O Jornal do Poder

13/08


2020

Mães da Pátria. Difícil sem elas

Por Antonio Magalhães*

Os Pais da Pátria têm servido para simbolizar o papel preponderante de determinadas personalidades na formação da unidade nacional ou de sua independência. Uma visão masculina da História do Brasil.

No recente Dia dos Pais pensei como seriam os pais sem as mães. De onde eles extrairiam opiniões sensatas para tocar seus projetos e a vida em comum? Por isso quis aqui lembrar essas figuras indispensáveis, as Mães da Pátria, que deram apoio a ideias e ideais desses homens notáveis.

Longe de querer dividir este texto com feministas radicais, destaco aqui o papel importante das mulheres, não heroínas oficiais, que compartilharam com eles suas vidas com amor e companheirismo.

Esposas fiéis ao casamento, às vezes numa relação com maridos infiéis, bem formadas intelectualmente, deram grande contribuição em forma de conselhos, críticas, sugestões, cuidando da administração doméstica, para que esses vultos brasileiros, hoje registrados no Panteão da Pátria, pudessem ser o que foram.

LEOPOLDINA

Me vêm à cabeça a lembrança da Arquiduquesa da Áustria, Dona Leopoldina, primeira esposa de Pedro I e Imperatriz do Brasil. Hoje há consenso entre os historiadores do seu fundamental papel desempenhado na independência do País. Foi também conselheira de bastidores de Pedro I em importantes decisões políticas que refletiram no futuro da nação, como o Dia do Fico e a posterior oposição e desobediência às cortes portuguesas quanto ao retorno do casal a Portugal.

Preparada na sua formação para reinar, Dona Leopoldina, não via mistério em governar. Foi regente do reino nas viagens de Pedro I pelas províncias brasileiras. E considerada a primeira mulher a se tornar Chefe de Estado de um país americano. Essa performance da jovem imperatriz, falecida aos 29 anos, só é registrada em livros especializados. Para massa, principalmente no Rio de Janeiro, é nome de um bairro carioca e de escola de samba.

NARCISA

Outro figurão da história, José Bonifácio de Andrada e Silva, o Patriarca de Independência do Brasil, casou em Lisboa em 1790 com a irlandesa Narcisa Emília O’Leary. Ele a conheceu na Universidade de Coimbra. Com ela, percorreu seu acidentado caminho político. Homem de confiança de Pedro I e articulador eficiente entre os cortesãos do reino e depois do império brasileiro, passou por períodos de ostracismo, de prisão, de exílio, e foi o regente do Brasil durante parte da menoridade de Pedro II.

arcisa Emília O’Leary, órfã de pai e mãe, imigrou com uma tia para Portugal ainda criança devido a forte repressão dos protestantes ingleses contra os católicos. Os registros históricos sustentam que Narcisa foi sempre fiel e companheira do marido, apesar das conhecidas aventuras extraconjugais dele, e, de acordo com depoimentos da época, sempre foi uma esposa discreta, polida e virtuosa, acompanhando José Bonifácio durante as alegrias e adversidades de uma vida política intensa, conturbada, mas memorável.

TRÊS PARA UM

Já Joaquim Nabuco, o abolicionista, por sua vez, não foi influenciado apenas por uma mulher. Mas por três. Na infância, a madrinha Ana Rosa cuidou dele no engenho Massangana, em Pernambuco, enquanto os pais viviam no Rio, onde o pai era deputado. Na juventude viveu um romance durante 16 anos com a ricaça Eufrásia Teixeira Leite, que terminou deixando-o para viver em Paris. Curiosamente, Nabuco veio a se casar depois com uma parisiense de nacionalidade brasileira, Evelina Torres Soares Ribeiro. Dezesseis anos mais nova, ela acompanhou as andanças políticas e diplomáticas do marido. Deu-lhe cinco filhos. E tem pouco registros de sua vida com Nabuco.

MARIANA

No exemplo seguinte, Mariana Cecília de Souza Meirelles aos 34 anos ainda era solteira, um atestado de incompetência relacional para a época. Mas o militar Deodoro da Fonseca a livrou da solteirice. Muito apaixonados um pelo outro, eles se casaram poucas semanas depois, em 16 de abril de 1860. Ela tinha 34 anos de idade e ele, 33. Não tiveram filhos e os apelidos do casal eram Maneco e Marianinha.

Nas muitas voltas da vida, Deodoro fez brilhante carreira militar, tornou-se Marechal e líder do grupo que proclamou a República. Mariana Fonseca passou a ser a primeira-dama do Brasil republicano.

Foi uma primeira-dama discreta, não fazendo só o papel de dona de casa no Palácio do Itamaraty, residência presidencial à época. Ela teve uma grande influência sobre o marido, fato conhecido por toda a sociedade.

Considerada uma mulher de personalidade forte e opinião própria, a primeira-dama apoiou a iniciativa de criação de uma escola doméstica que, em sua prática, dava instrução primária e ensinava tipos de prendas do lar a meninas pobres e órfãs. Tal escola permaneceu em atividade até o início do século XX.

DARCI

O presidente, o ditador, o líder de massas, o pai dos pobres Getúlio Vargas casou-se em São Borja (RS), em 4 de março de 1911, com Darcy Lima Sarmanho, de 15 anos de idade. O matrimônio foi um acerto político, um ato de conciliação entre famílias rivais. Darci Vargas teve cinco filhos, o que nunca a impediu de exercer suas atividades de primeira-dama militante.

Os momentos de infidelidade conjugal de Getúlio foram superados por Darci internamente, não alimentando o ninho de cobras da política. Ele representou o Brasil, com a filha Alzira, personagem maior da era Vargas, numa visita ao presidente Roosevelt, dos Estados Unidos.

Antecipou o papel social da Primeira-Dama, criando instituições, escolas e a Legião Brasileira de Assistência (LBA) para ajudar a família dos combatentes brasileiros na Segunda Guerra Mundial. Durante a grande seca no início da década de 1950, Darci visitou os Estados do Nordeste que foram os mais atingidos, com o objetivo de viagem conhecer as necessidades que se sucederam e procurar ajudar os flagelados.

Darci era os olhos e ouvidos de Getúlio. Mesmo depois da morte do presidente continuou a trabalhar na assistência social. Morreu em 1968 aos 72 anos. 

RISOLETA

Tancredo Neves, político da velha escola mineira, quando chegou ao máximo de sua carreira ao ser eleito presidente da República, não conseguiu tomar posse acometido por uma diverticulite que o levou a morte em 21 de abril de 1985. Foram naqueles momentos tensos da sua demorada agonia de mais de um mês que o Brasil conheceu Risoleta Neves.

Considerada o alicerce de sua família, Risoleta sempre foi uma mulher discreta, embora atuante na construção da política democrática. Esteve sempre ao lado do marido, acompanhando-o em sua trajetória política. Era avessa à entrevistas, preferindo colher as perguntas na forma escrita e respondendo posteriormente.

Em 1986, ano em que Aécio Neves foi eleito deputado federal, o presenteou com um escritório no Solar da família. Foi uma grande incentivadora da candidatura do neto ao governo de Minas, fato em que no dia da eleição descobriu que seu título havia sido cancelado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

“Deixei de votar porque estava doente, mas estou muito orgulhosa por ele estar seguindo o caminho do avô e isso me deu ânimo para vir aqui. O voto ficou no coração”. Ainda bem que ela não viveu para ver a derrocada do neto.

MADALENA

Um encontro em Paris mudou a vida de Miguel Arraes de Alencar e de Maria Madalena Fiúza, então uma estudante na capital francesa. Hospedada na casa de uma irmã de Miguel Arraes, que estava viúvo, em missão naquela cidade, ela começou um namoro que logo se transformou em casamento. Do marido, herdou oito filhos, que foram incorporados a mais dois que tiveram juntos. "Eles eram meninos muito bem-educados e logo formamos uma grande família", se recorda em entrevista ao Diário de Pernambuco.

Ao lado do marido, Magdalena viveu momentos felizes e tristes ao longo do governo, mas encarados de frente. Durante a ocupação do Palácio do Campo das Princesas, em março de 1964 por forças militares, fez questão que todos os filhos fossem à escola normalmente. Já no exílio, trabalhou como professora de português numa universidade e aguardava, com um certo receio, voltar ao país por conta da Lei da Anistia em 1979. Sempre mostrou-se como uma mulher política com quem Arraes confidenciava episódios, a consultava em momentos de incerteza e antecipava decisões

EXEMPLOS

Pelos poucos exemplos que vimos acima foi possível avaliar a influência dessas mulheres na vida dos notáveis nacionais. Identificamos o que foi agregado à consciência desses homens durante a vida em comum. Por isso, não se pode pensar nos Pais da Pátria sem as Mães da Pátria. É isso.

*Integrante da Cooperativa de Jornalistas de Pernambuco


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Potencial Pesquisa & Informação

Confira os últimos posts



23/09


2020

Ajude o jornalista Jaques Cerqueira a obter uma cama

Vítima de um acidente vascular cerebral no último dia 05 de agosto, o jornalista pernambucano Jaques Cerqueira, 70, voltou a ser hospitalizado e necessita de uma cama. O custo estimado é de R$ 1.700,00. As doações podem ser feitas por meio de depósito bancário na conta de Cátia Fonseca, cunhada de Jaques:

Favorecida: Cátia Fonseca

CPF: 331.134.404-91

Banco: Caixa Econômica Federal

Agência: 1294

Conta-poupança: 26375-8 Operação: 013

O AVC deixou todo o lado direito do corpo de Jaques paralisado. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (081) 9.8855-0526 e 9.9251-5936.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

23/09


2020

Bolsonaro e Felipe Neto na lista dos mais influentes do mundo

A revista norte americana ‘Time’ divulgou a lista das 100 personalidades mais influentes do mundo, com 2 brasileiros entre eles. O presidente Jair Bolsonaro aparece na categoria ‘Líderes’ e tem números negativos de seu mandato destacados pela publicação norte-americana Já o influenciador digital Felipe Neto, com 51 milhões de seguidores nas redes sociais, está entre ‘Ícones’.

Veja como a ‘Time’ descreve os dois brasileiros desse Top-100:

JAIR BOLSONARO – A história do ano no Brasil pode ser contada em números: 137.000 vidas perdidas para o coronavírus. A pior recessão em 40 anos. Pelo menos cinco ministros demitidos ou demitidos do Gabinete. Mais de 29.000 incêndios na floresta amazônica somente em agosto. Um presidente cujo ceticismo teimoso sobre a pandemia e indiferença à espoliação ambiental elevou todos esses números.

No entanto, o número que realmente importa é 37 – a porcentagem da sociedade brasileira que aprovou Jair Bolsonaro em uma pesquisa no final de agosto, a maior pontuação desde que ele assumiu o cargo no início do ano passado. Apesar de uma tempestade de denúncias de corrupção e de um dos maiores índices de mortes de COVID-19 no mundo, o agitador de direita continua popular entre uma grande parte dos brasileiros. O índice de aprovação de Bolsonaro se deve em parte aos pagamentos mensais de ajuda de emergência feitos aos mais pobres do país durante a pandemia. Mas também reflete os seguidores fervorosos, quase cultos, que ele comanda. Para sua base, ele simplesmente não pode errar. É o resto do Brasil, e do mundo, que sobra para contabilizar os custos.

FELIPE NETO – Com 39 milhões de assinantes no YouTube e 12 milhões de seguidores no Twitter, Felipe Neto, 32, é o influenciador digital mais importante no Brasil, possivelmente no mundo.

O domínio online de Neto não é novo. Uma década atrás, da humilde casa de sua família no Rio de Janeiro, ele começou a criar conteúdo para o YouTube e rapidamente encontrou fama, um público jovem enorme e leal e patrocínios lucrativos. O que mudou – radicalmente – é a forma como Neto usa sua plataforma. Sua notoriedade inicial foi gerada pela tarifa padrão para adolescentes online: videogames, celebridades e meninas. Mas com a eleição de 2018 do presidente de extrema direita Jair Bolsonaro e o fortalecimento de seu movimento protofascista, Neto, arriscando sua marca e segurança, redirecionou sua popularidade para se tornar um dos oponentes mais eficazes de Bolsonaro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/09


2020

“Turismo voltará ao normal somente em 2023”, diz CEO da CVC

O presidente da CVC, Leonel Andrade, disse, ontem, que o setor de turismo só deve voltar ao movimento pré-pandemia em 2023. "Chegaremos ao fim de 2020 com cerca de 50% do que tínhamos. Em 2021, devemos estar em cerca de 70% e terminar 2022 com 100% do movimento. Assim, só teremos ano cheio em 2023", afirmou o CEO.

Ele argumenta que as grandes feiras, que movimentam o turismo internacional de negócios, ainda demorarão para acontecer enquanto não houver uma vacina. "Torço para estar errado, mas gosto de preparar a empresa para o pior cenário", afirma Andrade.

Em relação a critérios de sustentabilidade, o CEO diz que a companhia tem ainda tem um longo caminho a percorrer. "Faço uma confissão, precisamos melhorar em relação a sustentabilidade", afirmou durante a Live da qual participou nesta tarde, promovida pelo jornal O Tempo.

Ele disse ainda que os clientes e investidores devem ver no próximo ano uma empresa mais diversa em seu quadro de funcionários. "Simplesmente porque os nossos clientes são diversos", afirmou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/09


2020

MPE pede condenação de Josué Mendes em Agrestina

Por Houldine Nascimento, da equipe do blog

O Ministério Público Eleitoral fez uma representação contra o pré-candidato do PSB à Prefeitura de Agrestina, Josué Mendes, sob a alegação de que o postulante "de forma dolosa, beneficiou-se de propaganda eleitoral antecipada para as eleições municipais de 2020". Na ação, movida na última segunda-feira (21), o promotor de Justiça Leôncio Tavares Dias pede que Mendes seja multado em R$ 25 mil "em razão da dimensão da ilicitude, que perdurou durante todo o dia 10 de março de 2020".

Tavares também se refere a uma carreata e passeata que teriam ocorrido no último dia 11 de setembro "com a mesma maneira de execução, a saber, automóveis com reboques  de som e com paredões sonoros, veiculando músicas de propaganda com pedidos de votos e apresentação de candidatura, lançamento de  rojões de fogos de artifícios e uma multidão atrás do pretenso futuro candidato nas Eleições municipais de 2020 acima mencionado, percorrendo as vias públicas da cidade de Agrestina". O promotor anexou vídeos e fotos como provas.

Também no dia 11 de setembro, o representado, Josué Mendes da Silva, conseguiu virtual liminar judicial no processo no 0810560-88.2020.4.05.0000, em trâmite no Tribunal Regional Federal da 5ª Região, que suspendeu os efeitos de sua condenação, permitindo a sua candidatura à Prefeitura. Mendes foi prefeito entre 2001 e 2008 e tem o apoio do atual gestor de Agrestina, Thiago Nunes, que está preso desde o último dia 10 em consequência de ilicitudes na administração pública apontadas na terceira fase da operação Pescaria, deflagrada pela Polícia Federal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/09


2020

Patrícia denuncia abandono do Centro do Recife

No início da noite de ontem, a delegada Patrícia Domingos (Podemos), candidata a prefeita do Recife, denunciou um problema que se formou na capital pernambucana: o abandono do centro do Recife. Patrícia esteve no bairro de São José e constatou que, assim que começa a escurecer, as ruas no entorno, sem iluminação e cheias de lixo, ficam quase desertas. Grupos de jovens e adultos, em situação de risco social, se reúnem no coração da cidade para usar drogas, principalmente o crack.

Associado a isso, relatos de assaltos e violência também são constantes. Patrícia esteve no local e foi até a Catedral de São Pedro dos Clérigos, igreja colonial com mais de 290 anos, que é um dos principais pontos turísticos e de importância religiosa na capital.

A candidata alertou para o problema de segurança pública. “Uma rua sem iluminação é um convite para o crime. É inadmissível uma via que dá acesso a um dos mais importantes patrimônios históricos da cidade não ter iluminação pública”.

Tomando sua experiência em segurança, a delegada afirmou: “o Recife carece de medidas básicas de segurança, como iluminação pública e câmeras de monitoramento. A população não tem sequer o mínimo de suporte para se sentir segura”. Ela também disse que, em sua gestão, a segurança dos recifenses será prioridade.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

É isso mesmo. Temos de fazer voltar a boemia do Centro da Cidade. Os esquerdistas que se dizem ligados a essa área, nunca fizeram nada. Segurança e reviver o polo histórico e boêmio é restaurar a alma da nossa Cidade. Carlos Pena, no seu saudoso poema, já dizia no saudoso Savoy: São trinta copos de chopp; são trinta homens sentados; trezentos desejos presos; trinta mil sonhos frustrados.



23/09


2020

Bate papo da manhã analisa pesquisa no Recife

No “Bate Papo da Manhã”, programa que apresento todos os dias, no meu canal do YouTube, o assunto hoje foi a pesquisa eleitoral realizada pelo Instituto Opinião no Recife e divulgada por este blog hoje. Vale a pena conferir!

Para assistir ao meu programa diariamente, basta se inscrever no meu canal, o https://www.youtube.com/blogdomagno, e ativar as notificações clicando no sininho.

A propósito, minha gente, preciso que meu canal no YouTube cresça e apareça! Vamos ampliar essa corrente. Quem me segue aqui ou é amigo entre os cinco mil amigos e os 17 mil seguidores e ainda não se inscreveu no canal do meu blog vai lá, dá uma forcinha. Imprensa livre e independente se faz com a ajuda e a colaboração de quem gosta e se sente representado pelo nosso trabalho. Inscreva-se no link acima e indique para mais alguém.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/09


2020

Yves Ribeiro reúne aliados e pede união na campanha

O candidato à Prefeitura de Paulista pelo MDB, Yves Ribeiro, se reuniu, na noite da última segunda-feira, no Colégio Santa Joana, no bairro do Janga, com candidatos ao Legislativo municipal e lideranças políticas.

Às vésperas do início da campanha eleitoral – que acontecerá oficialmente no próximo domingo –, Yves fez um apelo pela unidade das forças políticas que dão sustentação à sua candidatura. "Vamos fazer uma corrente de união e esperança, levando nossa mensagem de compromisso com a mudança e moralização da máquina pública", pontuou.

O prefeiturável lamentou, ainda, a situação pela qual atravessa a gestão municipal, onde o prefeito Júnior Matuto (PSB) e colaboradores são alvo de investigações do Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Segundo ele, isso se reflete na caótica situação dos serviços prestados pela prefeitura à população. Na ocasião, prometeu que – se eleito –, vai levar Paulista a um lugar bem melhor.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/09


2020

Marília critica ausência de debates

A candidata do PT à Prefeitura do Recife, Marília Arraes, comentou, ontem, a decisão da TV Globo em restringir a participação nos debates a quatro candidatos.

Marília defende que o debate sobre o Recife, sobretudo em função de todas as dificuldades pelas quais a cidade vem passando, deve ser sempre o mais amplo e aberto possível, para que todos possam apresentar suas propostas e discutir a cidade. Ela espera que a emissora possa rever a sua posição, dando oportunidade para que todos participem. 

Ainda de acordo com Marília, o importante é que os principais meios de imprensa se coloquem à disposição para realizar seus debates, que possam contribuir com a discussão sobre o futuro da cidade.

Para ela, é importante também o compromisso dos candidatos em participar dos debates e cita como exemplo o primeiro debate que será o da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que já aponta candidatos que não confirmaram participação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/09


2020

Marília tem frente apertada com 2º lugar indefinido

Na primeira pesquisa de intenção de voto para prefeito do Recife feita pelo Instituto Opinião em parceria com este blog, logo após a realização das convenções, a candidata do PT, Marília Arraes, aparece na frente, numericamente, mas num quadro de quase empate técnico entre os demais candidatos, nesta ordem João Campos (PSB), Mendonça Filho (DEM) e Patrícia Domingos (Podemos). Os demais postulantes aparecem bem distantes, com percentuais abaixo de 3,5%.

Se a eleição hoje, Marília teria 19,1% dos votos, João Campos viria em seguida com 14,3%, um ponto a mais que Mendonça Filho, que aparece colado, com 13,5%. A delegada Patrícia pontuou com 12,5%, Marco Aurélio, do PRTB, 3,3%, Alberto Feitosa, do PSC, 2,3%, Thiago Santos, da Unidade Popular, 0,5%, Carlos Andrade Lima, do PSL, com 0,3%, Cláudia Ribeiro, do PSTU, 0,3%, e, por fim, Charbel Maroun, do Novo, com 0,1%. Brancos e nulos somam 19,6% e indecisos chegam a 14,2%.

Na espontânea, modelo pelo qual o entrevistado é estimulado a lembrar o nome do seu candidato sem a lista disponível, Marília também lidera com 7,1%, João Campos vem em seguida com 5%, Mendonça e Patrícia aparecem empatados, com 3,9%. Marco Aurélio foi lembrado por 0,5%, Feitosa por 0,3%, Carlos Andrade Lima por 0,1%, Cláudia Ribeiro, por 0,1%, e Thiago Santos por 0,1%. Neste cenário, brancos e nulos representam 14% e indecisos sobem para 62%.

No quesito rejeição, o candidato do PSB está na frente. Dos entrevistados, 19,5% disseram que não votariam nele de jeito nenhum, seguido de Mendonça Filho, com 10,9% dos que afirmaram que não votariam nele de jeito nenhum. Depois, aparece Marilia, com um percentual de 5,4%. Em seguida, pela ordem, Alberto Feitosa, com 5,1%, Marco Aurélio, com 2,9%, Patrícia Domingos, com 2,6%, Charbel, com 2%, Carlos Andrade Lima, com 1,5%, Thiago Santos (0,9%) e Cláudia Ribeiro (0,6%). Ainda entre os entrevistados, 14% disseram que rejeitam todos os candidatos e 34,6% disseram que não rejeitam nenhum dos candidatos. 

2º TURNO: MARÍLIA BATE TODOS

O Instituto Opinião testou cenários de segundo turno com os candidatos mais competitivos. Marília Arraes aparece na frente de todos os adversários. No embate com João Campos, venceria com 36,9% dos votos contra 25,6%. Diante de Mendonça, o placar seria de 39,6% contra 28,9%. Já com a delegada Patrícia, Marília teria 39,4% e a delegada 30,1%.

A disputa com outros atores também foi testada. Num enfrentamento Mendonça x João Campos, o democrata venceria com 32,4% ante 30,6% do socialista. Já num cenário em que estivessem num segundo turno a delegada e João, ela venceria. Segundo o levantamento, Patrícia teria 33,1% e João 32,8%. Já numa disputa entre a delegada e Mendonça, a candidata do Podemos também ganharia. Teria 35,4% contra 28,9%.

O Instituto Opinião, que é de Campina Grande (PB), e tem parceria com este blog há 14 anos, com 98% de acertos, aplicou 800 questionários no Recife entre os dias 19 e 20 deste mês. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos, com intervalo de confiança estimado em 95%. A pesquisa está registrada na justiça eleitoral com o número de protocolo PE-01565/2020.

A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. Foram realizadas entrevistas pessoais e domiciliares.

Estratificando a pesquisa, Marília tem suas maiores taxas de intenção de voto entre os eleitores com grau de instrução superior (26,3%), entre os eleitores jovens, na faixa etária de 16 a 24 anos (21,3%) e entre os eleitores com renda familiar até dois salários (18,1%). Por sexo, 19,7% dos seus eleitores que declararam voto são mulheres e 18,4% são homens.

João Campos, por sua vez, tem concentração maior de eleitores entre os com grau de instrução até o 9º ano (20%), entre os eleitores jovens (18%) e entre os eleitores entre dois e cinco salários (16%). Por sexo, 15,8% dos seus eleitores que declararam o voto são mulheres e 12,3% são homens.

Mendonça Filho tem suas melhores indicações de voto entre os eleitores com renda superior a cinco salários (20,3%), entre os eleitores com grau de instrução até o 9º ano (16,1%) e entre os eleitores na faixa etária entre 35 a 44 anos (16,5%). Por sexo, 15,6% dos seus eleitores que declararam o voto são homens e 11,8% são mulheres.

Patrícia Domingos, por fim, tem suas taxas de intenção de voto maiores entre os eleitores na faixa etária de 35 a 44 anos (20%), entre os eleitores com grau de instrução superior (14,9%) e entre os eleitores com renda familiar acima de cinco salários-mínimos (13,4%). Por sexo, 15,1% dos eleitores que declararam o voto são homens e 10,4% são mulheres.

AVALIAÇÃO DE GESTÃO

O Instituto Opinião também levantou o grau de satisfação da população do Recife com as gestões do município, do Estado e da União. O Governo Geraldo Júlio tem aprovação de 47,4% dos entrevistados, enquanto 45,4% desaprovam.

O Governo Paulo Câmara tem desaprovação maior. Entre os entrevistados, 53,4% disseram que desaprovam e 37,5% afirmaram que aprovam. O Governo Bolsonaro, enfim, tem aprovação de 40,5% e desaprovação de 50,8%.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

Opinião volta a fazer pesquisa no Recife

Em razão da pandemia, que dificultou a realização de pesquisas presenciais, o Instituto Opinião, de Campina Grande (PB), que tem uma parceria histórica de 14 anos com este blog, volta, hoje, a fazer levantamentos eleitorais no Recife e nos principais colégios eleitorais do Estado.

A meia noite, postaremos a primeira pesquisa sobre o quadro da sucessão do prefeito Geraldo Júlio (PSB). Traz não apenas o retrato deste momento, uma semana após as convenções partidárias, mas também as projeções de segundo turno e a avaliação das gestões de Geraldo, Paulo Câmara e Bolsonaro.

O Recife tem razão para dormir um pouco mais tarde hoje!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

Mendonça: João precisar sair do Recife do conto de fadas

O candidato a prefeito do Recife pelo Democratas (DEM), Mendonça Filho, afirmou, na noite de hoje, que o candidato socialista, João Campos (PSB), precisa sair do Recife do conto de fadas, dos muros do palácio e da propaganda, para andar no Recife real, da capital do desemprego, da corrupção, que tem 57% da população sem acesso a tratamento de esgoto e déficit de 70 mil moradias. “João Campos desconhece a realidade do Recife. Negar isso é colocar na condição de invisível e inexistentes milhões de recifenses que sofrem diariamente com o descaso da gestão socialista”, rebateu.

Mendonça afirmou que o Recife que ele está debatendo é o real, o do desemprego, com índices elevados muito antes da pandemia do coronavírus, da violência, da falta de moradia e das palafitas, dos esqueletos habitacionais abandonados há muitos anos, e não o Recife da ilusão, da falsa propaganda, do conto de fadas de João Campos.

Na avaliação de Mendonça Filho, o candidato socialista precisa explicar à população do Recife todo o cenário que vem se desenhando desde muito antes do isolamento social causado pelo novo coronavírus. “Ainda bem que ele apareceu, pois estava escondido, se valendo dos seus tutores para iludir o eleitor recifense. Ele tem que explicar respiradores testados apenas em porcos sem aval da Anvisa, as denúncias de corrupção na compra de luvas e máscaras, os conjuntos habitacionais abandonados, a educação estagnada com falta de creches para as crianças, cujos recursos estavam garantidos pelo MEC durante minha gestão”, disse Mendonça Filho. 

O democrata lembrou, mais uma vez, resultados desastrosos de uma pesquisa realizada pela FGV, que apontou que a renda do trabalhador caiu 29,5% no Recife e 26,9% em Pernambuco, durante a pandemia do novo coronavírus. Também reforçou que um dia após o PSB realizar a convenção que homologou a chapa de João Campos como candidato a prefeito no Recife, a prefeitura, governada pelo PSB há oito anos, foi alvo de mais uma operação da Polícia Federal sobre denúncias de corrupção durante a pandemia. Já são ao todo seis operações no Recife e, na mais recente, estão sendo investigados desvios da ordem de R$ 60 milhões de recursos federais da pandemia destinados a salvar vidas ameaçadas pela Covid-19.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

João Campos responde alfinetada de Mendonça Filho

Caro Magno,

Tenho debatido a cidade diretamente com a população. Que reconhece os avanços e também, com todo o direito, apresenta suas demandas. O eterno candidato Mendonça parece não compreender bem a realidade do Recife, nem da economia brasileira. Quer insistir no debate vazio dos ataques, das acusações distorcidas, uma política ultrapassada que o povo do Recife rejeitou, inclusive nas frustradas tentativas que ele tem feito, em eleições.

Apesar do tempo que tem na política, inclusive tendo sido ministro de Temer, governo do desemprego e da subtração de direitos dos trabalhadores, passa a sensação de que não amadureceu. Tenho muito orgulho de fazer parte de uma ampla frente, democrática, que sabe debater em outro nível, e buscar convergências. Foi assim que o Recife começou a mudar. Mas temos muito a fazer. Inclusive debates mais oportunos e produtivos.

João Campos – deputado federal e pré-candidato do PSB à Prefeitura do Recife


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

Em Caruaru, Raffiê apresentará Plano de Governo em Braille

O pré-candidato a prefeito de Caruaru pelo PSD, Raffiê Dellon, contemplou de modo prioritário a temática da acessibilidade na sua campanha e anunciou que irá protocolar junto à ACACE (Associação Caruaruense de Cegos), o seu Plano de Governo em Braille, sistema de escrita tátil utilizado por pessoas cegas ou com baixa visão. A ACACE foi a primeira entidade de Caruaru que foi procurada pelo pré-candidato para a construção do Plano de Governo, ainda no início do ano.

“O Plano de Governo é algo que é atualizado cotidianamente e foi construído ouvindo muita gente, nos quatro cantos de Caruaru, em sua Zona Urbana e Rural. A temática da acessibilidade será um dos carros chefes. No DETRAN de Caruaru eu criei a Junta Médica Especial para as pessoas com Deficiência, que só existia em Recife, lá também implementamos a prova teórica para Deficiente Auditivo em Caruaru, sem ser necessário vir alguém de Recife para aplicar. Sobre Acessibilidade falo com propriedade de quem já fez por essa Política Pública”, comentou Raffiê.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

Elias é condenado a pagar multa por propaganda eleitoral negativa

A 15ª Zona Eleitoral do Cabo de Santo Agostinho emitiu sentença, na tarde de hoje, condenando o candidato a prefeito Elias Gomes (MDB) a pagar multa de R$ 5 mil por falar mal, indevidamente, do candidato à reeleição, Lula Cabral (PSB), durante convenção realizada dia 15 de setembro e ter postado os vídeos nas redes sociais, configurando propaganda eleitoral negativa.

Segundo a decisão, assinada pelo juiz Ivanhoé Holanda, o vídeo representa propaganda antecipada, com grave “potencial lesivo da propaganda negativa antecipada, haja vista à publicação da live da Convenção do Partido, em sua rede social, mesmo após ser finalizado o ato” (SIC), explica. A multa de R$5 mil foi aplicada e reafirmada a retirada do vídeo do ar. “Mantendo a retirada do vídeo postado na inicial, pois ratifico o entendimento de configuração de propaganda negativa antecipada”, diz a sentença.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

“Quero debater o Recife com João”, desafia Mendonça

O candidato a prefeito do Recife pela coligação Recife Acima de Tudo, Mendonça Filho (DEM), renovou, hoje, a cobrança à gestão do PSB pelos resultados desastrosos do Recife e de Pernambuco, em uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV), sobre o mercado de trabalho e perda de renda durante a pandemia do novo coronavírus, e afirmou que está disposto a discutir os problemas da cidade com quem pleiteia ser prefeito. “Quero debater o Recife e seus muitos problemas com João Campos, e não com um de seus tutores, que a todo momento tentam blindá-lo dos graves fatos e iludir a população. O eleitor do Recife está cansado dessa conversa fiada”, disse Mendonça Filho.

A afirmação do democrata é uma resposta ao deputado estadual Isaltino Nascimento (PSB), líder dos socialistas na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), que hoje acusou o candidato do DEM de "oportunismo" e "falta de sensibilidade", após as cobranças feitas pelo prefeiturável, ontem, em relação ao estudo da FGV, no qual Recife e Pernambuco tiveram a maior queda registrada na renda do trabalhador em todo o Brasil desde o início do isolamento social causado pela Covid-19, com percentuais de 29,5% e 26,9%, respectivamente. Para Mendonça Filho, os números da pesquisa, coordenada pelo economista Marcelo Neri, e que utilizou dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), considerando trabalhadores formais, informais e desocupados, mostram o real legado da gestão do PSB.

“O estudo dos impactos da pandemia é sobre a economia dos municípios brasileiros, não se está falando nem comparando com o resto do mundo. Aliás, é um ótimo momento para João Campos vir a público explicar as seis operações da Polícia Federal no Recife, a partir das denúncias de superfaturamento e outros indícios de irregularidade, isto sim. Recife tem o dobro de mortes por Covid-19, em relação a outras cidades, como Salvador. Lá, o índice ficou em cerca de 3%, enquanto aqui atingiu quase 8%”, disse Mendonça Filho.

Em agosto, a capital baiana registrava 65 mortes pela doença por 100 mil habitantes. O Recife, por sua vez, apresentou, no mesmo período, 130,5 óbitos para o mesmo coeficiente. “Ou o líder do PSB na Alepe acha que a população já esqueceu os cerca de 500 respiradores pulmonares artificiais comprados pela gestão de Geraldo Julio, testados apenas em porcos e sem o aval da Anvisa, e as máscaras e luvas compradas de forma superfaturada para combater a pandemia?”, questionou o democrata. 

Mendonça Filho também reforçou que a população do Recife sabe que as dificuldades em todo o Brasil em relação à pandemia são as mesmas, bem como as políticas federais adotadas também são uniformes na concepção, apesar de que o Auxílio Emergencial criado pelo Governo Federal para auxiliar a população mais carente durante o isolamento, por exemplo, foi maior em estados como Pernambuco, que têm um número significativo de pessoas mais necessitadas.

“Ao contrário do que o líder do governo na Alepe diz, o Auxílio Emergencial foi criado, lançado e chegou na ponta, ou seja, na conta dos trabalhadores, em tempo recorde. Esta foi a política social de maior orçamento até hoje executada pelo Governo Federal em sua história e gerou um cadastro importante para ser usado em um próximo programa social a ser lançado. Além disso, quem definiu o valor de R$ 600 não foi o Congresso Nacional, e sim o presidente Jair Bolsonaro. Não adianta iludir a população atribuindo o sucesso da medida emergencial ao Congresso, o povo sabe a verdade”, ressaltou Mendonça Filho.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha