Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

25/01


2021

Coluna da segunda-feira

Petrolina que se cuide!

Localizada nos arredores de uma montanha literalmente talhada, onde Lampião se escondia das tropas de choque da polícia, os “macacos”, na sua denominação, Serra Talhada, a 415 km do Recife, caiu na graça dos investidores. Virou, em apenas dois anos, a grande vedete da economia nordestina, vetor de desenvolvimento regional, em plena harmonia entre a indústria, a tecnologia, a saúde e o saber.

Criou, também, as bases sólidas em infraestrutura para disputar em igualdade de condições com a sua grande concorrente no semiárido pernambucano, a já afamada Petrolina, a Califórnia brasileira, capital do São Francisco, maior centro de produção de uva e vinho do Nordeste. Agamenon Magalhães, que já se foi, e Inocêncio Oliveira, que continua atuando discretamente na política, gente afamada por lá, nunca imaginaram que o chão seco de onde brotaram virasse a página da indústria da seca e da violência, o cangaço urbano.

Sim, depois de Lampião, havia um homem que matava muita gente em Serra Talhada: Vilmar Gaia. Como o rei do cangaço, fez derramamento de sangue em todo Sertão, marcando a cidade, como se ferra um boi, pelo símbolo da violência. Mas hoje os tempos são outros. Tempos construídos pela obstinação e a persistência do ex-prefeito Luciano Duque, uma ave rara petista no Pajeú que deu certo, filho de João Duque, empresário rico e afamado na região.

Com Duque, Serra Talhada saiu de patinho feio e virou a namoradinha do empresariado: atraiu duas grandes redes de supermercados - Assaí e Atacadão. Seu comércio pujante plantou as sementes de um shopping, já inaugurado, e na área de infraestrutura ganhou um aeroporto, com voos diários para o Recife pela Azul Linhas Aéreas. Em breve, a rede hoteleira ganha um plus, com a marca Ibis (imagem acima que ilustra a coluna).

Tem mais: Serra Talhada é, hoje, o segundo maior centro universitário do Sertão. São oito instituições de ensino superior, entre as quais uma de Medicina, mantida pela UPE – Universidade de Pernambuco. Na área de saúde, consolidou sua posição, uma marca já antiga, de 4º polo médico do Estado, com vários hospitais, prontos-socorros, maternidades e clínicas particulares. Está em fase de conclusão um hospital regional, com heliporto.

A namoradinha do PIB pernambucano alavanca, também, o turismo na sua cidade-irmã Triunfo, oásis em pleno Sertão, com temperatura média de 18 graus, chegando a 10 graus no inverno. Com os voos diários entre Recife e Serra, os que sonhavam em desfrutar do frio gostoso de Triunfo e suas atrações do turismo ecológico, como as cachoeiras e o Pico do Papagaio, 1.185 metros de altitude acima do nível do mar, onde se vê, a olho nu, cidades vizinhas entre Pernambuco e Paraíba.

MAIOR ATACADISTA - Com um investimento de R$ 40 milhões e a geração de 460 empregos diretos, o Assaí Atacadista, rede de atacado de autosserviço do GPA (antigo Grupo Pão de Açúcar), começou a funcionar em Serra Talhada no primeiro semestre de 2019. Oferece mais de sete mil itens de grandes marcas nacionais e importadas de alimentos, perecíveis (carnes, peixes, queijos, etc), higiene, bebidas e limpeza. A de Serra é a oitava unidade da rede no Estado, dentro do plano de expansão da rede, que cresceu 30% em 2020, taxa igual ao crescimento nacional.

CHEGOU ATACADÃO – Primeira entre as empresas do comércio varejista do Brasil, o Atacadão também está de vento em popa em Serra Talhada, com uma loja na BR 232, em frente à Tropical Piscinas. Disponibiliza uma diversidade de produtos para todas as necessidades de comerciantes, transformadores e consumidores finais, para compras em atacado ou varejo, além de alimentos em geral, frios e laticínios, hortifrúti fresquinho, conservas e enlatados, doces e biscoitos, higiene pessoal, limpeza, bazar, produtos para pets, automotivos e muitos outros itens.

SHOPPING SERRA – A exemplo de Petrolina, a capital do Xaxado, como também a cidade é conhecida, ganhou seu primeiro shopping, empreendimento com feição moderna e atrativa, investimento da ordem de R$ 30 milhões, gerando mais de 400 empregos diretos. O Shopping Serra Talhada representa uma mudança histórica para a cidade, com opções de compra e lazer também para municípios situados na sua área de influência expandida, que é de aproximadamente 500 mil habitantes.

OBRAS DO TERMINAL - Com dois voos diários para Serra Talhada saindo do Recife, em aeronaves com capacidade para apenas nove passageiros, a Azul pretende, em breve, fazer a rota com um avião maior, capacidade de 70 pessoas. Mas antes disso, o Governo de Pernambuco deveria tirar do papel as obras físicas do terminal de passageiros. Hoje, o aeroporto está improvisado num galpão, em condições precárias. O que se sabe é que já está no caixa de Paulo Câmara R$ 20 milhões para o terminal e ninguém dá um pio quanto ao atraso das obras do terminal.

SEM CONTINUIDADE – Radialista, empresário da comunicação, ex-presidente da Associação das Emissoras de Rádio e TV do Estado, Marcos Oliveira teve um papel importante também como secretário de Desenvolvimento na gestão Duque, atraindo o braço privado. “Nossa missão foi gerar empregos, criar um ambiente de negócio favorável para instalação de empresas no município. Com investimentos consolidados, Serra Talhada abriu mais de dois mil empregos diretos com Duque, mudando a sua matriz econômica”, diz Marquinhos, como é mais conhecido. Não se sabe lá as razões, mas a prefeita Márcia Conrado (PT), eleita por Duque, não o manteve na função.

CURTAS

REDE ÍBIS – A Rede Íbis comunicou aos empresários Marcelo e Murilo Duque, irmãos do ex-prefeito, proprietários do Shopping Serra Talhada, que seu plano de extensão no Nordeste contemplará a cidade que mais cresce, hoje, no Sertão do Pajeú. Investimento da ordem de R$ 10 milhões, a torre Ibis ficará localizada ao lado do shopping, dando, assim, mais suporte ao turismo de negócios na região.

FORA DO PT – Maior responsável pelo boom econômico que Serra Talhada vive, o ex-prefeito Luciano Duque é candidato a deputado estadual, mas sem a certeza de que disputará pelo PT. Está sendo sondado por vários partidos, entre os quais o PP, Republicanos e Podemos, com mais chances para a última legenda, comandada no Estado pelo deputado federal Ricardo Teobaldo.

Perguntar não ofende: O que o PT fará para segurar Luciano Duque na legenda?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Segundo o Datafolha tinha mais gente dando o rabo na Charneca que na passeata fora mito.

marcos

Bom dia povo de Deus, só lembrando que Lula o Ladrão quebrou o Brasil, saqueou a Petrobras, deixou 13 milhões de pessoas desempregadas e Roubou até Pano de Pereba. Amém


O Jornal do Poder

24/01


2021

Serra Talhada, novo boom do Sertão

Na coluna deste blog, postada à meia noite, destaco Serra Talhada, a 415 km do Recife, como novo eldorado do semiárido nordestino, a cidade que mais cresce no Sertão. Segundo PIB do Sertão e décimo oitavo do Estado, a capital do xaxado deixou de ser conhecida apenas como a pátria de Lampião.

Sua nova faceta inclui aeroporto, com voos diários para o Recife, duas grandes redes de supermercados e um moderno shopping. É também o quarto polo médico de Pernambuco e virou um grande centro universitário, com oito instituições de ensino superior. Nos últimos oito anos, com o petista Luciano Duque pilotando a Prefeitura, atraiu R$ 200 milhões de investimentos e em breve sua rede hoteleira será reforçada com uma unidade do Ibis, maquete que ilustra esta postagem.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

24/01


2021

Sindirepa-PE atua para fortalecer setor automotivo

Fundado há 31 anos, o Sindicato da Indústria da Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de Pernambuco está desenvolvendo iniciativas que ajudem seus associados neste momento difícil em razão da pandemia. A instituição tem como sede a Casa da Indústria, na Avenida Cruz Cabugá, 767, Santo Amaro, área central do Recife.

Pedro Paulo de Medeiros Moraes é o presidente do Sindirepa-PE, que conta com 132 empresas associadas. De acordo com ele, o setor tem uma atuação robusta em Pernambuco. “2180 empresas se declaram com CNAE da reparação automotiva em nosso Estado, mas este número pode ser bem maior, se considerarmos MEIs e as empresas não legalizadas”, analisa.

Uma das ações implantadas é o projeto “Oficina Legal”, feito em parceria com o Sebrae, que busca desenvolver a cultura da gestão da qualidade, inovação e regulamentação do setor da reparação automotiva - formado pelas oficinas mecânicas, funilaria e pintura, retíficas, convertedores de GNV e autocentros. Em dezembro de 2020, o Sindirepa-PE firmou a renovação do convênio com o Sebrae, em uma reunião na sede da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), onde está situada a Casa da Indústria.

“É um projeto exitoso, que visa profissionalizar, modernizar e capacitar os empresários, gestores e colaboradores das oficinas, retificas e autocentros. Estamos fazendo uma transformação na rede de serviços, trazendo qualificação e melhoria para todas as oficinais filiadas, com certificação das empresas e dos trabalhadores”, conta Pedro Paulo Moraes.

Além do “Oficina Legal”, há o projeto “Oficina Legal Avançado”, com foco em áreas diversas: tributárias, fiscal, logística, marketing, gestão financeira, ambiental e operacional. Ainda de acordo com o presidente do Sindirepa-PE, existe uma movimentação na aquisição de novos equipamentos, contribuindo para a modernização do setor.

“Alguns deles já estão no Recife, como um que faz o diagnóstico de suspensão, facilitando a vida das oficinas e dando mais segurança para os condutores”, revela.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/01


2021

Comércio entre Brasil e EUA é o pior em 11 anos

Do G1

Nem aproximação do governo de Jair Bolsonaro com o ex-presidente americano Donald Trump impediu uma queda expressiva do comércio entre Brasil e Estados Unidos em 2020, em meio à pandemia do coronavírus.

Levantamento da Amcham Brasil com base nos dados do Ministério da Economia dá conta de que o intercâmbio comercial entre os países teve o pior resultado em 11 anos, desde o desenrolar da crise do subprime.

Além de uma pauta comercial baseada em produtos mais trabalhados, as barreiras tarifárias impostas por Trump, que não puderam ser revertidas, prejudicaram a indústria brasileira, segundo a entidade.

De acordo com dados oficiais, a corrente de comércio em 2020 — soma entre exportações e importações — foi de US$ 45,6 bilhões, redução de 23,8% em relação a 2019. Foram vendidos US$ 21,5 bilhões (-27,8%), enquanto as compras somaram US$ 24,1 bilhões (-19,8%). Houve, portanto, déficit de US$ 2,6 bilhões.

O resultado destoa da média da balança comercial brasileira. A somatória das movimentações foi de US$ 368,847 bilhões em 2020 contra US$ 401,4 bilhões em 2019, uma redução de 9%.

O Brasil exportou US$ 209,9 bilhões e importou US$ 158,9 bilhões, quedas de 6,1% e 9,7%, respectivamente. No agregado, houve superávit de US$ 50,9 bilhões.

"O setor siderúrgico foi muito afetado. Há restrições em vigor desde 2018, que tiveram efeito nos dois anos passados, mas foram ainda mais negativas em 2020", afirma Abrão Neto, vice-presidente executivo da Amcham Brasil.

A matéria completa está disponível no G1.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/01


2021

Pazuello viaja a Manaus sem data para voltar

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, viajou na noite de ontem para Manaus. De acordo com o ministério, Pazuello "não tem voo de volta" e ficará na cidade "o tempo que for necessário". A viagem ocorreu horas após o procurador-geral da República, Augusto Aras, solicitar ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de um inquérito justamente para apurar a postura do ministro durante a crise de saúde no Amazonas, que sofre com a falta de oxigênio hospitalar. As informações são de O Globo.

Pazuello chegou a Manaus por volta de 23h30, junto com um lote de 135,5 mil doses da vacina da Universidade de Oxford e da AstraZeneca. Segundo o Ministério da Saúde, Pazuello "vai comandar de perto as ações emergenciais de combate à Covid-19, ao lado da equipe do Ministério da Saúde que já trabalha para apoiar a população do amazonense".

Neste domingo, seis carretas transportando oxigência chegaram a Manaus para atender o colapso na rede de saúde da cidade. A operação foi coordenada pelo governo federal por meio do Ministério da Infraestrutura. De acordo com um comunicado do Ministério da Saúde, no entanto, os 160 mil metros cúbicos do insumo não resolvem o problema.

"A chegada dos 160.000m³ alivia, mas não resolve em definitivo o problema do abastecimento da rede hospitalar. É necessário conter os níveis de contágio por Covid-19, reduzindo as internações para que o consumo possa ir, gradativamente, voltando aos níveis anteriores. A equipe da pasta, instalada em Manaus, está atuando neste sentido, como apoio ao governo do Estado", disse a nota.

A previsão era de que sete carretas chegassem à capital na tarde deste domingo, mas um dos veículos " sofreu danos durante o caminho" e só chegara à noite.

O ministro esteve em Manaus no dia 11 de janeiro. Três dias depois, o sistema de saúde da cidade entrou em colapso, com diversas pessoas morrendo por falta de oxigênio. O governo federal já havia sido avisado sobre o "iminente colapso" dias antes da chegada do ministro à cidade.

No sábado, Augusto Aras encaminhou ao STF um pedido de abertura de inquérito contra Pazuello, feito a partir de representações de partidos políticos, que relataram omissão do ministro e de sua equipe.

A partir das representações, Aras já havia instaurado no último domingo uma apuração preliminar e pediu esclarecimentos ao Ministério da Saúde. Depois de analisar as informações, apresentadas em ofício de quase 200 páginas, e levando em conta a calamidade em Manaus, Aras considerou necessária a abertura de inquérito para investigar os fatos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Wellington Antunes

Esse aí não adianta correr e nem se esconder embaixo da cama Vai se ferrar, o Bozo jogou nas costas dele toda a responsabilidade, muy amigo esse Bozo.


Banco de Alimentos

24/01


2021

Poeta Genésio Cavalcanti morre de Covid-19

O poeta, escritor e empresário pernambucano Genésio Cavalcanti morreu, hoje, por complicações da Covid-19. A informação foi divulgada pelo Portal PE10.

De Palmares, Genésio estava internado há alguns dias no Hospital Regional de Palmares (HRP). De acordo com o boletim médico, durante a internação, seu estado de saúde teria se agravado e ele precisou ficar na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

No sábado, ainda segundo o boletim, seu estado de saúde era estável com “pressão arterial normal, função renal normal. Porém, sedado, entubado e sob ventilação mecânica total. Sem febre ou outras anormalidades”.

Neste domingo (24), o quadro teria se agravado e o empresário acabou não resistindo. Genésio é autor de várias obras como Noites Ensolaradas, Poéticas de Amor, Alma de Poeta e Tempo de Amar. Ele também era integrante da Academia Palmarense de Letra (APLE) e empresário.

Nas redes sociais amigos e familiares desejavam melhoras ao artista e realizavam orações pela recuperação. Genésio Cavalcanti deixa esposa e dois filhos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/01


2021

Após esquerda, direita protesta contra Bolsonaro

Do UOL

Embora estivessem em lados opostos durante o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), esquerda e direita agora pedem a saída do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Os grupos defendem o mesmo, mas seguem separados, pelo menos na hora de protestar. Depois da carreata de ontem da Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo —que apoiaram a petista em 2016—, hoje é a vez de o MBL (Movimento Brasil Livre) e o Vem Pra Rua organizarem suas manifestações.

O formato de protesto em carreatas foi escolhido para reduzir o risco de contágio da covid-19. Segundo o MBL, o grupo preferiu protestar no domingo porque o movimento é forte em São Paulo, com muitos comerciantes que trabalham sábado e preferem protestar aos domingos.

"Estelionato eleitoral, entregou o governo pro centrão, fez aliança com Toffoli, Aras, Kassio, abandonou pautas econômicas, abandonou o combate à corrupção e sabota o combate à pandemia", escreveu o MBL em uma rede social ao publicar um vídeo do protesto na avenida Paulista.

Em São Paulo, a concentração foi em frente ao estádio do Pacaembu, na zona oeste. O protesto também ocorre em outras cidades.

No Rio, o ato começou por volta das 10h30, na avenida as Américas e, às 10h, em frente ao Monumento Zumbi dos Palmares, no centro: os carros foram até a Praça da Bandeira antes de fazerem o caminho de volta.

Em Belo Horizonte, o ato foi marcado na Praça do Papa às 15h. Mais cedo, Poços de Caldas também protestou.

Em Cuiabá, a manifestação começou às 9h próximo à UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso). No mesmo horários, os carros saíram da avenida da Doca de Souza Franco, em Belém (PA).

No interior paulista, o ato foi convocado em São José dos Campos, no Parque Vicentina Aranha, a partir das 10h30.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Wellington Antunes

Político não tem vocação para suicídio e se o Bozo não fizer o Arthur Lyra presidente da Câmara, o caldo vai engrossar mais ainda para o lado dele e os aliados do Centrão, maior grupo oportunista e fisiológico no Congresso Nacional vai começar a abandonar o bozo.

Wellington Antunes

Os ratos são espertos, já começaram a abandonar os porões do navio que começa a naufragar. Já entenderam que \"o governo Bozo é um defunto mal cheiroso a caminho do cemitério e quem pegar na alça do caixão corre o risco de cair na sepultura.\"


Jornao O Poder

24/01


2021

Maia se irrita com aliada de Bolsonaro e ameaça abrir impeachment

Houldine Nascimento, da equipe do blog

A reunião da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados que ocorreu na última segunda-feira (18) foi bastante tensa. Prova disso é que o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), perdeu a calma com a primeira secretária, Soraya Santos (PL-RJ). Em dado momento, o parlamentar chegou a falar em abertura de impeachment, de acordo com as notas taquigráficas do encontro, reproduzidas por Veja.

"Se o presidente continuar apoiando vocês nesse clima pesado, ele vai levar um impeachment pela frente, hoje ou amanhã. Quem garantiu a esta Casa, neste governo Bolsonaro, a liberdade de nós atuarmos, modéstia à parte, fui eu! Fui eu, porque ele queria fechar o Parlamento, ele queria fechar o Supremo Tribunal Federal. Ele foi às ruas na manifestação contra nós. Então, ninguém tem o direito de tratar desse tema comigo", disparou.

A reunião foi realizada para definir o rito eleitoral da Presidência da Câmara, que ficou marcada para 1° de fevereiro e de forma presencial, a contragosto de Rodrigo Maia.

Aliada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a deputada Soraya irritou o colega ao questionar a condução do encontro e falar em prática ditatorial. "Não podemos aceitar a ditadura em pleno século 21", disse.

"Deputada, nunca mais fale de ditadura comigo. Nunca mais! A senhora não sabe o que meu pai passou. Meu pai foi torturado, colocaram no ânus dele um cassetete, levou um tiro, e só não morreu porque estilhaçou na grade. Nunca mais trate desse tema comigo", reagiu Maia.

O presidente da Câmara prosseguiu: "Quem defende a ditadura é o presidente que vocês apoiam, o presidente da República. Não somos nós, que estamos defendendo esta Câmara independente. Vocês estão tentando sequestrar a Presidência da Câmara, e não vão sequestrá-la enquanto eu for Presidente!"

Rodrigo Maia concluiu a fala ao dizer que não aceitava uma declaração assim em razão de a Ditadura Militar brasileira ter perseguido seu pai, o ex-prefeito do Rio Cesar Maia, hoje vereador da capital fluminense pelo DEM. O presidente da Câmara nasceu em 1970, em Santiago, no Chile, onde o pai se exilou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

VACÉLY WACEMBERG SANTOS DUARTE

Se fosse pra falar de corrupção! Poderia? Botafogo! todoscombolsonaro.



24/01


2021

Bolsonaro passeia de moto e ignora perguntas sobre popularidade

O presidente Jair Bolsonaro passeou de moto por Brasília, hoje, durante cerca de uma hora. Em seu trajeto, fez breves paradas, onde cumprimentou pessoas. Sem máscara, o presidente não respondeu perguntas de jornalistas.

Bolsonaro deixou o Palácio da Alvorada por volta de 11h. Ele fez paradas em uma barraca de venda de frutas e em dois pontos da Esplanada dos Ministérios, onde falou com pessoas em frente à Catedral de Brasília e na Praça dos Três Poderes. Ele retornou para a residência oficial por volta de 12h.

Em uma de paradas realizadas, Bolsonaro foi questionado sobre sua opinião em relação à queda de popularidade do governo e sobre os protestos favoráveis ao seu impeachment realizados ontem. Ele não respondeu. Pesquisa Datafolha divulgada na sexta-feira, 22, mostrou aumento na reprovação do governo, que passou de 32% para 40%. A aprovação também caiu, indo para 37% ante 31% em dezembro.

O mandatário também não comentou as expectativas para as eleições das presidências da Câmara e do Senado no dia 1º de fevereiro. O Planalto aposta na eleição do deputado Arthur Lira (PP-AL), líder do Centrão, e do senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para avançar com pautas de interesse do governo, como a regularização fundiária.

*Com informações do Estadão


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha