FMO janeiro 2020

22/01


2020

Evento debate ações de segurança pública para o NE

A Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste é o mais novo centro de discussão sobre ações de segurança pública para a região. A autarquia será a anfitriã de evento promovido em parceria com o Consórcio Intermunicipal de Segurança Pública e Defesa Social de Pernambuco (Conseg/PE) para debater o tema. O encontro acontece amanhã, na sede da autarquia em Recife, a partir das 8h.

A ideia do encontro é apresentar as atividades do grupo intermunicipal como uma proposta a ser replicada em outros estados da área de atuação da autarquia, facilitando a tomada de decisão e financiamentos de medidas de segurança pública. O consórcio reúne, atualmente, 11 cidades pernambucanas. Outras 22 já assinaram protocolo de intenções para também integrarem o coletivo, de acordo com o secretário executivo de gestão do Conseg/PE, Sílvio Barbosa de Miranda. “Trata-se do primeiro consórcio público sobre o tema no Brasil. A proposta é ser uma ferramenta de integração das políticas públicas de segurança e defesa social”, explica.

São esperadas as presenças do Ministro da Cidadania, Osman Terra e do Secretário Nacional de Segurança Pública, general Guilherme Theophilo. O intuito é estimular a participação federal em ações do consórcio para prevenção à violência e investimentos na melhoria das condições de trabalho das guardas municipais. O evento também deve contar com a presença de receber prefeitos de municípios pernambucanos e agentes de segurança pública.


Email

Comentários

André

Silvio Miranda, sempre executando ações importantissmas para nosso estado!


Detra maio 2020 CRLV

Confira os últimos posts

01/06


2020

Eleitor atrevido da moléstia

Por sugestão de leitores matutos como eu, criado no mato (meu pai Gastão Cerquinha nos levava todo fim de semana para o sítio em Afogados da Ingazeira), inspirado entre a sonoridade triste e agourenta do acauã e o canto belo do sabiá, tenho contado muitas histórias que vivi entre a infância, a adolescência e já com cabelo na venta também.

Elas envolvem muito meu pai, seu legado de sertanejo afoito e apaixonado por cheiro de terra, romântico, daqueles que ainda mandam flores, que olham para a lua e da sua luminosidade extraem um poema. Mas a minha mãe, a flor Margarida, também é estuário dos bons, de onde é possível regar uma boa prosa. Mamãe morreu aos 86 anos, infarto fulminante. Foi uma guerreira. Pariu nove filhos, matou a fome de todos com tareco e mariola, como canta Petrúcio Amorim.

De personalidade dura como as pedras sertanejas, nunca levou desaforo para casa. Papai, político, mais conciliador e diplomático, reclamava que de vez em quando ela afugentava eleitores pelo temperamento meio a seu Lunga. Era o traço da sua honestidade. Dizia o que vinha na cabeça e ponto final.

Quando comecei a namorar Aline Mariano, hoje vereadora no Recife, mãe dos meus filhos Magno Filho e João Pedro, ela foi logo dizendo: "Mariano, aqui nesta casa não bota os pés".  Aline é filha do ex-deputado Antônio Mariano, já falecido, adversário político da minha família desde que me entendi de gente. Daí, a ira e decepção de mamãe. Foi um golpe na vida dela, mas o tempo se encarregou de deixá-la apaixonada por Aline, para quem depois não tinha defeitos, só virtudes.

Num dia de eleição na qual papai disputava mais um mandato de vereador, um cabra atrevido chegou lá em casa justamente na hora em que ela matava a sede das suas plantinhas nos jardins, ao lado da garagem. Dizendo ser eleitor fiel de papai, o cabra inventou de pedir a ela para lavar seus pés.

O sangue dos Martins da paraibana Monteiro fez ela dá um bote de cobra no cidadão. 

"Tenha vergonha na cara! Tais pensando que sou mulher largada? Olhe a mangueira aqui, pegue e lave".

Papai perdeu o voto, mas esse atrevimento ela não engoliu


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Abreu e Lima - Maio

01/06


2020

A República independente das Carrancas

Junho mostra a sua cara, hoje, sem os tradicionais festejos da sua época junina por causa da pandemia do coronavirus, mas com uma rebeldia no campo político e administrativo em Pernambuco: o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), dá seu grito de independência e proclama a República das Carrancas ao desobedecer ao decreto do governador Paulo Câmara (PSB), do outro lado do seu balcão da política, que manda prorrogar o fechamento do comércio, enquanto o prefeito determina a abertura em seu município. 

O que o governador fará? É a pergunta do dia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Prefeitura do Ipojuca

31/05


2020

O mundo encantado de Paulo Câmara

Por meio de uma publicação no Instagram, o governador Paulo Câmara comemorou dados estatísticos de Londres sobre Pernambuco em relação ao coronavírus. Contudo, os números locais (e reais) mostram outra realidade. 

Só hoje foram 1.023 novos infectados e 67 mortes. Ao todo já são 34.450 contaminados e 2.807 óbitos. Ele deve estar mesmo no mundo da lua ou em Londres. 

Parabéns, governador!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


31/05


2020

Justiça veta hospital em imóvel de prefeita de Glória

Houldine Nascimento, da equipe do blog

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) atendeu, ontem, uma ação popular impetrada por vereadores oposicionistas para suspender a instalação de um hospital de campanha em Glória do Goitá, na Zona da Mata Norte. A unidade funcionaria na Fazenda Boa Esperança, de que a prefeita Adriana Paes (PSD) é herdeira.

O imóvel pertence ao espólio de Fernanda Paes, falecida mãe da prefeita. O município chegou a fechar um contrato para que o hospital permanecesse instalado por seis meses na fazenda.

Na decisão, o juiz Gabriel Araújo Pimentel considerou que o contrato “afronta os princípios norteadores da lei” pelo “fato de o imóvel pertencer à família da Excelentíssima Prefeita”. Nas palavras do magistrado, isso “impede a realização de qualquer tipo de investimento com a utilização de verba pública, por mais ínfima que seja”.

Caso descumpra a medida, a prefeita terá de pagar multa diária de R$ 5 mil. Os vereadores Leonildo Caboclo, Marcos José, Monalysa Amorim e Sebastião Silva, todos do Podemos, são responsáveis pela ação popular.

“Tomamos conhecimento no dia 1º de maio, através da publicidade que a prefeita fez nas redes sociais, ‘cedendo’ a sede da Fazenda Boa Esperança. Havia um impedimento legal e alertamos a gestão municipal sobre isso. Chegamos a sugerir outros locais para o hospital de campanha, mas, ainda assim, o comodato foi celebrado, contrariando a lei”, detalha Monalysa Amorim.

A vereadora informa que continuará acompanhando o desdobramento do caso. “Aguardamos agora os recursos e desdobramentos da ação, serenos e confiantes na justiça”, explica.

Na última sexta-feira (29), a prefeita Adriana Dias esteve na Fazenda Boa Esperança e vistoriou as obras.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Banco de Alimentos

31/05


2020

Governo de PE diz que curva da Covid estacionou

O governador Paulo Câmara promoveu, hoje, uma reunião para avaliar os resultados do lockdown nas cidades do Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e São Lourenço da Mata. Após o encontro, o Governo divulgou que a disseminação do novo coronavírus estabilizou em Pernambuco, com uma tendência de redução neste cinco municípios que entraram no isolamento mais rígido.

Para anunciar a estabilização da doença, o Gabinete de Enfrentamento ao Coronavírus trouxe dados do Instituto para Redução de Riscos e Desastres de Pernambuco (IRRD), da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e pela Escola de Higiene e Medicina Tropical da Universidade de Londres.

Segundo o grupo, houve uma diminuição na fila de espera por leitos de UTI. A expectativa é de apresentar, amanhã, um plano de retomada das atividades econômicas. 

O Governo do Estado também não descarta alterações no cronograma de abertura e até mesmo a possibilidade do retorno de medidas mais duras de isolamento.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

marcos

Se não me engano o decreto estadual obriga a todos usarem máscaras, por que o governador não quer usar? Olhem a foto acima. Qual é mesmo a pena pra quem descumpre o Decreto?


Prefeitura de Serra Talhada

31/05


2020

72% dos brasileiros são contra armas, diz pesquisa

Folha de São Paulo

A população brasileira rejeita de forma inquestionável o argumento do presidente Jair Bolsonaro de que é preciso armar as pessoas para que não sejam escravizadas por governantes.

Segundo pesquisa Datafolha, 72% dos entrevistados discordam do que disse Bolsonaro em reunião ministerial do dia 22 de abril, cuja gravação em vídeo foi divulgada por ordem do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal.

“Eu quero todo mundo armado. Que povo armado jamais será escravizado”, afirmou o presidente na ocasião.

Apenas 24% dos pesquisados estão de acordo com a declaração, enquanto 2% não concordam nem discordam e outros 2% não souberam responder. A margem de erro da pesquisa, feita com 2.069 entrevistados nos dias 25 e 26 de maio, é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Em razão da pandemia do novo coronavírus, o levantamento foi realizado por meio de telefone celular, e não presencialmente, como costuma ser a prática do instituto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

marcos

Isso é Fake.


O Jornal do Poder

31/05


2020

Petrolina vai ignorar decreto do governador

A Prefeitura de Petrolina, no Sertão do Estado, não levará em consideração o novo decreto assinado pelo governador Paulo Câmara (PSB), hoje. A expectativa do prefeito Miguel Coelho (MDB) é de reabrir o comércio já a partir de amanhã.

"A Prefeitura de Petrolina não irá se pronunciar a respeito do novo decreto do Governo do Estado. O município seguirá com os protocolos de reabertura das atividades econômicas conforme foi discutido anteriormente com as autoridades, inclusive com o próprio governo, e anunciado para a população", declara.

Assista ao vídeo com o prefeito.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Shopping Aragão

31/05


2020

Novas regras para quarentena em PE

O governador Paulo Câmara assinou, hoje, o decreto nº 49.055/20, que sistematiza novas regras de enfrentamento ao novo coronavírus após o término do período de quarentena rigorosa nas cidades do Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e São Lourenço da Mata. A partir de amanhã (1º), em todo o território pernambucano, fica suspenso o rodízio de veículos de acordo com as placas (pares e ímpares), mas permanece obrigatório o uso de máscaras para quem precisar sair de casa.

Também continua vedado o acesso às faixas de praia, calçadões e parques públicos, bem como o funcionamento de shoppings, lojas e prestadores de serviço que não se enquadrem como atividades essenciais. As aulas presenciais nas redes pública e privada continuam suspensas até 30 de junho.

Permanece proibida a realização de eventos de qualquer natureza com público, assim como a concentração de mais de dez pessoas no mesmo ambiente. O novo decreto estabelece que a retomada do funcionamento das atividades econômicas, suspensas durante o enfrentamento à pandemia, será realizada de forma setorial e gradual, considerando-se os riscos à saúde e a relevância socioeconômica de cada atividade, conforme o Plano de Convivência com a Covid-19 aprovado pelo Governo do Estado, que será apresentado nesta segunda-feira.

O novo decreto consolida as determinações contidas em decretos anteriores, e revoga parte deles, além de trazer a lista atualizada das atividades consideradas essenciais. Podem continuar a funcionar supermercados (inclusive os localizados em shoppings, desde que com acesso independente), padarias, farmácias, bancos (inclusive as agências da Caixa Econômica Federal localizadas em shoppings, para atendimento exclusivo de beneficiários do auxílio emergencial) e casas lotéricas.

Os shoppings continuam com lojas fechadas, exceto para entregas em domicílio. Permanece suspenso o atendimento ao público em restaurantes, lanchonetes, bares e similares, sendo permitido apenas o funcionamento para entrega em domicílio e como pontos de coleta.

A regra exclui os restaurantes para caminhoneiros, desde que não haja aglomeração. Também permanece suspenso o funcionamento de salões de beleza, barbearias, cabeleireiros e similares, academias de ginástica, clubes sociais, cinemas, teatros e a realização de jogos e partidas de futebol.

O decreto determina, ainda, que pessoas que tenham ou tiverem contato com pacientes diagnosticados com Covid-19 devem cumprir quarentena domiciliar de 14 dias, independentemente do aparecimento de sintomas, mantendo a rotina de trabalho remoto sempre que possível.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


31/05


2020

O mascate da morte

Por Weiller Diniz*

A putrefação e o rastro pestilento infectam a insalubre milícia do capitão Bolsonaro. Ao longo do tempo os cadáveres estão sendo empilhados. Uma necrópole infame e particular desse mascate da morte. Sua vida é tracejada pelo extermínio. A morte é a meta, o ódio o método. Prescrevendo, ilicitamente, o medicamento ineficaz contra a Covid-19 e letal, escarneceu: “Quem é de direita toma cloroquina, quem é de esquerda tubaína”, debochou seguido de uma depravada zombaria.

O escárnio diante de 18 mil mortes naquele dia – derivadas de um recorde diário de óbitos – mascarou outra perversão primitiva. Tubaína, além do refrigerante, especula-se, teria sido um método de tortura que provoca o afogamento da vítima através do excesso de líquido empurrado por um funil através da garganta. Em ato falho, o adorador do pau de arara e maníaco por rituais mortuários, não disfarçou a índole mórbida e o sadismo torpe.

A falange macabra é ancestral. A fedentina fúnebre o circunda como varejeiras em fezes, dia sim, outro também. Na escalada da pandemia desprezou com um “e daí?” a superação dos números chineses e a marca mais de 5 mil mortos no Brasil. Dias antes excrementou: “brasileiro tem que ser estudado. O cara não pega nada. Eu vi um cara ali pulando no esgoto, sai, mergulha… Tá certo?! E não acontece nada com ele”. As metáforas nauseabundas são inquilinas confortáveis da débil cognição do capitão.

A marcha patogênica diante da pandemia expeliu esterco suficiente para adubar o planeta. Na eclosão da crise palpitou “superdimensionamento” e “fantasia”. Insistiu no menoscabo à vida comparando a letalidade a outras gripes menos virulentas (H1N1) e empacou na “histeria” após a 1 morte, em 17 de março. Agredir governadores e a mídia passou a ser um método diversionista até atingir o ápice da estupidez no pronunciamento no dia 14 de março: “gripezinha”, “resfriadinho”, minimizou após falsear um armistício com governadores.

O trote do descaso prosseguiu ao proclamar o fim da pandemia, em 12 de abril. Já eram 22 mil casos e a marca dos mil óbitos: “Parece que está começando a ir embora essa questão do vírus”. O negacionismo, desmentido pelas valas e corpos empilhados, foi desmascarado em 20 de abril, quando atingimos 40 mil infecções e 2,5 mil mortes: “Eu não sou coveiro”, em outro solavanco de insanidade. Antolhado em crenças tão vaporosas quanto flatulências, seguiu receitando o medicamento fatal, proscrito pela OMS e banido na França.

Ao conspirar contra o isolamento, o capitão sabotou a ciência e contribuiu para aumentar a velocidade da infecção e letalidade dos casos brasileiros. Estudo da universidade de Cambridge atribui uma parcela de mortes à retórica sepulcral contr o relaxamento. “Brevemente o povo saberá que foi enganado por esses governadores e por grande parte da mídia nessa questão do coronavirus”, golfou, equivocadamente, no final de março.

Entre 26 de fevereiro até o final de maio, o número de casos da Covid-19 explodiu no Brasil. Do caso 01 até os dados atuais de mortes foram apenas 3 meses. CPFs indisciplinados que insistem em falecer diante da insipiência do capitão. Foram 3 ministros da saúde, boicotes contra o isolamento e uma pregação demente sobre a eficácia da cloroquina.

O culto a morte, armamentismo, idolatria a sanguinários, milícias e extermínio de adversários resumem o doentio ideário do capitão. “Só vai mudar, infelizmente, quando um dia nós partimos para uma guerra civil., aqui dentro e fazendo o trabalho que o regime militar não fez: matando uns 30 mil…Se vai morrer alguns inocentes, tudo bem, tudo quanto é guerra morre inocente”, apregoou em 1999. Após 3 décadas o agouro é sempre lembrado.

Na escatológica reunião do covil golpista, em 22/04/2020, o capitão regurgitou novamente o desejo de armar a população e impedir rastreamentos de balas. Isso só interessa ao crime. Na sua primeira investida foi brecado pelo parlamento, que fuzilou, em maio de 2019, o decreto banalizando o acesso às armas. O tiro saiu pela culatra. O Congresso abateu a medida. As únicas vidas que preza é a própria e dos filhos. Por isso o rapapé a Augusto Aras, titular da ação penal. Visitas pessoais, promessas de cargos e medalhas. A família tem pendor pela bajulação. Flávio Bolsonaro condecorou o miliciano Adriano da Nóbrega.

A promiscuidade com a face mais aterradora da morte – a milícia, que assassinou Marielle Franco, é íntima. Flávio Bolsonaro na Alerj em 2007: “A milícia nada mais é do que um conjunto de policiais, militares ou não, regidos por uma certa hierarquia e disciplina, buscando, sem dúvida, expurgar do seio da comunidade o que há de pior: os criminosos”. O pai ricocheteou: “Elas oferecem segurança e, desta forma, conseguem manter a ordem e a disciplina nas comunidades. É o que se chama de milícia. O governo deveria apoiá-las, já que não consegue combater os traficantes de drogas. E, talvez, no futuro, deveria legalizá-las”.

A desenvoltura ultrapassa a retórica. Flávio Bolsonaro contratou o PM das ‘rachadinhas’, Fabricio Queiroz, amigo do pai. Queiroz era camarada de Adriano da Nóbrega. Adriano foi condenado por homicídio e o capitão o inocentou no plenário da Câmara. A medalha de Tiradentes a Adriano, da assembleia, foi entregue na cadeia. Tempos depois foi medalhado com uma rajada de tiros. Flavio empregou a então esposa de Adriano, Danielle Mendonça da Costa, e a mãe, Raimunda Veras Magalhães.

O gestual da ‘arminha’ maculou a campanha, bem como a cena de fuzilar “a petralhada” no Acre. Ao votar contra Dilma Rosseuf, reverenciou o ex-chefe do Doi-Codi, o condenado Carlos Alberto Brilhante Ustra, síntese do sadismo assassino da ditadura. Na presidência estendeu o tapete vermelho de sangue para o facínora major Curió, comandante da repressão no Araguaia, que resultou em 41 mortes. O novo recruta, sargento Tainha Roberto Jefferson, já posou com armas. As analogias mortíferas contagiaram Paulo Guedes, que colocou uma granada no bolso do inimigo, o servidor público.

Agônico e marchando para a deterioração. Essa é a trajetória fúnebre do capitão flagelo. A escumalha é a borra de um dos mais vis embates, há 84 anos na Universidade de Salamanca, opondo civilização e barbárie. O general franquista, José Millán-Astray instigava a plateia fascista, no início da guerra civil espanhola. Coincidência, a palavra de ordem era liberdade: “Abaixo a inteligência e viva a morte”. Miguel de Unamuno, intelectual, reitor e ex-franquista que não se calou: “Às vezes o silêncio é mentir”.

Em nome da razão contra ignorância, da prevalência da ciência diante do obscurantismo, dos verdadeiros democratas em detrimento dos fascistas, do triunfo da verdade sobre a mentira, da civilização em desfavor da bestialidade, da predominância da paz contra o belicismo e, sobretudo, da afirmação da vida antepondo-se a morte, não é hora de silêncio, menos da mentira: nem cloroquina, nem tubaína. Desinfetem a latrina.

* Jornalista. Artigo escrito para o site Os divergentes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

marcos

Ainda bem que a natureza criou esse monstro chamado Corona Vírus para matar muita gente. Luiz Inácio Corona da Silva

Fernandes

Torcidas de futebol se unem em defesa da democracia e contra o fascismo. Fora Bozonaro.



31/05


2020

Vertentes é exemplo contra Covid-19, destaca Leal

O prefeito de Vertentes, Romero Leal (PSDB), exalta o fato de a cidade não ter nenhuma morte em decorrência do novo coronavírus. Segundo o gestor, o município do Agreste Setentrional também não registra internados pela doença. "Para nossa felicidade, todas as pessoas estão sendo tratadas nos seus domicílios", destaca.

De acordo com Leal, testes rápidos estão sendo feitos, assim como outras ações de monitoramento. No vídeo, ele também fala sobre o cuidado com os recursos para enfrentar a doença.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se