05/11


2006

Aéreas querem indenização de R$ 40 milhões

 Em meio à briga entre o Ministério da Defesa e o Comando da FAB, as empresas aéreas decidiram cobrar do governo uma indenização de R$ 40 milhões por conta da operação padrão dos controladores de vôo, que acabaram provocando o caos na aviação brasileira. O cancelamento de diversos vôos nos últimos dias acabou gerando prejuízos para as companhias, que entendem que o problema foi provocado pelo governo. Este é o destaque deste domingo do jornal Folha de S.Paulo. E neste domingo é que teremos uma verdadeira dimensão se as últimas medidas tomadas pela FAB acabaram defnitivamente com a  crise no setor. Está prevista para hoje a volta dos passageiros para suas casas, depois de passarem o feriado prolongado em outros estados.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo 2021

05/11


2006

Governadores do PMDB marcam reunião em SC

Os sete governadores eleitos pelo PMDB organizam um encontro para discutir a proposta de coalizão feita por Lula. Será uma reunião de quatro dias, entre 16 e 19 de novembro, em Florianópolis (SC). O presidente do partido, deputado Michel Temer (SP), também estará presente.

 

O anfitrião Luiz Henrique da Silveira, governador reeleito de Santa Catarina, diz que o objetivo da reunião é “unificar” a posição dos governadores. Trabalha-se com a perspectiva de que eles terão um peso decisivo nas negociações que serão estabelecidas entre o PMDB e governo Lula.

 

O PMDB foi o partido que mais conquistou governos estaduais nas eleições deste ano. Dos sete eleitos, cinco apóiam abertamente Lula: Roberto Requião (Paraná), Sérgio Cabral (Rio de Janeiro), Paulo Hartung (Espírito Santo), Marcelo Miranda (Tocantins) e Eduardo Braga (Amazonas).

 

As duas exceções são o próprio Luiz Henrique e André Putinelli (Mato Grosso do Sul). Os dois apoiaram o presidenciável derrotado Geraldo Alckmin. Embora ambos tenham dificuldades de convivência com o PT de seus respectivos Estados, estão dispostos a compor com Lula, desde que o apoio ao governo resulte na reunificação do PMDB. Hoje, o partido está cindido em dois grupos –um governista e outro oposicionista. ( Blog do Josias de Souza )


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/11


2006

Lula dá ultimato a Chávez sobre a refinaria

Do blog de Josias de Souza:

"Em público, Lula diz que quer estabelecer “relação privilegiada” com os EUA no segundo mandato. Em privado, ele organiza sua primeira viagem internacional como presidente reeleito. Vai ao encontro de Hugo Chávez, presidente da Venezuela e inimigo número um de George Bush na América Latina.

 

Lula voa para Caracas no próximo domingo, 12 de novembro. Encontra-se com Chávez no dia seguinte. Um dos principais temas da pauta será o acerto dos detalhes da parceria entre a Petrobras e a PDVSA, estatal petrolífera venezuelana, para a construção de uma refinaria em Pernambuco.

 

Na semana passada, em entrevista a três jornais europeus –o italiano La Repubblica, o espanhol El Pais e o francês Le Figaro—, Lula dissera que um de seus objetivos na área externa é o estreitamento de relações com os EUA. Fez questão de diferenciar-se do companheiro Chávez:

 

''A relação da Venezuela com os EUA não é a do Brasil. Cada presidente governa em função da cultura política de seu país. Quando se trata de política externa na América do Sul, pensamos igual, mas quando se trata de relações estratégicas, ele (Chávez) pode pensar uma coisa e eu outra”.

 

Àquela altura, o Itamaraty já arregaçara as mangas para preparar a viagem de Lula à Venezuela. O presidente levará consigo Eduardo Campos (PSB), governador eleito de Pernambuco. Os dois almoçaram juntos na última terça-feira. Lula disse ao amigo que deseja ajudá-lo a fazer “um grande governo.” Parte da ajuda é a construção da refinaria binacional, uma das obras que o tucano Geraldo Alckmin chamou de “virtual” durante a campanha.

 

A refinaria é freqüentemente citada por Lula como uma das grandes obras de seu governo. Será erguida em Ipojuca, a 57 km de Recife, onde se localiza o Porto de Suape. Por ora, há no local apenas uma pedra fundamental, “inaugurada” por Lula e Chávez, em dezembro de 2005, numa solenidade que teve gosto de comício.

 

Lula era à época pré-candidato. Observado por Chávez, ele discursou para uma claque arregimentada pelo PT e pelo PSB de Pernambuco. Alvejado pelo escândalo do mensalão, fez críticas à imprensa. Comparou a mídia brasileira à venezuelana, ácida com Chávez. ''Estamos vivendo no Brasil algo semelhante”, disse Lula. “Estamos vivendo um momento em que as pessoas não têm preocupação de saber se é verdade ou não a denúncia.''

 

No novo encontro com Chávez, Lula deseja detalhar o plano de investimentos da refinaria. Vai custar US$ 2,5 bilhões –metade sairá dos cofres da Petrobras; a outra metade será provida pela PDVSA. A idéia é iniciar as obras no final de 2007 e concluí-la em 2011. Ocupará uma área de 620 hectares, dos quais só 420 já estão assegurados. Os outros 200 virão da desapropriação de uma usina chamada Salgado".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio pinto junior

Dois MANÉS derrotados.Da uma pena!!!!!!!!!!!!

Drácula

O ULTIMATO DE LULA PARA CHAVES: "Ô COMPANHEIRO, SE VC NÃO CONSTRUIR A REFINARIA COMIGO.... EU NÃO DEIXO MAIS VC FICAR MANDANDO NO EVO MORALES.... E NÃO DOU A PETROBOLÍVIA PARA ELE ....

Mariana

Lula compeende ambos são farinha do mesmo saco, são amigos de copo, tomam uma juntos e esquecem tudo, passam a borracha, afinal Hugo veio aqui em Pernambuco ajudar o amigo a representar muito bem no período eleitoral kkkkkkkkkkkkkkkk


Banner Jaboatao 2021

05/11


2006

Reaberta a conexão do mensalão com Portugal

O célebre juiz espanhol Baltazar Garzón pode trazer novidades à pista levantada, em 2005, pelo então deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) sobre o mensalão no governo Lula: o juiz investiga lavagem de dinheiro e fraude fiscal do banco português Espírito Santo, na Espanha e Portugal. Jefferson disse que o BES e a Portugal Telecom se envolveram na compra de deputados. Portugal investigará uma off-shore na ilha da Madeira. A informação está na manchete da coluna de Cláudio Humberto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mariana

Grande coisa não vai dar em nada



05/11


2006

Lula intervém para acabar crise na área militar

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva interveio, ontem, para estancar a crise entre a Força Aérea e o Ministério da Defesa, agravada pela decisão do ministro Waldir Pires de se reunir na quinta-feira com os dirigentes do Sindicato dos Controladores de Vôo civis e anunciar a possibilidade de uma gratificação salarial de até 40%.

Horas antes, o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Luiz Carlos Bueno, que faz campanha para permanecer no posto no segundo mandato de Lula, havia convocado todos os controladores, aquartelando-os nas torres de controle do Aeroporto de Brasília e ameaçando-os com a lei marcial. Se a estratégia da linha-dura falhar, o brigadeiro pode deixar o cargo.

Da Bahia, onde descansa, Lula determinou à ministra Dilma Rousseff, da Casa Civil, que conversasse com Pires e com Bueno, chamando-os a acabar com as rusgas que podem provocar uma crise militar. Bueno tem acusado Pires de incentivar a anarquia e abrir precedentes na Força Aérea, porque a atitude de oferecer aumento para controladores de vôo e de negociar com sargentos pode romper a hierarquia militar.

Nas conversas com a ministra, Pires disse que não pretende anarquizar os meios militares, e só está preocupado em resolver os problemas dos aeroportos. O brigadeiro afirmou que, embora "magoado, triste, chateado e abatido", deve lealdade ao presidente Lula. Bueno teme perder, com a crise dos aeroportos, a simpatia de Lula e o cargo de comandante da Aeronáutica no segundo mandato.

Depois de conversarem com Dilma, Pires e Bueno falaram sobre as expectativas para domingo e segunda-feira, quando milhares de passageiros retornam do feriado e o caos pode voltar aos aeroportos.

Os dois concordaram que o sucesso das providências tomadas por Bueno - como convocar todos os controladores militares de Brasília para trabalhar - será importante para o futuro das relações entre a defesa e a FAB. Pires é a favor do diálogo; Bueno, de uma atitude mais drástica, alegando que tomou a decisão de aquartelar os controladores porque se viu isolado diante do tumulto nos aeroportos.

Dilma convocou uma reunião para terça-feira. A princípio, devem participar ela, Pires, o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, e representantes do Sindicato dos Controladores de Vôo. Bueno pediu que a Aeronáutica fosse incluída. Segundo fontes da Aeronáutica, ele acha que não faz sentido uma reunião dessas sem a participação da FAB, à qual pertencem 80% dos controladores de vôo. As informações são da Agência Estado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Drácula

DE LULA PARA WALDOR PIRES: "Ô COMPANHEIRO... EU NOMEEI VC PARA A DEFESA... E NÃO PARA O ATAQUE...PÁRA DE CRIAR CASO COM OS DE FARDINHA VIU?"


Petrolina 2021

05/11


2006

Imagem de "coitadinho" criada pelo povo ajudou Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve sua reeleição ao fato de ter virado, no imaginário do eleitorado mais pobre, uma figura dupla: um ''fortão'' igualmente humilde que virou poderoso e ao mesmo tempo uma vítima, um ''fraquinho'' sob ataque das elites.

Essa é uma das explicações usadas pelo publicitário João Cerqueira de Santana Filho para o sucesso da empreitada que acompanhou de perto nos últimos meses.

Mais cerebral e dado a reflexões quase acadêmicas (cultiva uma biblioteca com mais de 3.000 livros) e muito menos mercurial que seu antecessor, Duda Mendonça, o marqueteiro atual de Lula desenvolveu uma análise própria sobre o caso de amor do eleitorado com o presidente: a teoria do ''fortão'' e do ''fraquinho'' ele usa termos mais eloqüentes, mas criou esses enquanto falava à Folha ''para ficar mais publicável''.

Lula alternaria esses dois papéis no imaginário do brasileiro das classes mais pobres. Depois que se elegeu presidente em 2002, o petista passou a ser uma projeção de sucesso para as camadas C e D da população. ''É um deles. Chegou lá'', diz Santana. Nesse momento, a personagem é o ''fortão'', que ''rompeu todas as barreiras sociais e conseguiu o impossível, tornando-se um poderoso''.

Já quando ''Lula é atacado, o povão pensa que é um ato das elites para derrubar o homem do povo que está lá. ''Só porque ele é pobre'', pensam. Nesse caso, vira o bom e frágil ''fraquinho'' que precisa ser amparado e protegido'', elabora Santana.

O marqueteiro não criou essa teoria do nada. Durante 77 dias sucessivos foi alimentado por pesquisas. A cada 24 horas, o instituto Vox Populi entrevistava 700 eleitores para a campanha do PT em todo o país. Ao mesmo tempo, também diariamente, oito grupos de 12 pessoas eram entrevistados por cerca de uma hora e meia por especialistas as chamadas pesquisas qualitativas. As ''qualis'' eram transmitidas em vídeo, ao vivo, pela internet por meio de uma conexão segura para o microcomputador de Santana. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

04/11


2006

Humberto Costa recebeu R$ 5,3 milhões em doações

 Derrotado nas urnas no primeiro turno das eleições para governador de Pernambuco, o ex-ministro da Saúde Humberto Costa declarou ao Tribunal Superior Eleitoral ter recebido R$ 5.323.404,50 em doações.

A maior parte dos recursos veio do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) R$ 3.656.000,00. Humberto Costa também recebeu uma ajudinha direta do Comitê de Campanha da reeleição do Presidente Lula, que doou ao candidato petista pernambucano através dos escritórios de São Paulo e Brasília a quantia de R$  242.212,50.

Humberto Costa também declarou que recebeu ajuda financeira do comitê de campanha do presidente (PT -DF) no valor de R$ 650.000,00

De empresas privadas, Costa recebeu grandes somas em dinheiro das empresas Engeman - Manutenção de Equipamentos Com. e Ind. (R$ 100.000,00) e da Transportadora Cometa S/A (R$ 160.000,00), pagas em três parcelas.

O restante das doações foram de pessoas físicas em valores baixos.

Os demais candidatos à governador por Pernambuco, que passaram para o segundo turno - Eduardo Campos e José e Mendonça Filho - ainda não apresentaram as informações sobre suas contas de campanha, ao Tribunal Superior Eleitoral.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Drácula

PINTO JUNIOR VAI LEVAR UMA GRANINHA QUE SOBROU DA CAMPANHA DO VAMPIROLA...HAHAHAHAHAHAHA... É PAGO PARA FICAR AQUI DANDO PLANTÃO....PARA A VAMPIRADA... QUE AGORA FICOU À REBOQUE DO DUDU......HAHAHAHAHA...VAI TODO MUNDO VRAR ASSESSOR DO DUDU....HAHAHAHAHAHAHA

milton tenorio pinto junior

A choradeira dos derrotados.KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!!!!!

Drácula

SUJEITO COM O NOME DESSE TAMANHO...PARA NO FIM SER APENAS "PINTO JÚNIOR"...... DEVE SER FRANGO....HAHAHAHAHAHAHA

Será que esse Milton é o Milton Sacolinha? Estou começando a desconfiar.

milton tenorio pinto junior

êita! Que esse pessoal ainda não aprendeu com as derrotas. Esse Blog está aparecendo assombração como nunca. Eduardo Governador,Lula Presidente.KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!


Anuncie Aqui - Blog do Magno

04/11


2006

Petrobras assume sozinha a refinaria em Pernambuco

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, nunca foi um parceiro confiável. Fui o primeiro jornalista a desconfiar que, com ele junto, a refinaria em Pernambuco não sairia do papel. Ele esteve aqui, prestou uma homenagem ao general Abreu e Lima, batizando a refinaria com o seu nome, mas foi tudo encenação. Pernambuco caiu no conto do vigário. Uma prova? Veja abaixo esta nota de Veja, na coluna Holofote, assinada pelo jornalista Felipe Patury:

"A Petrobras , dirigida por José Sérgio Gabrielli, tirará do papel a refinaria de Pernambuco no segundo mandato do presidente Lula. Quer fazer a obra sem a participação da venezuelana PDVSA, embora as duas estatais tenham assinado um protocolo de intenções para se associar no projeto.

Os técnicos da Petrobras consideram que a sociedade é desnecessária porque a empresa brasileira já é dona do mercado consumidor e do petróleo a ser refinado e tem dinheiro suficiente para tocar o projeto sozinha".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mariana

PINTO JÚNIOR, SÓ TEM TITICA DE GALINHA NA CABEÇA, LIGA NÃO !!!

milton tenorio pinto junior

A choradeira dos derrotados.KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!!!!!!

Muda o disco MIltom Pinto Curto!

Normando Leite Cavalcante

Magno, esse Chaves, é mais um do "companheiros" de Lula que, a exemplo dos aloprados, só o puxam para o atoleiro. Isso é um mala sem alça!!!

milton tenorio pinto junior

Eduardo Governador,Lula de novo.Não adianta a choradeira.Já foi papai!!!!!!!!!!!!


Jornao O Poder

04/11


2006

Recomposição partidária: meios e fins

O dia 15 de fevereiro de 2007 poderá se converter em uma data histórica. É o início dos trabalhos parlamentares. Daqui até lá, presidente da República e governadores, lideranças da situação e da oposição estarão discutindo para apresentar uma pauta de votação que sedimente o entendimento nacional.

A rigor, essa história de reformas tem sido historicamente utilizada como um álibi para a não-ação. Fernando Henrique Cardoso passou oito anos aguardando reformas; Lula mais quatro. Poderiam ter governado tranquilamente, conduzido a economia rumo ao desenvolvimento sem a necessidade de reformas ou qualquer bricabraque constitucional.

No campo político, no entanto, há a necessidade de reformas. Chegou ao fim o bipartidarismo de fato, implantado a partir de 1995. Esse modelo caracterizava-se por dois partidos com vocação de poder – PSDB e PT --, dois grandes partidos caudatários – PFL e PDMB --, partidos menores que se aliavam aos grandes.

Ocorre que a crise de identidade implodiu de forma ampla PSDB e PT. O PSDB jamais irá conseguir apresentar-se como alternativa de política econômica, porque sua imagem estará indelevelmente ligada à de Fernando Henrique Cardoso. E o índice de rejeição de FHC é descomunal, fora e dentro do partido.

Por seu lado, o PT não existe mais, a não ser como uma agremiação que congrega interesses específicos de grupos. O partido jamais chegou a ter um projeto de governo. Os sucessivos escândalos ocorridos na gestão Lula arrebentaram de vez com sua identidade.

Essas indefinições amplas impedem a montagem de qualquer alternativa clara de política econômica. É só analisar o que ocorre no governo, com Tarso Genro e Dilma Rousseff tentando empunhar a bandeira desenvolvimentista, e Lula refluindo ao velho modelo fernandista-lulista, de jogar todas as idéias para baixo do mesmo guarda-chuva, e amalgamá-las impedindo o florescimento de pensamentos alternativos.

Para a recomposição partidária brasileira, o caminho correto seria o da reestruturação partidária. Mas esse passo demanda algumas mudanças legais. Hoje em dia, se o parlamentar mudar de partido, não levará consigo o tempo de horário gratuito eleitoral. Em circunstâncias normais, é uma boa norma que impede a infidelidade partidária. Em um quadro de esgotamento do modelo partidário, impede também a renovação.

Daí a necessidade dos parlamentares começarem a perceber a importância desse rearranjo. Será importante para dar clareza às novas idéias, para garantir a governabilidade – já que o governo Lula poderá montar acordos em cima de programas efetivos, não esse simulacro de acordo que tem prevalecido historicamente na política brasileira.

A partir dessa reorganização partidária, se aplicariam os demais princípios de consolidação de partidos, como as cláusulas de barreira, a fidelidade partidária, talvez o voto distrital-misto, as regras de financiamento de campanha.

Nos últimos 16 anos, ouvi de Fernando Collor de Mello, de Fernando Henrique Cardoso, Lula, que o grande erro de cada um foi não ter começado seu governo com um projeto de reforma política.

O momento pode ter amadurecido. (Do blog de Luiz Nassif)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

04/11


2006

Luciano Siqueira só recebeu R$ 95,7 mil

 Bem mais modesta foram as doações para o candidato à senador por Pernambuco, Luciano Siqueira. De acordo com informações do TSE, o candidato recebeu apenas R$ 95.710,00 ao longo da campanha.

Foram doações de no máximo R$ 5 mil por pessoas físicas e jurídicas. Entretanto, o maior doador para a campanha de Luciano foi o candidato derrotado do PT à governador, Humberto Costa.

Seu comitê eleitoral repassou para o comitê de Luciano a quantia de R$ 28.150,00 no dia 30 de setembro, mesmo já sabendo que ele seria derrotado nas urnas por Jarbas Vasconcelos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Drácula

RECEBEU O SUFICIENTE PARA O NÚMERO DE VOTOS QUE TEVE.....HAHAHAHAHAHA.....

Mariana

Quem apostaria num teorico desses... isso não dar para ser nem sindico de prédio,KKKKKKKKKKKK

Mariana

METIDO A ESQUERDISTA´E A DEMOCRATA É UM VERME RAIVOSO

Mariana

ISSO É O QUE ESSE PILANTRA COM CARA DE COITADINHO DECLARA