Nova Orla Jaboatão

11/11


2012

Josesito, um político que não sabia o que era medo

A psicologia trata de investigar as origens dos seres humanos para encontrar explicações para o que são ou o que foram. A ciência, essa maravilhosa ferramenta de saber e poder inventada pelos homens nos ensina, por sua vez, que para compreender qualquer coisa, é preciso que se vá até as suas causas, as suas origens.

As vozes de todas as criaturas podem ser ouvidas na voz de um rio. Ouvi pela primeira vez a voz do ex-deputado Josesito Padilha, que partiu ontem para a eternidade, na beira do Rio Pajeú, em Afogados da Ingazeira.

E dali, sem ser psicólogo, compreendi perfeitamente que o rio que ensinou ele a escutar, num tronco de uma árvore ao cair da noite, não o ensinou a ser manso.

Voz do Pajeú na Assembleia Legislativa banida pela revolução, Josesito era um político destemido, corajoso, de temperamento explosivo e pavio curto, que não cedia quando estavam em jogo os interesses coletivos e o País.

Daqueles que não engoliam desaforo, valente, que impunha medo e respeito. Não tinha cara carrancuda - e nem precisava. Bastavam seus olhos esbugalhados, que assustavam, principalmente quando contrariado e colérico.

Não o conheci no parlamento, atuando em defesa de nossa gente sertaneja. Quando cassado, eu era garoto. Minha relação com ele e sua família vem do meu pai Gastão, em Afogados da Ingazeira, de quem era aliado, correligionário, parceiro, companheiro de todas as horas do bom combate político.

Josesito e papai eram fraternais amigos, irmãos. Militaram juntos por muito tempo e juntos combateram a ditadura. O destino os separou a partir do episódio que levou o deputado a se exilar no Uruguai por 14 anos.

Foi um tempo curtido pela saudade e recordações. Recordações para o meu pai, de quem ouvi estórias das bravuras de Josesito sem fazer a menor ideia da sua afoiteza, muito maior do que imaginava. Eduardo Monteiro, velho amigo dele, bem definiu, ontem, no velório. “Nunca conheci homem tão destemido”.

Na volta, depois de tanto tempo num País em que recebeu a mão estendida do seu ídolo, o guerreiro Leonel Brizola, beneficiado pela lei da anistia, o primeiro político que Josesito procurou em Afogados da Ingazeira foi meu pai.

E dele recebeu, sem pestanejar, apoio para tentar resgatar o seu mandato na Assembleia numa campanha que, infelizmente, não fora bem sucedida. Mas que serviu para reinseri-lo no contexto dos novos tempos da política estadual.  

Embora com tamanha afinidade, Josesito e papai eram extremamente diferentes, no trato, na relação e na forma de enxergar o mundo. O primeiro, brigão por natureza; o segundo, conciliador.

Talvez por isso tenham se irmanado tanto. Na verdade, não eram apenas amigos e irmãos. Eram compadres. O sonho de Josesito era ter visto meu pai, que teve quatro mandatos de vereador e um de vice-prefeito, prefeito de Afogados da Ingazeira.

Mas o tempo não se encarregou disso. Josesito, como o meu pai, tinha outra face: fora da política, era um pai amoroso, devotado à família, carinhoso e apaixonado pelas coisas boas da vida.

Apreciador da boa mesa, adorava receber amigos para um papo molhado a um bom escocês. Intelectual refinado, louco e alucinado por política, colocou o seu mandato a serviço do País, discutindo às questões nacionais, não se prendendo apenas ao regionalismo.

Aliado incondicional de Brizola, combateu como um soldado que vai à guerra a ditadura militar, conspirando dia e noite, às vezes disfarçado, para banir o regime que ceifou vidas, reprimiu direitos e pôs um fim à liberdade.

Soube, ontem, no seu enterro, pela filha Margareth, que deu o último suspiro ouvindo Olavo Bilac. Tenho certeza que o gosto de Josesito pela poesia se deu pelo rio que ensinou ele a escutar: o Pajeú, dele, do meu pai e meu.

Como todo poeta, como também o era – tinha o dom de declamar uma legião de imortais da literatura – Josesito ouvia a água do Pajeú em silêncio, água que para ele não era só agua, mas a voz da vida, a voz do ser, da transformação eterna.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio

Taj vai cheirar..

Gilberto Carvalho Moura

Se alguém me apresentar algo que Zezito Oião tenha feito em beneficio de alguém ou de alguma região, juro que me calo!

Tajmahal Cruz

Nem os apedrejadores e nem o puxa-saco. Finalmente um comentário sensato, altruísta, sereno. Valeu "Pedo" Siqueira.

pedo siqueira

Josesito foi um bravo guerreiro do sertão. O que ocorreu com ele foi uma fatalidade, mas como deputado e homem público prestou serviços ao Pajeú, ao Estado e ao País. Parabéns, Magno, pela homenagem.

milton tenorio

O cara se passa pra isso num domingo tão lindo...Um texto feito por um profissional e amigo da familia.aí vem um ignorante, deselegante, sem educação , papel de embrulhar prego...vai rever teus conceitos cara...


Petrolina Julho 2

11/11


2012

Prefeitos: metade deixará o mandato como ficha suja

Metade dos prefeitos que saem em todo o País engrossam a lista de fichas sujas, que já não é pequena. Segundo Ilimar Franco, no Globo de hoje, o presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Paulo Ziulkoski afirma que mais de 2,5 mil prefeitos vão encerrar os seus mandatos em dezembro entrando na lista porque não conseguirão pagar todas as contas que estão pendentes. Esse número representa quase 50% do total de prefeituras do país.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

... e mais da metade dos que ficam estão atolados na lama, esperando que o MP os denuncie por impobridade administrativa, isso mesmo, por impobridade. Ou seja por tornar mais pobre os municípios que desgovernam enquanto engordam suas burrinhas.


Pousada da Paixão

11/11


2012

Elle aí de novo. Collor quer disputar a Presidência

 A novidade quem anuncia é Igor Paulin, na coluna política da revista Época:

''''Já são três os partidos da base do governo que cogitam lançar candidatos próprios à Presidência da República. Depois do PSB e do PDT, foi o PTB que começou a falar no assunto. Quem seria o postulante petebista? O senador Fernando Collor(AL).

Ex-presidente da República, Collor foi empossado no Palácio do Planalto em 1990 e deixou o cargo sob impeachment dois anos depois. Procurado, ele preferiu não se manifestar.''''


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Collor foi justiçado pela sua arrogância. Quando no poder era uma metralhadora giratória.Não respeitava nem seus amigos e correligionários mais próximos.Collor vitimou-se a si mesmo como um porra-louca STF reconheceu nele a inocência.Mas ele foi justiçado politicamente.

José Cláudio Soares de Oliveira

Claro que ele vai ter uma penca de votos, graças ao PT de Lula e Dilma que abraçou-lo na sua volta a política. Agora, eu só vejo um lugar para Collor se encaixar - a PAPUDA em Brasília.

milton tenorio

fichinha pra turma de Luiz Inácio..

José Carlos Siqueira Diniz

E o pior é que esse bandido vai ter uma penca de votos.


Ipojuca - Muro de Arrimo

11/11


2012

Veja no que deu político se meter a cantador

 Fã de cantores da MPB e apaixonado quando jovem, o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), era tão admirador do cantor Fagner que o imitava em casa. Muitos anos atrás, querendo conquistar uma garota, ele gravou umas músicas do cantor cearense para ela numa fita K7. Mas como cantava muito mal, a mulher detestou e não quis namorá-lo.

Mesmo assim não esqueceu o artista, que o visitou no Congresso em 2011. (Leandro Mazzini - Coluna Esplanada)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Lêda Rivas

O deputado conseguiu cantar pior do que Fagner?



11/11


2012

''Melhor deputado é gay, com orgulho'', festeja Wyllys

Jean: a grande política precisa dar mais atenção à defesa dos direitos humanos - Paulo Negreiros

 

Ansioso por um mundo mais igual e menos preconceituoso, Jean Wyllys dedica seu primeiro mandato como parlamentar a defender as liberdades individuais e os direitos humanos. Dessa forma, seu discurso de agradecimento pelo escolha de melhor deputado do ano no Prêmio Congresso em Foco 2012 não podia ser mais incisivo. ”O deputado eleito pelos internautas o melhor do Brasil é gay e tem orgulho disso”, disse ele, num discurso histórico.

 

Primeiro parlamentar homossexual assumido eleito no país, Jean acredita que foram esses temas que o levaram a ser escolhido por jornalistas e internautas. ”Os temas legitimados da política, os grandes temas da política, quase não incluem a defesa das liberdades individuais e dos direitos humanos. A grande política deveria sempre ser tocada em relação aos direitos humanos”, afirmou.

 

“Dediquei o prêmio a minha mãe, que tem muito orgulho que eu use a minha energia vital para fazer do mundo um lugar melhor. Mas sei que não posso me envaidecer e nem vou. E esse prêmio mostra que eu tenho uma responsabilidade muito grande porque os olhos do Brasil estão voltados para o meu mandato”, disse.O deputado fez questão de explicar que mesmo com uma causa principal, não esquece dos demais segmentos sociais. “Embora eu seja um deputado homossexual assumido, e o primeiro eleito assim, eu trabalho em prol de todo mundo”, garantiu.  (Do site Congresso em Foco - Mariana Haubert)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Jair Lima Lopes de Vasconcelos

O que ele efetivamente fez para receber o prêmo?

Antônio Manuel Silva

Esse fulano é um doente cheio de ódio. É lamentável termos esse cidadão como modelo de .

Saulo Alves

Sem comentários!!!!!


Caruaru Novas Creches

11/11


2012

Mais um mimo de Dilma para Eduardo

Notinha de Ilimar Franco, na sua coluna de hoje no jornal OGlobo dá sequência -- embora esse tipo de noticiário venha desagradando profundamente a Eduardo Campos -- à novela das relações do governador com a presidente Dilma e o ex Lula. Confira a nota:

''''A Fifa não queria incluir Recife entre as sedes da Copa das Confederações. A presidente Dilma e o ministro Aldo Rebelo (Esportes) bateram pé. Mostraram força para a Fifa e fizeram um mimo para o governador Eduardo Campos (PSB).''''


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

CABO

11/11


2012

Empobrecimento explícito

ISTOÉ - IZABELI TORRES 

 Os ministros do Supremo Tribunal Federal já concluíram que sete políticos cometeram crime de lavagem de dinheiro para se beneficiar de recursos que circularam no esquema do mensalão. Numa tentativa inusual de tentar reaver o dinheiro, a Corte decidiu incluir o ressarcimento dos cofres públicos entre as penas imputadas aos 21condenados por esse delito na ação penal 470.  Pesquisa realizada pela reportagem de ISTOÉ mostra que, enquanto as investigações sobre o mensalão avançavam, acusados do crime de lavagem trataram de camuflar o próprio patrimônio.

A estratégia de transferir a propriedade de bens para impedir que sejam usados para ressarcir o dinheiro desviado segue o modelo de conduta do empresário Marcos Valério, condenado a 40 anos de prisão e multa de R$ 2 milhões. Mesmo com o patrimônio bloqueado pela Justiça, ele continuou comprando carros e imóveis em nome da filha de 21 anos para driblar a lei.

Essa dificuldade ajuda mensaleiros dispostos a movimentar milhões para proteger suas fortunas da Justiça. O deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP), por exemplo, reduziu o patrimônio de forma considerável. A declaração de bens apresentada à Receita antes das investigações em nada lembra a lista patrimonial do parlamentar este ano. Valdemar era dono de duas mineradoras, cinco imóveis e outros bens que somavam oficialmente R$ 5 milhões. Em dezembro de 2008, transferiu um apartamento para a ex-mulher e doou o imóvel onde mora para os filhos, fazendo uma ressalva de usufruto vitalício em seu nome.

Longe da política desde 2010, quando foi derrotado na eleição a deputado estadual em Minas Gerais, o ex-integrante do PTB na Câmara Romeu Queiroz também tem reduzido ano a ano o milionário patrimônio que detinha quando o mensalão foi denunciado. Na época, Queiroz tinha oito fazendas, um haras, pelo menos quatro apartamentos em Belo Horizonte, um flat em Brasília e outros bens que somavam R$ 3 milhões. Ao longo das investigações do processo, passou parte das fazendas para os três filhos e reduziu as suas cotas nas empresas em benefício da esposa. Clique aí e Continue lendo a reportagem.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Junho 2021

11/11


2012

Minha cidade é linda

 
















A colaboração para o painel de hoje é da leitora Mirella Dantas de Araújo e traz imagem de uma bela praça localizada no município de Tacaimbó (Agreste Central, a 170 km do Recife).

A região onde hoje se situa a cidade de Tacaimbó surgiu de uma fazenda de criação de gado, denominada Fazenda Curralinho. Com o crescimento do local, o povoado que ali se estabeleceu recebeu o nome de Antônio Olinto. A mudança do topônimo para Tacaimbó aconteceu por meio de uma Lei Estadual assinada no dia 31 de dezembro de 1943, devido ao fato de já existir, em Minas Gerais, um município com este mesmo nome. Vinte anos depois, em 1963, o lugar tornou-se município autônomo, com sua instalação ocorrida no dia 1 de março de 1964.

Segundo historiadores, o nome utilizado para batizar a cidade, de origem indígena, remete a uma tribo que, no passado, ocupou o espaço onde hoje está situada a Fazenda Itacaité. A criação do nome é atribuída ao historiador pernambucano Mário Melo.

Faça uma foto bonita da sua cidade e nos envie para postagem neste quadro: [email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Ricardo de Souza

Realmente uma bela praça! Infelizmente ela não existe mais. Este grande mérito rejeitado por toda a população tacaimboense é do atual prefeito Washington Luiz, onde o mesmo enrolou o povo por dois anos para apresentar uma nova praça, onde deveria ser apenas uma reforma. Hoje, apelidada de lava-jato.


Serra Talhada 2021

11/11


2012

''Era roubo. Vi maços de dinheiros sendo distribuídos''

DO  BLOG DE JOSIAS DE SOUZA

 Certas coisas são tão evidentes que só um cego olharia duas vezes. No ano passado, foram tantas as evidências de malfeitos praticados por ONGs no Ministério dos Esportes que Dilma Rousseff mandou ao olho da rua o ministro da época, Orlando Silva (PCdoB). A providência retirou a pasta das manchetes. Porém…

Surge agora uma novidade que indica que a limpeza não chegou aos armários do ministério. Subcontratado pelo Instituto Contato, entidade ligada ao PCdoB, o micro-empresário catarinense João Batista Machado, dono da JJ Logística Empresarial Ltda., contou ao repórter Fernando Junqueira: desviaram-se 90% das verbas de dois convênios firmados com o Ministério dos Esportes em 2009 e 2010, sob Lula.

A coisa envolvia o fornecimento de lanches para crianças atendidas pelo programa Segundo Tempo. Sediada em Tanguá, região metropolitana do Rio, a firma de João Batista deveria fornecer os lanches que alimentariam a criançada durante atividades esportivas em períodos complementares ao horário da escola.

O ministério liberou R$ 4,65 milhões. Desse total, diz João Batista, apenas R$ 498 mil foram usados na aquisição de alimentos. Malversaram-se os outros R$ 4,15 milhões. “Era tudo roubo. Vi maços de dinheiro serem distribuídos”, relata o dono da JJ Logística. Beneficiaram-se dos desvios políticos de Brasília, de Santa Catarina e do Rio. Os nomes? O denunciante não revelou.

Candidato a vereador em São Paulo, o ex-ministro Orlando Silva não foi eleito. Obteve uma suplência. Hoje gerido por Aldo Rebelo (PCdoB-SP), o Ministério dos Transportes informa que vai investigar a nova denúncia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JORGE GUERREIRO

Só tem LADRÃO nesse governo PTralha.



11/11


2012

PF apura rombo de R$ 11 bilhões no setor público

 Polícia Federal investiga superfaturamento de obras, corrupção de servidores e fraudes com recursos públicos relacionados a contratos de R$ 11,6 bilhões. Atualmente, há 8.110 investigações sobre desvios de recursos públicos em andamento (10% do total de inquéritos da PF), concentradas em verbas geridas principalmente pelos ministérios da Educação, da Saúde, dos Transportes e de Cidades - ou repassadas pelos órgãos para os estados e municípios.

A reportagem teve acesso a um relatório da PF que, pela primeira vez, traçou um raio-x das investigações sobre fraudes a licitação, corrupção ativa e passiva, crimes contra a administração pública, além de casos de peculato (desvios por servidores públicos). A maior parte das investigações está no Nordeste (3.767), no Sudeste (2.022) e no Norte (1.091). Há ainda 720 no Centro-Oeste e 410 no Sul. (Folhapress)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JORGE GUERREIRO

Só tem LADRÃO nesse governo PTralha.