Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

04/08


2009

Sessão plenária é suspensa por conta de manifestações

A sessão plenária foi suspensa há pouco, por um minuto, em decorrência de manifestação contra o senador José Sarney, presidente do Senado, no Plenário. O senador Adelmir Santana (DEM-DF) suspendeu a sessão, dizendo que o regimento do Senado não permite manifestações nas galerias e pedindo que a segurança os retirasse "sem violência", informou a Agência Senado.

- O regimento não permite manifestação e nem violência - disse Arthur Virgílio (PSDB-AM), pedindo que não haja qualquer excesso por conta da Polícia Legislativa.

Pouco depois a palavra voltou ao senador Valter Pereira (PMDB-MS), que discursava sobre as dificuldades vividas pelos municípios na área da saúde.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

RICARDO ASSIS DE MENEZES

SERÁ QUE OS CARAS PINTADAS VÃO TER QUE IR AS RUAS PARA TIRAR SARNEY DA PRESIDENCIA DO SENADO. CUIDADO COLLOR!!!!!!!!!! ESSA TURMA VOCÊ JA CONHECE VER SE PARA DE FALAR BESTEIRA E RESPEITE O SENADOR PEDRO SIMOM POR O SENADO ESTÁ EM LAMAS.

Maria Demilde Alves dos Santos

Se o povo quizesse fazia uma revolução, ia p/ as ruas reinvindicar uma dedetização no senado e onde mais quizesse ... se bem que o inseticida usado pra o rato Collor surtiu efeito no irmão Pedro Collor, que morreu pouco depois de contar em entrevista a " veja " os roubos do irmão. Já o rato Mor vive

Gilson Sotero Jr.

Engraçado, que ainda hoje dizem que Collor caiu por causa de manifestação popular. Cadê agora, que Sarney ainda resiste? Tem apoio dos canalhas da mesma "laia" dele, sempre terá apoios.

francisco sales

O caminho é esse !! e quanto mais rápido o povo se manifestar mais próximo será a queda. O povo terá também que se manifestar em busca da queda do corrupto Ranam, Salgado, Collor, Jucá e outros mais. Chega de afronta dessa gentinha ladra que assalta o nosso país !

Gilson Sotero Jr.

Boa. Queria estar lá.


O Jornal do Poder

04/08


2009

Sarney adia pronunciamento sobre crise no Senado

O pronunciamento do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AM), sobre a crise na Casa, previsto para a tarde desta terça-feira (4) foi adiado para quarta-feira (5). A assessoria da presidência não informou o motivo do adiamento, informou o G1.

O discurso faz parte da estratégia de enfrentar quem pede sua renúncia da função. Segundo assessores de Sarney, o pronunciamento está sendo redigido pelo próprio presidente da Casa. O teor do discurso não foi revelado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

RICARDO ASSIS DE MENEZES

SARNEY NÃO FAZ ISSO COM A NAÇÃO BRASILEIRA SAI LOGO EM QUANTO É TEMPO....

Maria Demilde Alves dos Santos

Tantas foram as mentiras, que tá dando tempo pra inventar uma que supere as anteriores ... aliás mentir e coçar é uma questão de começar ...

francisco sales

Ele é covarde ! O autor e responsável pela década perdida é um frouxo e se esconde por traz de quadrilheiros inescrupulosos que mandam nesse país por força da corrupção !! Se Deus quiser irão todos cair ! Pena que a ABL seja conivente com o silêncio desse mar de lama e sujeira.


Abreu no Zap

04/08


2009

Ministro Costa nega ter recebido proposta para presidir Senado

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, negou que tenha recebido alguma proposta para ocupar a presidência do Senado, por indicação do seu partido, o PMDB, numa eventual renúncia ao cargo do atual presidente, José Sarney (PMDB-AP). Costa é senador licenciado e há quatro anos ocupa o Ministério das Comunicações, informou a Agência Estado.

"Eu sou senador da República, com muito orgulho, mas não tenho nenhuma indicação oficial nesse sentido", afirmou o ministro. "Não fui abordado por nenhuma autoridade do Senado ou do meu partido sobre essa proposta", completou Costa, referindo-se às especulações em torno da indicação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/08


2009

DEM solicita ao Conselho parecer sobre representaçãoes

O líder do DEM no Senado, José Agripino (RN), pediu ao senador Demóstenes Torres (GO) que elabore um parecer sobre as 11 representações a que o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), responde no Conselho de Ética. A estratégia é ter elementos para evitar o arquivamento de pelo menos uma representação contra Sarney, informou a Agência Brasil.

Segundo Agripino, isso é para que não haja nenhum ponto de vista incorreto. “Apesar de ser um julgamento político, precisa ter o mínimo de embasamento jurídico”, afirmou.

De acordo com Agripino, o partido vai votar unido no Conselho de Ética pela continuidade das investigações contra Sarney. Em reunião de bancada hoje (4), os senadores do DEM decidiram manter o pedido de afastamento de Sarney “para garantir a isenção das investigações”. Mais cedo, Agripino havia dito que apresentaria à bancada proposta para defender a renúncia, e não mais apenas o afastamento do presidente do Senado.

Os democratas também estão dispostos a recorrer ao plenário, caso seja pedido de arquivamento das denúncias. O partido já tem um documento assinado nesse sentido. “Se formos derrotados, iremos ao plenário do Senado”, afirmou Agripino.

O abaixo-assinado seria assinado por senadores do PSDB, DEM, PDT, PSB e PT, além de alguns dissidentes do PMDB. Conforme as estimativas, o documento poderia contar com a assinatura de quase 50 senadores, mais da metade da composição da Casa, que tem 81 parlamentares.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/08


2009

Lula diz que obras seriam mais econômicas sem embargos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou a solenidade de assinatura da lei que cria 230 Varas Federais para criticar a paralisação de obras públicas. Ao rebater as críticas de que a nova legislação vai inchar a Justiça Federal e gerar mais custos à União, o presidente afirmou que se economizaria muito mais caso não houvesse embargos nas obras, informou o Correio Braziliense.

Segundo Lula, há setores da sociedade que gostam de criticar medidas do governo por criarem novos cargos, mas não notam que elas são necessárias e que a paralisação de projetos é muito mais custosa ao Estado.

''Uma coisa muito importante que eu queria reafirmar para vocês é que vivemos no Brasil um conflito. (...) Sofremos com a incompreensão das pessoas, quando as pessoas têm que tomar medidas. (...) Cada vez que a gente tem que dar um aumento, cada vez que a gente tem que montar uma nova sede para a Justiça, cada vez que a gente tem que criar uma nova Vara, ou contratar mais gente, há sempre um par de pessoas que fazem duras críticas de que o Estado está inchando e de que é preciso um choque de gestão'', disse o presidente. Ele afirmou que encomendou à sua assessoria o levantamento do gasto efetivo com o atraso das obras públicas, como objetivo de delimitar a ''implicação'' de ter um projeto paralisado por um ou dois anos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

04/08


2009

Sarney deve se pronunciar hoje sobre crise no Senado

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), deverá fazer um pronunciamento na tarde desta terça-feira (4) no plenário da Casa sobre a crise na instituição. O discurso faz parte da estratégia de enfrentar quem pede sua renúncia da função. Segundo a assessoria de Sarney, o pronunciamento está sendo redigido pelo próprio presidente da Casa. O teor do discurso não foi revelado, informou o G1.

Na segunda-feira (3), os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Fernando Collor (PTB-AL) iniciaram a estratégia com bate-bocas com o senador Pedro Simon (PMDB-RS), que discursava em plenário pedindo a saída de Sarney. 

Durante o recesso o clima contra Sarney piorou. Entre as denúncias, a divulgação de gravações ligando o presidente do Senado a atos secretos contribuiu para aumentar o tom dos que pedem a sua saída. O Conselho de Ética da Casa tem 11 pedidos de investigação contra Sarney e tem sua primeira reunião marcada para esta quarta-feira (5).

O último discurso de Sarney foi antes do recesso parlamentar. Ele se disse injustiçado e destacou as medidas administrativas tomadas no comando da Casa para reverter as irregularidades descobertas no Senado, como os atos secretos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Gilson Sotero Jr.

Boa pergunta Roberval.

Roberval Dias de Oliveira Sobrinho

Ele vai dizer o quê??



04/08


2009

Jarbas: Senado não vota nenhum projeto até saída de Sarney

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) disse, em entrevista à imprensa ao lado do Plenário, que buscará exercer qualquer tipo de influência e em qualquer ocasião para que o Senado não vote mais nenhuma proposta até que José Sarney renuncie ao cargo de presidente da Casa, informou a Agência Senado.

Para o senador, Sarney deve deixar o cargo imediatamente em razão do conjunto de denúncias que pesam contra ele. Jarbas disse que, durante o recesso, essas denúncias se avolumaram enquanto as respostas a elas, em sua avaliação, são incompletas. Na sua opinião, o âmbito para as explicações de Sarney, a partir de agora, é o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar.

Jarbas Vasconcelos lembrou que ele e Simon participaram da fundação do PMDB, afirmou que ambos não deixarão o partido e que não devem explicações aos atuais líderes da legenda.

O senador também fez críticas ao procedimento dos senadores de Alagoas Renan Calheiros (PMDB), líder de seu partido, e Fernando Collor (PTB) durante o discurso do senador Pedro Simon (PMDB-RS) na sessão desta segunda-feira (3). Para ele, houve tentativa de intimidar a oposição. Segundo Jarbas Vasconcelos, Simon estava em busca de entendimento. O senador por Pernambuco também lamentou o fato de a Mesa não ter providenciado a retirada das notas taquigráficas das palavras ofensivas a Simon.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Márcio Siqueira

Ah! Desculpe-me Pedo bó, por não conjugar o vebo "mexer" corretamente na frase. Corrijo-me "Mexeram"

Márcio Siqueira

O "pedo bó" do zé pereira ficou raivozinho. Parece que eu disse palavras que mexeu numa ferida ainda não cicatrizada, ou melhor apodrecida.

Márcio Siqueira

O cavalo batizado do Zé Pereira (Me lembra o personagem folclórico do carnaval) não sabe que o sinônimo de DEFERIDO é ATENDIDO, por isso ele tenta corrigir o incorrigível. O analfabeto funcional do Zé não notou que eu usei o verbo PEDIR, aliás, ele notou, mas não entendeu. Analfabeto funcional. “Ped

Juscelino Pereira da Silva

ACHO QUE O JARBAS NÃO TEM MAIS CLIMA NO PMDB.ACHO,AINDA, QUE ELE ESTÁ LÁ(PMDB)PRA TENTAR DESMORALIZAR O PARTIDO EM NOME DE SEUS ALIADOS(DEM,PSDB...)VISANDO 2010.E SE O PMDB FOSSE OPOSIÇÃO? SERIA ESTA A POSTURA DE JARBAS?

JARBASTA

Tremei-vos, o cão voltou..não mudou NADA..a mesma impáfia, a mesma arrogância de sempre..os mesmos olhos esbugalhados. O mesmo cão que um dia foi útil aos Frias, aos Marinho, aos Civita et caterva. Quem tem rabo-de-palha cuidado, o cão sabe de muita coisa. O mesmo cão que muitos daqui votaram nelle


Jornao O Poder

04/08


2009

Projeto disciplina descarte de resíduos de informática

As empresas produtoras, distribuidoras e vendedoras de equipamentos de informática instaladas em Pernambuco poderão ser obrigadas a criar um programa de recolhimento, reciclagem e destruição dos produtos por elas comercializados,informou o site da Alepe. A determinação está prevista num projeto de lei do deputado Isaltino Nascimento, do PT, que foi aprovado, nesta terça (quatro de agosto), na Comissão de Justiça.

Segundo o parlamentar, a matéria tem por finalidade reduzir ao máximo os impactos ambientais causados pelos equipamentos de informática. Isaltino comentou que esse tipo de produto torna-se obsoleto com muita rapidez e, comumente, é descartado pelos usuários em locais não apropriados. De acordo com Isaltino, o lançamento de tais equipamentos em aterros sanitários, por exemplo, pode contaminar o solo, os lençóis freáticos e as plantações de alimentos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

francisco sales

Sensato ???? isso é uma hipocrisia !! Muito mais lixo de outros produtos existem por aí e ninguém fala nada ! Pneu é um bom exemplo. Porque ele não vai procurar punir os prefeitos que não recolhem o lixo básico ? Pq ele não vai punir o circo que desmatou milhares de árvores em Olinda ?

GILSON SOTERO DA SILVA JUNIOR

Pelo menos um projeto sensato deste individuo, após o aumento dos auditores.



04/08


2009

Sarney cancela participação em evento

Pelo segundo dia consecutivo o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), cancelou sua participação em eventos na Casa. Pediu que o primeiro-secretário, Heráclito Fortes (DEM-PI), o representasse, desta vez, em sessão solene de comemoração aos dez anos de criação do Ministério da Defesa. Nem a presença do ministro da Defesa, Nelson Jobim, foi suficiente para fazer com que Sarney aparecesse em plenário, noticiou a Agência Brasil.

A pressão para que ele renuncie ao cargo aumentou neste início de trabalho depois do recesso parlamentar. Os líderes do DEM e do PSDB se reúnem com as bancadas para definir como será a atuação da oposição no pedido de renúncia de Sarney e também no Conselho de Ética, que se encontra amanhã para avaliar as onze representações contra o presidente da Casa. PT e PMDB também tem reunião marcada para hoje.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha