17/06


2021

Gonzaga comemora ritmo acelerado da Transnordestina

O deputado federal Gonzaga Patriota (PSB) comemorou a boa notícia dada pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, sobre o retorno das obras da Transnordestina. De acordo com o ministro, o trabalho está em ritmo acelerado no Ceará e em Pernambuco as obras serão retomadas. O anúncio foi feito durante visita a Petrolina, no sertão de Pernambuco.

O socialista é autor do Projeto de Lei nº 1125/1988, que incluiu a ligação ferroviária de Pernambuco na relação descritiva das ferrovias do Plano de Viação, instituído pela lei nº 5917, de 10 de setembro de 1973, incluindo a ligação Salgueiro-Araripina denominada Ferrovia do Gesso. Esse Projeto transformou-se na lei nº 9.060/1995, que popularmente é conhecida como Lei da Ferrovia Transnordestina.

Segundo Patriota, a Transnordestina é uma das obras mais importantes para o Nordeste, por ligar a nova fronteira da agropecuária aos maiores portos da região, além de atender as empresas de mineração que vê nesse empreendimento a chance de potencializar o transporte de cargas, escoando grãos e minérios até o mar a custos mais baixos.

“Esse é um projeto de grande dimensão, vai beneficiar todo o Nordeste, nossa economia e sua população. Precisamos agilizar as obras e concluir o mais rápido possível, pois há anos os nordestinos esperam por isso”, cobrou o socialista que lembrou que a Transnordestina começou a ser construída em junho de 2006, no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e que deveria ter ficado pronta em 2016. “A ferrovia, com quase 1.800 quilômetros, foi planejada para ligar três estados do Nordeste – Piauí, Pernambuco e Ceará – aos principais portos da região: Suape (PE) e Pecém (CE). A obra começou em 2006. Deveria ter ficado pronta em 2016”, comentou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Jose Roberto Correia de Jesus

O nobre Deputado.... devia falar que a obra iniciada no governo do perca total... vai ser terminando por Bolsonaro... pois é o governo que faz e não rouba até os sonhos da população como fez o governo do luladrao


Pousada da Paixão

17/06


2021

Reforma na previdência do Recife repercute entre servidores

Diário de Pernambuco

A proposta de reforma da previdência municipal apresentada pela Prefeitura do Recife, nesta semana, segue dividindo opiniões. Caso seja aprovado pela Câmara Municipal, o projeto de lei deverá afetar a aposentadoria de cerca de 19 mil servidores da capital pernambucana. Elogiado pelas entidades empresariais, o texto que será apresentado à Câmara da cidade está recebendo críticas dos servidores municipais.

Entre as principais mudanças, o projeto prevê o aumento da alíquota de contribuição previdenciária para todos os funcionários, saindo de 12,82% para 14%. Já a idade mínima para a aposentadoria passará para 64 e 61 anos para homens e mulheres, respectivamente.

De acordo com a Prefeitura, serão instituídas duas regras de transição. A primeira delas será válida para os servidores que já estão perto da aposentadoria. Ela será composta por um sistema de pontos que deverá determinar a remuneração do servidor. A outra regra de transição possui requisitos mínimos. Para as mulheres, será necessário ter ao menos 57 anos de idade e 30 de contribuição. Já para os homens, a exigência é de que possuam 60 anos de idade e 35 de contribuição.

Além disso, a Prefeitura também anunciou um Programa de Desligamento Voluntário para os servidores das autarquias municipais, válido para a Emlurb, CTTU, URB, Csurb, e Emprel. O servidor que aderir ao programa terá direito a receber uma indenização equivalente a até 15 vezes seu salário mensal.

A Prefeitura afirmou que as mudanças se tornaram necessárias por conta da crise fiscal enfrentada durante a pandemia da Covid-19. De acordo com o controlador-geral do município, Ricardo Dantas, as medidas estão parcialmente alinhadas à Nova Previdência da União e deverão gerar uma economia de R$ 1,5 bilhão nos próximos 20 anos.

O grupo multissetorial Atitude PE, que contribui com a gestão pública na tomada de decisões para melhorar a competitividade da economia, aprovou a decisão do governo municipal. O plano foi detalhado aos empresários pelo prefeito João Campos. De acordo com o gestor, o programa possibilitará mudar a Capag (Capacidade de Pagamento) do Recife de C para B, permitindo que 8% da Receita Corrente Líquida (RCL) da cidade sejam comprometidos com empréstimos internacionais, concedidos por entidades como o Banco Mundial (Bird) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Durante a reunião com o grupo, o prefeito afirmou que o conjunto de medidas permitirá a realização de aportes extras nas áreas de saúde e educação. “Esse ano é o ano da austeridade, de preparar e fazer projetos”, reforçou o gestor municipal.

Ao presidente do conselho do Atitude, Paulo Sales (presidente do Conselho de Administração da Rede Moura), e sua diretoria executiva, representada por Guilherme Cavalcanti, ex-presidente da ARIES (Agência Recife para Inovação e Estratégia) e da AD Diper (Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco), João Campos destacou o plano de avançar com a carteira de Parcerias Público-Privadas (PPPs) e concessões.

“O programa surpreendeu não apenas pela dimensão, mas pelo potencial de transformação do município. Aumentando a sua capacidade de financiamento de forma responsável, a Prefeitura vai contagiar não apenas os empreendedores, como também o povo recifense”, destacou Paulo Sales.

SERVIDORES CRITICAM MUDANÇAS

Durante uma reunião do Fórum dos Servidores Municipais, promovida pelo Sindicato dos Servidores Municipais do Recife (SINDSEPRE), na última quinta-feira, o assunto foi discutido. A coordenadora do Fórum, André Batista, afirmou que os trabalhadores foram pegos de surpresa com o anúncio. “Ele foi feito sem aviso prévio, sem discussão com nenhuma categoria. Estamos estudando esses projetos e avaliando os impactos que as propostas inseridas têm para a vida profissional dos servidores”, pontuou.

De acordo com os trabalhadores, as consequências não são vantajosas para os profissionais. “São impactos extremamente danosos, chegando a ser piores que a reforma administrativa federal”, comentou. Agora, a reivindicação é de que o projeto seja discutido antes de ser votado pela Câmara Municipal. “Observamos que não há nenhuma justificativa para que esses projetos tramitem em regime de urgência, como foi solicitado pela gestão municipal”, concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina abril 2021

17/06


2021

Covidão não suporta mais Câmara

Ao afirmar, pela segunda vez, que não será candidato a governador, o ex-prefeito Geraldo Covidão deu a entender, na nota ao blog do JC, que seu projeto foi adiado por culpa exclusiva do governador Paulo Câmara, a quem, na verdade, nunca aceitou ser subordinado.

"Em 22, quem lidera a sucessão não sou eu, mas o governador", disse, ao final da nota, como se tivesse culpando Paulo Câmara. O blog apurou que, na verdade, Covidão está irado com o governador porque ele não fez nenhuma ação interna para frear o movimento simpático da base governista na Assembleia Legislativa pelo nome do secretário da Casa Civil, Zé Neto.

Este, sim, se depender da vontade e disposição do governador, de quem é amigo pessoal, será o candidato. Covidão diz que está fora da disputa porque está morrendo de ciúme de Neto.

Joaquim Francisco dizia, quando governador, que o pior e mais danoso ciúme é o de macho.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


17/06


2021

O pior prefeito da Região Metropolitana

Quem achar o prefeito de Paulista, a rainha da Inglaterra Yves Ribeiro (MDB), em seu gabinete dando expediente ganha um passeio de lancha para conhecer o maravilhoso litoral do município. Desde que entregou, literalmente, o poder ao super secretário, o arestoso Jorge Carrero, que o gestor faz de conta não põe os pés no seu gabinete.

Os bares, botecos e restaurantes da cidade viraram seus pontos de despachos, conforme atesta a foto acima de uma rara reunião de trabalho com a direção do Sindicato dos Servidores Municipais, no bairro Nobre. 

Informações que correm no Palácio das Princesas, se confirmadas, não se traduzirão em nenhuma surpresa: pesquisas internas apontam que, dentre todos os prefeitos da Região Metropolitana, Yves é o campeão em rejeição na avaliação dos seis primeiros meses de gestão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


17/06


2021

Governo nomeia secretária de enfrentamento à Covid-19

A Casa Civil da presidência da República nomeou a médica Rosana Leite de Melo como secretária extraordinária de enfrentamento à Covid-19 do Ministério da Saúde. A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União de hoje e assinada pelo ministro de estado chefe da da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos.

O nome da médica Rosana Leite de Melo é o terceiro indicado para ocupar o cargo. A primeira opção do ministro da Saúde Marcelo Queiroga foi Francieli Fantinato, que assumiu a coordenação do Plano Nacional de Imunização (PNI). Depois, a infectologista Luana Araújo foi anunciada para a função, no entanto, dez dias depois o governo informou que ela não seria nomeada.

Rosana Leite de Melo possui residência em cirurgia geral e em oncologia e faz parte do Conselho Regional de Medicina do Mato Grosso do Sul desde 2013. No governo do ex-presidente Michel Temer ela ocupou o cargo de Coordenadora Geral das Residências em Saúde do Ministério da Educação.

Desde novembro de 2019, a Rosana ocupa a função de diretora-presidente do Hospital Regional do Mato Grosso do Sul.

A Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 foi criada em maio. Segundo o governo, a pasta se destina a "propor diretrizes nacionais e ações de implementação das políticas de saúde para o enfrentamento à Covid-19". Além disso, também deve realizar uma articulação com estados, municípios e com o Distrito Federal e coordenar as ações do Plano Nacional da Vacinação contra a Covid-19.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca 2021

17/06


2021

Chulé politicamente correto

Por Antonio Magalhães*

O chulé, mau cheiro nos pés, foi abolido ou é apenas suportado pelos politicamente corretos para se darem bem com o grupo? O hábito recente de tirar os sapatos para entrar na casa de alguém ou em determinados lugares vem formando a turma dos “Sem Sapatos”. Um gesto cobrado crescentemente sob pena de ser cancelado ou entrar na lista de excluídos de visitas, eventos domésticos ou cerimônias mais abrangentes.

Não existe nada mais deselegante do que uma mulher bem vestida – que com com sapato de saltos altos completaria o glamour – descalça em festas. A mesma coisa se dá com um homem de roupa nova descalço ou de meias. A falta do complemento nos pés é cruel, desfazendo qualquer melhor estética do visual. Triste da moça que tem um joanete para ser exposto ao público ou unhas encravadas masculinas com ares de descuido. Dói na vista e humilha as pessoas.

Se há aqueles que se dobram diante deste novo contexto, há o pessoal da resistência que está ficando em casa ou evitando ambientes onde a necessidade de tirar o sapato é obrigatória. E os mais radicais vêm armando ações, como o uso de uma meia furada, fedorenta de uso de vários dias para incensar o local. Ou exibir a visão indecente dos dedos saindo do casulo do chulé.

Como se sabe, os pés fazem parte do corpo humano, dão equilíbrio e impulsionamento. E pelo que consta a legislação, os direitos humanos também protegem estas partes com o mesmo direito à privacidade de outras já preservadas culturalmente. O artigo 5º, inciso X, da Constituição Federal garante a privacidade das pessoas. E os pés, está claro, completam o ser humano.

O argumento principal para a turma dos Sem Sapatos é que as solas carregam milhões de bactérias que poderiam infectar os pisos estéreis, como de UTIs, de algumas residências. Uma pesquisa da Universidade do Arizona (EUA), em 2008, anotada pela revista SuperInteressante,  revela que é pouco provável que algum morador da casa contraia uma infecção em decorrência da sujeira grudada nos sapatos.

A pesquisa apontou que a maior ocorrência é da bactéria Escherichia Coli, que pode causar doenças digestivas e urinárias. A maior parte dessas bactérias, no entanto, é inofensiva e faz parte do nosso trato intestinal. Os sapatos normalmente não saem de perto do chão. É mais efetivo prestar atenção em outros objetos. Qualquer pessoa pode facilmente deixar uma bolsa ou uma mochila no chão e em seguida colocá-la em cima da mesa da cozinha ou da cama.

Segundo o microbiologista Donald Schaffner, em entrevista ao New York Times, existem formas muito piores de carregar germes para dentro de casa, como através das mãos. Assento de ônibus ou carro, dinheiro e caixa eletrônico são apenas alguns exemplos de itens em que todo mundo coloca a mão e nunca são lavados.

A situação muda, registra a revista, quando existe um bebê morando na casa. Quando a criança está aprendendo a engatinhar, ela fica em contato com o chão e pode facilmente colocar a mão na boca ou até encostar o rosto no piso. Nesse caso, tirar os sapatos antes de entrar pode prevenir algumas infecções na criança.

A minha geração de sessentões foi blindada desses excessos de cuidados domésticos. Andávamos descalços nas ruas, calçados dentro de casa e ninguém teve qualquer doença por conta dessas bactérias “mimimi”.

Mas o que fazer? Se não tirar os sapatos, sequer entro em casa ou no apartamento da minha filha. É isso.

*Jornalista


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mesquita

Alguém sabe explicar o porquê do filho do coiso ficar doido quando falam da Marielle?


Caruaru Campanha São João 2

17/06


2021

Coluna da quinta-feira

Um deserto de líderes

O estudo do Banco Mundial, instituição insuspeita, apontando Recife como o pior ambiente para se fazer negócios entre as 27 capitais do País, só confirma, de forma insofismável, que era falsa e oportunista a campanha midiática do ex-prefeito Geraldo Júlio, o Covidão (PSB), vendendo a então propalada Veneza Brasileira como a Capital do Nordeste.

Covidão deveria se envergonhar por ter passado ao seu sucessor uma cidade abaixo até da pequena Macapá, capital do Amapá, em tratamento decente e respeitoso a quem deseja abrir um negócio, gerar empregos e reduzir as desigualdades sociais, como identificou o Banco Mundial. Mas a culpa não é apenas dele. O governador Paulo Câmara e as principais lideranças políticas do seu arco de aliança são igualmente responsáveis.

Pernambuco, notadamente Recife, que virou o patinho feio entre as capitais brasileiras, são vítimas de um modelo que se exauriu, o socialismo disfarçado, que reina há 16 anos. Uma monarquia na qual o rei é uma rainha, os áulicos batem palmas para a mediocridade, porque não têm a mínima capacidade nem um lampejo de discernimento para enxergar que o Leão do Norte há muito não ruge.

O ranking do Banco Mundial reflete, também, numa outra ponta, um Pernambuco sem liderança política, um governador amorfo, uma Assembleia Legislativa lagartixa, uma bancada federal silenciosa, conivente com os disparates que acontecem no Estado. Mesmo com suas contradições e atos não republicanos, como foram descobertos após a sua morte, o ex-governador Eduardo Campos foi a última lamparina neste deserto de líderes.

Foi altivo, quando Pernambuco exigiu firmeza dele. Corajoso, quando bateu de frente com aqueles que queriam contrariar os interesses dos pernambucanos. Sua morte abriu uma lacuna indiscutível. Nenhum Estado prospera sem liderança. Eduardo se foi, mas deixou uma herança maldita. Seus herdeiros fracassaram.

Se o governador lá fora precisa de cartão de apresentação, no Recife o prefeito João Campos é um aprendiz de gestor, verde, assessorado por menudos, fazendo uma gestão Zé Gotinha, o Papa da vacina. No Senado, como líder do Governo, Fernando Bezerra Coelho (MDB) até poderia fazer a diferença, mas só carreia recursos para sua Petrolina. Cadê a voz respeitada nacionalmente do senador Jarbas Vasconcelos?

Sem voz, a quem os pernambucanos devem recorrer? A ninguém, porque o Estado não tem mais lideranças. Tem a Bahia, com ACM Neto, sucessor do avô Antônio Carlos Magalhães. Tem o Ceará, com Camilo Santana (PT), governador competente, respeitado e tocador de obras. Fortaleza se orgulha do ex-prefeito Roberto Cláudio, campeão em popularidade, que bateu Salvador, deixando a capital cearense na liderança regional do PIB.

Certa vez, o cacique baiano ACM disse: "Nós trazemos fábricas para a Bahia, usamos o talento dos baianos para dar as fórmulas de que a Bahia precisa. Em toda parte, a Bahia cresce. Por que? Cresce porque trabalhamos, porque temos vontade de lutar por essa terra que tanto amamos".

A mão que embala o berço governa o mundo, ensinou Abraham Lincoln, ex-presidente americano, que influenciou o curso da história mundial ao assumir a liderança do Norte durante a Guerra de Secessão.

Fica a sua lição!

São Paulo na frente – Pelo estudo do Banco Mundial, São Paulo, Minas Gerais e Roraima são os estados onde é mais fácil abrir e manter um negócio. De acordo com o levantamento, Pernambuco, Espírito Santo e Amapá ocupam as últimas posições, com destaque para Recife, a capital, que aparece em último lugar. Esta é a primeira vez que a instituição relaciona "boas práticas" e "obstáculos regulatórios" em todos os 26 estados e o Distrito Federal. Até então, o relatório abrangia somente os dados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Só Armando – Omissa, a bancada do PSB em Brasília silenciou, mais uma vez, diante da péssima notícia do Banco Mundial. Mas o ex-senador Armando Monteiro, não. “O Banco Mundial é uma instituição multilateral de grande respeitabilidade e confirma com o estudo a existência de um ambiente de negócios absolutamente disfuncional, o que explica a elevada taxa de desemprego no Recife e em Pernambuco. Há poucos dias, falei sobre as taxas de desemprego recorde que estamos amargando e apontei o seu caráter estrutural. As causas incluem a burocracia, qualidade das políticas públicas, baixa capacidade de investimento, déficit na infraestrutura e outros aspectos que criam um ambiente de operações não amigável para as nossas empresas. Perde o empreendedor, perdem os cidadãos”, afirmou.

Lula pega ar – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua família entraram com um novo recurso no processo movido contra a atriz Regina Duarte, para que ela seja condenada a pagar uma indenização no valor de R$ 131 mil reais por danos morais. As informações são do jornal O Globo. O processo contra a ex-secretária de Cultura foi movido pelos filhos de Lula no ano passado. Um post divulgado por Regina afirmava que foram encontrados R$ 256 milhões nas contas de Marisa Letícia Lula da Silva, ex-primeira dama.

Licitação vergonhosa – Após a tentativa de comprar R$ 15 milhões em móveis de luxo (como cadeiras e mesas com especificações) para Suape, licitação que só foi cancelada com o escândalo da revelação por este blog, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, titularizada pelo ex-prefeito Geraldo Júlio (PSB), prepara outra licitação que tem sido considerada por fontes especializadas, no mínimo, estranha. Quer gastar até R$ 2.709.750, 24 apenas para a "realização do monitoramento da qualidade do ar no Porto de Suape".

Troféu da vergonha – O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), também bateu sem piedade na posição lanterninha do Estado no estudo feito pelo Banco Mundial. “Pernambuco é líder nacional de desemprego, um troféu que ninguém se orgulha em receber, e para que a gente deixe essa posição e volte à liderança que realmente interessa, a gente precisa discutir Pernambuco, a gente precisa somar lideranças, ouvir as pessoas, trabalhar em conjunto pelo futuro do nosso estado. É possível fazer isso, e juntos, nós temos toda a capacidade de mudar o nosso presente para construir um Pernambuco melhor para todos”, afirmou.

CURTAS

BOA NOTÍCIA – O Governo do Estado anunciou, ontem, uma seleção pública para contratar 1.575 profissionais de saúde para atuar no atendimento a pacientes com Covid-19. As inscrições já começam hoje e seguem até domingo pela internet. Os salários vão de R$ 1.100 a R$9.886,16. Desse total, há 507 oportunidades para médicos, 248 para analistas em Saúde e 820 para assistentes em Saúde.

GRANDE LÍDER – A morte repentina, ontem, do prefeito de Lajedo, Adelmo Duarte (PSD), causou um profundo abatimento na população. Ex-prefeito por três vezes, dois mandatos de deputado estadual, Duarte era uma das maiores lideranças políticas do município. Aliado do ex-prefeito Rossini Blesmany (PSD), derrotou, mais vez, na eleição passada, o candidato da família Dourado, que reinou absoluto por muito tempo.

Perguntar não ofende: Quem será o candidato do PSB a governador depois de Geraldo inviabilizado?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mesquita

A terceira via virou uma miragem literária. A polarização entre Bolsonaro e Lula deve engolir uma candidatura moderada.


CABO

16/06


2021

Deserto de líderes

Na minha coluna, postada à meia noite, faço uma constatação óbvia, mas necessária: Pernambuco ficou na lanterninha do levantamento do Banco Mundial, assunto mais comentado hoje nas redes sociais, porque virou um deserto de líderes.

Vale a pena conferir!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Junho 2021

16/06


2021

Câmara aprova mudanças na Lei de Improbidade Administrativa

A Câmara dos Deputados aprovou, hoje, o texto-base do projeto que atualiza a Lei de Improbidade Administrativa e que passa a exigir que se comprove a intenção de lesar a administração pública, para que a acusação formalizada pelo Ministério Público seja recebida.

O texto-base foi aprovado por 408 votos favoráveis a 67 contrários. Os deputados agora vão apreciar propostas de mudanças ao projeto, que, depois, segue para o Senado.

Pelo texto aprovado ficou definido que agentes públicos – de servidores a políticos – só responderão por ato de improbidade se ficar demonstrado que a ação ocorreu de forma intencional.

O QUE MUDA NA LEI:

Descrição dos atos de improbidade:

Como está hoje:

O texto da lei é muito genérico sobre as situações que podem configurar improbidade, deixando margem para que até decisões e erros administrativos sejam enquadrados na legislação.

Como fica:

O projeto de lei aprovado traz definições mais precisas sobre as hipóteses de improbidade e prevê que não configura improbidade a ação ou omissão decorrente da divergência interpretativa da lei.

Forma culposa de improbidade:

Como está hoje:

A lei estabelece que atos culposos, em que houve imprudência, negligência ou imperícia podem ser objeto de punição.

Como fica:

O novo texto deixa na lei apenas a modalidade dolosa (situações nas quais houve intenção de praticar a conduta prejudicial à administração). Medida deve promover redução significativa nas punições, pois é muito mais difícil apresentar à Justiça provas de que o agente público agiu conscientemente para violar a lei.

Acordo judicial:

Como está hoje:

Lei proíbe expressamente a realização de acordo judicial.

Como fica:

O texto do projeto de lei estabelece a possibilidade de um tipo de conciliação entre as partes, tecnicamente chamado de acordo de não persecução cível.

Titular da ação:

Como está hoje:

O Ministério Público e outros órgãos públicos, como a AGU (Advocacia-Geral da União) e as procuradorias municipais podem apresentar as ações de improbidade à Justiça.

Como fica:

O Ministério Público terá exclusividade para a propositura das ações segundo a proposta em trâmite na Câmara dos Deputados.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

16/06


2021

Auditor do TCU recebe direito de ficar em silêncio na CPI

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu, hoje, a Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, auditor do Tribunal de Contas da União (TCU), o direito de ficar em silêncio no depoimento à CPI da Covid-19.

O depoimento está marcado para esta quinta (17). A convocação foi aprovada em razão da suspeita de que o servidor produziu um relatório falso, mencionado pelo presidente Jair Bolsonaro, que apontava uma suposta "supernotificação" de mortes por Covid no Brasil.

Após Bolsonaro ter mencionado esse relatório, atribuindo ao TCU, o tribunal desmentiu o presidente, afirmando que o documento não era da Corte e refletia somente a "análise pessoal" do servidor. Silva Marques foi afastado de suas funções, e o TCU pediu à Polícia Federal que investigue o caso (veja detalhes no vídeo mais abaixo).

Pela decisão de Gilmar Mendes, o auditor:

  • pode não responder a perguntas que "possam, por qualquer forma, incriminá-lo";
  • se decidir responder a questionamentos, não pode "faltar com a verdade";
  • tem o direito a ser acompanhado por advogados;
  • tem direito a ser questionado com "dignidade, urbanidade e respeito", sem sofrer "quaisquer constrangimentos físicos ou morais, em especial ameaças de prisão ou de processo".

Conforme Gilmar Mendes, o servidor já é alvo de apuração do TCU, e o STF entende que "é assegurado o direito de o investigado não se incriminar perante a Comissões Parlamentares de Inquérito".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Canalha, deveria ir para cadeia. Usa a estrutura pública do TCU para mentir e enganar, inflando a cabeça com poucos neurônios da qual dispõe o Bozo, desta maneira propagando fakes, no entanto isso serve de alimento ao gado!