Jaboatão

08/05


2021

Em nome do emprego

Da coluna de João Alberto 

No seu depoimento na CPI da Pandemia, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, não parou de agradar ao chefe, o presidente Jair Bolsonaro. Saiu menor do que entrou, inclusive para seus colegas cardiologistas. Lembrou “Nico Bondade”, personagem de Chico Anysio, que tinha o bordão: “Eu não posso perder esse emprego”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Se acovardou, medíocre. Já era pequeno, só manteve a sua estatura, quase nenhuma!


PREF DE OLINDA DESAFIOS DA PANDEMIA 21

08/05


2021

Marília Arraes recebe vacina contra a Covid-19

Por Houldine Nascimento, da equipe do Blog

A deputada federal Marília Arraes (PT) recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid-19, hoje, no Recife. Com 37 anos, a parlamentar tomou o imunizante porque está grávida e a capital pernambucana está vacinando gestantes nesta fase. Marília fez um registro do momento nas redes sociais.

"Hoje foi a minha vez de me vacinar contra a Covid-19. Tomei a minha primeira dose seguindo as orientações do Plano Nacional de Imunização que inclui as gestantes, como eu, no grupo prioritário nesta fase da campanha de imunização. Muito obrigada aos profissionais de Saúde e da Ciência! Que a vacina chegue para todos os brasileiros e brasileiras! No Congresso Nacional estou na linha de frente dessa luta", escreveu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca 2021

08/05


2021

Justiça adia leilão da sede do Correio Braziliense

A Justiça suspendeu o leilão da sede do Correio Braziliense, previsto para ocorrer na próxima segunda-feira (10). O jornal apresentou um recurso, ontem, e foi atendido. A liminar, no entanto, pode cair a qualquer momento. As informações são do Jornal Opção.

A publicação destaca que a área total da propriedade é de 13.500m², com área total construída de 6.902,36m². O lance mínimo, segundo a Capital Leilões, de Brasília, é de 154,7 milhões de reais.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina abril 2021

08/05


2021

Ramos exalta aporte de R$ 31,8 mi em abastecimento no Sertão

Cabrobó, Terra Nova, Verdejante, Salgueiro, Mirandiba e Parnamirim receberão R$ 31,8 milhões em investimentos executados pelo Governo de Pernambuco na implementação de Sistemas Simplificados de Abastecimento de Água, que distribuirão recursos hídricos para consumo humano e, posteriormente, para a agricultura familiar. O deputado estadual licenciado e secretário de Ciência, Tecnologia & Inovação, Lucas Ramos (PSB), foi um dos principais articuladores desse projeto para as cidades sertanejas.

Ele destaca que os sistemas serão conectados ao Eixo Norte do Programa de Integração do Rio São Francisco (PISF), levando àgua às casas da população. "Durante todo nosso mandato, defendemos que a população do Estado, especialmente do Sertão, não poderia simplesmente ver a água do Velho Chico passar pelos canais da Transposição, sem ter acesso. Essa sempre foi uma prioridade também para o governador Paulo Câmara, que garante agora a entrega desse investimento estruturador", declarou Ramos.

O auxiliar de Paulo Câmara também enfatizou que os novos sistemas "entregam dignidade para as pessoas". "Estamos levando água potável para a população, boa para consumo, garantindo abastecimento com saúde para milhares de famílias", prossegue. Lucas Ramos detalha que, em Cabrobó, serão investidos R$ 15 milhões para beneficiar cerca de 3.200 pessoas; em Terra Nova serão R$ 1,3 milhão para alcançar 200 pessoas e, em Verdejante, 172 pessoas serão atendidas com R$ 890 mil em aportes.

Os sistemas serão implementados pela Secretaria de Desenvolvimento Agrário e atenderão a comunidades que estão localizadas no entorno dos canais do Eixo Norte do PISF. Ainda segundo a programação, a cidade de Salgueiro receberá R$ 5,6 milhões em aportes, Mirandiba R$ 5,5 milhões e Parnamirim R$ 2,8 milhões.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


08/05


2021

O irresistível peixe assado do Gordo em Caruaru

Fiquei tão entusiasmado com a troca de bastidores com o amigo Dilson Oliveira, da rádio e TV Jornal de Caruaru, na última quinta-feira, que acabei não dando minhas impressões sobre o simpático e aconchegante restaurante do Gordo, no sítio Peladas, a 15 km do centro da capital do Agreste.

O lugar é muito simples, mas a qualidade da comida faz a diferença. O Gordo e sua mulher Bel preparam os pratos de acordo com a preferência do cliente. Tem de tudo, de camarão a carne de sol. O forte da casa, no entanto, é o peixe assado na brasa, tilápia, importado da bacia do Rio São Francisco. 

Com feijão caseiro, farofa, fritas e macarrão, serve bem para três pessoas. Dependendo da fome, o repeteco é produzido bem rapidinho. Para acompanhar, cerveja bem gelada, que sai no capricho, mas tem também uma caninha de alambique. De sobremesa, doces caseiros, seguido de um cafezinho moído na hora.

Como se trata de um local aberto, no campo, as mesas do restaurante ficam à sombra de um frondoso pé de castanholas, área extremamente arejada e gostosa. O atendimento é vip: o casal Gordo e Bel é de uma simpatia incomparável, top, almas puras, genuínas como a terra fértil e produtiva do sítio Peladas.

Se você ficou com água na boca, abaixo o telefone do restaurante para reservas:

(81) 9.8973.5952.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

08/05


2021

Agrovale amplia investimentos na colheita mecanizada

O processo de mecanização da colheita da cana-de-açúcar na Agrovale em Juazeiro (BA) acaba de receber um reforço significativo. A empresa sucroalcooleira, que é considerada o maior produtor de açúcar, etanol e bioeletricidade da Bahia, adquiriu duas máquinas colhedoras e implementos de tecnologia norte-americana, que serão utilizadas juntamente com as cinco máquinas já em operação na safra 2021.

Investimento da ordem de R$ 5 milhões, a aquisição dos novos equipamentos vai ampliar um programa da empresa, com custos anuais de R$ 40 milhões, para adequação agronômica dos terrenos visando a tornar os campos compatíveis com a colheita mecanizada. De acordo com o diretor vice-presidente da Agrovale, Denisson Flores, todo esse investimento tem como meta a diminuição da queima controlada da palha da cana e a redução da incidência de fuligem, que vem ocorrendo em menor proporção em comparação a anos anteriores.

Ao lembrar que a mecanização da colheita da cana também aumenta o rendimento operacional, a produtividade e diminui os custos em até 20%, Denisson Flores acrescentou ainda que a empresa já opera com a colheita mecanizada numa área de 4,5 mil hectares e pretende ampliar gradativamente a cada ano. “Cada máquina colhe em média 400 toneladas de cana por dia e deixa no campo a Palhada, que além de conservar o solo, o excedente vem sendo doado para alimento animal às associações de pequenos criadores de caprinos, ovinos e bovinos de vários municípios da região”, ressaltou.

O diretor também destacou o grande impacto social gerado pela mecanização, que contribui com o aumento do desemprego rural no município. “Em nossa empresa procuramos minimizar essa situação capacitando os funcionários e ampliando novas frentes de trabalho”, concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes 2021

08/05


2021

Feitosa quer palestras sobre violência doméstica nas empresas

O deputado estadual Alberto Feitosa (PSC) apresentou um Projeto de Lei que sugere que as empresas que possuam mais de 60% dos funcionários do sexo masculino ofereçam palestra sobre violência doméstica. O projeto diz que a ação deve ocorrer semestralmente. 

“Precisamos incentivar a cultura de paz, que irá melhorar a vida familiar, econômica e social das famílias pernambucanas. Esse tipo de violência deixa traumas insuperáveis e contribui muito para a destruição de lares. Necessário se faz incutir na cabeça dos homens que toda mulher merece o devido respeito, até porque todo homem nasceu de uma mulher. A nossa sociedade precisa refletir sobre isso”, frisou.

Como justificativa, o deputado apresentou um estudo do Instituto Maria da Penha, em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC), realizado em 2016, que revelou que 12,5% das mulheres empregadas nas capitais nordestinas sofreram algum tipo de violência doméstica durante o ano, um número aproximado de 220 mil mulheres. 

Ainda segundo o estudo, nesse grupo particular, aproximadamente 25% das mulheres reportaram ter perdido pelo menos um dia de trabalho. "Esse custo da violência doméstica para as mulheres se revela de forma clara. Quanto menos o emprego dura, mais a mulher tem sua capacidade econômica diminuída, aumentando a dependência em relação ao parceiro e dificultando a libertação dessa violência", pontuou Feitosa. 

Para a validação do projeto, o documento argumenta, ainda, que a violência doméstica é um fenômeno que impacta diretamente o desempenho da mulher no mercado de trabalho, além de restringir o acesso a melhores oportunidades de emprego. Ademais, as consequências desse tipo de violência vão além das sequelas físicas, deixando vestígios na saúde mental e emocional das mulheres, reduzindo sua capacidade de concentração e de tomada de decisão. 

Se as empresas não cumprirem o estabelecido na lei, ficaram sujeitas a multa de R$ 2 mil em cada incidência. "A violência doméstica é um assunto de extrema importância e precisa ser debatido com frequência. Se feito de forma educativa num ambiente predominantemente masculino, as chances de diminuirmos os números é muito grande", concluiu o parlamentar.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

08/05


2021

Passando a boiada no meio da catástrofe humanitária

Por Manoel Gérson*

Todas as atenções estão na “CPI da Pandemia” e não é para menos. O morticínio vai a meio milhão de pessoas. Morrem mais de duas mil por dia, sistema de saúde em colapso, vacinação capenga e um Presidente denunciado por genocídio. Nesse cenário, a Câmara dos Deputados caminha para desfigurar novamente a Constituição em favor do mercado.

No mundo, países estão focados na promoção de condições para o distanciamento social, pesquisas e vacinação. E dedicados à superação da crise econômica - investindo nos serviços públicos e no amparo às pessoas e empresas.

Na contramão, o governo brasileiro segue a lógica retrô de Paulo Guedes. Aproveita a catástrofe para aplicar o lema do ministro do meio ambiente e “passar a boiada”. No caso, passar a agenda ideológica de “reformas” regressivas.

A “boiada” da vez é a reforma administrativa (PEC32). Ela pretende reduzir o estado, retirando o servidor estável e o concurso público e abrindo o túnel do tempo para a volta do apadrinhamento e coronelismo como via de acesso aos cargos públicos.

A PEC32 torna minúsculo o dever do estado em prestar serviços à população. Tudo vira privatizável para servir ao lucro de poucos. Saúde, educação, creche, segurança... Tudo passa a ser apenas mercadoria para quem pode comprar.

Querem aprovar a PEC32 a toque de caixa. Sem grandes discussões e esclarecimentos, sem mobilizações presenciais e sem possibilidade de pressão dentro do Congresso. A sociedade está praticamente indefesa.

A reforma administrativa é uma inversão radical do papel do estado - sob a promessa, que falhou sempre, de recuperar a economia. Além de prejudicar as atuais e as futuras gerações, a proposta parte de informações equivocadas sobre o serviço público e de dados sob sigilo.

A postura mais democrática e ética que esperamos de todos os deputados de Pernambuco, em especial os governistas, é a defesa da suspensão da PEC32. O foco é salvar vidas!

*Presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal em Pernambuco (Sintrajuf-PE) e servidor público do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Anuncie Aqui - Blog do Magno

08/05


2021

Presidente da Abrafrutas projeta US$ 1 bi em exportações

O primeiro trimestre encerrou de forma positiva para o setor da fruticultura no Brasil. Até março, a exportação de frutas cresceu 14% em dólares, o que representou o aumento de 7% no volume de mercadoria com relação ao mesmo período do ano passado. Os dados são da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas).

De acordo com o presidente da Associação, Guilherme Coelho, uva e maçã apresentaram maior percentual de crescimento no período, 105% e 89% respectivamente. “Os números são animadores. Se as exportações continuarem nesse ritmo, conseguiremos, pela primeira vez, alcançar a meta de US$ 1 bilhão em frutas exportadas até o fim do ano”, comemora.

No ano passado, o setor também colheu bons resultados. No comparativo com 2019, a fruticultura teve alta de 6% no volume de frutas exportadas e de 3% em dólares, mesmo com o cenário desfavorável devido à crise sanitária e econômica causada pela pandemia da covid-19.

Guilherme Coelho reafirma a importância do segmento econômico que, apesar de não ter o mesmo faturamento na balança comercial que, por exemplo, a soja e o algodão, é um dos setores que mais gera emprego e renda no país. “São mais de 2,5 milhões de hectares de frutas no Brasil, que geram cerca de 5 milhões de empregos. É uma atividade econômica com potencial e, por isto, a Abrafrutas luta pela abertura de mercado para que a fruticultura tenha condições de continuar crescendo”, conclui.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


08/05


2021

A direita cresce e aparece na Espanha

Por Marcelo Tognozzi*

Na Espanha, em 2019 e também no ano passado, o Partido Popular (PP) liderou protestos contra o governo socialista de Pedro Sanchez nas ruas de Salamanca, bairro sofisticado que está para a cidade de Madri assim como os jardins para São Paulo. Na Calle Serrano, versão espanhola da Oscar Freire, teve gente batendo panela e protestando contra o governo nas imediações da Praça Colón. A poucos quarteirões dali, na subida da Calle Genova, fica a sede do PP, partido de centro-direita apeado do poder em 2018, depois de o ex-primeiro-ministro Mariano Rajoy ser mandado de volta para a Galícia por uma moção de censura proposta pelo deputado Pedro Sanchez, então líder do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE).

A imprensa e boa parte dos madrilenhos acreditava que os protestos estimulados pelo PP e apoiado por Vox, partido de extrema direita, era um esperneio da classe média alta insatisfeita com a forma como os socialistas administravam a pandemia, forçando o isolamento social e decretando lockdown. A presidente da Comunidade de Madrid, jovem política de 42 anos, enfrentou o primeiro-ministro Pedro Sanchez e seu grupo. Ela passou mais de 1 ano sob bombardeio cerrado da esquerda representada pelos partidos Mais Madri, Podemos e o próprio PSOE. Acusaram Isabel de ser homicida e a processaram por isso. A acusaram de usar dinheiro público para pagar um apart-hotel de luxo e que se envolveu com a doação de um apartamento de uma empresa pública para sua família.

Isabel era o diabo vestido de mulher na visão dos socialistas. Ela enfrentou tudo e todos, não se cansou de repetir que o primeiro-ministro Pedro Sanchez e a esquerda queriam vencer as eleições disseminando o medo e a insegurança, argumentando ser esta uma política que acabaria com os empregos, decretaria a falência de boa parte dos setores do comércio, serviços e provocaria um colapso do setor de bares e restaurantes numa cidade onde praticamente 100% das pessoas comem na rua. É cultural. Raramente os espanhóis cozinham em casa. Muita gente começou a passar fome, tanto nos bairros centrais de Madri, entre eles Salamanca, como em outros menos conhecidos dos turistas como Chamberí, Vallecas, Ciudad Lineal, Mirasierra ou Hortaleza.

Até o fim do século passado, a Espanha era um dos países mais pobres da Europa. O país cresceu e enriqueceu. E agora os espanhóis se viram diante da dura realidade de voltar a ser pobres. É muito difícil aceitar a pobreza depois que se escapou dela, isso cala fundo. E o mesmo acontece com os brasileiros que chegaram às classes B e C e agora estão dando marcha à ré.

Em 4 de maio de 2021, quando houve a apuração da eleição, o mapa eleitoral da região de Madri foi ficando cada vez mais azul, cor do PP, até ter praticamente 100% do território tomado, com algumas manchinhas vermelhas representando nichos onde o PSOE saiu vitorioso. Há mais de 20 anos o PP está no governo e pelo visto não sairá tão cedo. Até em regiões onde os socialistas sempre reinaram absolutos, desta vez a direita venceu. Vallecas, mais ao sul, famosa pela resistência à ditadura franquista (1939-1975) e depois base da esquerda na redemocratização, caiu nos braços de Isabel Ayuso.

Existem muitas lições na eleição de Madri, a 2ª grande derrota do grupo de Pedro Sanchez em 2 anos –primeiro caiu a Andaluzia, em 2018. Mas a principal dessas lições veio da simplicidade da cozinheira Ana Martinez numa conversa com a repórter Ana del Barrio, do jornal El Mundo. Enquanto descascava batatas, resumiu: “Graças a Ayuso nós que temos família pudemos comer”. Seu restaurante faturava € 1.200 (equivalente a R$ 7.641) por fim de semana e agora não passa dos € 200 (algo como R$ 1.274). Juan José, que passeava com seu cachorro, emendou: “Este é um bairro operário e as pessoas querem trabalhar”. Nas eleições de 2019, o PP conseguiu minguados 11% em Vallecas. Nessas de 4 de maio, foram 27%, mais que o dobro, enquanto o PSOE levou 23% dos votos.

O líder do Podemos Pablo Iglesias, que comanda um partido barulhento de extrema esquerda, até abril era um dos vice-presidentes do governo espanhol. Chegou lá depois que o PSOE foi obrigado a se unir a ele para garantir a formação do governo. Agora, desmancha como um picolé num dia de verão. A esquerda com seu excesso de impostos e de tutela estatal sobre os cidadãos, passando por cima dos costumes e forçando a mão para transformar a sociedade, não conseguiu sobreviver na capital dos espanhóis.

A direita puro-sangue representada pelo Vox cresceu, passou o Podemos em votos e formará o governo junto com o PP, assim como na Andaluzia. Nas eleições de fevereiro passado na Catalunha, região tradicionalmente de esquerda e com arroubos independentistas, o Vox conseguiu a proeza de fazer 11 cadeiras do parlamento e passou a ser a 4ª força política liderada pelo deputado negro Inácio Garriga.

Há uma clara transformação em curso na Europa. A direita tem voltado a mostrar força eleitoral e gradativamente vem ganhando posições. Quem diria que os protestos da classe média alta de Salamanca iriam acabar tendo coisas em comum com os operários de Vallecas, que protestaram em silêncio dizendo não? A direita tem mostrado criatividade para se reinventar e há agora uma enorme curiosidade sobre como se sairá nas eleições da França no ano que vem. Os franceses vivem o mesmo desalento dos espanhóis, porque o governo Macron tem enfrentado a pandemia com improviso e ineficiência. Cedo ou tarde pagará o preço. Seja no Champs Elysées dos ricos de Paris ou entre os pobres de Seine-Saint-Denis, onde, em 2020, explodiram as revoltas contra o confinamento.

*Texto publicado originalmente no site Poder360


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Cícero Ramos de Souza

Lá o poder central trabalhou contra a liberdade da população, aqui foi os poderes dos estados, ao contrário do central. Aqui como lá, a população pende para a liberdade.

Fernandes

Geisel detestava Bolsonaro: “mau militar”, “fora do normal”, “vivandeira” da ditadura.

Fernandes

Geisel utilizou a “corrupção das Forças Armadas” como uma das justificativas para iniciar a “abertura” política e afastar os militares dos encantos e armadilhas do poder de Estado.

Fernandes

A Direita só sabe roubar e nivelar a pobreza por baixo. Temos aí Brasil, roubado por 500 anos, e não esqueçamos da ditadura militar.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

A esquerda só sabe roubar e nivelar a pobreza por baixo. Temos aí a Venezuela, o Chile e a Argentina se acabando quando a esquerda assumiu o poder.


Coluna do Blog
Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores