FMO - Previnir é a melhor forma de lutar

24/10


2021

Morre médico Guilherme Robalinho

Deus levou, na madrugada de hoje, para a sua morada eterna, o meu amigo Guilherme Robalinho, aos 82 anos. Médico de mão cheia, foi secretário de Saúde do Recife e do Estado quando Jarbas Vasconcelos assumiu a Prefeitura e depois o Governo estadual. Clínico geral, atendeu por muito tempo no Hospital Português, onde faleceu. Seu corpo será velado na capela do Português das 10 horas às 15 horas, quando será levado para ser cremado no cemitério Morada da Paz.

Robalinho foi um médico dedicado ao ofício de forma sacerdotal. Como homem público, honrado e brilhante. Tanto na passagem pela Prefeitura do Recife quanto na Secretaria Estadual de Saúde deu demonstrações de competência, zelo e elevado espírito público. Construiu uma legião de amigos e pacientes. Eu próprio fui amigo e paciente, assim como minha mãe e meu pai.

Para mim, na verdade, Robalinho era um segundo pai. Dava conselhos, se emocionava com textos meus que tocavam seu coração, especialmente quando falavam da vida cotidiana, de família e de tertúlias sobre o meu Sertão. Robalinho vinha numa luta antiga contra uma doença autoimune e acabou não resistindo aos seus efeitos. 

O melhor médico é aquele que mais esperança inspira. Robalinho era assim. Passava segurança, fé e conforto. Exercia a arte e o talento de compartilhar a vida. Foi um anjo da guarda de muita gente. Tinha alma bondosa e sorriso cativante. A vida é feita de escolhas e ele escolheu ser médico. Salvou muitas vidas. Que descanse em paz!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jaboatão - Mutirão de Vacinação

24/10


2021

De bigu com a modernidade

Pulse, o SUV brasileirinho que surpreende

Os brasileiros viram pela primeira vez o Fiat Pulse em maio, no Big Brother, reality show da Globo. Desde então, seu lançamento teve vários episódios, numa bem bolada estratégia de marketing da marca - que, mesmo sem lançá-lo, deixou o país falando sobre ele quase o ano inteiro. Bem, se não há surpresa no visual, há muitas e interessantes novidades. Como o recém-desenvolvido motor 1.0 turbo 200 flex -  o mais potente e de maior torque do segmento: são 130cv e 20,0kgfm de torque. O preço da versão Impetus, topo de linha, é de R$ 116 mil - e um pacote de tecnologia e conforto generoso. Como a Fiat tem planos ambiciosos para o modelo, abriu o leque: há uma versão mais ‘barata’ com quatro airbags, ar-condicionado digital e até controle de tração por R$ 80 mil - embora com motor 1.3, o já conhecido Firefly, capaz de entregar até 109cv e 14,2kgfm de torque. 

Quanto ao novo motor, vale reforçar que o Pulse é o primeiro veículo da Fiat no Brasil a adotá-lo. Ele tem três cilindros, turbocompressor, injeção direta de combustível, tecnologia MultiAir e bloco de alumínio. O câmbio é automático (tipo CVT) que simula 7 marchas. O condutor pode optar por três modos: o normal (eficiência e conforto), manual (borboletas atrás do volante) e Sport (para otimizar a performance). Segundo a Fiat, a aceleração vai de 0 a 100 km/h em 9,4 segundos e o consumo chega a 13 km/l. 

O pacote de equipamentos e recursos de segurança do Pulse merece ser destacado. Alguns são já conhecidos, mas não para o público consumidor de SUV pequeno. Ele virá, por exemplo, com o Adas, o sistema de assistência ao condutor - e ainda numa nova plataforma, chamada MLA. 

Os faróis de LED em todas as versões — inclusive nas luzes de condução diurna (DRL) e de neblina — têm performance 32% superior ao principal concorrente do segmento. Há uma câmera posicionada na parte superior do para-brisas para acionar automaticamente o farol alto quando o Pulse estiver trafegando por vias com baixa luminosidade. Ela é capaz de detectar outros veículos trafegando à frente ou em direção ao Pulse, e desativa sozinha o facho alto para não ofuscar os outros motoristas. 

Esta mesma câmera "enxerga" as faixas de rolamento no asfalto e, caso detecte que o veículo esteja saindo da trajetória, um aviso sonoro e visual no painel, seguido de uma pequena aplicação de torque no volante na direção contrária à saída de faixa, alerta o motorista imediatamente.

Frenagem Autônoma de Emergência (AEB): o sistema pode reduzir e até evitar colisões traseiras. Ele usa imagens da câmera frontal para monitorar a proximidade do veículo à frente. Caso o sistema perceba uma rápida aproximação, ele emite um alerta visual e sonoro ao motorista. Se o condutor não tomar uma atitude, o sistema aciona os freios automaticamente, sendo capaz de evitar colisões até 50 km/h e reduzir os danos do impacto em velocidades superiores.

Controle de Estabilidade e Tração: atua nas situações em que o motorista se deparar com uma súbita mudança de trajetória ou com piso escorregadio. É item de série em todas as versões. Se for necessário acionar o freio em uma parada súbita, as luzes de freio piscam de forma intermitente, alertando os motoristas que vão atrás.

Manobras podem ser feitas sem sustos graças ao monitoramento da traseira em todas as versões, seja por meio de sensores de ré ou pela câmera com projeção no sistema multimídia. Na cabine, a proteção aos ocupantes é reforçada pelos airbags laterais do tipo Side Head Torax de série em todas as versões. Eles são maiores e avançam até a altura da cabeça do motorista e passageiro, proporcionando ainda mais segurança para os ocupantes.

Os novos bancos possuem estruturas pensadas para as mais diversas situações. Elementos no assento protegem os ocupantes contra o mergulho sob o cinto de segurança (anti-submarino) e o efeito chicote (whiplash) de colisões traseiras. A proteção aos pedestres é assegurada por elementos como o capô afastado do motor, o que permite a melhor absorção de impactos, e do soft nose. Este conceito adota componentes deformáveis na parte frontal para proteger o corpo do pedestre no caso de um acidente.

Conectividade

Por dentro, haja conectividade. As versões mais caras trazem um central multimídia de 10,1 polegadas compatível com Apple CarPlay e Android Auto - e sem cabos. O quadro de instrumentos é digital de 7 polegadas. Juntos, controlam o sistema de serviços conectados Fiat Connect Me, que permite a operação de diversas funções de forma remota por aplicativo de celular, smartwatch ou assistente virtual. Por exemplo: ligar e desligar o veículo, travar as portas e acessar informações de manutenção, fazer chamadas de emergência e usar o Wi-fi a bordo. Geralmente, as marcas automobilísticas usam o mesmo - e por anos - estilo em diversos modelos. A Fiat deu ao interior do Pulse uma identidade própria, inédita, com tons prata e cinza. 

Ambição

A Fiat é líder do mercado brasileiro e sul-americano em 2021. Com o Pulse, passa a disputar o segmento que mais cresce no país: de 2012 a 2021, o chamado B-SUV aumentou de 2,8% para 22,8% sua participação de mercado - e já tem 18 concorrentes. Com um representante nesta categoria, a marca, que detém o maior crescimento nacional (7 pontos percentuais de janeiro a setembro contra o mesmo período de 2020), aumentou a cobertura de mercado de 61% no ano passado para 90% em 2021.

_______________

Preços e versões

Pulse Drive 1.3 manual 
R$ 79.990

Pulse Drive 1.3 automático 
R$ 89.990

Pulse Drive 1.0 Turbo 200 Flex Automático 
R$ 98.990

Pulse Audace 1.0 Turbo 200 Flex Automático
R$ 107.990

Pulse Impetus 1.0 Turbo 200 Flex Automático 
R$ 115.990

_____________
E mais
O SUV vem com o ABS off-road e tem ângulos de entrada (20,5º), saída de 31,4º e transposição (21,3º) na medida para um carro pequeno. Ele leva da Strada o sistema TC+, que ajusta os parâmetros do controle de tração para otimizar a transferência do torque, e que deve ser usado em pisos escorregadios. 
____________________

Kia Stonic - O compacto híbrido da Kia foi oficialmente anunciado no Brasil - e é o primeiro modelo alinhado com o novo posicionamento da marca. Ele estará nas lojas na primeira quinzena de novembro, mas já tem preço definido: R$ 150 mil. O principal atributo da versão do Stonic destinada ao mercado brasileiro é o seu motor Kappa de 3 cilindros, turbo GDI (injeção direta), 1.0 a gasolina, com sistema híbrido 48V capaz de gerar 120 cavalos de potência e torque de 20,5 kgf/m.

Jeep Compass, cinco anos - Além de, no último mês, ter sido o segundo automóvel mais vendido no país pela primeira vez, o Jeep Compass tem outro motivo para comemorar: completa cinco anos desde que foi lançado e começou a ser produzido no Polo Automotivo de Goiana (PE). Com chegada ao mercado em outubro de 2016, o SUV médio da Jeep foi eleito nos últimos quatro anos o “SUV Compacto” menos desvalorizado por aqui. Com 315 mil unidades produzidas e mais de 280 mil comercializadas no Brasil, o modelo é exportado também para 16 países da América Latina (da Argentina à Guatemala, de Honduras ao México).

Conheça cinco curiosidades sobre o aniversariante
1. Em sua plataforma atual, o Compass é um modelo global, mas o Brasil foi o primeiro a fabricá-lo. Depois, passou a ser produzido em outros quatro países: México, China, Índia e Itália. Anteriormente, o modelo foi produzido nos EUA e começou a ser importado para o Brasil em 2012
2. São Paulo (SP) é a cidade que mais compra Jeep Compass no Brasil. Depois dela, seguem no ranking Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF) e Fortaleza (CE).
3. Branca é a cor mais vendida do Compass e a versão Longitude Flex é a queridinha dos brasileiros. 
4. O modelo é o único que conta com motor turbo diesel em seu segmento. 
5. O SUV da Jeep é comercializado em mais de 100 mercados em todo o mundo.

Volks Gol GTI - Quais modelos do popular Volkswagen Gol GTI que ainda fazem sucesso entre os brasileiros? O de 1995 lidera em vendas na OLX, maior plataforma de compra e venda de automóveis do país, e o de 1989 é o que tem maior liquidez. O modelo teve o fim decretado há 21 anos, marcou jovens dos anos 80 até 2000 e ainda faz sucesso no mercado de segunda mão. Entre as versões de GTI mais vendidas, entre janeiro e agosto deste ano, estão o GTI 2.0 (1995), seguido pelo GTI 2.0 (1989) e pelo GTI 2000 16V (2000). 
“Ele segue como um veículo com alta liquidez, reflexo da confiabilidade e longevidade do modelo”, comenta Flávio Passos, vice-presidente de Autos e Comercial da OLX. A cor azul foi considerada a queridinha dos amantes do veículo, com o maior número de registros nas vendas.

Natal, destino do rally Mitsubishi - O Mitsubishi Motorsports, rally de regularidade monomarca mais tradicional do Brasil, acontecerá no próximo dia 30 de outubro em meio à exuberante paisagem de Natal (RN). Nele, os participantes terão a oportunidade de explorar a capacidade todo-terreno de seu Mitsubishi entre as dunas e praias da capital potiguar. Funciona assim: todos os proprietários de SUVs Mitsubishi 4x4 têm a oportunidade de desbravar as mais belas paisagens do Brasil a bordo de seus veículos, na companhia de seus familiares e amigos. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site www.mitsubishimotors.com.br A prova não exige nenhuma experiência dos participantes, nem mesmo carros preparados. Cada dupla ? formada por piloto e navegador ? faz um trajeto pré-definido pela organização, respeitando o tempo e a velocidade estipulados na planilha distribuída antes da largada. As equipes mais regulares perdem menos pontos e são premiadas com troféus. Até crianças a partir de 8 anos ou animais de estimação podem acompanhar tudo de dentro do carro. O rally é composto por três categorias que variam de acordo com a habilidade do participante: Turismo Light, Turismo e Pro, em ordem de experiência. Todas percorrem entre 140 km e 150 km em cada etapa.

Gasolina (ainda) em alta - O preço do litro da gasolina no país subiu 1,96% na primeira quinzena de outubro na comparação com setembro, chegando a um valor médio no país de R$ 6,433. As informações constam em levantamento exclusivo feito pela ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas. Os dados mostram que Piauí (2,88%) e Ceará (2,77%) registraram as maiores altas no período. As menores altas no valor do combustível ocorreram em Tocantins (1,14%) e Acre (1,23%). Mas apesar dos aumentos recentes, ainda é mais vantajoso encher o tanque do carro com gasolina do que com etanol, segundo a ANP no país.

Violência no trânsito - O distanciamento social para impedir a transmissão do novo coronavírus, que causou a pandemia da Covid-19, tirou grande parte da população brasileira das ruas. Mas não reduziu o contingente de vítimas do trânsito. Pesquisa da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) com dados oficiais do Ministério da Saúde mostra que, entre março de 2020 e julho de 2021, o Sistema Único de Saúde (SUS) registrou um total de 308 mil internações de pessoas em decorrência de sinistros de trânsito em todo o Brasil. Dentre as vítimas dos chamados “acidentes de transporte”, qualificação usada pelas autoridades sanitárias, mais da metade (54%) eram motociclistas. Considerado apenas o período de janeiro a julho, em 2021 o número de internações de motociclistas bateu recorde histórico, alcançando 71.344 casos graves e que exigiram a hospitalização do motociclista. “Esses dados mostram que é urgente olharmos para o motociclista e adotar medidas educativas e de prevenção ao sinistro focadas nesse público. É mais uma confirmação para o alerta que temos feito para a gravidade desse cenário”, afirma Antonio Meira Júnior, presidente da Abramet. 

Caminhão: cuide dos pneus - Geralmente, por questões financeiras ou displicência mesmo, muitos motoristas deixam para trocar os pneus de seus caminhões somente quando eles estão muito gastos. Pior, na tentativa de economizar há quem não faça o alinhamento e o balanceamento, o que diminui a vida útil, desalinha outras peças e ainda aumenta os gastos com combustível, além de reduzir a segurança e o conforto. No entanto, mais do que rodar, o pneu garante segurança, conforto e economia ao veículo. Mas isso se houver checagem e troca no tempo certo. O valor de um pneu é alto, mas ao compararmos com outras peças chegamos à conclusão de se tratar de um produto de excelente durabilidade. Só para efeito de comparação, o pistão, por exemplo, trabalha dentro de um padrão o tempo todo, assim como outras partes internas do motor. O pneu, não. 

É comum estar rodando em uma pavimentação quente em dia de calor e repentinamente ser surpreendido por uma chuva que reduz bruscamente a temperatura. Se essa mudança ocorrer dentro do motor as peças empenam, mas o pneu, ao contrário, continua firme. Não importa se o pavimento é liso, ondulado, esburacado, quente, frio, com óleo ou outras substâncias estranhas na pista, o pneu resiste a tudo isso e dura dezenas de milhares de quilômetros. Mas como tudo tem limite, é importante fazer a manutenção correta. “A manutenção tem de ser feita com regularidade, evitando-se assim desgastes desnecessários, prevenindo acidentes e aumentando a produtividade”, afirma Hovani Argeri, diretor geral de Operação da Via Trucks, concessionária DAF. 

Calibragem - É uma tarefa que deve ser rotineira. O correto é encher o pneu de acordo com o que indica o manual do veículo. Nem mais nem menos. Pneus murchos têm mais atrito com o solo, tornando a direção mais pesada, desgastando mais a borracha e outras peças da suspensão, além de resultar em maior consumo de combustível. 

Rodízio - O rodízio possibilita que os pneus desgastem por igual, mantendo a boa estabilidade, a segurança e o conforto. Deve ser feito periodicamente conforme indicação do fabricante.

Alinhamento e balanceamento - Dois procedimentos que normalmente são feitos em conjunto. Sempre que o motorista perceber que o veículo está puxando para um lado é importante dar uma paradinha na oficina para fazer o alinhamento. Normalmente, o desalinhamento ocorre quando há fortes impactos na suspensão, causados por buracos, depressões ou lombadas. O balanceamento também é importante. Caminhão desbalanceado trepida muito e perde tração. 

Suspensão - Como a suspensão trabalha em conjunto com os pneus é preciso manter em dia a manutenção das molas, amortecedores, eixos. Lembre-se que pneu desgastado interfere negativamente no desempenho da suspensão, assim como a suspensão com problemas pode prejudicar o jogo de pneus.

Freios e rodas - Mantenha-os em dia, pois o freio tem seu ponto certo de frenagem sem travar as rodas. E as rodas não podem estar danificadas, pois isso contribuiu para a redução da pressão dos pneus.

*Renato Ferraz, ex-Correio Braziliense, tem especialidade em jornalismo automobilístico.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo - Pavimentação e Drenagem

23/10


2021

Vacina brasileira em spray pode ficar pronta em 2022

O Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor) está desenvolvendo desde o começo da pandemia de Covid-19 uma vacina em formato de spray nasal. As informações são da CNN Brasil.

De acordo com o pesquisador-chefe do estudo, Jorge Kalil, diretor do Laboratório de Imunologia do InCor e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), a expectativa é que o novo imunizante esteja pronto para ser aplicado na população até o final de 2022. “Se tudo der absolutamente certo… Até o fim do ano que vem, a gente teria o spray nasal, a vacina.”

Kalil explica que, embora pareça pouco tempo, há quase dois anos uma equipe vem trabalhando diuturnamente nos estudos. “O estímulo da inovação faz com que todo mundo continue trabalhando fim de semana e direto”, complementa.

Além disso, o estudo recebeu recursos do governo, o que auxiliou na contratação de mais pesquisadores. “Nós tivemos um apoio de imediato do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, que fez uma encomenda tecnológica, e nós conseguimos chamar mais gente para trabalhar conosco.”

Kalil disse à CNN que já é esperado que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) faça diversos questionamentos, ainda mais se tratando de uma tecnologia nova. “Isso ocorre para a segurança de todos e até para aprimorar o nosso processo.”

Após a provação dos testes clínicos 1 e 2, a equipe terá de desenvolver um “piloto” para que no início de 2022 possam iniciar a nova fase dos estudos.

A matéria completa está disponível no site da CNN Brasil.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina setembro 2

23/10


2021

Paulo anuncia investimentos de R$ 51 mi na Mata Sul

Na passagem pela Mata Sul do Estado, o governador Paulo Câmara (PSB) anunciou investimentos de R$ 51 milhões para a região. De acordo com o Governo, a medida vai possibilitar a geração de 490 novos empregos. O gestor esteve nos municípios de Sirinhaém, Rio Formoso e São José da Coroa Grande vistoriando obras e liberando recursos nas áreas de educação, infraestrutura, abastecimento de água e assistência social, como parte do Plano Retomada.

Em Rio Formoso, Câmara assinou ordem de serviço para obras de restauração da PE-073, no trecho de 15 quilômetros até a cidade de Gameleira, orçadas em R$ 7,6 milhões. A expectativa é de que os serviços sejam concluídos até dezembro deste ano, garantindo a trafegabilidade de mais de 54 mil moradores das duas localidades e potencializando o desenvolvimento agrícola local.

Também foram autorizadas obras de melhoria viária no acostamento da PE-060, na extensão que corta o Engenho Estrela do Norte, Machado e a Fazenda Bom Jardim, no valor de R$ 3 milhões. "Concluímos anúncios importantes nesta sexta-feira, visando ao desenvolvimento do nosso Estado. Ainda temos muitas ações para o futuro. Nosso objetivo é gerar emprego e renda para as regiões,  além de melhorar a infraestrutura desses locais", afirmou Paulo Câmara.

O governador reforçou a segurança hídrica do município ao liberar R$ 2,1 milhões para intervenções no abastecimento. Ainda em Rio Formoso, ele repassou R$ 10 mil para manutenção do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e liberou recursos de cofinanciamento de Benefício Eventual para os barraqueiros e outros comerciantes do litoral, com três parcelas de R$ 180 reais. Câmara também divulgou a implantação de uma cozinha comunitária e assinou um convênio para pavimentação, além de um termo de compromisso para instalar a Central de Oportunidades de Pernambuco (Cope). 

Finalizando a programação, em São José da Coroa Grande, o governador destinou cerca de R$ 6 milhões para a infraestrutura rodoviária, autorizando a contratação das obras de restauração do acesso à cidade, com 3,4 quilômetros. Também houve a destinação de R$ 650 mil para obras de melhoria do sistema de abastecimento de água. As intervenções têm conclusão prevista para junho de 2022. A praia de Gravata receberá recursos para implantação do sistema de abastecimento de água, no valor de R$ 500 mil, atendendo 2 mil habitantes.

Acompanhado de diversos secretários e parlamentares da base, Paulo Câmara reforçou os investimentos na assistência social, repassando R$ 10 mil para manutenção do Cras e auxílio para barraqueiros e outros comerciantes do litoral, com três parcelas de R$ 180 reais. A implantação da cozinha comunitária, do Programa Mãe Coruja e do Projeto Praia Sem Barreiras foram outros investimentos divulgados pelo governador.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/10


2021

Kajuru diz que líder de Bolsonaro ofertou R$ 100 mi em emendas

O senador Jorge Kajuru (Podemos-GO) acusou o senador Eduardo Gomes (MDB-TO), líder do governo no Congresso, de oferecer, em uma suposta conversa informal, R$ 100 milhões em emendas parlamentares, para ele deixar de ser crítico em relação ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). As declarações do parlamentar foram dadas à revista Crusoé.

Kajuru disse à revista que a suposta declaração de Gomes teria ocorrido para o seu assessor de orçamento. Apesar das afirmações, o senador do Podemos não apresentou provas das acusações. Em nota enviada ao UOL, o líder do governo disse que não enviou recados a Kajuru via assessoria.

"Agora, eu te digo que o meu assessor de orçamento ouviu da boca do senador Eduardo Gomes (líder do governo no Congresso), de quem eu gosto, e que é muito educado, o seguinte: 'O Kajuru podia ter 100 milhões (de reais) em emendas. Fala para o Kajuru mudar, não bater no governo desse jeito'", disse Kajuru.

Em nota, a assessoria de Eduardo Gomes afirmou que ele "respeita o senador Kajuru por suas posições e sua história, tendo sempre mantido com ele diálogo republicano de alto nível, de maneira direta, sem precisar enviar recados via assessoria. Todas às vezes que o senador Kajuru votou com o governo, o fez por convicção", declarou o senador.

Já Kajuru relatou que, ao ser informado da suposta oferta, foi conversar com Gomes e falou: "Vou fingir que você não falou isso porque, se tivesse falado comigo, eu teria gravado e colocado no ar".

Segundo o senador do Podemos, ele mesmo tem verbas oficiais e legais que totalizam R$ 27 milhões e qualquer quantia acima é preciso explicar à sociedade como o parlamentar conseguiu essa verba. Ele ainda questionou como há parlamentares que conseguem valores muito altos em emendas.

"Como é que tem senador que conseguiu 150 milhões para o Rio Grande do Sul, como o [Luis Carlos] Heinze? Como tem senador que conseguiu 200 milhões para o Amapá, como o Davi [Alcolumbre]? Isso tudo tinha que ser absolutamente esclarecido. Isso tudo o presidente sabe. Aí está a responsabilidade dele, grave, de ter comandado tudo. Não tem desculpa."


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sindicontas

23/10


2021

ANP: gasolina, diesel e gás tiveram nova alta de preços

O valor médio cobrado pela gasolina, pelo diesel e pelo botijão de gás subiu nesta semana. Dados divulgados pela ANP (Agência Nacional do Petróleo), ontem (22), mostram que a gasolina é vendida a até R$ 7,46 na semana atual —de 17 a 23 de outubro— no Sul do país. Já o gás de cozinha pode ser encontrado a até R$ 135,00 em vários Estados. As informações são do Poder360.

O preço médio do litro da gasolina comum no país foi de R$ 6,32 na semana anterior para R$ 6,36 nesta semana, com aumento de 0,61%. No ano, a alta acumulada é de 41,96%.

O valor mais alto foi identificado no Rio Grande do Sul, onde o combustível está sendo vendido por até R$ 7,46, segundo pesquisa semanal da ANP. Na sequência, no topo da lista, estão: Rio de Janeiro (R$ 7,39) e Piauí (R$ 7,15).

Já o diesel subiu 0,26% em relação à semana anterior, passando de R$ 4,97 para R$ 4,98, de acordo com a ANP. A alta no ano está em 38,18%. O botijão de gás de 13kg saltou de R$ 100,44 na semana passada para R$ 101,96. A alta foi de 1,51%. No ano, o avanço chega a 36,4%.

Uma manifestação de caminhoneiros contra o aumento dos preços e o risco de desabastecimento fez com que postos de Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo ficassem sem combustíveis. Em entrevista a jornalistas ontem, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) já havia avisado sobre a alta dos preços.

Esta foi a 12ª semana consecutiva de altas e estabilidade nos preços dos combustíveis. Especialistas do setor avisam sobre a possibilidade de novos reajustes para cima por conta da alta do dólar e do aumento do preço do barril no mercado internacional.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca - Outubro

23/10


2021

Temer: Bolsonaro errou ao não assumir controle da pandemia

Em entrevista ao UOL, ontem, o ex-presidente Michel Temer (MDB) disse que o erro do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na condução da pandemia foi não ter assumido o controle. Para o ex-presidente, se tivesse feito isso, Bolsonaro "teria virado líder nacional" e estaria em posição mais "confortável com reeleição".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Graças a Deus, se não tinha morrido mais de 2 milhões de brasileiros, desde quando esse Genocida teve apego aos mortos. Isso é um MENTIROSO Genocida Inválido.


Caruaru - Transparência em 1° Lugar

23/10


2021

Sinpol pede interdição da Delegacia de Boa Viagem

O Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco) protocolou no Ministério Público do Trabalho (MPT), no último dia 15, um pedido de interdição da Delegacia de Boa Viagem, Zona Sul do Recife. De acordo com o sindicato, a solicitação foi feita devido "às condições precárias para o funcionamento, com o ambiente totalmente insalubre". 

"Entre as irregularidades, foram constatadas as seguintes: objetos inservíveis amontoados em locais indevidos, como nas áreas de circulação e até mesmo no alojamento; materiais apreendidos armazenados em local destinado à circulação dos Policiais Civis; inúmeras infiltrações e vários pontos de mofo; gambiarras; alojamento com condicionador de ar quebrado; materiais armazenados em sala transformada em depósito, em quantidade que inviabiliza até mesmo a entrada de servidores e  bebedouro quebrado", informa o Sinpol.

Segundo a instituição que representa os policiais civis, vários ambientes internos da referida delegacia estão tomados por materiais apreendidos, como motos, e há um grande acúmulo de entulhos, como colchões e cadeiras quebradas. O Sinpol também afirma que, para realizar uma faxina, os servidores da Delegacia fizeram uma vaquinha para contratação de pessoal.

“O Comitê Gestor do Pacto Pela Vida havia definido como uma de suas principais metas o 'aumento da capacidade de investigação de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI)' no Estado. Passados mais de 11 (onze) anos do início do aludido programa governamental, a situação dos policiais civis no interior do Estado e na Região Metropolitana do Recife (RMR) continua a mesma: ausência de mínimas condições de conduzir uma investigação criminal criteriosa e acurada por não dispor de instrumentos, viaturas e efetivo”, reclama o presidente do Sinpol, Rafael Cavalcanti.
 

As condições de insalubridade violam as normas do Código Sanitário de Pernambuco, o Decreto Estadual nº 20.786, de 10 de agosto de 1998, que protege a saúde do trabalhador de situações insalubres. Por isso, o Sinpol encaminhou um ofício ao MPT em caráter emergencial.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

23/10


2021

CNM: 95% das cidades aplicam doses de reforço

Cerca de 95% dos Municípios brasileiros já iniciaram a aplicação da dose de reforço em idosos e profissionais de saúde. Os que ainda não deram início, quase todos já estão organizados para começar essa imunização. Os dados constam da 29ª edição da pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), que ouviu 1.855 gestores municipais entre os dias 18 e 21 de outubro.

A pesquisa também aponta que um em cada quatro Municípios ficou sem imunizantes nesta semana. Desses, 67,4% informaram que foi impactada a aplicação da primeira dose, sendo a Pfizer a principal vacina em falta. Destaca-se que apenas esse imunizante pode ser aplicado em adolescentes entre 12 e 17 anos no Brasil, faixa etária que está sendo vacinada em quase 100% dos Municípios. Apenas 3,8% vacinam pessoas entre 18 e 24 anos.

Já para a aplicação da segunda dose, relatada por 43,8% dos respondentes que alegaram insuficiência de imunizantes, a vacina Astrazeneca foi a que mais faltou nos postos de saúde, sendo apontada por 91,3% dos gestores que responderam essa questão.

Passaporte da vacina e eventos

Pelo menos 249 prefeituras (13,4%) já editaram decreto para exigir o chamado passaporte da vacina para frequentar lugares coletivos públicos. Nesta semana, a CNM também perguntou se os eventos públicos e privados já estão liberados: 73,3% afirmaram que sim e 23,2% que ainda não. Dos que já liberaram a realização de eventos, as celebrações religiosas estão entre as que mais foram permitidas (92,5%); seguido de eventos culturais e shows comerciais (75,6%); eventos ligados à rede de educação (66,6%); feiras comerciais (66,4%); e jogos esportivos com plateia (64,7%).

Para esses eventos, 89,7% dos Municípios afirmaram que realizam fiscalização quanto às medidas de prevenção contra a Covid-19. Segundo os gestores, as medidas que vêm sendo adotadas são: redução da capacidade de lotação do local (93,4%); limite de horário (56,4%); obrigatoriedade de vacinação completa (38,8%); e apresentação de teste de Covid-19 negativo (23,1%). Segundo 96,2% dos gestores, o Município segue os protocolos estaduais em relação à liberação de eventos e 76,7% utilizam protocolos locais em complementação aos estaduais.

Quase a totalidade dos Municípios mantém a obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes coletivos privados (98,2%) e públicos (97,4%). Pelo menos 61% dos Municípios devem manter a exigência mesmo com a vacinação de toda a população local. Já 34,9% informaram que a questão ainda está em definição e apenas 2,8% apontaram que não devem manter a obrigatoriedade. Medidas restritivas de circulação de pessoas e atividades econômicas ainda vêm sendo adotadas por 39,2% dos Municípios, menor percentual já apresentado na pesquisa.

Novos casos e óbitos

Uma notícia boa foi apontada na pesquisa desta semana: 1.429 Municípios, ou 77% dos respondentes, não registraram óbitos pela doença. Apenas 5,1% registraram aumento; 9% estabilidade e 7,4% queda. Em relação aos novos casos, 539 (29,1%) não tiveram registros de Covid-19 nesta semana. Em 27,2% houve estabilidade nos números, em 23,9% diminuição; e 18,7% aumento. Sobre a variante Delta, 17,9% dos gestores alegaram que já houve registro da cepa no Município e 78,2% afirmaram que não.

O número de internações pela doença também mostra um cenário positivo: 1.160 (62,5%) não registraram pacientes pela doença. Outros 14,9% apresentaram queda; 13,8% estabilidade; e 6,6% aumento. Diante desse contexto, 31,2% dos Municípios respondentes fecharam leitos de UTI destinados ao tratamento da doença nos últimos 60 dias. Já 52,9% afirmaram que não houve fechamentos.

Retorno às aulas presenciais

As aulas presenciais já retornaram em 87,5% dos Municípios. Dentre os demais, 5,6% afirmaram que têm data definida e 4,7% que não haverá aulas presenciais neste ano. O formato híbrido está sendo adotado por 62,6% dos Municípios. Já 36% afirmaram que as escolas municipais estão com aulas 100% presenciais em todas as etapas de ensino.

A Confederação perguntou aos gestores como está sendo realizada a distribuição da merenda escolar no Município. De acordo com 38,3% dos gestores, a merenda continua sendo entregue aos alunos no ensino remoto; e 66,7% apontaram que está sendo oferecida nas escolas. Em algumas cidades, nas quais há o ensino híbrido, ocorrem as duas formas de distribuição da merenda.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

23/10


2021

Pega, mata e come

Por Marcelo Tognozzi*

Sergio Regina era um homem com talento e paciência especiais para ensinar a molecada de 12, 13, 14 anos no Colégio Rio de Janeiro dos anos 1970.

Regina era admirado pela galerinha como faixa preta de judô e por fazer a gente gostar de literatura com livros superinteressantes como “Os Meninos da Rua Paulo”, do húngaro Ferenc Molnár, “As Aventuras de Tom Sawyer”, de Mark Twain, ou “Capitães da Areia”, de Jorge Amado. As aulas dele eram simplesmente imperdíveis. Mesmo quando ensinava gramática, análise sintática ou nos obrigava a mergulhar nas conjugações verbais, pretéritas, futuras, perfeitas e imperfeitas. Acima de tudo, sujeito com muitos predicados.

Já vão mais de 50 anos desde que li pela primeira vez “Capitães da Areia”, o livro de Jorge Amado sobre os meninos de rua de Salvador. Aquilo me marcou imensamente, porque crianças vivendo na rua era realidade cotidiana naquele meu Rio de Janeiro ainda cheio de Bossa Nova, Cinema Novo, Banda de Ipanema e mulatas do Sargentelli. No ano de 1937, quando o livro foi publicado, esta realidade também era parte do cotidiano da cidade de Salvador.

Já se vão 84 anos. De lá para cá, a China trocou a pobreza pela prosperidade, a Europa se reergueu de uma guerra que matou mais de 70 milhões, a Coréia entrou para o clube dos ricos e o Japão floresceu depois de lavar as feridas de um ataque nuclear.

Em todos estes lugares a pobreza deixou de ser um passivo. Menos no Brasil. Pessoas continuam nascendo, crescendo e morrendo nas ruas das grandes cidades faz tempo, quase 200 anos. No início, eram somente loucos e mendigos, depois vieram os escravos libertos, soldados voltando de guerras como a do Paraguai ou de Canudos, sem dinheiro para alugar uma vaga num dos cortiços do Centro do Rio.

Os que voltaram de Canudos foram morar no Morro da Favela, nome dum arbusto espinhento típico do sertão, perto da Central do Brasil. Ali nasceu a primeira de muitas favelas. Na Bahia aconteceu o mesmo, especialmente com os escravos libertos e abandonados à própria sorte por uma sociedade que se negou sistematicamente a incluí-los.

Nos Estados Unidos, apesar do racismo ostensivo, o mercado falou mais alto quando, depois da Guerra de Secessão, os Estados do Sul criaram escolas para negros, como uma forma de inseri-los na sociedade de consumo que dava seus primeiros passos. Hoje muitos criticam estas escolas, dizendo que foram concebidas para “branquear” os negros, mas a universalização da educação básica funcionou. Acabou o analfabetismo.

Hoje, 13,6 milhões de brasileiros vivem em favelas. No ano passado, uma reportagem da EBC, agência de noticias do governo federal, informou que a economia favelada gira incríveis R$ 119,8 bilhões por ano.

No início do mês surgiu a notícia da prisão de uma mulher que cresceu nas ruas e hoje é mãe de 5 filhos. Ela furtara de um supermercado 2 refrigerantes, 2 pacotes de miojo e 1 de suco em pó. Conta de R$ 21. Ré confessa, roubou porque tinha fome. Mofou duas semanas na cadeia (ali pelo menos havia almoço e janta grátis) por obra e graça da Justiça de São Paulo, até ser libertada pela caneta de um juiz do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A pandemia empobreceu ainda mais os brasileiros e expôs esta miséria mais que centenária, eterna, incrustrada nas grandes cidades.

No Rio e São Paulo, pessoas ocupam calçadas, acampam, improvisam cubículos de papelão, vivem da caridade alheia. Numa época de pandemia, esta situação de famílias amontoadas pelas ruas é um risco, uma mistura de pobreza e desamparo com saúde pública precária. Pessoas sem poder tomar banho, fazer higiene pessoal, dias e dias com a mesma roupa, mal alimentadas e com o sistema imunológico debilitado, são vetor natural de doenças num país onde o direito à saúde está previsto no artigo 196 da Constituição.

Gerações de pessoas vivendo nas ruas nunca deveria ser vista como uma coisa normal, muito menos tolerada pela sociedade de um país capaz de produzir comida para 1,5 bilhão de seres humanos. A miséria é hoje o maior passivo do Brasil. Num mundo onde o meio ambiente, a sustentabilidade e a governança, a famosa sigla ESG, ditam o comportamento das sociedades mais ricas e desenvolvidas, um país repleto de miseráveis que roubam para matar a fome não tem a menor chance chegar lá.

Cuidar das pessoas significa cuidar do planeta. A sociedade é quem escolhe e paga o preço. E até aqui temos pagado caro pelas piores escolhas.

Nossa sociedade tem a cultura do atalho. Nos anos 1960 escolheu a ditadura como melhor remédio para acabar com a corrupção e construir um país forte. Não deu certo. Nos anos 1980, o atalho era acabar com a inflação cortando zeros e o que era 1.000 passou a ser 1. Também não deu certo.

O Estado do compadrio e do patrimonialismo emperra soluções que poderiam ser simples. Um dos maiores exemplos é a proibição do jogo, feita pelo ex-presidente Dutra, em 1946, via decreto-lei. Bastava revogar e o assunto estava resolvido, mas foram criando tantas complicações que, agora, será preciso uma senhora lei para legalizar aquilo que a sociedade faz escondido há 75 anos.

No Brasil dos Capitães da Areia continua em pleno vigor a lei do “Carcará” de João do Vale, que Maria Bethânia deixa ainda mais voraz quando diz: “Em 1950 mais de 2 milhões de nordestinos viviam fora dos seus estados natais. 10% da população do Ceará emigrou. 13% do Piauí! 15% da Bahia!! 17% de Alagoas!” Foi em 1950, moço, há 71 anos. O Brasil está diante do impasse: ou se livra da miséria ou será engolido por ela. Igual na música: pega, mata e come.

*Jornalista. Texto publicado originalmente no Poder360.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Agora temos uma Praga, Morte e Fome!


SESC Outubro 2021

23/10


2021

PSD lança Pacheco candidato à Presidência

Poder360

Prestes a se filiar ao PSD, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), foi lançado candidato a presidente pelo chefe da sigla, Gilberto Kassab. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, também endossou o nome do mineiro.

“Rodrigo mostrou que tem talento e sabedoria para a vida pública. Se Deus quiser ele é o próximo presidente do Brasil. O PSD está pronto para abraçar suas propostas“, disse Kassab.

O ato foi o 1º encontro da legenda desde que o diretório estadual do Rio passou para as mãos do prefeito da capital, Eduardo Paes. “Vou votar no capeta ou no coisa ruim? Não dá. A política precisa mostrar alternativas. Você está sendo convocado a disputar a Presidência da Republica pelo PSD“, disse.

Pacheco foi o último a falar e discursou por 17 minutos. Não disse se aceitava o convite para sair candidato. Mas apresentou os pilares do discurso que deve adotar na campanha, caso abrace a disputa no ano que vem.

Pacheco disse que o Brasil precisa ser governado sob três sentimentos: união, respeito e responsabilidade.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes outubro 2021

23/10


2021

Demonstração de Foguetes

Da coluna de João Alberto

O general Richard Fernandez Nunes, comandante militar do Nordeste, recebe convidados terça-feira, às 10h, para a demonstração de Tiro de Lançadores Multiplos de Foguetes, no Campo de Instrução Marechal Newton Cavalcanti, em Paudalho, dentro da Operação Guararapes 2021. Será a primeira vez que a demonstração acontecerá fora do Rio de Janeiro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
Publicidade

Publicidade

Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Opinião

Publicidade
Apoiadores
Parceiros