Jaboatão

10/09


2006

Tasso: Lula "fera e ódio" tem medo do segundo turno

 Para o presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati, ao classificar de ''demagogias'' as críticas à situação da BR- 316 feitas pelo candidato tucano à Presidência, Geraldo Alckmin, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva demonstrou ser o ''Lula fera e ódio''. De acordo com Tasso, a reação comprova o medo do presidente de enfrentar o tucano em um eventual segundo turno. ''Ele está apavorado. As pesquisas estão mostrando um crescimento consistente e constante do Geraldo Alckmin. Se continuarmos com esse crescimento, nós vamos, com certeza, já nos próximos dez dias, passar dos 30%'', avaliou.

Em resposta ao desafio do programa Caravana do Jornal Nacional, da TV Globo - um ônibus que viaja pelo Brasil com equipe liderada por Pedro Bial -, Alckmin deu uma de repórter do seu próprio programa eleitoral exibido no sábado à noite. O PT tentou neutralizar o tucano, ainda antes da exibição do seu programa, ao dizer que foi ''demagógica'' a citação da estrada.

''O Lulinha paz e amor é produto do Duda Mendonça. Nunca existiu. Toda vida que ele se sente de alguma maneira, criticado, ele vira um Lula fera e ódio. Toda vez que ele se sente por cima também - é bom lembrar o caso do caseiro -, ele não titubeia em tripudiar e pisar em cima'', disse o senador tucano.

Essas declarações foram dadas logo após participar de um comício com Alckmin, no sábado à noite, que reuniu 8 mil pessoas em Quixeramobim, a 210 quilômetros de Fortaleza, no Sertão Central cearense.

''Ele (Lula) não quer o segundo turno, porque no segundo turno tem debate. No debate, ele é obrigado a se expor sem produção. Você (aparecer) na televisão todo produzido e editado e pré-gravado é uma coisa. Ir ao debate onde você vai ter que responder perguntas é muito difícil para ele, porque tem coisas que não dão para ele responder'', comentou Tasso.

Virar o jogo

Geraldo Alckmin acredita que dê para virar o jogo faltando apenas três semanas para o dia da votação. Acredita, inclusive, que vai nesta reta final diminuir a diferença no Nordeste, onde Lula conta com mais de 70% das intenções de voto e ele não chega a 15%. Alckmin fez comparações com os Estados Unidos, onde, segundo ele, o eleitor só começa a se definir 15 dias antes.

Aos jornalistas, o presidenciável tucano reforçou críticas ao mau estado de conservação da BR-336, que liga os estados do Pará, Maranhão e Piauí. Segundo ele, em alguns trechos da estrada foi jogada areia ''só para passar o ônibus do Jornal Nacional''. Quanto à reação do presidente, que pela primeira vez dirigiu críticas a ele no horário eleitoral, Alckmin disse que Lula ''não tem que ficar brabo com a notícia. Tem que ficar brabo com o fato. Por que não arrumou as estradas? Por que não trabalhou direito? Aonde que foi parar o dinheiro do povo?'', perguntou.

No palanque, Alckmin criticou o baixou crescimento do País, prometeu aumentar o Bolsa-Família, recriar a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e instalar indústrias na Região.

Nenhum dos eventos de campanha de Alckmin no sábado, contou com a participação do governador do Ceará, Lúcio Alcântara, que, apesar de tucano, tem preferido, devido às desavenças com Tasso, se mostrar mais próximo ao presidente Lula. (Agência Estado)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

REVERENDO

BRASILEIROS: LULA NÃO QUE TER MEDO DE ALMAS OU QUALQUER TIPO DE GASPARZINHO. ELE TEM QUE TER MEDO É DE VAMPIROS SANGUESSUGAS.

REVERENDO

BRASILEIROS: LULA TEM TEM QUE TER MEDO DE ALMAS, ELE TEM QUE TER MEDO

Vocês empurraram de guela abaixo o chuchuzeiro desrespeitando a democracia de um partido, agora amarguem uma goleada de votos. É Lula lá e Eduardo cá.

Jereissati, como é que o Lulão vai ter medo de uma coisa que não existe, é o mesmo que ter medo de alma. Preparem-se para 2010 que é melhor.

guilherme alves

Qual a moral que o Tasso tem para falar, os tucanos estão nessa posição porque o Tasso prejudicou em conjunto com o FHC o Serra. Agora porquê o Geraldo não foi antes lá na Br 316, e só depois da Globo. Tá sendo pautado pela Globo. Não, porque é fraco.


PREF DE OLINDA DESAFIOS DA PANDEMIA 21

10/09


2006

Alckmin: País vive uma "pasmaceira" na economia

 O candidato da coligação PSDB-PFL à Presidência da República, Geraldo Alckmin, manteve hoje o tom de ataques ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT, em comício realizado em Brasília. Ele disse que o país vive hoje "a pasmaceira do país que cresceu apenas 1,5% no último ano".

O ex-governador do Estado de São Paulo afirmou ser uma "vergonha" o fato de Lula dar prioridade a viagens em vez de governar. "Precisamos de governo pé no chão, trabalhando para gerar empregos."

Alckmin disse ainda que quer ser instrumento do povo brasileiro para "acabar com o mensalão, cuecão, sanguessugas e vampiros".

O tucano afirmou que seu governo não será "violento" com cidadãos como o caseiro Francenildo Costa --que teve o sigilo bancário violado no episódio que acabou derrubando o ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci, hoje candidato a deputado federal pelo PT.

"É um brasileiro honesto, de bem. Vamos fazer todos os corruptos correrem daqui [Brasília]", afirmou o candidato.

Alckmin também afirmou que vai resgatar os projetos implementados no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, como o Bolsa-Escola e o Peti (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil).

"Hoje, esses programas têm nome de Bolsa-Família. Queremos emprego e salário. Nem tapar buraco o governo consegue tapar."

O tucano também aproveitou a ocasião para rebater as críticas de que não vai conseguir reverter a vitória do presidente Lula no primeiro turno, como apontam as pesquisas de intenção de voto. "A campanha está começando agora. Temos de ter cuidado com pesquisas."

Denúncia

Além do comício, Alckmin participou de carreata em Brasília ao lado da governadora do Distrito Federal, Maria de Lourdes Abadia, candidata à reeleição pelo PSDB, e do candidato ao Senado pelo partido, o ex-governador Joaquim Roriz.

Abadia evitou comentar denúncia publicada hoje no jornal "Correio Brasiliense", que acusa a secretária de Educação do Distrito Federal, Vandercy de Camargos, de ter usado a máquina estadual para arregimentar funcionários do governo estadual a participarem da carreata de Alckmin.

Os organizadores do evento ainda não têm estimativas de quantas pessoas participam da carreata pró-Alckmin. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

guilherme alves

Esse Geraldo tá ficando louco. Qual a pasmaceira? Balança de pagamento bate recordes, juros em baixa, produção industrial boa, vendas de carros batendo recordes, ativos financeiros em crescimento, inclusive de pessoa física, empresários ganhando rios de dinheiro. Qual é o país que ele fala?

Drácula

EU DIRIA UMA PASMACEIRA POLÍTICA TAMBÉM...

Raimundo Eleno dos Santos

Pelo visto Alck, o ET, não conhece as firulas do grileiro Quincas. É claro que não conhece. Ele não pertence à terra. Ele veio de outra galáxia. Pode até ser que ele tenha vindo do planeta anão(Plutão).Seria Alck um plutaniano?


Ipojuca 2021

10/09


2006

STF deverá julgar repasse menor no SUS em Pernambuco

 O governo de Pernambuco tenta repassar para a esfera do Supremo Tribunal Federal, através do conflito de competência, uma Ação Civil Pública ajuizada pelo Ministério Público Federal na 5ª Vara Federal, no Estado, segundo nota oficial publicada pelo tribunal..

O MP acusa o governo estadual de não aplicar o percentual de 12% do orçamento com a Saúde, previsto no artigo 198, parágrafo 3º da Constituição e no artigo 77, inciso II, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias.

Por se tratar de matéria constitucional, que somente ao STF caberia julgar, o governo pernambucano contestou a ação em curso na Justiça Federal, através da pedido de Reclamação de número 4.616 protocolada no Supremo.  

No mérito da ação, o Governo de Pernambuco também contesta as informações do Ministério Público Federal quanto às receitas estaduais que comporiam a base de cálculo dos repasses para o Sistema Único de Saúde (SUS).

O MPF entende que, ''na fase de instrução processual, o laudo pericial comprovou que o estado teria aplicado o percentual de 10,84% nas ações de saúde no exercício de 2004, índice abaixo dos 12% previstos constitucionalmente.

Assim, o juízo condenou o Estado de Pernambuco a uma série de procedimentos que, em síntese, implicariam no remanejamento de cerca de R$ 54 milhões para o SUS, apenas no exercício de 2004.

''Dessa forma, o estado propõe que a União seja incluída no processo como assistente litisconsorcial do MPF e a observância do artigo 102, inciso I, alínea f quando diz que compete ao Supremo processar e julgar originariamente as causas e os conflitos entre a União e os estados, inclusive as respectivas entidades da administração indireta''.

A procuradoria estadual requer assim a suspensão do processo, bem como a execução da sentença proferida pelo juiz da 5ª Vara da Justiça Federal e a remessa dos autos para julgamento pelo STF.

A decisão caberá ao ministro Ricardo Lewandowski, relator da reclamação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Aplicar 12% do orçamento para um estado que tem tantos problemas com a saúde, não deveria ser difícil. O Garupeiro e Jarbas estradas, como não têm compromisso com o povo pobre da capital e interior, só cuida de publicidade. Mas 1º. 10. 06, está chegando para darmos o troco nas urnas. É Eduardo 40.

Vejam quanta incompetência, um estado que está agonizando, acaba de ter prejuizo em suas verbas na área da saúde por não atingir o gasto de 12% da receita, por pura falta de compromisso com a saúde dos pernambucanos, Eduardo vem logo pelo amor de Deus, se não vamos todos para o estado de coma.

José Carlos-Serra Talhada

http://www.frangoncinha.blogspot.com

guilherme alves

Oi, a emenda não prevê 15%?


Petrolina abril 2021

10/09


2006

Presidente da Chesf internado no Memorial

 Inspira cuidados o estado de saúde do presidente da Chesf, Dilton da Conti. Ele sofreu uma queda na véspera do feriado de quinta-feira, no prédio da empresa, que deixou seqüelas na sua cabeça. Da Conti está internado no hospital Memorial São José, com recomendação médica para não receber visitas.

Dilton da Conti, ex-candidato ao Governo de Pernambuco pelo PSB, é um dos técnicos com mais ligação com o grupo Arraes. Sua ascensão à presidência da Chesf se deu por influência do ex-governador Miguel Arraes, no início do governo Lula.

A queda sofrida por Dilton da Conti não tem ainda uma versão oficial. O que se sabe é que ele caiu quando chegava no prédio da empresa para o expediente da tarde de quarta-feira. Não está descartada a possibilidade de ele ter passado mal antes de cair.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Dilton, esperamos que fique bom o mais rápido possível, pois és uma expoência de competência técnica e moral para o governo de Eduardo Campos. Vamos orar por você.



10/09


2006

Quanto custa um deputado?

Veja a importância que os blogs vão ocupando na mídia. Esta matéria está no blog  do Tão Gomes Pinto, após levantamento por ele realizado, com base no Congresso em Foco:

O custo de um deputado é de R$ 99.467,00 por mês. Você acha muito?

Saiba porque um deputado custa isso.

Entre vencimentos pessoais, verba de gabinete, auxílio-moradia, passagens e outras despesas, cada deputado custa, em média, R$ 99.467 por mês

O levantamento foi feito pelo repórter Diego Moraes e publicado no site Congresso em Foco.

Diego lembra ainda que um ''acordo de cavalheiros'' permitiu aos parlamentares trabalhar somente três dias em agosto e outros três em setembro sem qualquer prejuízo em seus vencimentos.

É o chamado ''recesso branco'' para que eles possam fazer suas campanhas.

Dos 513 deputados, apenas 22 não disputarão nenhum cargo em outubro. No Senado, 47 dos 81 senadores são candidatos.

Levantamento feito pelo Congresso em Foco revela que, entre vencimentos pessoais, verba para manutenção do gabinete, auxílio-moradia, passagens aéreas, despesas com combustíveis, correios, telefone e publicações, um deputado custa, em média, R$ 99.467 por mês, o equivalente a 284 salários mínimos de R$ 350.

A despesa mensal com os 513 deputados chega a R$ 51,02 milhões.

Considerando-se que eles recebem 15 salários por ano (além do 13º, outros dois como ajuda de custo), essa cifra alcança a expressiva marca anual de R$ 632,17 milhões.

***

Um deputado recebe atualmente salário bruto de R$ 12.847,20 (36 mínimos).

Apesar de estar muito distante da realidade do cidadão comum, o salário de um parlamentar ainda está longe do teto do funcionalismo público (cerca de R$ 24,5 mil), que é quanto ganha um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Porém, há uma série de regalias, e são elas as responsáveis pela inflação do chamado ''custo deputado''.

São R$ 50.815,62 todos os meses para a contratação de assessores de confiança dos parlamentares em seus gabinetes.

Com esse dinheiro podem ser contratados de cinco a 20 pessoas, com salários entre R$ 350 e R$ 6 mil.

O regimento interno proibe que esses servidores desempenhem funções que não sejam de caráter legislativo fora da Câmara.

Mas não é raro encontrar assessores de parlamentares nos Estados, durante o período eleitoral, auxiliando nas campanhas.

Além dessa verba de gabinete, o deputado tem direito a receber R$ 15 mil para cobrir despesas de suas atividades no Estado.

Mas nesse caso o dinheiro só é repassado mediante a apresentação de notas fiscais.

Em abril, a Mesa Diretora da Câmara decidiu limitar a 30% da chamada verba indenizatória os gastos mensais dos deputados com combustível (R$ 4,5 mil).

A fiscalização dessas despesas só se tornou mais severa quando um grupo de parlamentares foi flagrado apresentando notas fiscais frias para a compra de combustíveis.

***

No ano passado, a Câmara gastou R$ 41 milhões só para manter os carros dos parlamentares com o tanque cheio.

O limite, porém, não afetou a locomoção via aérea dos deputados.

Só em passagens aéreas, os deputados recebem entre R$ 4,1 mil e R$ 15,6 mil, dependendo do Estado de origem.

São três bilhetes por semana.

De acordo com o regimento da Câmara, o parlamentar pode solicitar o depósito da quantia em sua conta caso não utilize toda a cota.

Detalhe curioso: mesmo os representantes do Distrito Federal, que moram em Brasília, têm direito a receber a cota mínima para se deslocarem país afora.

***

A Câmara gasta R$ 19 milhões por ano com moradia de deputados.

Mas esta é só uma pequena parte do problema. A Casa tem 432 apartamentos funcionais, o que seria insuficiente para atender a todos os 513 deputados.

Desses 432 apartamentos, 217 estão abandonados.

Enquanto isso, a Câmara paga auxílio-moradia de R$ 3 mil a 295 parlamentares, inclusive deputados eleitos pelo Distrito Federal que têm residência própria em Brasília.

A reportagem do Congresso em Foco apurou que dois apartamentos funcionais continuam ocupados por parlamentares cassados.

A maioria alega que os apartamentos da Câmara são grandes para uma só pessoa e estão sucateados. Por isso, preferem usar a verba pública e morar em hotéis.

***

Para se manterem bem informados, todos deputados têm direito a cinco assinaturas de jornais ou revistas.

Além disso, dispõem de R$ 6 mil por ano para serviços de impressão gráfica. Essa verba, entretanto, é intransferível e não pode ser acumulada para o mês seguinte.

Diferentemente dos senadores, os deputados não recebem um celular funcional com conta ilimitada.

Mas têm direito a R$ 4.268,55 para gastarem com telefonemas e envio de cartas.

No caso dos líderes e vice-líderes, essa cota aumenta para R$ 5.513.

O telefone fixo instalado no gabinete, registrado em nome da Câmara, é de uso ilimitado. Do blog de Tão Gomes Pinto. 



Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

É p/isso q existe 1 verdadeiro arranca-rabos p/chegar ao Planalto.É bom q o gde público saiba disso.Agora,se a lei determinasse q o mandatário nada recebesse,e o gasto com ele q o erário teria fosse de casa,comida e roupa lavada,e a garantia q s/prole teria colégio e despesas pagas.SERIAM SERVIDORES

Drácula

E AÍ PERNAMBUCO MANDA UNS PORCARIAS FEITO CADOCA E JOSÉ CHAVES PARA O CONGRESSO NACIONAL....É DEMAIS.....DEVOLVAM ESSES PULHAS PARA O ANONIMATOOOOOOO.....


ALEPE

10/09


2006

Apatia do eleitor e "sucesso do Bolsa-Família"

 Nas minhas andanças pelo Sertão de Pernambuco, onde atualizo o blog de Afogados da Ingazeira, a 386 km do Recife, constatei uma grande apatia do eleitorado. Na verdade, não existe campanha, não há clima eleitoral, mas sim um profundo distanciamento do eleitor com a realidade.

Jarbas e Mendonça fizeram uma carreata bastante concorrida em Afogados da Ingazeira, mas não deram um pio aos eleitores, descartando os velhos e tradicionais comícios. No feriado de 7 de setembro, em Serra Talhada, a cidade foi invadida, literalmente, pelos candidatos majoritários  - Mendonça, Humberto e Eduardo.

Mas, sabe para onde estavam voltadas as atenções do povão na praça pública? Para duas bandas cearenses de forró, contratadas pela Prefeitura para animar a festa do padroeiro. Os candidatos fizeram de tudo para despertar o interesse do eleitor, mas perderam tempo.

Nenhum eleitor se aproximou dos candidatos para tirar dúvidas, questionar ou elogiar suas propostas de Governo. Poucos que tiveram acesso a eles pediram emprego, passagem para São Paulo e uma vaga no Bolsa-Família. Pode acreditar: o que os sertanejos mais festejam é o Bolsa-Família.

E os que não conseguem entrar no programa dizem o seguinte: ''A melhor coisa que tem. Ninguém faz absolutamente nada, não dá uma hora de trabalho e ainda consegue colocar, em muitos casos, uma fileira de parentes na lista dos beneficiados''.

É isso aí! Depois conto mais sobre o Sertão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Não julgue dessa forma o pobre de Pernambuco, pois se fosse um deles estaria na mesma situação, ninguém passa fome por quer, o sistema os leva a isso. Quanto ao voto, essa direita criminosa é que deixou o nosso país desse jeito, agora está começando a mudar com Lula e o incômodo, já é realidade.

Drácula

ISSO... BOLSA ESMOLA NESSA CAMBADA QUE VEIO AO MUNDO PRA FAZER FILHO, VOTAR ERRADO E PEDIR À DEUS PARA MORRER ENCOSTADINHO EM ALGUM BARRANCO DE AÇUDE SEM ÁGUA...

Raimundo Eleno dos Santos

O Estado é do povo.Agora tem muita gente que se acha donatário de alguma coisa.O patrimônio da nação tem que servir à nação. Particulares acham que isso é uma benesse.Tá errado.O bem público pertence ao povo.Se o Gov.Lula tem distribuído o que estão chamando de benesse,tá errado.É certo distribuir.


Bandeirantes 2021

10/09


2006

Militar diz que processo deveria ser contra a União

 A defesa do coronel reformado Carlos Alberto Brilhante Ustra se fundamenta em quatro argumentos: a negativa das acusações; eventuais crimes em 1972 e 1973 não poderiam mais ser punidos; a ação deveria ser contra a União, e não seu servidor militar; a Lei de Anistia (1979) beneficiaria os agentes dos órgãos de segurança que combateram a oposição.
Ustra afirmou à Folha seguir orientação dos advogados para não conceder entrevista. Fez breves comentários e qualificou as denúncias como ''mentiradas''. Disse que acusadores ficam ''inventando coisas'' e ''mulheres mentem''. ''Com essas coisas que esse povo faz [relatos de sevícias], aquele negócio todo, tem horas que a gente desiste de viver.''
Ustra comandou o DOI-Codi de São Paulo de setembro de 1970 a janeiro de 1974. Nesse período pelo menos 40 presos foram assassinados em suas instalações, conforme o jornalista Elio Gaspari no livro ''A Ditadura Encurralada'' (Companhia das Letras, 2004) e o ''Projeto Brasil: Nunca Mais''.
Advogados do coronel, Paulo Esteves, Sérgio Toledo e Salo Kibrit, afirmam no processo: ''Quanto às descrições de tortura (...), o réu [Ustra] jamais permitiria semelhante ato em um local que comandasse''.
Ustra divulgou um texto sobre a ação declaratória em seu site (
www.averdadesufocada.com). Nega ter havido seqüestro das crianças Janaína e Édson. Confirma, contudo, que os meninos estiveram no DOI-Codi. Disse que aceitou pedido dos pais presos para que uma policial, que teria se oferecido, ficasse com as crianças.
Os defensores do militar escreveram que ''o réu [Ustra] agiu como representante do Exército no soberano exercício da segurança nacional''. Por isso, a União deveria responder.
Citam a Lei de Anistia como obstáculo ao prosseguimento do processo: ''[A lei] pressupôs esquecimento recíproco, de modo a apagar todos os fatos que ocorreram em determinado período e que tipificaram delitos políticos ou conexos''.
Fábio Konder Comparato, advogado dos autores da ação, disse que a Lei de Anistia não afeta o processo: ''[A lei] meramente diz respeito a crimes. Aqui não se trata de uma ação penal. É uma ação civil''. (Da Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

10/09


2006

Militar será julgado por seqüestro e tortura

  ''Depois de a União reconhecer sua responsabilidade pela tortura, morte e desaparecimento de opositores durante o regime militar (1964-85), a Justiça agora é chamada a se pronunciar sobre os atos de um dos mais destacados agentes dos órgãos de segurança dos anos 70: Carlos Alberto Brilhante Ustra, 74, hoje coronel reformado do Exército. Cinco pessoas de uma família processam Ustra, acusando-o de seqüestro e tortura em 1972 e 1973.
Embora os advogados dos autores neguem que o pedido contrarie a Lei de Anistia (1979), o processo reabre a discussão sobre a impunidade de funcionários públicos que cometeram crimes contra os direitos humanos.
Na Argentina, as ''leis do perdão'' foram revogadas, e os acusados por tortura na ditadura militar do país (1976-83) são submetidos a julgamento.
A ação civil é declaratória: não implica pena ou indenização pecuniária. Pede a declaração de ocorrência de danos morais e à integridade física.
Advogados e entidades de direitos humanos consultados pela Folha afirmam desconhecer a existência de ações contra funcionários dos governos militares -antes foram contra o Estado. Ustra se diz ''o primeiro militar que eles buscam sentar no banco dos réus''.
Em 1985 a atriz Bete Mendes, ex-militante da luta armada contra a ditadura, apontou o coronel como seu antigo torturador, mas não o processou.
Ustra é réu no processo 05.202853-5, da 23ª Vara Cível do Foro Central de São Paulo. Os autores da ação são o casal Maria Amélia de Almeida Teles, 61, e César Teles, 62; seus filhos Janaína Teles, 39, e Édson Teles, 38; e Criméia Almeida, 58, irmã de Maria Amélia.
A história que eles narram consta do ''Brasil: Nunca Mais'', projeto da Arquidiocese de São Paulo. O caso dos irmãos Janaína e Édson ganhou relevo no capítulo referente a vítimas crianças.
Eles tinham 5 e 4 anos quando foram parar nas dependências paulistas do DOI-Codi (Destacamento de Operações de Informações -Centro de Operações de Defesa Interna). O comandante da unidade era Ustra, o ''Tibiriçá''.

A denúncia
Responsáveis pela gráfica do então clandestino Partido Comunista do Brasil, César e Maria Amélia foram presos em dezembro de 1972 junto com o dirigente Carlos Danielli -que foi torturado e morto no DOI-Codi, conforme conclusão, após o fim da ditadura, da Comissão de Mortos e Desaparecidos do Ministério da Justiça.
Grávida, Criméia foi detida no dia seguinte. Os sobrinhos foram levados com ela para o DOI-Codi, na rua Tutóia.
Maria Amélia lembra que recebeu choques elétricos, injeções do dito ''soro da verdade'' e humilhações diversas, além de ter sido posta no pau-de-arara.
César descreve golpes de palmatória, choques e tapas nos ouvidos (''telefone''). Queimaduras de cigarro no seu pé direito obrigaram-no a fazer transplante de pele.
Criméia afirma que, ao chegar no DOI-Codi, viu sua irmã e o cunhado sendo retirados da sala de tortura ''com equimoses por todo o corpo''. ''Meu sobrinho [Édson], ao vê-los, perguntou: ''Por que vocês estão verdes?'''', disse ela.
De acordo com Criméia, mesmo grávida de sete meses ela foi seviciada com espancamento, murros na cabeça, palmatória de madeira nos pés e nas mãos e até choques.
''Eu e minha irmã fomos torturadas para que assinássemos um papel em que consentíamos que eles fizessem o aborto.''
Depois de nascido, o menino João Carlos de Almeida Grabois soluçava dia e noite ao ouvir barulhos estridentes.
Maria Amélia e Criméia relatam a participação direta de Ustra na tortura. César diz que o comandante ordenava: ''Bate nesse, bate naquele''. Eles reconheceram o militar ao ver suas fotos publicadas após a denúncia de Bete Mendes.
Os pais dizem que os filhos foram usados para pressioná-los a fornecer informações -se não falassem, Janaína e Édson ''seriam torturados e mortos''.
A ação qualifica os atos contra os irmãos como tortura psicológica. Eles ficaram meses na casa de uma policial cuja identidade até hoje ignoram.
Aos 6 anos, Janaína entrou em processo de puberdade precoce. Aos 28, a menopausa se manifestou precocemente. Édson passou anos sem conversar com ninguém''. (Da Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

o seu carrasco palitando os dentes como se nada houvesse acontecido.Não.Mil vezes não.Eu não concordo com esse tipo de coisas.Tem que pagar por isso. Não é reabrir feridas, é estancar a sangria do coração.Pais, irmãos familiares precisam pacificar os sofrimentos, as angústias.Faça-se Justiça.É isso.

Raimundo Eleno dos Santos

É muito doloroso para as pessoas verem o seu carrasco ou de seus filhos desfilando por aí como se nada tivesse acontecido.É bem verdade que a letra fria da lei pode prever o famoso " esquecimento". Mas é amargo para quem sofreu torturas e sevícias por ter opinião divergente e, ao depois,vir o seu ca


Anuncie Aqui - Blog do Magno

10/09


2006

Emprego tem. Basta enfrentar um concurso público

 O jornal Correio Braziliense destacou em sua manchete a quantidade de vagas que estão sendo oferecidas em concursos públicos no Distrito Federal e tambem no governo federal. Para quem está com a carreira estagnada em seu estado, ou mesmo sem perspectiva de emprego, vale à pena ler esta matéria que estou postando no blog: 

''...A matemática dos concursos está realmente sedutora. No momento, há 357 vagas, com salários que variam de R$ 1.239,81a R$ 21 mil, oferecidas por quatro concursos que estão com inscrições abertas ou vão abrir nos próximos dias: Centro de Assistência Judiciária do DF (20); Secretaria de Saúde do DF (59 vagas); Ministério Público do Trabalho (181); e Apex, a Agência de Promoção de Exportações do Brasil (97). Além disso, nos últimos dias, outras seis instituições receberam sinal verde do Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão. A partir da autorização para fazer o concurso, os responsáveis pela contratação têm seis meses para anunciar as regras da seleção pública. A maioria dos órgãos beneficiados, no entanto, planeja divulgar os editais até o final do ano. Entre postos para funções temporárias e cargos que fazem parte dos quadros fixos, serão preenchidas 84.527 vagas. O recheio nos contracheques vai de R$ 576 a R$ 5.244,17.

Dos concursos autorizados pelo Planejamento, dois são novidades para os concurseiros de plantão: o da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), criada há um ano, e o da AGU, que nunca abriu seleção pública para o quadro administrativo. “É bom fazer esse tipo de prova porque todos os candidatos estão praticamente no mesmo nível, não tem ninguém estudando há muito tempo”, aposta Raíssa. “Além disso, é maior a chance de mais pessoas serem convocadas.” A AGU trabalha inicialmente com as 336 vagas autorizadas pelo Planejamento. Mas a Anac prevê novas contratações. O próximo concurso, segundo a agência, preencherá um terço das vagas a que a agência reguladora tem direito.

Agricultura

As primeiras inscrições a serem abertas devem ser as de agente de atividades agropecuárias e agente de inspeção sanitária e industrial. Na verdade, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento divulgou o edital do concurso em maio passado. Mas o Tribunal de Contas da União (TCU) suspendeu a seleção pública por conta de erros no edital, como excesso de pontos atribuídos à prova de avaliação de títulos.

Na terça-feira passada, o concurso, reformulado, foi liberado pelo TCU. A previsão é de que as novas regras sejam divulgadas até o final desta semana. Logo depois, a equipe de recursos humanos do Ministério da Agricultura concentrará esforços no concurso de fiscal agropecuário, com 390 vagas. Os interessados nas vagas de nível superior deverão se candidatar ao posto em meados de novembro.

Antes disso, na primeira quinzena de outubro, deverão estar na praça as regras da contratação temporária para o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O órgão, vinculado ao Ministério do Planejamento, contratará 82.778 pessoas para trabalhar, no próximo ano, no censo agropecuário e na contagem da população. A maioria das vagas, 65.042, é para o cargo de recenseador, aberto a candidatos que tenham concluído o ensino fundamental. Os contratos com o IBGE terão duração de um ano e começarão a ser assinados em fevereiro.

Os outros dois órgão beneficiados são militares. O Exército contratará seis professores para o Instituto Militar de Engenharia, que funciona no Rio de Janeiro. A Marinha também recebeu sinal verde para reforçar o quadro de docentes. São 79 vagas, divididas entre 14 escolas. Uma equipe da Diretoria de Ensino da Marinha tem se reunido para decidir como serão feitas as contratações. A intenção é definir as estratégias de seleção em 15 dias.

Concursos abrem 181 postos no DF

Para os mais apressados ou os que não gostam da idéia de estudar sem roteiro, há quatro concursos com editais na praça. Juntos, os órgãos públicos preencherão 357 vagas para os quadros fixos de pessoal. Dos postos, 181 têm lotação prevista para Brasília. As contratações feitas pelo Centro de Assistência Judiciária do Distrito Federal, Secretaria de Saúde do DF e Agência de Promoção de Exportações do Brasil (Apex) serão exclusivas para Brasília. À caça de 181 bacharéis em direito, o Ministério Público do Trabalho contratará cinco deles para trabalhar na capital da República. Confira, no quadro ao lado, como garantir o nome nas disputas.

INSCREVA-SE

Centro de Assistência Judiciária do Distrito Federal
Vagas: 20 para o cargo de procurador // Inscrições: até o próximo dia 17 no site www.cespe.unb.br // Taxa: R$ 140 // Remuneração: R$ 13.193,47 // Informações: 3448-0100

Secretaria de Saúde do Distrito Federal
Vagas: 59, divididas entre os cargos de assistente social (31) e técnico em higiene dental (28) // Inscrições: de 18 a 29 de setembro para assistente, e de 16 a 27 de outubro para técnico. Os registros devem ser feitos na Gerência de Seleção de Pessoal da Secretaria, que fica no SIA Trecho 1, lotes 1730 a 1760 // Taxas: R$ 50 (assistente) e R$ 35 (técnico) //Remunerações: R$ 2.040,54 (assistente) e R$ 1.239,81 (técnico) // Informações: no site www.saude.df.gov.br

Agência de Promoção de Exportações do Brasil
Vagas: 97, divididas entre cargos de nível médio e superior // Inscrições: até 24 de setembro no site www.funiversa.org.br ou até o dia 23 na Central de Atendimento ao Candidato da Funiversa, que fica na 609 Sul, módulo C // Taxas: de R$ 36 a R$ 95 // Remunerações: de R$ 1.848,29 a R$ 7.885,22 // Informações: 3442-7520

Ministério Público do Trabalho
Vagas: 181 para o cargo de procurador do trabalho // Inscrições: até 3 de outubro, no site www.pgt.mpt.gov.br // Taxa: R$ 150 // Remuneração: R$ 21 mil // Informações: (61) 3340-7989.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Drácula

NÃO TEM VAGA PRA GABINETE DE DEPUTADO? DAQUELES QUE NÃO FAZEM NADA PRA NÃO DAR TRABALHO????



10/09


2006

Alckmin se cala sobre tucano envolvido no

 Da Folha de S.Paulo, neste domingo: 

O candidato à Presidência Geraldo Alckmin (PSDB) preferiu falar da má conservação das estradas do Maranhão quando questionado sobre o trecho da carta do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em que cita a falta de reação do PSDB quando veio à tona o envolvimento do ex-governador tucano Eduardo Azeredo (MG) no caso do ''valerioduto''.
Ignorando a pergunta sobre o impacto do mea-culpa de Fernando Henrique, o candidato respondeu: ''Queria destacar também que ontem estive no Maranhão, percorrendo a BR-316, estrada importantíssima para o interior do Nordeste, e vi um estado de abandono''. Alckmin fez ontem caminhada pela feira de Cascavel, no Ceará (cerca de 100 km de Fortaleza).
O tucano disse ter interpretado a carta como uma forma de o ex-presidente se indignar contra a corrupção. ''É uma carta mostrando para o Brasil que infelizmente nós temos um presidente enganador.''
Para o senador Tasso Jereissati, presidente do PSDB, não há crise no partido e a carta de Fernando Henrique é ''um desabafo de um grande homem diante da crise''. Na carta, o ex-presidente afirma que o PSDB errou ao permanecer calado e ''tapar o sol com a peneira no caso do senador Azeredo''.
Tasso fez ressalvas a trechos da carta. Disse que não se pode afirmar que o PSDB errou ao não evidenciar com mais força as denúncias contra Lula.
Alckmin não foi recebido pelo candidato do PSDB ao governo do Ceará, Lúcio Alcântara, que tem preferido exaltar sua proximidade com Lula a pedir votos ao colega. O governador tucano mostrou cenas do presidente no programa de TV.

Cartilhas
À noite, em Quixeramobim (220 km de Fortaleza), Alckmin classificou de ''roubo'' a impressão de quase dois milhões de cartilhas, que teriam sido pagas com recursos da Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom) e distribuídas por diretórios do PT.
Reportagem da revista ''Veja'' desta semana revela que o Tribunal de Contas da União recebeu recentemente do governo explicações pendentes sobre a falta de comprovação de R$ 11 milhões em gastos da Secom. O TCU suspeitava de superfaturamento na confecção de cartilhas e revistas com propagandas de governo. Agora, a Secom informou, segundo a revista, que as cartilhas foram encaminhadas por agências de publicidade a diretórios do PT.
''Não é brincadeira, são R$ 11 milhões. É uma corrupção atrás da outra'', disse Alckmin. Tasso atacou diretamente Lula. ''Todo dia tem roubo desse homem. Ele continua fingindo que não sabe de nada.''


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

guilherme alves

Fala senador Suassuna, como noticiou o Élio Gaspari, o Brasil deseja saber o que faz o trio de ouro PMDB/PFL/PSDB. Principalmente os donos de bordéis PSDB/PFL.

É né chuchuzeiro, quando a sujeira é do teu lado tu jogas em baixo do tapete né. É por isso que o povo brasileiro já escolheu Lula.

Raimundo Eleno dos Santos

FHC é hipócrita e Alckmin é dissimulado. Dou os dois e não quero torna. Que lástima!