11/11


2006

Justiça quer prender funcionário do DNIT

 A Procuradoria da República em Marília (SP) encaminhou nesta semana à Justiça pedido de prisão do diretor-geral do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT), Mauro Barbosa da Silva, e do superintendente da autarquia em São Paulo, Arnaldo Marabolim.

Na ação, o Ministério Público Federal (MPF) acusa os dois dirigentes de descumprirem sentença judicial de 2004 que determinou que o DNIT fizesse a restauração do trecho paulista da rodovia BR 153 (Transbrasiliana), entre a região de São José do Rio Preto e Ourinhos.

Segundo o MPF, nesses últimos dois anos, muito pouco foi feito para corrigir os problemas da estrada. Em nota à imprensa, o Ministério Público afirma que as obras de reforma da rodovia foram paralisadas e que a pista está em péssimas condições de tráfego.

Ao receber o pedido do MPF, o juiz substituto da 1ª Vara Federal de Marília, Alexandre Carneiro, estabeleceu um prazo de cinco dias para que os dois dirigentes do DNIT se manifestem.

A assessoria de imprensa do DNIT informou que a direção do órgão ainda não recebeu formalmente a intimação do juiz, mas, mesmo assim, enviará na segunda ou na terça-feira dessa semana um representante a Marília para apresentar as ações, que, diz o DNIT, estão sendo tomadas na rodovia.

Em nota, o DNIT afirma que realiza diversas obras de recuperação em todo o trecho paulista da BR 153. Na manutenção de um trecho de 178 quilômetros, entre o acesso a Lins e a divisa com Minas Gerais, por exemplo, o DNIT afirma que está investindo cerca de R$ 3 milhões, e que pretende concluir o trabalho nessa parte da estrada até o fim do ano. (Estadão)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo 2021

11/11


2006

Bastos quer unificar a PF e Abin

 Da coluna ''Brasil Confidencial'' da revista ISTOÉ:

A superpolícia e a superjustiça

Vem aí a Super Polícia Federal. O plano de Lula é unificar a PF com a Abin, ex-SNI. Incorporará também as polícias rodoviária e marítima. “Será um casamento de véu e grinalda”, diz uma autoridade. A superpolícia pode ganhar autonomia. Thomaz Bastos, da Justiça, e Waldyr Pires, da Defesa, concordam. Já os militares resistem. Lula também quer mudar o Ministério da Justiça, que deve voltar a ser também do Interior, como na República Velha. Saem da Pasta a Funai e a Comissão de Anistia e entram o Coaf, que investiga a lavagem de dinheiro, e a inoperante Secretaria Nacional Antidrogas, que está no Planalto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Rodrigues da Silva

Quem governa o país Brasil? Certamente que o Luiz é que não é. Não agregou durante o percurso de sua vida, nenhuma sapiência que disso o fizesse apto. Como sempre entendi, que o Brasil voa com o piloto automático ligado, quem sabe que não sejam os extraterrestres. Heim,heim?



11/11


2006

CPI das Sanguessugas vota requerimentos na terça-feira

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Sanguessugas fará reunião administrativa na terça-feira (14) para votar requerimentos de quebra de sigilos e de convocação para depoimentos. As duas principais linhas de investigação referem-se à atuação da "máfia das sanguessugas" no Poder Executivo e à tentativa de compra de um dossiê contra políticos do PSDB.

Desde o início dos trabalhos, foram apresentados 313 requerimentos. O sub-relator responsável pela investigação do Poder Executivo, deputado Júlio Redecker (PSDB-RS), lembra que já foi produzido um banco de dados com nomes de suspeitos de irregularidades ligados ao Poder Executivo nos âmbitos federal, estadual e municipal.

Depoimento de petistas

Quanto ao caso do dossiê, a investigação deve avançar a partir do dia 21, quando serão ouvidos o ex-integrante do comitê de campanha do PT Jorge Lorenzetti; o advogado Gedimar Passos e o empresário Valdebran Padilha. Os três são acusados de envolvimento no caso do dossiê.
Na segunda-feira, os sub-relatores Fernando Gabeira (PV-RJ) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) devem ir a Cuiabá (MT) em busca de documentos da polícia e da Justiça Federal do Mato Grosso relativos ao esquema de fraudes na saúde.

Resultados

O relator da CPMI, senador Amir Lando (PMDB-RO), disse que o relatório final poderá tratar de fatos novos. Porém, Lando argumenta que a principal contribuição da CPMI foi a rápida elaboração do relatório parcial, aprovado em agosto, com o indiciamento de parlamentares acusados de envolvimento na máfia das sanguessugas. Lando informou que o texto será apresentado no dia 15 ou no dia 18 de dezembro. (Agência Câmara)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca 2021

11/11


2006

Juízes criticam OAB por criação de "lista negra"

 A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) repudiou a iniciativa da Ordem dos Advogados do Brasil, seção de São Paulo (OAB-SP), de divulgar uma lista com um cadastro das autoridades que teriam sido alvo de desagravos e de moções de repúdio por parte de advogados. Em nota enviada à imprensa, o presidente da AMB, Rodrigo Collaço, chamou o cadastro de "lista negra".

"A iniciativa da OAB-SP agride não só as autoridades relacionadas na lista, mas, especialmente, a Constituição Federal e os mais basilares fundamentos do Estado Democrático de Direito", disse Collaço, que informou que a AMB irá elaborar um estudo para ser colocado à disposição de seus associados que desejarem ingressar com as ações judiciais cabíveis. "Desse modo, a AMB dará todo o apoio para que os seus associados atingidos em sua honra busquem junto ao Poder Judiciário a necessária reparação dos danos sofridos", explicou.

A OAB-SP informou em seu site que o cadastro de juízes só é realizado "após concluída a tramitação do regular processo de desagravo, com decisão que, inclusive, é publicada no Diário Oficial". Para a entidade representativa dos advogados, a medida é uma forma de defender as prerrogativas dos profissionais "frente a todas as iniciativas arbitrárias e ilegais, porque são lesivas à classe e aos direitos dos cidadãos".  (Estadão)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/11


2006

Famílias do MST voltam a invadir terras em SP

Um grupo de 80 famílias, filiado ao Movimento dos Trabalhadores Rurais sem-terra (MST) invadiu na sexta-feira, 11, a Fazenda Lutélia, em Garça, a 420 quilômetros de São Paulo. A Polícia Militar informou que não foram registrados incidentes durante a ocupação.

O grupo afirma que a propriedade já foi desapropriada pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para assentamento e, por isso, está antecipando a medida do governo. Logo após a entrada dos sem-terra, dois supostos proprietários procuraram a polícia.

O advogado Pedro Camacho registrou boletim alegando invasão e furto de arame. Mas Luiz Carlos Volponi afirma ser ele o dono da área e que Camacho é um arrendatário que se nega a sair da terra.

Além de cercar a área ocupada, os sem-terra preparavam na sexta o solo para o plantio de culturas de subsistência. O grupo se autodenomina ''Margarida Maria Alves'', em homenagem à militante paraibana morta em 1983 em confronto pela posse de terras.

Procedentes de acampamentos em Presidente Alves, na região de Bauru, o grupo se instalou no município em 2004, e permanece acampado na margem de uma estrada, a um quilômetro da propriedade agora invadida. (Estadão)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jaboatão Março 2021

11/11


2006

Lula: Dilma, Amorim e Mares Guia ficam

 Em meio à montagem do xadrez ministerial, Lula começou a comunicar a alguns ministros que eles serão mantidos na equipe do segundo mandato. Pelo menos três inquilinos da Esplanada já foram brindados com o "selo do fico" emitido por Lula: Dilma Rousseff (Casa Civil), Celso Amorim (Relações Exteriores) e Walfrido Mares Guia (Turismo), informa o blog do Josias. A deferência foi estendida também ao presidente do Banco Central, Henrique Meirelles.

O objetivo de Lula é dar tranqüilidade aos auxiliares, afastando-lhes do pescoço o risco da degola.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

O Embaixador Amorim é uma pessoa preparada mas muito frouxo. Evo Morales e Hugo Chaves vão continuar deitando e rolando. A Petróbras na Bolivia já era e o Governo brasileiro nada faz.


Petrolina 2021

11/11


2006

Dirceu defende compra de "MacLulas"

 O ex-ministro José Dirceu, como bom soldado que é quando se trata de defender o presidente Lula,  atacou hoje a oposição em seu Blog, pelas críticas ao uso pelo governo dos cartões corporativos, até mesmo para compra de saduiches durante um evento em São Paulo, que acabou sendo apelidados de ''MacLulas''. Leiam:

''É preciso avançar no respeito às instituições

Há algo estranho, de fato, na maneira como tratam nossas instituições. Um senador da República usa papel (que aceita tudo) e cartuchos de impressora (que todos sabemos o quanto custam) para perguntar o motivo pelo qual a Presidência da República gastou R$ 2.212 com 280 ''kits de lanche''. Outro ocupa a tribuna da Casa para fazer a ''denúncia''.

Estamos falando dos senadores
Arthur Virgílio, do PSDB de Amazonas, ex-ministro de FHC e diplomata, e José Agripino, do PFL do Rio Grande do Norte, que foi governador do seu Estado e traz no seu currículo uma condecoração da Legion d’Honneur, da França.

A ''denúncia'', publicada na sexta pela
Folha, diz que foram pagas refeições para seguranças com o cartão de compras da Presidência da República num evento com o presidente em Jacareí (SP). Conforme a Casa Civil, trata-se de despesa corriqueira e cotidiana nos deslocamentos do presidente da República, em especial por causa das medidas de segurança adotadas para proteger o nosso chefe de Estado e de governo.

Quem fez a ''denúncia'' foi, segundo a Folha, ''
Sidnei de Oliveira Andrade, consultor jurídico da Câmara Municipal de Jacareí''. Conforme publicou o jornal Vale Paraibano em 13 de maio de 2005, a Câmara de Jacareí tem ''15 parentes de vereadores no quadro de funcionários'' e ''os salários dos parentes variam de R$ 1.261 a R$ 5.082; o mais alto deles é do consultor jurídico da Casa, Sidnei de Oliveira Andrade, tio do presidente da Câmara, Júnior Raad (PSDB)''. Neste sábado, o mesmo Vale Paraibano diz que Andrade, que foi vereador na cidade entre 1977 e 1982, ''curtiu'' momentos de ''fama'' ao dar entrevistas para 18 emissoras de rádio de várias regiões do país, além de outros órgãos de imprensa.

No fim, não estamos falando de R$ 2.212 em ''kits de lanche'' compostos de um sanduíche e um refrigerante. Estamos falando de R$ 5.082 por mês para o autor de uma ''denúncia'' e de R$ 3 milhões por ano na repercussão dela, porque, segundo o site
Contas Abertas, ''por ano, um senador custa cerca de R$ 1,5 milhão aos brasileiros''. Estamos falando do nível em que a oposição procura praticar a política no país e que, como já sabemos, conta com ampla cobertura e apoio da mídia.

As nossas instituições devem ser respeitadas. O presidente da República, que foi reeleito por mais de 58 milhões de brasileiros e brasileiras, está submetido, até por força da lei, a certas peculiaridades, entre elas a segurança. Quem não entende isso, ainda que tenha vivido no exterior e tenha visto como é nos outros países, ainda que seja membro de legiões de honra, não entende o que são as instituições – que não existem para uso pessoal e político, mas sim para o bem de todos e para a democracia do país.

Depois de tudo o que fizeram, dos cargos que ocuparam, eles ainda não entenderam isso. O povo, que elegeu Lula, já entendeu. Ainda bem que os
sites de busca estão aí para nos ajudar com a informação correta, que muitas vezes é sonegada a nós.''


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Por que o José Dirceu não esclaresse o assassinato de Celdo Daniel?

José Ferreiria Mulatinho Filho

Já que estamos falando de gastos públicos; que fim levaram os anões do orçamento? Naquela época desvio de dinheiro era "brincadeira"!!! Sem nenhuma apuração séria dos fatos. CPI, nem se comentava...

Normando Leite Cavalcante

A legislação eleitoral proíbe, peremptoriamente, a distribuição de alimentos e transportes a eleitores. Imagine com o dinheiro público que, é de todos nós pois, é oriundo da nossa contribuição tributária. Não trata-se de golpismo mas, de legalidade! Os "aloprados" precisam observar as leis.

Ivan Câmara de Andrade

Na época em que se pretendia golpear Jango, certos políticos cara-de-paus viviam nos quartéis cobrando a imediata intervenção militar, eram as vivandeiras de quartéis. Arthur Virgílio e esse Agripino são vivandeiras dos Tribunais. Ainda não engoliram os 158 milhões de votos que consagraram Lula.

José Rodrigues da Silva

É ou não, acanalhado o Raimundinho (?). Não lhes são ausentes os propósitos, embora aparente ser cego, é da cafajestagem o motivo da sua sobrevivência física. Fedes muito, Raimundinho. E como fedes!!!


Serra Talhada 2021

11/11


2006

TCU: Transposição custará o dobro do estimado

Da Folha de S.Paulo, neste sábado: 

Apontado pelo presidente reeleito Luiz Inácio Lula da Silva como uma das principais obras de infra-estrutura desenvolvida sob sua gestão, o projeto de transposição do rio São Francisco é agora alvo de questionamento do Tribunal de Contas da União (TCU).
Após uma auditoria no projeto, o tribunal concluiu que há riscos de a obra beneficiar, no Nordeste, uma população inferior à estimada pelo Ministério da Integração Nacional (12 milhões de pessoas em 2025) e de custar mais do que o programado (R$ 4,5 bilhões).
"Os benefícios estão superestimados e os custos subestimados", afirma trecho do relatório final da auditoria, aprovado pelo plenário do TCU no último dia 3. "Os benefícios incluem um conjunto de ações que o Ministério da Integração não sabe como e quando serão realizadas", acrescenta.
O que leva o TCU a duvidar da eficácia do projeto é, basicamente, a incapacidade dos Estados de fazer a gestão hídrica e distribuir a água à população após concluído o processo de integração das bacias do rio. Segundo o próprio ministério informou à Agência Nacional de Águas (ANA), dos 391 municípios a serem beneficiados pela transposição apenas 22%, hoje, teriam capacidade de captar, tratar e distribuir a água.

Falta informação
Outro aspecto grave que comprometeria o êxito da obra é a flagrante desinformação das prefeituras e Estados sobre o impacto da obra. Listado entre municípios diretamente beneficiados pela transposição, a Prefeitura de Sairé (PE), por exemplo, enviou uma resposta considerada pelo tribunal como "instigadora": "O município de Sairé é rico em água e não será afetado pela transposição".
O TCU enviou questionários aos 391 municípios listados como beneficiários. Enviaram respostas 103 municípios, amostra considerada representativa pelo tribunal.
Os números não batem. Os Estados beneficiados (Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará) informaram ao TCU que aproximadamente sete milhões de habitantes serão beneficiados pela obra, enquanto o governo federal fez uma estimativa de nove milhões de beneficiados (na fase inicial de operação).
Também as listas de municípios que serão beneficiados pela transposição são totalmente díspares. Exemplo: o governo federal diz que o projeto beneficiaria diretamente 113 municípios em Pernambuco. Mas quando a pergunta é feita ao governo estadual, o número cai para apenas 30.
"Conclui-se que a abrangência real do projeto é incerta e não alcançará a população de 12 milhões de habitantes no ano de 2025, a não ser que medidas complementares sejam tomadas por parte do governo federal e dos Estados e municípios participantes", diz o voto do ministro-relator do TCU, Benjamin Zymler.

Apoio federal
Em alguns Estados, como o Ceará, o envolvimento com o projeto é maior, e há previsões orçamentárias para obras, estimadas em R$ 600 milhões. Mas é uma exceção. Ainda que os Estados tenham consciência de suas responsabilidades após a integração das bacias, todos "comunicaram que necessitarão de apoio financeiro federal para a realização dessas obras complementares".
O relatório do TCU derruba ainda um mito sustentado pelo Ministério da Integração: "Não há garantias de que a redução de custos do governo federal com ações emergenciais de combate à seca no Nordeste será proporcional aos recursos despendidos para a implementação do projeto".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Madison Luis Canejo da Silva

é muito fácil falar em transposição de maneira política quando não se conheçe os problemas pelos quais passajm o "Velho Chico".

Madison Luis Canejo da Silva

Bem, primeiro quero parabenizar Magno pela foto, é uma maravilha, tirada de uma das usinas de Paulo Afonso, cidade maravilhosa. Quanto a questão da transposição acho um absurdo, acho que esse presidente burro deveria procurar revitalizar o rio e só depois pensar em algo dessa natureza.........

Raimundo Eleno dos Santos

É claro que vai ser o dobra.Olha,o rio tem duas margens.Temos que observar que é uma margem da direita e a outra da esquerda.Mas como se trata do Rio S.Francisco as margens, são do lado esquerdo.Bahia(PT) Pernambuco PSB.E agora?O S.Francisco tem uma margem só.É para matar a direita do coração.Eita!

Alguém tem dúvida que a obra é superfaturada? Lulla vai dar explicações, punir os culpados e cancelar o edital. Isso seria o correto.


Anuncie Aqui - Blog do Magno

11/11


2006

Oposição já pensa em CPI dos cartões corporativos

 Integrantes da oposição não descartam pedir a criação de uma CPI no Congresso para investigar o uso dos cartões corporativos pela Presidência da República. O assunto ganhou força ontem, após a divulgação de que os cartões foram usados para comprar 280 lanches, que somaram R$ 2.212, para um comício do presidente Lula em Jacareí (SP), em setembro, durante a campanha eleitoral.

''Se não tivermos as explicações necessárias, precisamos de uma CPI para abrir o cadáver (dos cartões corporativos) e dizer o que está sendo feito dele'', enfatizou o líder do PFL no Senado, José Agripino Maia (RN).

O líder do PSDB na Casa, Arthur Virgílio (AM) encaminhou um requerimento à Mesa para cobrar explicações formais da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. A primeira informação é de que os lanches teriam sido distribuídos a militantes do PT. O Planalto comunicou, no entanto, que a comida foi entregue a seguranças oficiais do presidente.

''A quantia é irrisória, mas o problema é que ninguém dentro do governo diz que isso é proibido. Os cartões corporativos exprimem a mistura do público com o privado nesse governo'', criticou Virgílio.

O uso dos cartões tem sido um dos principais alvos da oposição contra o governo. No mês passado, parlamentares do PSDB e do PFL foram ao Tribunal de Contas da União (TCU) cobrar informações sobre o uso do dispositivo pela Presidência, mas não obtiveram resposta.

As suspeitas de uso ilícito dos cartões começaram no ano passado, quando o tribunal encontrou indícios de que notas frias teriam sido usadas para justificar gastos do Planalto. Os cartões corporativos foram criados durante o governo Fernando Henrique Cardoso para despesas consideradas imediatas e, segundo disse Lula no debate da TV Bandeirantes antes do segundo turno, ''foi a única coisa boa que o Fernando Henrique fez no governo''. ( Do Portal Congresso em Foco)

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

josé arnaldo amaral

...ESSA VELHA OPOSIÇÃO ESTÁ DERROTADA...FICOU NA DEFENSIVA PERANTE AS BRAVATAS DO LULLI$MO...POUCO MAIS DE 58 MILHÕES VOTARAM NO MULLÁ DO PT E CATERVA.... MAIS DE 67 MILHÕES NÃO VOTAMOS NELLE$$$$...XÔ PETRALHADA ! ! !

Raimundo Eleno dos Santos

Fernando, Inveja dá câncer. Deixa o homem trabalhar. Depois a gente come alguns big-mac juntos. Eu pago a conta. Por favor, sem inveja. Isso, repito, dá câncer.

A militancia petista comendo sanduiche com meu dinheiro. Depois os "Raimundos" falam que eu não gosto do PT. Até sanduba é comprado com o dinheiro do povo. Lógico que o Lulla e familia come em restaurantes finos. E eu pagando...


Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

11/11


2006

Alkmin quebra o silêncio e já fala em 2010

 O candidato derrotado à Presidência da República, Geraldo Alckmin (PSDB), começou a quebrar o silêncio imposto por ele mesmo após a eleição e não descartou, embora ainda "esteja muito longe", disputar o Palácio do Planalto em 2010.

"Tenho recebido a visita de muitas lideranças (políticas) do País. Você tem algumas etapas: a direção do partido no fim do ano que vem, eleições municipais em 2008, e você tem 2010", disse Alckmin nesta sexta-feira, na segunda pessoa, antes mesmo de ser questionado especificamente sobre o tema da sucessão.

Logo após reconhecer a derrota no último domingo de outubro, o tucano buscou o refúgio em Pindamonhagaba, interior de São Paulo. Concedeu apenas uma pequena entrevista a uma TV local e recolheu-se novamente.

Agora, dez dias depois, mostrou disposição de falar, embora ainda evite analisar as razões que reelegeram o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A decisão de retornar à cidade natal para descansar irritou aliados e interlocutores, que viram, na decisão, um sinal ruim de "provincianismo".

O argumento era de que o momento político e 40 milhões de votos conquistados por ele o credenciariam como líder nacional, que não deveria buscar o anonimato de um sítio no interior de São Paulo.

"É preciso se desintoxicar da política. É bom sair um pouco da ribalta. Não é ruim ter um período sabático", argumentou o tucano. "JK (Juscelino Kubitschek) voltou a clinicar quando deixou a Prefeitura de Belo Horizonte", disse.

Após a derrota, muitas especulações sobre seu destino imediato percorreram o bastidor político. Assumir a presidência do PSDB foi a primeira delas. A estratégia é vista como meio de ficar em evidência e estreitar as relações com a base partidária para obter apoio a um eventual projeto de concorrer novamente ao Planalto.

Mas há entraves a essa possibilidade, que ele classifica de "etapa". Os correligionários José Serra (governador eleito de São Paulo) e Aécio Neves (governador eleito de Minas Gerais) não negam o desejo de disputar a Presidência daqui a quatro anos. Em razão desse eventual projeto concorrente, não deixariam espaço para Alckmin crescer internamente e conseguir a indicação do partido.

Há ainda a alternativa de concorrer à Prefeitura da capital paulista daqui a dois anos, "etapa" que também poderia servir de "trampolim" ao Planalto. "O governo Lula vai ser uma mesmice e o povo vai se sentir traído", alfinetou.

Além de retomar a medicina e trabalhar com acupuntura, o ex-candidato afirmou que pretende complementar a renda mensal com palestras e que exercerá o ofício de médico em um hospital público para ficar "mais perto do povo". "Isso me tomará um tempo pequeno. A maior parte do tempo eu vou me dedicar à política", prometeu.  (Reuters)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

roberto lima

Um conselho ao sr alckmim: muda de partido: essa gente do psdb so quer se sentar em poltrona "berger", agua mineral perrier, terno daslu etc e maltratar o povo. Ninguem esquece fhc e suas perversidades, entre elas chamar os velhinhos de vagabundos.


Coluna do Blog
Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores