FMO janeiro 2020

30/03


2020

TV Alepe oferece aulas produzidas pela Fundação Roberto Marinho

A TV Alepe (canal 28.2), que transmite parte da grade de programação do Canal Futura para Pernambuco, está veiculando, a partir desta terça-feira (31/03), aulas do ensino fundamental e médio produzidas pela Fundação Roberto Marinho. Os alunos interessados também podem frequentar salas de aula online, com a orientação de professores, oferecidas gratuitamente pelo projeto Classes Abertas, da Fundação. O conteúdo vai ao ar de segunda a sexta-feira em três horários (às 8h, às 13h e às 18h15).

As aulas de reforço escolar do Classes Abertas seguem também na internet a mesma grade da nova faixa especial de programação do Canal Futura (TV Alepe). De acordo com a Fundação, a faixa Estude em Casa oferece um conjunto de conteúdos educativos para ajudar estudantes que tiveram sua rotina escolar alterada devido à Covid-19. Entre os conteúdos exibidos estão tele aulas de matérias do ensino fundamental e médio, além de diversos programas educativos do canal, como Turma da Robótica, Ciência para Todos e Show da História.

"Se chama Classe Aberta porque é para todos, sem restrição", diz João Alegria, gerente geral do Laboratório de Educação da Fundação. "Basta se inscrever (no site telecurso.org.br), e o aluno passa a fazer parte de uma turma, que tem o acompanhamento de um professor. Esse professor vai ajudando a turma a se alimentar de conteúdo, atividades, outras possibilidades de links que têm a ver com o que os alunos viram na televisão", explica.

Para o chefe do Departamento de TV da Alepe, Pedro Paulo, a transmissão das aulas para os estudantes pernambucanos se constitui numa bela iniciativa para quem quer estudar em casa nesta época de prevenção ao coronavírus e vem de encontro às determinações do presidente da Alepe, deputado Eriberto Medeiros (PP), de chegar cada vez mais perto da população pernambucana, principalmente em um momento difícil como este.

“A TV Alepe, que pertence à Assembleia Legislativa de Pernambuco, marca um gol de placa com essa ação, pois levará oportunidade de educação até à casa dos estudantes que não podem frequentar a escola por enquanto. Podemos assegurar que todo o conteúdo é de excelente qualidade, com a assinatura da Fundação Roberto Marinho”, garante Pedro Paulo.

As aulas online foram preparadas pelos professores da Escola da Fundação Roberto Marinho. Nesta primeira semana, as aulas temáticas - referentes a português, história, matemática e sociologia - incluem tópicos como “Renascimento, Grandes Navegações e Invasão das Américas”, “Raça, etnia, gênero, sexualidade e diversidade”, variação linguística e divisão matemática, entre outros.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima

30/03


2020

Facebook e Instagram removem vídeo de Jair Bolsonaro

Por G1

O Facebook e o Instagram removeram nesta segunda-feira (30) um vídeo publicado pelo presidente Jair Bolsonaro no domingo, em que ele provocou aglomerações durante um passeio em Brasília e voltou a se posicionar contra o isolamento social, defendido por autoridades de saúde do mundo inteiro como medida eficaz para conter o coronavírus.

De acordo com um porta-voz do Facebook, a plataforma remove "conteúdo no Facebook e Instagram que viole nossos Padrões da Comunidade, que não permitem desinformação que possa causar danos reais às pessoas".

O G1 procurou a assessoria de comunicação da Presidência da República, que informou que não comentaria o caso.

A remoção das redes sociais seguiu atitude do Twitter, que, ainda no domingo, também excluiu dois vídeos do presidente, publicados na mesma situação do passeio por Brasília. Facebook e Instagram mantiveram, porém, o vídeo em que o presidente está em um supermercado.

Em comunicado, o Twitter disse que "anunciou recentemente em todo o mundo a expansão de suas regras para abranger conteúdos que forem eventualmente contra informações de saúde pública orientadas por fontes oficiais e possam colocar as pessoas em maior risco de transmitir COVID-19. O detalhamento da ampliação da nossa abordagem está disponível neste post em nosso blog."

Conteúdos contrariam autoridades de saúde do mundo
As redes sociais não deixaram claro quais pontos específicos das imagens ou das declarações dos dois posts levaram à exclusão. Além das publicações apagadas, há outras do passeio de Bolsonaro em Brasília e de declarações deste domingo sobre o coronavírus que continuam no ar.

No vídeo que foi apagado nas três redes sociais, Bolsonaro conversa com um ambulante, defende que as pessoas continuem trabalhando, e diz para "quem tem mais de 65 ficar em casa". Ele acena positivamente quando uma das pessoas na aglomeração diz que "tem que abrir os comércios e trabalhar normalmente".

No segundo vídeo, removido apenas do Twitter, ele entra em um supermercado, volta a provocar aglomerações, critica as medidas de isolamento e diz para jornalistas que "o país fica imune quando 60%, 70% foram infectados" e que um remédio contra o coronavírus "já é uma realidade", sem apresentar comprovação.

Apesar de haver pesquisas iniciais, não há remédio com atuação comprovada contra o coronavírus e ninguém sabe quando teremos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


30/03


2020

Prefeito de São Lourenço dá 50% do salário para saúde

Como nova medida para economizar gastos, devido à estagnação dos setores econômicos e concentrar a receita da cidade na área da saúde, durante a situação de emergência devido à pandemia do coronavírus, o prefeito de São Lourenço da Mata Bruno Pereira reduziu seu próprio salário em R$ 50% e o do secretariado municipal em 25%; além de cortar novas nomeações, gratificações e auxílio alimentação dos funcionários do Executivo Municipal, com exceção, aos funcionários que atuam na linha de frente contra a covid-19.

De acordo com Bruno, as novas medidas constam no novo Decreto Municipal Nº 115/2020, assinado na manhã desta segunda-feira (30). “Consideramos questões como a calamidade declarada pelo governo do estado na área da saúde e a estagnação dos setores econômicos como o ICMS, do qual o município dispõe de sua cota-parte, e o FPM, maior receita da cidade, que sofrerá consequências diretas com os efeitos da crise na economia”, explicou o prefeito.

O chefe do Executivo exemplificou como serão utilizados os recursos, que serão concentrados para área da saúde. “Os valores finais serão aplicados no combate ao coronavírus, como adaptações de salas especiais no hospital municipal, medicamentos e novos equipamentos, como por exemplo, os de Proteção Individual (EPI’s), para auxiliar o trabalho de nossos funcionários da saúde. Com as medidas pretendemos intensificar o combate à covid-19 e garantir mais assistência médica aos infectados na cidade, que até o momento apresenta apenas um caso confirmado”, disse Bruno. 

Ainda segundo o chefe do Executivo, as novas medidas começarão a ter validade já para o mês de abril. “Inicialmente colocamos sua validade para um mês, mas poderemos prorrogar, caso a crise se agrave. Outra área que concentraremos os recursos será a Assistência Social, devido ao número de pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade social e de risco nutricional”, frisou o prefeito, que ainda ressaltou. “A folha salarial do mês de abril já foi antecipada para os aposentados e pensionistas, que na sua maioria são idosos, e estão no grupo de risco do vírus; e os profissionais contratados e efeitos da saúde, que receberam na última sexta-feira (27)”, finalizou Bruno


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

30/03


2020

Marília e Randolfe cobram sanção da Renda Mínima

A Renda Mínima para o trabalhador informal precisa ser sancionada imediatamente pelo Presidente Jair Bolsonaro. Foi essa a maior exigência feita pela deputada federal Marília Arraes (PT) e pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) em live transmitida na noite desta segunda-feira (30) sobre a importância do auxílio financeiro aos trabalhadores e trabalhadoras atingidos pelos efeitos econômicos do Covid-19. 

Centenas de internautas aproveitaram a transmissão para tirar dúvidas sobre o tema e saber quem tem direito a receber a renda mínima. A frase mais usada nas interações foi #PagaLogoBolsonaro. “Essa é uma vitória do povo. Agora é esperar que o presidente tenha o mínimo de sensatez e sancione o projeto com a maior urgência possível”, destacou Marília. 

Já Randolfe Rodigues elogiou a live por manter as pessoas devidamente informadas sobre seus direitos e conquistas. “Debates como este proposto por Marília são importantes para esclarecer todos os questionamentos que a população ainda tem. Foi muito legal participar desse momento e tirar as dúvidas das pessoas”, ressaltou. 

O projeto aprovado pelo Senado garante um auxílio financeiro de R$ 600 até R$ 1.200. No início da manhã, Marília Arraes havia enviado ofício digital a todos os 81 senadores reforçando a importância da aprovação da Renda Mínima. No texto, lembrou que o tema analisado teve como base a proposta de Renda Cidadã Emergencial do PT e que ela própria tinha protocolado o PL 974-2020 na Câmara dos Deputados, pedindo o pagamento do Salário Mínimo Emergencial (MEI) aos trabalhadores.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


30/03


2020

FBC reforça defesa do isolamento social

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) divulgou, hoje, manifesto em defesa do isolamento social como  medida mais eficaz para minimizar os efeitos da pandemia do coronavírus. Segundo o documento, assinado por diversos líderes partidários no Senado, somente o isolamento social será capaz de promover o “achatamento da curva” de transmissão da Covid-19 no Brasil.

“A experiência dos países que estão em estágios mais avançados de disseminação da doença deixa claro que, diante da inexistência de vacina ou de tratamento médico plenamente comprovado, a medida mais eficaz de minimização dos efeitos da pandemia é o isolamento social", afirmou.

Segundo ele, somente o isolamento social, mantidas as atividades essenciais, poderá promover o ‘achatamento da curva’ de contágio, possibilitando que a estrutura de saúde possa atender ao maior número possível de enfermos, salvando assim milhões de vidas, conforme apontam os estudos sobre o tema.”

No documento, os líderes lembram que “ao Estado cabe apoiar as pessoas vulneráveis, os empreendedores e segmentos sociais que serão atingidos economicamente pelos efeitos do isolamento”.

Por fim, reiteram o apoio ao isolamento social. “O Senado Federal, através da maioria expressiva dos seus líderes, se manifesta de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde e apoia o isolamento social no Brasil, ao mesmo tempo em que pede ao povo que cumpra as medidas ficando em casa.”


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

30/03


2020

Deputados destinam R$ 62,7 milhões para ações contra covid-19

Por G1 - PE

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) divulgou, nesta segunda-feira (30), que os deputados repassaram um total de R$ 62,7 milhões para as áreas de saúde e assistência social, em meio à pandemia do novo coronavírus. De acordo com a Comissão de Finanças, Orçamento e Tributação, esse valor equivale a 67,7% do total de emendas parlamentares, que totalizaram R$ 92,5 milhões 

Ainda de acordo com a Alepe, o valor de emendas remanejadas para a saúde e assistência social chegou a R$ 56,6 milhões.

O Legislativo informou que todos os 49 deputados estaduais fizeram o remanejamento e repassaram recursos para essas áreas, com o “objetivo específico para o enfrentamento ao novo coronavírus”.

Onze parlamentares destinaram mais de R$ 1,8 milhão, o que representa quase a totalidade das verbas a que têm direito em emendas.

A comissão disse também que as informações foram consolidadas às 14h desta segunda. “Agradecemos o empenho de todos para construirmos juntos soluções para melhorar a qualidade de vida de todos os pernambucanos, em especial nesse momento de extrema necessidade”, afirmou o texto divulgado pelo colegiado e assinado pelo presidente, deputado Lucas Ramos.

Procedimento
No dia 24 de março, a Alepe informou que deputados tinham começado a destinar emendas para o enfrentamento ao novo coronavírus. No mesmo dia, os parlamentares aprovaram decretos de calamidade pública no estado e no Recife

No dia 24 de março, segundo a Alepe, dos 49 integrantes do Legislativo, 23 tinham informado o repasse de recursos para o enfrentamento à pandemia. Naquele dia, as verbas totalizavam R$ 35 milhões.

No dia seguinte, a Assembleia informou que havia ampliado o prazo para os parlamentares destinarem emendas para a saúde. Esse período do limite terminou nesta segunda (30).

Confira a íntegra aqui: Deputados estaduais destinam R62,7 milhões em emendas ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

30/03


2020

Meu editorial no Frente a Frente – 30/03/2020

Se você perdeu o Frente a Frente de hoje, programa que ancoro pela Rede Nordeste de Rádio, tendo como cabeça de rede a Rádio Hits 103,1 FM, em Jaboatão dos Guararapes, escute agora o meu editorial.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

30/03


2020

Senado aprova R$ 600 mensais a trabalhadores

O Senado aprovou, há pouco, em sessão virtual, por 79 votos a zero, o projeto que prevê o repasse de R$ 600 mensais, durante três meses, a trabalhadores informais. A aprovação foi motivada pela pandemia do novo coronavírus.

A proposta, aprovada pela Câmara na semana passada, segue para a sanção do presidente Jair Bolsonaro. Segundo o projeto, fica limitado o pagamento do auxílio a duas pessoas da mesma família.

Pelo texto, a trabalhadora informal que for mãe e chefe de família terá direito a duas cotas do auxílio emergencial, ou seja, receberá R$ 1,2 mil por mês, durante três meses.

A proposta estabelece uma série de requisitos para que o autônomo tenha direito ao auxílio, apelidado por alguns parlamentares de “coronavoucher”.

Segundo o projeto, o trabalhador precisa ter mais de 18 anos, cumprir critérios de renda familiar e não pode receber benefícios previdenciários, seguro desemprego nem participar de programas de transferência de renda do governo federal, com exceção do Bolsa Família.

Inicialmente, o governo federal anunciou que o auxílio emergencial mensal seria de R$ 200. Na Câmara, o relator da proposta, Marcelo Aro (PP-MG), sugeriu um aumento do valor para R$ 500. E, após acordo entre deputados e representantes do governo, ficou acertado o montante de R$ 600 mensais.

De acordo com a Instituição Fiscal Independente (IFI), ligada ao Senado, o auxílio emergencial, nos três meses de pagamento, custará aos cofres públicos cerca de R$ 59,8 bilhões.

O relator da proposta no Senado, Alessandro Vieira (Cidadania-SE), propôs algumas mudanças na redação da proposta que não forçam o reenvio do texto para a Câmara dos Deputados.

Uma das mudanças prevê que o benefício será recebido pelo trabalhador em três prestações mensais, para garantir que a ajuda seja concedida ainda que haja atraso no cadastro dos beneficiários.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Shopping Aragão

30/03


2020

“Não existe a ideia de demitir Mandetta”, diz ministro

O ministro da Casa Civil, Walter Souza Braga Netto, afirmou, hoje, que "não existe essa ideia" de demissão do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Braga Netto deu a declaração durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto, ao lado de Mandetta e de outros ministros.

O ministro da Casa Civil respondeu a uma questão dirigida a Mandetta, na qual o jornalista perguntou ao ministro da Saúde se ele "teve ou está tendo atritos" com o presidente Jair Bolsonaro. Braga Neto tomou a palavra e disse:

"Deixar claro para vocês: não existe essa ideia de demissão do ministro Mandetta. Isso aí está fora de cogitação no momento, está certo? Não existe", declarou.

Logo em seguida, Mandetta assumiu a palavra e disse que "tensões são normais" neste momento "pelo tamanho desta crise" provocada pela pandemia do novo coronavírus.

O ministro da Saúde afirmou já ter dito "duas ou três vezes" que "enquanto estiver" no cargo, continuará trabalhando com "ciência, técnica e planejamento".

Mandetta disse ainda que seria "muito pequeno" da parte dele achar "isto" um "grande problema".

"Quando a gente fala 'foco, foco', não vamos perder o foco. O foco é um vírus corona novo, que derrubou o sistema mundial. Ele é mais dramático do que as guerras mundiais, mais dramático que qualquer coisa anterior", acrescentou.

O presidente Jair Bolsonaro vem defendendo o relaxamento das medidas de isolamento social adotada nos estados e a retomada da atividade econômica, com a reabertura do comércio e volta dos estudantes às escolas. Mandetta orienta pela manutenção da quarentena.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha