Jaboatão vai conquistar você

27/10


2006

Veja o que disse a Folha de SP sobre o debate em PE

O candidato do PSB ao governo de Pernambuco, Eduardo Campos, ressaltou sua parceria com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT, ao prometer na noite desta quinta-feira, durante debate na TV Globo, construir novas escolas técnicas no Estado.

Seu adversário, o governador José Mendonça Filho (PFL), acusou o socialista de "tratar com demagogia" a questão da segurança pública. Segundo o governador, a violência "explodiu" no Estado entre 1994 e 1998, período em que Campos integrava o governo do seu avó, Miguel Arraes.

Violência e educação foram os dois temas principais abordados no primeiro bloco do debate. Também foram discutidas questões sobre as rodovias do Estado e saúde pública.

Mendonça manteve a sua estratégia de comparar as administrações de Arraes e Jarbas Vasconcelos (PMDB), do qual fez parte como vice-governador de janeiro de 1999 a março deste ano, quando assumiu o cargo. Por duas vezes, o pefelista leu manchetes de jornais com críticas à administração anterior.

Campos, que aparece nas pesquisas como favorito para vencer a eleição, rebateu as acusações questionando resultados dos oito anos do atual governo. Segundo o Ibope, Eduardo Campo tem 65% dos votos válidos e José Mendonça Filho, 35%. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Manoel de Souza

MAS, O QUE ESTÁ ACONTECENDO EM FERNANDO DE NORONHA É UMA VERGONHA. MENDONÇA/JARBAS TIRA A TERRA DOS NATIVOS PARA DAR PROS SEUS AMIGOS RICOS CONSTRUIR POUSADAS. PODE?

helenosilva

realmente,o mendoncinha tem toda razao.importou um delegado da policia federal,que FINALMENTE RESOLVEU O PROBLEMA DA VIOLENCIA EM PERNAMBUCO.O INDICE DE CRIMINALIDADE BAIXOU MUITO,DE ASSALTOS,ETC. pernambuco,em termos de violencia melhorou muito.acho que eduardo vai manter esse ELLIOT NESS .HA,HA,H

julio de adelaide b. de hollanda

E por falar em eleição, uma perguntinha que não consegue calar:quantos votos mesmo o mini senador zé APAGÃO jorge acrescentou ao ALKIMIM?e por aqui, quantos votos mesmo o sr EVANDRO AUTMENTO DAS PASSAGENS AVELAR trouxe pra o MEDIOCRE MENDONÇA?falem cientistas politicos, falem por favor

José Rodrigues da Silva

Não só o atual comandante do turismo, o Dr. Detran, como também aquele boçal do Kleber e o "impossivel" Tom Uchôa. Não se ganha eleições só com palavras, são dos gestos, donde se extraí um vencedor. Avanti Dudu! Fora Luiz!

irania Olivia Benicio

Mendonça não cumpriu com eficiênca a pauta de governante que ele almejava. O desastre na indicação de um perfeito neófito na pasta de Turismo, diz o tamanho do descaso e compromisso com a otimização da máquina pública. Agora é refletir nos equivocos e assistir Dr. Eduardo governar.


Caruaru - Jan 2022

27/10


2006

Dívidas esquentam debate no Rio Grande do Sul

Os candidatos ao governo gaúcho, Yeda Crusius (PSDB) e Olívio Dutra (PT), se atacaram na noite desta quinta-feira durante debate promovido pela Rede Globo a respeito do acordo para pagamento da dívida do Estado com a União.

Olívio acusou os governos de Antônio Britto (PPS, partido que apóia Yeda) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB) de terem celebrado um acordo prejudicial ao Estado. Yeda elogiou a negociação, dizendo que os pagamentos se tornaram previsíveis.

Olívio fustigou Yeda: ''''Em 1998 o governador Britto, a quem a senhora apoiou, negociou com o presidente Fernando Henrique Cardoso um acordo de renegociação da dívida. A senhora tem dito que essa renegociação foi uma coisa belíssima", afirmou o petista.

''''A renegociação da dívida transformou uma ilusão em uma realidade. Antes da inflação [referindo-se ao Plano Real], ninguém pagava ninguém, todo mundo fingia que ia receber, outro que ia pagar. Quero lhe dizer apenas, governador Olívio à época, que o senhor recebeu uma renegociação da dívida com o percentual em cima da receita fixo e juros também. O senhor recebeu uma dívida diminuída em 30%", contestou Yeda. A dívida, segundo a tucana, ''''pôde ser paga, está podendo ser paga até agora".

''''O governo que a senhora apoiou, das privatizações e do desmonte do Estado, fez um acordo que foi prejudicial ao Rio Grande. Se o Estado pagava 6% e já estava em crise, como poderia ser pagando 13%?", questionou Olívio.

O primeiro tema foi segurança. Olívio perguntou sobre separação entre secretarias de Justiça e Segurança. Disse que a estratégia é igual à adotada em São Paulo, onde, segundo ele, ''''houve o resultado que infelizmente todos conhecemos [os ataques do PCC]".

Yeda procurou diferenciar as duas áreas, dizendo que a separação nada tem a ver com os problemas ocorridos em São Paulo. ''''Segurança pública trata de efetivos", disse Yeda. ''''A Susepe [Superintendência dos Serviços Penitenciários] fica na Justiça", afirmou ela. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo - Pavimentação e Drenagem

27/10


2006

Debate quente no Paraná entre Requião e Dias

O senador Osmar Dias (PDT), candidato ao governo do Paraná, começou o debate da TV Paranaense, retransmissora da Rede Globo no Estado, afirmando que seu adversário na disputa eleitoral, o governador licenciado Roberto Requião (PMDB), prometeu acabar com a banda podre da polícia do Estado, mas manteve, como seu assessor no Palácio Iguaçu, o policial Délcio Augusto Rasera, preso sob acusação de chefiar uma quadrilha da arapongas. O debate foi realizado na noite desta quinta-feira.

''''De repente se viu dentro do Palácio o Rasera grampeando telefone, fazendo escutas telefônicas'''', disse Osmar, cobrando do governador o nome do outro patrão de Rasera.

Requião reagiu dizendo que ''''a questão do Rasera é ridícula''''. ''''O fundamental é que a banda podre da polícia, meus irmãos, minhas irmãs, está no comitê do senador licenciado, Osmar Dias''''.

O contra-ataque rendeu um pedido de resposta de Osmar, negado ao final do bloco pela âncora do debate, a jornalista Sandra Annenberg.

Ainda no primeiro bloco, Requião ameaçou abandonar o debate devido às acusações do adversário. ''''Eu não vim aqui para fazer um bate-boca de baixo nível'''', disse, reclamando que estaria ''''sendo insultado e ele [Dias] não está abordando as coisas concretas'''', disse.

O clima refletiu a temperatura dos programas eleitorais dos últimos dias de campanha. Na propaganda eleitoral gratuita os dois candidatos têm mostrado boletins de ocorrência por briga e vídeos com declarações constrangedoras.

Horas antes do debate, a TV Paranaense apresentou nova pesquisa Ibope com Requião seis pontos à frente de Dias. Nela o governador aparece com 53% dos votos válidos, enquanto o senador tem 47%. Os índices coincidem com os apurados pelo Datafolha três dias antes. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina Dezembro 2021

27/10


2006

No Rio, um debate de ataques entre Denise e Cabral

A candidata do PPS, Denise Frossard, e o candidato do PMDB, Sergio Cabral, mantiveram a troca de ataques no último debate pela TV, realizado pela Rede Globo nesta quinta-feira.

Cabral insistiu diversas vezes que Frossard não tem conhecimento sobre temas importantes no Estado, como portos e geração de empregos. Ao comentar o tema saúde ele disse que: "a deputada só sabe atacar, mostra um completo desconhecimento, finalmente assume que só agora conheceu a rede hospitalar. A deputada infelizmente mostra que não tem conhecimento dos assuntos do Estado nem com a saúde pública", disse.

Frossard sustentou que a segurança pública é o pressuposto para o crescimento econômico do Estado e a realização de negócios e se irritou ao ser questionada sobre energia nuclear pelo peemedebista.

"Tem horas que eu perco a paciência. Nós temos 44.947 pessoas assassinadas nesse Estado e o senhor fica pensando com energia atômica! (...) Vamos descer o pé aqui na Terra!", disse ela.

Mais tarde, Frossard continuou: "Não vai ficar falando que o céu é o limite, não. Bota o pé no chão, vai explicar as pessoas. Vai tirar o crime, a violência do ir e vir e os negócios vão voltar".

Frossard criticou a proposta de Cabral de elevar o efetivo de policiais militares e civis e disse que ela representaria um gasto adicional de R$ 1,25 bilhão. "Tira da cartola coisas mirabolantes", disse ao se referir ao peemedebista.

Cabral voltou a dizer que vai trabalhar junto com o governo federal e municípios para implementar o programa de saúde da família e manter postos de saúde funcionando 24 horas. Ele criticou a gestão da saúde na capital em referência a Cesar Maia. "Saúde é um caos no Rio de Janeiro, com o prefeito que lhe apóia, e que sofreu intervenção federal", disse.

Frossard criticou ainda o fato de Cabral retirar de Proposta de Emenda à Constituição (PEC 70) que previa o reconhecimento da união estável de pessoas do mesmo sexo. O senador Marcelo Crivella (PRB), bispo licenciado da Igreja Universal, disse. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


27/10


2006

Mais sereno, Mendonça irrita Eduardo no debate

Foi um debate sem fatos novos, assuntos requentados, mas Mendonça Filho aproveitou o duelo com Eduardo Campos, há pouco, na TV-Globo, para colocá-lo na defensiva boa parte do tempo disponível. O socialista não estava numa noite feliz, trocou números e não trouxe nenhum tema que pudesse constranger o adversário.

Eduardo, por exemplo, não se saiu bem na resposta sobre a defesa que fez do ex-ministro José Dirceu, na CPI do Mensalão, na qual ele ( Dirceu ) foi condenado e, no plenário da Câmara, cassado. Mais uma vez, Eduardo usou o discurso do passado, que só interessa, segundo ele, a Mendonça, quando tratou, mais uma vez, do atraso de salários de servidores e de um suposto rombo de R$ 1,3 bilhão no Governo Arraes.

Diferente dos debates anteriores, Mendonça passou muita serenidade, jogando na tática de irritar Eduardo, acusando-o de demagogo e mentiroso. O pefelista mostrou, ainda, conhecimento da realidade do Estado, quando provocado a tratar de educação, saúde e segurança pública.

Eduardo se saiu melhor quando entrou em questões de natureza política. Foi assim, por exemplo, ao abordar a questão da privatização do Bandepe, lembrando que aliados de Mendonça no passado quebraram o banco, com empréstimos liberados para usineiros nunca pagos.

Que influência, no entanto, exerce um debate desta natureza faltando dois dias para as eleições? Depende da forma como vier a ser editado pela Globo no dia seguinte, porque foi ao ar muito tarde, às 22 horas, acabando por volta da meia noite. O debate foi bom, embora não tenham surgido fatos novos, uma bomba, capaz de alterar o cenário de hoje, amplamente favorável a Eduardo, que tem, segundo o Ibope, 30 pontos na frente de Mendonça.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Pedro Araújo

Volto a dizer, o desespero faz coisa que até Deus duvida. Agora para os marqueteiros de mundicinha, quanto mais ele falar em precatórios mais perde votos. Só não imaginava que Eduardo fosse quitar a dívida de Arraes, mais de um milhão, mundicinha falou em 1.300 mas um milhão já é o suficiente.

José Manoel de Souza

ADORO ESSA GRAVATA VERMELJA DO MÁGNO.

José Manoel de Souza

MAS, O QUE ESTÁ ACONTECENDO EM FERNANDO DE NORONHA É UM HORROR

José Manoel de Souza

ELAS INTEGRAM O BLOCO "OS SEM CARGOS"

helenosilva

jussara,ana b.holanda e outras.agora essa mariana.sao as viuvas do mendoncinha.ou entao,criaçao do magno.só podem ser.sao as mal amadas do vinicius....


Arcoverde janeiro 2022

26/10


2006

Mendonça fala em avanço e Eduardo destaca Lula

Nas considerações finais no debate da Globo, o primeiro falar, Mendonça Filho(PFL) pediu para a população fazer uma comparação entre os governos passados e o atual, para saber quem fez mais por Pernamnbuco. Disse que Pernambuco saiu do fundo do poço e que, com muito esforço, Jarbas e ele conseguiram atrair novos investimentos para o Estado e levantar a auto-estima do pernambucano.

"Reconheço, entretanto, que precisamos fazer muito mais. Faça uma reflexão de quem tem a melhor proposta, quem trabalha mais em favor do povo. Queremos que o Estado siga adiante e que não volte a um passado tão deplorável", disse o governador e candidato à reeleição.

Eduardo Campos, por sua vez, disse que, ao longo do debate, procurou discutir as propostas e mostrar que com ele no Estado o Nordeste será repensado de forma conjunta e não isolada, destacando para isso o apoio imprescindível do presidente Lula. "Vamos ter a unidade do Nordeste e não a sua dispersão. Estaremos olhando mais para o povo em programas em sintonia com o Governo Lula", afirmou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Manoel de Souza

PERNAMBUCO É O MEU AMOR E EDUARDO É O MEU GOVERNADOR. É 13 E 40 LULA E EDUARDO.

José Manoel de Souza

QUANDO A BESTEIRA É MUITO GRANDE, MELHOR NÃO RESPONDER.

Mariana

DAQUI A POUCO EDUARDO VAI CHAMAR LULA DO VOVOZINHO,KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

José Manoel de Souza

HÁ MEU DEUS TENHO QUE IR DORMIR. NÃO CHEGA UMA ALMA PRÁ TROCAR IDÉIAS. ESSA DOIDA AÍ NÃO SERVE. TÁ CONFUNDINDO TUDO. TODO MUNDO SABE QUE O MENDONÇA É QUEM SE ESCORA EM JARBAS. MENDONÇA PARECE UM VENTRILOCUO. TUDO ELE FALA: NO GOVERNO JARBAS/MENDONÇA...Ô COITADO.

Mariana

EDUARDO SE ESCORAVA NO AVÔ E AGORA EM LULA E JOÃO PAULO,KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.


Serra Talhada 2021

26/10


2006

Eduardo ironiza: "O candidato da oposição sou eu"

Educação voltou ao tema do debate. Eduardo acusa o Governo de não cuidar do setor, de não estimular o professorado nem o ensino médio e técnico. Mendonça acusa Eduardo de não ter moral de falar em salário, porque atrasou o pagamento dos servidores do Estado.

Mendonça destaca, agora, os projetos novos, como Universidade Democrática, para atender a juventude do Estado. Eduardo disse que Mendonça fala em projetos como se estivesse na oposição. "O candidato da oposição aqui sou eu", ironizou o socialista, ao afirmar que Mendonça recebeu o dinheiro da Celpe e não investiu na melhoria da educação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

helenosilva

avisa a mariana que tá na hora de preparar quentinha para o maridao levar para o serviço.

José Manoel de Souza

PERNAMBUCO É O MEU AMOR E EDUARDO É O MEU GOVERNADOR.

José Manoel de Souza

QUE POVO? OS 23% DE ELEITORES DE MENDONÇA? "OS SEM CARGOS" É.

Mariana

ELE É FALSO O POVO SABE DISSO.............

José Manoel de Souza

Pessoas desinformadas confundem tudo. Confundem até educação com falsidade e ironia.


SESC - Férias de Janeiro

26/10


2006

Mendonça acusa Eduardo de quebrar o Bandepe

Mendonça acusa Eduardo de mentir. Diz que o processo de privatização da Celpe foi aberto no Governo Arraes e que ele não tinha moral para falar de privatização, porque privatizou o Bandepe, deixando um rombo de R$ 1 bilhão.

Eduardo rebateu dizendo que Mendonça não tinha autoridade para falar de Bandepe, porque o Governo a que serviu no passado quebrou o banco, dando empréstimos a usineiros que nunca pagaram.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

helenosilva

realmente,o mendonça tem razao.Eduardo é o responsavel pela invasao do iraque,financia os ataques de binladen,guerra entre palestinos e judeus,e outras coisas mais.e magno,também acha.

José Manoel de Souza

PERNAMBUCO É O MEU AMOR E EDUARDO É O MEU GOVERNADOR.

José Manoel de Souza

EITA QUE ELA TÁ DESEPERADA. EU NÃO FALEI? É UMA DAS "SEM CARGOS"!

Mariana

É EDUARDO QUEBADEIRA É DUDU PRECATÓRIO É DUDU BANDEPE É DUDU SANGESSUGA

José Manoel de Souza

E VC MARIANA? FAZ PARTE DO GRUPO "AS SEM CARGOS"? OU VAI INVENTAR TAMBÉM QUE É CONCURSADA.


Bandeirantes novembro 2021

26/10


2006

Eduardo cobra de Mendonça a senha do Siafem

O tema agora é corrupção. Eduardo pergunta por que o Governo não libera a senha do Siafem. Mendonça diz que não há um governo mais transparente do que o atual. Sobre a senha, afirma que está sobre análise da Assembléia e que já se manifestou favorável para que as contas públicas estejam na internet.

Eduardo disse que Mendonça tem maioria na AL e não aprovou até agora porque não quis. O socialista disse que a população nâo pode acompanhar os R$ 600 milhões de renúncia fiscal oferecidos pelo Estado por falta da senha. Mendonça corrigiu o valor, dizendo tratar-se de R$ 550 milhões e não R$ 600 milhões.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Manoel de Souza

PERNAMBUCO É O MEU AMOR E EDUARDO É O MEU GOVERNADOR.


Pousada da Paixão

26/10


2006

Eduardo destaca investimentos de Lula na Educação

Eduardo disse, há pouco, que o Governo Lula trouxe quatro campus avançado para o Estado ao retomar a temática da educação. Mendonça disse que Eduardo não precisava fazer promessas, porque o Estado já estava qualificando estudantes para o ensino técnico, através de convênios entre os centros tecnológicos e o Senai.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Manoel de Souza

PERNAMBUCO É O MEU AMOR E EDUARDO É O MEU GOVERNADOR.


Coluna do Blog
Publicidade

Publicidade

Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Opinião

Publicidade
Apoiadores
Parceiros