24/06


2021

Deputado Daniel Silveira é preso novamente

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) foi preso novamente por desrespeitar o uso da tornozeleira eletrônica 36 vezes. As informações foram veiculadas pela CNN Brasil e pela GloboNews.

Segundo a GloboNews, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, decretou a prisão acatando o pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). Ainda segundo a apuração do canal, Moraes ainda não fixou a fiança.

A reportagem da emissora relatou que Daniel Silveira estava a caminho do Instituto Médico Legal (IML) no Rio de Janeiro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jaboatão Habitacional Suassuna

24/06


2021

Difusor do passaporte digital da vacina no Frente a Frente

Em entrevista ao Frente a Frente, direto de Paris, onde mora, o empresário brasileiro Everton Cruz, da empresa de tecnologia voltada para desenvolver projetos dirigidos a cidades inteligentes, explica como funciona o passaporte digital da vacina anticovid, sucesso no mundo, implantado pioneiramente no Brasil em Afogados da Ingazeira, Sertão do Pajeú, a 386 km do Recife.

Afogados da Ingazeira iniciou ainda na gestão anterior, de José Patriota (PSB), a implantação do passaporte imunológico digital, o Chronus i-Passport, desenvolvido pela empresa francesa de tecnologia Mooh! Tech. Os custos foram integralmente bancados através de doação feita pelo empresário afogadense Jurandir Pires, proprietário da rede de loja de departamentos Jurandir Pires.

O Chronus i-Passport está sendo utilizado pelos profissionais de saúde e ampliado para toda a população, na medida que for avançando a imunização. Trata-se de um sistema de identificação e proteção profilática, “para implantar infraestrutura adequada e necessária ao retorno dos cidadãos às atividades cotidianas de forma segura e organizada. É uma ação progressiva e contínua para restabelecer a normalidade social”, diz Everton.

O i-Passaport é um passaporte de profilaxia que registra informações sobre vacinas, aliando a funcionalidade de um cartão de vacinação – nacional e internacional e, também de um passaporte, à agilidade e praticidade de um aplicativo de celular. 

A entrevista vai ao ar a partir das 18 horas no Frente a Frente, programa ancorado por este blogueiro pela Rede Nordeste de Rádio, com 44 emissoras em Pernambuco, Alagoas e Bahia. Se você deseja ouvir pela internet e navega neste blog, clique no botão Rádio acima ou baixe o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio na Play Store.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

24/06


2021

Só descontentes na rua podem tornar Jair Jail

Por José Nêumanne*

A primavera despediu-se de Budapeste sábado com a Arena Puskas lotada por 60 mil torcedores presentes ao jogo da Eurocopa entre Hungria e Itália. O verão começou domingo no Hemisfério Norte com festa de rostos nus e abraços comovidos na manhã ensolarada de Nova York. Ali, com 70% da população imunizada, a vitória do time de basquetebol Brooklyn Nets foi comemorada em seu ginásio, também lotado. A Hungria foi o primeiro país da União Europeia a vacinar e imunizou metade de seu povo, mesmo sendo o primeiro-ministro, Viktor Orbán, de extrema direita e venerado pela famiglia Bolsonaro. A vacinação nos Estados Unidos começou sob Donald Trump, herói da contemporânea capitania hereditária tupiniquim, e o presidente, Joe Biden, Zé Gotinha ianque, deu por findas as restrições sanitárias na estreia desta estação.

O Brasil acompanha todas as provas da eficácia da imunização de longe pela televisão. Essa é uma das causas do negro humor necrófilo do presidente Jair (ou Jail, cadeia em inglês, destaca cartaz exibido em Londres no fim de semana), o charlatão-mor da pílula do câncer e da cloroquina. No fim de semana, antes de o inverno chegar abaixo do equador, o mundo soube que sua indiferença contribuiu de forma inelutável para a marca tétrica de meio milhão de mortos pela pandemia da covid-19 nestes cada vez mais tristes trópicos. “Agora é o inverno de nosso descontentamento”, previu o britânico William Shakespeare no último decênio do século 16, na abertura da tragédia Ricardo III. O verso foi usado como título de um romance do norte-americano John Steinbeck em 1961, um ano antes de ganhar o Prêmio Nobel de Literatura. O protagonista é um balconista de origem nobre que negligencia valores morais numa sociedade corrupta.

Bolsonaro não recorreu à piada infame de hábito para ofender e humilhar os entes queridos das vítimas de sua falta de empatia e sensatez. Que poderia ter aprendido com Orban, que mantém na Hungria pregação negacionista, mas não negligencia a imunização, necessária para garantir suas bazófias eleitorais. Ou com Benjamin Netanyahu, que, antes de entregar a chefia do governo a adversários de direita e esquerda. coligados em Israel, adotou postura sábia ao liderar o combate ao novo coronavírus com esforço e eficiência, telefonando todo dia para o CEO do laboratório Pfizer para garantir doses de  boa imunização de rebanho pela vacina. Seu fã brasileiro, porém, na live de 17 de junho último, disse que “imunização é até mais eficaz que a vacina”. O negócio dele é matar...

E manobrou os fios de seu teatrinho de fantoches com piadas de caserna para manter no silêncio covarde o discurso gabola. O chefe da Casa Civil, general Luiz Eduardo Ramos, comemorou os 900 dias de desgoverno desfiando lorotas da estratégia desumana desde a concepção no título da nota, “900 dias: nos trilhos na preservação de vidas e da retomada da economia”. Não é ironia, é burrice. O secretário de Comunicação (et pour cause), deputado Fábio Faria, zurrou cinismo intolerável num tuíte: “Em breve vcs (vocês) verão políticos, artistas e jornalistas “lamentando” o número de 500 mil mortos. Nunca os verão comemorar os 86 milhões de doses aplicadas ou os 18 milhões de curados, porque o tom é sempre o do ‘quanto pior, melhor’. Infelizmente, eles torcem pelo vírus.” Trata-se de uma confissão de insensibilidade incomum mesmo na política brasileira. Faria, que apoiou com o pai Dilma e Lula em 2014, e o impeachment do poste, em 2016, é agora bolsonarista-raiz até na total falta de piedade e sabedoria, um declarado apóstolo da seita da direita estúpida, em contraponto à extrema direita de Orban, Trump e Bibi. É abissal sua dificuldade em entender que muitos “salvos” lamentam os próximos que perderam, ao contrário dele. E que outros sofrem com reações intoleráveis da contaminação e da dolorosa recuperação da capacidade pulmonar perdida. Tendo votado em Dilma, em 2014, e contra o próprio voto, em 2016, não distingue luto de festim.

Bolsonaro, Ramos e Faria são incapazes de entender notícias dolorosas como as dívidas acumuladas pelas famílias com a cobrança de hospitais chegando na internet. E a perda média calculada de 18 anos de vida pelas vítimas fatais da peste contemporânea, caso do ex-presidente do Banco Central Carlos Langoni. Contentam-se em comprar votos de parceiros na roleta russa na comissão parlamentar de inquérito da covid no Senado por R$ 660 milhões. Na caneta bic deles dinheiro público no orçamento é vendaval, como cantou certa vez o príncipe Paulinho da Viola, Paulo César de Faria, que não é parente de Fábio, o genro profissional.

Nesse nosso inverno do descontentamento, no inferno do luto e do pranto por nossos irmãos extintos, a razão dos fatos revelados nos países que não são desgovernados, mostra que a direita estúpida não manda na rua com motociatta. E põe em risco o discurso do capitão de milícias: pois a flexibilização das restrições pode transferir a tormenta que nos ameaça em fogueira para imolar “Jail” Inácio Bolsonaro. Oxalá a vacinação em massa devore sua imunidade política.

*Jornalista, poeta e escritor


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/06


2021

Bolsonaro: Não tenho que responder perguntas de idiotas

O presidente Jair Bolsonaro voltou a declarar, hoje, que seu governo permanece sem registrar nenhum caso de corrupção e tentou minimizar a repercussão da compra de vacinas contra a covid-19 por mais de dez de vezes acima do preço, conforme revelou o Estadão. De acordo com o presidente, não adianta a imprensa "inventar" histórias sobre a vacina da Covaxin, pois o governo não recebeu nenhuma dose do imunizante, e, caso exista alguma irregularidade, o Executivo irá apurar.

O negócio entre o governo federal e a fabricante indiana da Covaxin, representada no Brasil pela Precisa Medicamentos, é um dos principais focos das investigações da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid, no Senado. Entre os previstos para serem ouvidos pelos senadores estão o deputado Luis Miranda (DEM-DF), que denunciou a Bolsonaro as supostas irregularidades e o empresário Francisco Maximiano, sócio da Precisa.

Durante visita técnica à Barragem de Oiticica, no Rio Grande do Norte, Bolsonaro retomou seu discurso nacionalista e repetiu que "Deus, pátria, família e bandeira verde e amarela" não existiam no País "até pouco tempo". O presidente voltou a atacar a imprensa, disse que não tem que dar entrevistas. "Eu não tenho que responder perguntas de muitos idiotas, que o tempo todo, só veem defeito na gente", declarou para em seguida retomar a defesa do voto impresso em 2022.

Durante o evento, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, que acompanhou a comitiva do presidente Bolsonaro, fez ataques à governadora Fátima Bezerra (PT). O ministro criticou o anúncio de compras de imunizantes feito pela governadora, chamando-a de "mentirosa" e argumentando que "todas as vacinas até hoje aplicadas no Brasil foram compradas, adquiridas e pagas pelo presidente".

Em sua chegada ao Estado, Bolsonaro novamente provocou aglomerações. Como costuma fazer em todas as viagens, caminhou sem máscara, cumprimentou apoiadores com abraços e apertos de mão. Acompanharam o presidente, além do ministro das Comunicações, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, e o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno.

*Com informações do jornal O Estado de São Paulo


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/06


2021

RioMar abre as portas para Lampião

Grande espaço para difusão da cultura, o shopping RioMar Recife sedia, até o próximo dia 30, uma exposição espetacular sobre Lampião e o cangaço. Também descortina o curta-metragem, estilo documentário, "Arquiteturas da Memória - Serra Talhada", do artista visual Fernando Kehrle.

Na verdade, um resgate com registros de uma memória coletiva da Capital do Xaxado, no Sertão do Pajeú. Também histórico político, econômico e cultural de grande importância para Pernambuco, o Brasil e o Mundo.

São registros executados e explorados por fotografias, mapas, desenhos, pinturas em técnicas mistas, instalações e intervenções com formatos em releituras, valorizando a arquitetura secular com seus casårios, igrejas e praças.

Assim como o desenvolvimento rural e urbano, sem esquecer da cultura do cangaço, que abre um leque de opções na história que começou com Virgulino Ferreira, o Lampião. Os óculos do cangaceiro também estão na exposição.

Com curadoria do secretário de Serra Talhada, Anildomar William, a mostra pode ser vista no piso L-3, do RioMar.

Uma boa pedida!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina abril 2021

24/06


2021

Cais do Porto do Recife será dragado

Coluna de João Alberto

Com investimento de R$ 28,5 milhões do DNIT, o Porto do Recife vai licitar a dragagem do seu cais, de um mínimo de oito metros e o máximo de 12 metros. Entre as vantagens, vai permitir que os transatlânticos parem junto do Terminal Marítimo, evitando a necessidade de um traslado de ônibus, desconfortável para os passageiros. Obra deve ficar pronta até o final do ano.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca 2021

24/06


2021

Conselhos para não perder dinheiro ao comprar um apartamento

Por Ian Ignaszewski*

É sempre bom encontrar maneiras de não perder dinheiro na hora de comprar um apê. Como essa é provavelmente uma das maiores compras que você fará, mesmo um pequeno passo em falso pode ter um impacto de longo prazo em sua vida financeira.

Felizmente, existem algumas coisas que você pode fazer para não perder dinheiro ao comprar apartamento em Recife. Aqui estão algumas das melhores maneiras de se fazer isso na próxima vez que for adquirir esse tipo de imóvel.

Calcule o que você pode pagar (e seja fiel a isso!)

Saber o tipo de apartamento que você pode pagar é o passo mais importante antes de procurar por esse imóvel. Infelizmente, a maioria das pessoas confia no valor que o banco pré-aprovará.

O problema com isso é que o banco não conhece sua situação financeira pessoal. A outra coisa a se considerar é que os bancos são um negócio. Eles ganham dinheiro com os juros dos empréstimos.

E quanto maior o empréstimo, mais dinheiro eles ganham. E por causa disso, eles querem lhe emprestar tanto dinheiro quanto eles acham que você pode pagar. Mas só porque um banco pensa que você pode pagar, não significa que você pode.

Além disso, de que adianta comprar um apartamento se você não poderá fazer mais nada depois disso com o seu dinheiro? É por isso que recomenda-se que o pagamento da hipoteca não exceda 25 a 30% do valor líquido dos seus rendimentos (considerando pelo menos 20% de entrada).

Em outras palavras, se você ganha R$ 5.000 por mês já excluindo os impostos, o pagamento da hipoteca não deve ser superior a R$ 1.250. Tudo bem, esse valor pode parecer baixo para você.

Mas acredite, se você tiver paciência para economizar o suficiente de um adiantamento para se enquadrar nessas diretrizes, estará preparando sua vida financeira para o sucesso a longo prazo.

Além disso, deixe bem claro com o seu corretor de imóveis que você não vai comprar nenhum apartamento com 2 quartos que esteja fora do seu orçamento.

Economize dinheiro para uma entrada maior

Existem muitos empréstimos disponíveis que exigem muito pouco de entrada. Para compradores de apartamento de primeira viagem que se qualificam para um empréstimo, a entrada exigida pode ser tão baixa quanto 3,5%.

Embora pareça ótimo no início, pode realmente levar você a comprar uma casa que você não pode pagar. E quando você faz isso, você pode acabar tendo que lidar com algumas consequências financeiras seriamente dolorosas.

Em primeiro lugar, quanto menor for a entrada, mais você precisará pedir emprestado a um banco. Isso significa que você pagará ainda mais juros ao longo da vida do financiamento habitacional.

Busque as melhores taxas de juros

A maioria das pessoas não percebe o impacto que uma pequena mudança em sua taxa de juros pode ter sobre o custo total da hipoteca.

Considere uma hipoteca de R$ 300.000 com uma taxa de juros de 3,5% sobre um empréstimo de 30 anos. Ao final dos 30 anos, o empréstimo com juros custará R$ 484.968. Se a taxa de juros fosse de 3,0%, esse mesmo empréstimo custaria R$ 455.322.

Isso é uma economia de quase R$ 30.000! Vale lembrar que as taxas de juros variam de credor para credor e, por esse motivo, você deve obter cotações de vários credores. Isso garantirá que você obtenha as melhores taxas possíveis.

Pague em dinheiro

Todos nós já ouvimos o ditado “dinheiro é rei”. Isso é ainda mais verdadeiro quando se trata de comprar um apartamento. Ao pagar em dinheiro, você obtém muito poder de negociação adicional, pois é muito mais fácil para proprietários de apartamento lidar com quem tem dinheiro vivo.

Uma oferta em dinheiro vem com um prazo de fechamento mais rápido e menor risco de o negócio falhar se o comprador não conseguir garantir o empréstimo.

Essa opção pode estar fora do alcance da maioria dos compradores de primeira viagem, mas os proprietários com algum patrimônio líquido significativo podem reduzir o tamanho ou se mudar para uma parte acessível da cidade para pagar em dinheiro.

Por outro lado, se você tiver paciência para economizar para comprar o seu primeiro apartamento com 2 quartos, pode acabar economizando dezenas ou até centenas de milhares de reais em juros pagando em dinheiro.

Compre a apólice de seguro certa

Depois de comprar seu apê, você deseja proteger seu investimento com um seguro residencial. Como as seguradoras procuram vender as apólices mais abrangentes, você pode acabar pagando mais do que precisa.

Portanto, ao comprar um seguro residencial, avalie exatamente o que cada apólice cobre e o que não cobre. Você pode fazer pequenos ajustes que economizam muito dinheiro.

Por exemplo, se o seu novo apê fica no topo de uma colina, você não precisa de seguro adicional contra inundações. Se você deseja encontrar a apólice perfeita, recomendamos usar ferramentas que ajudem a comparar as taxas e encontrar a melhor opção possível.

Hacking doméstico

Em alguns casos, você pode comprar um apartamento amplo e deixar outra pessoa ajudar a pagar a hipoteca (sim, você leu certo!). Isso é possível por meio de uma estratégia chamada house hacking, em que os proprietários compram uma propriedade com várias unidades.

O proprietário mora em uma das unidades e aluga as demais. No caso de apartamentos, isso poderia ser feito em apês do tipo duplex ou triplex.

Aí, o proprietário poderia morar em um andar e alugar os outros dois para ter uma renda extra. A receita mensal recolhida todos os meses dos outros inquilinos é então usada para pagar parte ou a totalidade da hipoteca.

Embora essa seja uma ótima tática para reduzir seu orçamento de habitação e ajudar você a não perder mais dinheiro com as parcelas e juros do financiamento habitacional, você precisará assumir as responsabilidades do senhorio, como fazer reparos e encontrar inquilinos.

Só para ficar claro, você ainda deve seguir a diretriz de manter o pagamento da hipoteca inferior a 25% do valor líquido dos seus rendimentos mensais. Em outras palavras, não vá comprar um apê mais caro só porque quer alugar parte dele.

Lembre-se: se você não conseguir encontrar um inquilino (o que infelizmente pode acontecer), terá de pagar sozinho pelo apartamento.

Achou o artigo interessante? Siga a gente nas redes sociais e tenha acesso a mais conteúdo de qualidade!

*Estudante de marketing e mercado imobiliário


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru Campanha São João 2

24/06


2021

A marca de Bolsonaro

Por Cláudio Soares* 

Crise na saúde, na educação, na justiça. Crise hídrica e econômica. Crise elétrica, sanitária e humanitária. Também ambiental, na relação internacional e na segurança pública. Crise na comunicação. Crise política e crise moral.

Crise no desemprego e futuro sombrio para o Brasil. E agora indícios de corrupção na compra da vacina indiana Covaxin. As explicações do Governo não têm qualquer sentido.

Corrupção ocorre no momento em que a oferta é feita, independentemente de qualquer pagamento. Qualquer retificação só indica que a organização criminosa teve conhecimento de que a transação ilícita já tinha chegado aos ouvidos de terceiros. 

Nenhuma vacina custa 15 dólares e o crime de corrupção é a única explicação para essa negociata. O que se tem a analisar é se Bolsonaro prevaricou ou se ele participou da transação.

Na comunicação com a imprensa, uma tragédia. Meu avô dizia: "Papagaio velho não aprende mais a falar". É igual a Bolsonaro. Nunca aprendeu a falar nem dar mais tempo. 

O País vive um momento que define a evolução de uma doença política/social sem precedente. O Brasil está UTI.

*Advogado e jornalista


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

CABO

24/06


2021

Tristeza em Caruaru

Rumo ao Sertão, dei uma entradinha, há pouco, em Caruaru. Saí de coração dilacerado. Em pleno São João, festa curtida por milhares de turistas, bati de frente com um cenário de cidade fantasma. Comércio fechado, ruas desertas. O rosto de Luiz Gonzaga em seu busto encoberto por uma máscara, parecia verter lágrimas. A única lembrança do dia junino, antes fervilhante, estava nas estações de rádio tocando forrós saudosos.

Minha alma sentiu a profunda dor do trauma, da minha tristeza. Também pudera, fui presença assídua, todos os anos, no São João de Caruaru, uma das minhas cidades paixões. Sou, com orgulho e vaidade, Cidadão Honorário da terra de Vitalino. 

Bateu uma saudade da alegria contagiante de Caruaru, da sua gente hospitaleira quando se abre a cortina dos 30 dias de festejos juninos. O São João está para Caruaru como o Carnaval para o sobe e desce das ladeiras de Olinda. Saudade de cruzar com aquela multidão saltitante no Pátio do Forró, do barulho de todos os ritmos que saiam dos principais palcos ou até mesmo do forró pé de serra numa simples barraquinha.

A pandemia jogou uma nuvem de tristeza no País de Caruaru, vestiu o colorido das bandeirinhas do preto enlutado. Que Deus compreenda a nossa súplica, mas Caruaru não pode prescindir do seu São João. Tira a alma da cidade, o meio de vida de muita gente. Adormece a alegria, mata a razão de muita gente esperar o ano inteiro pelo 23 de junho.

Nunca imaginei que viesse um dia, em pleno São João, compartilhar tristeza com minha gente de Caruaru quando vivi alegria a vida inteira. Uma cidade que viveu a alegria da sua grande festa, por tantos e tantos anos, nunca reconhecerá a tristeza. 

Sai de Caruaru com o sentimento de que, se meus olhos mostrassem a minha alma, neste momento todos, ao me verem sorrir, chorariam comigo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Junho 2021

24/06


2021

Serra Talhada tira o chapéu para Assisão

Recentemente vítima de um ataque com viés preconceituoso por parte de um humorista do "Sul maravilha", o forrozeiro Assisão recebeu uma bela homenagem de Serra Talhada, sua terra natal. Neste São João sem festa por causa da pandemia, ganhou destaque nas redes sociais com este vídeo em homenagem aos seus 80 anos.

Assisão é orgulho sertanejo!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021