Lavareda

07/08


2020

A educação tem muito o que aprender

Por Arnaldo Santos*

De uma forma geral, desde primeiro de junho último que a economia brasileira iniciou seu processo de flexibilização dos setores, através do Plano de Retomada das Atividades Econômicas e Comportamentais. Segundo informações que vêm sendo publicadas pelos governos estaduais e municipais, quase todas as atividades já se encontrariam aptas a funcionar, restando, entretanto, segmentos como o de eventos, bares, cinemas e as aulas presenciais nas escolas e universidades.

No que se refere ao último segmento, o educacional, pais, educadores, alunos, professores, funcionários, ministério e defensoria pública, dentre outros, vêm discutindo como se dará o retorno das aulas presenciais, haja vista os riscos que possa oferecer essa decisão, no momento em que os índices de infecção e mortes pelo coronavírus, apesar de terem diminuído, ainda são uma ameaça.

Embora existam estudos indicando que crianças e adolescentes são menos propensas a se infectarem pelo vírus, no Ceará, por exemplo, o Governador Camilo Santana e o Prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, mantendo a prudência e a responsabilidade que se espera de um chefe do poder executivo, comunicaram semana passada que as aulas presenciais, só retornariam em setembro, se o cenário da COVID-19 oferecer segurança. É do conhecimento geral e dessa realidade poucos devem discordar que as escolas, mesmo as particulares, possam ser um foco de reincidência perigoso dado a seu caráter aglomerativo, o que vai exigir uma ampla estrutura de testagem e monitoramento, quando do retorno.

Como esperado, a maior pressão sobre as autoridades públicas, para um retorno imediato, procede do setor privado, ao alegar prejuízos financeiros, sendo este, inclusive, um aspecto ocorrente na maioria dos estados brasileiros. Deparamos, também, entretanto, um problema relevante, o de definir responsabilidades por eventuais mortes de professores e alunos, visto que a maioria das escolas não oferece condições para redefinição de uma nova configuração dos seus espaços que garantam o distanciamento exigido pelos protocolos sanitários. Até que se tenha uma vacina, que garanta imunidade a todos, o sistema híbrido, com aulas presenciais e turmas divididas, para permitir o distanciamento no mesmo espaço, e on-line, exprime-se, decerto, como a alternativa mais segura.

No concernente à ideia defendida por alguns – de que, após a reabertura das escolas, cabe aos pais a decisão sobre permitir ou não que seus filhos voltem a frequentar as aulas presenciais – é crucial se atentar para dois fatos que submetem a dúvidas mencionada opção. O primeiro é que a covid-19, sendo um problema de saúde pública com alta taxa de letalidade, cabe ao Estado regular e decidir o momento mais seguro. O segundo reside na noção de que, para oferecer essa alternativa, o Poder Público terá que disponibilizar infraestrutura digital (computador e internet) para os estudantes que não dispuserem desses recursos, que, como sabemos são muitos, para não agravar ainda mais o já comprometido aprendizado.

Em paralelo a essa discussão, a pandemia carreou para o centro dos debates, em escala global, a necessidade de se reformar o modelo tradicional de ensino, não apenas nos conteúdos mas também no seu formato, iniciando uma gradual substituição do ensino presencial pela modalidade on-line  e educação em casa, antecipado pela emergência da doença.

Refletindo sobre o modelo de ensino adotado pelas escolas no Mundo, em seu livro 21 Lições para o século XXI, o historiador Yuval Noah Harari descreve que “[…] as escolas continuam concentradas em ensinar as habilidades acadêmicas tradicionais e numa aprendizagem mecânica, quando melhor seria priorizar o pensamento crítico que é mais importante para o sucesso dos alunos no futuro”.

Em um contexto de país em desenvolvimento, como o Brasil, assim como para alguns estados da África, e outros periféricos, não constitui surpresa que a ideia de educação vigente ainda seja a mesma de uma escolaridade arraigada na maneira como os nossos antepassados a imaginavam – estruturas físicas como as que temos hoje, ocupadas pelos estudantes, com o professor sendo centro das atenções e única referência do saber. As modernas tecnologias já desfizeram essa concepção e transportaram o conhecimento para a palma das mãos dos alunos.

É notória a ideia de que, no atinente a qualidade da educação, maneiras de ensino, nível de aprendizado dos alunos, papel docente e outros temas correlatos, a matéria é quase tão antiga quanto a criação do quadro negro, ou lousa, criado pelo professor escocês James Píllans, ainda no século XVIII. Referimo-nos à mais tradicional e revolucionária tecnologia de ensino no Mundo, pois perpassou dois séculos, já está no terceiro, e nem as modernas tecnologias digitais a fizeram perder a utilidade em sala de aula. 

Como observador que acompanha atentamente as transformações sociais, culturais e tecnológicas sucedidas no Mundo, não é sem propósito afirmar que, nos últimos quarenta anos, quase tudo se desenvolveu e se modernizou, mas a educação e o nosso sistema de ensino ainda têm muito o que aprender, para, pelo menos, situarem-se no tempo corrente.

Essa afirmação é facilmente verificada todos os dias em sala de aula, (pelo menos era, até a pandemia provocar o fechamento das escolas no Mundo), quando, em plena Era Digital e de Inteligência Artificial, os professores da maioria da escolas e universidades públicas, e também privadas, não só no Brasil, ainda são obrigados a usar, em sala, uma caderneta, caderno ou diário de classe, com a lista dos alunos,  perdendo de 15 a 20 preciosos minutos, fazendo a velha e tradicional chamada para verificar a comparência dos alunos. Essa prática é a autodeclaração do atraso do nosso sistema de educação.

Adite-se o fato de termos uma escola de ensino fundamental e médio, pelo menos no Brasil, de concepção do século XIX, com professores do século XX, ensinando crianças e adolescentes, na sua totalidade nascidas no século XXI, antenadas com as novas tecnologias, cujo cérebro parece já trazer impressa uma placa com alguns milhões de megabytes no processador, e outros tantos terabytes de memória, bem como um ministro da Educação que ainda fala no uso da palmatória. Não é preciso dizer mais sobre o quanto a educação ainda tem que aprender.

O documento The covid 19 pandemic: shocks education and policy responses aponta que, mesmo antes da pandemia, o Mundo já enfrentava uma crise de aprendizado, e 258 milhões de crianças e jovens em idade escolar primária e secundária estavam fora da escola; e, pela crise na qualidade do ensino, os que estavam estudando aprendiam muito pouco. “[…] A taxa de aprendizagem da pobreza nos países de baixa e média renda era de 53% - o que significa que mais da metade das crianças de 10 anos não conseguia ler e entender uma história simples”.

É nesse contexto que o novo coronavírus impôs o fechamento das escolas, em 190 países, deixando fora das salas de aula 1,6 bilhão de alunos, segundo dados da Unesco. Isso representa 90% das crianças em idade escolar no Mundo, com grave repercussão no desenvolvimento intelectual dos estudantes, afetando, mais agudamente, os mais pobres, além das repercussões na vida acadêmica de todas elas. Na perspectiva de Richard Amitage, da Divisão de Saúde Pública e Epidemiologia da Universidade de Nottinghan, apesar desses problemas, eles “[…] não devem ser tomados como justificativa para reabri-las”.

Dentre as várias lições que o Mundo teve de aprender com a pandemia, a mais tangível se refere ao papel que as tecnologias estão aptas a desempenhar para o ensino e a aprendizagem on-line, além da digitalização dos vários processos em uso pela sociedade em geral, pois a doença fez antecipar o futuro, nesse e em muitos outros aspectos da vida em geral.

Nessa direção, num estudo desenvolvido pela Universidade de Harvard – Mind the Skills (Gap), os pesquisadores descobriram que, na economia global atual, o conhecimento que adquirimos na faculdade dura apenas cinco anos, tornando-se obsoleto desde então. Isso impõe a todos, especialmente aos professores, não imaginar que suas habilidades têm validade premente, quando o Universo está em permanente evolução e transformação.

Para remate desses comentários, talvez, a lição mais importante a ser tirada do que a pandemia impôs é que, quando o sistema escolar voltar a funcionar e a se estabilizar, os países devem investir ainda mais na inovação das suas estruturas educacionais e nos seus modelos de ensino, não só para atenuar os efeitos negativos desse período, mas, também e principalmente, não desperdiçar a oportunidade de dar o “salto de qualidade” que a educação está a exigir. Com esse objetivo, deve cuidar para não reproduzir os erros do pré-covid, mas desenvolver sistemas aprimorados e aprendizado acelerado para todos os alunos.

Como nos ensina Albert Einstein “[…] A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original”.

*Jornalista, sociólogo e doutor em Ciências Políticas


Email

O Jornal do Poder

Confira os últimos posts

27/10


2020

Gilvandro tem 7 pontos de vantagem em Belo Jardim

A pesquisa do Instituto Opinião em Belo Jardim, em parceria com este blog, aponta o candidato do DEM na frente, abrindo uma vantagem de sete pontos percentuais em relação ao segundo colocado. Se as eleições fossem hoje, Gilvandro Estrela teria 34,6% dos votos, seguido por Isabelle Mendonça, do PSB, com 26,9%. Wilsinho, do PTB, está em terceiro, com 14,9%. Já o candidato Beto de Lulão (PT) tem apenas 2,9%. Os outros dois prefeituráveis, Bernardo da Água (PRTB) e Edson (PMN), não atingiram 1% das intenções. Brancos e nulos somam 11,7% e indecisos são 9%.

Na pesquisa espontânea, em que o entrevistado precisa lembrar o nome do candidato sem o auxílio do disco com o nome de todos os concorrentes, Gilvandro também lidera, com 25,1%, enquanto Isabelle tem 21,4%. Wilsinho foi citado por 10,9% dos eleitores e Beto de Lulão por 1,7%. Brancos e nulos chegam a 10,3% e 30,6% não souberam responder.

No quesito rejeição, Wilsinho assume a ponta: 31,1% dos consultados disseram que não votariam no petebista de jeito nenhum. Isabella é rejeitada por 21,7% e Gilvandro Estrela por apenas 8,6%. Bernardo da Água tem rejeição de 4,3%, seguido por Beto de Lulão (3,4%) e Edson (2,9%). Entre os eleitores, 9,4% rejeitam todos e 18,6% não rejeitam nenhum.

O levantamento do Instituto Opinião, de Campina Grande (PB), foi a campo entre os dias 19 e 20 deste mês, com a aplicação de 350 questionários. A margem de erro é de 5,2 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança de 95%. A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação.

A consulta é representativa dos eleitores da área pesquisada (o município de Belo Jardim) e foi feita da seguinte forma: primeiro na aleatorização da amostra em quatro estágios (bairro/localização, rua, domicílio e entrevistado) e depois em um controle das variáveis (sexo e faixa etária), ponderado de acordo com os dados obtidos junto ao TSE e TRE-PE. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo PE-04271/2020.

Quando o levantamento é estratificado, os maiores índices de intenção de voto de Gilvandro estão entre os eleitores da faixa etária entre 35 e 44 anos (39,1%), entre os eleitores com grau de instrução superior (47,4%) e entre os eleitores com renda familiar acima de dois salários (36,4%). Por sexo, tem a preferência de 37,5% das mulheres e de 31,3% dos homens.

Isabelle tem a preferência do eleitorado jovem (39,7%), do eleitorado com grau de instrução fundamental 2 (31,3%) e do eleitorado com renda de até dois salários (31%). Por sexo, 27,2% são mulheres e 26,5% são homens.

Wilsinho, por sua vez, tem seus maiores índices de voto entre os eleitores idosos (20,3%), entre os eleitores com grau de instrução superior (21,1%) e entre os eleitores com renda familiar acima de dois salários (21,5%). Por sexo, 15,7% são homens e 14,1% são mulheres.

AVALIAÇÃO DE GESTÃO

O Instituto Opinião também perguntou aos entrevistados sobre o grau de satisfação com os três níveis de poder – federal, estadual e municipal. A administração do prefeito Hélio dos Terrenos (PTB) tem a reprovação recorde de 84,9% e apenas 10% de aprovação. Dos consultados, 5,1% não souberam responder.

O governador Paulo Câmara (PSB) tem desaprovação de 41,1% e é aprovado por 39,7%, enquanto o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) possui aprovação de 51,7% e é desaprovado por 39,4% do eleitorado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Abreu no Zap

26/10


2020

Tensão marca corrida eleitoral em Quipapá

Por Houldine Nascimento, da equipe do blog

A corrida eleitoral em Quipapá, na Mata Sul pernambucana, tem sido marcada por uma tensão crescente entre os dois grupos políticos que disputam a Prefeitura. No último final de semana, ficou evidente o acirramento em razão de uma forte discussão entre o vereador Sandro da Vila (PP) e o prefeiturável Alvinho Porto (DEM), na comunidade Nova Vila.

Aliado da candidata a prefeita Lucemar Dias (PP), o legislador chegou a fazer sérias acusações contra apoiadores de Alvinho, a ponto de registrar um boletim de ocorrência. Sandro também disse que foi agredido fisicamente e responsabilizou o deputado Álvaro Porto (PTB), pai do prefeiturável do DEM, por ameaças. “Ele proferiu as seguintes palavras: ‘Se você comentar com alguém, encho sua cara de bala”, afirmou.

Alvinho Porto, por sua vez, diz que vem sofrendo intimidações do grupo adversário e atesta que vai processar o vereador Sandro por calúnia. “Ele inventou que foi agredido. Hora nenhuma isso aconteceu. Vamos mover uma ação contra o vereador, que inclusive já foi preso algumas vezes e é envolvido em um monte de coisa errada. Eles é que andam ameaçando as pessoas do nosso grupo e se fazem de vítimas”, declarou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Banco de Alimentos

26/10


2020

Belo Jardim dorme mais tarde hoje

Exatamente à meia noite, este blog, em parceria com o Instituto Opinião, de Campina Grande (PB), traz a primeira pesquisa de intenção de voto para prefeito de Belo Jardim, no Agreste, município que costuma ter eleições acirradas e disputadas.

No levantamento, também a avaliação dos três níveis de poder – Municipal, Estadual e Federal. Belo Jardim tem 62 mil eleitores, segundo registro oficial do Tribunal Regional Eleitoral. A cidade dos músicos e das marocas encontra na pesquisa uma boa razão para dormir um pouco mais tarde hoje.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Eliezer

Quando teremos uma pesquisa no Cabo de Santo Agostinho



26/10


2020

Editorial analisa distribuição do fundo eleitoral

No Frente a Frente de hoje, programa que ancoro pela Rede Nordeste de Rádio, o meu editorial foi sobre os números divulgados pela Folha de São Paulo referentes ao fundo eleitoral. Vale a pena conferir!

O Frente a Frente tem como cabeça de rede a Rádio Hits 103,1 FM, em Jaboatão dos Guararapes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


26/10


2020

Noronha passa a contar com serviços do INSS

Os cidadãos noronhenses agora contam com mais facilidade para acessar os serviços previdenciários. Hoje, a Administração de Noronha firmou Acordo de Cooperação Técnica (ACT) com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), representado pela Gerência-Executiva Recife. O objetivo é disponibilizar na ilha um espaço para acolher requerimentos direcionados ao INSS e facilitar o acesso das pessoas às demandas relacionadas a assuntos de natureza previdenciária, de forma segura e rápida, através do compartilhamento da base de dados dos sistemas implantados.

Com a iniciativa, a população poderá solicitar benefícios previdenciários, assistenciais e do seguro-defeso do pescador artesanal, (exceto benefícios por incapacidade como auxílio-doença, auxílio-acidente e aposentadoria por invalidez), Certidão de Tempo de Contribuição, revisão de benefícios, certidões variadas, recurso, atualizações para manutenção de benefício, entre outros serviços relacionados ao INSS, na modalidade de atendimento à distância, através de sistema eletrônico.

“Esse Acordo de Cooperação Técnica tem por objetivo facilitar a vida da comunidade noronhense, das pessoas que precisam realizar os serviços junto ao INSS, evitando o deslocamento para o Recife, encaminhando as demandas na própria ilha. Os serviços serão disponibilizados na Casa de Cidadania e Justiça, de segunda a sexta, das 9h às 17h”, diz Felipe Campos, superintendente Jurídico do arquipélago.

A expectativa é de que a população possa começar a utilizar os serviços a partir do dia 16 de novembro. A reunião que firmou o acordo ocorreu no escritório de apoio da administração, no bairro de São José, com as presenças do administrador da ilha, Guilherme Rocha, do desembargador do Tribunal de Justiça de Pernambuco, Erick Simões, do superintendente regional do INSS, Marcos de Brito Campos, da gerente-executiva do INSS em Recife, Denise Martins, e do chefe da Divisão de Benefícios da superintendência regional do INSS, Rodrigo Meireles.

“É com grande satisfação que estamos aqui hoje assinando esse termo de cooperação técnica entre o INSS e Administração da ilha. A partir de agora, todos os noronhenses podem ter o serviço do INSS em uma agência digital que será instalada na ilha. Então, toda a população ganha e todos os segurados vão ter acesso aos serviços do INSS”, comemorou Marcos de Brito Campos, superintendente regional do INSS.

"Estávamos atendendo Noronha por meio de ações programadas, levando servidores até a Ilha. Esse acordo é possível pelo INSS Digital que trouxe uma série de avanços, diminuiu distâncias e fluxos. Parabenizo a todos os envolvidos nesta ação", pontuou Denise Martins, gerente-executiva do INSS em Recife.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


26/10


2020

Ibope passa vexame no Rio

Pesquisa do Ibope no Rio, parceria com a TV Globo, registrada no último dia 24 para divulgação no dia 30, foi impugnada na justiça, que determinou a inclusão das candidatas Marta Rocha e Benedita da Silva nos cenários de segundo turno. O questionário já foi alterado em tempo recorde, conforme decisão judicial.

No Recife, os questionamentos em relação ao Ibope também se somam como noticiamos com exclusividade, o que só coloca também em dúvida os seus últimos e próximos resultados. Clique aqui e confira a notícia sobre a pesquisa no Rio.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

MARCOS MORAIS

Isso é uma grande besteira, chororô de quem está atrás e muito nas pesquisas, Magno aceita que dói menos, sua candidata estacionou e está sendo ultrapassada por outros candidatos. Aceita a vitória de João Campos e para de colocar dúvida sobre a pesquisa do IBOPE por que o Data folha também deu o mesmo resultado. ACEITA QUE DOI MENOS.

Rafael C.Soares Quintas

Vamos acordar meu povo, não dá pra acreditar em pesquisa patrocinada pela Rede Globo, todo mundo sabe do ódio que essa emissora tem do presidente Bolsonaro, então os candidatos apoiados por ele vão estar sempre por baixo, 2022 tá vindo aí, logo quanto mais prefeito eleito contra o presidente melhor.



26/10


2020

Nadegi realiza carreata pelas ruas de Camaragibe

A prefeita de Camaragibe e candidata à reeleição, Doutora Nadegi (Republicanos), realizou, ontem, uma carreata que percorreu doze bairros da cidade.

Nadegi fez todo o percurso ao lado do seu vice, Délio Júnior, o presidente da Assembleia Legislativa, Eriberto Medeiros, o deputado federal Silvio Costa Filho e as centenas de candidatos a vereadores que integram a coligação Nosso Tempo É Agora.

O roteiro da carreata começou no Ramal da Arena, em Santa Mônica, e seguiu por Cosme e Damião, Bairro dos Estados, Areinha, Nazaré, Vila da Inabi, Aldeia de Baixo, Tabatinga, Vila da Fábrica, Bairro Novo, Timbi e Santana.

A prefeita de Camaragibe agradeceu o carinho recebido. “O sucesso dessa carreata muito nos anima porque mostra a força do povo. Camaragibe nunca viu algo dessa magnitude e isso nos fortalece. Esse ato só reforça que a gente está no caminho certo e que vamos, no nosso tempo, colocar a cidade no caminho certo", declarou a Doutora Nadegi.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


26/10


2020

Ponto a Ponto entrevista presidente do TSE

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, é o convidado da jornalista Mônica Bergamo e do cientista político Antonio Lavareda, no programa Ponto a Ponto desta quarta-feira, às 23h, no BandNewsTV. A conversa vai girar em torno das eleições 2020 e do esquema montado para quem vai trabalhar e votar.

Barroso tem se empenhado para que as eleições municipais sejam realizadas com tranquilidade. As chamadas eleições da pandemia geram expectativas e muito se especula sobre a possibilidade de alta abstenção. Se as pessoas vão ter medo de sair de casa para votar. Se depender da intenção do eleitorado brasileiro no levantamento da pesquisa XP-Ipespe, de 19 a 20 último, o presidente do TSE pode seguir tranquilo rumo ao pleito: 81% dos brasileiros garantem comparecerem às urnas para votar.

Diante do medo gerado pela Covid-19, 12% afirmam que ainda vão decidir se comparecem para votar e só sairão de casa rumos às urnas dependendo de como esteja a situação da pandemia. Mas 6% acham que não irão comparecer para votar devido ao risco do coronavírus.

O programa Ponto a Ponto é semanal e será reprisado na quinta à meia noite, no sábado às 11h e domingo às 17h30.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


26/10


2020

Mendonça responsabiliza PSB pelo aumento da violência

Mendonça Filho, candidato a prefeito do Recife pelo DEM, reuniu-se, na tarde de hoje, na sede do Sindicato dos Guardas Civis Municipais (Sindguarda-PE), na Boa Vista, para ouvir a categoria e debater sobre segurança pública para a cidade.

O ex-ministro da educação responsabilizou as gestões do PSB pelo aumento da violência no Recife e reiterou que, em sua gestão, a segurança pública será prioridade. “O Recife é uma cidade insegura. Todo pai, toda mãe, fica com medo quando seus filhos saem de casa sem saber se voltam, pois somos a 7ª capital do país com maior taxa de homicídios, e isso é resultado do descaso das gestões do PSB no combate à violência. Quem mais sofre são os mais pobres. As drogas, o crime e o tráfico estão tomando conta dos bairros. O prefeito tem que ter liderança, compromisso e coragem para fazer a sua parte. E nós, eu e Priscila, vamos cumprir nosso dever de proteger a população e a cidade”, afirmou.

No encontro, Mendonça assinou uma carta de compromissos de fortalecimento e valorização da categoria dos guardas municipais e ressaltou que, para melhorar a segurança no Recife, a Guarda Municipal da capital será capacitada e andará armada. “O Recife é uma das duas únicas capitais do Brasil que ainda não faz isso, por decisão do prefeito Geraldo Júlio. Uma guarda armada e bem treinada é um dos pontos importantes para, não apenas proteger o patrimônio público do município, mas também oferecer segurança às famílias recifenses”, afirmou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


26/10


2020

Justiça defere candidatura de Joelson em Calumbi

A Justiça deferiu, hoje, o registro de candidatura de Joelson (Avante) à Prefeitura de Calumbi, no Sertão do Pajeú. O juiz da 108ª Zona Eleitoral, Manoel Belmiro Neto, considerou improcedente o pedido de impugnação feito pela prefeita Sandra da Farmácia (PT), que disputa a reeleição.

Na visão do magistrado, Joelson comprovou condições de elegibilidade. “Não havendo informação de causa de inelegibilidade, o deferimento do pedido de registro de candidatura é medida que se impõe”, sentenciou.

Em 2017, a Câmara de Vereadores de Calumbi chegou a reprovar as contas do exercício financeiro de 2012, quando Joelson era prefeito. No entanto, o candidato do Avante recorreu e conseguiu suspender os efeitos da medida.

Foi nisso que o juiz Manoel Belmiro Neto se baseou para chegar à decisão. “No presente momento, a decisão oriunda do Decreto Legislativo nº 01/2017 da Câmara Municipal de Calumbi/PE se encontra com seus efeitos suspensos”, reforça o magistrado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se