Nova Orla Jaboatão

01/08


2021

A delegada disse sim ao amor

Por meio de sua conta oficial no Instagram, a delegada Patrícia Domingos (Podemos) revelou aos seus seguidores que casou. A informação de bastidor é que a cerimônia discreta ocorreu ontem em São José da Coroa Grande, no Litoral Sul pernambucano.

"Hoje eu lhe entrego meu coração e prometo caminhar com você lado a lado, onde quer que a nossa vida nos leve, vivendo, aprendendo e amando. Prometo cuidar de você com todo amor e carinho até o fim de nossas vidas. Te amo", escreveu a delegada.

Embora ela mantenha discrição sobre a identidade da alma gêmea, o nome do felizardo é José Neto. Nas últimas semanas, Patrícia tem feito publicações românticas, mostrando que está apaixonada.

O cupido acertou uma flecha no coração da delegada conhecida por ser linha dura. Felicidades ao casal!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina Julho 2

01/08


2021

Alta dos alimentos faz brasileiro temer a volta da inflação

Por Fernando Castilho*

Nos últimos meses, os brasileiros passaram a conviver com um nível de inflação que, entre os mais novos, só tinha referência o governo Dilma Rousseff, e, para os mais velhos, o período que antecedeu a chegada do Real, em 1994.

O noticiário econômico já trata do tema, inclusive prevendo que 2021 deve ter Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 8,07% no período de 12 meses. Medidos até junho, os últimos 12 meses chegam a 8,35%. Há certeza de que a taxa Selic, que fixa os juros pagos pelo governo, fechará 2021 em 6,50%. 

Mas a inflação do cidadão tem números maiores. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o grupo de alimentos, em 12 meses, cresceu 12,59%. Mas, na ponta, itens como óleo de soja (83.93%), feijão macaçar (59,92%) e arroz (45,40%) assustam as donas de casa.

As carnes bovinas, na média, subiram 38,25% e o corte mais caro do boi, o Filet Mignon, aumentou 53,52%. Pouca gente come Filet Mignon, por isso o peso maior é sentido no frango inteiro, que subiu 19,55%.

Na esteira da inflação dos alimentos, outros itens passaram a assustar, subiram 16,88%. Essa inflação atinge mais as famílias que recebem até dois salários mínimos, na hora de comprar comida.

É uma situação curiosa. O noticiário que fala do crescimento das exportações de soja, milho, carnes bovinas, suínas e de frango é o mesmo que, na sequência, relata a explosão de preços cobrados em Real.  

A exportação de soja e milho impacta diretamente o preço do óleo de soja, margarinas, fubá e todo o complexo de carnes que usa farelo de soja e milho para a produção de proteína animal.

Segundo o IBGE, a alimentação no domicílio foi de 0,33% em junho, puxada pelas carnes (1,32%), que subiram pelo quinto mês consecutivo e acumulam alta de 38,17% em 12 meses.  

O IPCA, que oficialmente mede o índice da inflação no Brasil, foi de 0,53% em junho. No ano, o índice acumula alta de 3,77% e, nos últimos 12 meses, 8,35% - acima dos 8,06% observados nos 12 meses anteriores. 

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito tiveram alta de preços em junho. O maior impacto veio da Habitação e, na sequência, Alimentação e Bebidas (0,43%). 

No grupo Alimentação e Bebidas, as quedas na batata-inglesa (-15,38%), a cebola (-13,70%), o tomate (-9,35%) e as frutas (-2,69%) ajudaram o consumidor.

Mas nem só de alimentos vive a inflação do brasileiro. Energia elétrica já subiu 14,20% e combustíveis domésticos, 22,98%.

Eles também assustam. Mas, além do IPCA, um outro índice assusta milhares de consumidores: o IGPM, que é usado para os reajustes dos contratos de aluguel. Ele subiu tanto em 12 meses que foi abandonado pelo mercado. Em 12 meses, o índice chegou a 33,83%, Apenas em 2021 ele já subiu 15,98%.  

Na mesa de negociação são poucos os proprietários que usaram o índice cheio. Como os senhorios sabem que subir o valor do aluguel pelo IGPM pode significar meses fechado e despesas com o condomínio, a opção foi negociar.

O que pouca gente percebe é que fora do índice da inflação (IPCA), do PIB, da taxa Selic e do desemprego, o IBGE, o Banco Central e a Fundação Getúlio Vargas (FGV) também produzem uma série de forte impacto na nossa vida diária.  

Um desses índices é o Índice de Preços ao Produtor (IPP), voltado para a indústria e mede a variação de preços de venda recebidos pelos produtores de bens e serviços e sinaliza as tendências inflacionárias de curto prazo no País. Ele é essencial como instrumento analítico para tomadores de decisão, públicos ou privados. Em 12 meses, o IPP já está em 36,81% e só em 2021 chegou a 19,11%. 

O IPP é desconhecido pelo cidadão comum. Mas ele é acompanhado pelos analistas e, segundo o IPP de junho, em 12 meses, a fabricação de produtos alimentícios (maio/2020 e junho/2021) registrou uma inflação de biocombustíveis (cujos preços são regulados em dólar) chegou em 2021 a 76,64%.

A única informação boa é que a inflação de um ano no setor de fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos subiu apenas R$ 8,69%.  

Para toda uma geração que nasceu depois da criação do Real, de fato, a ideia de uma inflação que passe de 10% ao ano é mesmo impensável.

Mas é importante lembrar que houve uma quebra do PIB do País, em 3,50% (2015) e 3,30% (2016) levando a um impeachment. 

Por isso, a ideia de inflação acima de 8,06% no ano assusta. Talvez o nossa maior conquista como nação.

Alta do IGPM assustou o mercado

No debate da inflação desde o final de 2020, um índice passou a ter atenção especial. O IGP-M. Ele é uma das versões do Índice Geral de Preços (IGP), que registra a variação de preços do mercado. Ele engloba desde matérias-primas agrícolas e industriais até bens e serviços finais.

O motivo da atenção com o IGPM foi sua variação: 33,83% em 12 meses. Só em julho ele variou 0,78% e, com este resultado, o índice acumula alta de 15,98% no ano. O alarde já existia em 2020, quando o índice havia subido 2,23% e acumulava alta de 9,27% em 12 meses.  

O problema do IGPM é que ele é usado como indicador para o reajuste de custos em contratos de aluguel e energia elétrica, o que nesse tempo de crise hídrica acentua a importância.  

Na vida prática, as pessoas só sabem da existência do IGP-M quando vão estabelecer um contrato de aluguel, já que esse índice influencia diretamente no valor pago mensalmente.

O problema é que o IGPM é formado por três outros índices: IPA-M (Índice de Preços ao Produtor Amplo – Mercado), IPC-M (Índice de Preços ao Consumidor – Mercado) e INCCM (Índice Nacional do Custo da Construção – Mercado). O IPA-M tem peso de 60% no IGPM e é ele que monitora os preços recebidos pelos produtores domésticos no atacado (tanto industriais quanto agropecuários) E como esses produtores trabalham com o dólar, o IGP-M disparou.  

O aumento do IGP-M levou o Congresso aprovar uma lei para substituí-lo pelo IPCA. O mercado imobiliário não gostou, porque o padrão IGPM já está em uso há 30 anos e inquilinos e locatários já estavam se entendendo. A lei foi aprovada, mas o mercado encontrou o caminho da negociação.

Taxa de juros. O BC chegando atrasado na atitude

Nesta terça e quarta-feira, o Banco Central faz a sua quinta reunião do ano. Até dezembro devem ocorrem semana será mantida a tendência de alta, podendo a taxa subir para 6,50% em dezembro.  

A Selic é uma taxa referencial. Ela baliza o mercado e ficou em apenas 2% entre 16 de setembro do ano passado e 18 de março último. Desde então, iniciou uma tendência de alta que a elevou para 4,25% desde 17 de junho, devendo chegar a 5% esta semana.

A retomada da alta é motivo de críticas de analistas do mercado que avaliam que o Banco Central foi cauteloso demais em mantê-la em 2%, permitindo que a inflação fosse alimentada. 

Mas para o ex-ministro da Fazenda Maílson da Nóbrega, “A mudança no panorama inflacionário obriga o Banco Central a fazer isso, senão ocorrerá a contaminação da taxa para 2022”. 

Com a taxa Selic de 2%, a inflação no Brasil subiu, deixando os juros negativos. A correção tornou-se uma necessidade urgente, embora nas suas atas (documento em que explica sua decisão ao mercado) o BC venha insistindo que agiu no prazo certo.

O problema é que a alta do dólar, que impulsionou as exportações e fez a alegria do agronegócio, teve efeito no mercado interno onde, além dos alimentos, todos os demais setores enfrentaram pressão de alta.  

Juros altos assustam o mercado, ponta as taxas não tenham subido nos mesmos índices da inflação, as dificuldades na economia prejudicam especialmente as pequenas e médias empresas.

O preocupante é que no mercado existe a certeza de que até a última reunião do Copom, em 7 e 8 de dezembro, a Selic chegue a 6,50% - a mesma taxa entregue por Michel Temer a Jair Bolsonaro. Para Maílson, se isso acontecer, “a vantagem é não precisar elevar a Selic ao longo do próximo ano e manter neste nível até 2023”.

Exportações cresceram empurradas pelo dólar

No ano passado, as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 100,81 bilhões, com um crescimento de 4,1% sobre 2019.

Apenas o complexo soja cresceu 35% (US$ 35,24 bilhões). A seguir vieram as carnes, com crescimento de 17% (US$ 17,16 bilhões) e os produtos florestais - representados por papel e celulose, que cresceram 11,3% (US$ 11,41 bilhões); e o complexo sucroalcooleiro, com 9,9% tudo que foi exportado pelo setor em 2020.

Só que isso tem repercussão em Real destino do produto, comprando 73,2% da soja em grãos exportada pelo Brasil, no total de US$ 20,91 bilhões, seguida do farelo de soja - somaram US$ 5,92 bilhões, um recorde nas quantidades da série histórica. A China também comprou mais carnes de boi, frango e porco. O problema é que esse sucesso vai bater na mesa do brasileiro. 

No caso do farelo de soja, usado para alimentação dos animais na engorda. Mais farelo exportado é menos farelo para a indústria de carnes, especialmente frango e porco. No caso das carnes, segundo o IBGE, medindo o IPCA existem detalhes curiosos. Do filet mignon que subiu (53.52%), o problema foi para os principais cortes, que subiram acima de 30%. Caso do contrafilé (36.115), lagarto (40,21%) acém (40,94%) e costela (45,30%) e carne Sol (13,60%). Na esteira dos aumentos, a carne de porco subiu 32.39% e o frango inteiro, 19,55%. 

O problema do sucesso na exportação é que ele acabou resvalando para os demais produtos como ovos (8,04%), leite longa vida (11,37%) e o café moído 11,18%. E na esteira disso, até mesmos produtos agrícolas tiveram reajustes. O arroz e o feijão formam os grandes vilões, porque sendo comodities 

*Jornalista. Titular da coluna JC Negócios, do Jornal do Commercio.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

01/08


2021

A salada de frutas do governador

O Palácio do Campo das Princesas emitiu um aviso de licitação na última sexta-feira (30) para a aquisição de frutas, com valor total de R$ 78.902,67. A sessão de abertura do pregão está marcada para 17 de agosto, às 9h.

O que chama atenção no procedimento são os valores de alguns produtos, como cereja fresca, que sairá a um total de R$ 1.699,33. Está prevista a contratação de 20 kg da fruta. Cada quilo sai a R$ 84,97.

De coco verde, o gabinete do governador Paulo Câmara (PSB) pretende pagar R$ 22.980,00. A unidade custará R$ 3,83, de um total de 6 mil cocos.

Já de kiwi, a previsão é a compra de 100 kg ao custo de R$ 3.233,00. Tudo isso em um momento duro para parte da população pernambucana, em situação de fome.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca - Muro de Arrimo

01/08


2021

PRTB não pode compor com PSB

Por Fernando Gordinho*

O PRTB 28 é um partido democrático de direito e o nosso eterno líder, Levy Fidelix, em memória, sempre defendeu a nossa ideologia de direita: Deus, pátria e família. Fico muito triste em ver alguns dos nossos líderes querendo levar o PRTB para o palanque do PSB, um partido de esquerda que, junto com o PT, levou o país e Pernambuco a passar por dias muito difíceis.

De compra de respiradores para porcos a bandeja de ovos por 25 reais, além da séria crise na saúde e a perseguição aos nossos policiais e empresários empregadores. No segundo mandato, o governador não disse a que veio. Em Jaboatão, não conheço uma obra empreendedora desse governo.

O PRTB tem nomes com pontencial para tocar esse Estado e, junto com o governo federal, levar Pernambuco a ser o Leão do Norte. Nosso vice-presidente, general Hamilton Mourão, é cidadão recifense e, em breve, será pernambucano.

Ele tem serviços prestados a Pernambuco, quando por aqui passou, e tem uma filha pernambucana. É um homem com serviços prestados também ao Brasil e ao mundo. Com Mourão, Pernambuco vai entrar na rota do desenvolvimento.

*Ex-vereador de Jaboatão


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


01/08


2021

A amante de US$ 100 milhões do ex-rei da Espanha

Veja

Imaginem a seguinte situação: um homem numa posição importante recebe uma comissão por baixo do pano e, para não expor seu nome, deposita o dinheiro na conta da amante num banco suíço, prevendo que garantiria um pé de meia quando finalmente ele largasse a esposa e os dois assumissem o romance.

Mas os dois rompem e, inconformado, ele começa a pressionar a ex-amante a devolver a bolada. Ela diz que o dinheiro foi um presente e o acusa de assédio moral.

Este é basicamente o roteiro que envolve Juan Carlos I, o desmoralizado rei emérito da Espanha, e Corinna Larsen, sua ex-amante.

A quantia envolvida não é pouca: 100 milhões de dólares, que promotores de dois países, Suíça e Espanha, querem associar a uma comissão paga pelo rei da Arábia Saudita a Juan Carlos, por ajudar a diminuir o valor orçado por uma empresa espanhola para implantar o trem-bala de Meca.

O caso já é conhecido há algum tempo e contribuiu para a vexaminosa saída pelas portas dos fundos do rei emérito, seu título oficial, quando deixou a Espanha na surdina e se homiziou nos Emirados Árabes Unidos, temendo que a polícia acabasse batendo à sua porta.

O escândalo voltou à tona porque Corinna Larsen agora acusa o ex-rei de assédio e difamação na justiça da Inglaterra, onde foi morar depois de deixar seu duplex em Mônaco, onde se dedicava à arte de promover contatos e negócios do mundo dos muito ricos e, eventualmente, aristocratas. 

Ela diz ter ouvido do ex-amante que as consequências “não seriam boas” se não devolvesse o dinheiro que considerou, na época, uma prova de “amor e afeto”. Também acusa o então diretor do serviço secreto espanhol, general Félix Sanz Roldán, de pressioná-la a mando de Juan Carlos,  insinuando ameaças sobre sua segurança e a de seus filhos.

O maior mal que o processo de Corinna, uma dinamarquesa que usou durante algum tempo o sobrenome e o título do segundo marido, o príncipe alemão Casemir Zu Seyn Wittgenstein, pode causar é ao rei Felipe VI, o filho certinho que procura se distanciar cada vez mais das trapaças do pai, mas que sempre pode ser prejudicado por aproximação.

Juan Carlos não tem mais reputação a salvar. Seu mundo começou a desabar em abril de 2012, quando sofreu uma queda durante uma caçada em Botswana e precisou ser levado de volta à Espanha. As aparências que mantinha, com uma certa cumplicidade da imprensa, desabaram. 

Vieram à tona o caso com Corinna, os contatos suspeitos – o safári em Botswana tinha sido pago por um empresário sírio – e, mais chocante de tudo, a foto de uma caçada anterior, onde ele posava com a filha Elena ao lado de um elefante morto.

O processo de desmoralização desencadeado a partir daí, com o risco de levar junto para o buraco a monarquia, o levou a abdicar em favor do filho dois anos depois.

O caso com Corinna havia terminado há tempo. Segundo ela, quando ele lhe disse que não mantinha uma relação de exclusividade – e não existe ciúme maior do que o das amantes.

Os dois haviam se conhecido durante uma caçada na propriedade espanhola do duque de Westminster. Corinna trabalhava nesses eventos para pouquíssimos privilegiados promovidos por um fabricante de armas de caça da Inglaterra. 

Depois de estabelecida praticamente como amante oficial do rei da Espanha, ela se mudou para o ramo de promoção de contatos e negócios. 

Juan Carlos foi loucamente apaixonado por ela, a ponto de ter consultado advogados sobre a possibilidade de se divorciar da rainha Sofia. Chegou a pegar um avião para ir à Alemanha pedir a mão dela em casamento ao pai, o dinamarquês Finn Bonning Larsen, que durante muitos anos foi diretor da Varig na Europa.

Nas monarquias constitucionais europeias, reis e rainhas têm apenas um papel simbólico, que depende muito da imagem e da aprovação da opinião pública. Um dos argumentos dos defensores desse tipo de sistema é que o papel de chefe de Estado fica mais sólido e respeitável quando não envolve políticos.

Quando reis se comportam como aqueles que pretendem substituir com mais elegância, o argumento desmorona.

Na Espanha existe uma esquerda antimonarquista forte e a opinião pública flutua. O sistema todo se desmoraliza quando escândalos de corrupção solapam seus fundamentos. 

Felipe é totalmente dedicado a criar uma imagem de monarca moderno, de comportamento impecável. Afastou a própria irmã, Cristina, da família quando o marido dela se enredou num caso de corrupção que o levou à cadeia. Renunciou publicamente a qualquer herança que viesse a receber do pai, como beneficiário de duas fundações de fachada que Juan Carlos criou para administrar seus recursos não contabilizados.

Na Inglaterra, são os filhos – e netos – que criam problemas para a rainha. No caso dos espanhóis, é o pai que cria problemas para o filho.

Existe ainda algum segredo inconveniente que o processo de Corinna contra o o rei aposentado possa revelar? Dificilmente. 

Mas sempre é bom não subestimar a capacidade destrutiva de uma ex-amante que não quer devolver um presentinho de 100 milhões de dólares.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru Novas Creches

01/08


2021

Alepe retoma os trabalhos amanhã

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) retoma os trabalhos amanhã (2) com uma agenda de trabalhos mais intensa e reforço às iniciativas que buscam uma integração maior com os demais poderes e instituições e na retomada do crescimento econômico do Estado. 

Para o segundo semestre estão previstos além da votação de matérias e promoção de audiências públicas visando à melhoria da qualidade de vida da população, novos projetos da Alepe que atenderão os setores produtivos do Estado. Também estão programadas iniciativas que darão suporte às Câmaras Municipais em áreas como tecnologia, legislação e capacitação.

 “O momento exige cada vez mais trabalho e integração com as instituições. A economia vai ocupar lugar central nos debates da Assembleia Legislativa, pois na medida em que avançamos com a vacinação, é urgente construir as condições para impulsionar a competitividade do nosso setor produtivo, gerando mais oportunidade, emprego e renda”, afirmou o presidente da Alepe, deputado Eriberto Medeiros.

Para cumprir o protocolo de segurança recomendado por conta da pandemia do coronavírus, as sessões plenárias e reuniões das comissões serão mantidas de forma remota, sendo exibidas pela TV Alepe (28.2) e pelo canal do Youtube. O primeiro semestre de trabalhos legislativos foi concluído em 30 de junho, mas interrompido entre os dias cinco e doze de julho para análise e votação de proposições em regime de urgência, solicitadas pelo Executivo.

Dentre as votações, estava a prorrogação por mais de 90 dias do reconhecimento do estado de calamidade pública em Pernambuco e em 131 municípios. Outro momento em que o recesso parlamentar foi interrompido ocorreu na última sexta-feira (30), quando a Comissão de Justiça da Alepe promoveu uma reunião para debater a possibilidade de exclusão do ramal Suape na execução da Ferrovia Transnordestina.

Ficou decidido que a Alepe terá uma comissão suprapartidária para acompanhar a discussão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

CABO

01/08


2021

Duque diz que é possível Pajeú ter três nomes na Alepe

O ex-prefeito de Serra Talhada e pré-candidato a deputado estadual Luciano Duque (PT) afirmou que é possível o Sertão do Pajeú ter três representantes na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) na próxima legislatura. As declarações foram dadas, ontem, em entrevista ao jornalista João Calos Rocha e ao blogueiro Marcello Patriota na Rádio Gazeta FM, em São José do Egito.

Além do petista Duque, os nomes dos pajeuzeiros José Patriota e Paulo Jucá (ambos do PSB) são cotados para a Alepe. O ex-prefeito de Serra Talhada segue em agendas por cidades do interior pernambucano.

Neste fim de semana, ele visitou Brejinho, Itapetim e São José do Egito. “Nós estamos conversando com várias lideranças da região, buscando fortalecer um projeto que inclua o interior na rota do desenvolvimento e que tenha uma voz na Assembleia Legislativa que defenda os interesses do nosso povo”, disse.

Duque também fez críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), definindo como "um desastre". Em Pernambuco, ele defende que o PT tenha candidatura própria ao Governo do Estado e criticou a gestão do governador Paulo Câmara (PSB) ao pontuar que Pernambuco está atrás de Ceará e Bahia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Junho 2021

01/08


2021

O preço da incompetência

Pernambuco paga o preço da incompetente gestão de Paulo Câmara e seu secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Covidão: o fim do sonho de contar, como o Ceará, da maior obra de escoamento do Nordeste: um ramal da Ferrovia Transnodestina. 

Obra fundamental, anunciada e  iniciada após longos estudos e parcerias com a iniciativa privada, a Ferrovia não vai beneficiar o complexo de Suape. Tudo graças a um misto de falta de capacidade de articulação política e empresarial.

Não importa quem está no poder, os interesses do Estado estão acima de tudo. A notícia é lamentável e mostra a necessidade urgente do Estado voltar ao bom caminho.

O Estado não ter um secretário, envolvido em tantos escândalos à frente de uma pasta tão importante, que atrai investimentos e gera confiança, pré-requisitos que faltam a Covidão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

01/08


2021

Praia de Piedade sem banho de mar após veto

Folha de Pernambuco

O trecho da Praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, onde ocorreram dois incidentes com tubarão em um intervalo de 15 dias, tem seu primeiro final de semana com proibição do banho de mar. 

O veto abrange uma área de 2,2 quilômetros, que se estende da Igrejinha até o Barramares Hotel. Nesse trecho, já foram registrados 14 incidentes do tipo. A interdição é uma medida inédita da prefeitura do município e está em vigor desde a última terça-feira (27). 

Neste domingo (1º), a movimentação no local foi tranquila, com as pessoas aproveitando apenas a área da praia, longe do mar. Apesar da restrição ao banho de mar, a caminhada e o comércio na faixa de areia permanecem liberados. 

A Secretaria de Defesa Social do município garantiu a presença de 80 fiscais para orientar os banhistas sobre a proibição. As pessoas que se recusarem a sair do mar serão conduzidas pela Polícia Militar e podem responder por desacato policial.

No trecho de 2,2 quilômetros, foram instalados dez banheiros químicos e dez chuveiros, para atender a demanda do público que frequenta o local e evitar que as pessoas se arrisquem entrando no mar. 

Essas instalações têm com base o contexto dos últimos ataques registrados. Segundo os relatos, ambas as vítimas foram para o mar para tirar areia do corpo ou urinar.

A decisão pela proibição foi tomada em uma reunião na sede da Secretaria de Defesa Social do Estado, na última segunda-feira (26), que resultou em um decreto publicado no Diário Oficial do município pela Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


01/08


2021

Bolsonaro: Sem eleições limpas, não haverá eleição

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) novamente colocou em dúvida a realização de eleições em 2022 ao se dirigir a apoiadores que realizam ato, hoje, em Brasília, em defesa do voto impresso.

"Vocês estão aí, além de clamar pela garantia da nossa liberdade, buscando uma maneira que tenhamos uma eleições limpas e democráticas no ano que vem. Sem eleições limpas e democráticas, não haverá eleição", disse Bolsonaro, por vídeo, a manifestantes concentrados em frente ao Congresso Nacional.

Ontem (31), Bolsonaro ignorou apelos de líderes e dirigentes de partidos do centrão que dão sustentação ao seu governo e voltou a atacar o sistema eleitoral durante manifestação a seu favor em Presidente Prudente (SP). Ele afirmou em palanque que a democracia só existe com eleições limpas e que não aceitará uma "farsa”.

"Queremos eleições, votar, mas não aceitaremos uma farsa como querem nos impor. O soldado que vai à guerra e tem medo de morrer é um covarde. Jamais temerei alguns homens aqui no Brasil que querem impor sua vontade", disse no interior paulista.

Aliados de Bolsonaro avaliam a renovação do discurso golpista do presidente como uma tentativa de manter sua base radical mobilizada diante de uma sucessão de acontecimentos que têm desgastado o governo ou colocado em xeque o discurso com o qual se elegeu em 2018 após a aliança com o centrão, consolidada com a indicação de Ciro Nogueira para chefiar a Casa Civil na semana passada.

*Com informações da Folha 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores