28/11


2006

Senado absolve Serys Slhessarenko

Depois de rejeitar a cassação de Ney Suassuna (PMDB-PB) nesta terça-feira (28), o Conselho de Ética do Senado também  absolvel por unanimidade a senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), acusada de ligação com a máfia dos sanguessugas . Foram 13 votos contra a cassação.
 
O relator do processo, senador Paulo Octávio (PFL-DF), pediu nesta terça a absolvição da senadora alegando que não há provas de que ela se envolveu com a máfia de compra de ambulâncias superfaturadas com emenda parlamentar. ''Não existem provas de qualquer acordo da senadora por emendas. Não há omissão na sua conduta'', disse o relator.
 
Serys foi acusada pela CPI dos Sanguessugas de envolvimento com o esquema depois que Luiz Antônio Vedoin, chefe da máfia, disse ter pago a Paulo Roberto Ribeiro, genro da senadora, um cheque de R$ 35 mil em troca de emendas dela para a compra de ambulâncias da Planam, empresa do próprio Vedoin.
 
O genro de Serys nega a acusação e diz que recebeu dinheiro de Vedoin pela venda de equipamentos hospitalares. Ao Conselho de Ética, Vedoin confirma o pagamento ao genro da senadora em troca de emendas, mas nega que tenha negociado pessoalmente com ela.
 
Para o relator, não ficou evidenciado que Serys soubesse que seu genro mantinha contatos com Vedoin. ''Não foi provado que o genro da senadora estava autorizado a falar em seu nome. Não foi constatada prática incompatível com o decoro da senadora'', disse o relator. Serys, por sua vez, preferiu não se manifestar.
 
O conselho deve conhecer ainda nesta terça o parecer sobre o processo contra Magno Malta (PL-ES), outro senador acusado de ligação com a mesma máfia. O relator do processo é o senador Demóstenes Torres (PFL-GO).  As informações são do Portal G1.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

O Malta não pertence à malta; Nem Serys será da corja sanguessugueana. Ney sanguessuga seguirá mesmo caminho. Todos estão limpos como água de pia batismal, ou pano de altar. E haja alvejante para tirar as nódoas de suas vidas. Conseguirão?

Uma vergonha. Uma aberração. Tem que punir esses bandidos sem vergonhas.

roberto lima

O relator foi escolhido com o maior cuidado. Tenho visto e os pronunciametos DO sr. paulo otávio (amigo de collor), já era de se esperar. Até onde sei, esse senhor é um corretor de imóveis e caso não tenha uma formação jurídica, fica dificil relatar um caso complexo.Viva o senado !Parabéns a todo


Pousada da Paixão

28/11


2006

Suassuna é absolvido pelo Conselho de Ética

O Conselho de Ética do Senado rejeitou nesta terça-feira (28) o pedido de cassação do senador Ney Suassuna (PMDB-PB), acusado de ligação com a máfia dos sanguessugas.  Por 12 votos a 2, o conselho aprovou apenas uma censura verbal ao senador e o processo será arquivado no próprio órgão. Os 2 senadores que votaram pela cassação foram Demóstenes Torres (PFL-GO) e o próprio relator, Jefferson Peres (PDT-AM).
 
Suassuna é acusado de participar da máfia dos sanguessugas por meio de um ex-assessor, Marcelo Carvalho, que recebeu R$ 225 mil da Planam, empresa que comandou o esquema. Suassuna também teria autorizado assessores a assinarem no seu lugar ofícios ao Ministério da Saúde em que pedia a rapidez na liberação de emendas. O senador nega as acusações.
 
Em outubro, o relator do processo, Jefferson Peres, pediu a cassação do mandato de Suassuna. Peres alegou que, apesar de não haver provas contra o senador, ele deveria pagar pelos erros dos assessores para limpar a imagem do Congresso. "O senador não é um réu sem culpa", disse o relator.
 
Os integrantes do conselho, no entanto, optaram por aprovar a sugestão do senador Wellington Salgado (PMDB-MG) de rejeitar a cassação e aprovar uma censura verbal a Suassuna. "Não há uma única prova conta o senador", disse Salgado. "Foram 140 dias de pancadaria", reclamou Suassuna. Percebendo a derrota, o relator jogou a toalha antes mesmo da votação. "Não vou fazer disso um cavalo de batalha", afirmou Peres.
 
A expectativa era que o conselho absolvesse Suassuna, principalmente pelo bom relacionamento que ele mantém com os membros do órgão. O clima era favorável a Suassuna desde o início da sessão que o absolveu. Os senadores recusaram até discutir o processo nesta terça. Foram direto para a votação dos pareceres. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

roberto lima

É uma escarrada na cara do povo que paga os salários dessa gente. É inaceitável que o parecer do sen jefferson, (homem sério e integro) seja rejeitado. Nada mais a comentar, porque a minha indignação resvalaria para um palavriado inadequado a esse espaço.


Petrolina abril 2021

28/11


2006

Adiada reunião de Lula com Jarbas e Roriz

Foi adiado o encontro do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com os senadores eleitos do PMDB, Joaquim Roriz (DF) e Jarbas Vasconcelos (PE). O motivo não foi ainda divulgado. Mas o empenho do presidente em articular apoio ao seu segundo mandato continua. Ainda nesta terça-feira (28) ele recebe o PDT. Na agenda estão previstas ainda duas audiências a governadores: ao governador reeleito do Amazonas, Eduardo Braga (PMDB), e ao governador eleito de Goiás, Alcides Rodrigues (PP).

Antes de embarcar à noite para a Nigéria, Lula participará da cerimônia em comemoração ao Dia Nacional da Consciência Negra, e almoçará com a Primeira Turma de Cadetes Aviadoras da Força Aérea Brasileira, no Palácio da Alvorada.

O presidente receberá ainda Dom Cláudio Hummes, que está deixando o Brasil para assumir a Prefeitura da Congregação para o Clero e, às 19 horas, participará da cerimônia de posse da diretoria e do Conselho Fiscal da Confederação Nacional da Indústria (CNI). O embarque para a Nigéria está previsto para as 22 horas. As informações são do Portal G1.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


28/11


2006

Deputado preso em operação da PF é liberado

O deputado federal eleito Juvenil Alves (PT-MG) deixou na madrugada desta terça-feira a Superintendência da Polícia Federal em Minas Gerais, onde estava detido desde a última sexta-feira.

Acusado de práticas fiscais e financeiras ilegais para "blindagem patrimonial" de empresas e empresários devedores de impostos e tributos, o petista foi preso durante a "Operação Castelhana" da própria PF.

O prazo de sua prisão temporária --decretada para impedir uma possível obstrução das investigações-- se encerrou à meia-noite de ontem.

De acordo com a PF, o deputado federal eleito é sócio do escritório de advocacia Juvenil Alves e Associados, especializado em direito tributário e que teria ajudado uma organização criminosa que teria causado um prejuízo de mais de R$ 1 bilhão aos cofres públicos. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


28/11


2006

Hildebrando Pascoal chora no julgamento

De volta ao banco dos réus, onde enfrenta a acusação de ter assassinado o soldado do Corpo de Bombeiros Sebastião Crispim, em setembro de 1997, o ex-deputado federal Hildebrando Pascoal (PFL-AC) chorou, ontem, diante do júri, depois de depor por quatro horas, na Justiça Federal, em Brasília. Cassado em 1999 por quebra de decoro parlamentar, depois de investigações sobre o crime organizado no Acre, o ex-parlamentar alegou inocência e se disse perseguido pelo Ministério Público Federal (MPF), a Polícia Federal (PF) e a Justiça.

Além de participação no homicídio de Crispim, Hildebrando também enfrenta acusações de formação de quadrilha, ameaça a testemunhas e de tentar frustrar provas da CPI do Narcotráfico, da Câmara dos Deputados. Crispim foi morto dias antes de prestar depoimento contra Hildebrando sobre a atuação do esquadrão da morte no Acre, que seria comandado pelo ex-deputado. O julgamento estava marcado para outubro, mas foi adiado para este mês.

Para o Ministério Público, o bombeiro foi assassinado como queima de arquivo. Condenado a mais de 60 anos por diversos crimes - cumpre pena em um presídio no Acre - Hildebrando usou em seu interrogatório o discurso de vítima. Alegou problemas de saúde, declarou-se vítima de um complô e disse que sua vida havia sido destruída.

- Não sou criminoso. Sou vítima de uma conspiração - declarou o ex-parlamentar.

No mesmo processo, no entanto, cinco outros acusados já foram condenados pelo assassinato de Crispim. Em depoimentos, todos confirmaram a participação de Hildebrando na morte do bombeiro. Informações do JBOnline.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca 2021

28/11


2006

Prefeito de Bezerros vai exonerar parentes

O prefeito de Bezerros, Marcone Borba (PT), admitiu, ontem, ter parentes empregados na administração municipal. Segundo ele, adversários políticos “conhecidos pela população” teriam espalhado os boatos que seriam 30, mas o número seria bem menor e remanescentes de outras gestões. “São oito parentes meus. Destes, três não sei se são meus irmãos. Têm que fazer exame de DNA, pois não foram registrados pelo meu pai. A minha vice - Bete Lima (PL) - tem onze familiares. Todos vão ser exonerados. Estamos nos adequando, inclusive com um projeto de lei contra o nepotismo que terá a segunda votação amanhã (hoje)”, disse.

 

Marcone Borba rechaçou qualquer beneficiamento em licitações para familiares. Estariam envolvidos a empresa de transportes SBL TUR, administrada por Simone Borba Lemos, a locação da sede do Conselho Municipal de Saúde e a conta da manutenção da Internet da Prefeitura, feita por um sobrinho. “Simone não é minha cunhada. É irmã de uma prima do meu pai. O meu sobrinho também é sobrinho do meu adversário, ganhou a licitação normalmente. A casa (sede do conselho) nem sei de quem é. Um vereador do meu grupo morava lá, mas não sabia disso. Foi alugada dentro do preço de mercado, não há superfaturamento”, alegou.

 

Nos últimos seis meses, segundo o prefeito, misteriosos atos de vandalismo ocorreram na cidade. “Fazemos uma reforma ou obra e, durante a noite, eles invadem e depredam”, revelou. As informações são da Agência Nordeste.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru Campanha São João 2

28/11


2006

Salários públicos

''Os parlamentares estão a ponto de votar novos valores para suas remunerações, como ocorre ao fim de uma legislatura. Juízes, ministros de tribunais superiores, procuradores - todos também querem ganhar mais. Muito justo, desde que se admita o mesmo para qualquer categoria de servidor - e para categorias profissionais do setor privado''. Este é um trecho do importante artigo do economista Clovis Cavalcanti, sobre um tema atualíssimo e de grande repercussão, que acabo de postar no blog. Boa leitura!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Pedro Araújo

O engraçado é que se falou a pouco que queriam aumentar o salário mínimo para 420 reais, foi a maior chiadeira, porque não se tem dinheiro, pergunto: e para aumentar o que já é uma coisa astronômica, que é os salários deles? vão buscar dinheiro aonde? no Banco Central? fazem na hora é.....


CABO

28/11


2006

PT assimila retorno de Berzoini à presidência

A cúpula do PT passou a assimilar, nos últimos dias, o retorno do deputado Ricardo Berzoini (SP) à presidência do partido. Apesar de haver desconforto político de segmentos do PT com o suposto envolvimento de Berzoini no caso do dossiê, a Folha apurou que a maioria da Executiva Nacional considera que não há argumentos para impedir o retorno do petista, pois ele chegou ao posto por eleição direta.

Além disso, os petistas argumentam que a Polícia Federal não encontrou até o momento prova material da participação de Berzoini na tentativa de compra do dossiê contra políticos do PSDB por R$ 1,7 milhão. Berzoini era então coordenador da campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A decisão do Diretório Nacional do PT de realizar o 3º Congresso Nacional nos dias 6, 7 e 8 de 2007 aumentou as dificuldades de manter Berzoini afastado por mais seis meses. A expectativa, no PT, é que o relatório final da PF sobre a compra do dossiê será concluído até o final de dezembro e não responsabilizará Berzoini. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Junho 2021

28/11


2006

Bucci diz que sistema estatal não deve ser governista

O presidente da Radiobrás, Eugênio Bucci, defendeu nesta segunda-feira que os veículos de comunicação públicos sejam protegidos da ação partidária dos governos. Bucci, que pôs o cargo à disposição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou que existe no País uma confusão entre o que é estatal e o que é público e também há a falsa idéia de que um sistema de comunicação estatal tem de ser governista.

Há setores do PT que pressionam para que a Radiobrás tenha linha editorial mais afinada com os interesses do governo Lula. Ontem, o presidente da Radiobrás negou sofrer pressões do partido e disse ter entregue o cargo ao presidente num ato de formalidade. Sem querer dizer se gostaria de permanecer na função, Bucci afirmou que nunca foi favorável à recondução em cargos públicos.

''O sistema estatal não precisa ser governista - e não deve ser. Quando é governista, está incorrendo num desvio da sua finalidade'', disse Bucci, na solenidade de lançamento do I Fórum Nacional de TVs Públicas, no Rio. ''Estamos em busca do exercício republicano e ninguém tem autorização para partidarizar o que é estatal'', afirmou o presidente da Radiobrás.

Ao lado do ministro da Cultura, Gilberto Gil, Bucci defendeu que estatais de comunicação como a Radiobrás e instituições públicas como as TVs tenham diretrizes mais preocupadas com a área da cultura do que com a política partidária. As informações são do Portal G1.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

28/11


2006

Bastidores da política e do poder

 

        Uma festa de general na corte

 

A posse do presidente da CNI, Armando Monteiro Neto, hoje, em Brasília, vai dar muito que falar. Sem dúvida, será a festa mais concorrida de fim de ano na corte. Lula e todo o seu ministério estarão lá. Governadores, nem se fala! Uma penca, de atuais a eleitos. O Congresso também estará em peso, desde o seu presidente Renan Calheiros (PMDB-AL) ao parlamentar menos graduado.

 

O Judiciário, também se fará presente. E, de Pernambuco, uma comitiva especial já confirmou marcar presença no convescote. Reeleito no meio do ano, Armando adiou sua posse em razão das eleições. Na condição de candidato a mais um mandato na Câmara – saiu consagrado como o federal mais votado da bancada pernambucana – ficou impedido de reassumir a função, tendo passado o cargo para o primeiro-vice-presidente.

 

Com nome cotado para o Ministério de Lula, dificilmente Armando trocará a CNI por uma pasta qualquer. Na poderosa Confederação Nacional da Indústria, ele administra um orçamento maior do que muitos ministérios. Só teria sentido abrir mão desse privilégio se fosse para uma pasta como Infra-estrutura, tocada, hoje, pelo empresário Luiz Fernando Furlan.

 

Na CNI, Armando tem, ainda, interlocução privilegiada com o presidente da República, uma mídia fantástica e inserção na discussão dos principais assuntos da pauta nacional. Vai trocar isso por um Ministério da Integração Nacional esvaziado, por exemplo? Só se tivesse surtado!

 

Federal descartado – O governador eleito Eduardo Campos (PSB) está mais propenso a nomear um coronel da PM do que um delegado da Polícia Federal, para comandar a Secretaria de Defesa. O último que fez experiência com um militar foi Jarbas Vasconcelos, ainda no seu primeiro mandato. E não deu certo.

 

Sem chances – Sem mandato a partir do ano que vem, depois de ficar mais de 30 anos no Congresso, o deputado Osvaldo Coelho (PFL) torce o nariz quando ouve especulações de que poderia vir a ser o candidato a prefeito de Petrolina, em 2008, apoiado pelo prefeito Fernando Bezerra Coelho (PSB), seu sobrinho e adversário político. Mas, na verdade, Fernando pensa nessa hipótese como estratégia para reunificar o Grupo Coelho.

 

 

 

Mudança geral – Embora venha fazendo um bom trabalho, são mínimas as chances de o delegado Djalma Raposo continuar como chefe da Polícia Civil no Governo Eduardo Campos. Nessa área, a mais crucial e o grande desafio de Eduardo, ele já disse que quer fazer uma mudança radical.

 

Escapando do assédio – O governador eleito Eduardo Campos recebeu em sua casa a governadora reeleita do Rio Grande do Norte, Wilma de Faria (PSB). Trabalhando em casa, ele, estrategicamente, evita o contato diário com a Imprensa. Nesta fase, segundo ele avalia, quanto menos declarações, melhor. Será?

 

Estava num hotel Por falar no governador eleito, ele ficou parte do dia, ontem, incomunicável. O que se soube, depois, é que teria se reunido com a equipe de transição num hotel da cidade para se inteirar dos números já levantados sobre a situação financeira do Estado.

 

 

Tapas e beijos – Perguntado, ontem, em que pé se encontrava sua relação com o vice-governador eleito João Lyra Neto (PDT), escalado por Eduardo para chefiar a transição, o secretário de Planejamento, Cláudio Marinho, que coordena a transição por parte do Governo, saiu com essa pérola: “Convivemos entre tapas e beijos”.

 

Onze candidatos A sucessão de João Paulo, na Prefeitura do Recife, ainda será daqui a dois anos, mas ontem já surgiu outro candidato: José Múcio Monteiro, do PTB, lançado pelo deputado José Chaves, completando, assim, um time completo de onze. Veja os outros pré-candidatos: Cadoca (PMDB), Raul Henry (PMDB), Sérgio Guerra (PSDB), Mendonça Filho (PFL), Sílvio Costa Filho (PMN), Maurício Rands (PT), Humberto Costa (PT), João da Costa (PT), Carlos Wilson (PT) e Raul Jungmann (PPS).

 

Vapt-Vupt

 

* Na condição de líder do bloco de oposição de senadores do PMDB no Senado, Jarbas Vasconcelos só tende a ganhar. Fica na mídia e pode ser alçado, posteriormente, à condição de líder da oposição como um todo na Casa.

 

* Não tem sentido Jarbas aderir a Lula. Como ele pode reconstruir as forças da aliança no Estado em 2008 estando, no plano federal, alinhado a Eduardo Campos, Armando Monteiro e Humberto Costa?

 

* O prefeito de Caruaru, Tony Gel (PFL), disse que o município nunca enfrentou uma seca tão braba. Ele já está gastando boa parte das suas reservas com carros-pipas. A situação no Agreste em geral não é diferente.

 

* A frase do dia: “A oposição está fazendo tempestade em copo d’água”. (Deputado Augusto Coutinho, líder do PFL na AL, ao criticar, ontem, a postura da oposição frente ao pacote de medidas enviado à Casa pelo governador Mendonça Filho).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mariana

Esse rapaz PEDRO MOELA é o porta voz do governo de Afogados é ? Quem te viu , quem te ver...ah,ah,ah...

Pedro Araújo

Magno, não é somente o prefeito Tony Gel que está com o problema da seca, o Sertão do Pajeú, digo o Prefeito Totonho Valadares também está feito aqueles passarinhos novos, ainda no ninho, de bico aberto, a espera de ajuda para solucionar este caos, que todo ano vem, mais as soluções que é bom....