Lavareda

02/12


2020

Silvio parabeniza Ana Arraes por presidência do TCU

O deputado federal Silvio Costa Filho (Republicanos) parabenizou a nova presidente eleita do Tribunal de Contas da União, Ana Arraes. O parlamentar destaca que a ministra sempre realizou um belo trabalho em defesa do Brasil, enquanto deputada federal e ministra. Arraes, que integra o Tribunal desde 2011, foi eleita por unanimidade. Ela é a primeira nordestina a presidir o TCU.

“Não tenho dúvidas de que a ministra Ana Arraes fará um belo trabalho. O TCU tem um papel fundamental para o país e um papel pedagógico de fiscalização. O Tribunal precisa, cada vez mais, atuar no fortalecimento das boas práticas da gestão pública", disse.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

02/12


2020

Patrimônio declarado não dá nem para pagar carros de políticos

Por José Maria Trindade

Constrange saber que temos mais patrimônio do que políticos famosos. Será incompetência deles em lidar com os próprios recursos ou pura malandragem para fugir de ações de recuperação de bens? A resposta não é difícil, as aparências, neste caso, não enganam. Costumo dizer que não há nada no mundo mais difícil de esconder do que dinheiro. Ele grita. Quem fica rico muda tudo, o carro, a casa, a roupa, o salão de beleza, o sabonete e a pasta de dente. Tudo é diferente. Os vizinhos sabem e desconfiam. “Se não for para ostentar, não adianta roubar”, diz um amigo meu sobre os ricos da política. Mas onde está o dinheiro? Fica difícil responder. Ele some como poeira, mas está em todo lugar.

É assim que constatei que o meu patrimônio é maior do que o declarado por Romero Jucá. Homem forte em todos os governos, foi ministro e senador. Líder do governo em todos os governos recentes e declarou um patrimônio de R$ 194.802,49.  O patrimônio do presidente do MDB até ficou menor com o poder. Caiu 80,3% da última declaração, ou seja, ficou mais pobre com a atividade política. É sempre assim. Quem conhece os senadores e visita as casas, conhece a estrutura com funcionários, carros, barcos e aviões, e se assusta com a pobreza nas declarações. Parece muito, um patrimônio de quase R$ 200 mil, mas a realidade é diferente. Este patrimônio não seria suficiente para pagar o carro que ele usa. Apartamento, nem pensar. Casa, nem a do funcionário dele seria comprada por este valor. Tomei a declaração do ex-senador Romero Jucá por ser ele conhecido, mas é assim na política.

Vamos aos prefeitos eleitos agora. A exigência legal para declaração de bens não é só para políticos, mas também para funcionários públicos. O objetivo é comparar o antes e o depois do poder. A pobreza na política é tão grave que o candidato a prefeito de Goiânia, Vanderlan Cardoso, do PSD, declarou prejuízo. Depois de um mandato, a declaração dele apresenta um buraco de R$ 12 milhões. Isso mesmo, Vanderlan declara que perdeu quase R$ 12 milhões exercendo o poder. Ele tinha um patrimônio de R$ 26 milhões e ficou com R$ 14,7 milhões. Mas o comum é o prefeito já entrar pobre. O prefeito de Boa Vista, em Roraima, Arthur Henrique, declarou zero. Não tem nada. Nem uma bicicleta, aparelho de som, canoa ou carro e muito menos casa. Zerado, entra para quatro anos de mandato como prefeito da capital. Não é crível, ou é no mínimo estranho que o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, tenha um patrimônio de R$ 104.966, 68. Um profissional como ele, economista, advogado, foi deputado federal e vice-prefeito e depois prefeito e não tenha dinheiro para comprar um bom apartamento é de dar pena. Ou é altruísmo demais ou incompetência financeira. Esse patrimônio é inferior ao valor de um carro médio. Não estamos falando de um cidadão comum, mas de um integrante da elite financeira de São Paulo.

João Campos acaba de ser eleito prefeito de Recife, em Pernambuco. O patrimônio declarado por ele é de R$ 242.769,80. Só que, apesar de jovem, com seus 27 anos, ele já foi chefe de gabinete do governador Paulo Câmara e é deputado federal com um bom salário. Herdeiro de um ex-governador e influente político que morreu a bordo de um jatinho próprio e deixou uma herança respeitável. Onde está o dinheiro? Sabe-se lá. Pelo menos o patrimônio do João Campos é mais do que o dobro do patrimônio do prefeito de São Paulo, Bruno Covas.

O prefeito eleito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, também já está com uma vida profissional longa. Foi secretário de estado, deputado federal e duas vezes prefeito. O patrimônio é um pouco maior, R$ 478.358,42.  Um valor insuficiente para uma casa própria. Um apartamento, por menor que seja, não pode ser comprado com este valor num local bom do Rio de Janeiro. O bom mesmo é Porto Velho. Por lá, no estado de Rondônia, a situação muda. O prefeito eleito, Hildon Chaves não se envergonha do patrimônio e exibe a declaração de mais de R$ 20 milhões. Ele administra um complexo educacional que evidentemente vale mais, mas pelo menos não está tão longe da realidade. Hildon Chaves chegou na cidade como promotor. Para se ter uma ideia, o ex-presidente Lula, quando registrou a candidatura à presidência da República, marcou lá que tinha um patrimônio de mais de R$ 7 milhões. A maior parte em aplicações. Este cresceu o patrimônio que consta ainda apartamentos de R$ 80 mil reais. A conclusão que o melhor negócio do mundo é comprar patrimônio de político pelo valor declarado e depois vender por metade do valor real.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

02/12


2020

Ibope pede desculpa por pesquisa em Porto Alegre

A CEO do Ibope Inteligência, Márcia Cavallari, admitiu que a pesquisa de intenção de voto do instituto em relação ao segundo turno em Porto Alegre, divulgada um dia antes do pleito, “não foi boa”. Ela pediu desculpas aos porto-alegrenses pelo fato e disse que a empresa está estudando os motivos que podem explicar a diferença.

A Pesquisa Ibope para o segundo turno em Porto Alegre, divulgada no último sábado (28), um dia antes da eleição, apontou Manuela D’Ávila (PCdoB) com 51% e Sebastião Melo (MDB) com 49% dos votos válidos.

“O que a gente vê é, primeiro, uma abstenção altíssima. Isso é um dado que infelizmente a gente não consegue avaliar de forma mais profunda, porque você não tem a informação de quem é essa abstenção. (…) Para avaliar um possível impacto disso. Tem a questão também, que eu acho importante ressaltar, que essa eleição foi muito curta e o eleitor se envolveu no processo eleitoral muito tardiamente”, disse Márcia em entrevista à Timeline, da Rádio Gaúcha.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Todos os Institutos de pesquisas sempre erram em favor da esquerda. Qual motivo? Ou são incompetentes ou comprados. Felizmente eles deixaram de influenciar o eleitor, assim como a imprensa desacreditada e desmoralizada.


Abreu no Zap

02/12


2020

Mistério

Até agora ninguém entendeu por que a Rede Globo não publicou a pesquisa boca de urna do segundo turno, quebrando uma tradição que vinha desde 1986. As explicações não convencem. Fontes confiáveis de “O PODER” garantem que as pesquisas foram feitas, mas sem acreditar nos resultados, a Globo preferiu não publicar e o Ibope assumiu que não fez o que, de fato, fez.

Mais detalhes 19h em O PODER.

www.jornalopoder.com.br/edicoes


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/12


2020

Cícero governará uma João Pessoa mais exigente

Por Heron Cid

Em alguns momentos do segundo turno, ficou a impressão de que o eleitor de João Pessoa se achou diante de um dilema ao ponto de muita gente decidir o voto praticamente na frente da urna.

Impressão não. Os depoimentos são muitos nesse sentido.

No universo dos eleitores tanto de Cícero Lucena quanto de Nilvan Ferreira houve uma fatia razoável que fechou os olhos e depositou um voto crítico.

Um voto contra o adversário, um voto por exclusão.

Esse sentimento das ruas revela que nível de exigência do eleitorado da capital aumenta em muito a responsabilidade do prefeito eleito.

Um nível de exigência que subiu consideravelmente de 2004 para cá e depois das gestões de Ricardo Coutinho, Luciano Agra e Luciano Cartaxo, admita-se.

Cada um dos três, ao seu modo e estilo, deixou marcas importantes no imaginário popular. O saldo administrativo desse período recente da história mexeu sensivelmente com a autoestima da cidade.

É para esse novo pessoense, bem acostumado com administrações dinâmicas e responsáveis por um novo modelo de governança, que Cícero governará a partir de primeiro de janeiro.

A consciência sobre essa João Pessoa mais exigente é determinante para embasar a nova gestão que se descortina em 2021.

A cidade não se contentará com mais do mesmo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

02/12


2020

FBC anuncia a liberação de R$ 80 mi para Adutora do Agreste

O governo federal vai liberar cerca de R$ 80 milhões para a Adutora do Agreste, obra do governo de Pernambuco executada com investimentos federais. A informação foi divulgada pelo líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), após reunião com o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, em Brasília. Os recursos somam-se aos R$ 24,8 milhões destinados à obra em junho de 2020, durante visita do ministro a Pernambuco. A estimativa é que R$ 1,2 bilhão sejam investidos no empreendimento.

“A liberação de recursos novos para a Adutora do Agreste confirma o compromisso do governo do presidente Jair Bolsonaro com as obras hídricas e o acesso à água em Pernambuco. Lembro que a Adutora já atende cerca de 400 mil pessoas e, quando estiver concluída, levará água para 1,3 milhão de pernambucanos”, disse o senador.

Ele acrescentou que o Ramal do Agreste, obra do governo federal para levar água do Rio São Francisco para 68 municípios de Pernambuco, recebeu, somente em 2020, R$ 370 milhões em recursos federais.

BRASIL EM CAMPO – Ainda em Brasília, Fernando Bezerra se reuniu, hoje, com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, que visitará Petrolina no dia 11 de dezembro para firmar uma parceria para a implantação do Brasil em Campo, uma iniciativa do governo federal para incentivar a prática de esportes no País.

“O projeto prevê a construção de infraestrutura com campo de futebol, quadra poliesportiva e pista de atletismo para democratizar e promover o acesso a atividades físicas, fazendo do esporte uma ferramenta de transformação da vida de crianças e jovens”, explicou o senador.

Em Pernambuco, o ministro Onyx Lorenzoni também cumprirá agenda em Serra Talhada, para inaugurar uma Estação Cidadania, e no Recife, onde fará a entrega de 15 veículos para reforçar a assistência social em diversos municípios do estado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/12


2020

Álvaro Porto reitera candidatura à presidência da Alepe

O deputado estadual Álvaro Porto (PTB) afirmou, hoje, que o projeto de concorrer à Presidência da Assembleia Legislativa vem ganhando corpo a partir das declarações de apoio que tem recebido desde que externou sua intenção, na semana passada. E adiantou, inclusive, que, se eleito, apresentará, no primeiro dia de mandato na presidência, uma PEC proibindo a reeleição para a Mesa Diretora.

De acordo com Porto, tanto parlamentares de oposição quanto da bancada de governista têm o procurado para se posicionar em favor da sua candidatura. “E é exatamente para atender pleitos da Casa, independentemente de bloco governista ou de oposição, que estou me candidatando. A Assembleia deve atender às demandas da sociedade. É este papel que a população espera dos integrantes da Casa”, disse.

Atualmente, Porto integra a Mesa Diretora, ocupando a quarta-secretaria. Eriberto Medeiros deve tentar a reeleição.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/12


2020

Danilo busca anular portaria que tira recursos do Fundeb

O deputado federal Danilo Cabral (PSB) apresentou projeto para anular a portaria do governo federal que enfraqueceu o Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação). Publicada no fim de novembro, três meses após a promulgação do texto pelo Congresso Nacional, a medida reduz o valor do investimento anual por aluno em 8,7%, além de anular os ganhos salariais dos professores da educação pública para 2021.

“A redução traz enorme prejuízo aos sistemas de ensino, especialmente aqueles que contam com a complementação da União para custear suas despesas educacionais”, destaca Danilo Cabral. Atualmente, o Fundeb investe R$ 3.643,16. Com a redução determinada pelo governo, passará para R$ 3.349,59.

Danilo Cabral explica que, ao diminuir o valor anual por aluno, na prática, o governo federal também atinge a soma de recursos do Fundeb. “Faz isso quando as redes de ensino públicas assumiram um grande desafio ao adotar as medidas sanitárias e tecnológicas necessárias por causa da pandemia, criando-se novas despesas, sem qualquer apoio do governo”, critica.

Em relação ao reajuste do piso salarial do magistério, a previsão era de que teria uma atualização na ordem de 5,9%. Com a redução no investimento mínimo, a categoria terá agora reajuste zero. De acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), essa será “a primeira vez na história do Fundeb que os docentes da educação básica pública ficarão sem acréscimos em seus vencimentos, historicamente defasados sobretudo em comparação a outras profissões ou mesmo a docentes de outros países”.

O deputado ressalta que a aprovação do novo Fundeb trouxe uma expectativa de aumento dos investimentos na educação, especialmente pelo incremento da complementação da União dos atuais 10% do total para 23%, além de uma maior valorização do magistério. “Portanto, essa portaria do governo revela as reais intenções do governo, que é de não priorizar a educação”, afirma Danilo Cabral.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/12


2020

Vice-prefeito eleito de Garanhuns está com Covid-19

Por decisão da família, o vice-prefeito eleito de Garanhuns, Dr. Pedro Veloso, foi transferido para o Real Hospital Português, no Recife. Ele já estava fazendo tratamento contra Covid-19.

De acordo com o prefeito eleito Sivaldo Albino (PSB), o quadro de Dr. Pedro Veloso é estável e vem evoluindo bem. “Vamos continuar em oração para que logo estejamos juntos novamente”, disse Sivaldo em suas redes sociais.

O prefeito eleito também aproveitou para informar que ele e seus familiares não estão com a doença. “Eu e minha família não estamos com sintomas, nada que leve à suspeita, mas vamos nos cuidar e realizar exames”, concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores