleira, que se recupera em bases competitivas e de presença mundial. Ademais, nesta fase de consolidação dos novos empreendimentos deverão surgir investimentos diversificados e competitivos. O pólo têxtil, que se anuncia, por exemplo, ensejará grandes mudanças nesse segmento produtivo, na reanimação da cultura do algodão e na ampliação da indústria de confecções, já expressiva no Estado. Outros segmentos que merecem destaque são os de gesso, metal-mecânico, pedras ornamentais, cerâmica vitrificada, pescados, suco de frutas, sorvetes, refrigerantes e cervejas.

Qual a participação da indústria no PIB pernambucano e, dentro dessa participação, qual é o peso do segmento sucroalcooleiro? Quais seriam os demais itens considerados de peso na formação do PIB estadual?

Há uma tendência histórica, mundial, de queda de participação do setor industrial na composição do PIB, apresentando-se o setor terciário (comércio e serviços) com ganhos relativos mais significativos. Essa tendência reflete-se também em Pernambuco. Nos últimos anos, a participação da indústria no PIB tem variado de 32% a 33%. Acredito, entretanto, que expansão do setor industrial, com os grandes projetos estruturadores que aqui estão se instalando, vai frear essa tendência e até melhorar a posição relativa da indústria, depois de duas décadas de desindustrialização. Mas é forte e crescente, em nosso Estado, a presença do setor terciário, com destaques para o comércio (varejo e distribuição), turismo, serviçosmédicos e hospitalares, ensino e tecnologia da informação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Guerreiro do povo Brasileiro

Em 2004 cerca de 60% das exportações pelo porto de SUAPE, não foram de empresas pernambucanas. Já na Importação os números são inversos, apenas 35% das importações através do porto de SUAPE tem como destino empresas pernambucanas.

Guerreiro do povo Brasileiro

Tudo isso é obra do nosso atual Governo, que fez o contrato com o terminal de containers Tecon... Um dos graves problemas de Suape é a "exportação de ar", que significa a grande saida de containers vazios, sem produtos... Isso por obra e graça da tarifa alta...

Guerreiro do povo Brasileiro

Já o Porto de Suape... é o mais caro do Nordeste, levando a quase totalidade das exportações de Petrolina acontecerem pelos portos de Pecém-CE e pelo porto de Salvador, que ficam quase que equidistante a Suape.. e possuem uma tarifa bem mais barata do que Suape....

Guerreiro do povo Brasileiro

Segundo, gostaria de contestar Fernando... Nós precisamos separar PORTO DE SUAPE.. com o COMPLEXO INDUSTRIAL DE SUAPE... Quanto ao completo industrial... esse vai muito bem.. temos grandes empresas instaladas.. e é isso que Corte Real fala ao blog...

Guerreiro do povo Brasileiro

Primeiramente gostaria de "agradecer" ao Magno por ter excluido meu cadastro pela 7a vez....


Petrolina Julho 2

08/10


2006

PMDB, a grande força nacional

"As urnas deixaram bem claro: o PMDB é a grande força política nacional. O partido garantiu a maior bancada da Câmara dos Deputados, elegeu quatro governadores em primeiro turno (Espírito Santo, Amazonas, Tocantins e Mato Grosso do Sul) e participou de coligações vitoriosas em seis outros estados. Além disso, seus candidatos vão disputar o segundo turno em mais seis estados, com boas chances de vitória. O desempenho foi surpreendente em todas as regiões do país - 13,580 milhões de votos para deputados federais, 1,8 milhão a mais que no pleito de 2002", avalia o presidente do Congresso, Renan Calheiros(PMDB-AL), em artigo postado neste blog. Boa leitura!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Rodrigues da Silva

Sofisma o "articulista" (?) Renan, faz equivocada e convenientemente a leitura do absoluto, quando sabe-se ser o PMBD abrigo de correntes não só diversas, como algumas radicalmente contrárias! Não é uma boa leitura, nada ensina e menos ainda acrescenta! Avanti Dudu! Fora Luiz!


Caruaru Novas Creches

08/10


2006

Eles estão sempre de olho

A coluna ''Radar'' da revista Veja, desta semana, mostra quem são os verdadeiros interessados nas pesquisas de intenção de votos para a Presidência da República:

''Bateu o interesse

Eis uma medida do interesse do mercado financeiro nesta reta final de eleição: durante o primeiro turno, o Ibope foi contratado por seis bancos para realizar pesquisas de intenção de voto. O resto, pelo visto, achava que a fatura já estava decidida. Não valia a pena rasgar dinheiro. O jogo mudou. Na semana passada, o Ibope já fechou contratos para fazer pesquisas para outros 24 bancos.''

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Rodrigues da Silva

Ibope? Você disse Ibope? Ora bolas, como diria o Mario Quintana, o Ibope não presta! Nele, reside muito pouca confiança, pelo menos naqueles que saibam o que isso seja e represente. Avanti Dudu! Fora Luiz!


Serra Talhada 2021

08/10


2006

A nova musa do Congresso Nacional

 Da coluna ''Brasil confidencial'', de ISTOÉ:

''Nem tomou posse e Manuela D’Ávila já foi escolhida a musa do Congresso Nacional. Aos 25 anos, a gaúcha se elegeu deputada federal pelo PCdoB com 272 mil votos. Dentre as mulheres, foi a mais votada do Brasil. Jornalista, Manuela era vereadora em Porto Alegre. Fez sucesso ao lançar na internet um site cor-de-rosa chamado “E aí, beleza”. O estado civil? Mora há um ano com o namorado petista.''


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Ciro Bezerra

Olá, Magno. Suceso, sempre! O mais importante, independente do sexo, da cor partidária, será a defesa da ética e da justiça social para todos os brasileiros. Estamos precisando! Sucesso Manuela D´ávila!!!!! Ciro Bezerra Radialista

milton tenorio pinto junior

Transpõe barreira e tem política.Que o diga Jacilda Urquisa,Luciana em Olinda acabou de jogar a ultima pá de cal !!!!!!!!!!!!

josé arnaldo amaral

.......LUCIANA, JANDIRA, MANUELA... O PCDOB NÃO TANSPÕE BARREIRA...NEM TEM POLÍTICA...SÓ TEM MUSAS...BELAS MUSAS.. !!! ......45 NELLA$ !!!



08/10


2006

Collor vai migrar para o PTB

Segundo a coluna "Brasil Confidencial" da revista ISTOÉ, o novo senador alagoano está de malas prontas para ingressar no partido de Roberto Jefferson. "E o tal PRTB, pelo qual se elegeu, vai desaparecer", informa a revista.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Collor é mais um "reforço" do esquema Lulla.

LandRover

Batman e Robin - Eis os "super-herois" brasileiros, prontos, mais uma vez, para esvaziarem os cofres da nação: Lula (Batman) e Collor (Robin), a dupla perfeita, aliás, essa dupla tem a cara da justiça brasileira!

irania Olivia Benicio

A quem chamas de crétino Zé? Considero a afirmativa forte e deselegante, pois, quase não passam de tristes figuras. São pobres coitados que a vida não os dotou de discernimento, votam pela fome que os acode. Nisso somos todos nós os culpados, pela existência dos famintos e o cultivo aos inúteis.

José Rodrigues da Silva

Jefferson e agora Collor são os mais fervorosos defensores dessa "coisa" invertebrada-mental sabida por Luiz. Os estúpidos, desde sempre, são os influenciadores dos complacentes e retardados. Nenhum ditador havido no mundo se destacou pela inteligência, não precisa, os cretinos os seguem!!!

Raimundo Eleno dos Santos

Roberto Jefferson fazia parte da Tropa de Choque de Collor. Indo Collor para o PTB estará se associando aos antigos correligionários. Nada demais. De acordo com a legislação eleitoral das cláusulas de barreiras, o PRTB não a superou.Tira apenas o R de Retorno. E pronto.


Pousada da Paixão

08/10


2006

ISTOÉ sentencia o fim do "Carlismo" na Bahia

 A revista ISTOÉ desta semana informa que os resultados das eleições na Bahia sentenciam o ''fim do Carlismo'' no Estado: Leiam:

''No fim da noite de 1º de outubro, o feitiço virou contra o feiticeiro mor da política baiana. Cabisbaixo, mãos jogadas entre as pernas, a imagem do senador Antônio Carlos Magalhães, após ouvir o duro recado das urnas era o retrato mais fiel de uma derrota. Seu candidato, o governador Paulo Souto, do PFL, cotadíssimo para vencer as eleições no primeiro turno, recebeu 43,03% dos votos válidos e perdeu a principal cadeira do Palácio de Ondina para o petista Jaques Wagner, que em uma virada histórica recebeu 52,89% dos votos. Como se não bastasse, o grupo de ACM sofreu outro forte abalo ao não conseguir eleger seu representante para o Senado. O ex-governador João Durval (PDT) – apoiado por Wagner e pelo pai do prefeito de Salvador, João Henrique – foi eleito com 46,97%. Ficou na poeira o ex-ministro Rodolfo Tourinho, com 34,45%.

A golpes de votos, o velho carlismo do “coronel” ACM foi à lona. Ainda com seu mandato de senador e dono de uma bancada de 13 deputados federais recém-eleitos, ACM, ao tentar levantar-se, foi lançado às cordas da oposição. Uma missão difícil para quem estava acostumado a mandar e desmandar na máquina do Estado tal como faziam os barões do cacau. Ele e seu grupo sempre se valeram de pressupostos que pareciam ser eternos, como: Toninho “malvadeza” pode tudo e quem tem padrinho não morre pagão. Na segunda-feira 2, porém, admitiu com doses nada peculiares de humildade que seu reinado chegou ao fim. “Derrotado não fala, espera; e eu estarei esperando, amando sempre a Bahia.” No dia seguinte, fez as pazes com a arrogância e vaticinou, do alto da tribuna do Senado, que o neologismo que traduz sua influência na política não acabou: “Vocês verão o desastre que será o governo baiano e a volta triunfal do carlismo. O carlismo é uma legenda que não se apaga, queiram ou não os cronistas políticos.”

Só ACM parece acreditar nisso. O cientista político da Universidade Federal da Bahia Paulo Fábio Dantas ressaltou que mais forte do que o sepultamento é o significado da vitória de Wagner, que nem sequer foi detectada pelos institutos de pesquisas. “O carlismo foi derrotado no momento em que ele estava vivo e ativo na figura de Paulo Souto”, ressaltou.''


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Ciro Bezerra

Aos poucos, mesmo que algumas mazelas ainda consigam ocupar espaços políticos, o Brasil vem mudando de cara e de atitude. Precisamos de mais. Mas, com calma e muita politização de toda sociedade chegaremos lá. A Bahia devia isso ao brasileiros! Viva a Bahia!!!!!!!! Ciro Bezerra Radialista / Reci

Raimundo Eleno dos Santos

Cantei a pedra aqui desta Tribuna.ACM, o fim de um reinado. Ao ler o Salmo 73, lembrei-me dele imediatamente.De lá para cá tenho observado que o mesmo só faz perder. Perdeu para o seu arqui-inimigo Waldir Pires e o PT. É só desolação.Lamento.Quem planta colhe, já diz o velho deitado.


Bandeirantes Junho 2021

08/10


2006

Receita quebrou sigilo fiscal de 7 mil pessoas e empresas

Do Blog de Josias de Souza (Foha de S.Paulo)

Investigação aberta na Corregedoria da Receita Federal no último mês de fevereiro descobriu que cerca de 7.000 pessoas físicas e jurídicas tiveram os seus dados fiscais bisbilhotados nos computadores do fisco. O caso foi noticiado no blog (de Josias) em 29 de março. Àquela altura, o número de contribuintes cujos dados haviam sido perscrutados indevidamente somava 6.000.

O avanço da apuração revelou a existência de mais de 13 mil “acessos imotivados” a cadastros de contribuintes. Havia, porém, casos de reincidências. Ou seja, um mesmo contribuinte teve seus dados invadidos mais de uma vez. A lista incluía, de resto, homônimos. Feita a depuração, chegou-se a um número superior a 7.000 transgressões.

Conforme noticiado aqui, entre os contribuintes bisbilhotados estão o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles; o senador eleito e ex-ministro das Comunicações Eunício Oliveira (PMDB-CE); onze juízes da Justiça Federal de Brasília, o ex-secretário da Receita Everardo Maciel, a empresa dele (Logus Consultoria) e pessoas de suas relações (mãe, filha e ex-mulher).

A Receita separa as consultas indevidas ao seu banco de dados em dois tipos: o ''acesso imotivado'' e a ''violação''. O que distingue uma transgressão da outra é o fato de que, no segundo caso, além de bisbilhotar dados alheios, o infrator viola o sigilo das informações, divulgando-as.

Por ora, a investigação da Corregedoria da Receira detectou o vazamento para a imprensa de três casos. Envolvem o empresário Marcos Valério, protagonista do escândalo do mensalão, e duas empresas de publicidade que o tinham como sócio: SMP&B e DNA. Há, de resto, a suspeita de que também os dados sigilosos de Henrique Meirelles, o presidente do BC, possam ter sido divulgados indevidamente.

Os autores das supostas trangressões são auditores fiscais. Estavam lotados na própria Corregedoria da Receita. Chegou-se a eles por meio das senhas que dão acesso aos computadores do fisco. Os números de identificação de dois auditores ficaram gravados no sistema. O blog localizou um dos investigados. Chama-se Washington Afonso Rodrigues. O repórter tentou ouvi-lo. Não foi, porém, bem sucedido.

Washington recusou-se a falar sobre a investigação. Limitou-se a chamar de “palhaçada” a primeira reportagem divulgada pelo blog. “Você é suspeito para mim”, disse ele ao repórter. Aconselhou que fossem ouvidos os seus advogados. A defesa dos auditores sob suspeição é feita pelo Unafisco (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais). O blog tenta há duas semanas fazer contato com o advogado mencionado pelo auditor Washington. Não houve, porém, resposta aos recados deixados na entidade.

A presidente da Ajufer (Associação dos Juízes Federais da 1ª Região), Solange Salgado da Silva Ramos de Vasconcelos, esteve com o secretário da Receira, Jorge Rachid. Queria confirmar a presença de juízes federais de Brasília na lista de contribuintes bisbilhotados. Rachid informou a ela que, de fato, há magistrados na relação. Recusou-se, porém, a revelar os nomes. Disse que era preciso aguardar o término da apuração.

Solange Salgado informou ao blog que a Ajufer moverá uma ação contra o Estado caso sejam confirmados os “acessos imotivados” aos dados fiscais de magistrados. Considerou “gravíssimas” as suspeições. A apuração da Corregedoria da Receita já deveria ter sido encerrada. Foi, contudo, prorrogada, para que os auditores investigados possam exercer amplo direito de defesa. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


08/10


2006

Lula convoca militância a ir para as ruas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato do PT à reeleição, afirmou ontem que não se ganha uma campanha apenas com a imprensa, pela TV ou com debates. Lula convocou a militância a ajudá-lo nesta segunda fase da disputa.

Ao visitar um novo comitê de sua campanha, em Brasília, o presidente afirmou que a disputa --do segundo turno-- começa depois do debate deste domingo, que será promovido pela ''TV Bandeirantes'', e fez um apelo para que a militância saia às ruas para defender o seu governo.

''Uma campanha a gente não ganha apenas pela imprensa, pela TV, pelo debate. Ganha com a capacidade de convencimento da militância. O segundo turno começa segunda-feira, depois do debate. A partir de segunda, teremos 20 dias para as eleições e a militância tem que ocupar cada metro quadrado do território nacional para que a gente possa fazer o debate'', disse.

Críticas

Sem citar o seu adversário na disputa, o tucano Geraldo Alckmin, o presidente disse que não foi ele quem dividiu o país entre pobres e ricos e justificou que seu governo precisa atender a esta parcela da população que esteve esquecida durante séculos.

''Temos que fazer muito mais porque a dívida social com o povo não é de uma década, é secular. Uma parte das pessoas que governaram [o país] imaginava governar para 1/3 [da população]. Quero uma sociedade onde todos possam ter acesso aos bens materiais, que tenham mais dignidade'', disse.

Depois complementou: ''De vez em quando eu leio na imprensa que o candidato Lula quer dividir a sociedade entre pobres e ricos. Eu não quero, até porque não fui eu quem dividi a sociedade entre pobres e ricos''.

Lula disse que tem confiança na vitória. ''O jogo está jogado e vamos ganhar porque é melhor para o povo brasileiro'', afirmou.

Segundo cálculos da Polícia Militar do DF, de 1000 a 1500 pessoas estavam presentes no evento. Sem nenhuma segurança, os comunicadores do ato tiveram que pedir para as pessoas que não forçassem o vidro que separava o comitê da campanha da rua.

Debaixo de uma forte chuva, muitos militantes permaneceram na rua, mas a maioria entrou no comitê, o que causou grande tumulto quando Lula chegou. O presidente andou no meio dos militantes, abraçou e tirou fotos das pessoas.

Estratégias

Pela manhã, o presidente se reuniu com os ministros Guido Mantega (Fazenda), Dilma Roussef (Casa Civil) e Tarso Genro (Relações Institucionais), na residência oficial da Granja do Torto, para se preparar para o debate de amanhã.

Lula foi munido de dados sobre a sua gestão para fazer o enfrentamento com Alckmin. Será o primeiro debate que Lula irá participar nesta campanha, já que ele não foi a nenhum no primeiro turno.

O coordenador nacional da campanha de Lula, Marco Aurélio Garcia, também participou da reunião. Para a imprensa disse apenas que foi ''boa''.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Rodrigues da Silva

Não é fácil à quem tenha um mínimo de pudor sair as ruas vestindo a camisa do PT!



08/10


2006

Dossiê: PF quebrará sigilo telefônico de 500 pessoas

A PF (Polícia Federal) vai pedir à Justiça nesta semana a quebra de sigilos de cerca de 500 telefones, cujos números aparecem na lista de ligações feitas ou recebidas por envolvidos na negociação de compra do dossiê contra tucanos.

A quebra do sigilo permitirá à PF identificar os donos dos telefones. Essa identificação é uma alternativa, usada pela PF, para tentar chegar à origem do dinheiro (R$ 1,168 milhão e US$ 248,8 mil), apreendido no dia 15 de setembro no hotel Ibis em São Paulo e que seria usado pelo PT na compra do dossiê.

No rastreamento da quantia, a Justiça Federal decretou, no início das investigações, a quebra dos sigilos bancários de agências do Bradesco, BankBoston, Safra, Banco do Brasil e Sofisa em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. O objetivo é identificar os responsáveis por saques acima de R$ 10 mil entre 28 de agosto e 14 de setembro.

O volume de informações, porém, é muito grande, o que torna difícil rastrear o dinheiro desta forma. O delegado Diógenes Curado Filho, que conduz as investigações, recebeu uma lista de 200 mil saques feitos somente nas agências do Bradesco.

Devido a essa dificuldade, a PF concentra esforço em rastrear ligações feitas ou recebidas pelos envolvidos com a compra dossiê do fim de agosto e ao dia 15 de setembro.

Até a semana passada, a PF tinha obtido a quebra de 70 sigilos telefônicos no inquérito aberto para apurar o caso.

Entre os envolvidos com sigilo quebrado está Hamilton Lacerda, que era coordenador da campanha do senador Aloizio Mercadante (PT) ao governo de São Paulo. Conforme a PF, Hamilton levou a mala de dinheiro ao hotel Ibis. Ele nega.

Também tiveram os sigilos telefônicos quebrados Jorge Lorenzetti e Oswaldo Bargas, ex-assessores da campanha de Lula.

A lista ainda incluiu Expedito Afonso Veloso, que deixou a diretoria do Banco do Brasil após o escândalo, o advogado Gedimar Pereira Passos e o empresário Valdebran Padilha da Silva. Os dois últimos foram presos com o dinheiro no hotel. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


07/10


2006

A homenagem do blog a Dom Francisco

Dom Francisco Austregésilo de Mesquita, o profeta do Sertão, segundo o especial que a Globo exige, amanhã, no Globo Comunidade, às 7 horas, dedicou a vida inteira à luta contra as injustiças sociais no Brasil, particularmente em Afogados da Ingazeira, no Sertão pernambucano, onde fincou raízes e dirigiu a Diocese por cerca de 40 anos.

 

Dom Francisco, 82 anos, que migrou para o Pajeú no início da década de 60, partindo de Sobral, no Ceará, onde nasceu, já foi chamado de tudo pelos lambedores de bota dos militares, que nunca compreenderam o papel que exerceu em defesa de uma gente tão sofrida e discriminada, como é o sertanejo.

 

A acusação mais suave contra ele era de comunista. Outros preferiam agitador social, um adjetivo que soava melhor aos ouvidos do regime de exceção. Mas, na verdade, dom Francisco nunca foi nem uma coisa nem outra. Foi a voz dos oprimidos, dos que têm fome e sede de justiça.

 

Na defesa do seu povo, revelava-se implacável, sem papas na língua. Quando a seca chegava de forma avassaladora, matando gente e animais, aparecia ele, com seu vozeirão na Rádio Pajeú, para meter a chibata nas autoridades responsáveis. Em várias entrevistas, entre as quais algumas ao signatário deste blog, pregou abertamente o saque às feiras livres e ao comércio das cidades sertanejas.

 

“A fome é má-conselheira”, costumava repetir. Duas vezes por semana, dom Francisco falava ao meio-dia na Rádio Pajeú. De forma didática, explicava ao povo quais os seus direitos, dava conselhos, respondia cartas e bombardeava o governo de críticas. Daí, claro, a razão de taxá-lo de comunista.

 

Dom Francisco era temido e destemido. “Tomar o alheio para matar a fome não é pecado”, disse, certa vez, numa entrevista antológica no Diário de Pernambuco, quando acusado de insuflar o saque no Sertão com suas pregações consideradas “revolucionárias”.

 

Quando bispo, nenhuma autoridade colocava os pés em Afogados da Ingazeira sem que, antes de tudo, lhe fizesse uma visita na Diocese. Governadores, foram muitos os que passaram por ali. Presidentes, o único que lembro foi Lula, mesmo assim ainda na condição de candidato. Ele encarava os interlocutores, escutava o que diziam, mas ninguém saia de lá sem ouvir seus desabafos.

 

A voz firme, lúcida e altiva do pastor também ecoava fora da sua terra. Virava manchete na Imprensa nacional quando fazia suas intervenções nos tradicionais encontros da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil, em São Paulo. Ali, denunciava a fome do sertanejo, as agruras, os escândalos políticos na região e as políticas clientelistas do governo.

 

Lembro de algumas frases de entrevistas que me concedeu. Sobre reforma agrária: “Tem de ser ampla, geral e irrestrita”. Seu pensamento quanto ao Nordeste: “Somos enteados da Nação”. Sobre o regime militar: “Escravizaram nosso povo, torturaram e mataram”. Sobre os políticos: “Não acredito em nenhum deles. Todos mentem, prometem e nada fazem”.

 

Dom Francisco, como se vê, combateu o bom combate.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

machado freire

Companheiro Magno, D. Francisco -a quem conheci há muito tempo, quando fazia matérias sobre a seca no Pajeú, defendeu o povo da região mais do que 10 deputados juntos. Além do que tu já escrevestes hoje sobre ele, eu teria a dizer que D. Francisco era uma pessoa determinada e corajosa.

milton tenorio pinto junior

Mariana,o cara chama um de ladrão,o outro de frangão,a mãe de outro insinua que é prostituta,e voçê chama isso de dar o troco?Sinceramente Mariana,e eu que estou errado?Podemos discordar politacamente um dos outros,mas com respeito.Democracia é isso!!!!

Mariana

Miltom vc está errado, quem deve ser deletado é um imbecil intitulado gerreiro do povo, que provoca o tempo todo o jornalista o drácula apenas dar o troco .

Pedro Araújo

Falou Milton, é isso aí.

qualidade de vida para o sertanejo, que Deus o tenha e que fique em nossas memórias a certeza dee podermos segií-lo nessa luta que entendemos ser permenente a té que de fatoa as situação melhore para esse povo tão sofrido. Vá em paz, pastor de Deus.


Coluna do Blog
Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores