21/10


2006

PT tenta livrar a cara de envolvidos com dossiê

Políticos do PT afirmaram na tarde deste sábado que a divulgação de novas denúncias sobre o caso da compra do dossiê contra os tucanos não refletem culpa dos petistas citados. No relatório parcial apresentado pela Polícia Federal aparecem os nomes de Gilberto Carvalho, assessor especial da Presidência, e do ex-ministro José Dirceu, que teve o mandato de deputado federal cassado durante o escândalo do mensalão.

Segundo o relatório, os dois mantiveram contato telefônico com Jorge Lorenzetti, ex-analista de risco e mídia da campanha de reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e que foi apontado como o articulador da compra do dossiê.

Para o senador Aloizio Mercadante (PT), candidato derrotado ao governo de São Paulo, o fato de Carvalho ter feito ligações telefônicas a Lorenzetti no dia em que foi feita a prisão dos petistas Valdebran Padilha e Gedimar Passos, que estavam em poder de R$ 1,7 milhão para supostamente comprar o dossiê, "não caracteriza envolvimento".

"É evidente que ele [secretário de Lula] não participou. O papel dele como chefe de gabinete é informar [o presidente] de fatos que acontecem", afirmou o senador.

O também senador Eduardo Suplicy disse que considerou "satisfatório" o esclarecimento de Carvalho, que teria telefonado a Lorenzetti para obter mais informações a respeito da prisão de Gedimar e Vadebran.

Já o presidente da Câmara dos Deputados, Aldo Rebelo (PC do B), classificou como "desdobramentos políticos da investigação policial" a divulgação do relatório parcial da PF e as especulações sobre a participação de mais pessoas ligadas ao presidente Lula na compra do dossiê. "A investigação policial não chegou a nenhuma conclusão a respeito do envolvimento dessas pessoas."

Os três participam na tarde deste sábado do "Ato Nordestino" organizado pela campanha do presidente Lula em São Miguel Paulista, zona leste de São Paulo, área que tem grande concentração de nordestinos. (Folha Online)



Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Tanto Mangabeira quanto Alckmin, ambos os dois estão no mesmo patamar de intenções. Um é defensor de Wall street e o outro da Av. Paulista. Nenhum dos dois sabem o que é o nordeste. Ambos os dois conhecem a Floresta Amazônica.Um para comprá-la, o outro para vendê-la.Venderam as Minas,vendem a mãe.

irania Olivia Benicio

Que preconceito bobo contra funcionário público. Basta saber que o Raimundo é do PT, isso sim, o faz corrupto!

Esse Raimundo, caso ocupasse um cargo público, com certeza seria um tremendo corrupto.

José Rodrigues da Silva

Deve ser mesmo um "mixto" Raimundo, igualzinho a você, um misto de cretino com imbecil!

Raimundo Eleno dos Santos

Roberto Mangabeira:Unguer, deve ser esse o nome, é um mixto de brasileiro e estadunidense. De Brasil ele pouco entende, nem o português ele fala direito.Quis ser candidato a presidente, mas o sotaque carregado de ianqui não lhe permitiu.Ele é um tolo capitalista e defensor da wall street noviorquina


Jaboatão Habitacional Suassuna

21/10


2006

Tasso cobra explicação de Lula sobre dossiê

 O presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati, cobrou do presidente Luiz Inácio Lula da Silva uma explicação pública sobre a participação de seus assessores próximos com a venda do dossiê Vedoin, que seria usado como trunfo contra políticos tucanos.

Para Tasso, a descoberta do telefonema feito pelo chefe de gabinete do presidente, Gilberto Carvalho, a Jorge Lorenzetti, apontado como o mentor do dossiê, retrata o quanto o Palácio do Planalto estava envolvido na manobra. "Gilberto Carvalho não dá um passo sem autorização ou conhecimento de Lula. Como explicar o telefonema? Não venha agora o presidente dizer que ele não sabia de nada."

Jereissati também julga indispensável uma explicação rápida do presidente sobre a notícia, divulgada na edição desta semana da revista Veja, de que seu filho Fábio Luis Lula da Silva durante dois anos trabalhou numa sala do escritório de Alexandre Paes dos Santos - a quem o senador chamou de gângster conhecido em Brasília. "Uma nuvem densa de desconfiança paira sobre o filho do presidente. É preciso que tudo seja explicado antes das eleições."

O senador pelo Ceará afirmou que, por enquanto, o partido não pensa em adotar nenhuma medida. "Vamos aguardar até segunda-feira. Esperamos que até lá o presidente explique seu real envolvimento com o dossiê. Somente depois desse prazo, pensaremos no que fazer."

O presidente do PSDB avalia que o segundo turno das eleições não deve ser realizado sob um clima de desconfiança, que, para ele, é crescente. "Isso não faria bem ao País. Daí o apelo para que o presidente venha a público dar sua explicação. O mais rápido possível." Jereissati evitou fazer projeções sobre os efeitos de uma eleição num clima de várias suspeitas e investigações.

"Ninguém deseja que a rotina das instituições seja quebrada, ou que haja qualquer ameaça. Justamente por isso, é importante o presidente falar", disse. (Estadão)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Lulla tem que renunciar. Em termos de corrupção chegamos ao fundo do poço.

José Manoel de Souza

Magno, fala pro Tarso que mais de 50% do povo brasileiro já gritou nas pesquisas que não estão nem aí pro dossiê.

Drácula

OLHAAAA... O RAIMUNDINHO PERDENDO TODA AQUELA EMPÁFIA...AGORA JÁ BATE NOS TUCANOS.. ATÉ OUTRO DIA.. ERAM SÓ FRASES DE EFEITO.. TIPO LULA ESTADISTA ETC E TAL...PORQUE MUDOU RAIMUNDINHO??? FOI ORIENTADO PELA QUADRILHA PARA ENDURECER O DISCURSO??? HAHAHAHAHAH

Raimundo Eleno dos Santos

Garanto qo Sérgio Mota morreu empanturrado de engolir notas de 100dólares.A cambada do PSDB aprendeu c/os do PFL a saquear o Brasil.(A direita brasileira,de 500 anos perdeu a boquinha.) Hoje a direita brasileira se traveste de neo-liberais-PFL/PSDB.São os antigos escravocratas,q destronaram Pedro II

Raimundo Eleno dos Santos

Esse povo da direita não tem discurso e se esmeram em querer saber de onde veio os 1.7milhões.Querem chafurdar o Brasil.Não tem jeito.Esses elementos não querem o bem do Brasil. São lacerdistas e clones de Carlos Lacerda.É sempre assim.Quando alguém quer fazer algo para o bem do Brasil, é morrido!


Pousada da Paixão

21/10


2006

TSE suspende propaganda ofensiva a Lula

 O Tribunal Superior Eleitoral(TSE) abriu liminar neste sábado mandando retirar do ar uma propaganda contra o presidente e candidato à reeleição Luiz Inácio Lula da Silva. A decisão do ministro Carlos Alberto Menezes Direito proíbe a reprodução de propaganda na televisão sobre o dossiê que incriminaria políticos do PSDB.

A propaganda diz que "Lula manda nos ministros, manda na Polícia Federal e no PT". Em seguida, questiona: "Por que ele não manda revelar de onde veio o dinheiro?". A mesma acusação foi alvo de direito de resposta de dois minutos dado pela Justiça Eleitoral à coligação de Lula durante o programa eleitoral gratuito.

Na representação, a coligação "A Força do Povo" (PT/PC do B/PRB) pediu liminarmente a impugnação da propaganda sob o argumento de que ela é "ofensiva, caluniosa, difamatória e inverídica, em desconformidade com a legislação vigente". Alegou ainda que o objetivo da coligação "Por um Brasil Decente"(PSDB/PFL), de Geraldo Alckmin, é "difundir inverdades e desacreditar o candidato Lula".

Na decisão que proibiu a propaganda, o ministro Menezes Direito levou em conta o entendimento adotado pelo TSE em duas representações julgadas anteriormente pelo tribunal.

O ministro alegou que, ao mencionar o presidente Lula "expressamente como se ele fosse o responsável pelo curso das investigações, como se ele fosse conivente com o retardo das investigações e isso está, no meu entendimento, em desacordo com a verdade".

"Diante do julgamento proferido pela Corte nas representações defiro a medida liminar para vedar a reprodução do texto impugnado nesta representação, em qualquer modalidade", declarou.(Estadão)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

irania Olivia Benicio

Calma Raimundinho "Mixto", tudo isso vai servir no decorrer do ano seguinte. Ou pensa que passada a eleição tudo vai ficar como se nada houvesse acontecido. Este país é ruim, sim, mas, não é ainda tão merda assim. Restam homens de bem, poucos, mas restam!!!

Raimundo Eleno dos Santos

Os pulhas neo-liberais não Têm discurso. Se apegam a uma picuinha e não querem largar o osso. Deveriam saber que isso tá tirando votos da aliança. O povo já diz pelas ruas que vai comemorar a vitória do Lula com álcool em mim. Pois, pois!



21/10


2006

Veja aponta superfaturamento na Infraero

A Veja desta semana traz, ainda, duas reportagens envolvendo políticos pernambucano. A primeira, com a manchete ''Decolaram com milhões'', trata de superfaturamento nas obras do aeroporto de Congonhas (SP) na gestão de Carlos Wilson da Infraero. Cali, como é mais conhecido, foi eleito deputado federal pelo PT.

Segundo a matéria, as obras do aeroporto podem ter causado ao erário uma perda superior a R$ 100 milhões. O Ministério Público constatou preços de 31% a 252% acima dos de mercado num conjunto de 29 produtos e serviços na ampliação do aeroporto.

O caso mais escandaloso seria o da compra das chamadas pontes de embarques ( fingers, em inglês), que dão ao passageiro acesso ao avião. A Infraero pagou ao consórcio vencedor a bagatela de R$ 2,2 milhões por unidade. O TCU constatou que cada finger não custaria mais do que R$ 630 mil. O Ministério Público acusa, ainda, a Infraero de ter direcionado a licitação para o consórcio formado pelas empreiteiras OAS/CamargoCorrêa/Galvão.

O MP entrou com uma ação cautelar, na semana passada, em que pede a indisponibilidade dos bens e a quebra dos sigilos fiscal e bancário de Carlos Wilson, segundo a Veja. Ouvido sobre a reportagem, o deputado eleito disse desconhecer as acusações do MP e informou que sua gestão na Infraero foi amplamente fiscalizada e transparente.

Ainda segundo a revista, Wilson comandou a reforma de 66 aeroportos. Além de Congonhas, o Ministério Público Federal investiga irregularidades na execução das obras dos aeroportos de Vitória, Recife e Goiânia.

Em outra matéria, ''Os coronéis de Lula'', o candidato do PSB a governador de Pernambuco, Eduardo Campos, é citado como tal. Veja o trecho: ''Em Pernambuco, o candidato Eduardo Campos, favorito absoluto nas pesquisas, é exemplo de quão tênue é essa separação entre o novo e o velho coronel. Neto de Miguel Arraes, ele divide o palanque com o deputado Inocêncio Oliveira e o mensaleiro Severino Cavalcanti, entre outros expoentes do coronelismo''.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Manoel de Souza

Essa Veja tá numa marcação com o PT, parece muito mais um partido político do que uma revista. Ou será uma revista dirigida (comprada) por um partido?

José Manoel de Souza

Eita eles estão aperriados...É 13 é 40, vote Lula e Eduardo. Dia 29 varreremos da nossa história um partido que se chamava PEFELANDIA.

milton tenorio pinto junior

...... visitando as bases,o que ele fazia ? Praia,praia.Segundo as mas linguas,é preguicoso! Deu no que deu!!! 40 e 13!!!

milton tenorio pinto junior

A veja não é mais do que uma revista de entretenimento,aquele tipo de leitura que você usa na hora de dar uma cagada básica,só para relaxar! Credibilidade zero!!! Parece matéria comprada pelo reino da pefelândia!!!!Acabou.O problema é que o Mendonça no lugar de trabalhar nos finais de semana,......

irania Olivia Benicio

O mundo político brasileiro não acabará no dia 29 de Outubro, creio, que a partir desse dia começará um novo Brasil, aquele onde aos poucos e de maneira firme e constante serão expurgados os imprestáveis! Melhor motivo prá se viver não há!!!



21/10


2006

Alckmin: Ligação de Lorenzetti com dossiê é grave

 Em visita a Joinville (SC), o candidato à Presidência pelo PSDB, Geraldo Alckmin, disse que considerou grave a confirmação da Polícia Federal de que Jorge Lorenzetti, ex-analista de risco e mídia da campanha de reeleição de Lula, foi quem articulou a compra do dossiê contra os tucanos.

"O Lorenzetti é amigo pessoal do Lula há décadas. Chefe-diretor do Banco do Estado de Santa Catarina, responsável pela chamada área de risco, aliás, eu nunca soube que isso existia. Ou seja, uma arapongagem irresponsável."

O candidato afirmou que outro fato grave é que o secretário particular de Lula, Gilberto Carvalho, teria ligado para Lorenzetti antes do nome do ex-analista aparecer na imprensa como um dos responsáveis pela compra do dossiê.

"Estão escondendo a verdade do povo brasileiro. É claro que eles sabem a origem do dinheiro. É que talvez seja pior falar a verdade do que esconder. Eles estão debochando do povo brasileiro."

Alckmin também considerou um desespero e uma grosseria a atitude da coordenadora da campanha à reeleição do presidente Lula em São Paulo, Marta Suplicy, de tê-lo comparado com Paulo Maluf. "Primeiro que quem o Maluf apoiou quando eu fui candidato a governador foi o PT, foi o Genoino."

O tucano voltou a criticar as intermitentes comparações com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. "Quem olha muito para o passado não cuida do presente e do futuro. Eu vou cuidar do futuro. O Brasil não pode continuar do jeito que está."(Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Manoel de Souza

Fala pro Alckmim que grave é a situação dele. 20%. é demais... ou seria, de menos?

José Manoel de Souza

Esse Alckimim é um verdadeiro guerreiro. Vai lutar (espernear) até a última hora. Dá uma pena......

Raimundo Eleno dos Santos

Garanto qo Sérgio Mota morreu empanturrado de engolir notas de 100dólares.A cambada do PSDB aprendeu c/os do PFL a saquear o Brasil.(A direita brasileira,de 500 anos perdeu a boquinha.) Hoje a direita brasileira se traveste de neo-liberais-PFL/PSDB.São os antigos escravocratas,q destronaram Pedro II


Petrolina abril 2021

21/10


2006

Justiça libera da cadeia os envolvidos no dossiê

O Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região concedeu nesta sexta-feira habeas corpus a todos os investigados pela tentativa de compra do dossiê contra políticos tucanos. Os documentos eram negociados entre o dono da Planam, Luiz Antonio Trevisan Vedoin, e pessoas ligadas ao Partido dos Trabalhadores ou à campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT.

São eles: o ex-secretário do Ministério do Trabalho responsável pelo capítulo de Trabalho e Emprego do programa de governo da campanha de reeleição de Lula, Osvaldo Martinez Bargas; o ex-diretor de Gestão de Risco do Banco do Brasil licenciado para trabalhar na campanha de Lula, Expedido Afonso Veloso; e o ex-chefe de Informações e Inteligência da campanha de Lula, Jorge Lorenzetti.

Ao deferir a liminar, a Justiça entendeu que "os acusados de participarem do chamado caso dos dossiês estão comparecendo a todas solicitações da Justiça e não estão trabalhando para obstar as investigações", diz nota divulgada pelo TRF 1ª Região. "Assim, não persistem as fundamentações legais para manutenção da prisão", conclui a nota. (Estadão)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca 2021

21/10


2006

Estadão: Revistas só trouxeram assuntos requentados

A praticamente uma semana do segundo turno das eleições presidenciais, as revistas semanais não trouxeram, neste sábado, fatos novos bombásticos que possam alterar significativamente o quadro eleitoral ou sejam capazes de produzir efeitos mais fortes no mercado financeiro a partir da segunda-feira.

Na última sexta-feira, dia 20, o mercado chegou a adicionar uma dose de cautela aos negócios como margem de segurança ante o que poderia ser publicado pelas revistas em relação às investigações do dossiê Vedoin.

De forma geral, a mídia de notícias (jornais, revistas e sites na Internet) destaca neste sábado que o secretário particular do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Gilberto Carvalho, falou por telefone com o ex-chefe do núcleo de risco e mídia da campanha pela reeleição de Lula, Jorge Lorenzetti, por duas vezes, no dia 15 de setembro, data da prisão dos dois petistas envolvidos com a tentativa de compra do dossiê - Gedimar Pereira Passos e Valdebran Carlos Padilha da Silva.

Carvalho confirmou: disse que, tendo sido informado, pela manhã, da prisão de dois petistas, ligou para Lorenzetti para saber o que estava acontecendo.

Na sexta-feira, a Polícia Federal revelara que a "pessoa conhecida" mencionada na véspera pelo superintendente da PF em Mato Grosso, Daniel Lorenz, no cruzamento dos dados telefônicos obtidos nas investigações do dossiê, era o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu. Este, por sua vez, negou qualquer participação no caso do dossiê, assim como participação na campanha majoritária em São Paulo ou na campanha nacional.

Seu advogado, José Luis Oliveira Lima, confirmou que Dirceu conversou por telefone com Lorenzetti, mas ressaltou que o diálogo entre ambos foi curto, "cerca de dois minutos", e não abordou o dossiê Vedoin. O advogado disse que Dirceu foi procurado por Lorenzetti em seu telefone fixo e retornou três horas depois.

A revista Veja traz, como reportagem de capa, um extenso detalhamento das atividades profissionais do empresário Fábio Luís Lula da Silva, o "Lulinha", filho do presidente Lula, focado na venda, por R$ 5,2 milhões, de parte de sua produtora Gamecorp à Telemar, maior empresa de telefonia do País, da qual tornou-se sócio. O assunto não é novo. A própria Veja lembra que fez reportagem sobre a associação entre Gamecorp e a Telemar em julho do ano passado.

A revista sugere que Lulinha, associado a Kalil Bittar (filho do ex-prefeito de Campinas Jacó Bittar e amigo do presidente Lula), facilitou o acesso da Telemar ao governo, assim como ajudou na proximidade de outros empresários (como Arlette Siaretta, dona do conglomerado Casablanca, produtora de filmes, comerciais e eventos).

A Veja afirma que Lulinha e Kalil Bittar têm estreita ligação com o lobista Alexandre Paes dos Santos, conhecido por APS, que responde a inquéritos na Polícia Federal por suspeitas de corrupção e tráfico de influência, a ponto de ambos terem trabalhado em salas cedidas no escritório dele, montado numa mansão no Lago Sul, em Brasília.

Época e IstoÉ

As semanais Época e IstoÉ tratam da importância e do prestígio que o governador eleito da Bahia, Jaques Wagner, do PT, ganha no novo cenário político, após a ruptura e as denúncias que envolveram o partido.

Figura em ascensão, segundo a Época, ele seria o encarregado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva de pacificar o PT. A idéia seria que Lula pudesse retomar o controle do grupo e evitar uma antecipação da corrida pela sucessão de 2010.

Nenhuma das duas revistas aborda temas políticos na capa desta semana. Época, cuja chamada é a beleza brasileira, deixa a cobertura da campanha eleitoral para o interior desta edição. Em sua principal reportagem sobre a disputa, tenta diagnosticar por que o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, derrapa no fim da corrida presidencial.

A IstoÉ, em sua publicação comemorativa de 30 anos, aponta a maturidade do País e ressalta que qualquer que seja o escolhido no pleito terá de colocar o Brasil na rota do crescimento e realizar reformas importantes. Além disso, apresenta uma comparação entre as propostas econômicas dos dois candidatos, Lula e Alckmin. (Estadão)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Manoel de Souza

Olha aí Magno estas são revistas sérias, que merecem a credilididade dos leitores, diferentemenmte da Veja que vive se vendendo.


Caruaru Campanha São João 2

21/10


2006

Prefeito trapalhão farrapa com deputado tucano

O prefeito de Surubim, no Agreste de Pernambuco, Flávio Nóbrega (PT), não conseguiu fazer do tucano Fernando Lupa o deputado estadual majoritário no município. Com muito esforço, Lupa teve apenas 2.615 votos, abaixo dos chamados candidatos da terra - Murilo Barbosa, do PSDC, que teve 2.873 votos e Ana Célia, do PSB, a mais votada, com 8.158 votos.

O retumbante fracasso de Lupa em Surubim reflete a péssima gestão que o prefeito vem fazendo e suas contradições. Embora petista de carteirinha, sua opção por um deputado tucano foi reprovada pela população. Tanto que Maurício Rands, do PT, acabou sendo o federal majoritário, apoiado, forçadamente, pelo prefeito trapalhão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Manoel de Souza

Marco Maciel, Roberto Magalhães, José Jorge, Mendonção. Porque esses "meninos" não aparecem no guia da União? Jarbas não gosta dos velhos?

José Manoel de Souza

Jarbas enccheu a cara de botox e acha que é novo. Novo É EDUARDO.

milton tenorio pinto junior

O maior trapalhão dessa eleição tem sido:Mendonça Filho? A eqiupe do Mendonça? Ou Jarbas,chorando no guia,apelando e atacando Eduardo?Jarbas,esse seu comportamento equivocado terá um preço alto,o tempo dirá se estou certo,ou não!!


CABO

21/10


2006

Alckmin promete melhorar o câmbio

 O candidato à presidência pelo PSDB, Geraldo Alckmin, fez passeata neste sábado em São Bento do Sul, em Santa Catarina. Agradeceu a votação que teve no Estado - 56% contra 33% de Lula -, e prometeu melhorar o câmbio e incentivar a pequena indústria para gerar emprego e renda.

Lembrou da promessa de Lula em 2002 de criar 10 milhões de empregos e afirmou que varreria a corrupção do País. "É possível aliar política e ética. É possível aliar política e honra", discorreu.

"Tive uma votação excepcional aqui (73% contra 21% de Lula). E agora no segundo turno, nós somos de chegada, vamos chegar lá e mudar o Brasil", concluiu.

Alckmin ainda passou por um contratempo no palco. Logo que encerrou seu discurso, foi cercado por pessoas que queriam cumprimentá-lo e tirar fotos ao lado dele. Embora a entrada ali fosse restrita, a concentração de pessoas no mesmo ponto fez a estrutura do palanque ceder e quase quebrar.

Na seqüência o candidato e sua comitiva partiram para Timbó, cidade de 30 mil habitantes a pouco mais de 100 km de São Bento do Sul.(Estadão)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Junho 2021

21/10


2006

Luizianne vê divisão ideológica PT/PSDB

 A prefeita de Fortaleza (PT), Luizianne Lins, disse hoje que o segundo turno da eleição presidencial foi vantajoso para o PT e para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato à reeleição. Para ela, a disputa do segundo turno evidencia a divisão ideológica entre o PT e o PSDB.

''Não se trata de uma divisão geográfica, como tem sido falado, entre o Sul, Sudeste e Centro-Oeste de um lado e Norte e Nordeste de outro. O que estamos vendo é a verdadeira luta de classes'', disse.

Segundo Luizianne, o crescimento de Lula entre eleitores da classe média é uma evidência de que a divisão no segundo turno das eleições não é uma questão geográfica. ''O povo brasileiro está maduro e envernizado em relação às denúncias em época de campanha eleitoral'', disse a prefeita de Fortaleza.

Ela participou hoje de caminhada de mulheres em Santo André, no ABC, ao lado da ex-prefeita Marta Suplicy (SP), da primeira dama, Marisa Letícia, da ministra Matilde Ribeiro (Igualdade Racial), da primeira dama de Santo André, Ana Avamileno, do governador eleito de Sergipe, Marcelo Deda (PT), do prefeito do Recife, João Paulo (PT) e outras lideranças petistas e dos partidos coligados na campanha de Lula. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Manoel de Souza

Ouví um muxoxo? Acho que não. A verdade é esta mesma, o povo brasileiro já tá acostumado com as estratégias sujas desse PFL/PSDB em vespera de eleição. Então, nada vai mudar o voto dos eleitores de LULA. é 13.

José Rodrigues da Silva

São essas figuras mediocres que habitam a cena política brasileira montadas em cargos públicos que se acham "líderes"


Serra Talhada 2021
Coluna do Blog
Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores