O Jornal do Poder

19/09


2020

Avante lança Gaúcho para disputar Prefeitura de Ipojuca

O Avante terá candidatura própria à Prefeitura de Ipojuca. O partido lançou o nome de Gaúcho, na última quarta-feira (16), durante convenção. O evento também reuniu postulantes a vereador e lideranças da coligação formada com o Democracia Cristã, em Nossa Senhora do Ó.

Gaúcho destacou os projetos que pretende trazer para Ipojuca, além de alfinetar a gestão da prefeita Célia Sales (PTB). “Sempre que ando pelas ruas de Ipojuca, vejo que o povo não é a prioridade, que os bairros mais populosos são esquecidos e as pessoas estão com autoestima baixa. Mas, serei o primeiro a olhar para o povo de Ipojuca com o olhar que lhe é digno, tratando todas as regiões de forma igualitária”, destacou.

O candidato do Avante também falou sobre a importância da aliança com o DC, que cedeu o vice, pastor Getúlio de Camela. “Essa união de forças é que fará Ipojuca mudar e a nossa proximidade com o povo fará a diferença. Ao longo desse tempo que estou na cidade, mantivemos diálogo com todos os segmentos, sem distinção. E o povo que hoje nos apoia percebe que a nossa gestão entregará resultados importantes para Ipojuca", conclui.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

Confira os últimos posts



22/10


2020

“Há empresas com mesma capacidade da Huawey”, diz Faria

Por Hylda Cavalcanti

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, surpreendeu setores diversos do mercado de telecomunicações ao afirmar hoje (22), em sentido contrário ao que tem sido noticiado, que o leilão para a implantação da tecnologia 5 G no Brasil envolve três empresas concorrentes e que a chinesa Huawey, tida como detentora dos principais equipamentos para a tecnologia, estaria em situação comparável à de outras empresas.

A declaração do ministro foi feita durante entrevista concedida em live para o Blog do Magno. Especialistas em tecnologia têm afirmado que caso a Huawey seja banida do leilão, o Brasil pode vir a ter um atraso de dois a até cinco anos na implantação do sistema 5G.

Uma reação negativa do Governo Federal para com a Huawey vem acontecendo em função dos pedidos do governo dos Estados Unidos para que o Brasil não aceite a empresa no país, como consequência da “guerra fria” que o presidente norte-americano Donald Trump trava com a China.Fábio Faria, entretanto, disse que o leilão de 5G está previsto para se realizar entre maio e junho de 2021 e que não tem visto problemas no caso. “Quem pode dar mais informações sobre isso é a Anatel, que está realizando estudos, mas posso afirmar que tudo será investigado e que, na hora certa, o presidente Bolsonaro tomará a melhor decisão sobre o leilão”, destacou.

Ao ser questionado, ainda, sobre a polêmica em torno das vacinas observada hoje no país – que tem como pano de fundo o mesmo motivo de rejeição, por parte de Jair Bolsonaro, a uma vacina desenvolvida por um laboratório chinês – o ministro desconversou. Ele contestou informações veiculadas hoje na mídia nacional de que o presidente não quer de forma alguma a versão chinesa da vacina, que está sendo elaborada em parceria com o Instituto Butantan, do governo de São Paulo.

“A questão toda se baseia no fato de que ninguém pode comprar nada que não tenha ainda uma comprovação. Quando a Anvisa autorizar, o presidente comprará a primeira vacina a ser autorizada. Fora isso, o que existe é barulho por parte da oposição”, argumentou.

Em relação ao setor de telecomunicações, Faria afirmou que considera relevante o serviço prestado hoje no país. “Tivemos um aumento significativo de serviços durante a pandemia, com as pessoas mais tempo em casa, e as teles suportaram bem esse aumento da demanda, conseguiram oferecer bem o serviço”, ressaltou.

Conforme acrescentou o ministro, apesar disso, 20% da população brasileira, ou 40 milhões de habitantes, ainda não possuem internet. “Suprir estas áreas não é um trabalho rápido, mas é o que tentaremos fazer. Temos avançado porque agora queremos chegar a localidades muito distantes da Região Norte, onde há dificuldade para implantar os cabos, mas estamos atuando bem nisso. Em seguida vamos focar o desenvolvimento do mesmo trabalho na região Nordeste e, depois, no Centro Oeste”.

Faria explicou que, dentro desse plano de expansão, a prioridade tem sido os municípios do interior dos estados que só possuem hoje tecnologia 3G, o que tem sido observado em cidades mais afastadas do Norte e, também, de várias localizadas nos estados nordestinos da Paraíba e do Rio Grande do Norte, por exemplo.

Segundo ele, a pasta que comanda fornecerá, também, em breve, um chip de smartfone para que as pessoas tenham rádio FM dentro do celular sem precisar pagar por um pacote de dados. “Queremos levar a internet para dentro das emissoras de rádio porque sabemos da importância desse sistema. Esse projeto está sendo desenvolvido em conjunto com a secretaria de Indústria e Comércio do Ministério da Economia”, informou.

O ministro não perdeu uma única oportunidade de, em meio à entrevista, tecer elogios ao seu chefe máximo. “Bolsonaro é o presidente mais comunicativo que já tivemos. Assiste os programas de rádio às 5h e já começa a demandar os ministros a partir do que ele ouve”, afirmou, para depois acrescentar mais informações sobre o presidente da República.

“Falam muito, mas não faltou dinheiro por parte do governo para o combate à covid nos estados. Este é um governo honesto, sem casos de corrupção. Tanto é assim, que o presidente não criou nada, está tocando obras e projetos iniciados nos governos anteriores com o maior empenho. E tem pedido muito aos ministros foco nos programas desenvolvidos no Nordeste. Em todas as reuniões o presidente joga duro e as pessoas estão percebendo que este é um governo diferente”.

No tocante ao relacionamento que possui com o Congresso, Fábio Faria fez questão de negar que seja uma espécie de apaziguador de confrontos entre o Legislativo e o Planalto, conforme tem sido divulgado entre parlamentares. E destacou que o bom relacionamento é fruto dos amigos que fez ao longo de três mandatos como deputado federal.

“É claro, isso ajuda na convivência com os parlamentares, mas não sou o articulador político do governo nem tenho essa missão. Quero dizer aqui que o governo tem hoje uma boa equipe de articulação e líderes empenhados e bem preparados para esse trabalho”, frisou.

 Sobre as medidas para desburocratizar o setor de outorgas de emissoras de rádio e TV ele jogou a bola para o Congresso, mesmo sendo o titular do Ministério das Comunicações.

“Quem dá as licenças é o Congresso e quem regula tudo é a Anatel. O que podemos fazer é trabalhar no Congresso para dar maior celeridade a esses processos e é isso que estou tentando fazer. Há algumas questões em que não temos como atuar muito, porque não podemos mudar a lei e essa é uma delas”, disse.

A privatização da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) foi outro tema tratado na live. De acordo com o ministro, o projeto já saiu do ministério, está sendo avaliada pela secretaria de assuntos jurídicos da presidência da República e em breve seguirá para o Congresso Nacional.

“Teremos o ano que vem para apreciar a proposta nas duas casas legislativas. O governo quer privatizar os Correios para melhorar os serviços, fazer uma meritocracia com os funcionários e oferecer um atendimento que seja referência na América Latina, porque as pessoas hoje reclamam muito dos Correios”.

Ele criticou a greve dos servidores da estatal, encerrada recentemente. Afirmou que no período da paralisação “muita gente precisava receber vários produtos em casa durante a pandemia”. “Fatos como esse não podem acontecer. A greve não ajudou em nada a estatal e nem foi vista como um papel correto dos servidores, já que se trata de uma empresa pública”, acrescentou. Faria ainda confirmou que a pasta que comanda também realiza estudos para a privatização da Telebras, que ainda é objeto de uma consultoria.

Segundo contou, ele não tem interesse em ser governador do Rio Grande do Norte, seu estado. “Não estou pensando em ser candidato à reeleição nem mesmo como deputado federal. São 16 anos que tenho de atuação no Congresso, acho que já é um período mais do que suficiente. Pode ser que eu continue na política, mas minha motivação hoje é continuar onde estou”, enfatizou.

Ao ser questionado sobre o sogro, Sílvio Santos, Faria negou que tenha sido convidado para o cargo por conta da influência do empresário. “Ele (Sílvio) soube que eu seria ministro às 23h30 do dia do anúncio, não teve qualquer interferência nisso, nem ele nem meus pais. Só contei depois que saiu a notícia”.

O ministro admitiu que embora não peça diretamente conselhos ao empresário, sempre tem se aconselhado a partir das conversas que tem com Sílvio. “Não é que eu peça conselhos a ele, mas aprendo muito com sua sabedoria. Estou sempre aprendendo, é uma pessoa impressionante e poder desfrutar de sua sabedoria em conversas é sempre um privilégio. Trata-se do maior comunicador do país, um homem de 89 anos e 65 anos de televisão, sem falar que é um grande torcedor do Brasil”, destacou.

Perguntado também sobre a concessão da TV Globo, Fábio Faria afirmou que o assunto será tratado de forma técnica, dentro da lei. “Se estiver tudo correto a concessão vai ser renovada sim, porque o caso não consiste em um ato político”.

Já sobre as constantes brigas entre o presidente e a emissora, ele tentou sair pela tangente. “Acho que cada um age de acordo com o que acredita. A Globo cumpre o papel que acha que deve cumprir e o presidente também. O que falta na mídia é notícia positiva sobre o Brasil. Precisamos de alegria e de esperança no noticiário. Quanto às críticas do presidente Bolsonaro à emissora, sabemos que nosso presidente joga duro mesmo. Ele ganhou a eleição assim, está cumprindo o que disse na campanha".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

22/10


2020

O camaleão de Ipojuca

Em 2016, quando acabou derrotado ao disputar a reeleição em Ipojuca, o ex-prefeito Carlos Santana fazia parte do PSDB, que liderou o processo de derrubada da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). O antipetismo falava mais alto no seu coração e entre os demais tucanos.

Menos de quatro anos depois, Santana integra os quadros do PSB, em nova tentativa de chegar à Prefeitura ipojucana, e a raiva que tinha do Partido dos Trabalhadores parece que passou, já que apareceu no domingo passado vestindo a camisa da legenda liderada por Lula.

É ou não é um camaleão?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/10


2020

Ibope em João Pessoa: Cícero 21%; Nilvan 15%; Ricardo 10% e Wallber 10%

Pesquisa Ibope divulgada pela TV Cabo Branco hoje aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para a Prefeitura de João Pessoa nas Eleições 2020:

  • Cícero Lucena (PP): 21%
  • Nilvan Ferreira (MDB): 15%
  • Ricardo Coutinho (PSB): 10%
  • Wallber Virgolino (PATRIOTA): 10%
  • Ruy Carneiro (PSDB): 9%
  • Edilma Freire (PV): 9%
  • João Almeida (SOLIDARIEDADE): 3%
  • Raoni (DEM): 1%
  • Anísio Maia (PT): 1%
  • Branco/Nulo: 13%
  • Não sabe/Não respondeu: 7%

Ítalo Guedes (PSOL) e Rama Dantas (PSTU) tiveram menos de 1%. Camilo Duarte (PCO), Carlos Monteiro (REDE) e Rafael Freire (UP) não foram citados.

Evolução

Em relação ao levantamento anterior do Ibope, de 5 de outubro:

  • Cícero Lucena foi de 18% para 21%;
  • Nilvan Ferreira se manteve com 15%;
  • Ricardo Coutinho foi de 12% para 10%;
  • Wallber Virgolino se manteve com 10%;
  • Ruy Carneiro foi de 7% para 9%;
  • Edilma Freire foi de 5% para 9%;
  • João Almeida foi de 1% para 3%
  • Raoni foi de 2% para 1%;
  • Anísio Maia se manteve com 1%;
  • Ítalo Guedes (PSOL) não estava na primeira pesquisa e foi para 0%
  • Rama Dantas (PSTU) não foi citada na primeira pesquisa e foi para 0%.
  • Brancos e nulos foram de 20% para 13%;
  • Indecisos foram de 8% para 7%.

Rejeição

A pesquisa também perguntou em quem os eleitores não votariam de jeito nenhum. Os percentuais foram os seguintes:

  • Ricardo Coutinho (PSB): 53%
  • Cícero Lucena (PP): 30%
  • Ruy Carneiro (PSDB): 17%
  • Nilvan Ferreira (MDB): 17%
  • Wallber Virgolino (PATRIOTA): 16%
  • Anísio Maia (PT): 15%
  • Edilma Freire (PV): 13%
  • João Almeida (SOLIDARIEDADE): 13%
  • Raoni (DEM): 12%
  • Rafael Freire (UP): 11%
  • Rama Dantas (PSTU): 11%
  • Carlos Monteiro (REDE): 10%
  • Camilo Duarte (PCO): 8%
  • Ítalo Guedes (PSOL): 8%
  • Poderiam votar em todos: 1%
  • Não sabem ou preferem não opinar: 11%

Os entrevistados podiam apontar mais de uma resposta, por isso a soma dos fatores apontados é de mais de 100%.

A pesquisa foi encomendada pela TV Cabo Branco.

Sobre a pesquisa

Margem de erro: 4 pontos percentuais para mais ou para menos

Quem foi ouvido: 602 eleitores da cidade de João Pessoa

Quando a pesquisa foi feita: 20 a 22 de outubro

Número de identificação na Justiça Eleitoral: PB-08581/2020.

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/10


2020

Ibope em Aracaju: Edvaldo 34% e Delegada Danielle 19%

Pesquisa Ibope divulgada pela TV Sergipe hoje aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para a Prefeitura Aracaju nas Eleições 2020:

  • Edvaldo (PDT): 34 %
  • Delegada Danielle (Cidadania): 19 %
  • Rodrigo Valadares (PTB): 10%
  • Márcio Macêdo (PT): 6 %
  • Georlize (DEM): 4%
  • Lúcio Flávio (Avante): 2%
  • Alexis Pedrão (PSOL): 2%
  • Almeida Lima (PRTB): 1%
  • Delegado Paulo Márcio (DC): 0%
  • Gilvaní Santos (PSTU): 0%
  • Juraci Nunes (PMB): 0 %
  • Branco/ Nulo: 15%
  • Não sabe/ Não respondeu: 6%

Evolução

Em relação ao levantamento anterior do Ibope, de 9 de outubro:

  • Edvaldo foi de 32% para 34%
  • Delegada Danielle foi de 21% para 19%
  • Rodrigo Valadares foi de 6% para 10%
  • Márcio Macêdo foi de 5% para 6%
  • Georlize foi de 3% para 4%
  • Lúcio Flávio foi de 3% para 2%
  • Alexis Pedrão foi de 2% para 2%
  • Almeida Lima foi de 3% para 1%
  • Delegado Paulo Márcio foi de 1% para 0%
  • Gilvaní Santos manteve 0%
  • Juraci Nunes foi de não citado pelos entrevistados para 0%
  • Branco/Nulo foi de 18% para 15%
  • Não sabem ou não responderam manteve 6%

Rejeição

A pesquisa também perguntou em quem os eleitores não votariam de jeito nenhum. Os percentuais foram os seguintes:

  • Almeida Lima (PRTB): 47%
  • Rodrigo Valadares (PTB): 31%
  • Edvaldo (PDT): 28%
  • Delegada Danielle (Cidadania): 25%
  • Márcio Macêdo (PT): 22%
  • Lúcio Flávio (Avante): 14%
  • Delegado Paulo Márcio (DC): 13%
  • Alexis Pedrão (PSOL): 12%
  • Georlize (DEM): 11%
  • Gilvaní Santos (PSTU): 11%
  • Juraci Nunes (PMB): 11%
  • Poderiam votar em todos: 1%
  • Não sabem ou preferem não opinar: 10%

Os entrevistados podiam apontar mais de uma resposta, por isso a soma dos fatores apontados é de mais de 100%.

Simulações de segundo turno

O Ibope também questionou, caso haja segundo turno entre Edvaldo e Danielle Garcia, em quem os eleitores votariam:

  • Edvaldo 47% X 34% Danielle Garcia (branco/nulo: 14%; não sabe: 5%)

Sobre a pesquisa

Margem de erro: 4 pontos percentuais para mais ou para menos

Quem foi ouvido: 504 eleitores da cidade de Aracaju

Quando a pesquisa foi feita: 20 a 21 de outubro

A pesquisa foi encomendada pela TV Sergipe

Número de identificação na Justiça Eleitoral: SE-08376/2020

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/10


2020

Pesquisa IBOPE/GLOBO/XT de Olinda tem nova derrota

Hoje, o juiz da 1ª Zona Eleitoral de Pernambuco indeferiu a petição inicial de habeas corpus impetrado pelo senhor Helber Cláudio da Silva, tendo como alvo a empresa XT CONSULTORIA E PESQUISA LTDA., no qual se sustentou que no dia 20/10/2020 a candidata do PT à Prefeitura do Recife, Marília Arraes, promoveu fake news ao aduzir que a referida empresa teria realizado pesquisa de campo pelo IBOPE (pesquisa eleitoral nº 09685/2020).

O impetrante requereu a retirada das notícias das redes sociais e deste Blog e, no mérito, quis determinar que Marília Arraes sofresse limitações quanto às alegações de que a empresa XT teria sido contratada pela IBOPE para realização de pesquisa no Recife.

O juiz Eleitoral assentou que a impetração seria descabida porque pessoa jurídica não pode figurar como paciente em habeas corpus, além de que manejou-se inadequadamente o HC para demandar tutela jurisdicional que nada tem a ver com liberdade de o cidadão ir vir ou permanecer. A verdade é que a pesquisa já perdeu sua credibilidade na justiça e na sociedade.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/10


2020

Pesquisa de Caruaru só amanhã com a Cultura

Ao invés de ser postada à meia noite, horário habitual deste blog, a pesquisa de intenção de voto para prefeito de Caruaru, do Instituto Opinião, somente será divulgada amanhã, logo cedo, de 7h15, aproveitando a audiência do programa noticioso da Cultura, parceira do levantamento. A expectativa faz parte do prazer.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/10


2020

Datafolha no RJ: Paes 28%; Crivella 13%; Martha 13% e Benedita 10%

Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (22) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para a Prefeitura do Rio de Janeiro nas Eleições 2020:

  • Eduardo Paes (DEM): 28%
  • Crivella (Republicanos): 13%
  • Martha Rocha (PDT): 13%
  • Benedita da Silva (PT): 10%
  • Renata Souza (PSOL): 5%
  • Luiz Lima (PSL): 4%
  • Bandeira de Mello (Rede): 3%
  • Cyro Garcia (PSTU): 1%
  • Clarissa Garotinho (Pros): 1%
  • Fred Luz (Novo): 1%
  • Glória Heloiza (PSC): 1%
  • Nenhum/branco/nulo: 17%
  • Não sabe/Não respondeu: 3%

Paulo Messina (MDB), Suêd Haidar (PMB) tiveram menos de 1%, e Henrique Simonard (PCO) não foi citado.

Em relação ao levantamento anterior do Datafolha, divulgado em 8 de outubro:

  • Eduardo Paes foi de 30% para 28%
  • Crivella foi de 14% para 13%
  • Martha Rocha foi de 10% para 13%
  • Benedita da Silva foi de 8% para 10%
  • Renata Souza foi de 3% para 5%
  • Luiz Lima foi de 1% para 4%
  • Bandeira de Mello se manteve com 3%
  • Cyro Garcia foi de 2% para 1%
  • Clarissa Garotinho se manteve com 1%
  • Fred Luz se manteve com 1%
  • Glória Heloiza foi de 0% para 1%
  • Paulo Messina foi de 1% para 0%
  • Suêd Haidar se manteve com 0%

Henrique Simonard tinha 0% e não foi citado na segunda pesquisa

Os indecisos se mantiveram em 3%, e os brancos ou nulos foram de 22% para 17%

Simulações de segundo turno

O Datafolha também simulou três cenários de segundo turno. Veja os números:

 

  • Eduardo Paes 52% x 22% Crivella (branco/nulo: 25%; não sabe: 2%)
  • Martha Rocha 45% x 41% Eduardo Paes (branco/nulo: 13%; não sabe: 1%)
  • Eduardo Paes 48% x 30% Benedita da Silva (branco/nulo: 21%; não sabe: 1%)

Sobre a pesquisa

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

Quem foi ouvido: 1.008 eleitores da cidade do Rio de Janeiro

Quando a pesquisa foi feita: 20 e 21 de outubro

Número de identificação na Justiça Eleitoral: RJ-08627/2020

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/10


2020

Datafolha em SP: Covas 23%; Russomanno 20%; Boulos 14% e França 10%

A Pesquisa Datafolha divulgada hoje aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para a Prefeitura de São Paulo nas Eleições 2020:

  • Bruno Covas (PSDB): 23%
  • Celso Russomanno (Republicanos): 20%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 14%
  • Márcio França (PSB): 10%
  • Arthur do Val - Mamãe Falei (Patriota): 4%
  • Jilmar Tatto (PT): 4%
  • Joice Hasselmann (PSL): 3%
  • Andrea Matarazzo (PSD): 2%
  • Levy Fidelix (PRTB): 1%
  • Marina Helou (Rede): 1%
  • Orlando Silva (PCdoB): 1%
  • Vera Lúcia (PSTU): 1%
  • Nenhum/branco/nulo: 13%
  • Não sabe: 3%

Antonio Carlos Silva (PCO) e Filipe Sabará (Novo) tiveram menos de 1%.

Em relação ao levantamento anterior do Datafolha, de 8 de outubro:

  • Covas foi de 21% para 23%
  • Russomanno foi de 27% para 20%
  • Boulos foi de 12% para 14%
  • França foi de 8% para 10%
  • Arthur do Val foi de 3% para 4%
  • Jilmar Tatto foi de 1% para 4%
  • Joice Hasselmann foi de 1% para 3%
  • Matarazzo se manteve com 2%
  • Levy Fidelix foi de 2% para 1%
  • Marina Helou se manteve com 1%
  • Orlando Silva se manteve com 1%
  • Vera se manteve com 1%
  • Antônio Carlos foi de 1% para 0%
  • Sabará foi de 1% para 0%

Os indecisos foram de 4% para 3% e os brancos ou nulos foram de 12% para 13%

Simulações de segundo turno

O Datafolha também questionou se o segundo turno da eleição para prefeito fosse hoje e a disputa ficasse apenas entre Bruno Covas e Celso Russomanno em quem os eleitores votariam:

  • Bruno Covas 48% x 36% Celso Russomanno (branco/nulo: 14%; não sabe: 1%)

Sobre a pesquisa

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S. Paulo”.

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

Quem foi ouvido: 1204 eleitores na cidade de São Paulo com 16 anos ou mais.

Quando a pesquisa foi feita: nos dias 20 e 21 de outubro de 2020.

Número de identificação na Justiça Eleitoral: SP-02125/2020.

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/10


2020

Datafolha: João 31%; Marília 18%; Patrícia 16% e Mendonça 15%

Do G1/PE

A Pesquisa Datafolha divulgada hoje aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para a prefeitura do Recife nas Eleições 2020:

  • João Campos (PSB): 31%
  • Marília Arraes (PT): 18%
  • Delegada Patrícia (Podemos): 16%
  • Mendonça Filho (DEM): 15%
  • Coronel Feitosa (PSC): 2%
  • Carlos (PSL): 1%
  • Charbel (Novo): 1%
  • Thiago Santos (UP): 1%
  • Nenhum/branco/nulo: 12%
  • Não sabe/não respondeu: 4%

Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB) e Claudia Ribeiro (PSTU) foram citados, mas não atingiram 1% das intenções de voto. Victor Assis (PCO) não foi citado.

Em relação ao levantamento anterior do Datafolha, divulgado em 8 de outubro:

João Campos (PSB): saiu de 26% para 31%

Marília Arraes (PT): saiu de 17% para 18%

Delegada Patrícia (Podemos): saiu de 10% para 16%

Mendonça Filho (DEM): saiu de 16% para 15%

Coronel Feitosa (PSC): saiu de 1% para 2%

Carlos (PSL): se manteve em 1%

Charbel (Novo): tinha menos de 1% e, agora, 1%

Thiago Santos (UP): tinha menos de 1% e, agora, 1%

Claudia Ribeiro (PSTU): se manteve com menos de 1%

Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB): saiu de 2% para menos de 1%

Victor Assis (PCO): tinha menos de 1% e, agora, não foi citado

Em branco/nulo/nenhum: saiu de 21% para 12%

Não sabe: saiu de 5% para 4%

Destaques por segmento

De acordo com o Datafolha, João Campos registrou avanço mais intenso entre as eleitoras do Recife (passou de 25% para 33%), na faixa de 45 a 59 anos (de 20% para 30%), na parcela com a escolaridade fundamental (de 32% para 47%), entre os mais pobres, com renda familiar de até dois salários-mínimos (de 28% para 38%) e entre evangélicos (de 23% para 33%). Entre os mais ricos, houve queda na preferência pelo candidato do PSB: entre quem tem renda de cinco a dez salários, suas intenções de voto passaram de 16% para 11%.

Apesar da estabilidade em relação à pesquisa anterior, com oscilação positiva dentro da margem de erro, Marília Arraes ganhou força em segmentos em que já aparecia com destaque no início do mês, como o eleitorado mais escolarizado, em que passou de 23% para 27%. Na faixa de renda familiar que ganha de cinco a dez salários, a petista passou de 25% para 32%.

A candidatura de Mendonça Filho ganhou quatro pontos entre os mais velhos (de 20% para 24%), segmento no qual só fica numericamente atrás de Campos, que tem 32%.

Delegada Patrícia avançou em quase todos os segmentos do eleitorado, à exceção dos mais velhos, no qual passou de 13% para 10%. Mais velhos, mais ricos e menos escolarizados (no qual também tem 10%) são, por ora, os pontos mais fracos da candidata do Podemos, que tem intenções de voto bem distribuídas entre os demais grupos sociodemográficos.

Dentro do universo de 21% dos eleitores que têm o PT como partido de preferência no Recife, a escolha por Marília Arraes passou de 36% para 42%, e os demais se dividem, principalmente, entre Campos (33%), Delegada Patrícia (10%) e Mendonça (7%).

Grau de conhecimento do entrevistado sobre o candidato:

Mendonça Filho (DEM): 94% conhecem (muito bem, 34%; um pouco, 29%; de ouvir falar, 31%); 6% não conhecem

João Campos (PSB): 92% conhecem (muito bem, 28%; um pouco, 31%; de ouvir falar, 33%); 8% não conhecem

Marília Arraes (PT): 84% conhecem (muito bem, 21%; um pouco, 27%; de ouvir falar, 36%); 16% não conhecem

Delegada Patrícia (Podemos): 68% conhecem (muito bem, 9%; um pouco, 18%; de ouvir falar, 40%); 32% não conhecem

Coronel Feitosa (PSC): 40% conhecem (muito bem, 5%; um pouco, 9%; de ouvir falar, 26%); 60% não conhecem

Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB): 30% conhecem (muito bem, 4%; um pouco, 9%; de ouvir falar, 17%); 70% não conhecem

Carlos (PSL): 13% conhecem (muito bem, 0%; um pouco, 4%; de ouvir falar, 9%); 87% não conhecem

Cláudia Ribeiro (PSTU): 12% conhecem (muito bem, 1%; um pouco, 1%; de ouvir falar, 10%); 88% não conhecem

Thiago Santos (UP): 11% conhecem (muito bem, 0%; um pouco, 2%; de ouvir falar, 9%); 89% não conhecem

Charbel (Novo): 10% conhecem (muito bem, 1%; um pouco, 3%; de ouvir falar, 7%); 90% não conhecem

Victor Assis (PCO): 8% conhecem (muito bem, 0%; um pouco, 1%; de ouvir falar, 7%); 92% não conhecem

Rejeição

A pesquisa também perguntou em quem os eleitores não votariam de jeito nenhum. Os percentuais foram os seguintes:

  • João Campos: 34%
  • Mendonça Filho (DEM): 28%
  • Coronel Feitosa (PSC): 27%
  • Marília Arraes (PT): 22%
  • Charbel (Novo): 21%
  • Victor Assis (PCO): 21%
  • Carlos (PSL): 20%
  • Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB): 17%
  • Thiago Santos (UP): 17%
  • Claudia Ribeiro (PSTU): 16%
  • Delegada Patrícia (Podemos): 15%
  • Não votaria em nenhum: 4%
  • Poderia votar em todos: 2%
  • Não sabe/não respondeu: 5%

Em relação ao levantamento anterior do Datafolha, divulgado em 8 de outubro, a rejeição aos candidatos evoluiu da seguinte forma:

  • João Campos: saiu de 30% para 34%
  • Mendonça Filho: saiu de 32% para 28%
  • Coronel Feitosa: saiu de 21% para 27%
  • Marília Arraes: saiu de 15% para 22%
  • Charbel: saiu de 18% para 21%
  • Victor Assis: saiu de 17% para 21%
  • Carlos: saiu de 17% para 20%
  • Marco Aurélio Meu Amigo: saiu de 15% para 17%
  • Thiago Santos: se manteve em 17%
  • Cláudia Ribeiro: saiu de 12% para 16%
  • Delegada Patrícia: saiu de 13% para 15%

Rejeita todos/não votaria em nenhum: saiu de 9% para 4%

Votaria em qualquer um/não rejeita nenhum: se manteve em 2%

Não sabe: saiu de 6% para 5%

Simulações de segundo turno

O Datafolha também questionou se, caso o segundo turno da eleição para prefeito fosse hoje, em qual candidato os eleitores votariam, apresentando três cenários. Os números são os seguintes:

  • João Campos 40% x 37% Marília Arraes
  • João Campos 43% x 43% Delegada Patrícia
  • João Campos 48% x 36% Mendonça Filho

Sobre a pesquisa

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S. Paulo”.

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

Quem foi ouvido: 868 eleitores da cidade do Recife

Quando a pesquisa foi feita: nos dias 20 e 21 de outubro

Número de identificação no TRE-PE: PE-05988/2020

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

ABAIXO FALSO MORALISMO

Carlos deve estar com RECIFILIS. Essa vagabunda vai ganhar porra nenhuma, nem ela é nem o cavalo paraguaio do Mendonça

Carlos

A Delegada Patrícia disparou, e aí Magno, tu dissestes que era mentira do Ibope, qual vai ser a desculpa agora? Aceita que dói menos.



22/10


2020

Folha/Ipespe: João Campos lidera com 33% no Recife

Folha de Pernambuco

A Folha de Pernambuco e o Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) divulgam, hoje, a segunda rodada da pesquisa de intenções de voto para a Prefeitura do Recife. No levantamento, João Campos (PSB) assumiu a liderança, com 33%, abrindo uma diferença de 15 pontos percentuais em relação a Marília Arraes (PT), que aparece com 18% na segunda colocação. A petista está tecnicamente empatada com Mendonça Filho (DEM), que registrou 16% e, no limite da margem de erro, também empatada com Delegada Patrícia (Podemos), que tem 13%.

Coronel Feitosa (PSC), Marco Aurélio (PRTB), Charbel (Novo) e Thiago Santos (UP) foram mencionados por 1% dos entrevistados. Os candidatos Carlos Andrade Lima (PSL) e Cláudia Ribeiro (PSTU) têm 0%. Brancos e nulos somam 10%, enquanto os pesquisados que indicaram que não sabem ou ainda que não responderam somam 6%. O candidato Victor Assis foi incluído nesta pergunta, mas não foi citado por nenhum respondente. A margem de erro máximo estimada do estudo é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos, com a utilização de um intervalo de confiança de 95,45%. O estudo foi realizado nos dias 20 e 21 de outubro e consultou 800 pessoas.

Na primeira sondagem, realizada nos dias 22 e 23 de setembro e publicada no dia 25 de setembro, a disputa trazia Marília Arraes com 22% e João Campos com 16%. Mendonça, por sua vez, registrou 13% e a Delegada Patrícia 14%. Entre os demais prefeituráveis, Marco Aurélio foi mencionado por 2%, enquanto Thiago Santos, Coronel Feitosa, Carlos Andrade Lima e Charbel, 1%. Cláudia Ribeiro e Victor Assis apareciam com 0%. Os recifenses que afirmam votar branco, nulo ou não votar, somavam 21%. Já os que não souberam ou não responderam eram 8% no primeiro resultado.

A segunda pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo PE-01392/2020.

Segundo turno

A pesquisa Ipespe/Folha de Pernambuco também perguntou aos entrevistados em quem eles votariam em simulações de segundo turno no município. Em uma disputa entre João e Marília Arraes, o socialista teria 43% e a petista 37%. Os recifenses que indicaram votar branco, nulo ou nem registrar o voto somam 17% e os que não sabem ou não responderam representam 3%.

Já numa simulação entre João Campos e Mendonça Filho, o candidato do PSB seria eleito com 45%. O democrata teria 32%. Votos brancos, nulo ou “nenhum” são 21% e os que não sabe ou não responderam são 2%.

Em outro quadro, entre Marília Arraes e Mendonça Filho, a petista teria 44% contra 39% do democrata. Brancos, nulos ou “nenhum” são 15% e não sabem ou não responderam são 2%.

Em uma simulação entre João Campos e a Delegada Patrícia, ele registraria 45% dos votos contra 40% da postulante. As indicações de votos brancos, nulos ou “nenhum” são 13% e não sabem ou não responderam são 2%.

O panorama de uma decisão entre a Delegada Patrícia e Marília Arraes é o mais acirrado entre os apresentados aos eleitores. A delegada teria 42% e a petista 41%. O quantitativo de votos brancos, nulos ou “nenhum” somam 14% e os que não sabem ou não opinaram totalizam 3%.

Por fim, na hipótese de um embate no campo de centro-direita, a Delegada Patrícia venceria Mendonça Filho com 43%. O democrata teria 32%. Brancos, nulos ou “nenhum” são 22% e não sabem ou não responderam são 3%.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/10


2020

Dória ataca Bolsonaro e diz que esperança está na Anvisa

Por Hylda Cavalcanti

Está instalada uma nova crise política no país, desta vez em torno de qual a vacina que vai ser comprada para imunizar a população contra o coronavírus quando os vários estudos e testes que estão sendo feitos ficarem prontos. Envolvido até o pescoço no apoio aos Estados Unidos ante a guerra fria que este país trava com a China, o presidente da República Jair Bolsonaro desautorizou a fala do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Pazuello tinha assinado documento para compra da vacina CoronaVac – que está sendo desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. Além da questão diplomática de apoio à política de Donald Trump, Bolsonaro também pretende avaliar outras opções como confronto ao governador de São Paulo, João Dória (PSDB), que tem travado vários embates com ele nos últimos meses por conta da pandemia.

No último, Dória disse ser favorável à obrigatoriedade da vacina para a população, tese que o presidente é contra. “Não compraremos vacina da China e no meu governo não se mantém diálogo com João Dória sobre covid-19”, afirmou o presidente.

O caso fez Dória desembarcar hoje em Brasília. Ele foi primeiro ao Congresso Nacional, onde ele distribuiu embalagens da vacina para parlamentares e pediu a Bolsonaro que “respeite” o seu ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e deixe a eleição de 2022 “para outro momento” – Dória é provável adversário de Bolsonaro na disputa pela presidência da República.

“Para que ter ministros dessa forma? Se é pra ser assim, se toda vez que um ministro opinar sobre algo for desautorizado, melhor fechar os ministérios”, alfinetou o governador.

Ao mesmo tempo, Dória criticou a oposição ao Executivo Federal que, segundo ele, também tem feito críticas à vacina chinesa. Ressaltou que o momento precisa ser de entendimento.

“Vamos salvar as vidas dos brasileiros, o momento é de lutarmos contra esse vírus e pela vacinação. Salve vidas, presidente Bolsonaro. Seja grande, tenha compreensão de que a vacina salva”, afirmou, para acrescentar que não é razoável o presidente adotar o “negacionismo”.

Na Anvisa

Doria também se reuniu com diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), onde entregou resultados de testes realizados pelo Butantan e tratou de detalhes técnicos sobre o processo de certificação da vacina do Butantan.

Depois de mais de duas horas de conversa, o governador disse que a esperança do país está na Anvisa e que apoia todas as vacinas que vierem a ser registradas. “Quero deixar claro que o governo de São Paulo apoia todas, a começar pela do Butantan, que há 30 anos é o maior fornecedor de vacinas para o Ministério da Saúde. Mas também respeito e confio na Fiocruz. A visão do governo de São Paulo é uma visão de Brasil. Buscamos a imunização de toda a população brasileira”, afirmou.

Sobre Pazuello, ele disse ainda que em vez de enfraquecer com o episódio, o ministro da Saúde “só se fortaleceu”. “Ele (Pazuello) assinou um documento confirmando a compra da vacina para 24 governadores. Os governadores estão todos frustrados com isso, mas reconhecem que o ministro tomou uma posição republicana, técnica e correta, numa visão de proteção à vida dos brasileiros. E falo isso em nome dos governadores”, frisou.

Sem comentar diretamente as declarações do governador de São Paulo, o presidente Bolsonaro disse que trabalha na busca de uma vacina confiável e que afirmações que não sejam neste sentido consistem em “especulação” e “jogo político”. Já o ministro da Saúde, que foi diagnosticado com covid, recupera-se em casa, afastado do trabalho.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/10


2020

Após afastamento de Matuto, Carreiro tomará posse em Paulista

O presidente da Câmara de Vereadores do Paulista, Fábio Barros (PDT), dará posse ao vice-prefeito, Jorge Carreiro (PV), como novo Chefe do Poder Executivo Municipal. A cerimônia será amanhã, às 9h, no Plenário do Poder Legislativo, no centro da cidade.

O presidente do STF, Luiz Fux, revogou a liminar do ministro Dias Toffoli que permitiu o retorno do prefeito Junior Matuto ao cargo no dia 10 de agosto, depois do gestor ter sido afastado da prefeitura no mês de julho durante as operações policiais Chorume e Locatário, que investigam fraudes em contratos com uma empresa de limpeza urbana e um esquema de dispensa de licitações para aluguel de prédios públicos.

De acordo com a Polícia Civil, a Operação Locatário envolve o prefeito de Paulista, seis servidores públicos e o dono de uma empresa de locações. O esquema desviou cerca de R$ 900 mil, segundo as investigações.

Júnior Matuto também foi um dos alvos dos mandados da Operação Chorume, que investiga fraude em licitação envolvendo uma empresa de limpeza urbana do município de Paulista. A suspeita é de que o valor desviado seja de R$ 21 milhões, de acordo com a Polícia Civil. Além do prefeito, o casal dono da empresa e seis servidores municipais são investigados.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/10


2020

Live começa às 18h05


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/10


2020

Ministro das Comunicações na live daqui a pouco

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, nordestino do Rio Grande do Norte, é o convidado da live deste blog, daqui a pouco, pelo Instagram, com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio, hoje com mais de 40 emissoras nos Estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Bahia.

Na pauta, a privatização dos Correios e Telégrafos, com reação negativa por parte dos servidores, e a política da sua pasta, com destaque para o Nordeste. Imperdível!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/10


2020

Ministro do STJ aparece de cueca em sessão da Corte

Estadão

A República Federativa das Cuecas ganhou um novo episódio hoje. O senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado pela Polícia Federal com dinheiro escondido nas vestes íntimas, agora terá que dividir seu protagonismo com um ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que apareceu numa reunião virtual de trabalho da Corte apenas de camisa social, gravata e toga.

Tudo corria bem em mais uma sessão do tribunal. Com suas togas, os ministros da 6ª Turma do STJ faziam considerações profundas do saber jurídico, em uma sessão transmitida via internet, para o pleno vigor de transparência ao público. Mas acabou transparecendo demais.

No meio da sessão, enquanto um de seus pares discorria sobre um julgamento, o ministro Néfi Cordeiro caminhou até a imagem de uma estante de livros, o que se tornou símbolo da ostentação acadêmica e cultural em tempos de pandemia. Na transmissão, os contornos da toga do ministro aparecem borrados não por uma edição, mas porque o aplicativo Zoom permite o uso de um plano de fundo virtual que, enquanto há movimento, faz a imagem ficar alterada.

Com um celular nas mãos, escrevendo mensagens, Cordeiro esqueceu-se de prestar atenção no que dizia o colega de turma. Esqueceu-se, também, que havia deixado ligada a câmera de seu computador. Na tela, durante a discussão, o ministro brilhou de cuecas, com a sua toga até a cintura, como mostram os segundos divulgados pelo site jurídico Jota.

Desnudada, a sessão seguiu adiante. Colegas de Néfi Cordeiro se mostraram ‘consternados’ com o episódio, não pelo que viram ou deixaram de ver, mas por ser justamente Cordeiro, ministro que nutre a imagem de ser ‘muito sério’ e decoroso com a diplomacia dos tribunais.

A reportagem tentou ouvir o ministro. A assessoria do STJ informou que o gabinete de Néfi Cordeiro ‘tem ciência de que esse vídeo está circulando por redes sociais’. No entanto, declarou que ‘não irá se manifestar a respeito’.

Para tranquilidade da Nação e de Cordeiro, o STJ tratou de cortar o vídeo, de forma que os 14 segundos agora apagados da sessão passem a ter direito ao seu esquecimento. Durante a pandemia, todos os ministros do tribunal adotaram o ‘home office’ para seus trabalhos, com as sessões realizadas pela plataforma Zoom. Cabe aos magistrados escolherem se participam de casa ou de algum escritório. E com qual roupa. Ou não.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha