FMO janeiro 2020

22/04


2012

Datafolha manda oposição da enfermaria para a UTI

DO BLOG DE JOSIAS DE SOUZA

Saiu mais uma pesquisa do Datafolha. Tomada pela fachada, faz reluzir o já sabido: a popularidade do governo Dilma sobe. Foi de 59% em janeiro para 64% agora. Tomada pelo miolo, acende uma luz no fim do túnel da oposição. Luz vermelha. São três os dados que piscam para os antagonistas do petismo:

1. Perguntou-se ao meio-fio quem deve disputar a Presidência em 2014: Dilma ou Lula? A maioria (57%) prefere Lula a Dilma (32%). Para 6%, nenhum dos dois deveria disputar. Outros 5% não souberam responder. Ficou entendido que, se quiser e a laringe deixar, o ex-soberano continua na pista.

2. Indagou-se ao asfalto como votaria se o segundo turno de 2010 se repetisse hoje. Descobriu-se que os 56,05% amealhados por Dilma há um ano e cinco meses viraram 69%. E os 43,95% obtidos por Serra murcharam para 21%. Quer dizer: se Lula não quiser ou não puder, a pista é de Dilma.

3. Entre os eleitores que dizem ter votado em Serra, 52% avaliam a gestão Dilma como ótima ou boa. Entre os que se apresentam como simpatizantes do PSDB, a taxa de aprovação da presidente do PT vai a 60%. Ou seja: no pedaço do eleitorado mais afeito ao tucanato, a maioria caiu de amores por Dilma.

Nos últimos tempos, a oposição mata o tempo perguntando a si mesma –e não respondendo— que diabo, afinal, está fazendo neste mundo. Considerando-se os dados da sondagem, a resposta é nada. Frequenta a cena como visita. Quem tenta dar-lhe ouvidos ou escuta o silêncio ou não entende o que ouve.

Já se sabia que falta discurso à oposição. Descobriu-se que não será fácil arranjar um. A idéia segundo a qual um candidato como Aécio Neves pode apresentar-se como melhor alternativa “a tudo isso que está aí” demanda uma pré-condição: a pregação não pode agredir a agredir a realidade.

Por exemplo: o Datafolha informa que 49% dos eleitores acham que a situação econômica do país vai melhorar. Outros 39% avaliam que a coisa ficará como está. Apenas 13% apostam que o cenário vai degringolar. Em junho do ano passado, 51% imaginavam que os preços subiriam. Hoje, esse contingente caiu para 41%.

Primeiro da fila do PSDB, Aécio prevê que a crise internacional reserva dias piores para o Brasil. Ainda que o tempo lhe dê razão, se disser em público o que rumina em privado será visto não como alternativa, mas como mais um membro do clube do ‘quanto pior melhor’.

Por ora, o que a maioria vê nas gôndolas é a carestia contida. No Banco Central, vê-se a faca dos juros. No Planalto, desponta uma presidente que ordena às casas bancárias estatais que ofereçam taxas menores à clientela e abre guerra contra a banca privada para forçá-la a fazer o mesmo.

Como se fosse pouco, o discurso da moralidade, que já fazia água, acaba de ser engolfado pelo Cachoeira. Demóstenes Torres, que se imaginava nascido para nadador, revelou-se um afogado. Há Agnelos com água pelo nariz. Mas também há Marconis. De uma correnteza assim, tão plural, pode emergir muita coisa, menos um discurso.

Em 2010, a oposição compensava a falta do que dizer superstimando a “ausência de candidato” do PT. Lula elegeu sua poste. A dois anos e meio de 2014, o tucanato e Cia. continuam sem saber o que dizer. A diferença é que o petismo agora tem dois candidatos: a pupila e seu patrono.

O Datafolha informa que a oposição brasileira foi transferida da enfermaria para a UTI. Vale repetir o velho bordão: pesquisa não é senão o retrato de um momento. Significa dizer que seria uma imprudência decretar em 2012 o resultado de 2014.

Algo, porém, é inegável: a oposição está diante de uma encrenca que lhe nega o papel que julga desempenhar melhor. O tucanato pode continuar dizendo que veio ao mundo como exemplo. Falta descobrir de quê.

O Plano Real é sonho velho. A estabilidade econômica foi como que apropriada por Lula. Ou a oposição coloca de pé uma utopia nova ou vai continuar arrastando a bola de ferro que torna os seus candidatos os mais cotados para fazer de um petista o próximo presidente da República.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Wellington Antunes

Vendo essa foto dá uma pena....

Tajmahal Cruz

A oposição é formada por peças em desuso. Há, também,os casos de peças saturadas que não cumprem mais o seu papel. Uma pena, mais é uma constatação. Os novos são absolutamente descartáveis e quando não, apenas carreiristas.

Wellington Antunes

Não se encontra na UTI, há muito já está no cemitério aonde jaz o restos mortais por inanição. Uma pena, porque entendemos que uma oposição é necessária ao regime democrático, todavia esta que morreu quis se apresentar ao povo como a única reserva moral, como o povo não é besta então deu no que deu.

jose silva antonio

ESSA OPOSICAO SAO UM BANDO DE LADRAO CORRUPTO DANDO UMA DE MORALISTA O MAIS HONESTO DA OPOSICAO E O SENADOR DEMOSTENES KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK


IPTU Cabo

22/04


2012

No túnel do tempo

 

 

 

 

 

 

 

 

"Ele está voltando", anunciavam as pichações nos muros do Recife. Era 1979. Miguel Arraes estava há 15 anos sem pisar em solo brasileiro, depois de se exilar na Argélia, em 1964, após o golpe militar. Depois de participar de um comício no Ceará, seu Estado natal, Arraes seguiu para Pernambuco, onde discursou ao lado de lideranças como Luiz Inácio Lula da Silva, José Serra e Ulysses Guimarães. A foto é do arquivo pessoal deste blogueiro. Se você tem alguma foto histórica e deseja vê-la postada no blog nos envie agora: [email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE - Decimo Terceiro

22/04


2012

Dilma versus Lula

DO BLOG DE JOSIAS DE SOUZA


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

acolher

22/04


2012

Demóstenes esnobou grampos da PF e desafiou a Justiça

Assim como o amigo contraventor Carlinhos Cachoeira, preso pela PF na Operação Monte Carlo, o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) caiu no conto do rádio Nextel americano antigrampo. Quando foi citado nos primeiros vazamentos do inquérito, Demóstenes estava tão seguro de que não fora grampeado, que fez chegar por terceiros o desafio ao Ministério da Justiça. Só recuou quando emissários do MJ disseram que o ministro José Eduardo Cardozo tem todas as fitas bem guardadas num cofre que nem a PF tem acesso. E porque já ouviu suas ligações na TV.

Demóstenes pensou em se licenciar por 120 dias do Senado a fim de fugir da imprensa e dos colegas, mas percebeu que o seu pedido de cassação avançaria na Casa.

O Ministério Público Federal em Goiás requisitou inquérito policial para investigar os vazamentos da Operação Monte Carlo.(Leandro Mazzini - Coluna Esplanada)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

jose silva antonio

ESSES SAO OS HONESTOS DA OPOSICAO

Raimundo Eleno dos Santos

O percentual de cínicos no Congresso é altíssimo!



22/04


2012

Jáder, o garanhão

 Na alegria e na tristeza - Em evento do PMDB em Belém, na semana passada, o senador Jader Barbalho discursava sobre os seus 46 anos de filiação ao partido, cercado, entre outras pessoas, pela sua ex-mulher, a deputada federal Elcione Barbalho, e pela atual, a deputada estadual Simone Morgado.

- Eu só tive um partido. A única coisa que mudei mais de uma vez foi de mulher.

Diante da cara de poucos amigos de sua mulher com a piada, Jader tentou remediar:

- Mas em matéria de fidelidade ninguém ganha de mim!              (Vera Magalhãaes - Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Carlos Silveira

Não há mais honesto - consigo mesmo - em Brasília do que este senador.

jose silva antonio

E DEMOSTENES GANHA DE GOLEADA

Lucidio de Figueiredo Galvão Júnior

Completando a frase do nobre Senador: em matéria de fidelidade e ladroagem, corrupção e outros mal feitos, poucos ganham para ele !!!

Raimundo Eleno dos Santos

Um político abaixo de qualquer suspeita, por mais simplória.Esse já tomou biscoito da mão de menino!


Cúpula Hemisférica

22/04


2012

Jingles históricos, hoje plebiscito da forma de governo em 93

Na reedição dos mais criativos e emocionantes jingles de campanhas que entraram para a história do País, do Nordeste e, particularmente, de Pernambuco, deste domingão trazemos a lembrança do plebiscito de 1993. Você vai reviver os dois jingles do Presidencialismo e Monarquia e a peça publicitária, muito interessante, do Parlamentarismo. Neste ano os brasileiros foram às urnas para votar a forma de governo que o país deveria adotar e ganhou o Presidencialismo é claro.

Clique abaixo e reviva esta emoção. Se você tem algum documento histórico como este nos envie: [email protected]


Ouça aqui:      Presidencialismo     Monarquia     Parlamentarismo


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

22/04


2012

Mensaleiros: não tem Cachoeira que dê jeito

Um alerta de Vera Magalhães, na sua coluna da Folha de S.Paulo, para os mensaleiros, alegres e esperançosos de que Cachoeeira e seus problemas vão desviar os holofotes para si e deixar no esquecimento suas peraltices no mensalão:

''''Além de todos os inconvenientes que pode trazer para o governo federal, a CPI do Cachoeira provoca urticárias também nos candidatos a prefeito do PT, a despeito do empenho da cúpula do partido em instalá-la.

Se um dos objetivos da comissão era tirar o foco do julgamento do mensalão, o efeito foi o oposto: externa e internamente, no Supremo Tribunal Federal aumentou a pressão para que o caso entre em pauta ainda neste semestre. Para petistas como João Paulo Cunha, que é réu no processo e candidato a prefeito de Osasco (SP), a combinação de uma CPI imprevisível com o julgamento de proporção inédita é considerada desastrosa.''''


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

22/04


2012

João Paulo conta tudo: por que rompeu com João da Costa

Lembra o carnaval (2010), quando Dilma Rousseff era pré-candidata e ela veio para o Galo? Quando cheguei no camarote, recebi a informação de que só podia entrar sozinho, sem as pessoas do nosso núcleo de confiança e que ajudaram na eleição do prefeito. A imprensa, naquela hora, também foi barrada. Eu fiquei muito incomodado, subi “na tora” e perguntei a Félix Valente (então chefe de gabinete do prefeito) de quem era aquela orientação. Ele disse que era do prefeito. Então, eu dei um abraço em Dilma e fui embora rápido.

 

Finalmente qual foi o mistério, o segredo tão bem guardado entre João Paulo e João da Costa, o fato grave entre os dois que detonou a amizade, a ligação político-pessoal que preservaram durante os dois mandatos do deputado? Pois João Paulo veio agora, depois de tanto tempo, detalhar fatos que mais ou menos explicam o que realmente houve entre os dois. Excelente entrevista feita por Aline Moura, no DP, publicada neste domingo, desnuda muita coisa, com narração do próprio João Paulo. Eis alguns trechos da entrevista:

Dizem que o senhor queria mandar na prefeitura.

Sim, mas o que é que eles iam dizer, se não fosse isso? Tinha que ter algum argumento para justificar o rompimento. Ele sabe disso e sabe que nunca quisemos intervir no governo. Ele sabe porque conviveu comigo, sabe qual é a nossa formação, de diálogo, de descentralizar. Queríamos contribuir, o que era normal. Talvez, a única forma de ele se consolidar como líder fosse o rompimento comigo. A sociologia explica que isso pode acontecer com uma pessoa que se elege num grau de dependência muito grande. Talvez, ele não soube administrar o sucesso e a importância política que tem o prefeito do Recife.

O começo de tudo

Acho que começou com o não atendimento de telefonemas, com o distanciamento que ele estava tendo com alguns secretários e que começou a virar perseguição. Esses elementos foram suficientes para o distanciamento e se concretizou com a saída de muitos companheiros do governo, como Lygia Falcão, que era companheira do nosso núcleo de confiança…

Planos para pós-eleição

Quando saímos do governo no final de 2008, a ideia era criar um núcleo para discutir as dificuldades da prefeitura, as crises e nós iríamos continuar pensando numa questão estratégica para o estado e para o país. Iríamos discutir aquelas questões de alta relevância de forma estratégica como era antes.

Ele parou de atender a telefonemas?
Na verdade, sou muito assim: tenho uma relação de respeito. Eu ligo para uma pessoa duas, três, quatro vezes, mas, se a pessoa não liga, paro de ligar. Acho que houve esse distanciamento ao longo do tempo e, a meu ver, foi se agravando ainda mais, inviabilizando uma possibilidade de aproximação e de apoio à reeleição.

A primeira-dama, Marília Bezerra, teve algo a ver com essa crise entre vocês dois?
Falam muito que teve, mas não existe uma situação que possa comprovar isso, até porque elegemos João da Costa e não Marília. Por isso, nossa relação, por princípio, tinha que ser com ele. Acho que querer responsabilizar Marília é um erro, porque quem é o prefeito não é ela.


João da Costa disse ter semelhanças com Dilma, é um perfil mais técnico, mais tímido…

Primeiro, a formação de Dilma é de uma mulher que participou de uma organização comunista, revolucionária, que foi presa e torturada. Ela é uma mulher que está fazendo uma excelente gestão e tem uma alta popularidade, uma mulher que, apesar de todas as dificuldades com o Congresso, tem encantado o Brasil e feito um contraponto a uma prática política que é vivida por muita gente. A outra característica de Dilma é a lealdade e Lula me afirmou isso: “João Paulo, você precisa ver a Dilma. Essa mulher é tão leal que às vezes eu fico incomodado”. Então, sinceramente, não vejo semelhança nenhuma (entre ela e o prefeito).

Justificativas

As dificuldades recaem principalmente na política. Temos o claro entendimento das dificuldades que os secretários têm de serem recebidos pelo prefeito, a dificuldade dele com a Câmara, com os movimentos sociais, com os servidores e nós sentimos que houve uma quebra significativa, uma queda da autoestima grande na cidade e na gestão. Houve uma ruptura dentro do próprio governo com a saída de vários secretários do PT e do PTB. Há uma preocupação não só minha, mas do governador e de Humberto Costa que, se ele continuar, há perspectiva de se quebrar a Frente Popular. Foi essa a impressão que levou companheiros como Humberto a sair do governo e colocar a candidatura de Rands

Por que Rands e não João Paulo ou João da Costa

Mesmo sabendo que eu tinha 51% das intenções de voto e a preferência da população, eu não tinha as condições internas para disputar as prévias. Eu podia confiar que o sentimento da sociedade contagiasse a parte cartorial do partido, mas isso seria um risco. Então, acho que Rands construiu melhor essa condição (no partido) e tenho o sentimento de que ele pode fazer um governo de esquerda que extrapola os limites de uma boa gestão.

''''Chutou por fora numa barra sem goleiro''''

O atual prefeito teve as maiores condições que um prefeito já teve nessa cidade. Pegou um governo com 88% de aprovação, com apoio dos governos estadual e federal, com apoio de uma Frente, mas, falando na linguagem do futebol, ele estava na marca do pênalti, numa barra sem goleiro e ainda conseguiu chutar para fora

Esse é um momento extremamente delicado. Mas as prévias serão não só um momento de formação da nossa militância, mas a oportunidade para a sociedade perceber que há necessidade de fazer a troca do prefeito.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Idelfonso do Amarante Silva

Isaias Bastos, você disse tudo! Conhecie João Paulo Bem zem, fazendo meditação. Inclusive quem lembra do dia que JC foi eleito? Do que adiantou toda aquela incenação para aparecer, se num episódiozinho desse você não lembrou das meditações? Claro que não foi isso. JP, quero ver você acertando de nov

Ariadne Morais Dias

O nome disso ( entrevista) é APELAÇÃO!!!

S. C. B. M.

O PROBLEMA DE J. PAULO É A GANÂNCIA PELO PODER,NADA MAIS E A CIDADE ESTA UMA BAGUNÇA E FEDORENTA . RECIFE FEDE É IMUNDO DESDE QUE O PT ASSUMIU ATÉ HOJE.

jose rogerio santos

ESSA HISTORINHA BONITA QUE JOÃO PAULO CONTA, NÃO É A VERDADE. A VERDADE É DINHEIRÃO DA PRC QUE ELE NÃO TEVE MAIS ACESSO, O RESTO É CONVERSA FIADA. ELEGEU O POSTE E O POSTE TE ENGOLIU..RARRARARARARARAR

Damiao Fabiano da Silva

Ta na hora do povo recifense olhar para o futuro, e dá uma outra alternativa política para a cidade do Recife, e não ficar a mercê do PT com essa briga doméstica, o Recife é bem maior que o PT e merece muito mais...


Banner de Arcoverde

22/04


2012

O Arrudão delirou com Paul, mas não serve para a Copa

      * José Adalberto Ribeiro

Paul McCartney, considerado o maior artista do mundo, fez o maior  e melhor show do mundo, num dos maiores estádios do mundo, que só não serve para a Copa do Mundo. Desfilou suas composições clássicas e mais recentes, dele próprio, da parceria com John Lennon, de Harrison e de Ringo. 

Fez algumas saudações em português, a começar pelo esperado  "Oi Recife". Algumas expressões da noite: "Boa noite". "Esta noite eu vou tentar falar um pouco de português e falar mais  de inglês". "Calor arretado!" "Pernambucanos, recifeanos".  "Povo arretado". "Está tudo ótimo?"

"Esta música  eu escrevi para minha lindíssima esposa Nancy". "Obrigado".  "É hora de partir".  "Não vamos dizer ciao, vamos dizer até a próxima". A genialidade de McCartney harmonizou-se com a maravilha do show. O chamado "Colosso do Arruda" ou "Mundão do Arruda" poderia perguntar:

 "Se serve para um show genial de Paul McCartney, por que não serve para uns joguinhos da Copa do Mundo? Qual a justificativa para se gastar cerca de 1 bilhão de reais na construção da chamada Cidade da Copa? Nem precisa dizer que o estádio recebeu um público de mais 60 mil pessoas. Todos pernambucanos e recifeanos pareciam dizer: Paul é um cara arretado.

José Adalberto Ribeiro, neo-recifeano, macaco de auditório de Paul Mccartney


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Carlos

O estádio do Arruda é um LIXO,para ficar nos padrões exigidos pela FIFA teria que se gastar milhões,além disso os arredores do estádio inviabilizariam isso,não tem estacionamento,para a realização de um grande espetáculo foi necessário fechar todas as ruas nos arredores.



22/04


2012

Jingles históricos, neste domingão o prebiscito de 94

Nos jingles de campanhas que entraram para a história do País, do Nordeste e, particularmente, de Pernambuco, trazemos hoje, os Jingles do prebiscito de 1993. Naquele ano os eleitores do Brasil foram às urnas para escolher a forma de governo que desejavam para o país. Ganhou o Presidencialismo na frente da Monarquia e do Parlamentarismo. Clique abaixo e reviva os dois jingles do Presidencialismo e Monarquia e a peça publicitária, muito interessante, do Parlamentarismo. Se você tem algum documento histórico como este, nos envie: [email protected]


Ouça:     Presidencialismo     Monarquia     Parlamentarismo


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores