FMO janeiro 2020

29/09


2007

Lula penalizado com "franciscanos" vai atendê-los

 O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse nesta sexta-feira, 28, que já está acertado com o Palácio do Planalto que os senadores peemedebistas terão mais atenção do governo em relação a suas reivindicações.O senador Wellington Salgado (PMDB-MG) chamou de ''franciscanos'' o grupo formado por 12 senadores que na quarta-feira  votaram contra a medida provisória da Secretaria Especial de Projetos de Longo Prazo, prometida a Mangabeira Unger, que já exercia suas funções como ministro. Ao todo, a bancada do PMDB tem 19 senadores.

Salgado reclamou que apenas os ''cardeais'' do partido são ouvidos pelo Palácio do Planalto, numa referência aos senadores Romero Jucá (RR), Roseana Sarney (MA), líder do governo no Congresso, Renan Calheiros (AL), presidente do Senado, e José Sarney (AP). De acordo com Salgado, o grupo quer mais ''atenção'' do governo. ''Os franciscanos não querem um sapato de couro alemão, querem só um chinelinho novo.''(Informações do portal Estadão)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima

29/09


2007

Após um ano do acidente da Gol Lula mantém silêncio

 O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou, ontem, da inauguração da nova pista do Aeroporto Internacional de Cabo Frio sem fazer menção ao caos aéreo ou ao fato de o acidente com o Boeing da Gol, que matou 154 pessoas, estar completando um ano hoje.

Em relação a crises, Lula se limitou a falar sobre o mercado imobiliário americano — destacando que o Brasil passou incólume pelo abalo dos mercados financeiros no mês passado. “E com a Bovespa batendo recordes todos os dias”, declarou o presidente. “Se os empresários brasileiros tivessem 50% da confiança que os investidores estrangeiros têm no nosso país, teríamos um crescimento econômico em 10 anos que não se viu nos últimos 50”, afirmou.(Informações de O DIA)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/09


2007

Políticos iniciam revoada procurando novos partidos

 O vôo dos políticos migratórios atingiu velocidade de cruzeiro em busca de novos ninhos partidários e o movimento de mudança só será contido se o Supremo Tribunal Federal decidir na quarta-feira que o mandato é do partido e não do parlamentar.

O prazo para novas filiações acaba em 5 de outubro, última chance para aqueles que buscam acolhida em outras legendas.

As negociações nos Estados e no Congresso estão a todo vapor, mas apesar das agressivas campanhas para atrair novos correligionários, partidos ainda não soltaram completamente o freio das futuras adesões de olho no STF.

A mais alta corte brasileira pode decretar a perda de mandato do parlamentar que mudou de sigla desde a última eleição.

Dificuldades locais ajudam a provocar uma enxurrada de divórcios partidários, mas não são a única razão. A oposição, segundo cálculos feitos pelas bancadas na Câmara e no Senado, tende a perder mais soldados que o governo.

- A opção de mudar de partido é conveniência pessoal. Essa análise tem que considerar as contingências regionais. Ser próximo ou distante do governo é conveniência e iniciativa pessoal - disse à Reuters o líder do governo na Câmara, José Múcio Monteiro.

- O deputado ou o senador quer ser candidato, mas o partido não quer deixar. Aí ele muda. Isso desequilibra as forças no Congresso. Se o Democratas (ex-PFL), por exemplo, perder três ou quatro senadores, fica mais fraco. O governo, por outro lado, mais forte - analisou o cientista político David Fleisher.

- Situações locais influem nas mudanças, mas, em geral, escondem outras motivações - afirmou o senador Sérgio Guerra (PSDB-PE). - O governo precisa aprovar a CPMF, mas está mal no Senado. Por isso, procura nomes na oposição para ficar menos dependente do PMDB - acrescentou.

Nos lugares onde o jogo político é mais complicado, o troca-troca é mais intenso. A morte de Antônio Carlos Magalhães, por exemplo, desintegrou parte de sua base no Democratas da Bahia. Por esse motivo, o senador Cesar Borges (DEM), tradicional carlista, decidiu ir para o governista PR. Ele muda de lado para ter uma chance na corrida municipal.

Diversos parlamentares do DEM ameaçaram deixar o partido. No senado, o número é expressivo: pelo menos outros seis senadores já ventilaram a possibilidade de buscar diferentes alternativas partidárias.

Os senadores Romeu Tuma (SP), Edison Lobão (MA), Demóstenes Torres (GO), Jayme Campos (MT) e Jonas Pinheiro (MT) cogitaram abandonar a sigla.

 - O governo não participa dessas mudanças partidárias. Se isso fosse regra, nós não teríamos deputados e senadores da base indo para outros partidos da base - defendeu José Múcio.

No PSDB, o senador Flexa Ribeiro (PA), suplente, alega não ter espaço no partido. Seu futuro, no entanto, ainda é incerto.

A senadora Patrícia Saboya (CE), que sempre seguiu os passos do ex-marido, o deputado Ciro Gomes (PSB-CE), desistiu da legenda socialista. Ela se filiou ao PDT 

- Eu não tinha outra alternativa. Estava muito difícil permanecer sem a chance de uma legenda para concorrer à prefeitura. Se ficasse, seria constrangedor para mim e para o governador. No PDT, não saio da minha esfera ideológica'', disse ela à Reuters.

Na Câmara, o cenário segue a mesma lógica histórica. Muitos deputados da oposição estão migrando para a base do governo. Mas partidos governistas também vêm perdendo alguns de seus soldados.

A vereadora Soninha, que iniciou sua carreira no PT, resolveu se filiar ao PPS. O senador Flavio Arns (PT-PR) também promete abandonar o barco petista, mas não deve sair da base aliada.

Os novos movimentos aguardam a deliberação do STF. Três dos 11 ministros da Suprema Corte também integram o Tribunal Superior Eleitoral, que decidiu que os mandatos pertencem aos partidos. (Informações do JB Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

29/09


2007

Senadores insistem: carinho de Lula e chinelinho novo

 O senador Wellington Salgado (PMDB-MG) resumiu ontem o motivo da insatisfação dos senadores do PMDB com o governo. Segundo ele, o grupo é formado por ''franciscanos'' que estão descontentes com os ''cardeais'' do partido e querem do governo apenas ''um chinelo novo'' para se sentirem ''prestigiados'' em seus Estados.

Para atender ao grupo, afirmou Salgado, não é preciso muito. ''Não é um sapato de cromo alemão que os franciscanos querem, mas um chinelinho novo. Pode ser até usado, o que ninguém agüenta mais é machucar o pé'', afirmou.

''Chinelinho novo'', segundo os próprios peemedebistas, significa cargos no segundo, terceiro e quarto escalões: ''Tem senadores que estão sem prestígio no seu Estado e isso não pode acontecer. Se vai ter [do governo] um terço novo, um chinelinho, uma roupinha de franciscano nova não sei, mas o clima é de insatisfação''.

Salgado pertence ao grupo de 12 senadores que na última quarta, para chamar a atenção do governo, derrubou a medida provisória que criava 626 cargos mais a Secretaria de Planejamento de Longo Prazo, de Mangabeira Unger, do PRB.(Informações da Folha de S.Paulo) 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

roberto lima

O senador da foto é a imagem mais real que se pode fazer dos senadores. Melhor impossivel. Em tudo , ele representa seus pares, com rarissimas excessões (meia dúzia)



29/09


2007

PMDB quer mais do governo: o ministério de volta

 A direção do PMDB informou ao presidente Lula que o governo tem de devolver o mais rápido possível o comando do Ministério de Minas e Energia ao partido.
Caso contrário, os senadores peemedebistas podem continuar criando dificuldades para o Planalto, como ocorreu com a derrubada da Secretaria de Planejamento de Longo Prazo na Casa.
Segundo a Folha apurou, oficialmente o governo diz que não vai aceitar pressões, mas já planeja devolver o ministério para o PMDB antes do início da votação da CPMF no Senado, prevista para o meio de outubro.
Lula recebeu a informação de que a bancada do PMDB na Câmara já teve quase todos seus pedidos de cargos atendidos e por isso votou unida pela prorrogação da CPMF. Já no Senado, a bancada do partido depende dos cargos de Minas e Energia, além de outras demandas.(Informações da Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

29/09


2007

Ministério confirma trabalho escravo em fazenda no PA

 O relatório de fiscalização e combate ao trabalho escravo do Ministério do Trabalho sobre a Fazenda Pagrisa, no Pará, sustenta que funcionários não recebiam salários, em determinados meses, por terem dívidas feitas com a compra de remédios e alimentos na propriedade, conviviam com falta de segurança e higiene e a condição dos alojamentos era precária.
O documento, com 18 volumes e 5.000 páginas, descreve a situação encontrada pelos fiscais que visitaram a fazenda entre 28 de junho e 8 de julho. Nesse período, 1.064 trabalhadores foram ''resgatados'' de condições análogas à escravidão, segundo os fiscais.
A fiscalização na Pagrisa abriu crise entre o Senado e o ministério e levou à suspensão das ações do grupo móvel responsável por fiscalizar condições de trabalho em todo o país.(Informações da Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

29/09


2007

Paulista: uma encenação mal disfarçada

 Não foi à toa que o prefeito de Paulista, Yves Ribeiro (sem partido), decidiu mudar, ontem, de última hora, o endereço da coletiva na qual anunciaria a sua decisão pela candidatura à reeleição nas eleições municipais de 2008 - conforme antecipou a Folha de Pernambuco. O evento, antes marcado para acontecer no gabinete da Prefeitura, acabou sendo transferido para o Teatro Paulo Freire, onde o que se viu foi uma encenação do denominado movimento “Fica Yves”. Com uma hora de atraso, nem mesmo os populares, lideranças e empresários que teriam encabeçado a articulação para que Yves oficializasse sua candidatura à reeleição estavam presentes ao local. E, quando chegaram, foi em massa, de uma caminhada que partiu da sede do Executivo municipal.

Cerca de 200 populares ocuparam as cadeiras do teatro vestidos com camisas vermelhas com os dizeres: “Yves Fica!”. Não demorou muito e todos foram instruídos a ocupar à rua em frente ao local. Em pouco menos de dez minutos, o que seria uma entrevista coletiva se tornou um verdadeiro comício, com direito a carro-de-som e trio elétrico. A máquina pública também foi escalada para reforçar o evento. Apesar de proibido por lei misturar atividades administrativas com político-eleitorais, duas kombis oficiais da Prefeitura foram utilizadas para distribuir lanches para o povo: uma com refrigerantes e outra com pão francês e queijo. “Essa é a festa da democracia!”, dizia o locutor do carro-de-som, garantindo que o prefeito - nesta ocasião já com duas horas de atraso - estava perto de chegar. Depois de toda a espera, o prefeito não se prolongou em mais de meia hora para comunicar a decisão.

(Folha de Pernambuco)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

29/09


2007

Ferro quer presidir o PT porque "Dilson está cansado"

 O deputado federal Fernando Ferro (PT) revelou, ontem, o interesse de disputar o comando do partido em Pernambuco. Para ele, o atual presidente Dilson Peixoto estaria deixando a desejar no exercício da função. “Dilson está com a preocupação de manter o mandato de vereador (do qual é licenciado). Às vezes cansa (presidir o partido). Parece que falta motivação. Nas últimas reuniões da Executiva, não teve quórum. Parece que o movimento ‘Cansei’ chegou aqui”, ironizou, em alusão ao grupo da classe média de São Paulo ligado ao PSDB.

De acordo com Ferro, a presença do PT no Governo do Estado, apenas com a secretaria das Cidades, sob a batuta de Humberto Costa, é reflexo da falta de poder de barganha. “O PT ficou sub-representado. Só tem uma secretaria. O PT subestimou-se. Aliados nossos estão invadindo áreas do PT, tomando cargos”, alertou, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7.

(Folha de Pernambuco)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Shopping Aragão

28/09


2007

Juíza envolvida com tráfico tem sigilo quebrado

 A Justiça baiana autorizou hoje a quebra de sigilos bancário, telefônico, fiscal e telemático (e-mail) da juíza Olga Regina Santiago Guimarães, solicitada pelo procurador de Justiça Edivaldo Rotondano no último dia 18. O despacho assinado pelo desembargador Antônio Roberto Gonçalves foi publicado no Diário do Poder Judiciário desta sexta-feira e a providência adotada visa auxiliar a apuração de fatos dando conta do envolvimento da juíza com o narcotraficante colombiano Gustavo Bautista, preso pela Polícia Federal.

 

Tão logo as notícias sobre as ligações da juíza com Bautista começaram a ocupar lugar de destaque na mídia e o Tribunal de Justiça iniciou a apuração dos fatos e enviou uma notificação do Ministério Público, o procurador-geral de Justiça, Lidivaldo Britto, designou Rotondano para acompanhar o caso.

 

Além da quebra dos sigilos da juíza, o representante do MP tem se reunido com o desembargador-relator Antônio Roberto, examinado documentos e mantido contatos com órgãos como a Polícia Federal a fim de obter depoimentos de pessoas que possam fornecer mais informações sobre a notícia crime.

(Agência Nordeste)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


28/09


2007

Cadoca: ''''Nota de Jarbas confirma o prato feito''''

 O deputado Carlos Eduardo Cadoca enviou nota ao blog contestando as declarações do senador Jarbas Vasconcelos a respeito da sua saída do PMDB, dando a entender que, da maneira como o senador colocou, fica confirmado que seu nome já estava descartado para sair candidato do partito a prefeito do Recife. Eis a nota na íntegra:

 

Jarbas confirmou, através de nota, o que todo mundo sabia, inclusive eu, mas que não havia sido dito explicitamente até então: o candidato do PMDB já estava escolhido. Se a decisão estava tomada por que não foi dito? Jarbas optou pelo silêncio. Só tenho a lamentar.


Os argumentos

A minha opção em seguir a linha política do PMDB nacional foi feita às claras. Sem subterfúgios, quando optei por apoiar Michel Temer à presidência do Partido. Jarbas e Renan Calheiros apoiavam Nelson Jobim, que declinou de concorrer à presidência por reconhecer que a candidatura não era viável, mas hoje é ministro de Lula.  E ministro forte. Coisas da política.

Minha relação com o PMDB nacional foi construída com transparência. É uma característica minha. Se acompanhar o PMDB nacional era impedimento para que eu fizesse uma postulação legítima dentro do partido, então que tivesse sido dito. Por que esperar para 2008 para colocar tais argumentos?

Como já disse várias vezes, apresentei em abril ao Partido minhas pretensões de sair candidato à Prefeitura do Recife pelo PMDB. Queria saber também, na ocasião, quais seriam os mecanismos que o partido adotaria para que a escolha fosse feita.  Não obtive resposta.

Só depois de ter deixado o Partido, essa semana, é que se revela o fato consumado. O prato já estava feito há muito tempo.

Contramão

O senador disse que teria dificuldades de caminhar ao meu lado na campanha porque é oposição nos três níveis de Governo - Federal, Estadual e Municipal. Não é bem assim. Nunca houve oposição de Jarbas à Prefeitura. Muito pelo contrário. A parceria administrativa com João Paulo avançou para uma parceria política. A afinidade era tanta em 2004 que inúmeras vezes fui questionado se era eu o candidato de Jarbas ou se era João Paulo.

A carta
 
Decidi enviar uma carta ao senador comunicando minha saída do PMDB por ter a consciência de que o silêncio imposto era o sinal de que, efetivamente, não havia interesse do Partido na minha permanência na agremiação. Jarbas, de fato, me pediu para ficar no partido através da imprensa, mas, até então, eu não havia resolvido deixar o Partido. Aguardava uma decisão. Também através da imprensa Jarbas disse que o assunto sucessão só seria tratado em 2008 e não havia quem o fizesse mudar de opinião. Disse tudo.''


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Airton Correia da Silva

Cadoca esquece as sacanagens que o PT de Recife fêz com ele na eleição que João Paulo ganhou. Esquece o caso de Socorro da palafita, onde o PT a contratou para falar mal dele. Cadê a coerência Cadoca?

Airton Correia da Silva

Concordo com Milton Tenório, Cadoca deve muito a Jarbas e ao PMDB. Afinal durante os oito anos de Jarbas como Prefeito e Governador e mais quatro de Roberto Magalhães como Prefeito, Cadoca teve cargo garantido. O Recifefolia e seus patrocinadores que o digam.

Airton Correia da Silva

Estou com Jarbas Vasconcelos e não abro. Ficarei com o candidato que Jarbas indicar porque não voto em político que apoia Lula e recebe cargos em troca do apoio. Isso o Senador com certeza, não faz e jamais fará. Voto com coerência, portanto eu e minha família não votaremos mais em Cadoca.

Pedro de Lara

Já devia ter rompido em 2004, quando o então Governador tinha mais afinidade com o Prefeito do que o candidato dele, no caso Cadoca! Ninguem apoio firme Cadoca. agora o troco virá, não tenho dúvida que Cadoca, trabalhando com a própria equipe, o próprio marqueteiro, saira vitorioso dessa batalha!

Pedro de Lara

Por acaso o Senador Jarbas subiu na vida sozinho? Cadoca, vá em frente! A vida é de altos e baixos. Você é uma pessoa correta, honesta e determinado! RECIFE É 20, RECIFE É CADOCA!



28/09


2007

Ministros se desentendem no Plenário do Supremo

 Depois de declarar a inconstitucionalidade de uma lei mineira que tem 17 anos, na tarde de quarta-feira (26/9), o Supremo Tribunal Federal voltou a discutir a mesma ação para, agora, modular os efeitos do julgamento. A questão gerou discussão exaltada no Plenário entre o relator da ADI, ministro Joaquim Barbosa, e o autor da questão de ordem, ministro Gilmar Mendes. Joaquim reclamou que não foi consultado sobre a questão de ordem e afirmou que não concorda com a proposta uma vez que, no seu entendimento, o julgamento estaria encerrado.

E estava mesmo. Quanto à inconstitucionalidade da lei. Mas não quanto à sua aplicação. Como muitos servidores já se aposentaram ou foram deslocados, a simples declaração de inconstitucionalidade da lei pode gerar uma série de novos conflitos. Em casos como esse, o STF tem mitigado suas decisões — como no caso da extinção de vagas de vereadores em milhares de municípios. A inconstitucionalidade foi estabelecida a partir das eleições seguintes.

Para Joaquim Barbosa, contudo, a questão de ordem seria um atalho para se obter um resultado inverso do que foi obtido antes. “Ministro Gilmar, me perdoe a palavra, mas isso é jeitinho. Nós temos que acabar com isso”, disse Joaquim Barbosa. Gilmar retrucou: “Eu não vou responder a vossa excelência. Vossa excelência não pode pensar que pode dar lição de moral aqui”. O ministro Marco Aurélio concordou com o relator. A discussão foi interrompida com um pedido de vista do ministro Ricardo Lewandowski. Do Consultor Jurídico.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

roberto lima

UM supremo que se tornou ínfimo na era fhc/lula.

roberto lima

Se um não pode dar lição de moral ao outro conclui-se que um sabe de "fatos não morais " do outro. Que fatos são esses???



28/09


2007

Lula critica falta de confiança de empresários no país

 O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou nesta sexta-feira a falta de confiança da população em relação ao Brasil, sobretudo do empresariado.

“O dia em que nós, brasileiros, sobretudo nossos empresários, tiverem 50% da confiança que estão tendo os investidores estrangeiros no Brasil, esse país vai dar um salto de qualidade em 10 anos que ele não deu em 50 anos”, disse, ao inaugurar pista de pouso no Aeroporto Internacional de Cabo Frio (RJ).

Sobre a crise no mercado imobiliário dos Estados Unidos, Lula voltou a afirmar que o problema dos norte-americanos não afeta a economia brasileira. “Nós temos US$ 162 bilhões de reservas. Portanto, os americanos que cuidem da sua crise e deixem o Brasil progredir, porque merecemos e construímos isso”. Do Diário do Grande ABC.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Qui é isso cumpanhêro o país não está uma maravilha , o ixpetáculo do crecimento chegou ,a econumia vai de vento em poupa nunca nexxxxxxte paissssssss!

magno bravo dantas

Caro Sergio: Nunca houve na história desse país um presidente tão falastrão. Companheiro e companheiras, enterrem seu dinheiro no amontoado de impostos que esse governo cobra e sustente os aloprados com nababescos salários de R$10.000,00.

Sérgio J. Cadena Bandeira de Melo

OS EMPRESÁRIOS E OS SRS. PROFESSORES , MESTRADOS E DRS. EM ECOMOMIA CASO TENHAM DUVIDAS !! PROCURI O EXPER EM FINANÇAS O lulla O VIAJANTE. A CRISE ECONÔMICA DO USA NÃO AFETA O BRASIL. PALAVRA DE QUEM EINTENDE; PALAVRA DO PRESIDENTE lulla.



28/09


2007

Lula critica FHC e acusa PSDB de chantagem

 Em entrevista ao recém lançado Record News, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria acusado o PSDB de fazer chantagem no caso da CPMF e criticou o ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso. As informações são da Folha de S.Paulo.

Conforme registro do jornal, Lula afirmou que FHC "não soube se comportar como ex-presidente, deu palpite o tempo inteiro e não se conformou" que ele (Lula) tenha feito o que Fernando Henrique não conseguiu. "FHC deveria estar feliz. Se tem um homem que deveria estar feliz, era ele, porque consegui fazer o Brasil que ele aspirou e não conseguiu", disse.

Para Lula a pressão do PSDB, que hoje é oposição, contra a aprovação da continuidade da CPMF seria chantagem. Na época na base do governo FHC, o PSDB foi favorável ao imposto do cheque. Do Portal Terra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


28/09


2007

Lula: "Meu avião só pousa em aeroporto seguro"

 O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse na tarde desta sexta-feira, durante a inauguração da nova pista do Aeroporto Internacional de Cabo Frio, no Rio de Janeiro, que "o pessoal que cuida do meu avião só pousa em aeroporto seguro". Mais cedo, Lula aterrissou no novo aeroporto com a aeronave presidencial.

Lula destacou o sucesso da economia brasileira, que não foi abalada, segundo ele, pela recente crise americana. O presidente disse que as decisões econômicas tomadas a partir de 2003, que ele classificou como "muro de proteção", foram fundamentais para o atual sucesso. "Os americanos que cuidem de sua crise e deixem o Brasil crescer", afirmou Lula. Do Portal Terra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio pinto junior

É muita prepotência, meu avião . Avião da União.

magno bravo dantas

A mais nova empresa aérea do Brasil: a LULAIR.

magno bravo dantas

Será que até o avião da presidencia já tem dono?? Quem tá precisando pousar é o cefalópode.

Paulo Kigrer

Meu avião, é foda ou não é? Uma pústula desta dizer ser seu um bem da nação..."meu avião". Teu avião é Mariza... e olha que não passa de um teco-teco...



28/09


2007

Lula diz que foi xingado por não gastar

O presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira, na inauguração do aeroporto de Cabo Frio (RJ), que foi "xingado" por não gastar em 2003, no início de seu primeiro mandato, mas que a economia brasileira agora pôde enfrentar a crise do mercado imobiliário deflagrada nos Estados Unidos sem pedir ajuda ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

Citando a fábula da "Cigarra e a Formiga", Lula comparou o País com a formiga. "Em 2003 eu fui xingado, porque me pediam para gastar. Mas eu aprendi com a fábula da cigarra e da formiga. Enquanto a cigarra cantava, a formiguinha trabalhava e quando chegou o inverno a formiga tinha comida para ela e sua família", afirmou o presidente.

Lula disse que durante a crise imobiliária nos EUA, que afetou vários mercados, o Brasil não precisou pedir socorro ao FMI. "Os americanos que cuidem de sua crise e deixem o Brasil progredir, porque nós precisamos e construímos isso", concluiu o presidente. Do Portal Terra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Cátia Santos

Ele (LULA), alega que foi xingado por não GASTAR MUITO" fico , imaginando o que seria se ele gastasse mais, será que pederiam o Impeachment dele? COM A PALAVRA, LUIS INÁCIO LULA DA SILVA, o nosso PRESIDENTE DA REPÚBLICA (que se diz MÃO DE VACA...ahahahahahahaha)

magno bravo dantas

Estamos submetidos a um presidente que governa o país baseado na fábula da cigarra e da formiga. Eu tô com a impressão que mais um pouco ele(Lula) vai virar o lobo mau. E pior, todos nós seremos a vovó. Cefalópode Infantil é pior que crustáceo estragado, vai terminar matando todo mundo de infecção.

Paulo Kigrer

Quem precisa de um cretino deste... o Brasil não merece uma porra desta tentando dar sinais de vergonha... é certo que o elegeram, mas daí se acreditar um Messias vai muito a distância...