09/11


2006

Gil chora e quer ficar no cargo de ministro da Cultura

O ministro Gilberto Gil (Cultura) disse, ontem, que gostaria de permanecer no cargo no próximo governo, mas observou que essa é uma decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ministro se emocionou ao fazer um balanço do seu trabalho nos últimos quatro anos, durante cerimônia, no Palácio do Planalto, de entrega da Ordem do Mérito Cultural a personalidades do meio artístico.

''Emprestei meu corpo, minha voz e minha alma para estas realizações'', disse, aos gritos de ''fica, fica'' dos presentes. Após a solenidade, Gil admitiu que tem vontade de permanecer no cargo. ''Não há decisão a ser tomada. Cargo de ministro é do presidente da República. Gostaria de continuar ainda que possa não continuar'', disse.

Mais tarde, Gil disse que chorou no discurso porque é ''gente'' e se emociona com a vida, não porque se tratava de uma despedida.

O ministro pediu que ''não especulem'' sobre sua permanência no cargo. ''Esperem, sejam generosos com o tempo, com a história, sejam generosos com a vida, esperem que as coisas se decidam'', disse. ''Há apelos dentro de mim mesmo para ficar e para sair.''

Gil ressaltou que sua vida profissional não terá nenhum peso sobre sua decisão de ficar ou não no ministério. ''Não é a necessidade de voltar a fazer música que me preocupa. [Se decidir não permanecer] é mais para estar em casa com o meu silêncio'', afirmou. O ministro disse que nos últimos quatro anos fez apenas duas músicas. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

cristiano lins de amorim

Mariana,realmente voce não deve ser do meio artistico e cultural,por que caso fosse voce saberia que o atual MINISTRO DA CULTURA muito tem feito para o desenvolvimento cultural do nosso pais e olhe eu tambem gostaria que ele continiuase.

Mariana

Até agora me pergunto o que fez esse ministro mesmo pela cultura no Brasil?


Cabo 2021

08/11


2006

PF quebra sigilo de telefone de jornalistas da Folha de SP

A Polícia Federal tem em mãos o extrato de dois telefones – um celular e um fixo – utilizados por jornalistas da ''Folha de S.Paulo'', que estão entre os mais de 800 sigilos telefônicos quebrados, com autorização judicial. O telefone fixo fica no Comitê de Imprensa da Câmara dos Deputados. A assessoria de imprensa não soube informar se o celular é usado, de fato, por um jornalista do periódico paulistano. Por meio da assessoria de imprensa, a PF ressaltou que pediu a quebra de sigilo sem saber de quem eram os telefones. A PF garante que pediu a quebra do sigilo de todas as linhas com chamadas suspeitas feitas para o telefone de Gedimar Passos, ou para quem o próprio Gedimar ligou.

A área de inteligência da PF, que investiga a suposta compra do dossiê contra tucanos por petistas, achou necessário pedir a quebra dos sigilos desses dois números – a partir de 15 de setembro – por ter encontrado grande volume de ligações em horários muito diferentes para Gedimar Passos.

Passos trabalhava no extinto núcleo de inteligência da campanha à reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e foi preso no hotel Íbis, em São Paulo, com cerca de R$ 1,7 milhão. O dinheiro seria usado na tentativa de compra de um dossiê destinado a implicar políticos do PSDB com a máfia dos sanguessugas.

''Folha''

O diretor jurídico da ''Folha de S.Paulo'', Orlando Molina, classificou a quebra do sigilo telefônico de linhas do jornal em Brasília como ''um monitoramento abusivo'' do trabalho dos repórteres.

Segundo ele, a divulgação dos extratos das linhas ''é uma violação do direito de sigilo da fonte''. Molina disse que, nesta quinta (9), encaminhará uma petição à Justiça solicitando, com base na Lei de Imprensa e na Constituição, que os extratos dos telefones não sejam analisados.

Sindicato
Para o presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo, Guto Camargo, a obrigação profissional do jornalista é telefonar para as fontes, e o fato de haver muitas ligações para o telefone de Gedimar Passos não é suficiente para justificar a quebra do sigilo.
 
''A PF precisa deixar bem claro os motivos de sua ação, para que não pairem dúvidas'', afirmou.
Camargo disse não recriminar a ação da Polícia Federal, desde que seja legal. ''Se a investigação estiver dentro da legalidade, não deve ser condenada porque é papel da Polícia Federal investigar'', afirmou. Informações do Portal G1.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Tal como a policia de Hitler e Fidel o PT tenta intimidar a nossa brava imprensa. O PT quer levar o País a uma ditadura.



08/11


2006

Gerdau nega interesse em participar do governo Lula

O grupo Gerdau divulgou nota oficial há pouco negando que o presidente da companhia, Jorge Gerdau Johannpeter, esteja interessado em aceitar convites cargos públicos. A nota informa ainda que o empresário considera ser mais "construtiva" sua atuação no setor privado.

O comunicado responde a rumores divulgados na imprensa, desde a semana passada, de que o empresário teria sido sondado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para comandar um ministério no segundo mandato. Essa hipótese é destaque de uma reportagem da edição de hoje do jornal "Folha de S. Paulo".

Abaixo a íntegra da nota:

"Jorge Gerdau Johannpeter, presidente do Grupo Gerdau, esclarece que não está em seus planos profissionais ou pessoais a aceitação de convites para compor cargos públicos.

Além disso, Jorge Gerdau Johannpeter entende que a sua contribuição para o Brasil pode ser mais construtiva por meio da participação em iniciativas e movimentos empresariais, que buscam soluções para os principais desafios do País". Informações do Valor Econômico.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca 2021

08/11


2006

Eduardo faz trabalho prévio para viabilizar governo

O governador eleito de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), tem demonstrado uma forte disposição para trabalhar, mesmo sem ter ainda tomado posse. Já esteve com Lula, amanhã estará no Rio tratando de refinaria na Petrobras e, no domingo, embarca para Caracas, na comitiva de Lula, com a missão de discutir com o presidente venezuelano a manutenção da parceria com vistas ao projeto da refinaria.

De olho no orçamento da União, que já está fechado, mas precisa de uma forte ação política para o seu descontigenciamento, Eduardo definiu, há pouco, que, na próxima terça-feira, terá o seu primeiro encontro com a bancada federal. Quer uma conversa ampla com os 25 representantes de Pernambuco, sobre a fatia que o Estado tem reservado no bolo da União.

Em início de mandato, todos os governadores costumam agir assim. Em 1991, Joaquim Francisco, que saiu de uma disputa radicalizada com Jarbas Vasconcelos, tomou iniciativa semelhante, reunindo aliados e adversários num encontro histórico em Brasília. Arraes seguiu o seu exemplo, em 95, e Jarbas fez o mesmo, em 1999.

Sem garantir a liberação dos recursos alocados no Orçamento da União - o que se transforma numa verdadeira batalha entre os Estados e o Governo Federal - Eduardo terá muitas dificuldades de cumprir as promessas que fez ao longo da campanha, pois ficará dependendo de poupança interna, hoje bastante fragilizada.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mariana

Ele é especialista em marketing kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Eduardo está fazendo o que tem de fazer. Pernambuco não pode perder tempo. A campanha já passou os palanques foram desarmados e agora a meta é construirmos um desenvolvimento sustentável e duradouro para este estado.



08/11


2006

Deputado diz que Humberto convenceu CPI

O deputado Sílvio Costa, que acompanhou hoje, em Brasília o depoimento do ex-ministro Humberto Costa à CPI das sanguesssugas, está no debate da Melodia FM. Ele diz que Humberto Costa convenceu aos integrantes da CPI, pelo bom desempenho  ao responder às perguntas que lhe foram feitas. Entrevistado por Magno Martins, Sílvio Costa rechaça as declarações feitas pelo deputado Fernando Gabeira, de que houve contradições no depoimento, argumentando que Gabeira não pode ver um holofote. Ele acusou o deputado carioca de fazer mais de trinta perguntas repetitivas. Ouçam o depoimento de Silvio Costa, é importante.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Ana B. Holanda

Jungman realmente. neste Pernambuco não pode confiar. ,,,,

Ana B. Holanda

E Raul Jungman , vice-presidente da CPI da Sanguessuga já foi parar nos jornais dizendo que o depoimento de Humberto Costa, ontem, foi muito bom. Como é que pode. O cara é incoerente mesmo. Durante a campanha de Mendonça Filho foi para o Guia (TV) lembrando o caso da Màfia dos Vampiros. Jungman heim

Mariana

Humberto inocente ? é piada né? gastou 5 milhoes de reais declarados na campanha dele, no primeiro turno, DECLARADOS kkkkkkkkkkkkkk

José Rodrigues da Silva

Atingir o blogueiro? Admiro e dele sou amigo, fala sério então você!

milton tenorio pinto junior

José,Silvio não tem essa importância toda,concordo com você.agora não precisa atingir o Blogueiro,ele colocou o que foi dito na entrevista,eu ouvi.


Petrolina 2021

08/11


2006

Lula recebe Jáder "com a barriga no balcão"

Lula manteve nesta quarta a barriga encostada no balcão da fisiologia. Recebeu no Planalto o deputado Jader ‘Sudam’ Barbalho (PMDB-PA). Ao deixar o gabinete presidencial, Jader esquivou-se de dar entrevistas. Na Câmara, porém, o líder do PMDB, deputado Wilson Santiago (PB), não rendeu homenagens ao silêncio. Disse abertamente que o PMDB “merece e muito” ampliar a sua participação no primeiro escalão de re-Lula.

Dono de três ministérios –Comunicações, Minas e Energia e Saúde—o PMDB reivindica nos bastidores oito pastas. Sabe que a pedida é alta demais. Se levar seis, já se dará por satisfeito. O diabo é que, para que o PMDB cresça, o PT precisa diminuir.

 

O próprio Lula sinalizou em público algo que vinha dizendo entre quatro paredes. Insinuou que seu partido não tem do que se queixar. O PT, disse ele, "já tem uma boa representação no governo." Referia-se ao cargo de presidente da República, não aos ministérios.

 

Na mesma entrevista, Lula insinuou que o atual ministro da Educação, Fernando Haddad, deve ser mantido no cargo. De resto, disse: "O governo será composto de uma forma diferente, não vamos fazer partilha, salada de fruta, quero construir alianças com partidos políticos, quero discutir com seriedade, o que importa são as políticas públicas que o governo vai colocar em prática."

 

Como já foi realçado aqui no blog, não há na movimentação de Lula nenhuma indicação de que a equipe ministerial do segundo mandato será composta “de uma forma diferente”. O presidente recorre ao velho método da fisiologia. E, a julgar pela escolha dos negociadores, não fará a sua salada com as melhores frutas. É improvável que consiga pescar nos quadros dos partidos que deseja reunir em "coalizão" um time de super-heróis.

 

Jader Barbalho, o interlocutor desta quarta, protagonizou um dos maiores escândalos da era FHC. Recomenda-se a Lula que peça à Receita Federal o resultado das fiscalizações feitas nas pegadas do noticiário da época. Renderam multas que somam R$ 30 milhões.

 

Lavraram-se vários autos de infração. Referem-se ao período de 1997 a 2001. Dono de um império regional de comunicação e de negócios agrícolas, Jader foi alcançado na pessoa física e nas jurídicas. O neo-aliado do PT recorre contra as autuações. Informações do blog do Josias.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Paulin de Caruaru.

Cadê o pessoal que crtitica ACM, Roberto Freire,Jarbas etc? Nem uma notinha sobre esse relacionamento?

roberto lima

Essas "tratativas" causam-me nojo. Somos tratados como idiotas, quando nos forçam a acreditar que se trata de "governabilidade". Será que Mr. Bush tambem escolhe seus ministros assim? Claro que não .


Serra Talhada 2021

08/11


2006

Debate Político na Melodia começa daqui a pouco

Já estou nos estúdios da Rádio Melodia 106.9 FM, no Recife, na Agamenon Magalhães. Daqui a pouco, passo a apresentar o Debate Político, que vai ao ar das 18 às 19 horas, de segunda-feira à sexta-feira. Se você está em outro Estado, no Interior ou em qualquer parte do mundo, acesse o banner da Melodia aí ao lado e passe a ouvir o nosso programa. Enquanto comando o Debate Político, minha equipe de plantão passa a atualizar o blog. Fique ligado no blog e no programa ao mesmo tempo! Para ligar, os telefones são os seguintes: 81. 3221.0270, 3231.2166 e 3207.1069 ( opção 8).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Anuncie Aqui - Blog do Magno

08/11


2006

A carta debochada de Danusa Leão à primeira-dama

"Carta a d. Marisa

 D .MARISA, a senhora deve estar muito feliz; seu marido ganhou as eleições, e será presidente por mais quatro anos. Parabéns.

Imagino que quando foi eleito pela primeira vez, deve ter sido difícil para a senhora; seria para qualquer mulher. Se habituar a uma nova vida, ter que fazer coisas em que nunca pensou; por outro lado, não poder fazer um monte de coisas às quais estava habituada, ter que obedecer ao protocolo, andar cercada de seguranças, não poder entrar num shopping - a senhora deve ser louca por um shopping, não ? - e tendo que ter uma vida privada, quase secreta, já que a imprensa está sempre de olho.

De olho para falar da cor do esmalte de suas unhas, do penteado, do botox que botou - ou não - e, correndo sempre o risco de alguém de sua intimidade ser indiscreta e contar o que a senhora come no café da manhã, se faz dieta, se fuma, enfim, todas essas coisas que qualquer mulher tem liberdade para fazer, menos a primeira-dama. Devem ter sido quatro anos difíceis , mas já passaram.

Agora a senhora tem mais quatro anos pela frente; quais são os seus planos? Não seria hora de fazer alguma coisa além de ficar sentada naquela cadeira, nas cerimônias oficiais, enquanto seu marido discursa? Ah, d. Marisa, esse país é cheio de problemas, e a senhora poderia ajudar em alguma coisa. Já existe o Bolsa Família e o Fome Zero, mas ainda há muita coisa a ser feita. Não digo que a senhora seja a mulher mais poderosa do país, mas é casada com o homem mais poderoso, por isso pode decidir fazer o que quiser, e terá toda a ajuda de que precisar.

Ajuda financeira, e ajuda de centenas de mulheres que adorariam colaborar com qualquer coisa que a senhora inventasse fazer. Capacidade a senhora tem: não me esqueço de um programa de televisão onde a vi fazendo sanduíches para vender nas assembléias de metalúrgicos, anos antes de sonhar aonde iria chegar. Esse tipo de coisa a senhora não precisa mais fazer, mas existem outras coisas que não seriam nenhum sacrifício, e que poderiam fazê-la até muito feliz por estar ajudando o governo de seu marido.

Porque botar uma camiseta, sorrir e aplaudir, convenhamos, é muito pouco. Fazer o quê ? Não falta quem lhe diga. Seu marido tem um monte de assessores, todos prontos para ter 50 idéias geniais para que a senhora faça alguma coisa para melhorar a vida de quem precisa. A senhora é forte, decidida, e não tem sentido passar mais quatro anos trocando de terninho para acompanhar o presidente nas viagens, sorrindo para os fotógrafos, não dizer nada sobre assunto algum, e não fazer rigorosamente nada. Não que a senhora tenha obrigação, mas seria bacana termos uma primeira-dama engajada em algum projeto social, fosse ele qual fosse.

Mas se a senhora quiser continuar a viver a vidinha que vive há quatro anos, poderia pelo menos - pela imagem, d. Marisa, pela imagem - visitar às vezes um hospital público (sem avisar, para ver a fila na porta), uma creche, uma escola, para mostrar que se interessa pelos mais necessitados, e que seus próximos quatro anos não serão mais apenas umas férias passadas entre o Alvorada e a Granja do Torto, além de viagens pelo mundo em seu luxuoso jatinho. Pense nisso, d. Marisa. 

Pegaria muito bem."


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mariana

De todos os comentaristas, tem que sempre quer aparecer como intelectual, granfino, acima do bem e do mal, que é esse Guilherme. Que figurinha asquerosa!

milton tenorio pinto junior

Se a critica partisse de outra pessoa,mas francamente,dessa porra louca,não da para levar a sério.Essa é mais uma provocação com sucesso do nosso Blogueiro.

Francisco Filho

QUE INJUSTIÇA!!! DONA MARISA LETICIA DÁ MUITAS CONTRIÇÕES. UM TANTO TIMIDAS, MAS CONTRIBUI, SE NÃO VEJAMOS: QUEM MANDOU COLOCAR UMA ESTRELA NO JSRDINS DO PALÁCIO? QUEM VEZ POR OUTRA, APARECE COM UM LINDO MAIÔ COM UMA ESTRELA DESENHADA NA NÃO MENOS LINDA BARRIGA? ISSO ENOBRECE O STATUS DE 1ª DAMA.

guilherme alves

Quanta bobagem escrita. Estamos, de fato, ficando sem opção de leituras inteligentes.

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Votei no Lula mas nunca simpatizei com dona Mariza. Considero-a uma ex-dona da casa (esposa de ex-operário) deslumbrada demais com o poder e preocupada de menos com ações sociais que se não lhe competem poderiam pelo menos ser tentadas no sentido de melhor orientar seu esposo no ofício de governar.


Jornao O Poder

08/11


2006

Ministro diz que recebeu pedidos "não republicanos"

No rápido depoimento dado à CPI dos Sanguessugas nesta quarta-feira (8), o ex-ministro da Saúde Saraiva Felipe disse que chegou a receber pedidos ''não-republicanos'' de parlamentares no período em que comandou a pasta, entre julho de 2005 e março de 2006. ''Recebi alguns pedidos inviáveis, às pencas, até não-republicanos. Mas não deixaria que, nesses nove meses, eu fraquejasse com essa pressão'''', disse.

Um desses pedidos ''não-republicanos'', segundo ele, foi a pressão para indicar um diretor financeiro do ministério. ''Isso não é possível. Por que o diretor financeiro? Por que não quer a diretoria técnica?'', disse, sem revelar o nome do parlamentar que o pressionou por esse cargo.

O ex-ministro, reeleito deputado federal pelo PMDB mineiro, contou que era normal a cobrança de muitos parlamentares sobre a liberação de emendas, inclusive apelos do senador Ney Suassuna (PMDB-PB). Segundo ele, Suassuna reclamou que ''nada'' era liberado. ''Eu disse que a área técnica não podia liberar'', disse. Suassuna sofre processo no Conselho de Ética do Senado por conta da acusação de envolvimento com a máfia dos sanguessugas.

Saraiva Felipe, aliás, disse desconhecer a tentativa de Suassuna de transferir uma emenda de R$ 1,6 milhão destinada à Paraíba para um instituto do Rio de Janeiro ligado à Planam, empresa que comandou o esquema. ''Isso deve ter parado no secretário-executivo porque a baldeação de emendas não é permitida'', afirmou.

O ex-ministro disse ainda não ter qualquer vínculo com Maria da Penha Lino, ex-funcionária do ministério acusada de ser a ponte da máfia dos sanguessugas dentro da pasta. ''Foi uma indicação do líder do PMDB na Câmara, Wilson Santiago (PB), chancelada pelo deputado José Divino (sem partido-RJ), com apoio de boa parte da bancada'', disse.

Ao final do depoimento, o relator da CPI, senador Amir Lando (PMDB-RO), disse que não há nada que comprometa a gestão de Felipe no ministério. ''Não tive, em nenhum momento, informação que imputasse contra vossa excelência alguma responsabilidade''.

Fracasso de público
Foi um fracasso de público o depoimento de Felipe. Apenas cinco dos 32 integrantes da CPI apareceram. O esvaziamento da sessão reforça o clima de desânimo que começa a tomar conta da comissão. O primeiro sinal foi dado antes do depoimento de Felipe. Poucos parlamentares compareceram ao
depoimento de Humberto Costa, ministro do governo Lula entre janeiro de 2003 e julho de 2006.

Dos que estiveram presentes, a maioria era da base aliada, preparada para prestigiar Costa. A oposição, que tanto brigou para levar o ex-ministro à CPI, preferiu não aparecer. Dos 12 integrantes do PSDB na CPI, por exemplo, nove faltaram - marcaram presença os tucanos Mendes Thame (PSDB-SP), Antônio Carlos Pannunzio (PSDB-SP) e Júlio Redecker (PSDB-RS). E dos 10 do PFL, apenas um compareceu, o senador Romeu Tuma (PFL-SP).

Na terça-feira (7), depôs Barjas Negri, que foi ministro da Saúde em 2002, durante o governo FHC. A CPI também convidou o ex-ministro José Serra, eleito governador de São Paulo pelo PSDB. Serra, no entanto, avisou que não deve comparecer.

A expectativa é que a CPI possa recuperar o gás nos depoimentos dos envolvidos com a compra do dossiê da máfia dos sanguessugas contra políticos do PSDB. A CPI já convocou, por exemplo, Valdebran Padilha, Gedimar Passos e Jorge Lorenzetti, todos acusados de participar da compra do dossiê. Os depoimentos dos três estava marcado para semana passada, mas foram adiados. A CPI espera ouvi-los ainda este mês. Até porque tem pressa para concluir o relatório final, que terá que ser apresentado em dezembro, quando termina a própria CPI. Informações do Portal G1.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mariana

É igual aqui no Brasil essa história de esquerda e direita para mim é sinal de trânsito isso não existe!

Francisco Filho

ESSA HISTORIA DE REPUBLICANO E NÃO-REPUBLICANO ESTÁ ENCENDO O SACO DO BRASILEIRO. É PURA FALÁCIA E SAFADEZA DA PIOR QUALIDADE.

guilherme alves

Só falta marcar a missa de sétimo dia da CPI. Já morreu faz tempo, inclusive com membros mentindo, - não dar para acreditar.

Raimundo Eleno dos Santos

Se não republicanos, seriam monárquicos?


Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

08/11


2006

Lula não fala mais em crescimento de 5%

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que "não tem meta" de crescimento para o país. Ao contrário do que anunciou na campanha eleitoral --de que no próximo ano o país iria crescer no mínimo 5% sob o seu comando--, o presidente evitou hoje citar números.

"Não tenho [meta]. Tenho o compromisso de fazer a economia crescer e vou fazê-la", disse em entrevista, após participar de um evento, em Brasília.

A decisão do governo de atingir os 5% de crescimento em 2007 foi reiterada várias vezes por ministros políticos e da equipe econômica durante a campanha eleitoral.

O presidente disse que "trabalha todo santo dia" com os ministros para garantir os investimentos em infra-estrutura que permitam o crescimento do país. E minimizou o baixo crescimento industrial registrado pelo IBGE no terceiro trimestre. Os dados da indústria foram divulgados ontem.

"Eu não estou preocupado com isso. Os números são de setembro e se você verificar, a indústria automobilística já recuperou 10% do que cresceu em agosto. A gente não pode ficar assustado porque num mês cresceu menos e no outro cresceu mais. Estou convencido de que as coisas estão preparadas para crescer mais do que estamos habituados", disse.

Lula afirmou que até o final do ano pretende anunciar uma série de investimentos em infra-estrutura, para isso trabalha para "destravar tudo o que pode dificultar os investimentos".

"Quero ver se anunciou medidas antes da posse. Estou me reunindo com os ministro para a gente ver a questão da infra-estrutura, onde estão as dificuldades, os problemas de licenciamento prévio, de recursos porque quero anunciar as medidas ainda neste mês", disse.  Informações da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mariana

ELE VAI ENRROLAR POR MAIS 4 ANOS

Mirtes Oliveira

Quanta perda de tempo acreditar no que Lula diz...

Raimundo Eleno dos Santos

Para crescer com segurança, temos que ter sustentação.Não é crescer de qualquer jeito. Lula está reticente, com razão. Vamos esperar para ver. Eu creio que vai crescer mais do que 5%.

roberto lima

Essa conversa fiada de crescimento a qualquer custo é coisa dos "tubarões". ex: crescimento do setor bancario = + maquinas nos bancos. Crescimento agricola pode significar mais soja irrigada com controle remoto. Crescimento da industria automobilistica = mais robos. Só bobo caí nessa.