FMO janeiro 2020

08/01


2008

Problemas e soluções para a cidadania francesa

 La Vilenueve é um bairro (por aqui se chama quartier) de Grenoble. É dessas obras de engenharia política que tem tudo para dar certo, só que aí entra a rivalidade política, adversários chegam ao poder e o que tinha tudo para dar certo, passa ser um enorme problema. O danado da política é que toda vez que um político tenta desconstruir o mérito de seus adversários, o maior – quase sempre único – prejudicado é o inocente, honesto e ordeiro cidadão bom pagador de impostos e cumpridor de suas obrigações e compromissos ético-morais. Pior: destes, sofrem quase sempre os mais frágeis, crianças, mulheres e, no caso francês, a juventude sem perspectivas de emprego. Aí fica fácil entender os protestos de Paris que assombraram o mundo em 2007.

 

Nesta terça-feira de um frio de regelar em Grenoble, visitamos La Vilenueve. Projeto político de um ex-prefeito socialista da cidade, Hubere Dubedout. Com capacidade para abrigar mais de cinco mil famílias e hoje com uma população de mais de 12 mil pessoas é um complexo de apartamentos com um grande parque, biblioteca, escolas, teatro. Mais, proposta de integração de classes sociais e étnicas: inicialmente, o projeto teria metade dos imóveis comercializados e a outra metade serviria de alojamento social para quem não podia comprar sua moradia.

 

Hoje ainda é um bonito lugar, carinhosamente apresentado à comitiva brasileira pelos simpáticos e acolhedores Danielle Thevenot, André Beranger - que abriu as portas de sua casa para conversar conosco demoradamente (com direito a bom café e a tradicional torta galet de roys, em homenagem ao Dia de Reis, 06 de janeiro) -, além do solícito Nöel Ferrand, que gentilmente nos deu uma providencial carona no dia mais frio que enfrentamos até agora no sudoeste da França.

 

Mas sem a atenção que deveria merecer La Villenueve tem muitos problemas. As pichções sendo pintadas cuidadosamente pelo pessoal da administração não escondia a ameaçadora presença das gangues juvenis na região. Também a droga avança arrasando a garotada. Somente o frio é que atrasou o “encontro” da “turma” no pátio do condomínio na manhã desta terça-feira.

 

Aí a gente vê aqueles meninos e meninas apressados correndo para a escolinha e pensa: o que será destes inocentes? É por isso que a ação solidária tem que avançar rapidamente. Ainda podemos salvar as futuras gerações...

 

Depois, almoçamos no Mosaikafé na cidade onde estamos instalados na casa do Thomas e da Elisabeth Letz. É um espaço sem fins lucrativos que serve refeições a baixo custo e tocado por um grupo de voluntários. Começou nas mãos de nossa anfitriã, Elisabeth anos atrás. A refeição deixou-me cheio de orgulho. Mesmo sem saber nosso singelo Restaurante Popular Dom Hélder Câmara tem um irmão gêmeo enquanto proposta solidária nesta pacata cidade de Saint Martin D’Éres.

 

O mundo é realmente pequeno. Em Grenoble funciona o Cause Commune (Causa Comum) no bairro de Jouhaux. A famosa Causa Comum pernambucana - onde atuaram Pedro Eurico (PSDB), João Braga (PV) e Roberto Franca (PSB) - do tempo de Dom Hélder foi inspirada nessa daqui. Coinciência maior? Tem. Quem toca o trabalho aqui chama-se Pasqualine Nove-Josserand. Ela foi minha vizinha no Engenho do Meio, adora o Carnaval de Olinda e é parceira da Cáritas Brasileira que tem assento no mesmo Conselho Estadual de Segurança Alimentar em que participamos representando a Ação da Cidadania Pernambuco Solidário.

 

Nesta quarta-feira seguiremos cedo para Paris onde novos projetos de solidariedade nos aguardam ao lado dos franceses e da comitiva do Quebec que participou do RÉCit. Anselmo Monteiro, de Grenoble e Saint Martin D’Éres, aos pés dos nevados Alpes franceses.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Jaboatão

08/01


2008

Descoberta do óbvio

Do site de Divane Carvalho

 Elementar: quanto mais policiais e mais viaturas da polícia circulando nas ruas, menos violência. Os gênios da área de Segurança Pública do governo Eduardo Campos demoraram para descobrir essa equação tão simples que reduziu em 38% os índices da criminalidade no feriadão de Ano Novo.
 
Antes tarde do que nunca, naturalmente. O resultado foi tão bom que o governo já anunciou que vai manter o esquema de mais PMs nas ruas e mais viaturas policiais rondando a cidade por tempo indeterminado. Um alento para a população do Recife que vive em estado permanente de tensão por conta dos bandidos que se transformaram nos donos das ruas. Com o policiamento ostensivo, com certeza essa situação vai mudar.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Essa do senhor Milton Tenóriio foi excelente. Recife não é Pernambuco. E é o que então, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais? Francamente, vamos criticar o governador, mas vamos saber criticar também né!

Gilberto Carvalho Moura

Acho que policiamento ostensivo, sem outras providencias, apenas troca a violência dos bandidos pela violencia policial.

fernando gordinho

que comentario né. obvio que a festa natalina e um perildo de reflexaõ,espira menos violencia quera DEUS melhorem em outras epocas como canaval.preciasmos construir presidio policia na rua mais pessoas na cadeiar.

Sérgio J. Cadena Bandeira de Melo

CURIOSO É QUE REALMENTE TEM VIATURAS MAS SÓ VEJO COM 2 POLÍCIAS, O MOTORISTA E OUTRO, NESTE CASO COMO EM UMA ABORDAGEM QUE TENHA MAS DE 2 SUSPEITOS ? FICA COMPLICADO PARA O POLICIAL.

milton tenorio pinto junior

E as outras cidades? Jaboatão nem sabe o que é policia. Recife não é pernambuco.


Cabo de Santo Agostinho

08/01


2008

Assessor de Lula nega simpatia pelas FARC

 O assessor especial para Assuntos Internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia, disse nesta terça-feira à BBC Brasil que sua "posição não é de simpatia pelas Farc" – as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

A declaração foi feita em resposta à afirmação do ministro das Relações Exteriores da Colômbia, Fernando Araújo, de que a comissão que foi acompanhar uma suposta entrega de reféns a Chávez "chegou com um discurso muito carregado contra o governo (da Colômbia) e muito favorável às Farc".

Araújo fez a afirmação ao anunciar que o governo de Álvaro Uribe não aceitará novas comissões de observadores internacionais em seu território.

"A declaração é surpreendente", disse Marco Aurélio Garcia, que foi o representante brasileiro no grupo.

"É surpreendente porque não correspondente às posições do presidente Uribe. Acho que há algum desentendimento dentro do governo colombiano", afirmou.

"A comissão não tem nenhuma simpatia pelas Farc. Não conheço qual é a opinião pessoal de cada um dos membros da comissão, mas o grupo não revelou nem simpatia nem antipatia, colocou-se numa posição neutra. A minha posição não é de simpatia pelas Farc", afirmou. (Informações da BBC Brasil)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Eita povinho né seu Sales? Eita povinho que não sabe votar e que devia era se colocar em seu lugar de gentalha né? Afinal pra que transferir renda pra essa gentalha? Pau no gov. Lula! Queremos nossas peniqueiras e mão de obra barata de volta! DEMONIOCRATAS no poder já!

francisco sales

imbecil vai fazer no meio de uma curriola dessa ? será que não tem o que fazer ??? quando não está atrás de dossiê está fazendo gestos obcenos e agora lá vem com mais essa !! eita povinho !!!

francisco sales

esse povo é um bando de sem-noção a começar por esse imundo codinominado TOP-TOP-TOP ! esse triângulo: colômbia, venezuela e farcs são gente da pior estirpe ! Dizem que o Uribe cresceu graças a coisas duvidosas portanto, crédito zero ! Os outros 2 do grupo nem se fala ! O que esse......

Sérgio J. Cadena Bandeira de Melo

QUE TEM O BRASIL COM A CASA DOS OUTROS, QUEM MEXE EM CASA DE MARIMBONDO COM VARA CURTA TERMINA MORIBUNDO. É O CASO DELES. QUE PODE ATE NOS ATINGIR.GARCIA COMO ASSESSOR DO luiz ináco TENTE INDUZIR ELE A TER COMPAIXÃO, PIEDADE DÓ DA SAÚDE NO BRASIL, PARA QUE DEUS UM DIA O RECEBA E NÃO DE AS COSTA .


Prefeitura de Serra Talhada

08/01


2008

PA: TRE cassa o primeiro mandato por infidelidade

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) cassou, na manhã desta terça-feira, o mandato do vereador João Maria Alves da Silva (PSL) por infidelidade partidária, de acordo com a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na qual se definiu que o mandato pertence ao partido e não ao político. É o primeiro caso julgado de infidelidade no Estado.

A decisão foi unânime. Os juizes do TRE acompanharam o voto do relator, juiz José Maria Teixeira do Rosário. O pedido da perda de mandato eletivo de vereador pertencente ao município de Santa Izabel, eleito pelo PSL, foi feito pelo presidente do partido, Francisco Vanderlei Barros Brito, devido à desfiliação sem justificativa.

O PSL informou que o vereador, eleito em 2004, solicitou sua desfiliação da legenda após pouco mais de dois anos de mandato, alegando motivos de ordem pessoal e de caráter definitivo. O PSL informou também que o vereador já estaria filiado ao PSC. Do JB Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

carlos terceiro de medeiros

Amigo Nivaldo, sou titular do blogdoterceiro.com e acompanho o trabalho de vocês diariamente. Gostaria de apenas lhes informar que essa foi a segunda cassação, porque a primeira foi de um vereador do município de Buritis em Rondônia. Aliás, essa informação, consta no próprio TSE. Um abraço, Carlos .



08/01


2008

João Paulo desmente que teria oferecido vice ao PSB

O prefeito do Recife, João Paulo (PT), desmentiu a informação de que teria oferecido a vaga de vice-prefeito ao PSB na chapa a ser comandada pelo PT nas eleições da Capital desse ano. “Causou-me muita estranheza essa informação de que uma fonte teria dito. Primeiro que uma conversa que tive com Milton Coelho (presidente estadual do PSB) foi muito anterior, e a conversa que tive com Eduardo Campos (governador), só participaram eu, o governador, o vice-governador e a minha secretaria Lygia Falcão. É muito esquisito”, questionou.

O petista, que conversará amanhã com integrantes do PCdoB, afirmou que a relação política entre o PT e o partido comunista facilitará o diálogo. “Somos aliados desde 2000, e depois na minha reeleição no 1º turno (2004). Acredito que temos tudo para ter uma importante conversa”, apostou.

O prefeito disse respeitar a decisão do PCdoB caso ele queira lançar a candidatura do vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira. João Paulo enfatizou que a sua posição é de construir uma unidade das forças de esquerda, mas caso contrário a saída será lançar múltiplas postulações. “Vamos conversar e se necessário estabelecer um cenário com múltiplas candidaturas e que todos sejam felizes”, ironizou. Da Agência Nordeste.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima - Prefeitura - Abreunozap

08/01


2008

Ministra dá prazo a Lula para que explique imposto

 A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Ellen Gracie, abriu prazo de dez dias para que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva se manifeste e forneça informações sobre o decreto que aumentou alíquotas do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). A resposta do presidente Lula e os pareceres da AGU e do MPF serão anexados à Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) ajuizada ontem pelo DEM contra o reajuste do tributo.

Após os dez dias, a Advocacia Geral da União (AGU) e o Ministério Público Federal (MPF) terão prazo de cinco dias cada um para analisar o decreto presidencial. O procedimento adotado por Ellen Gracie acelera a análise do caso. Assim que as informações forem prestadas pelo presidente, pela AGU e pelo MPF, o processo será repassado a um relator no STF e, em seguida, remetida ao plenário do tribunal para que seja julgada em definitivo.

O mesmo procedimento deve ser adotado em relação à Adin protocolada hoje pelo DEM contra o aumento da alíquota da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), cobrada de instituições financeiras. Com esse trâmite, diminuem as possibilidades de um dos ministros derrubar ou preservar as medidas do governo por decisão própria. O aumento do IOF foi uma das medidas tomadas pelo governo para compensar a perda de arrecadação com a extinção da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Da Agência Estado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

08/01


2008

Presidente do Senado rejeita convocar comissão

O presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho, rejeitou hoje o pedido do senador Alvaro Dias (PSDB-PR) e do deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP) para que a Comissão Representativa do Congresso Nacional se reúna durante o recesso para sustar o aumento na alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

A Comissão Representativa, composta por 17 deputados e oito senadores, funciona durante o período de recesso parlamentar - que em 2008 se estende até o dia 5 de fevereiro -, por determinação constitucional, para analisar assuntos que não podem esperar o retorno das atividades legislativas.

O senador Garibaldi se baseou no aprecer da assessoria jurídica do senado para negar a convocação da Comissão Representativa. Garibaldi considerou desnecessária essa análise. Do Portal Terra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

08/01


2008

Brasília: Morre mais uma suposta vítima da febre amarela

 Mais um paciente internado com sintomas da febre amarela morreu em Brasília na tarde desta terça-feira. Graco Carvalho Abubakir, de 38 anos, foi internado na sexta feira no Hospital Santa Luzia com febre alta, dores no corpo, diarréia e náuseas. O quadro do evoluiu com complicações hepáticas e renais, confirmadas por exames laboratoriais.

Os médicos descartaram a hipótese de dengue hemorrágica e hepatite. Os resultados da sorologia e da necropsia que podem confirmar se a causa da morte foi a febre amarela serão divulgados em uma semana.

Uma mulher de 29 anos com sintomas da febre amarela continua internada no hospital Regional de Sobradinho desde o fim de semana. Ela chegou ao hospital com sintomas mais amenos e seu quadro permanecia estável, sem agravamento até ontem. O secretário disse que a hipótese mais provável é de leishmaniose visceral; ele não descarta, porém, a febre amarela. Do Portal UOL.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Sérgio J. Cadena Bandeira de Melo

OLHA A SAÚDE AI GENTE, INDO PARA O BURACO COM MATÉRIA E TUDO; CUIDA DA SAÚDE MINISTRO, NO MÊS DE DEZEMBRO AQUI EM RECIFE MORRERAM 6 PESSOAS POR FALTA DE LEITO,NÃO SAI NO J N ; O DESCASO COM A SAÚDE VAI CADA VEZ MAS.


Potencial Pesquisa & Informação

08/01


2008

Deputados discutem endividamento rural com José Múcio

 Os deputados federais Marcos Montes (DEM-MG), presidente da Comissão da Agricultura da Câmara, e Homero Pereira (PR-MT) se reúnem amanhã (9), às 16h30, com o ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, para discutir o pacote de medidas para o endividamento rural, estimado em R$ 120 bilhões. A reunião, no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), vai contar ainda com técnicos dos Ministérios da Fazenda e da Agricultura.

Além de uma decisão final sobre um pacote de medidas para o endividamento - que foi adiada do final do ano passado para 31 de março, após o fim da CPMF - os deputados irão cobrar do ministro a prorrogação das parcelas das atuais dívidas que vencem entre janeiro e março. De acordo com Montes, "é natural que as parcelas sejam prorrogadas, já que foi o governo o responsável por adiar a proposta de renegociação", afirmou. Já o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, disse hoje que ainda não há uma decisão sobre o assunto.

Em dezembro do ano passado, para que o governo pudesse readequar o Orçamento sem os R$ 40 bilhões da CPMF, Stephanes pediu prazo até o último dia de março para apresentar ao setor uma proposta de repactuação. O compromisso do governo federal foi assinado por Stephanes e pelos ministros da Fazenda, Guido Mantega, e do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel. Outro tema discutido na reunião de amanhã será a taxação das operações de crédito agrícola em 0,38%, o mesmo porcentual da extinta CPMF, criada na semana passada. Do Estadão.com.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


08/01


2008

Senador do PSDB protocola projeto contra pacote

 O senador Alvaro Dias (PSDB-PR), acompanhado pelo presidente nacional do partido, Sérgio Guerra, protocolou hoje, na Mesa Diretora da Casa, um projeto de decreto legislativo que pede a anulação do reajuste da alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), anunciado pelo governo na semana passada. No requerimento, Dias argumenta que o Executivo extrapolou suas funções.

"Primeiro, o governo não honrou a palavra empenhada em não aumentar imposto, depois da aprovação da Desvinculação de Receitas da União (DRU). Depois, porque há execesso de arrecadação, excesso de receita. O que o governo previa de arrecadação para este ano será amplamente superada", afirmou Dias.

O PSDB também argumenta que há uma bitributação no caso do IOF, já que foi incluída na alíquota os 0,38% que eram da CPMF. "Se isso não for criação de novo imposto, eu não sei o que é", questiona Dias. Do Portal Terra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Sérgio J. Cadena Bandeira de Melo

SR SEVERINO ISIDORO FERNANDES RESPEITO O SUA PAIXÃO, POREM PROVE QUE NÃO ACONTECEU ESTE DEIS CASO PARA COM O APOSENTADO E DOU A MÃO A PALMATÓRIA.

Severino Isidoro Fernandes Guedes

E por falar em povo trabalhador. De que povo trabalhador o senhor está falando senhor Bandeira? Dos assalariados que estão apoiando o governo Lula que os tem integrado socialmente? Ou dos (altamente) assalariados que estão fartos de ver essa, ainda que pequena, ascensão social dos pobres?

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Ou será que o senhor sente saudades daquele tempo em que se dava míseros R$ 7 de aumento para o salário mínimo e que os aposentados e servidores públicos eram chamados desrespeitosamente de vagabundos? É isso que é governar para o povo senhor Bandeira?

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Faço um desafio agora aqui para o senhor sr. Bandeira: Pró-Uni (inclusão dos pobres na universidade), amplieação do Bolsa Família, recuperação do salário mínimo e melhoria de renda. Apenas para ficar aí. Me diga o que os outros governos fizeram de tão melhor que isso para o povo.

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Sigo a bandeira do povo. Senhor Sérgio, para de mentir para si mesmo, o senhor sabe que sua oposiçãozinha conservadora e elitista nunca pensou no povo e que, apesar dos defeitos do gov. Lula, só agora o país começou a melhorar seus índices sociais. Faça oposição, mas deixe de se enganar.