Ipojuca 2021

17/04


2021

Por que o Brasil se tornou ameaça sanitária mundial?

Por Arnaldo Santos*

Antes de tentarmos responder por qual razão isso aconteceu, por um dever de justiça que se impõe, iniciamos esta reflexão, reconhecendo e “parabenizando” o Presidente da República e o ex-ministro da Saúde, Eduardo “pesadelo”, por essa dupla e inédita conquista. Situa-nos, a um só tempo, nas condições de ameaça sanitária e párias diante do mundo, das quais tanto se orgulha o também ex-Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

Como é do saber geral, desde o início do ano, quando surgiram as primeiras informações sobre a circulação, em algumas regiões da Europa, das novas cepas do coronavírus, resultantes das mutações ocorridas em solo brasileiro - que, segundo os epidemiologistas possuem maior poder de infectividade e transmissibilidade - as autoridades da saúde de vários países passaram a considerar o Brasil uma ameaça sanitária em escala planetária.

Como era esperado, desde então, passamos a sofrer todas as restrições impostas pelas autoridades sanitárias mundiais, e a ser vistos com repugnância e medo, num período só comparado àquele imediatamente anterior a Oswaldo Cruz - quando “éramos sinônimos do tifo, da peste bubônica e da febre amarela” – dificultando, ainda mais, a circulação dos brasileiros pelo mundo.

A consequência imediata foi o agravamento da crise de desconfiança no governo, com agudos rebatimentos sobre a economia, aumentando ainda mais o empobrecimento da população, empurrando milhões para a humilhante condição de famélicos. Aos olhos internacionais, é como se cada brasileiro fosse portador de uma cepa sobradamente perigosa e exclusiva, só encontrada por essas bandas, desenvolvida nos laboratórios da incompetência, do descaso, enfim, da irresponsabilidade desse governo. É imperioso afirmar que essa não é uma opinião apenas dos cientistas e dos governos internacionais, porquanto vários pesquisadores e infectologistas brasileiros também passaram a admitir a ideia de que, em razão da negligência na gestão da pandemia, nos tornamos essa vergonhosa ameaça sanitária para o orbe inteiro.

Ante essa inusitada realidade, fomos conversar com alguns infectologistas, para nos ajudar a entender as razões que nos transportaram a essa vexatória condição, se existe evidência científica que a justifique, e, assim, buscar a resposta para o que concede o título desta reflexão. Esta foi conduzida hoje ao leitor, com amparo nas análises e opiniões que colhemos dos especialistas, dentre eles o Dr. José Xavier Neto, cientista, chefe da saúde do Ceará, que é taxativo, ao assegurar que essa não é uma condição exclusiva do Brasil.

Para ele, a pergunta é um tanto especiosa pois o que não faltam são ameaças sanitárias advindas de outros países, inclusive bem mais desenvolvidos do que o nosso. Com efeito, não se trata apenas do Brasil, especificamente. Em verdade, todo e qualquer Estado no qual há regiões com proliferação descontrolada de um agente patogênico com potencial pandêmico oferecerá perigo à comunidade das nações. O caso sob comento é o da pandemia mundial de covid-19 provocada pelo vírus SARS-CoV-2.

Na condição de pesquisador e analista do comportamento do vírus e da evolução da pandemia, ele assevera que a questão é estatística. Quanto mais pessoas suscetíveis expostas ao SARS-CoV-2, e quanto maior o tempo de exposição ao vírus, maiores as oportunidades de emergência de novas variantes, o que têm ocorrido também em outros países, embora se observe no Brasil maior descontrole da doença.

As variantes surgem porque, com certa frequência, em todos os organismos, mesmo nos vírus, a reprodução viral é associada a erros de duplicação na sequência de DNA ou RNA. Certos vírus, como os que produzem gripe, são hipermutáveis, cometem muitos erros na produção de suas sequências. Outros erram menos, como sucede com o próprio SARS-CoV-2, que possui mecanismos ativos de correção de mutações.

O Dr. Xavier Neto acentua, ainda, que, na maioria das situações, os erros de sequência durante duplicação de DNA ou RNA são neutros, por assim dizer. Não terão qualquer consequência para a infectividade, a patogenicidade, ou para sua vulnerabilidade às vacinas. Em outras circunstâncias, as mutações são susceptíveis de produzir vírus defeituosos, dos quais ninguém vai ouvir falar, pois estes, simplesmente, não se reproduzirão e, tampouco, farão mal nenhum. Mais raramente, pode ocorrer um cenário mais temido por nós, que é o de ganho de função do vírus. Nesse caso, as mutações conferem maior infectividade, patogenicidade ou resistência viral às vacinas.

Explicando um pouco as características, o comportamento e a evolução dos vírus, o Cientista afirma que eles só proliferam quando associados a células vivas. Naturalmente, quanto menores forem as oportunidades de acesso a um hospedeiro, menores são as chances de mutação, pois estas dependem do processo de reprodução. Por esse pretexto, é fundamental evitar aglomeração para restringir o acesso do vírus a um maior número de pessoas, pois o tempo de exposição de um hospedeiro, de uma pessoa ao vírus, também é determinante nesse processo. Quer dizer, quanto maior for o período de residência do vírus em um hospedeiro, maiores serão as chances de infecção de muito mais das suas células, e, portanto, há mais oportunidade de mutação. Assim, especula-se a ideia de que pacientes com sistemas imunes deprimidos constituiriam ambientes mais favoráveis ao aparecimento de mutações, pois, tanto suas células permaneceriam infectadas e vivas por mais tempo, quanto a infecção seria passível de atingir um número muito maior de suas células.

Portanto, a ameaça sanitária está encapsulada no número de pacientes infectados, bem como no tempo de exposição total ao vírus. É por isso que o descontrole da epidemia no Brasil, ou em qualquer outro país ou região, constitui uma ameaça a toda a comunidade das nações - acentua o Dr. Xavier Neto - evidenciando que, embora sejamos uma ameaça sanitária, não estamos sozinhos nessa condição.

Ainda que não estejamos sozinhos nessa condição de ameaça sanitária para o mundo, é preciso reafirmar que os 4 mil mortos de cada dia, e as quase 400 mil vidas perdidas até aqui, resultam do negacionismo, e da necropolitica desse governo, que pela incúria na gestão da pandemia, gerou o que se pode considerar a “tragédia brasileira”.

 Em decorrência dessa funesta realidade, a condição de ameaça para o mundo, vale relembrar uma das frases toscas do Presidente, “[…] Tem a questão do coronavírus também que, no meu entender, está superdimensionado, o poder destruidor do vírus”.

*Jornalista, sociólogo e doutor em Ciências Políticas. Comentários e críticas para: [email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina abril 2021

17/04


2021

Quando os olhos brilham

De passagem vapt-vupt, ontem, por Caruaru, bati de cara com a prefeita Raquel Lyra, que assumiu recentemente a presidência estadual do PSDB e está na bolsa de apostas como pré-candidata ao Governo de Pernambuco em 2022. Bem mais magra e jovial também, exibiu um belo astral, algo que, raramente, deixa fluir diante de jornalistas, especialmente com este blogueiro, que sua assessoria acusa de má-vontade com sua gestão.

Nunca tive nem terei. Acho Raquel uma bela expressão da mulher na política, gestora moderna e arrojada, tanto que arrebatou fácil a reeleição frente à união contra ela dos seus dois mais poderosos adversários  - os ex-prefeitos José Queiroz (PDT) e Tony Gel (MDB). Inimigos figadais, sem coragem cívica para uma candidatura própria num teste de fogo contra a tucana, inventaram um adversário de mentirinha contra ela na eleição passada. 

Marcelo Gomes, então vereador do município pelo PSB, partido que está no poder no Estado, filho do casal político Jorge e Laura Gomes, ele ex-vice-govdenador, ela atualmente no exercício do mandato parlamentar na Alepe, foi escolhido de última hora para o embate municipal. Tomou uma baita surra, feia na expressão da palavra, mesmo com Queiroz e Gel abraçados no palanque, fingindo-se de amigos para sempre.

No encontro casual, Raquel não passou a menor impressão de que está de olho em 2022. Seus olhos, na verdade, só brilham para valer quando fala do seu Governo. Quer agora, por exemplo, inovar na gestão das águas pegando carona no novo marco de saneamento, dando poderes ao município para fazer o que a Compesa é pecadora contumaz: levar água às torneiras dos lares da universal, plural e apaixonante terra de Vitalino.

Os olhos de Raquel brilham com mais fulgor ainda quando fala numa das vitrines da sua administração: a Via Parque,  um verdadeiro corredor de lazer e prática de esportes que abriu no coração da cidade, vertendo em pistas de cooper os velhos trilhos por onde passavam os trens da Great West.

"Foi construída por toda Caruaru, garantindo que as pessoas se sintam integradas com toda a cidade, numa ligação que se estende por vários bairros, trazendo mais qualidade de vida para pessoas, com lazer, esporte e segurança", diz, como se recitasse uma prosa. 

Composta por três etapas, a Via Parque ligará um total de 16 bairros da cidade, com 8,5 km de extensão. Na primeira etapa, foram contemplados os bairros Divinópolis, Centenário, Maurício de Nassau, Centro e Monte Bom Jesus. A segunda etapa também já foi concluída e entregue à população.

Com a extensão de 3 km, a segunda etapa da Via Parque é composta por ciclovia, academia de saúde, academia da terceira idade (ATI), dois parques infantis, duas quadras poliesportivas e bicicletário. O projeto contempla um total de sete mil metros de intervenções, abrangendo cerca de 14 bairros da cidade, com uma estimativa de 150 mil pessoas beneficiadas.

Ao final da conversa, novamente a tucana arregalou os olhos quando disse que alguns municípios estariam vindo a Caruaru para copiar o modelo da Via Parque, como Sertânia, no Sertão do Moxotó. Administrada pelo socialista Ângelo Ferreira, a cidade possui uma via férrea abandonada que daria também um belo parque.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

17/04


2021

Coluna do sabadão

Paulo Câmara na mira de Lula

A notícia de que o ex-presidente petista e possível candidato ao Planalto nas eleições de 2022, Luiz Inácio Lula da Silva, estaria articulando para o seu vice ser o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), foi recebida de diferentes formas pela classe política e por eleitores locais. Uns animados, outros incrédulos ou desgostosos, a aliança entre PT e PSB no Estado, após os episódios das eleições municipais em 2020, definitivamente não é vista com bons olhos.

A especulação acontece após uma reunião virtual de Lula com Paulo Câmara. Aliados do gestor pernambucano dizem que o mais seguro para ele seria concorrer a uma vaga na Câmara Federal, mas que a composição em uma chapa presidencial ainda não estava descartada.

Já há algum tempo, Lula reforça entre os seus aliados a necessidade de compor com partidos de centro. Segundo o petista, seria importante ir além de partidos de esquerda na construção de uma candidatura pelo Palácio do Planalto. O PT e o PSB têm um longo histórico de amor e ódio. Romperam nacionalmente após o impeachment da presidente Dilma Rousseff e depois ensaiaram uma reaproximação no primeiro turno das eleições de 2018. Só tendo oficializando o reencontro após o segundo turno, quando o PSB embarcou no projeto do PT e abraçou a campanha de Fernando Haddad contra o então candidato Jair Bolsonaro. Após esse episódio de união, voltaram a se afastar em 2020, quando o atual prefeito do Recife, João Campos (PSB), travou uma verdadeira batalha com a deputada federal e então candidata à Prefeitura, Marília Arraes (PT), sua adversaria política e prima de segundo grau.

“A tarefa que todos nós, Lula, Paulo Câmara e quem tem compromisso com a democracia e com o Brasil, devemos ter é tirar Bolsonaro do poder nas próximas eleições. O momento que o Brasil atravessa é muito grave e não é hora de falar de candidatura diante do drama que o Brasil atravessa”, essa foi a opinião expressada pelo deputado federal Tadeu Alencar (PSB) quando foi questionado pela reportagem do Diário de Pernambuco sobre o caso.

Esperemos os próximos capítulos desta novela que tende a ser movimentada e seu desfecho influenciará de forma significativa a política local e nacional.

Paulo pede vacinas à ONU – O governador Paulo Câmara participou, ontem, de reunião online do Fórum de Governadores do Brasil com representantes da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Organização Mundial de Saúde (OMS). O grupo solicitou auxílio na viabilização de mais vacinas, com o intuito de acelerar o processo de imunização no País e deter a disseminação da doença. “A aceleração da pandemia no Brasil tem chamado a atenção do mundo. Essa é uma preocupação que levamos à reunião com as entidades internacionais. Deixamos claro que precisamos da cooperação dessas organizações para garantir mais vacinas e frear a atual escalada de casos e óbitos, que colocou o Brasil como epicentro da crise mundial provocada pela Covid-19”, disse Paulo Câmara.

Petrolina não para – Na próxima semana, dois corredores de grande fluxo de Petrolina começam a ser alargados. O prefeito Miguel Coelho assinou, ontem a ordem de serviço para duplicação das avenidas Cardoso de Sá e Mário Rodrigues Coelho. As obras terão investimento de R$ 15 milhões. "São obras pensando no presente e no futuro da mobilidade de Petrolina. Nosso objetivo é até o final da gestão fazer a duplicação de 15 corredores, deixando a cidade preparada para o crescimento que estamos vivenciando", explica o prefeito Miguel Coelho.

Comando da CPI – Seis dos 11 senadores titulares da CPI da Pandemia se reuniram, ontem, e fecharam posição a favor do acordo pelo qual Omar Aziz (PSD-AM) será o presidente da comissão; o autor do requerimento de criação da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), será o vice; e Renan Calheiros (MDB-AL), o relator. Como os seis são maioria entre os 11 da CPI, se não houver mudança no posicionamento de integrantes do grupo, os três senadores estão assegurados no comando da comissão. A eleição que definirá os ocupantes dos postos dirigentes será na primeira sessão da comissão, no dia 22 ou dia 27, conforme informou o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Pfizer no dia 29 – O primeiro lote de vacinas contra a Covid-19 da Pfizer a ser entregue ao Brasil, com 1 milhão de doses, tem previsão de chegada em solo brasileiro no próximo dia 29, no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). A carga deve ser recepcionada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e autoridades. O carregamento virá de uma da fábrica da farmacêutica na Bélgica. Queiroga afirmou que o governo conseguiu antecipar a chegada ao país de doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19. Além disso, anunciou um aumento de 2 milhões no total de doses que devem ser entregues até junho. A vacina da Pfizer chega ao Brasil após longa negociação entre a farmacêutica e o governo.

Sem dinheiro para o brasil – Um grupo de 15 senadores do Partido Democrata dos Estados Unidos enviou uma carta ao presidente americano, ontem, em que reclamam da falta de medidas para preservar o ambiente por parte do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Os políticos dos EUA também pedem para que Biden condicione qualquer apoio à preservação da Amazônia a um progresso nas ações brasileiras. A carta foi assinada por senadores como Patrick Leahy, líder do comitê que aprova os gastos de dinheiro do governo; Bob Menendez, do comitê de relações exteriores e Bernie Sanders, que foi pré-candidato à presidência dos EUA.

CURTAS

APOSENTADORIA – O líder comunista cubano Raúl Castro, 89, anunciou, ontem, que está deixando o comando do Partido Comunista de Cuba (PCC). Assim, pela primeira vez desde a Revolução Cubana, em 1959, a ilha não terá um integrante da família Castro na cúpula – Raúl assumiu o cargo em 2011, substituindo seu irmão mais velho, Fidel (1926-2016). A decisão, que já era esperada, foi anunciada logo no discurso de abertura do congresso do partido, que deve durar quatro dias em Havana. Seu sucessor será Miguel Díaz-Canel, 60, que atualmente lidera o regime no cargo de presidente.

DELÍRIO – Após algumas informações circulando na imprensa, a deputada federal Marília Arraes (PT) publicou, em suas redes sociais, um vídeo negando a especulação de que a parlamentar pernambucana seria a vice no presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no pleito de 2022. “Notícia sem pé, nem cabeça. O povo reconhece quem tem lado e minha trajetória diz qual é o meu”, disse a parlamentar.

Perguntar não ofende: Paulo Câmara vai aceitar ser vice de Lula em 2022?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Efeito Lula. Bolsonaro disse hoje a apoiadores que vai tomar a vacina contra a Covid-19. Curioso: cadê aquele Bolsonaro que disse que não tomaria a vacina de jeito nenhum e ponto final?

Fernandes

No Brasil de Bolsonaro, permanecer vivo é um ato de protesto.

marcos

No Brasil de Lula passar um dia sem ser Roubado é muita sorte.

Fernandes

No Brasil de Bolsonaro, permanecer vivo é um ato de protesto.

Fernandes

Quem segue Bolsonaro, tem muita maldade envolvida!


Bandeirantes 2021

16/04


2021

Pernambuco ainda não ampliou margem de consignado

Por Houldine Nascimento, da equipe do Blog

O Governo Federal ampliou, até dezembro deste ano, o limite da margem de contratação do crédito consignado de 35% para 40%. A medida foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no último dia 30 de março e publicada no Diário Oficial da União, no dia seguinte.

A Lei nº 14.131 estendeu esta opção para servidores públicos ativos e inativos, militares, aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O crédito consignado é aquele liberado com desconto automático em folha de pagamento e possui juros menores em relação a outras operações de crédito para pessoas físicas.

O Governo de Pernambuco, contudo, ainda não abriu essa possibilidade, mantendo a margem de até 30% para empréstimo. Outros estados, como o Amazonas, já liberaram a consignação com limite de 40%.

O Blog procurou a Secretaria de Administração de Pernambuco para ter um posicionamento sobre o assunto, mas não obteve resposta até o momento.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/04


2021

FBC: Momento é muito inoportuno para CPI

Por Houldine Nascimento, da equipe do Blog

Líder do Governo no Senado, o pernambucano Fernando Bezerra Coelho (MDB) considerou "muito inoportuno" o momento para a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito. Em entrevista ao programa Frente a Frente, da Rede Nordeste de Rádio, hoje, o senador endossou a posição contrária à CPI e utilizou como justificativa a grave crise sanitária que o Brasil atravessa (ouça acima).

"Em função da crise sanitária, da crise econômica, das dificuldades sociais que o nosso povo enfrenta, eu acho que, de fato, é muito inoportuno um trabalho de uma Comissão Parlamentar de Inquérito. Poderia muito bem aguardar para que fosse feita, para que os fatos fossem esclarecidos a partir do mês de julho ou agosto. Isso não traria prejuízo", declarou.

Onze nomes integram a CPI da Covid, entre eles o senador Renan Calheiros (MDB-AL), que foi indicado como relator. Mesmo apontado como um opositor ao Governo Bolsonaro, o parlamentar alagoano recebeu elogios de Fernando Bezerra, que avaliou que ele vai "dar uma contribuição positiva para os trabalhos CPI".

Quando perguntado pelo âncora Magno Martins sobre a possibilidade de a CPI virar "palanque eleitoral", o senador pernambucano evitou polemizar com os colegas de parlamento, mas reconheceu que vários deles possuem pretensões para disputas de governos estaduais.

Em relação ao pleito majoritário em Pernambuco em 2022, Fernando Bezerra Coelho defendeu o filho Miguel Coelho (MDB), hoje prefeito de Petrolina, como um "quadro novo da política" local e que "deve merecer avaliação das lideranças de oposição" para concorrer ao Governo do Estado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

16/04


2021

Calheiros dobre CPI: Não sei por que tanto ódio de mim

Em conversa com o blog do Camarotti hoje, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) desabafou sobre a articulação do Planalto para barrar sua indicação como relator da CPI da Pandemia. "Não sei por que tanto ódio de mim", afirmou Calheiros.

Nos últimos dias, o governo Jair Bolsonaro ainda tentou, sem sucesso, um movimento para mudar os integrantes da comissão – incluindo as indicações do PSD, que tem a segunda maior bancada da Casa e deve garantir a presidência dos trabalhos.

A relatoria nas mãos de Renan Calheiros é vista pelo Palácio do Planalto com preocupação. Isso, porque o governo percebe que não terá controle sobre os rumos da CPI no Senado.

Na reunião realizada nesta tarde pelos senadores do chamado "G6" – parlamentares independentes e oposicionistas indicados à CPI –, o senador Otto Alencar (PSD-BA) garantiu que Omar Aziz (PSD-AM), indicado para presidir a comissão, vai escolher o relator indicado pelo grupo.

A reunião confirmou um acordo desses senadores para emplacar Aziz na presidência, Randolfe Rodrigues (Rede-AP) na vice-presidência e Renan Calheiros na relatoria dos trabalhos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Anuncie Aqui - Blog do Magno

16/04


2021

Palmeirina: Catão acusa delegada de amedrontar grupo

Em vídeo enviado ao blog, o prefeito afastado de Palmeirina, Eudson Catão (MDB), acusa a delegada Thatianne Macedo (SD) de amedrontar um grupo de pessoas que vinha de um torneio de sinuca na última sexta-feira (9). Segundo o emedebista, ela chegou a dar tiros para cima, na companhia do marido, o secretário municipal de Governo, Roberto Duarte.

Catão vai além na denúncia ao dizer que a comitiva com Thatianne estava "embriagada" durante a ação. A acusação aumenta a tensão política na cidade, que passará por uma eleição suplementar.

No pleito para a Prefeitura de Palmeirina, em 2020, Eudson Catão obteve 1.824 votos (41,54%), desbancando os adversários nas urnas. Entre eles, a delegada Thatianne Macedo, que terminou a eleição em segundo lugar, com 1.378 votos (31,38%). A candidatura dele estava sub judice.

Depois de uma série de ações judiciais, Catão conseguiu uma liminar em 27 de dezembro de 2020 e foi diplomado. Assumiu a Prefeitura, mas acabou sendo afastado após decisão do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) no último dia 4 de fevereiro. Desde então, o presidente da Câmara Municipal, Lecinho Vieira (SD), do mesmo grupo político da delegada, exerce o cargo de prefeito interinamente.

O Blog segue aberto para que a delegada Thatianne dê sua versão sobre o caso.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

16/04


2021

Comissão de eventos tem audiência com Governo de PE

O vereador do Recife Marco Aurélio Filho (PRTB) liderou, hoje, uma comissão representativa do setor de eventos sociais e corporativos, artistas e bares em audiência com a secretária executiva de Desenvolmento Econômico, Ana Paula Vilaça, e o secretário executivo de Articulação Institucional, Rodrigo Farias. O presidente da Abrasel-PE, André Araújo, a diretora executiva Rhaissa Soares, os artistas Benil, Bia Villa-Chan, Palas Pinho e a representante dos eventos sociais, Fabiana Santos, também participaram do encontro.

Com as atividades paralisadas há mais de 13 meses, o setor de entretenimento vem buscando a inclusão no novo plano de convívio em decorrência da pandemia do coronavírus. A equiparação dos eventos sociais ao funcionamento dos bares e restaurantes e a apresentação de música ao vivo nestes estabelecimentos vem sendo debatida por Marco Aurélio Filho, que, ontem, realizou uma audiência pública na Câmara de Vereadores do Recife (assista ao vídeo) e hoje conseguiu avançar nas tratativas em encontro com representantes do Governo do Estado.

“É louvável os esforços que o governo municipal e estadual têm feito diante desta situação, mas a crise além de sanitária é econômica e estamos falando em nome de milhares de mães e pais de família. Como representante do povo na Casa de José Mariano, não poderia ficar omisso a um setor que além de manter viva nossas tradições culturais gera renda e emprego para a cidade do Recife”, justificou.

Já a secretária Ana Paula Vilaça apresentou em detalhes os números em relação à pandemia e pontuou que a economia do Estado é prioridade em paralelo à saúde dos pernambucanos: “Compreendemos que é um momento difícil para todos os setores e não é diferente com o entretenimento. Apresentaremos estes e outros pleitos no gabinete de acompanhamento da Covid-19 no Estado.” 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/04


2021

Coronel da PM é o novo chefe da comunicação do governo

O presidente Jair Bolsonaro nomeou, hoje, André de Sousa Costa, coronel da Polícia Militar do Distrito Federal, como novo chefe da Secretaria Especial de Comunicação Social do governo federal.

André de Sousa assumirá a função no lugar do almirante Flávio Rocha, que estava no cargo havia um mês, desde que o empresário Fábio Wajngarten deixou o posto.

Vinculada ao Ministério das Comunicações, a Secom é a área responsável pela comunicação do governo federal. O órgão gere a verba de publicidade, orienta as campanhas publicitárias do Poder Executivo e faz a interlocução do Palácio do Planalto com veículos de comunicação.

O novo chefe da Secom já atuava no governo federal como assessor-chefe adjunto da Assessoria Especial da Presidência.

André de Sousa é próximo do ex-ministro da Secretaria-Geral Jorge Oliveira, também policial militar do Distrito Federal e que assumiu uma vaga de ministro do Tribunal de Contas da União.

Quando Jorge Oliveira foi indicado para o TCU, Flávio Rocha chegou a ser cotado para o cargo de ministro da Secretaria-Geral. Bolsonaro, no entanto, nomeou Onyx Lorenzoni, que até então chefiava o Ministério da Cidadania.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/04


2021

Arcoverde: Israel Rubis torna-se réu em ações penais

Através de denúncias promovidas pela promotora eleitoral Milena de Oliveira Santos, de Arcoverde, nos processos 0600432-15.2020.6.17.0057 e 0600426-08.2020.6.17.0057, o delegado Israel Rubis (PP), vice-prefeito cassado de Arcoverde, e o vereador Luciano Pacheco (MDB), tornaram-se réus em ações penais na Justiça Eleitoral.

Acolhendo as razões contidas na denúncia do Ministério Público, o juiz da 57ª Zona Eleitoral de Arcoverde, João Eduardo Ventura Bernardo, determinou a deflagração da ação penal contra os dois réus, pelas duas acusações apresentadas pelo Ministério Público.

A primeira acusação é pela ofensa ao artigo 347 do Código Eleitoral, por desobediência de ordem judicial, e a segunda, por força do artigo 268 do Código Penal, em razão da infringência de determinação do Poder Público, destinada a impedir a aglomeração por conta da pandemia do Covid-19.

As denúncias envolvem as proibições determinadas pela Justiça Eleitoral destinada a impedir a propagação da pandemia Covid-19.

Israel Rubis teria desobedecido a decisão da justiça no dia 21 de outubro de 2020, ao participar de evento de campanha vedado, em carreata pelas ruas da cidade, e de comício improvisado nas imediações do comitê de campanha da coligação União por Arcoverde, eventos que geraram aglomeração. Foi no dia que ele veio do Recife e circulou na cidade em cima de um caminhão usado frequentemente por um bingo da cidade.

Já o então candidato e hoje vereador Luciano Pacheco, teria descumprindo a decisão judicial eleitoral destinada a impedir a propagação da pandemia da Covid-19 ao participar de evento de campanha vedada em caminhada realizada na Vila São José, no São Geraldo. Após o recebimento integral da denúncia apresentada contra os dois réus, o Juiz determinou a intimação dos mesmos para defesa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha