FMO janeiro 2020

02/04


2020

Vacina da gripe explorada para uso eleitoral em Paulista

Em Paulista, Região Metropolitana, a vacina da gripe Influenza falta nos postos de saúde da rede pública, mas não para uso eleitoral. Em explícito crime de abuso de poder econômico, o prefeito Junior  Matuto (PSB) desviou da população pobre um lote de 70 ampolas para vacinar eleitores do vereador Fabiano Paz, também socialista da boca para fora, em seu condomínio de classe média em Pau Amarelo.

O blog recebeu a denúncia ontem logo após o mutirão de vacinação no condomínio  Porto Antiles, onde o vereador mora e é síndico. Nas imagens, a vacina sendo aplicada nos apaniguados do vereador selecionados a dedo, cabos eleitorais granfinos. Tem até o flagrante de um jovem recebendo a picada da imunidade da gripe quando a recomendação é para pessoas acima de 60 anos.

O vereador chegou a convocar o seu dileto grupo com o seguinte aviso:

Bom dia, prezados !

Amanhã, quarta-feira, a partir das 14h, estaremos juntamente com a equipe de vacinação da Secretaria de Saúde do município, fazendo a campanha de vacinação contra a GRIPE nas dependências do nosso condomínio ( salão de festas). Esta vacinação será voltada aos idosos acima de 60 anos. Peço que todos desçam no horário determinado, e mantenham a distância regulamentar para que esta campanha aconteça da melhor forma. Desde já contando com a colaboração de todos.

Att. 

Fabiano Paz
Síndico


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima

02/04


2020

Lagoa busca modelo de Petrolina na guerra contra vírus

Pré-candidato a prefeito de Lagoa Grande, no Vale do São Francisco, Henrique Diniz teve encontro ontem com o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), mas saiu do gabinete afirmando que a conversa foi para tratar de  coronavirus: “O tempo agora é de cuidar das pessoas”, afirmou.

Acrescentou que está preocupado com o avanço do vírus da morte no município. Ele acredita que Lagoa Grande não está preparada para um eventual avanço do vírus na cidade, famosa por ser símbolo da uva e do vinho na região que ganhou destaque nacional pela produção irrigada.

Henrique disse foi conversar com  Miguel para entender melhor a evolução da pandemia e suas ações de combate. "Miguel é um amigo e abriu as portas para conversarmos sobre o coronavirus. Ele entendeu minha angústia, meu receio para que nossa comunidade esteja melhor preparada com a evolução desse problema. Toda experiência exitosa que possamos absorver e toda parceria nesse momento pode evitar doenças, sofrimentos e ate óbitos”, afirmou.

Henrique negou que tenha ido conversar sobre politica.

“Politica a gente fala na hora certa. Eu e Miguel estamos preocupados com as vidas, com as pessoas. Na hora da politica estaremos todos juntos e ele reafirmou seu compromisso e do grupo politico para marchar com a gente. Sobre isso a gente fala depois. Agora o tempo é de cuidar”, assinalou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/04


2020

Equador enterra 150 corpos de uma só vez

Por G1

O governo do Equador informou na quarta-feira (31) que removeu 150 cadáveres que estavam em várias casas em Guayaquil, depois do caos ocorrido naquela cidade devido à pandemia do novo coronavírus que atrasou esse serviço.

As autoridades, porém, não confirmaram quantas vítimas da Covid-19 estão entre os 150 mortos.

Uma força-tarefa conjunta militar e policial criada pelo governo para lidar com essa emergência retirou 150 corpos nos últimos três dias, informou o porta-voz Jorge Wated.

Wated reconheceu as falhas do "sistema funerário" em Guayaquil, o que fez com que o serviço dos médicos legistas e das funerárias não atendessem rapidamente aos casos de mortes nas residências no meio do toque de recolher de 15 horas estabelecido no país.

Como resultado, o povo de Guayaquil começou a publicar nas redes sociais vídeos de corpos abandonados nas ruas e mensagens de ajuda de parentes para enterrar seus mortos.

A província de Guayas cuja capital é Guayaquil, concentra 70% dos casos da Covid-19 no Equador, que tem 2.758 infectados e 98 vítimas fatais desde 29 de fevereiro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

02/04


2020

Banca do Paraná pode receber até R 311 mil pelo concurso da Câmara de Olinda

Por Observatório de Olinda

Com dispensa de licitação, sem qualquer alarde, em meio à pandemia de Coronvírus, a Câmara de Vereadores de Olinda publicou, no último domingo (31), o resultado do processo de escolha da banca que realizará o concurso público que a Casa pretende promover ainda este ano.

A instituição escolhida – o Instituto Assessoria em Organização de Concursos Públicos (AOCP), sediado na cidade de Maringá, estado de Paraná – poderá receber até R$ 311.500,00 (trezentos e onze mil e quinhentos reais), estimativa de recurso a ser levantado com o valor cobrado pelas inscrições.

“Não haverá custo alguma para a Câmara. Há uma expectativa de arrecadação, que dependerá do número de inscritos”, explicou o presidente da Casa, vereador Jorge Federal.

Pelo contrato o AOCP ficará responsável pelo “planejamento, organização e execução do certame”. O concurso deverá selecionar 14 novos funcionários efetivos. As vagas, de acordo com o edital, são para Analista Legislativo (04), Técnico Legislativo (09) e Auxiliar Legislativo (01).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/04


2020

Por telefone, governo vai rastrear doentes do Covid-19

O Globo

— Olá, boa tarde. Aqui é do Ministério da Saúde. Você pode falar agora?

Com essa saudação, a pasta planeja fazer uma busca ativa, por telefone, de pessoas vulneráveis e com sintomas de infecção pelo novo coronavírus. A voz do outro lado da linha é automatizada e vai perguntar ao cidadão sobre sua condição de saúde. 

Se a pessoa tiver sinais de Covid-19, um profissional de saúde dará orientações sobre postos de saúde ou hospitais de referência a serem procurados. Outras orientações de prevenção podem ser repassadas para a população em geral.

A meta é atingir 125 milhões de brasileiros, segundo o ministro Luiz Henrique Mandetta. Ele afirmou, na terça-feira, que as ligações começariam naquele dia. O ministro destacou a iniciativa em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto. 

Para evitar trotes ou golpes, o cidadão deve prestar atenção ao identificar de chamadas, onde vai aparecer o número 136, do Disque Saúde. A ideia da pasta é monitorar à distância as pessoas em isolamento domiciliar, conhecendo o estado de saúde durante todo o período.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

02/04


2020

Liberados recursos na Justiça para combater Covid-19

Por Estadão Conteúdo

O Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) expediu resolução que autoriza os magistrados atuantes em juízos criminais da Justiça Federal da 2ª Região a destinar os recursos provenientes de penas, de acordos de colaboração premiada e de outras medidas aplicadas nos processos penais  para a aquisição de produtos e equipamentos médicos para o combate à pandemia da covid-19, como respiradores, máscaras N95 e kits para teste de contágio.

A medida foi assinada hoje (1º) pelo presidente do TRF2, desembargador federal Reis Friede, pelo vice-presidente Messod Azulay Neto e pelo corregedor regional da Justiça Federal da 2ª Região, Luiz Paulo da Silva Araújo Filho.

A autorização tem caráter excepcional e emergencial e terá validade enquanto durar o estado de calamidade pública decretado pelos governos federal e estadual. Um edital deverá ser publicado para seleção de requerimentos realizados por entidades e órgãos públicos municipais, estaduais e federais que atuem na área de saúde pública e combate à pandemia. O edital será disponibilizado no Sistema Integrado de Gestão Administrativa do TRF2.

Todo o procedimento desde a apresentação do requerimento do valor até a prestação final de contas, devidamente outorgada pela autoridade concedente, deverá ser registrado no sistema e-Proc, sendo públicos o acesso aos autos e as informações a respeito deles, inclusive por meio do portal da transparência.

O ato administrativo proíbe,  em qualquer hipótese, a destinação de recursos para entidades privadas, mesmo com finalidade social e sem fins lucrativos e com atuação nas mesmas áreas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

02/04


2020

NY Times: Bolsonaro continua menosprezando vírus

Por Revista Forum

Uma matéria publicada ontem pelo diário estadunidense New York Times retrata o presidente brasileiro Jair Bolsonaro como um dos maiores problemas do Brasil para enfrentar a pandemia do coronavírus.

O texto, assinado pelos jornalistas Ernesto Londoño, Manuela Andreoni e Letícia Casado, diz logo no título que um “Bolsonaro, isolado e desafiador, descarta ameaça do coronavírus ao Brasil”.

No subtítulo, também destaca que o presidente brasileiro “é o único grande líder mundial que questiona os méritos das medidas de isolamento para combater a pandemia”.

Também lembra que alguns mandatários, como o estadunidense Donald Trump e o britânico Boris Johnson, também “demoraram em compreender a ameaça do vírus e em adotar medidas de distanciamento social”, mas que acabaram cedendo.

“A maneira como ele lidou com a crise levou a consternação em todo o espectro político do país, já que líderes do Congresso e o chefe do Supremo Tribunal Federal pediram aos brasileiros que ignorassem seu presidente. Um movimento pelo impeachment de Bolsonaro está ganhando apoio popular, com brasileiros batendo panelas em suas janelas todas as noites para repudiar o presidente ”, decreve o New York Times.

A matéria traz uma entrevista com a cientista política Maria Hermínia Tavares de Almeida, da USP (Universidade de São Paulo). “Ele demonstrou ser incapaz de ser presidente (…) permanece no poder por uma razão muito simples: ninguém quer criar uma crise política para derrubá-lo em meio a uma emergência de saúde”.

Outra entrevistada foi Verônica Brasil, ativista da favela da Cidade de Deus, que relatou que, enquanto Bolsonaro atua contra as medidas de prevenção, as famílias lutam para sobreviver. “O desespero está crescendo (…) as pessoas estão ficando sem comida e perdendo empregos”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Genocida.

marcos

O nosso honesto Mito é foda. A esquerda corrupta fica Arretada. Kkkkkkkkk

Fernandes

Canalha.


Prefeitura de Limoeiro

02/04


2020

Bolsonaro sanciona com vetos auxílio de R$ 600

Por Guilherme Mazui e Nilson Klava, G1 e Globonews — Brasília

O presidente Jair Bolsonaro sancionou com vetos, ontem, a lei que estabelece um auxílio de R$ 600 mensais, por três meses, a trabalhadores informais.

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira, anunciou a sanção em rede social. A medida não tinha sido publicada no "Diário Oficial da União" até a publicação desta reportagem.

O auxílio tem o objetivo de diminuir o impacto da pandemia do coronavírus na renda dessas pessoas – que não têm carteira assinada e, por isso, foram mais afetadas pelas medidas de isolamento social.

Pela manhã, Bolsonaro anunciou em pronunciamento que sancionaria o texto ainda nesta quarta. Segundo ele, o auxílio deverá beneficiar 54 milhões de pessoas, com custo aproximado de R$ 98 bilhões. O governo ainda não anunciou o calendário oficial de pagamento.

No início da noite, o presidente da República afirmou que já tinha assinado a sanção da lei, mas só enviaria o texto à publicação junto com uma medida provisória (MP) para indicar a fonte dos R$ 98 bilhões. A MP deve criar um crédito extraordinário nesse valor.

"Para publicar, eu preciso de uma outra medida provisória com crédito. Se não, fica um cheque sem fundo na praça. Está certo? Daí, sim, deve terminar, deve terminar. Aí talvez traz em casa e eu assino, publico. No caso, agora não adianta publicar em Diário [Oficial da União] extra. Eu público no Diário ordinário de amanhã", declarou.

Enviado ao Congresso Nacional pelo governo, o projeto foi aprovado pela Câmara na semana passada e pelo Senado na última (30). A proposta original previa um auxílio de R$ 200 mas os parlamentares, com o aval do Executivo, aumentaram o valor para R$ 600.

Segundo o projeto, o auxílio será limitado a duas pessoas da mesma família. O texto aprovado ainda definiu que a trabalhadora informal que for mãe e chefe de família terá direito a duas cotas, ou seja, receberá R$ 1,2 mil mensais por três meses.

Vetos ao texto

O presidente Jair Bolsonaro vetou três itens do texto aprovado pelo Congresso Nacional. Segundo o Planalto, esses vetos foram orientados pelos ministérios da Economia e da Cidadania.

Com o veto, essas condições ficam excluídas do texto que entrará em vigor. Os vetos serão analisados pelo Congresso, que pode derrubar os trechos em definitivo ou restaurar a validade dessas regras.

Ampliação do BPC

O principal trecho vetado é o que garantia, na nova lei, a ampliação do Benefício de Prestação Continuada (BPC) definida pelo Congresso no início de março. Essa ampliação, segundo o governo federal, tem impacto de R$ 20 bilhões ao ano nas contas públicas.

A extensão do BPC foi definida quando o Congresso derrubou um veto de Bolsonaro ao tema. O ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União (TCU), chegou a adiar a mudança nas regras até a definição de medidas "compensatórias" para esse custo extra.

Dias depois, Dantas mudou de ideia e suspendeu todas as decisões por 15 dias. Segundo o ministro, a flexibilização das regras fiscais e de austeridade no contexto da pandemia do coronavírus poderia ser aproveitada, também, para garantir a inclusão de novos beneficiários no BPC.

Enquanto não há resposta definitiva, os parlamentares voltaram a incluir o tema na lei do auxílio emergencial. E, na análise final, Bolsonaro voltou a vetar o dispositivo. Segundo o governo, a medida fere a Constituição e a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Reavaliação dos critérios

O governo também vetou um dispositivo, aprovado pelo Congresso, que cancelava o auxílio emergencial do beneficiário que, ao longo dos três meses, deixasse de atender aos pré-requisitos.

Segundo o governo, esse ponto "contraria o interesse público" e gera um esforço desnecessário de conferência, mês a mês, de todos os benefícios que estarão sendo pagos. O Ministério da Cidadania defende que é preferível "concentrar esforços e custos operacionais" na construção de outras medidas de enfrentamento à Covid-19.

Restrição à conta bancária

O Palácio do Planalto também decidiu vetar uma regra que restringia o tipo de conta bancária onde o auxílio poderia ser depositado. Pelo texto aprovado, o benefício só poderia ser pago em "conta do tipo poupança social digital, de abertura automática em nome dos beneficiários", criada para receber recursos exclusivos de programas sociais, do PIS/Pasep e do FGTS.

Fila de prioridades

Em entrevista na segunda-feira (30), o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, informou que trabalhadores informais que recebem o Bolsa Família, e aqueles que estão no Cadastro Único, devem ser os primeiros a receber o auxílio.

No caso do Bolsa Família, o benefício não será acumulado. Se o pagamento de R$ 600 for mais vantajoso, haverá uma substituição automática e o trabalhador informal receberá apenas esse auxílio temporário. Ao fim desse período, se continuar atendendo aos critérios, ele volta a receber o Bolsa Família.

Trabalhadores informais que não constam em nenhum cadastro do governo devem ficar por último no cronograma de pagamento, que ainda não tem data para começar a ser feito.

Segundo Onyx, o pagamento deverá ser feito por meio de agências e aplicativos de bancos federais, como Caixa, Banco do Brasil, Banco da Amazônia e Banco do Nordeste, além de lotéricas e aplicativos desses bancos.

Requisitos

A lei sancionada estabelece uma série de requisitos para que o autônomo tenha direito ao auxílio, apelidado por alguns parlamentares de "coronavoucher".

Segundo o texto aprovado no Congresso, o trabalhador precisa ter mais de 18 anos, cumprir critérios de renda familiar e não pode receber benefícios previdenciários, seguro desemprego nem participar de programas de transferência de renda do governo federal, com exceção do Bolsa Família.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Shopping Aragão

02/04


2020

Recife retoma hoje vacinação contra a gripe

Por G1 PE

Após duas suspensões devido ao esgotamento de doses, a vacinação contra a gripe no Recife é retomada nesta quinta-feira (2). Segundo a secretaria municipal de Saúde, a capital recebeu 35 mil doses do Ministério da Saúde para continuar a imunização da primeira fase da campanha nacional, voltada para pessoas com idade acima de 60 anos e profissionais de saúde.

Com o quantitativo recebido, três pontos na cidade oferecem imunização no esquema drive-thru, em que não é necessário sair do veículo para receber a vacina. Os idosos podem se vacinar nos shoppings RioMar e Recife, na Zona Sul, e na Avenida Abdias de Carvalho, no número 1.932, em frente à Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), na Zona Oeste. A vacinação ocorre das 8h às 17h.

De acordo com a prefeitura, a vacinação não deve acontecer em outros postos volantes, como escolas, clubes e associações do Ministério da Saúde. A suspensão nesses locais ocorre até o recebimento de mais doses enviadas pelo governo federal. Quanto aos profissionais de saúde, a imunização ocorre nas unidades municipais, para separá-los do outro público-alvo dessa primeira fase.

A campanha de vacinação contra a gripe não previne contra a Covid-19, doença transmitida pelo novo coronavírus, mas sim contra três tipos do vírus influenza: A H1N1, A H3N2 e B.

Outras fases

Após a imunização do público na primeira etapa da campanha, outra fase tem início a partir do dia 16 de abril, quando devem se vacinar professores de escolas públicas e privadas, pessoas com doenças crônicas não-transmissíveis e profissionais das forças de segurança e salvamento.

A terceira etapa ocorre entre os dias 9 e 23 de maio. Nessa fase, a imunização é voltada para crianças dos 6 meses aos 5 anos, gestantes, puérperas (mulheres que deram à luz há até 45 dias), adolescentes e jovens dos 12 aos 21 anos em cumprimento de medida socioeducativa.

A terceira fase também é voltada para funcionários do sistema prisional, população privada de liberdade, pessoas com deficiência e adultos dos 55 aos 59 anos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/04


2020

Noronha: avião traz testes para diagnosticar Covid-19

Por Ana Clara Marinho, G1 PE

Um avião fretado pelo governo estadual levou para Fernando de Noronha, no início da noite da terça-feira (31), medicamentos e testes para diagnosticar o novo coronavírus. O arquipélago tem dois pacientes com a doença Covid-19, ambos funcionários da empresa que administra o aeroporto local.

“Nós enviamos 12 testes para investigação epidemiológica de núcleos familiares da ilha. Noronha só está recebendo um voo por semana, não era possível esperar porque o teste tem que ser processado em até 72 horas. É importante saber se os casos são positivos ou negativos para tomar as medidas”, disse o superintende de Saúde da Administração do Distrito, Fernando Magalhães.

A coleta de material foi realizada na terça-feira (31). A análise é feita no Laboratório Central do Estado (Lacen). O superintendente também informou que a ilha recebeu 40 novos testes.

Coronavírus em Noronha

Confirmado no dia 27 de março, o primeiro caso da Covid-19 no arquipélago foi de um homem de 48 anos. O segundo teve a confirmação divulgada na terça-feira (31) e é de um homem de 36 anos que está assintomático.

Os dois estão isolados no alojamento da empresa que administra o aeroporto. Outras 14 pessoas que também trabalham no local ou tiveram contato com esses infectados estão em isolamento.

Doações

A Superintendência de Desenvolvimento Social do Distrito cadastrou mais de 300 famílias para receber cestas básicas. A maioria da população local trabalha com o turismo, que está proibido no arquipélago desde o dia 21 de março.

Nesta quarta-feira (1º ), o setor social fez a entrega de 60 cestas básicas, viabilizadas pelo presidente do Conselho Distrital, Milton Luna, junto à iniciativa privada. Também foram entregues peixes doados. Os moradores mais carentes são priorizados.

“Famílias numerosas, com idosos e crianças, são priorizadas, pessoas que tenham maior necessidade neste cenário que vivemos. Queremos entregar as cestas para quem realmente está precisando”, contou a superintendente de Desenvolvimento Social, Cândida Jucá.

As pessoas que precisarem de ajuda devem fazer o cadastro através do número (81) 99488-3169, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h30 às 17h.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/04


2020

Empregador poderá reduzir salário e jornada em até 70%

Por G1

O governo anunciou ontem a medida provisória que permitirá a redução da jornada de trabalho com redução de salário. A MP faz parte das iniciativas para enfrentar a crise provocada pela pandemia de coronavírus. O custo previsto da medida é de R$ 51 bilhões.

Segundo o governo, o programa atenderá a 24,5 milhões de trabalhadores. Sem a medida, o governo projetava a demissão de 12 milhões de pessoas. Com a medida, essa projeção cai para 3,2 milhões de trabalhadores.

A redução poderá ser de 25%, 50% ou de 70% e vigorar por 90 dias, anunciou o secretário especial de Previdência do Ministério da Economia, Bruno Bianco. A medida também permitirá a suspensão total do contrato de trabalho por dois meses com o pagamento integral pelo governo do seguro-desemprego (leia detalhes mais abaixo).

A MP prevê que o emprego do trabalhador que tiver a jornada reduzida deve ser mantido por um período igual ao da redução.

Por exemplo: se o trabalhador e a empresa fizerem um acordo para redução de jornada e salário por dois meses, após esse período ele deve ter estabilidade no emprego por dois meses.

Compensação pelo governo

Quem tiver a jornada e o salário reduzidos receberá um auxílio do governo proporcional ao valor do seguro-desemprego.

Assim, quem tiver uma redução de 50% por parte da empresa vai receber uma parcela de 50% do que seria o seu seguro-desemprego caso fosse demitido.

Para quem recebe até três salários mínimos, esse pagamento quase compensa a redução de salário, segundo o secretário.

"Ele [o trabalhador] vai ter uma jornada menor, um salário menor, proporcional, e vai ter um pagamento pago pelo governo no mesmo percentual que ele tem reduzido em proporções do seguro-desemprego. Portanto, uma redução muito pequena, uma recomposição quase completa do salário do empregado, mesmo com uma redução na carga horária", disse.

Bianco explicou que apesar de o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda ser pago como se paga o seguro-desemprego, não haverá desconto caso o trabalhador seja demitido no futuro.

“Em uma eventual demissão o trabalhador recebe 100% do seu seguro-desemprego”, afirmou.

Bianco disse ainda que nenhum trabalhador vai receber menos de um salário mínimo.

Acordo individual

Para trabalhadores que recebem até três salários mínimos, o acordo para redução de jornada e salário pode ser feita por acordo individual.

“Isso porque nessa faixa salarial quase não haverá perda salarial porque há uma recomposição quase completa por parte do governo”, afirmou.

Para quem recebe entre três salários mínimos e dois tetos do INSS (R$ 12.202,12, valor de referência), a redução de jornada e salário terá que ser feita por acordo coletivo, já que nessa faixa a compensação da parcela do seguro-desemprego não compensa toda a redução salarial.

Acima de R$ 12.202,12, a lei trabalhista atual já autoriza acordo individual para redução de jornada e salário.

Bianco destacou que em todos os casos o acordo coletivo pode ser válido e pode inclusive se sobrepor ao acordo individual.

Forma de pagamento

Segundo Bruno Dalcolmo, secretário de Trabalho do Ministério da Economia, o trabalhador não vai precisar solicitar o benefício. Após acordo com o trabalhador, a empresa comunicará o governo, e o benefício será pago diretamente na conta dele.

“Os trabalhadores não precisarão fazer uma solicitação desse benefício. Recebida a comunicação por parte da empresa, nós processaremos o depósito na conta direta dos trabalhadores para que não haja obstáculos para a operacionalização”, afirmou Dalcolmo.

Empregado doméstico

As medidas, inclusive com a compensação do governo, também valem para empregados domésticos.

“O empregador doméstico também poderá fazer as reduções”, disse o secretário.

Suspensão do contrato de trabalho

O secretário anunciou ainda que, para algumas empresas específicas que estão praticamente paradas, o governo permitirá a suspensão do contrato de trabalho.

Nesse caso, os trabalhadores também receberão uma compensação do governo de até 100% do seguro-desemprego.

"Também estamos proporcionando para algumas categorias. Para alguns setores que foram obrigados e que estão faticamente parados, se permite a suspensão do contrato de trabalho com o pagamento completo das parcelas do seguro-desemprego", afirmou Bruno Bianco.

Para empresas com receita bruta de até R$ 4,8 milhões, o governo pagará 100% do valor do seguro-desemprego para esses trabalhadores, mesmo para os trabalhadores que não tenham direito a seguro desemprego.

Para empresas com faturamento de mais de R$ 4,8 milhões, a empresa será obrigada a pagar uma ajuda compensatória de 30% do salário do empregado e o governo entra com 70% do valor do seguro desemprego.

O prazo máximo para suspensão do contrato de trabalho é de 60 dias. O Ministério da Economia destacou ainda que no período de suspensão, o empregado não poderá permanecer trabalhando para o empregador, ainda que parcialmente, por meio de teletrabalho, trabalho remoto ou trabalho à distância.

Em caso de suspensão, o trabalhador ainda terá a garantia provisória no emprego durante o período de suspensão e após o restabelecimento da jornada por um período igual ao da suspensão do contrato.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/04


2020

Amaral deixa chefia da Polícia Civil; assume Nehemias Falcão

Por G1 - PE

A Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) anunciou uma mudança de comando. O chefe da corporação, Joselito Amaral, pediu para deixar o posto por questões pessoais. O cargo é assumido pelo delegado Nehemias Falcão (foto), que ocupava a subchefia da PCPE desde novembro de 2017. Devido à pandemia do novo coronavírus e aos decretos de isolamento social, não há solenidade para a transmissão do cargo.

A previsão é de que a mudança seja publicada na edição desta quinta-feira (2) do Diário Oficial do Estado. Por meio de nota, o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Antônio de Pádua, agradeceu o trabalho realizado por Amaral no cargo.

De acordo com a Secretaria de Defesa Social, Nehemias Falcão atua na Polícia Civil desde 1998 e, em 22 anos, trabalhou como delegado na Zona da Mata e no Agreste de Pernambuco. Também coordenou a força-tarefa do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa e foi gestor do Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente, além de diretor integrado do interior.

Também por nota, Falcão agradeceu a promoção e afirmou que uma das prioridades da Polícia Civil é somar forças no combate à pandemia provocada pela doença Covid-19.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha