FMO janeiro 2020

05/08


2020

Coluna da quarta-feira

Gleide vice: o desespero bateu!

Entre o inferno astral criado pelas cinco operações da Polícia Federal e a sorte sumindo pela janela pintou o desespero no PSB. O moído mais ouvido nos bastidores da aliança oficial no Recife parte de aliados dos caciques: convencer a delegada Gleide Ângelo a, a mais votada nas eleições passadas para a Assembleia Legislativa, superando a barreira dos 400 mil votos, a ser candidata a vice-prefeita na chapa do pré-candidato do PSB, João Campos.

Não há, sem dúvida, outro adjetivo para qualificar esse jogo de vida ou morte que não desespero. Só existem alguns detalhes que inviabilizam qualquer consolidação de estratégia nesse sentido: Gleide também é PSB. Numa coligação ampla e com tantos caciques, fica difícil imaginar que os parceiros partidários aceitem goela abaixo uma chapa pão com pão. Mais complicado ainda é vender para um eleitorado uma chapa em que a vice teve 153 mil votos no Recife e o protagonista apenas 73 mil.

A delegada, vale a ressalva, também não faz do mandato uma vitrine Brastemp. Fraquinha que dói, nem sociedade nem tampouco seus eleitores têm a mínima noção da sua atuação, projetos de transformação sociais apresentados ou posições corajosas assumidas frente a problemas gravíssimos, que exigem posicionamentos públicos, como os escândalos na Prefeitura do Recife e no Governo do Estado com dinheiro desviado da Covid-19.

O que se diz na cidade é que, diante do pífio mandato, a delegada jamais repetirá tamanha votação. Os mais pessimistas acham até que ela terá dificuldades para atingir um terço da estrondosa votação de 420 mil votos, primeiro por fazer um péssimo mandato, segundo pela omissão frente aos escândalos envolvendo o prefeito Geraldo Júlio e o governador Paulo Câmara, aliados que defende cegamente.

Quanto a João Campos, o desespero se explica por ter despencado nas pesquisas, saindo da liderança para o quinto lugar, tendo sido passado pela delegada Patrícia Domingos (Podemos), Mendonça Filho (DEM) e Daniel Coelho (Cidadania), sem falar em Marília Arraes (PT), que está na frente, com dez pontos de diferença em relação ao segundo.

Pode até não vingar – Mesmo que venham a firmar um entendimento, os pré-candidatos a prefeito do Recife, Mendonça Filho, do DEM, e Daniel Coelho, do Cidadania, podem não deslanchar como supõem. Pelo menos essa é uma avaliação de observadores da cena política municipal. A princípio, a soma até que, teoricamente, possa levar um dos dois ao segundo turno, mas há casos que mostram não é bem assim. No plano nacional, na eleição passada, o ex-governador Geraldo Alckmin montou a mais ampla frente de partidos com todos os matizes políticas, mas mesmo assim não cresceu o suficiente para chegar ao segundo turno, sendo disputado entre Fernando Haddad (PT) e Bolsonaro (PSL).

Dois na largada – Dos pré-candidatos a prefeito do Recife, apenas dois – Túlio Gadelha (PDT) e Patrícia Domingos (Podemos) – já confirmaram, oficialmente, que estão no páreo para valer. Gadelha foi o primeiro, na semana passada, enquanto Patrícia deu coletiva, ontem, com o mesmo objetivo. Já a petista Marília Arraes, embora não tenha confirmado oficialmente, na última segunda-feira obteve mais uma vitória na executiva nacional, que aprovou, por maioria absoluta, sua candidatura. Mendonça Filho, do DEM, e Daniel Coelho, do Cidadania, não confirmaram ainda que estão na disputa para valer porque dependem de uma negociação. Um dos dois deve desistir em apoio ao outro, mas os entendimentos parecem ter estancado e, a esta altura, poucos acreditam que venham a abrir mão do projeto. Em encontros públicos, ambos têm reiterado que são candidatos de todo jeito, impedindo a unidade da oposição.

Aberta ao diálogo – De Patrícia Domingos ao anunciar sua candidatura ontem em coletiva: “A partir de agora, estamos abertos ao diálogo e aceitamos, como eu disse, todo apoio será muito bem vindo, mas com Patrícia Domingos na cabeça da chapa isso aí já está decidido. A gente passou quatro meses em tratativas com a oposição e essas tratativas não avançaram, infelizmente. Podemos entender que era o momento de avançar com uma pré-candidatura própria porque não se pode mais esperar". Apesar do anúncio, Patrícia afirmou que ainda segue com articulações em busca de apoios de outras legendas.

Sem crimes – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou na entrevista ao Roda Vida que não encontrou embasamento legal nos quase 50 pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro enviados ao Congresso até agora. "Destes que estão colocados, eu não vejo nenhum tipo de crime atribuído ao presidente, de forma nenhuma", disse. Maia afirmou ainda que o impeachment não pode ser instrumento para solução e crises. "Tem que ter um embasamento para essa decisão e não encontro ainda nenhum embasamento legal", acrescentou. Questionado sobre o motivo de ainda não ter 'engavetado' os processos, Maia justificou que ocuparia tempo na agenda do Congresso, que deve focar em pautas sobre o coronavírus.

CURTAS

SEM PRESENCIAL – Apesar de um decreto do governo estadual estender a suspensão de atividades presenciais em instituições de ensino de Pernambuco até 15 de agosto, prefeitos de municípios do interior participaram de uma reunião virtual com o governador Paulo Câmara (PSB) na última segunda-feira sobre isso. Eles demonstraram preocupação com a volta às aulas em meio à pandemia do novo coronavírus. “Neste momento, sobretudo no mês de agosto, a gente não tem condições de voltar”, disse o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota (PSB), prefeito de Afogados da Ingazeira.

REDUÇÃO DE JUROS – Os líderes do Senado decidiram colocar na pauta de votações desta semana projeto do senador Álvaro Dias (Podemos-PR) que limita os juros de cartões de crédito e cheque especial. A votação está prevista para amanhã. A decisão foi tomada em reunião na manhã de ontem. O texto inicial estabelecia em 20% ao ano os juros que bancos e instituições financeiras poderão cobrar dos clientes até julho de 2021. A ideia do senador é amenizar os efeitos da pandemia sobre os consumidores. O texto inicial estabelecia em 20% ao ano os juros que bancos e instituições financeiras poderão cobrar dos clientes até julho de 2021. A ideia do senador é amenizar os efeitos da pandemia sobre os consumidores.

DEBATE MUNICIPAL – A segunda live desta semana do blog será hoje com o presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Glademir Aroldi. Na pauta, as consequências geradas nas cidades por causa da Covid-19 e também de eleição municipal. Será às 18 horas pelo Instagram, com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio, formada hoje por mais de 40 emissoras. Se você não segue ainda o Instagram do blog, anote o endereço: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Se a pandemia do coronavírus se agravar como tem sido a tendência, o Congresso pode adiar as eleições para o próximo ano?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo de Santo Agostinho

04/08


2020

Lavareda: País pode ter eleição modelo anos 50

Por Hylda Cavalcanti

As eleições municipais deste ano tendem a ser mais federalizadas, em função da pandemia do Coronavírus, com características que se assemelham em muitos aspectos às observadas nas décadas de 1940 e 1950, por conta do distanciamento dos candidatos, e realizadas mediante critérios singulares, que precisarão ser analisados com muita atenção nos próximos anos. Quem afirma isso é o cientista político e acadêmico Antonio Lavareda, que já participou de 91 campanhas políticas e é autor do livro intitulado “Emoções Ocultas, Estratégias Eleitorais”.

Em live, há pouco, afirmou que é preciso, para os cientistas e cidadãos como um todo, refletir sobre que características deverão surgir das urnas nestas eleições, assim como os perfis dos candidatos a serem eleitos.

“A sociedade logo vai se dar conta que terá eleições totalmente diferentes do que se tinha até então. O contato candidato-eleitor, as aglomerações dos comícios, não existirão”, destacou.

Ele lembrou que ingredientes importantes para o pleito estão sendo observados pela primeira vez, como reuniões pelos aplicativos de internet, chamadas e contatos diversos em redes sociais. A quantidade de informações sobre os candidatos pode até ser grande em muitos momentos, mas com o fim do contato físico ou da redução desse contato, a forma de realização das campanhas terá um novo perfil.

Na avaliação de Lavareda, todas essas mudanças deverão se refletir sobre características que vão surgir das urnas, tanto nos perfis dos candidatos como nas preferências do eleitorado.

Questionado sobre a possibilidade de haver um aumento ou retomada de casos de contaminação com a Covid-19 no período da eleição, o que pode levar ao temor das pessoas de sair de casa para votar, o cientista político disse não achar que isso venha a ser observado. Até mesmo, ressaltou, pelo fato de a campanha começar somente na segunda quinzena de setembro.

Mas afirmou considerar importante que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) trabalhe com esta possibilidade. E, também, que o TSE transmita informações suficientes para a população, de forma a possibilitar segurança na realização do pleito.

Perguntado se não achava que se, em vez das eleições municipais o momento fosse de renovação dos mandatos da Câmara e do Senado haveria um adiamento para 2021, Lavareda concordou. Mas acharia temeroso se isto acontecesse. “A democracia do Brasil, vez por outra, se vê desafiada por passeios que se contrapõem à autonomia entre os poderes. E isso levou à avaliação de muitos políticos que não seria uma boa iniciativa”, afirmou.

O cientista político também fez um alerta para o fato de que “os candidatos devem ter responsabilidade para realizar as campanhas dentro das limitações que essas eleições exigem”.

Como o Brasil tem um número alto do eleitorado que vive na pobreza e é analfabeto e, por isso, não tem acesso às redes sociais, Lavareda afirmou que as eleições de 2020 terão um pouco de semelhança com pleitos observados nas décadas de 1940 e 1950 em que os candidatos nem sempre percorriam todos os locais onde estava o eleitorado. “Vamos regredir às eleições observadas naqueles tempos. Num contexto assim fica reduzida a taxa agregada de informação dos eleitores”, observou.

Ele disse ter preocupação grande com as fake news e o que definiu como “o papel deletério que essas notícias têm na vida democrática e nas eleições”. “Os candidatos precisam ter uma grande responsabilidade com a veracidade das informações que transmitam sobre terceiros”, pregou.

De acordo com o cientista, “anonimato, possibilidade de escalonamento e robotização são a forma das fake new no mercado atualmente”.

Lavareda contou, ainda, que antes da pandemia da Covid-19, existiam no mundo inteiro 16 países com legislação para coibir fake news. A pandemia e a difusão cada vez maiores de notícias falsas, entretanto, levou outros 16 países a elaborar e votar legislação semelhante. E outros países, como é o caso do Brasil, estão com propostas de legislação sobre o tema em tramitação no Legislativo.

Para Lavareda, teoricamente, eleições realizadas em cenário de crise econômica como o que estamos vivendo são adversos para os que estão no cargo e disputam uma recondução, como os atuais prefeitos que são candidatos. Mas a constatação disso só poderá ser observada após o resultado que sair das urnas.

Em sua avaliação, a pandemia também pode trazer uma mudança do quadro de referência da sociedade para os candidatos, tanto que há delegados, bombeiros e vários outros profissionais que apareciam em pequena quantidade em eleições passadas, disputando cargos em diversas cidades do país.

Da mesma forma, ele lembrou que tem sido observada uma mudança de convenções em relação à idade dos candidatos. Citou como exemplo disso o ex-governador de Goiás Iris Rezende, de 87 anos, que é candidatíssimo à prefeitura da capital daquele estado, Goiânia.

No tocante às menções debatidas nos últimos meses sobre mudanças no sistema de votações apresentado pelo TSE, ele disse que acha bom não ter sido feita qualquer alteração. Sua posição é de que “qualquer falha que aparecesse poderia levar a sérios problemas e ter proporção ampliada por conta da pandemia”. “Isso iria deslegitimar a credibilidade do pleito eleitoral como um todo”, afirmou.

Lavareda contou que uma alternativa de mudança nestes tempos de reclusão das pessoas até poderia ser o voto postal, mas ele também não acha que seria o ideal porque esse tipo de voto pressupõe o fim do sigilo na hora de votar.

Ele também acha que, embora tradicionalmente as eleições municipais não tenham muita influência na política nacional quanto as estaduais, estas serão diferentes, com um teor de nacionalização muito forte. “Será inevitável esse processo, em meio à crise pela qual passamos. Vivemos um ambiente nacional inédito só comparável às eleições de 1988, no início da nova República”, destacou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

04/08


2020

Cristina Amaral lança CD em live para o dia dos pais

A cantora e compositora Cristina Amaral lançará o CD do projeto "Uma Saudade Chamada Nelson Gonçalves” em uma live em homenagem ao dia dos pais. O lançamento será feito no próximo sábado, 8 de agosto, a partir das 15h, no seu canal no YouTube (www.youtube.com/cristinaamaraloficial).

Acompanhada do guitarrista/violonista Bené Sena e do percussionista Paulinho Bustorff, Cristina interpretará os maiores sucessos do eterno boêmio Nelson Gonçalves. "Não podia deixar essa data passar em branco, por isso resolvi fazer de forma intimista, com dois músicos, assim respeitaremos o distanciamento social", disse Cristina Amaral.

O CD foi gravado no Teatro de Santa Isabel em abril de 2019. O álbum é ao vivo e tem 17 faixas. "Nunca lancei nenhum produto de forma remota, essa será a primeira vez, mas como não podemos mudar o atual cenário que vivemos e as pessoas estão cobrando muito pelo material físico, resolvemos lançá-lo na live, assim as pessoas poderão adquirir o produto através de um QR CODE e em seguida receberão o CD autografado em casa", afirmou a cantora.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima - Prefeitura - Abreunozap

04/08


2020

STF retira delação de Palocci de ação contra Lula

Do G1

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, hoje, por dois votos a um, que a delação do ex-ministro Antonio Palocci deve ser retirada de uma ação penal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Neste caso, o petista é acusado de receber suposta vantagem indevida da Odebrecht na forma de um imóvel em São Paulo para utilização do Instituto Lula, um apartamento em São Bernardo do Campo para a moradia do ex-presidente e diversos pagamentos ilícitos feitos para ele e para o Partido dos Trabalhadores (PT).

A defesa do ex-presidente argumentou ao STF que o fato de o então juiz da Lava Jato Sergio Moro ter incluído o depoimento de Palocci no processo, dias antes das eleições presidenciais de 2018, representou uma quebra de imparcialidade.

O ministro Edson Fachin havia negado esse pedido em decisão individual, mas a defesa de Lula recorreu e o tema foi levado ao plenário da turma nesta terça.

Segundo o ministro Ricardo Lewandowski, a atuação de Moro teve o intuito de gerar, ao que tudo indica, um fato político o que revela descompasso com o ordenamento constitucional vigente. Para o ministro, ficou demonstrado o constrangimento ilegal imposto a Lula, o que impõe a exclusão das provas ilícitas.

O ministro Gilmar Mendes acompanhou o voto do ministro Ricardo Lewandowski. "Verifica-se que o acordo foi juntado aos autos da ação penal cerca de três meses após a decisão judicial que o homologara. Essa demora parece ter sido cuidadosamente planejada pelo magistrado para gerar verdadeiro fato político na semana que antecedia o primeiro turno das eleições presidenciais de 2018", afirmou Gilmar Mendes.

Nesta terça-feira, Fachin votou contra o recurso da defesa. No entendimento do ministro, o habeas corpus não é o meio adequado para questionar atos processuais. "Enfatizo que o habeas corpus consubstancia garantia processual vocacionada ao direito de locomoção e não se presta a tutelar regularidade de atos processuais", afirmou.

O relator ressaltou que a inclusão dos documentos relacionados ao acordo de colaboração premiada de Palocci não tinham como objetivo a "inclinação por determinada hipótese acusatória".

"Cabe assentar que o Código de Processo Penal atribui ao juiz poderes instrutórios ainda que de forma residual. Nada obstante, o que se tem nos autos é a juntada de documentos afetos ao acordo de colaboração premiada, proceder realizado com a finalidade de permitir eventual implementação de sanção premial em sede de sentença", afirmou Fachin.

"Assim, em meu modo de ver, não se demonstra que a atividade processual teve como norte a inclinação por determinada hipótese acusatória, mas tão somente possibilitar, em sede de sentença, o adequado enfrentamento da matéria afeta à atividade colaborativa", completou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/08


2020

Gleisi promete ao PSB que não haverá baixaria no Recife

Época

Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, fez chegar a Carlos Siqueira, presidente do PSB, que não haverá baixaria na disputa entre as duas legendas pela Prefeitura de Recife.

Marília Arraes, neta de Miguel Arraes, concorrerá pelo PT e João Campos, filho de Eduardo Campos, pelo PSB.

Os dois evitam ataques pessoais um ao outro. Mas a expectativa é que Marília parta com sangue nos olhos para cima do PSB, do governador pernambucano, Paulo Câmara, e do prefeito de Recife, Geraldo Júlio.

A chance de uma recomposição entre PT e PSB a nível nacional já era pequena antes do rompimento em Pernambuco. Passada a eleição, a avaliação é que a possibilidade seja nula.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

04/08


2020

Editorial analisa pré-candidatura de Patrícia Domingos

No Frente a Frente de hoje, programa que ancoro pela Rede Nordeste de Rádio, o meu editorial foi sobre o anúncio oficial da pré-candidatura da delegada Patrícia Domingos (Podemos) à Prefeitura do Recife. Vale a pena conferir!

O Frente a Frente tem como cabeça de rede a Rádio Hits 103,1 FM, em Jaboatão dos Guararapes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

04/08


2020

Lavareda na live do blog daqui a pouco

O meu entrevistado de daqui a pouco, o professor, sociólogo e pesquisador Antônio Lavareda, pela live do blog, logo mais, às 19 horas, tem currículo e trajetória invejável. Só campanhas nacionais, a maioria exitosas como estrategista da comunicação política, são mais de 90. Além do universo Brasil, duas: Portugal e Bolívia.

Lavareda é craque em tudo que faz. Seus livros são indispensáveis manuais, com regras e dicas para o sucesso de uma campanha eleitoral. Nascido no Recife e projetado para o mundo, o professor Lavareda já aconselhou políticos nacionais dos mais variados campos ideológicos e sua última cria, um programa de entrevistas ao lado da jornalista Mônica Bergamo, passou a ser obrigatório para quem gosta de um bom papo refinado, inteligente e atual da cena nacional.

Na live de hoje, ele traz à luz toda essa experiência para analisar uma eleição inusitada no Brasil, sem campanha de rua, sem comícios nem convenções. Tudo por causa da pandemia do coronavírus. 

Seu olhar vai se debruçar também sobre a importância das redes sociais na eleição brasileira e americana, já que os Estados Unidos também irão às urnas em meio a maior crise sanitária da sua história para eleger o presidente da República. Imperdível, a live começa pontualmente às 19 horas pelo Instagram do meu blog. Se você ainda não nos segue lá, anote o endereço: @blogdomagno.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Potencial Pesquisa & Informação

04/08


2020

Araripina e Ouricuri ficam em lockdown até 16 de agosto

O Governo de Pernambuco decretou, hoje, o recuo da Etapa 4 para a Etapa 2 do Plano de Convivência com a Covid-19 nos municípios de Araripina e Ouricuri, que integram a IX Gerência Regional de Saúde. O período de isolamento social rígido valerá de 7 a 16 de agosto, quando os dois municípios do Sertão do Araripe terão restrição do funcionamento do comércio apenas aos serviços essenciais. A medida foi tomada em decorrência do aumento no número de casos da doença na região.

O secretário estadual de Saúde, André Longo, esclareceu que, na direção contrária a da Região Metropolitana do Recife (RMR), foi observado um crescimento do número de solicitações de UTIs para casos suspeitos na 4ª Macroregião de Saúde, da qual Araripina e Ouricuri fazem parte. “Com relação aos casos na semana passada, foram 134 ocorrências de SRAG, sendo quase 60% na nona Geres, que compreende o Araripe”, explicou Longo, ressaltando que as duas cidades concentram 70% de todos os casos da regional, com um total de 52 registrados na última semana.

Ainda de acordo com o secretário, na Semana Epidemiológica (SE) 23 a região apresentou 13 casos suspeitos da doença, enquanto na SE 31 foram notificados 77 casos suspeitos. “Sempre ressaltamos que, caso fosse necessário para salvar vidas, daríamos um passo atrás. Portanto, precisamos que, durante esses dias, a população só saia de casa para o que for verdadeiramente essencial. Temos que reforçar essas atitudes de prevenção para que tenhamos um resultado positivo após esse período”, afirmou.

Entre as medidas do Governo do Estado para ampliar a capacidade de atendimento da Rede Pública está a abertura de mais dez leitos de UTI para os usuários do SUS no Hospital Santa Maria – unidade filantrópica das Medianeiras da Paz, em Araripina. Além disso, nos próximos dias, oito leitos de enfermaria do Hospital Regional de Ouricuri serão transformados em vagas de UTI. Atualmente, nas duas cidades, existem 82 leitos dedicados à Covid-19, sendo 20 de UTI.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/08


2020

Quiosques das praias do Recife serão requalificados

Um “acordo de cooperação” entre a Prefeitura do Recife e a Associação dos Barraqueiros de Coco do Recife (ABCR), assinado e publicado no Diário Oficial do Recife, hoje, deu sinal verde para a requalificação dos 60 quiosques localizados no calçadão das praias de Boa Viagem e do Pina. As melhorias, coordenadas pela ABCR, visam não só causar impacto visual, com uma arquitetura moderna – e cores inspiradas na sombrinha de frevo pernambucana –, como transformar a vida dos trabalhadores dos quiosques, com reforço na segurança e na requalificação profissional, com a parceria do Sebrae e Senac. Caberá à ABCR, ainda, a captação de investimentos por via de parcerias privadas, sem a utilização de recursos públicos para viabilizar as melhorias.

O último projeto de grande porte na orla recifense ocorreu há 11 anos. Com o novo empreendimento, que nasce a partir do esforço dos quiosqueiros – uma luta que se iniciou dois anos atrás –, os quiosques vão ser contemplados com instalação de duchas, ampliação da área sombreada e banquetas para um maior conforto dos usuários. Trata-se de uma obra industrializada, rápida. Com período de construção, para cada uma das unidades, entre 15 e 18 dias. Num prazo máximo de seis meses, a partir do seu início, a orla estará transformada. Todos os cuidados estão sendo planejados para que a obra cause impacto mínimo no trânsito e aos frequentadores das praias.

“É um projeto estruturante e transformador, com as mudanças visíveis no contexto da engenharia, mas com o olhar especial para as pessoas que fazem parte desse contexto, das que trabalham e também daquelas que desfrutam a Orla”, destaca o coordenador do projeto, Sérgio de Pinho.

A presidente da Associação dos Barraqueiros de Coco do Recife, Josiane Bezerra, lembra a importância do projeto inovador que está próximo de ser colocado em prática, que traz nele a identidade das cores pernambucanas, mais o prazer de dar uma nova vida às unidades, que tem sofrido muito desgaste nos últimos anos. Para ela, um presente para o cartão-postal mais célebre do Recife, a Praia de Boa Viagem.

“Agora vamos ter um quiosque bonito, com as cores da sobrinha de frevo, as mesmas da bandeira de Pernambuco. Estamos muito felizes de poder usufruir o que tem de melhor no nosso maior cartão-postal”, considerou Josiane Bezerra.

A atuação de dois agentes públicos foi determinante para o andamento e a assinatura do acordo de cooperação, entre a Prefeitura do Recife e a ABCR, para a requalificação dos quiosques da orla de Boa Viagem e do Pina. A vereadora Aline Mariano esteve ao lado dos quiosqueiros desde o início, com intuito de transformar a ideia em realidade. Ela foi um catalisador importante nas conversas com o Secretário de Mobilidade e Controle Urbano do Recife, João Braga.

“Para todos nós, é uma satisfação ter estado ao lado da ABCR neste projeto. Travamos muitas lutas, com muitas audiências públicas, reuniões com associados, gestores públicos. E agora chegamos nesse ponto. É o que eu digo: política só faz sentido quando é um instrumento de transformação”, afirmou Aline Mariano.

O projeto de requalificação dos quiosques envolve o crescimento profissional dos quiosqueiros. Assim, como forma de contemplar não apenas com a estrutura, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), em parceria, criaram um programa inédito, o “Orla Massa”, que contém um conteúdo específico, relativo às necessidades dos barraqueiros. Com aulas de gestão, cozinha do mar, cozinha regional, boas práticas de manipulação de alimentos, preparo de doces e salgados e culinária japonesa. O projeto já tem 2.500 inscritos, que farão os cursos gratuitamente cujo financiamento do treinamento também se dará por parcerias privadas


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha