Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes

11/06


2021

Miguel e ministro da Infraestrutura inauguram viaduto

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, cumpre agenda em Petrolina, na próxima segunda-feira. Junto com o prefeito Miguel Coelho, o ministro vai inaugurar o viaduto da Avenida Sete de Setembro, na entrada do bairro da Areia Branca. A solenidade está prevista para começar às 10h.

O novo viaduto integra uma das maiores obras de mobilidade da história de Petrolina. Na primeira etapa, a avenida Sete de Setembro foi duplicada e ganhou iluminação em LED. A segunda fase foi a construção de dois viadutos. Ambas as estruturas possuem 600 metros de extensão por 7,5 metros de altura. O viaduto a ser entregue é o que liga o bairro da Areia Branca ao José e Maria. O outro, que conecta o Antônio Cassimiro ao bairro KM-2, deve ser concluído em setembro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina abril 2021

11/06


2021

Canhotinho supera o patamar de 30% de vacinados

O município de Canhotinho, no Agreste Meridional, a 205 quilômetros do Recife, alcançou uma marca exitosa no enfrentamento à pandemia do coronavírus. Ontem, superou o patamar de 30% de imunização da população contra a covid-19.

Até agora, 7.778 pessoas foram imunizadas de um total de 24.773 habitantes. Deste universo, 5.775 receberam a primeira dose e 2.003 já completaram o esquema vacinal, recebendo a primeira e também a segunda doses.

A população de imunizados engloba idosos, portadores de comorbidades, grávidas, puérperas, trabalhadores da Saúde, professores, e outros profissionais incluídos nas categorias prioritárias do Plano de Vacinação. Além destes, moradores de 50 anos em diante estão sendo vacinados.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca 2021

11/06


2021

Faturamento da indústria cai 1,3% em abril, diz CNI

O faturamento real da indústria caiu 1,3% em abril em relação ao mês anterior. O resultado seguiu as oscilações apresentadas pelo indicador nos últimos meses, com um mês de alta e outro de queda. Em março o faturamento tinha registrado alta de 2,2%. Os dados são da pesquisa mensal da CNI (Confederação Nacional da Indústria), divulgada hoje.

Na comparação com o mesmo mês do ano passado, a alta foi de 46,3%. Segundo a CNI, o faturamento de abril se manteve em um patamar próximo ao de setembro de 2020, quando a recuperação industrial diminuiu depois de altas consecutivas. Apesar das oscilações, o faturamento da indústria está acima do registrado antes da pandemia.

Os indicadores que avaliam a atividade industrial também tiveram alta. As horas trabalhadas na produção cresceram 0,7%. Todos os indicadores estão com ajuste sazonal, desconsiderando oscilações típicas de determinadas épocas do ano, como número de feriados e datas comemorativas.

A utilização da capacidade instalada também cresceu 1,2%. No total, a indústria está utiliza 82,3% da sua capacidade de produção. É o 2º mês consecutivo que o indicador se mantêm acima dos 80%. Também é um nível superior ao aos registrados no início de 2020. O mercado de trabalho industrial respondeu a essa maior utilização e teve uma leve alta de 0,3% no emprego. É a 9ª alta consecutiva no indicador.

A massa salarial (soma dos salários pagos corrigida pela inflação) e o rendimento médio real cresceram 1,6% cada. Com a 2ª alta consecutiva, a massa salarial voltou ao patamar de fevereiro de 2020, ou seja, conseguiu voltar aos níveis pré-pandemia. Mas o rendimento continua inferior ao registrado antes da crise da covid-19.

“Todo esse movimento, com utilização da capacidade instalada elevada e crescimento constante no emprego, é resultado do rápido crescimento do segundo semestre do ano passado e da resiliência na indústria nos primeiros meses do ano”, diz Marcelo Azevedo, gerente de Análise Econômica da CNI.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

felipe

A culpa é de Bolsonaro.


Caruaru

11/06


2021

“Essa mentira mata”, diz microbiologista sobre cloroquina

A microbiologista Natalia Pasternak afirmou, hoje, à CPI da Covid que o uso de cloroquina para combater a doença é uma mentira "orquestrada pelo governo federal" e é uma mentira que "mata".

“No caso triste do Brasil, é uma mentira orquestrada pelo governo federal e pelo Ministério da Saúde. E essa mentira mata, porque ela leva pessoas a comportamentos irracionais que não baseados em ciência”, disse Pasternak.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/06


2021

Ventre da poesia, Itapetim aprova minha cidadania

A Câmara Municipal de Itapetim, o ventre imortal da poesia, a 387 km do Recife, no Sertão do Pajeú, aprovou, há pouco, por unanimidade, meu título de Cidadão. A proposição é de autoria do vereador Júnior de Diógenes (PSB), na foto. É terceira cidadania que ganho em menos de 20 dias na região. Antes, as Câmaras de Serra Talhada e São José do Egito já haviam aprovado, igualmente por unanimidade.

Antiga Umburanas, Itapetim é, verdadeiramente, o berço dos mais consagrados poetas do Nordeste. Antes de ganhar autonomia municipal, Itapetim era distrito de São José do Egito e lá nasceu Rogaciano Leite, monstro sagrado do repente. Também berraram ao mundo em suas paragens os Batistas - Louro, Dimas e Otacilio. É terra também de Antônio Pereira, o poeta da saudade, e do grande Cancão. Pátria mãe ainda dos poetas Zé Adalberto, Lenelson Piancó e Leonardo Bastião.

Bastião, aliás, grande poeta analfabeto, ganhou projeção internacional recentemente, sendo personagem de filme do jornalista e cineasta Jefferson Sousa. Depois de passar por Rússia, Reino Unido e Índia, o filme participou do Viva Film Festival, na Bósnia e Herzegovina, única produção brasileira a integrar o evento.

Itapetim é administrada pelo socialista Adelmo Moura pela quarta vez, referência em gestão pública com experiências exitosas no campo social que servem de modelo para vários municípios no Estado.

Aos meus novos conterrâneos, meu muito obrigado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

CABO

11/06


2021

Soja e milho impulsionam economia do Piauí

Na estação Piauí, inserida no livro O Nordeste que deu certo, o destaque, como parte da Bahia e Maranhão, também fica por conta do agronegócio, puxado pela produção de soja e milho. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que a produção de grãos no Piauí deve registrar uma nova marca histórica em 2021, alcançando 5,4 milhões de toneladas produzidas, o que representa um aumento de 10,4% com relação ao total de 2020, que foi de 4,9 milhões de toneladas.

O crescimento da produção de soja e milho se deve à expansão das áreas de cultivo, conforme explicou o supervisor de Pesquisas Agropecuárias do IBGE no Piauí, Pedro Andrade. “Com o acentuado aumento de preços da soja e do milho, os agricultores aumentaram suas áreas, em 8,9% e 10,5%, respectivamente, em relação ao ano de 2020. Esse fator, associado à normalidade climática, proporcionou um incremento na produção de grãos na ordem de 10,4%”, disse.

A produção de milho safrinha tem uma perspectiva de aumento de 244,5% da produção. De acordo com o supervisor, a justificativa para o crescimento expressivo está na expectativa de condições climáticas favoráveis na região do cerrado, com o aumento de áreas cultivadas e alta produtividade, tendo em vista as tecnologias utilizadas. Este ano, o volume de milho safrinha deve chegar a 493 mil toneladas, bem acima das 193 mil toneladas que foram produzidas em 2020.

A riqueza dos cerrados piauienses

Capitulo 34

Os cerrados piauienses evoluíram com o plantio da soja e conseguiram se tornar em menos de 10 anos não só uma potencialidade, mas uma verdadeira fronteira agrícola do Brasil. Nunca se produziu tanta soja e tanto milho em solos do Piauí Moderno como nos últimos anos.

As regiões de Bom Jesus e Uruçuí tiveram um forte incremento na agricultura e graças a mecanização e automação a região dos cerrados piauienses registra recorde nas safras e tem transformado o Piauí em uma das áreas mais produtivas do Brasil. Os campos de Uruçuí produziram 2 milhões e 500 mil toneladas de soja e 1 milhão e 385 mil toneladas de milho, batendo recorde na colheita do Estado.

O clima e todas as condições favoráveis do cerrado ajudaram, mas o fator definitivo para o aumento da produção foram as máquinas apelidadas de “plantadeiras”, avaliadas em quase US$ 1 milhão de dólares, são operadas de maneira automatizada, e trazem o recomeço do ciclo colheita e plantio.

A máquina consegue plantar 200 mil sementes por hectare, em impecáveis linhas retas e colhendo sem quebrar os grãos, evitando prejuízos e perdas aos produtores rurais. O empresário e fazendeiro Altamir Domingos Franco, sócio-proprietário da empresa Condomínio União 2000, um dos 242 empreendimentos de agronegócios localizados em Uruçuí, diz que a agricultura desenvolvida no Piauí tem o mesmo padrão do Brasil porque os fazendeiros têm maquinário altamente automatizado e acompanham os moldes mundiais de padrão tecnológico.

“Temos insumos, fertilizantes e maquinário de ponta”, afirmou Altair Domingos. São tratores andando sozinhos, colheitadeiras colhendo grãos sozinhos, máquinas plantando sozinhas. Muitas vezes, os pilotos ficam nas máquinas em frente a computadores para os casos de buracos e curvas, mas são casos raros.

Os grãos do cerrado piauiense abastecem, principalmente, o Nordeste. Da produção, 90% do milho do Piauí fica na região, a soja se divide entre os mercados nacional e internacional. Com a automação, a mão de obra ficou mais especializada nas fazendas dos cerrados. As fazendas também querem se tornar autossuficientes na produção de energia elétrica e estão apostando na energia solar com instalação de usinas fotovoltaicas para fornecer energia para toda área.

O fazendeiro conta que a tecnologia de maquinário está se desenvolvendo de forma muito avançada com máquinas monitoradas por satélites, a partir dos Estados Unidos. É uma tendência mundial, máquinas grandes, de alto rendimento e de grande potencial de plantio e de tecnologia agregada. “As máquinas trabalham praticamente sozinhas. O trator faz seu trabalho sozinho, o que também vale para a colheitadeira, para o pulverizador”, explicou.

As máquinas-robôs fazem o que os homens não conseguem fazer, porque plantam em linhas absolutamente retas. O maquinário é programado para entrar em linhas retas, com uma variação de três centímetros, o que é praticamente imperceptível ao olho humano, liberando o agricultor da remonta de plantio, fazendo com que realize um plantio altamente automatizado e qualificado.

As plantadeiras não perdem um grão, como se a plantação estivesse sendo plantada com as mãos. É plantado um grão após o outro e não com os grãos esparramados, como era no passado. “Isso faz com que a tecnologia tenha um pulverizador que atua com um sensor de calor e que mede o calor da erva daninha e da soja e aplica apenas onde existe um pé da planta invasora”, disse Fianco.

As colheitadeiras colhem tudo com o piloto automático. A máquina entra em linha reta, não é preciso comando e o sistema de debulha não quebra os grãos. As máquinas têm sistema de rotor, que possuem um índice mínimo de quebra dos grãos. “Isso melhora a qualidade dos grãos para quem compra e para quem vende. A colheitadeira é a mesma nas duas culturas. Essas mudanças na tecnologia fazem com que a qualidade dos grãos aumente em 40% e a produção tenha um aumento de 25%”, informou Altair.

Levantamento da produção agrícola, divulgado pela Federação da Agricultura do Estado do Piauí, aponta que o Estado tem alcançado resultados positivos no setor do agronegócio. A produção de grãos coloca o Piauí entre os maiores Produtores de soja, algodão, arroz e feijão, com percentuais de crescimento que variam de 24 % a 30%.

A área total de cultivo da soja é de 758,7 mil hectares, aumento de 0,1% em relação ao plantio da safra passada. A normalização do regime de chuvas favorece a estimativa de uma produtividade superior ao da safra anterior em 2,2%, atingindo 3.129 kg/ha. O Piauí é o terceiro Estado com maior crescimento do Nordeste e o décimo segundo maior do Brasil. Para 2021, a produção esperada é de 2.520.288 toneladas, cerca de 8,36% a mais. A secretária de Agronegócio e Empreendedorismo do Piauí, Juliana Lima, revela que o município com maior produção de soja é Baixa Grande do Ribeiro. Produziu em 2020, 620.065 toneladas de grãos. Mesmo diante do cenário de pandemia, a expectativa é fechar 2021 com acréscimo de 20%.

Baixa Grande do Ribeiro é sem dúvida um dos municípios brasileiros com maior alta de produção de grãos. Tanto que está na lista dos 50 municípios brasileiros com maior valor de produção agrícola. Outros municípios, também, localizados no sul do Estado seguem em crescimento com a produção de soja, dentre eles: Uruçuí, Ribeiro Gonçalves, Bom Jesus, Santa Filomena, Gilbués, Currais, Palmeira do Piauí, Monte Alegre e Sebastião Leal.

Juliana Lima enfatiza que a riqueza do agronegócio no Piauí também se destaca com o cultivo de frutas, superando as condições climáticas adversas e se consolidando. A banana, por exemplo, alcança um volume de 30.765 toneladas, no município de Guadalupe. Mas a produção esperada para fechar o ano de 2021 é de 53.177 toneladas.

O cultivo do maracujá, que obteve maior aumento de quantidade produzida no Estado, na comparação entre 2019 e 2020. Foram produzidas 188 toneladas da fruta em 2019, número que chegou a 490 toneladas em 2020, um acréscimo de 160,6%. Segundo dados do IBGE, o PIB do Piauí no ano de 2020, foi de R$ 45 bilhões de reais, sendo o quinto menor Produto Interno Bruto do País. Cerca de 64% do PIB piauiense está concentrado em apenas 10 municípios do Estado. O município com o maior PIB foi capital Teresina, com R$ 19,14 bilhões, em seguida vem Parnaíba com R$ 1,91 bilhão e Picos com R$ 1,39 bilhões.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes 2021

11/06


2021

CPI da Covid ouve microbiologista e ex-presidente da Anvisa

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado ouve, hoje, a microbiologista Natalia Pasternak e o ex-presidente da Anvisa, Cláudio Maierovitch. Os dois convidados são favoráveis às medidas de prevenção ao coronavírus determinadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS): distanciamento social, medidas restritivas e uso de máscaras.

Natalia é pesquisadora da USP e foi diretora do festival internacional de divulgação científica Pint of Science – Um Brinde à Ciência, no Brasil. Claudio é médico sanitarista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e foi diretor de Vigilância das Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde. A defesa da vacina e as posições contrárias ao uso de medicamentos sem eficácia comprovada são dois pontos discutidos na comissão de hoje. Acompanhe ao vivo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

11/06


2021

Freixo deixa o PSol depois de 16 anos e vai para o PSB

O deputado Marcelo Freixo deixou o PSol depois de 16 anos como protagonista da sigla. Ele afirmou que irá para o PSB, partido pelo qual será pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro nas eleições de 2022. Freixo anunciou a mudança hoje.

“No PSB terei a chance de fazer uma aliança mais ampla, com partidos progressistas e de centro, para enfrentar o grupo político que faliu o Rio e entranhou a corrupção no estado”, afirmou ele ao portal Poder 360.

A mudança faz parte das movimentações da esquerda para a eleição de 2022. O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) também deve trocar de partido e se filiar ao PSB.

Apesar das estratégias entre os nomes da esquerda, Freixo afirma que sua decisão não foi influenciada pelo ex-presidente Lula (PT). O petista está no Rio de Janeiro para conversar com aliados e lideranças locais. Uma das pessoas com quem se encontrou foi o deputado.

Em seu perfil do Twitter, Freixo afirmou que a decisão de sair do PSol foi “longamente amadurecida e tomada após muito diálogo com dirigentes nacionais e estaduais do partido”. O deputado considera que as eleições de 2022 será um “plebiscito nacional sobre a Constituição de 1988” e que é necessário fazer alianças para combater o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Afirmou ainda que ele e o PSol estarão do mesmo lado. “Hoje, encerro esse ciclo com a certeza de que apesar de não estarmos juntos daqui para a frente no mesmo partido seguiremos na mesma trincheira de defesa da vida, da democracia e dos direitos do povo brasileiro“, disse.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Anuncie Aqui - Blog do Magno

11/06


2021

Blog terá coluna de automóveis aos domingos

Dia da semana mais light, no qual o leitor gosta de ir além da política buscando informações, este blog passa a contar, com estreia marcada para o próximo domingo já, uma coluna sobre automóveis. Convidei para o desafio – e ele aceitou de imediato – o tarimbado e competente jornalista Renato Ferraz, especialista na área, atuando em Brasília.

Renato Ferraz é pernambucano de Triunfo, mora em Brasília há 28 anos. Escreve sobre veículos, mobilidade urbana e sustentabilidade automotiva há 17 anos. Foi editor de Veículos do Correio Braziliense, em Brasília, por mais de uma década. Fez cursos livres de pilotagem e direção defensiva ofertados por várias montadoras.

Cobriu eventos e salões automobilísticos no Japão (Tóquio e Hokkaido); no Reino Unido (País de Gales e Liverpool); na França (Paris), na Alemanha (Frankfurt); nos EUA (Detroit e Califórnia), na Argentina e em vários outros lugares.

Não tenho nenhuma dúvida do seu grande sucesso!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

11/06


2021

Coluna da sexta-feira

Mais uma excrescência

Enlouquecidos com as dificuldades de montar chapas que garantam uma boa soma de votos e com isso a salvação dos seus mandatos, os deputados federais aprovaram, na noite da última quarta-feira, a urgência do projeto que cria a federação de partidos, um tremendo casuísmo que, na prática, permite, de forma disfarçada, trazer de volta as velhas coligações que eles próprios derrubaram nas eleições municipais, em 2020.

A urgência urgentíssima da medida, que permite a formação de um bloco de partidos concorrendo sob a mesma legenda, teve amplo respaldo na casa legislativa. A tramitação acelerada do Projeto de Lei 2522/15 recebeu votos favoráveis de 429 parlamentares e apenas 18 contrários. Entre os partidos, apenas o Novo votou contra. O requerimento que solicitou a urgência urgentíssima é de autoria do líder do PCdoB na Câmara, Renildo Calheiros (PCdoB-PE).

No plenário, Calheiros destacou que o texto em si ainda deve sofrer modificações, mas ressaltou a importância do tema. “Para o mérito, nós temos a expectativa de, com isso, contribuirmos para o debate, melhorarmos o arcabouço jurídico, as alternativas jurídicas para os partidos políticos brasileiros, dentro de uma construção democrática, de uma negociação que precisa evoluir, de entendimentos que precisam evoluir, mas é uma modesta contribuição que nós estamos dando”, afirmou.

Parlamentares destacaram a importância da tramitação da matéria em razão da proximidade do prazo de mudanças na legislação eleitoral – um ano do pleito. Nas redes sociais, a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) celebrou o resultado. “Aprovada na Câmara a urgência do projeto que cria as Federações Partidárias. Estamos no caminho de aprovarmos uma legislação moderna e democrática para o Brasil que une partidos em frentes únicas”, tuitou.

Na verdade, só é boa, moderna e democrática, para os nobres parlamentares, porque vai resolver a vida de muita gente que estava a beira de sofrer um ataque, devido às dificuldades de reeleição impostas pelo fim das coligações. O Congresso atua sempre assim: quando está em jogo os interesses deles próprios, vale bater palmas para uma excrescência de tamanha magnitude.

Arranjo de coligações – Especialista na matéria, o professor Maurício Romão diz que na federação, os partidos, resguardadas suas autonomias estatutárias, podem unir-se, funcionando como se um partido fosse, com identidade única, obedecendo a uma mesma linha ideológico-programática, votando matérias conjuntamente e obrigados a permanecerem nesse modelo durante o período da legislatura. Na versão da PEC, a federação será repetida nos estados, porém se faculta aos órgãos partidários nacionais decidir se o arranjo se reproduziria nas eleições municipais. O texto deixa muitos pontos sem esclarecimento, remetendo à legislação ordinária definição de regras sobre o mecanismo das federações nas casas legislativas e no processo eleitoral.

Fusão, a saída – Para Romão, alterações na atual legislação, às duras penas estatuída, faltando pouco mais de um ano de quatro meses para as eleições, devem ser prontamente repelidas. “O caminho alternativo para os partidos com insuficiente envergadura de votos, de perpassar os rigores do novo regramento, é o de se estruturarem mediante fusão, o que lhes possibilitam maior competitividade eleitoral e nova roupagem programática”, sugere.

Globo tentou Copa – Agora crítica da realização da competição, a Globo tentou transmitir a Copa América. Os principais executivos da emissora viajaram ao Paraguai em outubro de 2020 para pedir perdão à Conmebol para que a TV pudesse concorrer na disputa pelos direitos do campeonato. As informações são do site Notícias da TV. O perdão era necessário porque a Conmebol está processando a Globo por quebra de contrato. A emissora brasileira terminou o contrato de transmissão da Copa Libertadores em agosto do ano passado, antes do prazo estipulado. Sem a autorização da Conmebol, a Globo não poderia participar da concorrência para a transmissão de nenhum de seus torneios.

Mas quebrou a cara – A comitiva global contou com Jorge Nóbrega, presidente executivo da Globo, Paulo Marinho, diretor dos canais da emissora, e Pedro Garcia, diretor de aquisição de direitos. Eles foram à sede da Conmebol e foram recebidos pelo presidente da entidade, Alejandro Domínguez. A proposta da Globo era adquirir os direitos de transmissão da Copa América e da Libertadores, de 2023 a 2025 – os direitos são do SBT até 2022. A Globo queria os direitos para as TVs aberta e por assinatura, internet, rádio e streaming. Mas a Conmebol não fechou negócio.

Pressão pelo distritão – Há um movimento na Câmara para atropelar a comissão especial da reforma política e votar o projeto direto no plenário. O motivo é a pressa para aprovar mudanças nas regras eleitorais até outubro na Casa e no Senado. Se votadas depois disso, não valem para 2022. O modelo de eleição com mais apoio na Câmara é o distritão, que elege os deputados mais votados independentemente do desempenho dos partidos. No sistema de eleições atual as cadeiras de cada unidade da Federação na Câmara são dividas de acordo com a votação dos partidos. As vagas conquistadas pelas siglas são divididas entre seus filiados mais votados.

CURTAS

COM LIRA – Os pedidos para acelerar a tramitação do projeto, uma PEC (proposta de emenda à Constituição), já chegaram ao presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL). O Poder360 apurou que o deputado não demonstrou contrariedade, mas que ainda não há certeza se o Regimento Interno da Câmara permitiria a manobra. Em tese, só é possível retirar o projeto da comissão e levar para o plenário quando ela estiver funcionando a ao menos 40 sessões da Casa. Foram apenas 15 até o momento.

REELEIÇÃO DIFÍCIL – A pressão para mudar as regras eleitorais aumenta à medida em que as tratativas para fechar as candidaturas do ano que vem avançam. A manutenção das regras atuais ameaça a existência dos partidos pequenos e também é problemática para diretórios locais pouco estruturados de siglas grandes. Pode haver dificuldades pare encontrar candidatos a deputado federal em determinados Estados.

Perguntar não ofende: Por que os nobres deputados federais adoram legislar em causa própria?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

felipe

Não tire a máscara, tire o Bolsonaro!