Jaboatão vai conquistar você

26/10


2006

Alckmin assina carta compromisso com o Amazonas

O candidato à Presidência Geraldo Alckmin (PSDB) assinou ontem uma carta de 18 compromissos com o Amazonas, em um auditório com cerca de 300 trabalhadores e líderes empresariais do pólo industrial de Manaus. “Vim aqui para acabar com a ‘mentirobrás’, com os boatos antes da eleição de que seríamos contra a manutenção da Zona Franca de Manaus. Prefiro vir e falar olho no olho meus compromissos”, afirmou.

“Eu quero ser um parceiro da região Norte, onde tive a maior votação do Brasil, além de ter ganhado em 11 estados da federação. Aqui (na região) ganhei no Acre e em Rondônia e, proporcionalmente, nossa maior (votação) do Brasil foi em Roraima. Estou otimista que minha maior virada vai ser no Amazonas”. Alckmin voltou a afirmar em discurso e no documento que vai manter os incentivos à Zona Franca de Manaus. “Fui constituinte e, portanto, ajudei a criar a Zona Franca de Manaus, um modelo de sucesso porque ajuda a preservar a floresta amazônica”, disse.

Outro compromisso foi o de “abrir mais oportunidades de emprego” à população do estado por meio da fabricação de componentes para a TV Digital. De acordo com o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), José Nasser, a impressão sobre os compromissos assinados do candidato para com o estado “foi das melhores”. Os empresários também entregaram ao candidato um documento com reivindicações para manutenção dos incentivos à Zona Franca de Manaus, igual ao entregue ao presidente Lula na semana passada, durante sua visita à capital. As informações são do Correio da Bahia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Manoel de Souza

E ESSA CARTA-COMPROMISSO É PRÁ QUANDO? HÁ! EU ACHO QUE É PRÁ 2010. E A "ONDA AMARELA" MAIS DE 100 MIL PESSOAS NA CONDE DA BOA VISTA SAUDANDO O NOSSO GOVERNADOR. É EDUARDO É. 40 E LULA 13.


Caruaru - Jan 2022

26/10


2006

Partidos discutem fusão

A criação do Partido Republicano (PL-Prona-PTdoB), anunciada terça-feira, é o resultado de apenas uma das negociações em curso atualmente para os partidos se adequarem às exigências da cláusula de barreira. Segundo a norma, estabelecida pela lei 9697/95, só terá direito a representação plena em qualquer casa legislativa do país, além de direito à verba do fundo partidário e propaganda de rádio e TV o partido que conseguir, na eleição para deputado federal, 5% ou mais de votos em nove estados e, no mínimo, 2% dos votos em nove estados.

O Partido Verde (PV) estuda uma fusão com o Partido Social Cristão (PSC), e o Partido Popular Socialista (PPS) está em negociação para incorporar o Partido Humanista da Solidariedade (PHS). O Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) já acertou a incorporação do Partido dos Aposentados da Nação (PAN).

Partidos que cumpriram a cláusula

Partido/Bancada/ % de votos/ Estados
PMDB - 89 - 14,5737% - 27
PT - 83 - 15,0130% - 27
PSDB - 65 - 13,6192% - 25
PFL - 65 - 10,9270% - 23
PP - 42 - 7,1496% - 26
PSB - 27 - 6,1517% - 23
PDT - 24 - 5,2090% - 21

Partidos que não cumpriram a cláusula

Partido/ Bancada/% de votos/ Estados

PL - 23 - 4,3726% - 22
PTB - 22 - 4,7194% - 18
PPS - 21 - 3,8960% - 16
PV - 13 - 3,6149% - 8
PCdoB - 13 - 2,1273% - 9
PSC - 9 - 1,8757% - 7
PTC - 4 - 0,8657% - 2
PSOL - 3 - 1,2337% - 4
PMN - 3 - 0,9397% - 4
PRONA - 2 - 0,9739% - 5
PHS - 2 - 0,4672% - 0
PTdoB - 1 - 0,3346% - 1
PAN - 1 - 0,2840% - 1
PRB - 1 - 0,2619% - 0
PSDC - 0 - 0,3801% - 0
PRP - 0 - 0,2506% - 0
PSL - 0 - 0,2047% - 0
PRTB - 0 - 0,1845% - 0
PTN - 0 - 0,1608% - 2
PSTU - 0 - 0,1087% - 0
PCB - 0 - 0,0695% - 0
PCO - 0 - 0,0312% - 0

Confira o que muda no quadro se as fusões anunciadas se confirmarem

PL + PTdoB + Prona (Partido Republicano) - 26 deputados
PPS + PHS - 24
PTB + PAN - 23
PV + PSC - 22

Continuariam sem ultrapassar a barreira

PCdoB, PTC, PSOL, PMN, PRB, PSDC, PRP, PSL, PRTB, PTN, PSTU, PCB, PCO.

(O Dia Online.)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fabio Henrique Cavalcanti Pedrosa

Tudo pelo poder. O que não faz um parlamnetar para não deixar de participar de comissões e principalmente ter direito ao fundo partidário? O bom seria se ao formar esses blocos eles levassem em conta a fidelidade partidária.

guilherme alves

O novo partido será PRF - Partido roberto Freire.

Ivan Câmara de Andrade

Roberto Freire tá pensando que vai presidir o novo Partido oriundo do PPS com o PHS. Esse velho cacique vai entrar como índio na nova tribo.

José Manoel de Souza

E A "ONDA AMARELA"? MAIS DE 100 MIL PESSOAS NA CONDE DA BOA VISTA SAUDANDO O NOSSO GOVERNADOR. É EDUARDO É 40 E LULA 13.

José Manoel de Souza

Tô gostando Tô gostando...... Eita nome arretado, gostei muito desse PARTIDO REPUBLICANO.


Cabo - Pavimentação e Drenagem

26/10


2006

A última cartada de Mendonça Filho

A campanha chegou ao fim. Hoje, temos o último debate na televisão entre os candidatos a governador de Pernambuco, na TV-Globo, mediado pelo jornalista Francisco José. Amanhã, é a vez do confronto entre os adversários na sucessão presidencial - Lula e Alckmin -, também na Globo.

O que esperar desses debates? Nada. A não ser que o governador Mendonça Filho (PFL), candidato à reeleição em Pernambuco, apresente algo bombástico e tenha um desempenho bem acima da média de Eduardo Campos(PSB), que possa ser considerado um nocaute. A mesma leitura vale para Alckmin frente a Lula, amanhã.

Debate resolve eleição? Via de regra, não. Mas, há um precedente na história do Brasil: o em que Collor derrotou Lula, em 89, apresentando a bomba da filha Lurian, cuja paternidade o então candidato do PT nunca havia assumido. Mas, fora o cansativo tema dos precatórios, o que teria Mendonça para massacrar Eduardo no debate?

Impossível acreditar que haja alguma carta na manga faltando três dias para as eleições. Além disso, para Eduardo Campos, que colocou uma frente de 30 pontos na última pesquisa do Ibope, basta apenas empatar. Conseguindo equilibrar o debate, já sai com uma meia vitória.

E aí, não há mais salvação. Pelo menos nos últimos dois debates - TV-Clube e TV-Jornal - a batida tem sido essa. A esta altura, Eduardo só precisa administrar a vitória e cuidar do dia da eleição. Sim, porque o tamanho da vitória depende, sim, da organização do dia ''D''.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Ana B. Holanda

E ainda tem eleitor de Eduardo Campos que ainda não viu nele sinais de arrogãncia. Tá bom.....

Ana B. Holanda

Mendonça tem sido melhor em todos os debates. Mas, quando começa a mostrar como foi a administração de Arraes, na qual Eduardo Campos mandou e desmandou, o neto de Arraes diz que ele agride.....Mas vive agredindo Jarbas Vasconcelos que ele queira ou não é Senador. Eleito.....

Severino Isidoro Fernandes Guedes

... graças à Deus que vivi o suficiente para ver a decadência do PFL e de seu neocoronelismo reacionário. E para ver a figura de um homem de bem (Miguel Arraes) ser reabilitada, porque de mentiras e mistificações grosseiras a sociedade já se cansou!

Severino Isidoro Fernandes Guedes

... só que os tempos agora são outros e não há mais lugar para a arrogânica, as mentiras e as mistificações do PFL e de parcela significativa da mídia conservadora que o apóia. O povo já não está mais se deixando instrumentalizar com antes, está deixando de ser massa de manobra...

Severino Isidoro Fernandes Guedes

O PFL é um partido em estado terminal. E para o bem do Brasil isto é ótimo, porque este partido sempre fez política de forma truculenta, autoritária e reacionária. Raciocinando e agindo de acordo com o manual do coronelismo conservador da República Velha...


Petrolina Dezembro 2021

26/10


2006

Alckmin: A "vitória" dos senhores da guerra

Dificilmente Geraldo Alckmin venceria as eleições. Mas sua queda no segundo turno tem razões muito claras.

O marqueteiro da campanha de Alckmin, Luiz Gonzáles, montou uma estratégia inicial de primeira. Inicialmente, tornaria Alckmin conhecido do público. Depois, apresentaria suas idéias. O candidato não deveria se envolver com ataques a Lula, por uma razão bem simples: a mídia inteira já estava no ataque, além das principais lideranças do PSDB e do PFL, e atacando o governo de uma forma não-civilizada. Alckmin seria o contraponto educado, civilizado, aliás, bem conforme o seu perfil.

Mas as pressões para que vestisse a armadura de gladiador foram insuportáveis. Partiam da mídia, dos colunistas políticos, do PFL, do Tasso Jereissatti e de Fernando Henrique Cardoso. E aí não teve jeito. Alckmin perderia de qualquer jeito. Se não partisse para a guerra, Gonzáles seria acusado de ter errado na estratégia.

Deu-se o que a minoria belicosa pedia. Agora, só resta lembrar a campanha que poderia ter sido. Enquanto publicações apresentariam fotos do Presidente da República com marca de sapato no traseiro, comentaristas pediriam um novo Lacerda, denúncias reais se misturariam com ficções, Alckmin emergeria como o traço de civilidade na política, não para levar as eleições de agora, mas como cacife para jogos políticos futuros.

E Alckmin e Gonzáles foram contra sua intuição. Provavelmente essa decisão pode ter custado seu futuro político. (Do blog de Luiz Nassif)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fique certo nobre, que pessoas como você se não for intransigente e incoerente nas avalições, terás que aplaudir e muito o Lula no finas da segunda gestão , e das Graças a Deus um homem corajoso e sabedor das ações socais e econômicas, para os brasileiros.

Caro José Rodrigues, estás parecendo ser um discriminador sem limites, fazer política no nosso querido Brasil, é ter coragem de mexer com o imexível, é ter coragem de atingiro anatingível, e o Lula teve não só a coravem em atingir, mais também concomitantemente mostrar ao mundo a nossa potência.

José Rodrigues da Silva

A estupidez de conhecimento macro do país pelo Ari é de condoer, a ele só lhe satisfaz ser o pulha do Luiz um pai, talvez pela ausência do próprio! Tolo e superficial não enxerga o Ari as reais insuficiências de "amigo" Luiz, também com líderes dessa qualidade, outros não seriam os liderados!!

José Manoel de Souza

E a "ONDA AMARELA" tinha prá mais de 100 mil pessoas, confirmando que o nosso governador É EDUARDO 40 E lULA 13.

Fernando Vieira

Tudo isso que foi escrito é vero. E tem mais a arrogância do TUCANATO DESVAIRADO (FHC-Tasso-Virgílio) e o carimbão de direita facista e retrógrada da PEFELANÇA



26/10


2006

O último pefelista no poder

Há 12 anos como coadjuvante do poder político no estado, o PFL pernambucano terá seus dias contados caso as eleições de domingo confirmem as pesquisas que conferem vantagem ao socialista Eduardo Campos, do PSB. O governador e candidato José Mendonça Filho, do PFL, que por mais de sete anos atuou discretamente nas funções de vice-governador de Jarbas Vasconcelos, do PMDB, seria o último pefelista a passar pelo poder que o partido exerceu com exuberância desde suas origens na velha Arena, no PDS e nas décadas de 80 e de 90", conclui o jornalista Angelo Castelo Branco em artigo que acabo de postar em Opinião. Boa leitura!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Ana B. Holanda

Acho tão antigo essa história de PFL, PT... esquerda, direita...... Parece até que o estado vai ser governador por alguém que está acima de qualquer coisa.... Meu deus, essa linguagem petista lembra os desmandos do Governo Lula. E ainda falam em apuração dos fatos....devagar quase parando. ...

José Manoel de Souza

A PEFELÂNDIA AGORA VAI CRIAR A BANDEIRA "OS SEM CARGOS"

José Manoel de Souza

A "ONDA AMARELA" tinha prá mais de 100 mil pessoas. E vamos a vitória. Dia 29, não esqueça é Eduardo 40 e Lula 13.

Fernando Vieira

POR ISSO É QUE SE DIZ QUE dOMINGO, DIA 29, ESTAREMOS VIRANDO A ÚLTIMA PÁGINA DA DITADURA NESTE PAÍS. A derrota da PEFELANÇA é a "lavagem da alma" do Brasileiro. VIVA LULA!!! VIVA O BRASIL!!!

indiferente até de partido, pois o que estamos assistindo agora é que quando colocamos para a grande massa brasileira, nesse segundo turno, o que Lula fez, vejam que possivelmente o Alckmin, terá menos votos do que no primeiro turno.


Arcoverde janeiro 2022

26/10


2006

Bandido é bandido, oposição é oposição

Lúcio Flávio Vilar Lírio, famoso bandido carioca dos anos 1970, dizia, com aguda consciência de classe, que polícia é polícia, bandido é bandido. Pelo mesmo raciocínio, pode-se dizer que oposição é oposição, governo é governo, não necessariamente nesta ordem, apesar dos tantos e repetidos escândalos", avalia o jornalista e publicitário Marcelo Alcoforado em artigo que acabo de postar em Opinião. Boa leitura!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Soraya da Cruz Plácido

É bom demais lermos um texto tão bem elaborado por um comentarista também, muitissimo praparado, e portabto, tenho a certeza que eu, como cidadã e pagando meus impostos, JAMIS COMPACTUAREI COM TODA ESSA CORRUPÇÃO ASSOLADA EM MEU PAIS QUE TANTO AMO E QUERO O MELHOR...

Soraya da Cruz Plácido

Talvez assim, possamos nós, que não somos burros não, mais uma vez salvar o brasil. Passe para quantas pessoas você puder. Se você é brasileiro e gosta de seu País, faça algo por ele. Essa é a hora. Arnaldo Jabour, jornalista

Soraya da Cruz Plácido

O Lula reeleito será a prova de que os delitos compensaram. A mentira será verdade, e a novi-língua estará consagrada. É amigos. Este texto deve se transformar na maior corrente que a internet já viu.

Soraya da Cruz Plácido

As coisas são mais democráticas que os homens. Alguns otimistas dizem: "Não... este maremoto de mentiras nos dará uma fome de verdades!". Não creio. Vamos ficar viciados na mentira corrente, vamos falar por antônimos.>Ficaremos mais cínicos, mais egoístas, mais burros.

Soraya da Cruz Plácido

Assim como vivemos (por sorte...) há três anos sem governo algum, apenas vogando ao vento da bonança financeira mundial, só espero que a consolidação da economia brasileira resista ao cerco político-ideológico de dogmas boçais e impeça a desconstrução antidemocrática. As coisas são mais democr


Serra Talhada 2021

26/10


2006

Lula completa 61 anos hoje com festa do povão

 O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT, será homenageado em Brasília nesta sexta-feira, dia em que completa 61 anos de idade.

Segundo a assessoria de imprensa do PT, será um evento aberto ao público, no estacionamento do Palácio da Alvorada. O "Parabéns ao Presidente" está marcado para 8h. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

SESC - Férias de Janeiro

26/10


2006

PMDB escolherá o lado, diz Temer

 O presidente do PMDB, o deputado federal Michel Temer (SP), afirmou que o conselho da legenda vai se reunir após o dia 29 para unificar o partido em torno da oposição ou da base aliada do governo.

Temer faz parte da ala do PMDB que apóia a candidatura do tucano Geraldo Alckmin. Outra ala, liderada pelos senadores José Sarney (AP) e Renan Calheiros (AL), manifestou apoio ao petista Luiz Inácio Lula da Silva.

"Ganhe quem ganhar, eu vou reunir o conselho político do partido para buscar a unidade do partido. O PMDB não pode continuar fracionado, dividido", disse ele, que evitou comentar em torno de quem seria mais "fácil" unificar a legenda.

O PMDB, que esteve dividido durante todo o período eleitoral, conseguiu, no entanto, eleger a maior bancada na Câmara dos Deputados (89), além de emplacar quatro governadores e poder eleger mais dois, no Rio de Janerio e no Paraná. É consenso entre analistas políticos que a legenda emergiu das eleições deste ano como uma das principais forças políticas do país.

Pesquisas

Temer, que subiu no palanque de Alckmin hoje, na capital paulista, afirmou que ainda tem expectativas de uma vitória tucana no dia 29, apesar da vantagem de pelo menos 20 pontos percentuais de Lula sobre o adversário, conforme mostraram as últimas sondagens de opinião pública.

"A pesquisa, independente do fator científico, não é abrangente de todo o eleitorado. Se fosse abrangente de todo o eleitorado, não teria dado o resultado que deu no segundo turno", disse Temer. E acrescentou: "a decisão final do eleitor somente se dá nos últimos três dias". (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Manoel de Souza

Vamos aguardar prá ver qual é a do Jarbas. Ele vai decepcionar seu eleitorado. Porque não passa de um oportunista.

o nosso PSB-Partido Socialista Brasileiro, vem crescendo de forma estrutural, e com condições de pernamecer assistindo aos eleitos permanentemente, quanto os objetivos do partido. Edurado Campos vem muito sabiamente, procurando presidir esse partido com a mesma eloquência e conhecimento estruturador

É, Temer, assuma que errou a sua estratégia em apoiar o Alckmin, as brigas internas tem que ser internas, uma vez resolvidas, o partido tem que se unir. Fracionar um partido histórico desse país, com uma referência como o Ulisses, é esquecer todo um passado de luta. Hoje temos a grata certeza, que

José Rodrigues da Silva

Após tantos anos "agarrado" as franjas do poder, difícilmente será o Jarbas aquele que reagirá a convites por sua participação no "exuberante" governo do Luiz. Afora a necessidade de "acomodar" os seus "meninos" para que não fiquem orfãos do dinheirinho público!!!


Bandeirantes novembro 2021

26/10


2006

Lula admite erros e Alckmin ataca adversário

 O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT, e Geraldo Alckmin (PSDB) fizeram na noite desta quarta, em São Paulo, os seus últimos comícios da campanha à Presidência. Na zona sul, Lula admitiu erros em seu governo, mas procurou ressaltar que, com ele, "o país melhorou". Já o tucano atacou o seu adversário ao dizer que ele "mente sem ficar vermelho" e que está ao lado das oligarquias do país.

Em discurso para militantes na região de Vila São José, zona sul de São Paulo, Lula admitiu "humildemente" que houve erros em sua gestão e que ele não conseguiu fazer tudo o que queria para o país. No entanto, segundo ele, em comparação ao governo anterior, de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), o Brasil evoluiu muito. "Eu reconheço que, com tudo de errado que nós fizemos, esse país melhorou de forma extraordinária se comparado a oito anos do governo deles [os tucanos]." Lula, contudo, não disse a quais erros se referia.

O presidente voltou a defender sua tese de que se, no primeiro mandato, quando ele ainda não sabia como as coisas funcionavam direito, fez tanto pelo Brasil, no segundo conseguirá fazer ainda mais. Em sua fala, que durou cerca de 15 minutos, Lula voltou a enfatizar a diferença entre os projetos de governo dele e de seu adversário, o tucano Geraldo Alckmin. Para o presidente, trata-se de uma disputa entre a elite e um governo popular.

Já o candidato do PSDB afirmou que o presidente Lula hoje está do "lado das oligarquias". As declarações são uma resposta ao discurso de Lula, que qualificou o tucano, em seus discursos, como "o candidato dos ricos". "É impressionante como [Lula] não fica vermelho quando mente. Ele fala contra as oligarquias. [Ele] Diz que as oligarquias são contra ele, ao lado do [José] Sarney", afirmou o tucano, em comício de sua coligação, realizada na capital paulista.

O tucano também criticou políticos de quem Lula recebeu apoio nos últimos dias, com foco no ex-ministro do governo de ex-presidente Figueiredo (1979-1984), o deputado federal Delfim Neto (PMDB-SP). "O mentor hoje do Lula é o Delfim Neto, o homem que assinou o AI-5, que era para cassar o Mário Covas", criticou Alckmin, em referência ao ato institucional nº 5, que endureceu a ditadura militar.

Alckmin afirmou ainda que nas pesquisas de intenção de voto encomendadas pelo PSDB a diferença em relação ao petista está abaixo do mostrado pelas últimas sondagens divulgadas. "A diferença não é grande. Nas nossas avaliações, é praticamente de um dígito. Temos tempo para tirar [essa diferença] na reta de chegada." Pesquisa Datafolha divulgada ontem aponta que o petista tem vantagem de 22 pontos percentuais em relação a Alckmin quando considerados os votos válidos. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

josé arnaldo amaral

... O IMAGINÁRIO CULPADO DO APEDEUTA, AFINAL, FÊ-LO ASSUMIR A CULPA PELAS BANDALHEIRAS DO SEU GOVERNO CONTRA A POPULAÇÃO BRASILEIRA...ABAIXO OS PELEGOS DO CAPITAL ALHEIO !!! XÔ MULLA DO PT ET CATERVA !!!! REAGE BRASIL PENSANTE !!! ... POR TODO O SEMPRE 45 NELLE$$$$$ !!!


Pousada da Paixão

26/10


2006

PF localiza laranja que comprou dólar do dossiê

 Um dos supostos laranjas utilizados para retirar dinheiro na casa de câmbio Vicatur, em Nova Iguaçu (RJ), Viviane Gomes da Silva trabalha como recepcionista na Pousada Ouro Preto, em Minas, uma hospedaria simples que pertence a Gerson Luiz Cotta, candidato a vereador na cidade mineira, pelo PFL, na eleição de 2004.

Viviane não quis aparecer hoje em Ouro Preto, onde trabalha e mora. Viviane é enteada de Gerson, segundo informaram funcionários da pousada. Ela recebe cerca de R$ 450 mensais pelo trabalho, que realiza junto com uma irmã.

Ouvida na tarde de ontem pela Polícia Federal na cidade histórica mineira, ela negou ter realizado uma operação de compra de um lote de US$ 44,3 mil, no dia 21 de agosto, no guichê da Vicatur. Viviane disse aos policiais que apenas fornecera seus dados a representantes da casa de câmbio, procedimento que, segundo ela, também teria sido feito por outros familiares seus que residem em Magé (RJ).

Na residência onde ela mora com a mãe, o padrasto e uma irmã --um sobrado em que na parte de baixo funciona um depósito de material de construção e em cima são apartamentos--, uma pessoa que se identificou como sendo a empregada informou, pelo interfone, que não havia ninguém em casa. Durante quase toda a tarde ninguém entrou ou saiu do sobrado.

No final da manhã, pelo telefone da casa, a Folha conseguiu falar com Cotta. Mas ele não quis dar nenhuma informação. "No momento, eu não tenho nada a declarar. Você pode ter certeza de que vou estar pronto para responder qualquer pergunta. Mas, no momento, não tenho nada a declarar. Está havendo uma investigação, então não posso antecipar", afirmou Cotta.

A reportagem insistiu, querendo saber se ele também está envolvido na história e como teria se dado esse envolvimento. "Realmente, não tenho nada a declarar, mas em uma hora oportuna eu posso declarar."

Os dólares retirados por Viviane fariam parte de uma parcela de US$ 110 mil que teria sido usada para a compra do dossiê tucano por petistas. A operação atribuída a Viviane consta dos registros de operações que a Vicatur informou ao Banco Central _uma obrigação das casas autorizadas a fazer transações com moeda estrangeira.

Além dela, seu pai, Levi Luiz da Silva Filho, que mora no Rio, também teria fornecido seus dados para que a Vicatur realizasse os saques. Um terceiro membro da família, que mora em Ouro Preto, também teria sido ouvido pela PF ontem.

Na Pousada Ouro Preto, ninguém apareceu para trabalhar hoje. Lidiane, irmã de Viviane, está em licença maternidade faz dois meses, disseram funcionários da hospedaria. Já Viviane, informaram eles, não foi trabalhar porque teve que levar o filho ao médico.(Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
Publicidade

Publicidade

Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Opinião

Publicidade
Apoiadores
Parceiros