Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

07/06


2008

Mulher-bomba tentou falar com Lula antes de detonar

 Antes de denunciar tráfico de influência da ministra Dilma Rousseff na Agência Nacional de Aviação Civil, a ex-diretora Denise Abreu esteve várias vezes em Brasília, a última delas no dia 26, tentando ser recebida pelo presidente Lula ou pela chefe da Casa Civil, mas ambos se recusaram a ouvir seu último e patético apelo. A mulher-bomba voltou então a São Paulo convencida de que era hora de detonar as denúncias.

 

*A audiência com o presidente Lula foi prometida a Denise Abreu para que ela aceitasse renunciar à diretoria da Anac, em carta ao próprio Lula.

 

 

*Sentindo-se abandonada e processada por decisões colegiads da Anac ou por pressão do Planalto, ela abriu a boca em ato de legítima defesa.

 

 

*Esta coluna revelou em 23 de maio que Denise Abreu estava disposta a cuspir fogo. O jornal O Estado de S.Paulo se interessou pela história.

 

 

*Denise Abreu queria que Lula pedisse ao governador José Serra para ela retomar seu cargo na Procuradoria de Justiça de São Paulo.

 

(Da coluna de Cláudio Humberto)
 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

magno bravo dantas

Não interessa o que Collor fez, mas o que Luila faz, afinal Fernando Collo foi caçado e absorvido pelo pelo povo alagoano e Lulla continua sem saber de nada que acontece em seu governo.(não votei em Collo)

guilherme alves

Aliás se o Claudio Humberto detonasse as bombas que sabe do governo Collor seria uma festa.

guilherme alves

O Brasil tá começando a ficar povoados de mulheres bombas, a outra tá lá no sul a governadora Yeda. Alías se detonarem todas as bombas passadas e futuras desse país o efeito será devastador.Há bombas de todos os tipos e quilates, e o hom bomba Paulinho Que quer denotar uma chamada República Paulista

francisco sales

Uma mulher humilhada e escanteada é perigosíssimo ! Agora que o estrago foi feito vão querer chegar junto! Se o Zé dirceu fosse mulher, esse país implodiria !!! realmente o título cabe muito bem, mulher bomba !


O Jornal do Poder

07/06


2008

Nova CPMF: manda quem pode...

Coluna Painel - Folha de S.Paulo

 Os deputados do PSB recebem da cúpula da sigla seguidos torpedos sobre a nova CPMF. Um deles, enviado durante sessão para tratar do assunto, dizia: ‘O governador Eduardo Campos pede a todos que fiquem em plenário e votem a favor da CSS’.

Nem vem - Se aprovada na Câmara, a CSS encontrará no Senado a mesma resistência que derrubou a CPMF, diz Marco Maciel (DEM-PE), presidente da CCJ: ‘Ela é incoerente e inconstitucional’.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Jose NIlton da Silva Senhorinho

Todo mundo agora quer justificar as aberrações desse governo (que não são poucas - embora não haja "santos" entre os ocupantes anteriores do poder) desqualificando quem se coloca contra os interesses do mesmo.

Marcelo Araújo

Reeleição não é IMPOSTO e Lula também entrou na dança. O coerente praticando incoerência.

Pedro Batista Filho

NOSSO "grande" SENADOR DEVERIA TER DITO ISTO DA FAMIGERADA PEC DA REELEIÇÃO DE MENDONÇA FILHO.


Abreu no Zap

07/06


2008

Coluna de hoje na Folha

        Mais um golpe do TSE

O TSE quer legislar no lugar do Congresso e baixou, ontem, uma resolução esdrúxula, na qual as coligações para vereadores nas eleições deste ano têm que respeitar as mesmas alianças feitas na disputa para prefeito. Além de inconstitucional, porque mudanças nas regras eleitorais só podem ser feitas até um ano antes do pleito, o ato é arbitrário e casuístico.

O Tribunal Superior Eleitoral, na prática, extrapola seus limites e interfere em assuntos de interesse dos partidos. Ouvido pela coluna, o ex-deputado Harlan Gadelha, advogado com especialização em legislação eleitoral, classificou a manobra como um golpe baixo do TSE, mas ressaltou que cabe aos partidos uma reação em cadeia junto ao Congresso para derrubar a resolução.

Isso, no seu entender, pode ser feito através de uma ADIN – Ação Direta de Inconstitucionalidade – ou um decreto legislativo. Jurista, o deputado Roberto Magalhães garante que o único meio é a ADIN, porque o Congresso só pode fazer decretos legislativos tratando-se de matérias emanadas do poder Executivo.

O fim do impasse está, portanto, nas mãos dos partidos, que, prejudicados, devem buscar em conjunto uma ação no Supremo. Do contrário, chegou ao fim as chapinhas proporcionais.

CASUISMO – A resolução bate de encontro, ainda, à interpretação do próprio TSE, que em resposta a uma consulta do deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) sobre o processo de verticalização (a obrigatoriedade da repetição das coligações nacionais nos Estados ) informou que a medida só poderia ser aplicada a partir das eleições de 2010. Se não há verticalização em eleição municipal, que não tem ligação com o pleito municipal, como o TSE pode agora obrigar a repetição das alianças majoritárias nas proporcionais?

Olinda sem Câmara - Ao regressar, ontem, de Brasília, onde participou de uma manifestação contra a PEC que reduz o duodécimo das câmaras municipais, o presidente do Legislativo de Olinda, André Avelar (PP), previu que se o Senado mantiver o corte de até 60%, em Olinda não haverá outra solução se não o fechamento da Câmara.

 

ALF sai fortalecido - Ao fazer a sua sucessora na TV-Pernambuco – sua irmã Ana Paula – o candidato do PDT a prefeito de Olinda, André Luis Farias, o ALF, deu uma demonstração de prestígio e força junto ao governador Eduardo Campos (PSB). Aliados do pedetista também interpretaram a nomeação como um reconhecimento do governador ao bom trabalho que ALF fez para soerguer o canal de tevê estatal.

 

Abaixo a cassação - O Tribunal de Justiça rejeitou, ontem, o agravo de instrumento impetrado pela Câmara de Caruaru para derrubar a liminar que devolveu ao vereador Louro do Juá (DEM) o mandato cassado pelo plenário da Casa. Além de garantir a cadeira, o parlamentar vai à reeleição. O relator foi o desembargador Fernando Cerqueira.

 

Gol de placa - O prefeito de Jaboatão, Newton Carneiro (PRTB), acertou em cheio ao criar a Secretaria de Segurança Comunitária e Cidadania e entregar o seu comando ao coronel reformado Paulo César da Silva Alípio. Em pouco tempo, o secretário implantou medidas que têm surtido efeito no combate à violência. Já virou referência.

 

 

 

 

 

Curtas

 

OUTDOORS – Pernambuco tem agora dois representantes na Central de Outdoors, com sede em São Paulo: Ricardo Costa, da Stampa, e Mauro Santos, da Bandeirantes. A eleição foi realizada segunda-feira passada, em congresso nacional.

 

DE TODO JEITO – Mesmo se a OAB não tivesse impugnado a mal-assombrada urna de Paulista, Flávio Régis também teria vencido Márcio Jatobá por 16 votos e garantido seu lugar na lista sêxtupla. Sem Paulista, teve 68 votos a mais.

 

ANIVERSÁRIO– O candidato do PMDB a prefeito do Recife, Raul Henry, comemora, amanhã, suas 44 primaveras com um festão organizado por um grupo de amigos, no Clube Cabanga, bairro do Pina. Muitos forrozeiros famosos estarão lá.

 

''O ganancioso tem tanta pressa de ficar rico, que nem percebe que a pobreza está chegando''. (Provérbios 28-22)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

magno bravo dantas

Cenas de nepotismo na TV Pernambuco. Direção herdada.

guilherme alves

O TSE age porque o Congresso é omisso e preguiçoso. O Congresso só quer saber de CPI, e fica recebendo bolas nas costas do TSE. Tá bom dos congressistas honrarem o dinheiro que nós pagamos a eles e começarem, de fato, a trabalhar.



07/06


2008

Eduardo será reconduzido à presidência nacional do PSB

 O PSB está realizando desde ontem, no auditório Nereu Ramos, em Brasília, um congresso para discutir a recondução do governador Eduardo Campos ao cargo de presidente nacional do partido e as mudanças que devem ser feitas no estatuto da sigla. O encontro teve início com uma homenagem ao centenário de dom Hélder Câmara e também à Revolução Cubana, pelo seu cinqüentenário. Hoje, para o encerramento do congresso, que acontece das 9h as 17h, está prevista a votação para eleger os novos integrantes do diretório e da executiva nacional do PSB, que terão mandato de três anos.(Folha de Pernambuco)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


07/06


2008

Escândalo envolve governadora tucana do RS

 A crise ética que rói a reputação da administração tucana do Rio Grande do Sul chegou, definitivamente, à sala da governadora Yeda Crusius. Deve-se a escalada a uma gravação divulgada na tarde desta sexta-feira (6) por ninguém menos que o vice-governador do Estado, Paulo Feijó (DEM).

 

A fita tem duração de cerca de 20 minutos. Contém um diálogo do próprio vice-governador com o chefe da Casa Civil de Yeda, Cézar Busatto (PPS). Embora eleito na chapa de Yeda, Feijó afastara-se da governadora antes mesmo da posse, em janeiro de 2007. Por isso Busatto o procurou. Buscava uma reaproximação.

 

A conversa entre os dois ocorreu há 13 dias, em 26 de maio. Sem que o interlocutor soubesse, o vice Feijó gravou todo o diálogo. Agora, resolveu pôr a conversa na rua. E o fez em grande estilo: providenciou para que a fita chegasse à CPI do Detran, instalada na Assembléia gaúcha para apurar desvios de R$ 44 milhões.

 

No curso do diálogo, o vice Feijó e o chefe da Casa Civil Busatto discorrem sobre os desvios com assombroso conhecimento de causa.

 

Busatto sugere a Feijó que se coloque no lugar de Yeda: “Se tivesse sentado naquela cadeira e, se não tiver 30 votos, mas 27 votos, 28 votos na Assembléia, eu não governo... Entende? É uma opção difícil.”

 

Em resposta, o vice-governador insinua que a inação da governadora pode esconder algo mais cabeludo: “Ok, politicamente eu concordo. Agora, eu não posso ser conivente com isso. Não na questão política, mas com a questão de roubo, desvio. Não pode. E ela [Yeda] está sendo [conivente]. Por questões políticas? Não sei. Ou por interesse financeiro? Não sei. Ou pelos dois?”

 

Lida numa sessão aberta da CPI, a transcrição da fita eletrizou a cena política de Porto Alegre nesta sexta-feira.

 

Um dia em que Yeda recebia visitantes ilustres de seu partido: o senador Sérgio Guerra (PE), presidente do PSDB; e a senadora Marisa Serrano (PSDB-MS). Foram discutir eleições municipais. Acabaram engolfados pela crise.

 

 

Repete-se no Rio Grande do Sul um fenômeno que vai se tornando enfadonho no Brasil: a apropriação privada de arcas públicas. Um grupo de estudantes protestou defronte do Palácio Piratini. Pediu-se, desde logo, o impeachment da governadora.

 

Do blog de Josias de Souza


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Pedro Batista Filho

Crime é crime e deve ser apurado e punido seja quem for o praticante após comprovado sua culpa, mais porque A "GRANDE MÍDIA" não destaca tanto os escândalos do TUCANATO do RS, GO e SP? Quando um assessor do irmão de um dirigente do PT foi pego c dolares na cueca foi assunto nacional por 1 ano.

guilherme alves

O Sérgio Guerra e a senadora Marisa dirão que tudo é obra do demonio, só que o demonio mora ao lado da governadora e dos tucanos em várias partes do país. Apesar da fita, tudo ficará como antes no quartel de abrantes. Com a palavra o zeloso senador Sérgio Guerra.


Banco de Alimentos

07/06


2008

Governo quer o Exército defendendo a floresta

 O governo pedirá ajuda ao Exército e à Policia Rodoviária Federal para combater o desmatamento na Amazônia. O anúncio foi feito, ontem, pelo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, depois de reunião com o diretor da Polícia Federal, Luis Fernando Corrêa. Segundo anunciou, a PF e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) não têm condições logísticas suficientes. Se os dois órgãos tiverem que deslocar seus homens, "a linha de frente ficaria desguarnecida", disse Minc.

– Precisamos de caminhões para transportar e local para armazenar os produtos apreendidos e o Exército tem isso – explicou. – Se for necessário, o excesso de contingente também será convocado para trabalhar nas atividades de preservação.

O ministro afirmou que tratará da criação da Guarda Nacional Ambiental e da participação efetiva do Exército na próxima quarta-feira quando se reunirá com o ministro da Justiça, Tarso Genro. Ele espera que o ministro da Defesa, Nelson Jobim, também participe.(Jornal do Brasil)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


07/06


2008

Do ministro a Lula: "Lei impede abuso do poder político"

 O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Carlos Ayres Britto, reagiu nesta sexta-feira à declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que criticou os limites impostos pela lei eleitoral que não permitem a liberação de verbas para obras no segundo semestre em ano de eleições.

Em discurso no Palácio do Planalto para o lançamento de obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), Lula chamou as restrições de ''falso moralismo'' e ''hipocrisia brasileira'' ao afirmar que vai perder quase um ano de seu mandato sem poder firmar contratos para novas obras do PAC.

''Não se trata de falso moralismo, e a lei não é hipócrita por nenhum modo. Ela ocupa um espaço de moralidade e autenticidade democrática que se fazia necessário'', disse Ayres Britto.

Na avaliação do presidente do TSE, as restrições são necessárias para impedir o abuso de poder. ''A lei veio com a emenda da reeleição para chefias executivas e se fez necessária exatamente para impedir o abuso do poder político executivo. E nessa medida a lei merece todo o aplauso'', afirmou.

Segundo Ayres Britto, a lei eleitoral é violada a cada eleição, apesar das restrições previstas para preservar o equilíbrio de forças entre os candidatos.

''O que pode acontecer nesta nova quadra eleitoral, por efeito de incessantes reclamações das chefias executivas, é um mais detido exame sobre o conteúdo desses dois artigos [que prevêem as restrições], de modo a ponderar ou calibrar legítimos interesses em eventual estado de confrontação. Mas que se exalte de logo, em alto e bom som, a moralizadora base de inspiração da lei 9.504 [eleitoral], que por nenhum modo consagra a hipocrisia'', afirmou o ministro.(Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Pedro Batista Filho

Estão certos o Presidente e o Ministro, o que tem de mudar é o calendário eleitoral com eleições a cada 2 anos, o q dificulta a governabilidade pelas restrições impostas p lei. As eleições deveriam ser unificadas p um único ano, acabando de vez c esta polêmica onde o único prejudicado é a população.


Jornao O Poder

07/06


2008

Lula ataca rigor da Lei, para ele ''''falso moralismo''''

 O presidente Luiz Inácio Lula da Silva classificou ontem as restrições impostas pela legislação eleitoral de "lado podre da hipocrisia brasileira", resultado, segundo ele, do "falso moralismo" do país. O discurso foi durante cerimônia do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) no Planalto.

"Você tem o dinheiro, você tem a necessidade, você tem as pessoas que precisam, mas, pelo falso moralismo deste país, parte-se do pressuposto de que um presidente ou governador assinar um contrato com um prefeito é beneficiar o prefeito. É o lado podre da hipocrisia brasileira, em que você pára um determinado tempo porque causa suspeição", disse.

Ele reclamou ainda que a eleição no Brasil, em vez de ser algo importante para "consagrar a democracia", faz quem governa ficar um ano "sem governar".
A legislação restringe repasses de recursos federais para obras novas nos três meses que antecedem a escolha dos prefeitos. Lula, que já vinha reclamando da regra, ontem subiu o tom. Em fevereiro, ele havia dito: "Se prevalecesse a lógica de que o governo federal não pode fazer parcerias com os municípios no ano que antecede as eleições municipais ou no ano em que o presidente disputa a reeleição, o que não é o meu caso, significa que, num mandato de quatro anos, você vai governar dois anos".(Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

S. C. B. M.

COMO FALA BOBAGEM . QUEM TEM TELHADO DE VIDRO NÃO APEDREJA O DO VIZINHO.



07/06


2008

SP: conselheiro investigado é dono de ilha e prédio inteiro

 Ilhas são associadas no imaginário popular a milionários. O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo Robson Marinho, que não se considera milionário, tem uma ilha na baía de Paraty, litoral sul do Rio. Tem também um prédio comercial de oito andares numa das regiões nobres de São José dos Campos (SP). A ilha de Araçatiba tem cerca de 70 mil metros quadrados e construções modestas para uma região que abriga imóveis da Xuxa e da família Marinho, da Rede Globo: são duas casas pré-fabricadas, de acordo com o próprio conselheiro.

O conselheiro é investigado pelo Ministério Público sob a suspeita de ter recebido propinas da Alstom para facilitar os negócios da empresa com o governo paulista.As iniciais RM aparecem em documentos enviados ao Brasil pelo Ministério Público Suíço. Num trecho de um documento, RM é apontado como "ex secretaire du governeur" (ex-secretário do governador). Há ainda uma anotação de que o dinheiro seria usado para fazer pagamentos a "le tribunal de comptes" (tribunal de contas). Marinho foi coordenador da campanha que levou Mário Covas (1930-2001) ao governo de São Paulo (1995-2001). Foi chefe da Casa Civil entre 1995 e 1997, quando Covas o nomeou conselheiro do TCE.

Marinho gargalha quando associam a ilha às suspeitas em torno da propina paga pela Alstom. "Comprei essa ilha em 1993, antes de assumir qualquer cargo no governo", conta. "Eu tinha uma casa e um terreno em Caraguatatuba, e a corretora que vendeu me trouxe um filme da ilha".(Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

guilherme alves

De gargalhada e gargalhada os corruptos enchem o papo, e a mídia gasta tinta. Outros ficam nervosos porque não conseguem ter o que os corruptos tem. Os papos continua nos finais dos dias nos bares, e assim a vida vai. E os corrputos comemorando.