Jaboatão

16/04


2012

Plano para Cachoeira não jogar lama no ventilador

 Diante da dificuldade de obtenção de habeas corpus para a soltura de Cachoeira, pivô da Operação Monte Carlo e, agora, da iminente CPI, petistas acreditam que a contratação do ex-ministro Márcio Thomaz Bastos como advogado do acusado de contravenção atende mais à necessidade de mantê-lo sob controle e evitar que jogue lama no ventilador. Thomaz Bastos não é o único advogado do caso Cachoeira a atuar no mensalão, escândalo que o PT agora pretende esvaziar com a CPI. O defensor de José Dirceu, José Luís Oliveira Lima, também foi escalado para defender a Delta, de Fernando Cavendish. (Vera Magalhães - Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

PREF DE OLINDA DESAFIOS DA PANDEMIA 21

16/04


2012

Principais crimes do mensalão só vencem em 2015

Autor da denúncia do mensalão do PT, acolhida pelo Supremo Tribunal Federal em agosto de 2007, o ex-procurador-geral da República Antonio Fernando de Souza considera infundados os comentários e declarações de políticos — e até de magistrados — sobre a possibilidade de muitos dos réus da ação penal serem beneficiados pela prescrição dos crimes de que são acusados, caso o processo não venha a ser julgado neste semestre. E até no próximo ano. Ele lembra que os 22 dos 38 réus da AP 470 enquadrados no crime de quadrilha respondem, “necessariamente”, por outros delitos de penas bem mais elevadas, já que o artigo 288 do Código Penal descreve o crime de “quadrilha ou bando” como a associação de mais de três pessoas “para o fim de cometer crimes” (Pena de reclusão, de um a três anos). (Do Informe JB - Luiz Orlando Carneiro)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca 2021

16/04


2012

Cúpula fracassa: sem apoio a Argentina e Cuba

Obama e Juan Manuel Santos em discurso no encerramento da Cúpula das Américas. | Foto: AP

Estados Unidos e Canadá se opuseram à presença de Cuba na próxima Cúpula

A falta de acordo sobre a participação de Cuba e o apoio à Argentina sobre a questão das Malvinas impediu que líderes americanos chegassem a um consenso para a declaração final conjunta na Cúpula das Américas, afirmou o presidente colombiano Juan Manuel Santos. ''Não há declaração porque não há consenso'', disse ele. Santos destacou que, mesmo assim, o encontro foi útil porque pela primeira vez os 31 chefes de estado e de governos presentes falaram de todos os temas sem tabus. ''Finalmente estamos discutindo as questões'', disse ele. ''Drogas era um tema que ninguém coloca na mesa. Cuba e Malvinas não eram discutidos, e desta vez foram''. No encontro anterior realizado em Trinidad e Tobago, em 2009, a declaração final foi firmada pelo chefe de governo anfitrião, também por falta de acordo sobre a inclusão de Cuba.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina abril 2021

16/04


2012

PT pode recuar com CPI: Dilma reprovou o partido

 A presidente Dilma Rousseff não está satisfeita com o presidente do PT, Rui Falcão, por causa da atropelada criação da CPI do Cachoeira. Dilma se queixou com ministros e petistas de que Falcão não podia ter saído atirando - e defendendo a criação da CPI - sem consultá-la antes. Agora, o partido tenta puxar o freio de mão. Com o afastamento do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), internado desde sábado com insuficiência coronariana, se as assinaturas forem coletadas a tempo, caberá à vice-presidente Marta Suplicy (PT-SP) instalar a comissão na terça-feira. A preocupação de Dilma com o anunciado descontrole da CPI foi tema da conversa, na sexta-feira, entre ela e o ex-presidente Lula, um dos entusiastas da investigação parlamentar sobre os negócios e relações do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.(O Globo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/04


2012

Prefeito prepara população para o fim do mundo

 "Estamos diante de uma realidade científica. Estamos nos aproximando de um cinturão de fótons." É assim que o prefeito de São Francisco de Paula (RS) começa sua explicação sobre o que ele afirma que irá ocorrer em 21 de dezembro de 2012 (o fim do mundo, segundo os maias). Enquanto a data não chega, Décio Colla (PT) -um médico de 67 anos e três mandatos- tem pedido aos 20 mil habitantes que guardem alimentos, remédios, combustível e lenha (a cidade, a 907 metros de altitude, é uma das mais frias da serra gaúcha).

Para o prefeito, o Brasil pode sofrer com um tsunami por estar entre as placas tectônicas sul-americana e africana. Temerosos, alguns moradores começam a montar um kit de sobrevivência. O próprio prefeito encomendou uma quantia extra de merenda escolar e remédios com verbas do orçamento. Na área rural, um agricultor conta que guarda alimentos.

Mas nem todos levam a previsão a sério. "Ele [prefeito] quer desviar a atenção porque roubou milhões", diz outra moradora, referindo-se a duas ações civis públicas abertas pelo Ministério Público Federal por suspeita de improbidade administrativa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

lino perrelli

É eclético naquilo que abriga o PT... são variadíssimos os tipos de imbecil lá existentes! Se rir, doí?

S. C. B. M.

ESTE TIPO DE TERRORISMO É UMA DAS TÁTICA QUE ESTA TROPA DO PT USAM PARA SE DEFENDEREM QUANDO MENCIONADOS EM FALCATRUAS.


ALEPE

15/04


2012

As sombras do poder

CARLOS BRICKMANN

 Lembre aquela brincadeira antiga, em que a sombra dos dedos parece ser um cachorro, ou uma casa, ou uma ave. O poder é assim: as coisas não são o que parecem (e, quando são, como ninguém acredita que sejam, é como se não fossem). Collor batia em Sarney, mas era xingação de campanha - tanto que hoje são colegas de base aliada. Lula chamava Sarney de ladrão, dizia que Maluf tinha de ir para a cadeia, mas eram, disse, bravatas: hoje estão todos juntos.

Não pense que alguém queira prender o senador Demóstenes Torres ou desmontar o império de Carlinhos Cachoeira. O jornalista Fernando Gabeira sintetizou o caso com sua habitual precisão: ''Está ficando claro para todos que o PT pretende usar o escândalo Cachoeira para demonstrar que o mensalão foi apenas uma cascata. As denúncias coincidem com o ano eleitoral. É inevitável que cada força política utilize o tema da maneira que lhe parece mais vantajosa''. No caso, tentar reduzir a importância do Mensalão, que está para ser julgado no Supremo.

Um indício? Há alguns anos a investigação vem correndo, mas só agora as conversas telefônicas foram vazadas para a imprensa. Por que exatamente nas proximidades do julgamento do Mensalão? E justo Demóstenes?

Demóstenes, mesmo que consiga se livrar de problemas judiciais, é um achado: o mais agressivo denunciante fazia o que acusava os adversários de fazer. Contribui para a ideia geral de que política é isso mesmo e que os mensaleiros são iguais a todos os outros. Não são.

Mas há muitos iguais a eles.

Para ter certeza de que o objetivo das denúncias é sempre político-partidário, lembremos que vários ministros caíram, um deles até por gastar dinheiro público numa festa em motel. Derrubados, as acusações cessaram, vão todos bem, obrigado, e alguns reclamam que não foram ouvidos na nomeação dos sucessores.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes 2021

15/04


2012

CPI vai paralisar o país e o governo Dilma

Palco da CPI será tomado por raposas políticasFoto: Edição/247

Renan, Jucá, Collor e Vaccarezza são apenas alguns dos nomes que estão garantindo lugar de honra na CPI sobre a Operação Monte Carlo; Dilma pode se preparar para um espetáculo que pode custar caro ao seu governo

DO PORTAL BR247

A CPI sobre a Operação Monte Carlo é absolutamente necessária. Ponto número um. Instalar ou não uma CPI é decisão de competência exclusiva do Poder Legislativo e o Executivo não tem nada a ver com isso. Ponto número dois. Dito isso, a presidente Dilma Rousseff pode se preparar para um espetáculo de consequências imprevisíveis e que irá paralisar a agenda legislativa daqui até o fim de 2012 – até porque, depois da CPI, virão as eleições municipais.

Os principais personagens deste espetáculo serão velhas raposas da política, que já estão garantindo lugar de honra. Ao que tudo indica, o presidente da comissão, a ser indicado pelo PMDB, será o senador Romero Jucá. A relatoria, cargo do PT, caberá ao deputado Cândido Vaccarezza. Curiosamente, dois articuladores políticos que acabaram de ser substituídos pela presidente. Jucá era líder do governo no Senado e Vaccarezza na Câmara. Como irão se comportar depois de terem sido trocados por Dilma?

Na CPI, outras raposas políticas terão presença garantida. Neste contexto, Dilma dificilmente conseguirá tomar qualquer inciativa relevante no Congresso. Em resumo: 2012 parece ser um ano perdido para qualquer tentativa de reformas no Congresso. E em 2013, naturalmente, já se começará a falar na sucessão presidencial.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Roberto Teixeira

Com certeza devemos muito a fiscalização e denúncia da imprensa, tem agido como terceiro poder, e hoje, muitos dos corrutos a temem pelo seu poder devastador junto a opinião pública, mas infelizmente não é unânimidade, e ainda existem aqueles que enxergam a corrução como algo positivo.

suricato

Engraçado , os PTêtas antigamente tinham a revista de grande tiragem como seu livro de cabeceira.Hoje , alguns deles a renegam.Deviam seguir o exemplo da presidenta que confiou na Veja e mandou 7 ministros prá ruuuuuuuuuuua.

S. C. B. M.

COM CERTEZA ESTE QUARTETO É DIGNO DE decoro,PARA JULGAR QUALQUER INDECÊNCIA NA POLÍTICA.PRA FRENTE BRASIL, UM GRANDE FUTURO TEUS FILHOS TERÃO.

Wellington Antunes

Para a veja, Cachoeira tem mais credibilidade que, por exemplo, o Amaury Ribeiro Jr. O autor da privataria tucana deve sentir-se profundamente orgulhoso e honrado.

Wellington Antunes

Para a veja, Cachoeira tem mais credibilidade que, por exemplo, o Amaury Ribeiro Jr. O autor da privataria tucana deve sentir-se profundamente orgulhoso e honrado.


Serra Talhada 2021

15/04


2012

Movimento protesta contra espigões no centro do Recife

Famílias foram ao Cais José Estelita em apoio ao movimento (Foto: Luna Markman/G1)

Centenas de pessoas participam de um movimento de ocupação do espaço público no Cais José Estelita, no centro do Recife, neste domingo (15). Com inspiração no Occupy Wall Street, o protesto reúne gente de diversos segmentos da sociedade não apenas contrária ao empreendimento do Consórcio Novo Recife, que pretende construir pelo menos 12 torres na área, mais ao modelo de ocupação verticalizada que o município vem adotando.

O protesto foi articulado por meio de redes sociais, sem intervenção de partidos políticos, e prevê durante o domingo a realização de atividades culturais, como oficina de grafitagem e perfomances artísticas. O trânsito não ficou complicado pela manhã. As duas faixas do Cais estavam livres.

Um ponto em comum entre os participantes é que as políticas públicas da cidade e do estado desconsidera questões urbanísticas básicas como mobilidade urbana, preservação da memória histórica e afetiva dos moradores e arejamento da cidade. O terreno no qual pode ser erguido o complexo Novo Recife abriga antigos galpões, estações ferroviárias e a segunda linha de trem mais antiga do Brasil.(Do portal G1 Pernambuco)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

S. C. B. M.

É MENTIRA.

S. C. B. M.

ESTE MOVIMENTO DEVERIA ESTAR SE PREOCUPANDO COM O ESTADO COMO SE ENCONTRA A NOSSA CIDADE.DA ANTIGA P GIRATÓRIA ATE OS DOIS PRÉDIOS E O CAIS J. ESTELITA PRECISAM SIM DE MODIFICAÇÕES PARA EMBELEZAR AQUELA TRECHO.E MENTIRA Q NAQUELE ÁREA NUNCA TEM NINGUEM USANDO COMO LAZER,TEM RISCO DE ASSALTO.

FRANCISCO EDUARDO A. M. CAVALCANTI

Prezado Magno, acho que voce se equivocou, a quantidade de participantes dava em uma VAN!!! E impressionante como as pessoas perdem tempo. Algo já consolidado, que modificara positivamente a paisagem de abandono existente e ainda temos movimentos contrários. Vamos as obras!!!


Anuncie Aqui - Blog do Magno

15/04


2012

Agripino nega fusão e põe DEM em destaque político

 Abatido pelo escândalo da Operação Monte Carlo, que sugou o senador Demóstenes Torres, o DEM, antigo PFL, nega que esteja cogitando uma fusão com o PSDB. De acordo com o presidente da sigla, Agripino Maia (DEM/RN), o partido tem um papel especial na política brasileira. “O espaço que nos está reservado é o da centro-direita, com ideias liberais”, disse ele ao jornal O Globo. “Este é um país que está ficando menos competitivo a cada dia. Esse tamanho do Estado brasileiro, a enorme carga tributária e o aumento do gasto público são inviáveis no longo prazo.”

O DEM ainda mantém uma arrecadação de R$ 5,4 milhões por ano do fundo partidário e mantém como principais estrelas, além de Agripino, o ex-prefeito do Rio, Cesar Maia. Com a queda de Demóstenes, o discurso da ética se perdeu. Agripino, no entanto, destaca a possibilidade que o partido tem de eleger prefeitos em cidades como Salvador, Aracaju, Macapá e Feira de Santana como um sinal da “força” do  partido. O fato, no entanto, é que, desde o avanço de programas sociais como o Bolsa Família, o DEM começou a perder espaço nos rincões do País, que antes eram dominados por coronéis da política.(Portal BR247)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/04


2012

Mensaleiros têm de ser julgados até junho, diz ministro

 Se o julgamento do mensalão não for concluído até 30 de junho, ficará para o ano que vem, avalia o ministro Carlos Ayres Britto, que assumirá a Presidência do Supremo Tribunal Federal na quinta-feira (19/4). Segundo o ministro, o principal fator que inviabiliza o julgamento do caso no segundo semestre é a eleição. A partir de julho, seis dos 11 ministros do Supremo também estarão ocupados com o processo eleitoral, pois além do STF, fazem parte do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Para Ayres Britto, "não é bom que um processo dessa envergadura corra em paralelo com o processo eleitoral". Ao ser perguntado objetivamente se colocaria o caso mensalão para ser julgado concomitantemente ao processo eleitoral e com apenas 10 ministros no STF (no segundo semestre Cezar Peluso já estará aposentado), o ministro respondeu que sim. "O ideal é o número 11, ímpar. Mas se só tiver dez, qual o presidente que vai esperar nomear o substituto do ministro Peluso, que você não sabe quando vai acontecer, e deixar o processo sem julgamento?", pondera.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

antonio carlos cisniros sampaio

com eleição ou sem eleição a obrigação da justiça e julgar logo

S. C. B. M.

ACREDITEM QUEM QUISER,QUE MENTIRA Q LOROTA BOA.

Raimundo Eleno dos Santos

Se for para depois das eleições, todos ficarão livres de alguma pena. Nem aquela pena de distribuição de cesta básica. É o máximo. Justiça no Brasil só para quem pratica o crime famélico.Ou seja, pratica-se injustiça contra o miserável.Rico não cumpre pena,nem político!