Governo de PE

16/09


2019

Eduardo se indispõe com Senado antes de sabatina

A convulsão provocada na militância bolsonarista por conta da atuação da família Bolsonaro, com Flávio à frente, para abafar a CPI da Lava Toga, assustou os filhos do presidente. Eduardo, cuja indicação para a Embaixada do Brasil em Washington terá de passar pelo Senado, resolveu entrar na confusão e postou em sua conta nas redes sociais o vídeo de uma youtuber, Paula Marisa, que faz críticas aos senadores – inclusive do próprio PSL! Também se socorreu de um vídeo do guru Olavo de Carvalho.

A tendência dos Bolsonaro de quererem apagar incêndios com gasolina pode tirar votos preciosos da indicação de Eduardo. Mas a entrada do filho deputado na treta que deveria ser administrada pelo irmão mostra que eles sentiram o golpe dos ataques para lá de virulentos que partiram de uma ala da militância virtual.

Um dos que se rebelaram foi o youtuber Nando Moura, que depois de um interregno voltou às redes sociais vociferando contra a guinada de Jair Bolsonaro e seus filhos contra investigações e em favor de operações-abafa que incluem ministros do STF como Dias Toffoli e Gilmar Mendes. Moura tem mais 3,3 milhões de inscritos em seu canal, e seu rompimento com Bolsonaro é visto como explosivo para a base de apoio do presidente.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Faculdade de Medicina de Olinda

16/09


2019

Desafios do setor sucroenergético no Fórum Nordeste

Realizado a cada dois anos, o Fórum Nordeste abordará, em 2019, os desafios e oportunidades nos setores de biocombustíveis e energias limpas. Promovido pelo Grupo EQM, o evento terá em mais um ano o debate visando o futuro do setor de produção sucroenergética.

“Este evento representa conquistas e esperanças para o setor, e busca permanentemente soluções para a continuidade da atividade econômica sustentável, tendo como objetivo a mudança da matriz energética”, afirma o presidente do Grupo EQM, Eduardo Monteiro. “A pauta dos empresários envolvidos na produção de combustíveis exige uma busca incessante pelo combustível limpo, aquele que é derivado de fontes orgânicas e não fóssil”, completa.

Logo após a abertura, na manhã de hoje, que contará com representantes do setor público e privado, painéis temáticos incluirão especialistas e autoridades dos setores energéticos e de combustíveis, como o diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Décio Oddone, e o presidente e CEO da Datagro Consultoria, Plínio Nastari.

Um dos principais produtores de etanol no Brasil, Pernambuco possui papel importante na perspectiva nacional da produção de biocombustíveis. A projeção para o estado, inclusive, é de 420 milhões de litros para a safra 2019-2020. Em Pernambuco, das 12,5 milhões de toneladas estimadas da próxima safra, 430 milhões de litros serão destinados à produção de etanol e 800 mil toneladas para a produção de açúcar.

“O Fórum Nordeste consolidou um espaço propositivo na Agenda Nacional do Agronegócio, se constituindo em referência na agenda científica do setor sucroenergético”, afirma o presidente do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool no Estado de Pernambuco (Sindaçúcar-PE), Renato Cunha.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE

16/09


2019

Meu reino por uma flor do maracujá!

Autoproclamado profeta-raiz das montanhas da Jaqueira, da Serra da Borborema e da Freguesia dos Aflitos, o bicho-grilo Adalbertovsky cantou a pedra em tempo de radicalizações: “Meu reino por uma flor de maracujá! Os corações auriverdes estão em chamas. Chamem os floristas, cardiologistas, benzedeiras, irmãs das almas! Precisamos de bálsamos, colírios, ervas-cidreiras, camomilas e capins-santos. Meu reino por uma tulha de capim-santo!”.

“Segure seus radicais que eu seguro os meus!”, dialogo imaginário ou mais que real entre o general presidente João Figueiredo e o condestável Senhor Diretas, Ulysses Guimarães, idos da Anistia/transição democrática em 1979 e nas nascentes da década de 1980. Os radicais estão novamente no gramado. Criaram raízes nos ares, nas nuvens, nos bares, nos alambrados, nos mares, em todos os patamares.

“Assim feito Elvis Presley, Michael Jackson do Pandeiro e Augusto dos Anjos, dos arcanjos e dos pecadores, os radicais estão vivos, radicais are alive. Viva Elvis, viva Michael Jackson do Pandeiro, viva Augusto dos Anjos, dos arcanjos e dos pecadores, noves fora os radicais! Rock n’roll. Pedras que rolam não criam limo, reza a lenda proverbial.  Ulysses vive! Viva o grande Ulysses!” A cantoria do bicho-grilo Adalbertovsky está postada no Menu Opinião. Metam os peitos!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/09


2019

Coluna desta segunda na Folha

Lula livre abre janela para Marília

Sob o olhar jurídico dos que acompanham o calvário do ex-presidente Lula, sua prisão domiciliar está a caminho. Mas, como o Brasil é um País que vez por outra fica de cabeça para baixo, há quem já aposte no Lula livre, logo, logo. Raciocinando que a hipótese seja real, o cenário para o PT tende a mudar radicalmente em 2020.

O Lula livre, abrindo a estrada para o ex-presidente percorrer o País na campanha municipal, exclui do papel a teoria de que o partido dispute com candidato próprio as prefeituras das principais capitais, deixando de ser coadjuvante, como acontece, hoje, no Recife.

Neste caso, a pré-candidata Marília Arraes, que já aparece bem situada nas pesquisas, ganha aderência, excluindo a possibilidade do candidato do PSB, João Campos, de fechar a sua chapa com um petista na vice. O Lula livre terá reflexos em todas as capitais, sobretudo nas do Nordeste, onde o ex-presidente ainda tem eleitorado cativo.

Vice do MDB – O Lula livre muda a configuração da composição da chapa do PSB no Recife. Hoje, o PSB trabalha com a hipótese de oferecer a vice de João Campos para o PT, sendo Dílson Peixoto, secretário estadual de Agricultura por indicação do senador Humberto Costa, o preferido. Restará ao PSB negociar o vice com o MDB do senador Jarbas Vasconcelos. O Lula livre dá uma reviravolta.

Com Gadelha – Caso Lula não seja livre, as chances do pré-candidato do PDT a prefeito do Recife, Túlio Gadelha, de ganhar o apoio da corrente petista liderada pela deputada Marília Arraes, aumentam bastante. Aí se configura a chamada aliança branca, porque Gadelha não contará com a soma do tempo do PT na propaganda eleitoral. Rede, PV e PSol já paqueram o pedetista.

Triplo erro – Quando eleito em 2002, Lula pediu conselhos a Sarney. Com mais de 50 anos de poder, a velha raposa respondeu que presidente da República não precisa de conselhos, mas arriscou. “Existem três cargos que não se pode errar: diretor da PF, secretário da RF e procurador-geral da República. Tempos depois, Lula desabafou para Sarney: “Aquela nossa conversa não me sai da cabeça. Errei nos três”.

Destravar – Um dos compromissos assumidos pelo procurador Augusto Aras que mais agradaram a Bolsonaro nas conversas que antecederam sua escolha para a PGR teria sido o de trabalhar para destravar projetos de infraestrutura paralisados por falta de licença ambiental e outros obstáculos impostos pelo MP.

Bronca – A indicação do novo presidente da Codevasf, o desconhecido Marcelo Andrade Moreira Pinto, provocou uma gritaria geral no DEM, partido que o apadrinhou. Foi sugestão pessoal do líder na Câmara, o baiano Elmar Nascimento, mas nem mesmo o presidente ACM Neto gostou.

PATRULHAMENTO – Carlos Bolsonaro, filho mais influente do presidente, recebeu nova missão do pai: vasculhar as redes sociais para uma triagem ideológica das contratações na Esplanada dos Ministérios. Quando descobre sombras de “desvio”, envia ordens ao ministro para exonerar o escolhido.

Perguntar não ofende: Até quando o presidente Bolsonaro vai governar fazendo patrulhamento ideológico?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Ô marluxo mamadeira de piroca e do kit gay Datafolha mostra que população está constatando despreparo de Bolsonaro.

marcos

A sentença dos roubos no Sítio de Atibaia!

marcos

Perguntar não ofende : Quando será publicada a confirmação da sentença de Lula pelo TRF4?

marcos

Magno, prisão domiciliar não pode percorrer o País!

marcos

Bom dia mortadelas do meu Brasil como é bom acordar e saber que o presidente não é do PT, Lula agora inelegível e côrno continua preso Babaca, Dilma continua burra haddad o nosso kit gay deu uma lapada de Meio Bilhão do FIES, Dr Sérgio Moro continua ministro e o nosso Mito vai muito bem obrigado.



16/09


2019

Renan é indicado para compor CPMI das fake news

(Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

Folha de S. Paulo - Painel 
Por Daniela Lima

 

Renan Calheiros (MDB-AL) foi indicado para compor a CPMI das fake news. O senador quer levar ao palco deste colegiado a discussão sobre as mensagens de Deltan Dallagnol e Sergio Moro reveladas pelo The Intercept, apesar de elas estarem no centro de outra investigação parlamentar.

Descontada a provocação, o objetivo do senador na CPMI, dizem seus aliados, é provocar discussão sobre o aperfeiçoamento da lei que regulamenta atuações na internet. Renan busca fórmula para inibir a ação de robôs que propagam conteúdos falsos ou difamatórios.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Abreu e Lima

16/09


2019

Prédio de R$ 1,2 bi: impugnação preocupa construção

Prédio faz parte do projeto do Tribunal de Justiça de São Paulo

Possibilidade de impugnação de projeto do TJ de SP preocupa setor da construção. Com 32 elevadores, prédio de Tribunal da Justiça atrai empresas. 

Imagem de anteprojeto de arquitetura do prédio que o Tribunal de Justiça de SP quer construir - Reprodução

Folha de S. Paulo - Painel S.A.

Por Joana Cunha

 

A contestação do projeto para erguer o arranha-ceú do Tribunal de Justiça de SP na capital paulista preocupou setores da construção, que viram na obra pública uma alternativa à paradeira do mercado imobiliário privado nos últimos anos. 

Segundo executivos do setor, entre os que temem a possibilidade de impugnação do projeto nas próximas semanas, um segmento específico ficou mais aborrecido: empresas de elevadores. A obra prevê 32 unidades para atender os 31 pisos.

O alto valor de R$ 25 milhões do projeto executivo para o prédio de R$ 1,2 bilhão atiçou os escritórios de arquitetura quando a licitação foi publicada. O lançamento do edital foi antecipado pela coluna em 8 de agosto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Magno coloca pimenta folha

16/09


2019

Mensagens fragilizam versão sobre delação da JBS

Mensagens entregues por ex-procurador ao STF fragilizam versão da PGR sobre delação da JBS.

Joesley, um dos donos da J&F, antes de prestar depoimento à CPI da JBS, AFP PHOTO / EVARISTO)

Folha de S. Paulo - Painel
Por Daniela Lima

 

Mensagens reveladas pelo ex-procurador Marcello Miller ao Supremo colocam em xeque a versão de que a PGR não estava a par da participação dele no caso J&F. Como mostrou o Painel, Miller entregou ao STF informações que foram omitidas de relatório dos investigadores.

No depoimento, o ex-procurador narrou conversa com o então coordenador da Lava Jato na PGR, Sergio Bruno, do dia 10 de abril de 2017, véspera de reunião para tratar de delação e leniência.

Nas mensagens, Miller ressalta que está trabalhando para a JBS, explica que havia feito contato com procuradores americanos e pergunta: “Outra coisa: vocês estão em paz com a perspectiva de eu participar (…) da leniência aqui no Brasil?”.

Nas sombras Bruno pede que Miller o procure no Telegram. Depois, responde: “Quanto à sua participação, vou dar minha opinião —não falo pelo grupo, muito menos pelo [Rodrigo] Janot: acho que ela será muito profícua para chegarmos a um acordo, mas eu, no seu lugar, não apareceria, tentaria atuar nos bastidores”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

16/09


2019

MPF denuncia dois ex-governadores do Tocantins

MPF denuncia dois ex-governadores do Tocantins por desvio em esquema milionário. Segundo MPF, Siqueira Campos e Sandoval Cardoso eram núcleo político de organização, e acertos de propina foram feitos pelo WhatsApp.

Fonte: outras palavras

O Globo - Por Aguirre Talento


O Ministério Público Federal (MPF) apresentou denúncia à Justiça sobre um esquema milionário de pagamentos de propina e fraudes em contratos públicos durante duas gestões do governo do Tocantins , dos ex-governadores José Wilson Siqueira Campos (DEM) e Sandoval Cardoso (SD). As provas apresentadas pelo MPF revelam que acertos de propina foram feitos por conversas de WhatsApp e envolveram até pagamento de voos para Porto Seguro (BA).

As irregularidades foram descobertas na investigação batizada como Operação Ápia, que apontou a existência de uma organização criminosa no estado para desviar recursos públicos oriundos de financiamentos contraídos com bancos públicos e entidades internacionais. O núcleo político, segundo o MPF, era formado pelos ex-governadores Sandoval Cardoso e Siqueira Campos e pelo filho deste, o hoje deputado estadual Eduardo Siqueira Campos (DEM), que era secretário de relações institucionais no governo do pai e já foi senador e ex-prefeito de Palmas (TO).

A denúncia foi protocolada na quinta-feira e é assinada pelos procuradores Daniel Luz Martins de Carvalho, José Ricardo Teixeira Alves e Rafael Paula Parreira Costa, da Procuradoria da República no Estado do Tocantins. Segundo o MPF, foram desviados R$ 35 milhões em contratos firmados entre 2013 e 2016, que abasteceram repasses de vantagens indevidas aos políticos citados. O pivô do esquema era o empresário Wilmar de Oliveira Bastos, da empresa de engenharia EHL, que teria se beneficiado das fraudes.

Procurada, a defesa de Eduardo Siqueira Campos afirmou que ainda não teve acesso aos autos. A defesa de Sandoval Cardoso disse que também não tomou conhecimento da denúncia, mas afirmou que a investigação está em andamento há quatro anos e que não foram encontradas provas contra seu cliente. A defesa de Wilmar não retornou os contatos da reportagem, e os advogados de Wilson Siqueira Campos não foram localizados.

Wilson Siqueira Campos, Eduardo Siqueira Campos e Sandoval Cardoso foram denunciados por peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Wilmar é acusado de corrupção ativa e lavagem de dinheiro. Caberá à Justiça Federal de Tocantins decidir se os torna réus e abre a ação penal.

Idealizador do estado
Os investigadores obtiveram provas de acertos de propina negociados diretamente por Eduardo Siqueira Campos com Wilmar de Oliveira Bastos, que é acusado de corrupção na denúncia. Em conversa mantida entre eles pelo WhatsApp no dia 15 de outubro de 2014 Eduardo pede ajuda a Wilmar para quitar uma dívida com outro empresário.

“To passando por um constrangimento grande hoje perante o Pedro Roriz a quem devo cem mil (...). Estou recorrendo a quem posso, uma vez que ele me deixou perto da humilhação”, afirma Eduardo ao empresário. Wilmar pergunta: “Posso ligar para ele?”. Eduardo responde: “Se for para pagar, sim”. A conversa prossegue e o deputado insiste: “Wilmar, desculpa, vc consegue pagar?”. O empresário assegura: “Vou assumir, Eduardo”. Outra conversa, entre Wilmar e o então governador Sandoval Cardoso, na qual Sandoval chama o empresário de “sócio”, também chamou a atenção dos investigadores.

Os investigadores obtiveram uma planilha de voos das aeronaves particulares do empresário e descobriram que Wilmar bancou voos para Eduardo Siqueira Campos e sua família. O MPF aponta que o expediente era uma espécie de pagamento de propina ao político. A planilha registra que, em 6 de janeiro de 2014, a aeronave partiu da cidade de Paraíso de Tocantins transportando “familiares do Eduardo Siqueira Campos” com destino a Porto Seguro (BA). No dia seguinte, a planilha registra que o próprio Eduardo Siqueira Campos foi transportado para Porto Seguro. O deputado voltou a Palmas no dia 12 de janeiro, também na aeronave do empresário. Seus familiares voaram de volta no dia seguinte.

O MPF cita diversas obras de pavimentação e conservação de rodovias estaduais como alvos das fraudes e desvios de recursos. As fraudes, segundo a denúncia, tiveram a participação de Wilmar e dos políticos citados.

O então governador Siqueira Campos, idealizador da criação de Tocantins, deixou o cargo em abril de 2014 para concorrer ao Senado, mas depois desistiu da candidatura. Quando ele renunciou, o governo seria assumido pelo vice João Oliveira, mas este também abriu mão do cargo para que a gestão fosse capitaneada por Sandoval, que ficou no cargo até o fim do ano. Segundo o MPF, houve um acerto ilícito para que Sandoval continuasse tocando o esquema


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores