O Jornal do Poder

06/10


2006

Lula e aliados destilam ódio contra São Paulo

 Pelo menos em Petrolina, a temática do comício de Lula foi o ódio destilado por ele e seus aliados à elite paulista. “Eles dizem em São Paulo que Lula quer dividir o Brasil em dois – o dos ricos e o dos pobres. Acham que pobre não pode ter acesso a computador nem à Universidade. Mas, está aí a Universidade do São Francisco, que nós trouxemos para formar engenheiros, para que lá em São Paulo o nordestino não chegue apenas como pedreiro”, afirmou o presidente.

 

O candidato do PSB a governador de Pernambuco, Eduardo Campos, também foi na mesma linha. “Quando estiveram no poder, os tucanos sucatearam o País, venderam as grandes estatais e no Nordeste estimularam a guerra fiscal entre os Estados, o que nos prejudicou muito, porque os investimentos privados foram disputados feito um leilão. Quem mais fez pelo Nordeste foi Getúlio, mas Lula deu o maior salário ao trabalhador da história do País”, afirmou.

 

Governador eleito pela Bahia, o petista Jacques Wagner disse que a elite paulista é a principal responsável pelo atraso do Nordeste, enquanto o prefeito do Recife, João Paulo, disse que Pernambuco e o Nordeste não votam em Alckmin, “porque ele representa os interesses da elite paulista”.

 

O prefeito de Petrolina, Fernando Bezerra Coelho (PPS), engrossou o coro do ódio contra São Paulo, Estado governador por Alckmin e que proporcionou ao tucano uma grande votação, sendo fundamental para levar a eleição presidencial para o segundo turno. “Eleito, Alckmin vai governar para os ricos, vai abandonar o Nordeste, porque ele é o candidato das elites, enquanto Lula é o candidato dos pobres”.

 

Na sua fala, por fim, Lula cometeu um ato falho, quando disse que formou uma equipe de governo que trabalhou a vida inteira com ele e que, portanto, sabia montar uma equipe competente e leal. Esqueceu que seu governo desmoronou a começar pelo ex-ministro José Dirceu, e agora está envolvido num mega escândalo, o do dossiê contra Serra, por causa de gente da sua absoluta confiança, a partir do churrasqueiro da Granja do Torto, Jorge Lorenzetti, encarregado de contratar e pagar o dossiê.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Paulin de Caruaru.

Ao Lula eu diria que quem entra nas universidades federais não são os pobres,mas os que estudam nos colégios particulares,e a João Paulo eu diria que sou pernambucano,nordestino e voto em Alckimim porque sei ler e graças a Deus ganho mais de 2 salários.

José Rodrigues da Silva

Bravíssimo Dudu, meu entusiasmo, meu voto e meu trabalho estão ao seu dispôr, sua grande mácula é essa companhia desagradável desse mau brasileiro chamado Luiz.

LULLA DECLAROU OUTRO DIA: "Na verdade, não sei quando sou Presidente e quando sou candidato..." Elementar caro Lulla: "Quando voce está fazendo merda é Presidente; Quando está prometendo merda é candidato"

São Paulo é o berço do PT, portanto os paulistas conhecem muito bem a "gang". ´É derrota na certa do Lulla, assim como foi do Mercadante. Fora LUlla, fora FMI.

LandRover

A felicidade deste país foi ter vendido as estatais antes do PT e Lula assumirem o poder. Vocês já imaginaram os bilhões de dólares que teriam sido roubados, por exemplo, do Companhia Siderúrgica Nacional se o PT e Lula tivessem sido seus administradores?


Potencial Pesquisa & Informação

06/10


2006

Lula diz que sanguessuga começou com Serra

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao discursar em um comício na praça central de Petrolina, em Pernambuco, afirmou que "os sanguessugas começaram em 2001, quando José Serra era o ministro da saúde deste país. "Sanguessugas é o nome dado aos envolvidos na chamada máfia das ambulâncias, que vendia ambulâncias a preços superfaturados para prefeituras pagarem com recursos do Orçamento da União liberados por emendas de parlamentares. Serra, do PSDB, governador eleito de São Paulo, foi ministro da Saúde no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso.

Lula afirmou, também, que "de todas as prefeituras envolvidas (com a máfia), 80% delas são do PSDB e do PFL. Informações do CorreioWeb
.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

LandRover

A felicidade deste país foi ter vendido as estatais antes do PT e Lula assumirem o poder. Vocês já imaginaram os bilhões de dólares que teriam sido roubados, por exemplo, do Companhia Siderúrgica Nacional se o PT e Lula tivessem sido seus administradores?

Se começou com o Serra por que o Lulla não investigou? Vai te catar Lulla...

Sempre se soube disso e inclusive o tal dossiê que só está sendo questionado o valor que supostamente seria vendido, não considerando o conteúdo do mesmo, quando chegar ao conhecimento do povo brasileiro o conteúdo, o Brasil vai saber quem são: Serra, Alckmin, FHC e a tropa.

milton tenorio pinto junior

Magno,dê urgente um freio de arrumação no seu Blog. Tá ficando sério.Às 08:43hs. Cesar augusto chama Jarbas de pé de cana FDP;Às 18:06hs. Paulo chama Dudu o maior ladrão do Brasil.Está rolando um festival de baixaria.Fica dificil discutir com gente assim.Se é que podemos chamar isso de gente!!!!!!!

milton tenorio pinto junior

Magno,dê urgente um freio de arrumação no seu Blog. Tá ficando sério.Às 08:43hs. Cesar augusto chama Jarbas de pé de cana FDP;Às 18:06hs. Paulo chama Dudu o maior ladrão do Brasil.Está rolando um festival de baixaria.Fica dificil discutir com gente assim.Se é que podemos chamar isso de gente!!!!!!!


Banco de Alimentos

06/10


2006

Guerra diz que Lula faz "conspiração da fraude"

O senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), coordenador geral da campanha do candidato da coligação PSDB-PFL à presidência da República, Geraldo Alckmin, acusou a campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de estar promovendo uma "verdadeira conspiração da mentira e da fraude".

Em entrevista coletiva na capital paulista, ele destacou que os adversários estão espalhando boatos de que Alckmin, se eleito, vai acabar com o programa Bolsa Família, demitir o funcionalismo e privatizar o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e a Petrobras. "Isso é um mentira e uma guerrilha precária de quem se sente desesperado porque vai perder a eleição", reagiu Guerra.

Depois de negar que Alckmin poderá acabar com o Bolsa Família e realizar as privatizações, Guerra também partiu para o ataque ao principal adversário do ex-governador paulista e destacou: "Quem levou o crime para as eleições foi o PT, e não nós."

Apesar da afirmação de que a campanha tucana seguirá numa linha propositiva, o senador voltou a cobrar explicações sobre a origem do dinheiro do escândalo do dossiê Vedoin. "Não vamos perder a sobriedade. Continuaremos com nossa campanha propositiva e não tememos as discussões."

Guerra destacou também que a estratégia do PT e de seus aliados "em espalhar tais boatos" é uma "ação desleal, que visa confundir o eleitorado". E continuou: "Esta fraude da campanha do presidente Lula está tentando colocar o nosso candidato em oposição a setores sociais importantes, mas isso não vai ter resultado, porque o povo já demonstrou que nosso candidato deverá vencer as eleições."

Ao falar a respeito do primeiro debate entre Lula e Alckmin no próximo domingo na TV Bandeirantes, Guerra disse que o tucano pretende discutir suas propostas para o Brasil. "O que os eleitores querem saber são as propostas concretas que levarão o país ao crescimento, pois o país, com essa administração (Lula), está parado", avaliou. Informações do CorreioWeb
.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio pinto junior

Guerra é tão bonzinho para estar falando de Lula. Para quem chorou na CPI dos anões,falar dos outros soa estranho!!!!!!!!!!!!!



06/10


2006

Debate da Melodia termina com Magno e o pastor Collins

Terminou o debate político da Melodia FM, que contou com o repórter Magno Martins e a colaboração importante também do pastor Cleiton Collins, um dos deputados mais votados de Pernambuco, no pleito de domingo passado. O noticiário foi completo, abrangendo o momento político em todo o Brasil.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mariana

Eduardo da Fonte não tem serviço prestado por isso tinha que gastar o que gastou.

milton tenorio pinto junior

Atirar com a espoleta dos outros é muito bom ,não é Pastor? Eu não sei onde Eduardo da Fonte vai recuperar o que gastou nessa campanha!!!!!!!!!!!



06/10


2006

Magno ainda na Melodia direto de Brasília

Continua o debate político da Rádio Melodia 106.9 FM, com o signatário do Blog Magno Martins, direto de Brasília, mas cobrindo praticamente todo o país, a exemplo do que acabou de ocorrer com relação à presença do presidente Lula em Petrolina. Magno agora dá uma panorâmica do clima político na capital federal. Ainda há tempo. Se liguem.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


06/10


2006

Berzoini pede afastamento do PT

O presidente do PT, Ricardo Berzoini, anunciou há pouco seu afastamento da presidência do partido. O anúncio foi feito por ele, assim que terminou a reunião da Executiva Nacional do PT, na sede do partido em São Paulo. Ele estava acompanhado de Marco Aurélio Garcia, coordenador da campanha de reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva que, por ser vice-presidente nacional da legenda, poderá assumir no seu lugar.

Após o envolvimento de seu nome na tentativa de compra do dossiê contra os tucanos, Berzoini foi afastado da coordenação de campanha à reeleição do presidente Lula e foi substituído por Marco Aurélio Garcia, que também é da diretoria do PT. Nos últimos dias, aumentava a pressão para que ele deixasse também a presidência do partido.

Outros petistas envolvidos no escândalo do dossiê também pediram desfiliação do PT, nesta sexta-feira: Hamilton Lacerda, ex-coordenador de Comunicação da campanha do senador Aloizio Mercadante ao governo de São Paulo, e Jorge Lorenzetti, ex-analista de Mídia e Risco da campanha de reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

As baixas no PT são o resultado da crise que se abateu sobre o partido depois do escândalo da compra do dossiê. A princípio, Berzoini recusava-se a sair da direção e alegava ter a "consciência tranqüila". As informações são da Agência Estado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Francisco Filho

ESTÁ ARMADO O TEATRO. TUDO ISSO É FRUTO DE UMA OPERAÇÃO PARA ENCOBRIR A DESASTROSA OPERAÇÃO DE ACHAQUE PROMOVIDA PELO PT. FICA COMBINADO ASSIM: NÓS NOS AFASTAMOS DE MENTIRINHA. SE LULA GANHAR, TODOS VOLTAMOS, NUMA BOA SEM RESSENTIMENTOS, AFINAL SOMOS COMPANHEIROS. SE LULA PERDER, A GENTE VÊ COMO FIC

paulo

E agora, vai ser assim de novo, com Freud, com Berzoini, com o churrasqueiro, com o Diretor do banco do Brasil? Quem vai ser o Boi de Piranha da vez? Eta paíszinho sem vergonha!!!!!

paulo

Manda-se a PF parar as investigações e pronto. Não foi assim no caso dos dolares do Duda Mendonça, réu confesso, diante das câmeras. Não foi assim com Waldomiro, com Zé Dirceu, com Delubio, com o caso Celso Daniel, e outros?

paulo

No PT a coisa funciona assim: Comete-se o crime que quizer, ou que for ordenado, aí quando se é descoberto finge-se que afasta o criminoso, que continua sendo tratado como amigo, injustiçado, continua mantendo o amigo bem fronido, confortável, e pensam que o crime deixou de existir. Manda-se a PF p



06/10


2006

Filho de Cadoca é agredido por militância do PSB

Luiz Lima, de 19 anos, filho do deputado federal reeleito Carlos Eduardo Cadoca, acabou de ser agredido na Agamenon Magalhães pela militância do candidato do PSB, Eduardo Campos. Neste momento, ele está indo em direção a uma delegacia de polícia para prestar queixa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Ainda vai acontecer coisas do arco-da-velha.A turma da direita e neo-liberalistas de ocasião têm 1 arsenal de velhacaria de fazer inveja aos delinquentes e truculentos governantes alhures.Eles são rápidos em fazer intrigas.São pescadores de águas turvas.Nosso povo ñ é mais aquele,massa de manobras.

milton tenorio pinto junior

Tão dimensionando por demais esse fato.Porque não se comenta que o candidato Governador baixou o icms da luz , quando teve 8 anos para fazer e nunca se preocupou com isso?Medida eleitoreira e barata de um candidato desesperado!!!

pedro

Jornalistazinho mediocre sempre imparcial

Josiana Cavalcante Falabella

DA MESMA FORMA QUE O NORDESTE VAI ELEGER UM PRESIDENTE EM DETRIMENTO DOS SULISTAS, NOS VAMOS ELEGER UM GOVERNADOR APARTIR DO INTERIOR DO ESTADO.

Mariana

Vamos contar quantos foram atingidos de cada lado e quem está com a razão!



06/10


2006

Câmara só deve retormar votações após 2o. turno

As próximas três semanas prometem corredores vazios e poucos deputados no Congresso Nacional. Com o segundo turno das eleições, a expectativa é que poucos parlamentares apareçam em Brasília para votações no plenário.

Segundo a repórter do blog em Brasília, Ana Silveira, os deputados vão tentar fazer um esforço concentrado na semana que vem para votar as oito Medidas Provisórias que trancam a pauta da Câmara. O feriado de quinta-feira, porém, pode tornar essa tarefa ainda mais difícil.

Alguns deputados já "jogaram a toalha" e admitem que, votações, somente depois do segundo turno. "Vamos continuar nesse regime letárgico nas próximas semanas. Os ajustes políticos vão exigir a presença dos parlamentares nos estados", reconheceu o deputado Raul Jungmann (PPS-PE).

Se o esforço concentrado seguir o exemplo dos realizados antes do primeiro turno, a promessa é pouco trabalho. Em três meses de período pré-eleitoral, os deputados trabalharam apenas três semanas - duas delas com poucos resultados.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


06/10


2006

PDT tem exigências para apoiar Alckmin ou Lula

O PDT divulgou nesta sexta-feira na internet sua lista de reivindicações para apoiar um dos candidatos à Presidência da República no segundo turno das eleições. Os pedetistas pedem o fim das privatizações e o compromisso com a manutenção do controle estatal da Petrobras, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Outra demanda do partido é a indexação do piso dos benefícios da Previdência Social ao salário mínimo, e na área da educação, a criação de uma secretaria para a erradicação do analfabetismo.

O partido ressaltou que "não abandona princípios e propostas" e que discorda dos "propósitos e os meios utilizados pelos dois governos anteriores, tanto do PSDB quanto do PT". No entanto, para o partido, é preciso respeitar a decisão do eleitorado.

De acordo com o site do PDT, o partido "não irá procurar ninguém e vai aguardar o pronunciamento dos dois candidatos" sobre a lista de reivindicações. A legenda informou que a Executiva se reunirá na semana que vem, "caso algum candidato assuma estes compromissos".  Informações do CorreioWeb.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


06/10


2006

ACM critica Jutahy e diz que não retaliará Wagner

 

O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) mandou um recado ao presidente do PSDB baiano, o deputado federal Jutahy Magalhães, em resposta às criticas feitas ontem pelo tucano contra o carlismo. “Ele (Jutahy) deve é se fortalecer mais eleitoralmente para poder ajudar o nosso candidato Geraldo Alckmin”, ironizou o cacique baiano, referindo-se ao fato de o PSDB ter eleito apenas dois deputados para a bancada federal. ACM avisou ainda ao líder dos tucanos que se tranqüilize, porque não fará nenhuma retaliação à administração do governador eleito Jaques Wagner (PT), em uma eventual vitória de Alckmin para a Presidência da República. “Seria muito bom para Alckmin a união de todos, inclusive de Jutahy. Da minha parte não serei obstáculo“, prometeu.

 

Quando esteve com o candidato do PSDB, no final da tarde de ontem, Jutahy recomendou a Alckmin que resistisse a uma orientação de ACM no sentido de dificultar a administração do governador eleito da Bahia, Jaques Wagner. “Não importa quem vai governar a Bahia, porque a Bahia é maior do que todos nós“, insistiu ACM.

 

O senador também usou sua verve contra o ministro da Defesa, Waldir Pires, ao negar que tenha retaliado a Bahia no governo do presidente José Sarney (PMDB), quando Waldir – seu adversário histórico, hoje filiado ao PT – governava o Estado, na década de 80. “Waldir abandonou a Bahia para tentar ser vice-presidente na chapa de Ulisses Guimarães (PMDB). Não houve retaliação”, disse o senador Antônio Carlos Magalhães. Informações da Agência Nordeste.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha