09/05


2012

Justiça começa a julgar assassinos de prefeito petista

 A Justiça começa a julgar amanhã, mais de dez anos depois do crime, cinco acusados de matar o prefeito de Santo André (SP) Celso Daniel (PT), assassinado com oito tiros em janeiro de 2002. A tese da Promotoria é que Daniel foi morto porque descobriu um esquema de corrupção na prefeitura para financiar campanhas do PT. Escolhido para coordenar a campanha do ex-presidente Lula, Celso Daniel foi encontrado morto numa estrada de terra em Juquitiba (SP), após dois dias de sequestro.

O júri de amanhã em Itapecerica da Serra (Grande São Paulo) marca mais uma etapa de um duro embate entre o Ministério Público de São Paulo e o PT. A Promotoria sustenta que o grupo que será julgado sequestrou e matou o prefeito a mando do ex-segurança Sérgio Gomes da Silva, conhecido como Sombra, que responde em liberdade e até hoje não foi a julgamento. (As informações são da Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JORGE GUERREIRO

Também estou esperando os comentários PTistas. Kd vcs!!!

Erivaldo Melo

Nenhum petista vai comentar? O pessoal do MAV vai ficar caladinho? Falta esclarecer a morte de outro prefeito do PT a de Toninho.


Jaboatão Habitacional Suassuna

09/05


2012

Blindagem: Temer descarta convocação de Cabral à CPI

 O vice-presidente Michel Temer, principal líder do PMDB, disse ontem não ver motivos para que o governador do Rio, o peemedebista Sérgio Cabral, seja convocado pela CPI do Cachoeira. Para ele, as viagens e o jantar do colega de partido com o empreiteiro Fernando Cavendish, dono da Delta, não configuram crime. Embora Temer tenha tido o cuidado de ressaltar que não deseja influir na investigação do Congresso, trata-se de uma declaração de peso. O vice é presidente nacional licenciado do PMDB. Temer falou em entrevista à Folha e ao UOL. Seu recado sobre Cabral reforça a estratégia do governo de proteger os governadores de partidos aliados. Outro citado nas investigações é o governador do DF, Agnelo Queiroz (PT).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JORGE GUERREIRO

O desejo de muitos POLÍTICOS é que essa CPMI não tenha continuidade, inclusive os que estão DIRIGINDO a mesma, por medo de serem pegos pela mesma.

Raimundo Eleno dos Santos

Tudo é encenação.Até essa CPMI de portas fechadas!Na verdade nenhum político quer o seu final, a não ser o olvido,q todos,todos mesmo,querem.Não esqueça de que quem lida com mel(dinheiro do erário)sente a irresistível vontade de colocar o dedo na boca.E coloca até a mão e atola até o pé!Ai q farra!

o povo da de olho

Isto existe? é simplesmente IMORAL. Cade uma força exterior para obrigar a suspeitos serem ouvidos? estamos entregues as BARATAS OU Aos RATOS......


Pousada da Paixão

09/05


2012

Aliados se irritam com Dilma por mudanças na Petrobras

 Parlamentares da base aliada se reuniram ontem para discutir a dança das cadeiras promovida pela presidente Dilma Rousseff e pela presidente da Petrobras, Graça Foster, na estatal. O PP, que perdeu o diretor de Abastecimento Paulo Roberto, relatou que foi pego de surpresa. Já o PT afirma que Lula havia dado garantias de que o substituto de Renato Duque na Diretoria de Serviços seria Roberto Gonçalves. Mas Dilma e Graça optaram por Richard Olm. O PMDB, que perderá o diretor da área internacional, Jorge Zelada, foi avisado de que poderá indicar o substituto para a vaga. Mas já está ciente de que a diretoria será esvaziada. O partido ainda teme perder o comando da Transpetro. (Vera Magalhães - Folha de S.Paulo


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/05


2012

Pará: major responsável por massacre se entrega

 O major da Polícia Militar do Pará José Maria Pereira de Oliveira, 57, condenado pelo massacre de Eldorado do Carajás (PA), que deixou 19 sem-terra mortos em 1996, foi preso ontem, informa a Folha de S.Paulo de hoje. Também condenado sob acusação de liderar a ação que resultou no massacre, o coronel Mário Colares Pantoja, 65, havia sido detido no dia anterior. Ambos tinham sido condenados em 2002, mas recorriam em liberdade desde 2005. As prisões ocorreram agora, 16 anos depois, porque o processo transitou em julgado (não cabem mais recursos). Oliveira se apresentou num presídio em Santa Isabel do Pará (PA). Ele recebeu pena de 158 anos e quatro meses de prisão, e o coronel, de 228 anos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JORGE GUERREIRO

Um absurdo o que a JUSTIÇA BRASILEIRA está fazendo com esses policiais, se eles não matassem morriam a golpes de FOICES, FACÕES, FACAS, etc., Cadê a lei da LEGITIMA DEFESA.



09/05


2012

Argentina é o maior desafio para o Brasil, diz governo

 A secretária de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Tatiana Prazeres, afirmou que a Argentina é hoje o maior desafio para as exportações brasileiras. As vendas ao vizinho estão em queda e o governo estuda medidas de financiar as exportações. "A Argentina é um importante mercado para o Brasil, principalmente, de produtos manufaturados, e não é interessante que a situação econômica de lá se deteriore", disse. As vendas para a Argentina caíram por causa de ações protecionistas adotadas pelo vizinho para incentivar a economia local e evitar a saída de dólares. As exportações para a Argentina somam 10% do total do Brasil. O país vizinho é o terceiro mais importante para o comércio exterior brasileiro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina abril 2021

09/05


2012

Ministro barra manobra beneficiando mensaleiros

 José Roberto Salgado, diretor do Banco Rural, uma das casas bancárias envolvidas no escândalo do mensalão, tentou emplacar no STF uma derradeira esperteza. Num instante em que o julgamento se avizinha, Salgado pediu açucar. Queria que as acusações contra ele descessem à primeira instância do Judiciário. Submetido à petição de Thomaz Bastos, o ministro Joaquim Barbosa, relator do processo no Supremo, levou o pé à porta. Barrou a manobra. Anotou em seu despacho que o desmembramento dos autos já foi apreciado antes. E a resposta fora negativa.

O réu alegou que, sem mandato eletivo, não dispõe da chamada prerrogativa de foro. Assim, caberia a um juiz de primeiro grau julgá-lo, não ao Supremo. Na eventualidade de ser condenado, poderia recorrer a um Tribunal de Justiça estadual. Confirmando-se a condenação, o réu ainda disporia do direito de bater às portas do STJ. Só depois de percorrer todos os escaninhos da Justiça o caso chegaria, se fosse o caso, ao STF. (Do blog de Josias de Souza)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca 2021

09/05


2012

Bancos vão baixar juros e apoiam Dilma

 Os dois maiores bancos privados do País, Itaú e Bradesco, preparam novas reduções de juros cobrados de empresas e pessoas físicas, informa O Estado de S.Paulo. A medida é uma forma de demonstrar convergência com a agenda da presidente Dilma Rousseff, um dia depois de mais uma polêmica entre o governo e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Um documento assinado pelo economista-chefe da entidade, Rubens Sardenberg, colocou em dúvida se a queda de juros resultaria em ampliação de crédito.“Você pode levar um cavalo até a beira do rio, mas não conseguirá obrigá-lo a beber água”, escreveu. A nota causou estranheza no governo, e ontem banqueiros se esforçaram para desfazer o mal-estar - a Febraban disse que a opinião de Sardenberg não era oficial.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru Campanha São João 2

09/05


2012

Senado: cassação de Demóstenes tida como certa

 A decisão de ontem do Conselho de Ética do Senado deixa poucas dúvidas a respeito da cassação do mandato do senador Demóstenes Torres. Foi aplaudida a intervenção do senador Álvaro Dias em favor do relatório do senador Humberto Costa sobre a quebra do decoro parlamentar do representante de Goiás. Não deve demorar muito a degola, capaz de deslocar do Supremo Tribunal Federal para a justiça comum o processo contra Demóstenes. Ficou clara a indignação dos integrantes do Conselho de Ética diante de recente discurso dele, negando ligações com Carlinhos Cachoeira. (Carlos Chagas).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

CABO

09/05


2012

CPI: procurador Gurgel engavetou processo, diz delegado


O delegado da PF Raul Souza também apontou envolvimento de Leréia e Sandes Júnior
Foto: O Globo / Ailton de FreitasDelegado em depoimento ontem  

 O delegado da Polícia Federal Raul Alexandre Marques Souza afirmou ontem à CPI do Cachoeira que uma investigação da PF que indicou o envolvimento de políticos com o grupo de Carlinhos Cachoeira ficou paralisada após ser encaminhada à Procuradoria-Geral da República. Segundo o delegado, se a investigação não tivesse sido engavetada, o grupo de Cachoeira não teria se fortalecido. Ele não quis responder, no entanto, qual a razão para a procuradoria ter paralisado a Vegas. ''Não posso fazer ilações.''

O delegado disse que, após a entrega dos documentos, ele se reuniu com a subprocuradora-geral da República, Claudia Sampaio, que lhe explicou, falando em nome do procurador-geral, Roberto Gurgel, seu marido, que a procuradoria não tinha encontrado elementos para processar o senador e os outros dois deputados. O depoimento, o primeiro da comissão, feito em sessão secreta, fez com que aumentasse a pressão para convocar o procurador-geral. A oposição também defendeu ontem a convocação. ''Ele vai ter que se explicar'', disse o líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR). Também deve ser apresentado, até a semana que vem, um pedido para ouvir a subprocuradora-geral, Claudia Sampaio.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Junho 2021

09/05


2012

Dilma se irrita, pressiona e obtém retratação de bancos

Federação de bancos desautoriza economista-chefe que ironizou na véspera pressão do governo por crédito maior


Relatório da Febraban irritou a presidente Dilma. No mesmo dia em que pediu retratação, terça, participou de apresentação de Oficiais-gerais em Brasília (foto)
Foto: Gustavo Miranda / Agência O GloboRelatório da Febraban irritou a presidente Dilma. No mesmo dia em que pediu retratação, terça, participou de apresentação de Oficiais-gerais em Brasília (foto)Gustavo Miranda / Agência O Globo

A presidente Dilma Rousseff ficou irritada com a relatório distribuído na última segunda-feira pelo economista-chefe da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Rubens Sardenberg — que colocou em dúvida, com ironia, a eficácia das medidas de estímulo ao crédito. Dilma exigiu, por meio do ministro da Fazenda, Guido Mantega, que a instituição se retratasse publicamente. A nota divulgada na terça-feira pela Febraban desautorizando o relatório reflete o pedido de desculpas. Logo que constatou o mal-estar criado pelo relatório, o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, ligou para Mantega para tentar contornar a situação. Foi então informado de que, se as críticas tinham sido públicas, a retratação também teria que ser. Mantega deu prazo até o fim da tarde para a Febraban se manifestar.

Na véspera, Sardenberg afirmara que “alguém já disse que você pode levar um cavalo até a beira do rio, mas não conseguirá obrigá-lo a beber a água”, numa referência à pressão da equipe econômica para a redução dos spreads (diferença entre o que o banco paga para captar dinheiro e o que cobra do cliente) embutidos nos empréstimos e para o aumento do volume de crédito. Procurado na noite de segunda-feira pelo GLOBO, um interlocutor próxima da presidente Dilma rebateu: “você não pode obrigar um cavalo a beber água, mas ele também pode morrer de sede”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021