Nova Orla Jaboatão

25/06


2007

O agendão da semana

 O agendão da semana não sai muito da rotina. Aliás, com execeção pra um apagão aéreo aqui, outro ali, a agenda política tem sido aborrecidamente repetitiva nos últimos tempos. Escândalos, reforma política... Em foco esta semana teremos:

- Caso Renan - O noticiário do fim de semana ficou mais no estilo Caras e Contigo, com entrevista das mulheres, do que na linha policial. Pouca novidade foi acrescentada ao caso, o que reforça a convicção que já tínhamos na sexta-feira. Se não houve fato novo no plano investigativo, o caso vai ser empurrado com a barriga até dias melhores. Sibá anuncia hoje o novo relator - ou uma comissão com três relatores. Se essa for a solução, é uma piada. Nem no dia do juízo final vai sair um novo relatório, pois é mais fácil um elefante voar do que três senadores concordarem em relação à culpa de um colega. Sem falar na estratégia da defesa de Renan, que vai questionar qualquer investigação sobre o senador que não seja autorizada pelo STF.

- Caso Roriz - É, o Senado está mesmo encrencado. Agora é uma investigação sobre um saque de R$ 2 milhões do BRB, Banco Regional de Brasília, descoberto na Operação Aquarela, da Polícia Civil do DF, que apura desvios no banco. Tem gravação de Roriz, falando com o ex-presidente do BRB, hoje preso, sobre a divisão do dinheiro. O corregedor do Senado, Romeu Tuma, vai se manifestar hoje. Bom pra Renan.

- Reforma Política - Precisa escrever alguma coisa, gente? Bom, esta semana está prevista mais uma tentaiva de aprovar a reforma política no plenário da Câmara, desta vez na versão FLEX, ou seja, com uma lista meio fechada e meio aberta, ou melhor, com metade da Cãmara eleito em lista fechada e metade em lista aberta. Alguns, antes mesmo do desfecho da negociação, começam a falar em plebiscito sobre reforma política. Ai, gente, precisa continuar a escrever????

- Caos aéreo - No fim de semana as coisas melhoraram, mas estão longe de serem resolvidas. O governo começa a semana de prontidão. Os radares alternativos dos esquedrões de vigilância aérea estão encaixotados e, se for necessário, começam a ser transportados para outros locais. A maior expectativa é quanto ao comportamento dos controladores em outros locais do país. Até agora, a temida operação ''Um por todos, todos por um'', que ameaçava dar um nó no tráfego aéreo com a paralisação total, não foi deflagrada. Se for, a Aeronáutica garante que tem condições de manter 70% do sistema em funcionamento con os militares.

(Do blog dos blogs)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina Julho 2

25/06


2007

O agendão da semana

O agendão da semana não sai muito da rotina. Aliás, com execeção pra um apagão aéreo aqui, outro ali, a agenda política tem sido aborrecidamente repetitiva nos últimos tempos. Escândalos, reforma política... Em foco esta semana teremos:

- Caso Renan - O noticiário do fim de semana ficou mais no estilo Caras e Contigo, com entrevista das mulheres, do que na linha policial. Pouca novidade foi acrescentada ao caso, o que reforça a convicção que já tínhamos na sexta-feira. Se não houve fato novo no plano investigativo, o caso vai ser empurrado com a barriga até dias melhores. Sibá anuncia hoje o novo relator - ou uma comissão com três relatores. Se essa for a solução, é uma piada. Nem no dia do juízo final vai sair um novo relatório, pois é mais fácil um elefante voar do que três senadores concordarem em relação à culpa de um colega. Sem falar na estratégia da defesa de Renan, que vai questionar qualquer investigação sobre o senador que não seja autorizada pelo STF.

- Caso Roriz - É, o Senado está mesmo encrencado. Agora é uma investigação sobre um saque de R$ 2 milhões do BRB, Banco Regional de Brasília, descoberto na Operação Aquarela, da Polícia Civil do DF, que apura desvios no banco. Tem gravação de Roriz, falando com o ex-presidente do BRB, hoje preso, sobre a divisão do dinheiro. O corregedor do Senado, Romeu Tuma, vai se manifestar hoje. Bom pra Renan.

- Reforma Política - Precisa escrever alguma coisa, gente? Bom, esta semana está prevista mais uma tentaiva de aprovar a reforma política no plenário da Câmara, desta vez na versão FLEX, ou seja, com uma lista meio fechada e meio aberta, ou melhor, com metade da Cãmara eleito em lista fechada e metade em lista aberta. Alguns, antes mesmo do desfecho da negociação, começam a falar em plebiscito sobre reforma política. Ai, gente, precisa continuar a escrever????

- Caos aéreo - No fim de semana as coisas melhoraram, mas estão longe de serem resolvidas. O governo começa a semana de prontidão. Os radares alternativos dos esquedrões de vigilância aérea estão encaixotados e, se for necessário, começam a ser transportados para outros locais. A maior expectativa é quanto ao comportamento dos controladores em outros locais do país. Até agora, a temida operação "Um por todos, todos por um", que ameaçava dar um nó no tráfego aéreo com a paralisação total, não foi deflagrada. Se for, a Aeronáutica garante que tem condições de manter 70% do sistema em funcionamento con os militares.

(Do blog dos blogs)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

25/06


2007

ACM não tem previsão de alta

O senador Antonio Carlos Magalhães (DEM-BA), 79, permanece internado nesta segunda-feira no InCor-SP (Instituto do Coração) do Hospital das Clínicas, em São Paulo, para tratamento de insuficiência cardíaca e de uma disfunção renal.

Segundo a assessoria do parlamentar, o quadro de saúde de ACM é estável. Além disso, ele está lúcido e consciente e apresenta melhora lenta e gradativa. No entanto, ainda não há previsão de alta. A assessoria de ACM informou que o senador está na unidade semi-intensiva e não na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do InCor. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

acm NÃO PODE MORRER AINDA. Ele terá que ver melhor a finalização de alguns projetos seus.Ainda é cedo.


Ipojuca - Muro de Arrimo

25/06


2007

Como levar R$ 2 milhões para casa sem alarde

Do blog Sopa de Tamanco: "O Senador Joaquim Roriz andou queimando os neurônios sobre a questão com o ex-presidente do Banco Regional de Brasília, Tarcísio Franklin, segundo grampo da Polícia Federal, anunciado pelo Jornal Nacional, fruto de investigação da Operação Aquarela. Tarcísio foi preso, mas já deixou o xilindró.
Se você passa pelo mesmo drama, recomendamos a leitura das dicas abaixo, que não têm nenhuma ligação com o fato citado, claro, mas apenas servem de guia para quem não quer se meter em confusão.

Primeiro - A grana tem de ser de alguma viúva.
Segundo - O cliente deve ter um mandato.
Terceiro - O banco precisa ser estatal.
Quarto - O gerente, um pau mandado de muitos anos.
Quinto - E ao contrário do samba de Noel, não pode ser conversa de telefone.

Postado por Roberto Borges


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio pinto junior

Moaci,essa foi demais,valeu!

Moaci Antonio Rodrigues

Faltou informar o sexto item indispensável, fazer parte do partido do presidente



25/06


2007

Imprensa do DF silencia diante de escândalo Roriz

Operação Silêncio

Silêncio também na mídia. Os Jornais do Distrito Federal reduziram a zero o espaço dado ao novo escândalo de um banco oficial que paga cheque de outros bancos e só comunica o fato ao Banco Central ''oportunamente''.
Temos certeza que o Senado Federal, que já tentou legislar para outro país, em defesa da liberdade de informação, irá protestar contra qualquer forma de censura em nosso território.

Obsequioso?

É muito constrangedor o silêncio do Governador do Distrito Federal a respeito dos escândalos apurados no Banco Regional de Brasília. Afinal, o Governo Distrital é o dono do Banco. Um diretor foi preso na operação Aquarela da Polícia Federal e um cheque de outro banco foi descontado na ''boca do caixa'' do BRB. Quanto ao preso, que já era diretor do Banco desde o governo Roriz (ops! desde o governo anterior), o Governador deveria, no mínimo, informar à população e aos correntistas de quem se trata e porque responsabilizou-se por mantê-lo no cargo. Quanto ao cheque de outro banco, o fato demonstra que o novo governo deixou de fazer auditoria ao assumir, nem teve curiosidade pelo que se passou na gestão anterior, endossando, portanto, os atos praticados. ( Do blog do Zezo e do Campello - Brasília)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

guilherme alves

Essa postura do governador de Brasília deve, de imediato, provocar um posicionamento do DEM - do qual é filiado.Senão todo discurso de renovação vai por terra, e, também, perde o rumo do discurso contra o governo federal e os fatos delituosos que acontecem. Quanto a mídia de Brasília................

Pedro Araújo

Quem não conhecer José Roberto Arruda que o compre. Eu o conheço, pois na eleição passada fui a vários comícios dele, já participei de almoços e mais almoços onde ele estava presente, e há um ano, no São João mesmo, fui a diversas confraternizações e ele lá. Roriz era inatacável pelo Arruda.

Paulin de Caruaru.

Claro o José Roberto Arruda que tava de namorada nova aqui em Caruaur no São João,e que participou da bulinação do painel do senado,teve o apóio de Roriz na sua eleição.


Caruaru Novas Creches

25/06


2007

Corregedoria investiga acusações da PF a senador

 Alvo de gravações telefônicas que o colocaram sob suspeita de negociar partilha de dinheiro de origem ignorada, o senador Joaquim Roriz (PMDB-DF) terá o processo analisado pela Corregedoria do Senado.

O corregedor-geral do Senado, Romeu Tuma (DEM-SP), decidiu pedir ao Ministério Público e à Polícia Civil do Distrito Federal cópia da investigação e das gravações. Tuma pode arquivar o caso ou remetê-lo ao Conselho de Ética, que poderá iniciar uma investigação.

Conversas gravadas em 13 de março, com autorização judicial, registraram Roriz supostamente combinando partilha de dinheiro com o ex-presidente do BRB (Banco de Brasília) Tarcísio Franklin de Moura.

As gravações foram realizadas pela Polícia Civil do DF, na Operação Aquarela, que resultou na prisão de 19 pessoas em Brasília e em São Paulo, inclusive Moura, por suspeita de desvio de R$ 50 milhões do BRB.

Alguns parlamentares defendem que Roriz vá à tribuna hoje mesmo. "Vamos esperar que ele ocupe a tribuna e preste os devidos esclarecimentos", disse Jefferson Péres (PDT-AM). Demóstenes Torres (DEM-GO) disse considerar o caso "aparentemente grave".

Assessores do senador disseram ontem que, em princípio, ele não tem intenção de subir à tribuna. O PMDB deverá ouvir o senador, mas o vice-líder do partido, Wellington Salgado (MG), demonstrou que não pretende abrir investigação interna. "A primeira coisa a fazer é conversar, deixar o Roriz se explicar." (Informações da Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

guilherme alves

O blog do Noblat publica, e o JC reproduz na sua edição de hoje, uma vasta lista de processos contra o " nobre" senador. Como pode um homem com um histórico desse jaez fazer parte do Congresso Nacional. Como diz o filosofo Bóris Casoy: é uma vergonha!

Gisonaldo Grangeiro

Esse Roriz é um velho conhecido, duvido que a Justiça o pegue e duvido mais ainda que o Senado, casa da encenação, casse o mandato desse senhor.

Pedro Araújo

Investigar pra que? alguem aqui sabe quantas vezes a "justiça" absorveu este senhor? sabe quantos processos ele tem nas costas? E agora ser investigado por quem? Ora isso é assunto para boi dormir, é aquela velha história, mandar galinha tomar conta do galinheiro. No Brasil, cadeia é para pobres.


CABO

25/06


2007

Lula qualifica de ''''terrorismo'''' crítica a controle de vôo

 Em tom firme e com aparente irritação com a crise aérea nos aeroportos brasileiros, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, no programa Café com o Presidente desta segunda-feira (25), que é preciso ''botar a casa em ordem'' e que ordenou à Aeronáutica que ''faça o que tiver que ser feito para cumprir com a determinação''.


Na última semana, o comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, afastou 14 controladores e determinou a detenção de outros 2, além de lançar um plano de emergência para o caos que há cerca de sete meses toma conta dos aeroportos brasileiros.

Lula classificou como ''terrorismo'' as críticas ao programa que controla as operações de vôo no Brasil. No domingo (24), em entrevista ao ''Fantástico'', o representante da Federação Internacional de controladores de tráfego aéreo (Ifatca), Christoph Gilgen, disse que os equipamentos de controle aéreo no Brasil são ultrapassados.

''Em todas as conversas que tive com Saito, ele me assegurou que o sistema brasileiro é um dos mais modernos do mundo, um dos mais sofisticados do mundo. Não existe possibilidade de ficar passando terrorismo para a sociedade'', disse o presidente.

Em tom de ameaça, o presidente afirmou que é necessário ter mais controladores, ''formar o quanto é necessário'' para substituir pessoas que fazem ''movimentos'' que prejudicam o sistema aéreo.

''Vamos formar um exército para trocar a hora que tiver que trocar'', disse Lula, que confirmou que há, no momento, 360 controladores em formação.

Lula criticou a greve da categoria e disse que fez muitas greves na vida dele, mas considerou diferente as paralisações em empresas por reivindicações salariais das greves onde a ''vítima é o ser humano''. ''Fiz muitas greves em minhas vida e sei quando há má fé, má vontade, indisposição''.

O presidente comemorou a normalização dos pousos e decolagens nos aeroportos neste domingo, que registrou apenas 5,1% de atrasos, e finalizou dando outro recado, de forma mais suave, aos controladores.

''Quero pedir a compreensão do povo, dos controladores. Mas é preciso botar ordem na casa, pois não é possível continuar sofrendo por causa de poucos''.(Informações do portal G1)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Paulin de Caruaru.

Terrorista é quem reduz o orçamento da aviação em mais da metade em um cenário de crescimento constante da demanda.Ainda bem que aqui é jegue e moto-taxi.


Bandeirantes Junho 2021

25/06


2007

Das hipocrisias

A ganância vaidosa, estúpida e pretensiosa de indivíduos “adaptados” e transformados administradores públicos por força de instrumentos eleitorais ou deles decorrentes nos dá o exato desenho da tragédia gerencial a que estamos submetidos. É da existência de um pesadíssimo corpo funcional mutante (cargos comissionados de “indicação” apadrinhada) aos sabores das gangorras políticas havidas nesta república e, deste modo, mui distantemente temperada dos verdadeiros haveres republicanos tão imprescindíveis àqueles que cuidam dos negócios do Estado.

No seu artigo de hoje, para o blog, o escritor Lino Perrelli, a exemplo do que faz no parágrafo acima reproduzido, mostra, mais uma vez, a sua indignação para com a política posta em prática pelo governo em torno de praticamente todos os problemas, principalmente aos mais ligados às classes de menor poder aquisitivo. Perreli não poupa o ''''pesadíssimo corpo funcional mutante'''', representado pelo cargos comissionados eminentemente de indicação política, ''''apadrinhada'''', como ele qualifica. Boa leitura para esta segunda-feira pós-feriadão. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Paulo M.

Patético esse Sr. Lino Pereli, com esse vocabulario pseudo-intelectoide-barroco. Ele se esquece que é funcionario público, encostado na assembleia, e que ha muitos anos nao da um dia de trabalho na Empetur, onde é funcionario e onde poderia colocar em pratica suas maravihosas ideias salvadoras...


Serra Talhada 2021

25/06


2007

Sinopse da coluna de hoje na Folha

 

        Escândalo em Garanhuns

 

Pernambuco também está no furacão dos escândalos que pipocam no País. Em Garanhuns, a Fundação Construir, que recebeu recursos da CEF e da Prefeitura para edificar mil casas populares, deu um calote de R$ 400 mil no comércio e seu presidente, Rômulo Giovanete Júnior, foi afastado pelo juiz Glacidelson Antônio da Silva, com base em inquérito aberto pelo Ministério Público.

 

Também foram afastados dois diretores ligados ao sócio majoritário – Arlindo Francisco da Silva e Orleno Nascimento. Indicado para presidir a instituição pelo deputado federal petista Maurício Rands, Rômulo tem precedentes graves, com uma ficha recheada de processos de estelionato e apropriação indébita. Segundo o MP apurou, o dinheiro desviado das casas serviu até para compra de bebidas alcoólicas e roupas de uso pessoal.

 

Na tentativa de salvar o aliado, o prefeito de Garanhuns, Luiz Carlos Santos (sem partido), ainda tentou fazer o sucessor de Rômulo na Fundação, mas o juiz, acertadamente, nomeou Reynaldo da Silva Vieira, que já começou uma devassa na instituição, atendendo ao pedido do MP. Além de Garanhuns, a Fundação Construir estava de olho em várias obras federais na região. Mas, diante do escândalo, felizmente está rifada, tão suja quanto a Gautama. 

 

 

Aparelhamento – Durante o Governo Lula, os gastos anuais com cargos comissionados pularam de R$ 4,3 bilhões para R$ 9,3 bilhões, um crescimento de 63%, já descontada a inflação. Essa dinheirama é superior ao orçamento do Bolsa Família, que sustenta 12 milhões de famílias. Os R$ 9,3 bilhões alimentam 22 mil nomeações políticas, todos do PT, que têm a obrigação de, ao final de cada mês, repassar um dízimo de 30% ao PT.

 

A inhaca do poder

 

O vice-governador João Lyra Neto aniversaria em 24 de janeiro, mas uma coluna social noticiou que seria sexta-feira passada, quando o festejado, na verdade, era um advogado homônimo. Mesmo assim, o cordão dos bajuladores funcionou pra valer e o vice ganhou uma penca de presentes.

 

Para ler a coluna na íntegra, vá ao menu e clique em Coluna da Folha.

 

"Senhor, tu tens sido o nosso refúgio, de geração em geração. Antes que os montes nascessem e se formassem a terra e o mundo, de eternidada a eternidade, tu és Deus". ( Salmo 90-1-2).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Gisonaldo Grangeiro

Sobre a nota "Aparelhamento", senhor Magno, é evidente que o senhor exagera. O PT não ocupa todos os cargos. O senhor precisa informar quem fez a apuração desses dados. Desconfio deles.

JOSÉ DO PATROCINIO GOMES DE OLIVEIRA

ROLO COM MAURICIO RANDS PARA MIM NÃO FOI SURPRESA. EU SEMPRE ACHEI QUE A DEFESA QUE ELE FAZ NO CONGRESSO DE LULA (ALI BABÁ) E SEUS 4.00000000 LADRÕES, DE FORMA TÃO VEEMENTE SÓ PODERIA SER EM TROCA DE MUITO DINHEIRO, CARGOS PÚBLICOS, CALCENTERS, E OUTRAS SAFADEZAS QUE O BENEFICIAM.

milton tenorio pinto junior

Paulo Roberto,acorda pra Jesus!O pior cego é aquele que não quer ver.

milton tenorio pinto junior

Rands indicar um picareta,é demais não?!

milton tenorio pinto junior

Deveria se fazer uma devassa em todas ONGs desse País.Aqui em Pe. tem uma porrada.



25/06


2007

Idéia da Zona Franca do Semi-Árido toma impulso

 Desenvolver o Semi-Árido nordestino atraindo indústrias e gerando emprego e renda. Essa proposta pode ser viabilizada a partir da criação da Zona Franca do Semi-Árido, uma idéia que retornou à pauta política da Região e está conquistando a simpatia de prefeitos, parlamentares e representantes da indústria. A bandeira está sendo erguida por uma ala do PMDB da Paraíba, liderada pelo senador José Maranhão. A proposta é divulgar a idéia da Zona Franca e ganhar adeptos no Nordeste, para, em seguida, sensibilizar o Governo Central para tocar o projeto.

Um dos argumentos utilizados pelo senador é o de que o Governo brasileiro precisa compensar o Semi-Árido por anos de exclusão sócioeconômica, que impediram o amplo desenvolvimento regional. A proposta está sendo fundamentada com base no projeto da Zona Franca de Manaus. “Esse projeto da Zona Franca do Semi-árido ainda está em fase de elaboração, mas é um bom modelo do qual já se tem um exemplo de bom funcionamento, o da Zona Franca de Manaus. Não vejo nenhuma dificuldade para que esse modelo possa funcionar com eficiência e eficácia e possa ajudar o Nordeste a crescer e se desenvolver”, defendeu José Maranhão.
(Da Folha de Pernambuco)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Gisonaldo Grangeiro

Essa "Zona Franca" esbarrará na força do "paulistério" contra a qual até a boa vontade do presidente parece ser insuficiente. São os paulistas que sempre nos negaram desenvolvimento. Um deles, o FHC, quer que o partido venha conquistar votos no Nordeste.