FMO janeiro 2020

20/07


2019

Programa do MEC que beneficiou 818 mil será fechado

O governo afirmou que o programa Idiomas sem Fronteiras será substituído, mas ainda não anunciou como a mudança vai acontecer

Estadão Conteúdo

Programa que permitiu a mais de 818 mil alunos e professores universitários aprender uma segunda língua, o Idiomas sem Fronteiras (IsF) será encerrado pelo Ministério da Educação (MEC).

Criado para ser um braço do Ciências sem Fronteiras (CsF) encerrado em 2014, o projeto se tornou nos últimos anos a principal ação do governo federal para promover a aproximação do ensino superior brasileiro ao de outros países.

A gestão do ministro Abraham Weintraub fez duras críticas ao programa. “O Idiomas sem Fronteiras não funcionou, a gente vai substituir. O objetivo não pode ser pagar TOEFL [teste de proficiência em inglês] para as pessoas”, disse Arnaldo Barbosa de Lima Júnior, secretário da Educação Superior do MEC. A declaração foi dada durante a apresentação do programa Future-se na quarta-feira, (17).

Minutos antes de criticar o programa, Lima Júnior destacou exatamente que uma das principais dificuldades das universidades brasileiras é a internacionalização.  “Existem poucos estrangeiros no nosso país e, poucos brasileiros no exterior. As ações que foram feitas no passado, como o Ciências sem Fronteiras, não foram bem sucedidas porque focaram no CPF das pessoas. Nós queremos focar no CNPJ das instituições”, disse.


Email

IPTU Cabo

Confira os últimos posts

16/02


2020

Um Fagner que poucos conhecem

Mergulhar na biografia do cantor Raimundo Fagner, o cearense que se projetou mundialmente pelo canto do seu canto, é descobrir um homem extremamente dedicado ao bem cuidar das pessoas, zelador de grandes amizades, brincalhão, sempre de bem com a vida, mas extremamente perfeccionista.

Inquieto, amoroso, apaixonado por futebol, amigo da geração ouro do escrete canarinho da década de 70, como Pelé, Zico, Rivelino e tantos outros. Fagner abriu um campo de futebol, uma areninha, na Fundação que leva  seu nome em Fortaleza. Na pelada de inauguração, quase todo os campeões da seleção brasileira de 70 bateram o ponto lá.

Todos os nomes aparecem  registrados na placa oficial que conferi na visita à instituição. Fagner é um encanto de pessoa e a leitura do seu livro, além de  prazerosa, é uma redescoberta da vida dele, da sua musicalidade e do seu jeito mansinho, feito mineiro, de conquistar novos amigos, entre os quais ele me inclui, para honra deste pobre plebeu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Governo de PE - Decimo Terceiro

16/02


2020

Brasileiros em quarentena seguem sem sintomas de coronavírus

Por Estadão Conteúdo

O Ministério da Defesa informou, na tarde deste domingo, 16, que os 58 brasileiros que regressaram da China e cumprem período de quarentena em Anapólis (GO) seguem sem sintomas de contaminação pelo novo coronavírus.

Entre os brasileiros que estão isolados se encontram diplomatas, profissionais de saúde, tripulantes, membros das Força Aérea Brasileira (FAB) e jornalistas.

De acordo com o boletim, eles “passaram pelas avaliações clínicas previstas e permanecem com o quadro assintomático”. Os repatriados estão isolados desde o domingo passado, 9.

O grupo passa por avaliações clínicas de saúde, que incluem aferições de sinais vitais, como medição de temperatura, pressão e frequência cardíaca, e exame de nasofaringe.

Os brasileiros que não apresentarem sintomas da doença serão liberados para seguir para as suas casas depois de 18 dias de isolamento. A quarentena, de caráter preventivo, deve acabar no dia 27 de fevereiro, de acordo com o Ministério da Defesa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

acolher

16/02


2020

No Carnaval de Triunfo

Há muito, passo o reinado do momo na praia, ouvindo o barulho das ondas. Nascido nas montanhas de Minas, Rubem Alves tinha o mar como inspiração. Os ipês também encantavam ele. Meu encanto e canto poético é o Sertão.

Acho que herdei o apego ao chão batido e seco euclidiano vendo meu pai beijar de manhã a flor do mandacaru. No meu livro Reféns da Seca, estampei uma frase antológica dele: "No Sertão, até as pedras são lindas".

Por aí dá para sentir o quanto ele ama sua terra. Este ano, vou respirar de manhã cedo as hortênsias de Triunfo, o cheiro dos seus eucaliptos, a vegetação caatingueira, ouvir o rouxinol cantado por Roberta Miranda. Gosto tanto das veredas sertanejas que, muitas vezes, sinto exalar dentro de mim cheiro de bode.

Luiz Gonzaga dizia que Januário, o seu pai, era tão sertanejo que tinha perfume de barbicha de bode. Prefiro o perfume das flores do marmeleiro, do ipês amarelos, do cajueiro e do umbuzeiro.

O Sertão tem ar quente e seco, noites serenas, o vento da madrugada mais parece brisa do mar. Lampião fazia fogueira para espantar o frio da noite nas moitas que se escondia correndo das forças volantes, a polícia, que o perseguiu e o matou.

No filme O Bacurau, Kléber Mendonça jorrou sangue em terras do novo e repaginado cangaço. Mas o Sertão é território pacato, é vida andante cheia de versos dos seus poetas, cantadores e emboladores.

Eu tenho alma e espírito euclidiano. Meu carnaval em Triunfo será um abraço sem tamanho e limite do reencontro com minhas raízes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


16/02


2020

Mês de recesso: Senado gastou R$ 567 mil em horas extras

Do Metrópoles

Em dezembro de 2019, mês do recesso parlamentar que começou oficialmente no dia 23, o Senado Federal desembolsou R$ 567 mil em horas extras com servidores. Os dados foram publicados em formato de relatórios no Portal da Transparência da Casa no início deste mês.

O valor engloba gastos com os servidores concursados, comissionados e também com aqueles que dão expediente em gabinetes de senadores ou nas lideranças dos partidos. O levantamento foi feito pelo (M)Dados, núcleo de análise de grandes volumes de informação do Metrópoles.

A Secretaria de Policiamento foi aquela que mais recebeu nessa modalidade de pagamentos no mês do recesso, somando um total de R$ 30 mil. A divisão não está sujeita ao limite mensal, de R$ 2,5 mil pagos por servidor. Dessa forma, houve um caso, revelado pelo Metrópoles, do policial Itamar Costa Júnior, que embolsou R$ 406 mil de horas extras em sete anos.

Em segundo lugar, ficou o Serviço de Soluções para o Orçamento e Fiscalização, que, em dezembro, desembolsou R$ 22,2 mil nessa modalidade de pagamentos.

Entre os gabinetes, o que mais gastou foi a liderança do PSDB, com um total de R$ 10,8 mil divididos entre cinco servidores. Somadas as lideranças, incluindo a da Maioria e da Minoria no Congresso Nacional, o consumo total foi de R$ 79,5 mil em horas extras.

Veja mais aqui: Em mês de recessoSenado gastou R567 mil em horas extras


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Cúpula Hemisférica

16/02


2020

Desfiles das Virgens: agressões e correria; Veja o vídeo

Olinda

Do G1 - PE

Uma briga entre grupos rivais provocou correria, neste domingo (16), durante o desfile das Virgens do Bairro Novo, em Olinda. O tumulto foi registrado por moradores da região, que enviaram vídeos ao WhatsApp da TV Globo. As imagens registraram a confusão e as agressões, na Avenida Getúlio Vargas 

No vídeo, é possível ver, inicialmente, pessoas caminhando. Um grupo circula na via e se depara com outro aglomerado, que surge do lado oposto da avenida.

De repente, pessoas começam a correr e algumas delas partem para uma briga generalizada. Alguns homens se aproximam do muro de um prédio que fica no local. Neste momento, é possível vê-los trocando socos e pontapés.

Por meio de nota, a Polícia Militar informou que as cenas de violência registradas "ocorreram antes de o primeiro trio elétrico do bloco" começar a primeira apresentação.

A corporação informou, ainda, que "não se trata de arrastão" e que "o problema aconteceu porque dois grupos se encontraram a caminho do desfile e começaram a brigar".

Confira o vídeo aqui: Agressões entre grupos rivais e correria marcam desfile das ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Prefeitura de Serra Talhada

16/02


2020

Concursos públicos: 17.486 vagas em várias regiões do país

Do UOL

Concursos públicos oferecem pelo menos 17.486 vagas em várias regiões do país. Esse número se refere a concursos selecionados (nacionais, com mais vagas e salários melhores). Se forem considerados todos os concursos, há mais de 25 mil vagas. Existem oportunidades em diversos cargos, destinadas a candidatos de todos os níveis de escolaridade. As remunerações iniciais podem chegar a R$ 33,7 mil, dependendo da função desejada. C

lique aqui para ver a lista completa de concursos disponíveis nesta semana e com inscrições abertas nos próximos dias, com todas as opções. 

Veja aqui as vagas: Concursos públicos oferecem 17.486 vagas com salários de ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Prefeitura de Limoeiro

16/02


2020

Volta a ideia de supermercados venderem medicamentos sem prescrição

O Globo - Por Ancelmo Gois

Com o número de farmácias crescendo mais do que o de templos evangélicos — entre 2013 e 2018, as drogarias saltaram 38,5% —, volta com força na Câmara a ideia de permitir que os supermercados possam vender medicamentos isentos de prescrição (MIPs). Na verdade, é uma novela antiga, que se arrasta há uns 30 anos, mas que agora voltou a esquentar.

Aliás, a turma da saúde privada está tão otimista com 2020 que a Confederação Nacional de Saúde projeta que o setor possa criar em média 111 mil novos postos de trabalho. Seria um salto em relação aos 88.400 gerados em 2019. No ano passado, o nicho respondeu por 14% de todas as vagas abertas no Brasil.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Banner de Arcoverde

16/02


2020

Ministros do STJ irritados com o STF

Ministros do STF Foto: Divulgação

Época - Por Guilherme Amado

É grande a irritação entre ministros do STJ com seus colegas de STF.

A razão é a homologação da delação de Sergio Cabral, feita por Edson Fachin, sem que os ministros envolvidos — Napoleão Nunes Maia Filho e Humberto Martins — tenham sido ouvidos.

Diz um ministro do STJ:

"O Gilmar (Mendes) está certo. Tem que haver limite. É a imagem do tribunal que está indo para o lixo".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


16/02


2020

Por que não te calas?

Por Carlos Brickmann

É uma frase simples mas imortal: foi dita pelo rei da Espanha, Juan Carlos, ao dirigente venezuelano Hugo Chávez, que insistia em interromper o primeiro-ministro espanhol numa conferência. Paulo Guedes deveria saber que quem cuida de política econômica não fala: qualquer coisa que diga tem influência em preços, juros, câmbio. Se uma empresa listada em Bolsa fizer um comunicado, tem horário para isso: após o fechamento do pregão.

Paulo Guedes tem todo o direito de achar que o dólar mais alto é melhor (facilita exportações, dificulta importações, desestimula viagens ao Exterior, estimula estrangeiros a visitar o país). Tem todo o direito de preferir o dólar mais baixo (40% do valor de um automóvel, por exemplo, é importação; é mais fácil trazer equipamentos de última geração). Mas não tem o direito de se expor fora de hora, ainda mais com uma frase tão infeliz, segundo a qual, com o dólar baixo, “até domésticas estão voando para a Disney”. Tomara fosse verdade. Mas não é: e ele ou não sabe disso, o que prejudica seu desempenho, ou sabe, e prejudica quem acredita no que ele diz. O custo do linguassoltismo de Sua Excelência é de no mínimo US$ 2 bilhões, que o Banco Central teve de leiloar para evitar que o dólar disparasse no mercado.

Há fatores externos puxando o dólar para cima. Mas é preciso lembrar que, no ano passado, quase US$ 45 bilhões saíram do país, desesperançados. E os dólares que choveriam com a reforma da Previdência nem garoaram.

O Governo previa também que, com a inflação em baixa (efeito de Temer) e as expectativas de crescimento de até 2% do PIB, as exportações subiriam. Esperanças vazias: em janeiro, o déficit brasileiro na balança comercial foi de algo como US$ 1,7 bilhão. As medidas oficiais, até agora, tiveram muito apoio mas pouco resultado. Se os dólares só saem, o câmbio só vai subir.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


16/02


2020

Em entrevista, Moro critica Democracia em Vertigem

Foto: Reprodução/YouTube / Estadão

Por Estadão Conteúdo

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afastou a relação da Lava Jato com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016, e a eleição de Jair Bolsonaro para a presidência da República, dois anos depois. "São movimentos que foram distintos. Claro que existe um contexto no qual o presidente foi eleito. Mas, assim, o impeachment não teve a nada a ver com a eleição do presidente Jair Bolsonaro. São coisas dissociadas", disse o ex-juiz federal de Curitiba.

A declaração de Moro foi feita em entrevista ao deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro. O parlamentar estreou na última sexta-feira um programa de entrevistas em seu canal no YouTube, chamado de  O Brasil precisa saber. Antes da exibição, Eduardo divulgou o anúncio da gravação, chamando seus seguidores para acompanhar o programa. Moro fez referência ao impeachment e à eleição presidencial ao criticar o documentário Democracia em Vertigem, da diretora Petra Costa, indicado ao Oscar. "Para um documentário, acho que presta um desserviço aos fatos porque é uma visão deturpada daqueles acontecimentos."

A atuação de Moro na Lava Jato é contestada pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Supremo Tribunal Federal (STF). Os advogados do petista acusam o ex-juiz de agir com parcialidade ao condenar Lula no caso do tríplex do Guarujá e depois assumir um cargo no primeiro escalão do governo Bolsonaro. O julgamento da suspeição de Moro deve ser concluído ainda neste semestre na Segunda Turma do STF.

Custódia. Na entrevista, Moro elogiou o ministro Luiz Fux, do STF, por derrubar um item da lei anticrime que obrigava presos a serem submetidos à audiência de custódia em 24 horas. O dispositivo foi incluído no pacote proposto por Moro na tramitação do projeto no Congresso.

Ao ser questionado sobre futuros projetos a serem encaminhados ao Legislativo, destacou a intenção de deixar a Força Nacional de Segurança expressa na Constituição. A intenção é dar segurança a uma nova modelagem para o órgão, que atualmente reúne policiais estaduais em operações especiais. O ministro também se manifestou favorável à diminuição da idade penal para 16 anos em caso de crimes gravíssimos.  


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se