FMO janeiro 2020

01/07


2020

Miguel Coelho recebe prêmio "Prefeito Amigo da Criança"

Petrolina é uma de 125 cidades do Brasil premiadas pela Fundação Abrinq com o título "Prefeito Amigo da Criança". A notícia foi recebida, hoje, pelo prefeito Miguel Coelho. A premiação é concedida aos governantes dedicados a políticas públicas que priorizam os direitos das crianças e adolescentes.

2.340 municípios de todo o Brasil concorreram ao prêmio. Em Pernambuco, apenas 11 cidades foram selecionadas pela Fundação Abrinq, dentre elas, Petrolina. Entre os fatores que propiciaram o reconhecimento ao prefeito sertanejo está o aumento de 90% nos recursos destinados ao Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. A Prefeitura de Petrolina ainda se destacou aumentando em 4,2% a taxa de matrículas na pré-escola e 5,4% nas matrículas em creches. A Fundação Abrinq ainda ressaltou a ampliação em 39,5% de professores com ensino superior nas creches, além de evidenciar um crescimento de 6,5% de nascidos vivos cujas mães fizeram sete ou mais consultas pré-natal.

Para o prefeito Miguel Coelho, o reconhecimento nacional comprova que a cidade sertaneja aprimorou nos últimos anos as ações e programas voltados à educação infantil. "Ampliamos a oferta de vagas na primeira infância, reestruturamos a rede de creches e escolas entre diversas outras iniciativas na rede pública de Petrolina. Esse prêmio mostra que estamos no caminho certo e se traduz numa conquista não apenas do prefeito, mas de toda a equipe da prefeitura, que se dedica a cuidar do futuro de nossa gente", afirmou Miguel.

Além de Petrolina, foram premiadas em Pernambuco pela Fundação Abrinq as prefeituras de Afogados da Ingazeira, Araçoiaba, Buíque, Carnaíba, Caruaru, Panelas, Pedra, Poção, São Bento do Una e Taquaritinga do Norte. A premiação existe desde 1996, indicando os municípios com experiências mais exitosas nas políticas para crianças e adolescentes. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Jaboatão

Confira os últimos posts



09/08


2020

Covid-19 vitima publicitário Enio Mainardi

O publicitário paulista Enio Mainardi morreu, ontem, aos 85 anos, vítima da Covid-19. O jornalista Diogo Mainardi, seu filho, confirmou a informação. "Enio Mainardi, meu pai, morreu neste sábado. Ele estava internado com Covid-19. Nosso último encontro foi em 26 de abril de 2019. Viajei a São Paulo com meu filho mais velho e deixei-o na casa de meu pai. Eles gravaram um vídeo juntos. É assim que vou recordá-lo – com esse amor exuberante", escreveu Diogo no portal O Antagonista.

Enio Mainardi nasceu na cidade de Pindorama (SP) em 24 de maio de 1935. O auge na publicidade ocorreu entre as décadas de 1970 e 1980, quando liderou campanhas de sucesso, como as do biscoito Tostines e do extrato de tomate Elefante. Ele também escreveu dois livros: "Nenhuma poesia é inocente" (2007) e "O moedor" (2013).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo de Santo Agostinho

09/08


2020

Mandetta: Bolsonaro foi negacionista desde o começo

Mateus Vargas, do Estadão

Ex-deputado federal e ortopedista, Mandetta foi demitido do governo após semanas de disputas com o presidente sobre pontos vitais da estratégia de combate à covid-19, como a necessidade de distanciamento social. Ele deixou a Saúde com cerca de 30 mil casos e 2 mil mortos pela covid-19.

"Ele (Bolsonaro) foi negacionista desde os primeiros dias. Entregou o jogo no primeiro tempo. A gente tentava trazê-lo de volta para a realidade. Mas ele se recusou", disse Mandetta. "E se recusa até hoje a encarar a realidade, de que é falso o dilema entre economia e saúde." 

Para o ex-ministro, a marca de 100 mil mortos pode servir de "choque de realidade" para o governo assumir a gravidade da pandemia. Mandetta avalia que o País está passando pelo pior momento da doença, mas que em setembro "os números provavelmente vão ficar melhores". 

Mandetta afirma que não tratou publicamente, como em declarações à imprensa, sobre previsões de mortos pela doença, mas que Bolsonaro sempre soube da gravidade da pandemia. Segundo o ex-ministro, o presidente preferiu ouvir auxiliares que "falavam o que ele queria escutar" e apontavam uma crise de no máximo 3 meses, que deixaria mil mortos.

"O pior cenário não é esse (100 mil mortos)", diz ele, citando o caos de Manaus como exemplo negativo de combate ao novo coronavírus. "Até falência funerária eles tiveram. Aquilo era o pior quadro. E se tivesse prevalecido a vontade dos negacionistas, ia acontecer o mesmo no Brasil todo. A gente ganhou tempo. Conseguimos salvar mais vidas, pois deu para o sistema se organizar", afirma. 

Genocídio

Mandetta afirma que "não gosta de banalizar" o uso do termo genocídio, mas que Bolsonaro foi, no mínimo, negligente no combate à covid-19. "É tipo um abandono de incapaz. Você calar o ministério no meio da maior crise sanitária é jogar o povo para a própria sorte."

Para o ex-ministro, que já afirmou que pretende se candidatar ao Planalto em 2022, a estratégia de Bolsonaro pode pesar em futuras disputas políticas. "Ele aposta que as pessoas não vão ter memória. Vai depender muito da leitura, do poder de indignação das pessoas. Vejo que em países que têm a eleição neste ano, como os EUA, a leitura tem sido extremamente dura com negacionistas", afirmou. 

O ex-ministro afirma ser irônico que Bolsonaro "debocha" da ciência, mas aposta na vacinação para encerrar a crise. "Tomara que tenha solução. A gente torce. Mas é ruim criar essa expectativa, na tentativa das pessoas diminuírem a sua defesa, seus cuidados, colocando essa sensação de que a vacina está logo ali."

Procurado pelo Estadão, o Palácio do Planalto informou que não comentará as críticas de Mandetta.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

09/08


2020

"Me dá 1 dinheiro aí" ainda é o melhor cabo eleitoral

Marcelo Tognozzi*

os últimos meses, Bolsonaro e a grande mídia brasileira vivem numa espécie de gangorra. Sobe a aprovação do governo e cai a audiência do Grupo Globo, Folha, Veja, IstoÉ, Estadão e Correio Braziliense. É o que mostra o cruzamento de uma pesquisa da Comscore com os números do PoderData publicados esta semana.

O PoderData é a única empresa de pesquisas no Brasil que faz 1 levantamento a cada 15 dias desde abril, com abrangência nacional. Os resultados, publicados por este Poder360, permitem acompanhar de maneira minuciosa o humor dos brasileiros em relação a atual administração e o presidente.

A realidade exposta por estes números indica que nem sempre as versões e narrativas produzidas por grandes e pequenos veículos reproduzem com exatidão os fatos. Se Bolsonaro fosse metade do que dizem que ele é, não teria nem 5% do apoio que efetivamente tem. Pesquisas são como uma foto; registram um momento. Mas não é só isso. Elas revelam principalmente tendências, sentimentos que são captados no cruzamento das respostas de homens, mulheres, jovens, ricos, pobres, remediados, empregados, desempregados, os que têm esperança, aqueles que a perderam de vista e outros que conseguiram recuperá-la.

Lá no mês de abril, uns 100 dias atrás e auge da quarentena, tivemos um pico de audiência dos grandes veículos. O grupo Globo registrou 48,5 milhões de visitantes únicos, a Folha chegou a 39,4 milhões, a IstoÉ 24,2 milhões, o Estadão 21,8 milhões e o Correio Braziliense 17,6 milhões, conforme apurou a Comscore, especialista neste tipo de medição. No mesmo mês a desaprovação do governo bateu os 40%, conforme a pesquisa do PoderData realizada nos dias 26 e 29 e seguiu subindo.

A partir de maio a audiência começou a dar sinais de queda. A desaprovação do governo seguia alta, no patamar de 44%. A pesquisa realizada de 8 a 10 de junho pelo PoderData registrou 50% de desaprovação do governo. Nas quatro pesquisas seguintes esta desaprovação caiu 5 pontos percentuais, chegando a 45% e empatou com a aprovação.

Em junho, a Comscore registrou a maior queda de audiência do Grupo Globo nos seis primeiros meses do ano. Os visitantes únicos eram 48,5 milhões em abril e caíram para 38,2 milhões em junho. Arredondando, perderam 10 milhões de leitores ou 22%. Neste mesmo período, a Folha tinha 39,4 milhões e agora tem 26,3 milhões. Menos 13 milhões de leitores ou 33%. Veja, IstoÉ e Estadão também viram a audiência encolher. Pela lógica, estes leitores migraram para as redes sociais.

As pesquisas mostram que a popularidade do governo está diretamente relacionada ao auxílio emergencial para cerca de 70 milhões de pessoas, quase 2 Argentinas. Mérito do ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, que conseguiu fazer o dinheiro chegar na mão de todo este povo.

Quase metade dos brasileiros estão vivendo sem emprego fixo, se virando do jeito que podem. Com a ajuda em grana viva, a avaliação positiva do governo chegou a 41% no Nordeste, provando mais uma vez que não há relação entre ideologia e dinheiro na mão. Isso indica que o eleitor médio percebe o governo e o presidente de um jeito diferente – senão inverso – da imagem veiculada pela grande imprensa. Um indício de que a audiência não faz a preferência.

Bolsonaro recupera aos poucos o que perdeu nos últimos meses e, como Lula, vem trocando o apoio das classes A e B e pelo das classes C e D. Nada menos que 50% dos brasileiros sem renda fixa aprovam o governo, diz o PoderData. Eles hoje são 47% da população. Gente que passa todo tipo de aperto para sobreviver. Não há como abrir mão de pagar o auxílio emergencial ou qualquer outro seja lá com que nome for, porque sem estes eleitores pobres e necessitados não haverá reeleição em 2022. É pegar ou largar.

O Centrão ajudou a melhorar a vida de Bolsonaro, assim como a aliança com a Record e SBT, além de uma certa neutralidade da Bandeirantes, e a soma disso compensou os ataques do Grupo Globo e da Folha, dando fôlego ao presidente. Enquanto Bolsonaro dá dinheiro, seus adversários dão notícia ruim. Com a economia descendo a ladeira, a única má notícia que pode pegar de verdade é o fim do auxílio emergencial.

Isso explica como o presidente estancou a queda e começa a reverter a situação. Uma outra pesquisa do PoderData publicada em 6 de agosto mostrou um Bolsonaro forte, dono de 38% das intenções de voto para presidente, com 24 pontos de vantagem sobre o petista Fernando Haddad (14%) e 28 pontos sobre o ex-juiz Sergio Moro. Na rabeira, os governadores de São Paulo, João Doria, com ralos 4%, e do Maranhão, Flávio Dino, com 3%. No Nordeste, Bolsonaro tem 37% das intenções de voto, 1 ponto percentual a mais que no Sudeste. Entre os brasileiros sem renda fixa, 39% querem votar nele.

Pelos resultados das pesquisas do PoderData e a movimentação dos candidatos e partidos políticos, vai demorar para surgir um desafiante capaz de fazer frente a Bolsonaro em 2022. Se continuar ganhando eleitores nas classes C e D, conseguir ampliar um pouco mais a base no Nordeste e recuperar o que perdeu no Sudeste, o presidente pode se tornar um candidato difícil de bater. Se a eleição fosse hoje ele estaria a 12 pontos percentuais de vencer no primeiro turno.

Esta é a tendência por enquanto. Não significa que será realidade nos próximos 2 anos, porque na política o inesperado sempre pode fazer uma surpresa. Significa apenas que a combinação de eleitor pobre e políticas compensatórias do “me dá um dinheiro aí” continua sendo o melhor e mais eficiente cabo eleitoral. Em 1986 deu aoPMDB vitória estrondosa com o Plano Cruzado, em 1994 e 1998 elegeu Fernando Henrique com o Real, em 2006 foi a vez de Lula e, depois, Dilma ganhou em 2010 e 2014. Agora, o dono do cofre é Bolsonaro.

*Jornalista. Artigo publicado originalmente no Poder360.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/08


2020

Justiça ordena que Bolsonaro pague multa a Wyllys

G1

O juiz Leonardo de Castro Gomes, da 47ª Cível do Tribunal de Justiça do Rio, deu prazo de 15 dias para que, assim que for notificado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pague R$ 2,6 mil ao ex-deputado Jean Wyllys e ao advogado Lucas Mourão.

A determinação envolve um processo de 2017, em que Bolsonaro processou Wyllys e requereu indenização de R$ 22 mil por danos morais. Na época, o então deputado Jair Bolsonaro moveu a ação alegando que Wyllys o chamou de "boquirroto", "fascista" e "nepotista".

A determinação para o pagamento dos valores foi revelada pela coluna do jornalista Ancelmo Góis, de O Globo, neste domingo (9).

A Justiça não considerou procedente a reclamação de Bolsonaro e negou o pedido. Assim, o presidente acabou condenado a pagar multas pelos embargos apresentados e deverá repassar 10% da causa, a título de honorário, ao advogado de Jean Wyllys.

Bolsonaro não pode mais recorrer da ação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima - Prefeitura - Abreunozap

09/08


2020

Suspeita de irregularidades no Hospital Recife 1

EXCLUSIVO

Houldine Nascimento, da equipe do blog

Uma ação popular (nº 0036362-66.2020.8.17.2001) ajuizada na 2ª Vara da Fazenda Pública da Capital, na última sexta-feira (7), solicita a suspensão dos pagamentos dos contratos envolvendo o Hospital Provisório Recife 1, localizado na Rua da Aurora, bairro de Santo Amaro. De acordo com os autores do pedido, Rafael Dantas e Wilson Felix, há indícios de irregularidades nos valores acertados entre a Prefeitura e as empresas contratadas.

A administração municipal firmou o aluguel do imóvel por seis meses, ao custo total de R$ 899.384,34. Segundo a ação, há “possível sobrepreço no valor de R$ 655.897,34 acima da média do mercado”. Além disso, a Prefeitura do Recife custeou a reforma do prédio que abriga o HPR1. “O município investiu R$ 3.757.133,22 em reformas e benfeitorias para adequação do imóvel, sem nenhuma compensação financeira nos aluguéis”, demonstra um trecho do documento.

Para os autores da representação, isso representa “claro perigo de dano financeiro ao Município”. O contrato de locação tem encerramento previsto para 19 de setembro deste ano. A ação popular ainda afirma que os recursos empregados pela Prefeitura do Recife geraram “grande valorização imobiliária” ao imóvel e que “há duas redes hospitais privados interessadas em alugar a propriedade”, assim que for desocupado em razão das benfeitorias da reforma.

O documento alerta que a Prefeitura do Recife possui imóveis que poderiam ser utilizados para abrigar hospitais de campanha, como outras cidades fizeram, ao invés de alugar e cita o Ginásio de Esportes Geraldo Magalhães e o Compaz como exemplos viáveis.

A ação popular também requer o bloqueio parcial das contas das empresas contratadas: “Dos valores correspondentes à diferença entre os valores de mercado dos aluguéis e os valores pagos contratados para garantir se necessário a devolução dos recursos excedentes até o fim da demanda.”

No último dia 29, a Justiça chegou a determinar a suspensão do pagamento do aluguel do Hospital Provisório Recife 3, na Imbiribeira, também por sobrepreço.

SOBRE O HPR 1 – A abertura do Hospital Provisório Recife 1 ocorreu em 15 de abril deste ano e foi o quarto hospital de campanha dos sete implantados pela Prefeitura no Plano Municipal de Contingência Covid-19 a funcionar. Inicialmente, foram disponibilizados 20 leitos UTI e 15 de enfermaria. A unidade foi montada com capacidade total para 160 pacientes (100 na UTI e 60 na enfermaria).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

09/08


2020

Ode ao meu pai

Valdir Barbosa*

De dar exemplos, sempre encarregado,
Quando preciso, nos puxava orelhas,
Farol aceso, herói abnegado,
"Amor de pai exala, cheiro de pétalas vermelhas",

Grande base de tudo, forte cumieira,
Pastor cuidadoso, com suas ovelhas,
Na hora do conselho, palavra certeira,
"Amor de pai exala, cheiro de pétalas vermelhas",

Trabalhador incansável, de dia e até nos serões,
Direito, direto e firme, seriedade sem parelhas,
Contundente, objetivo, no ditar os seus sermões,
"Amor de pai exala, cheiro de pétalas vermelhas",

Neste dia em que todos homenageiam seus pais,
Minhas lembranças explodem, em delirantes centelhas,
Então, de vez, me debruço, sobre saudade voraz,
"Amor de pai exala, cheiro de pétalas vermelhas".

(Fonte inspiradora: Carta a um pai com 98 anos de amor - Magno Martins)

*Delegado de Polícia baiano e escritor


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

09/08


2020

Jaboatão abre 160 vagas para cursos amanhã

A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes abre inscrições, amanhã, para 160 vagas em qualificação profissional para cursos de moda, tecnologia (aplicativos e games) e elaboração de plano de negócios para empreendimentos e empreendedores de Economia Criativa. Com a volta das aulas presenciais dos chamados cursos livres, as aulas acontecerão na rua Coronel Francisco Galvão, nº 769, Piedade.

Os cursos terão início no dia 31 de agosto e a inscrição deve ser feita pelo site da Secretaria Executiva de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo: trabalho.jaboatao.pe.gov.br. Mais informações podem ser obtidas no número (81) 99975-3918.

Para cada segmento serão disponibilizadas: 60 para Moda com 70 horas de carga horária; 40 para Aplicativos, também com 70 horas; 20 para Games, com 70 horas; e 40 vagas para Elaboração de Plano de Negócios, com carga horária de 50 horas. Os cursos de Moda e Aplicativos serão ministrados nos turnos da manhã e tarde, com quatro horas diárias nas segundas, quartas e sextas-feiras.

Já o curso de Games será ministrado no turno da tarde, com quatro horas diárias nas segundas, quartas e sextas. O curso de Elaboração de Plano de Negócios será realizado nos turnos da manhã e tarde, nas terças e quintas, com quatro horas diárias. Os participantes ainda terão a oportunidade de participar das Consultorias Tecnológicas com carga horária de 50 horas.

Diante da pandemia da Covid-19, o protocolo de segurança será obedecido, durante a realização dos cursos. Haverá distanciamento de no mínimo 1,5 m por participante. O acesso ao prédio só vai ser permitido mediante uso de máscara. Álcool em gel também estará à disposição. Portas e janelas permanecerão abertas para o ambiente ficar arejado e a sanitização será realizada frequentemente nas dependências onde acontecerão os cursos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Potencial Pesquisa & Informação

09/08


2020

Live da quarta trata de segurança nos presídios

A advogada criminalista carioca Maíra Fernandes é uma das mais credenciadas defensoras dos direitos humanos no País. É a convidada da live da próxima quarta-feira, às 19 horas, pelo Instagram deste blog. Ninguém conhece como ela alternativas para melhoria da política prisional, investimento pelos estados em modelos de apoio aos detentos, como associações de proteção e assistência a condenados e colônias agrícolas.

É grande estudiosa das legislações sobre drogas. Acha que deixar que o policial decida se a quantidade de droga apreendida configura tráfico ou uso, sem tabela de quantidades, dá margem a arbitrariedades e defende a criminalização das drogas no País.

A advogada também é favorável à adoção de novas políticas para reduzir a superlotação dos presídios, com medidas que levem à diminuição de prisões preventivas e temporárias.

Outro tema sobre o qual ela possui uma visão crítica é a Operação Lava Jato. Já afirmou, sobre a operação que “desnudou um empreendimento criminoso multifacetado, com a participação de inúmeras pessoas, durante muitos anos”.

E alerta para o fato de que “nem sempre as provas apresentadas contra um dos réus podem ser as mesmas para todos os demais, como se eles seguissem acorrentados numa acusação comum”. Se você ainda não segue o Instagram do blog, anote o endereço: @blogdomagno.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/08


2020

Bolsonaro convida Temer para chefiar missão no Líbano

O presidente Jair Bolsonaro divulgou, hoje, uma missão de ajuda do governo brasileiro ao Líbano. Na última terça-feira (4), Beirute, capital libanesa, foi atingida por uma forte explosão que deixou mais de 150 mortos e 3 mil feridos.

Bolsonaro anunciou a ajuda humanitária em uma videoconferência internacional, que foi transmitida por suas redes sociais. Outros chefes de estado estiveram no encontro virtual, como os presidentes do Líbano, Michel Aoun; dos Estados Unidos, Donald Trump; e da França, Emmanuel Macron.

"Nos próximos dias, partirá do Brasil rumo ao Líbano uma aeronave da Força Aérea Brasileira, com medicamentos e insumos básicos de saúde, reunidos pela comunidade libanesa radicada no Brasil. Também estamos preparando o envio, por via marítima, de 4 mil toneladas de arroz para atenuar as consequências das perdas de estoque de cereais destruídos na explosão", garantiu.

Jair Bolsonaro também declarou que convidou o ex-presidente Michel Temer, filho de libaneses, para chefiar a missão brasileira. Por meio de nota, Temer afirmou que está honrado com o convite.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Porra o mito tá doido é, chamar um vice do PT por dois mandatos, cuidado com a carteira.

Fernandes

Eles se merecem!



09/08


2020

Gonzaga Patriota celebra Dia dos Pais

O deputado federal Gonzaga Patriota (PSB-PE) está celebrando o Dia dos Pais com seus familiares. Com 12 filhos, 12 netos e três bisnetos, há muitos motivos para festejar.

Da Câmara Federal, Patriota deixou uma mensagem de afeto aos pais de todo Brasil e falou sobre a dádiva de ser patriarca de uma grande família: "No Brasil, o segundo domingo de agosto é quando a maioria das famílias se reúne para, em um gesto de carinho, presentear os patriarcas. Mas, esse ano, por causa da pandemia, as comemorações serão diferentes. A maior demonstração de amor e afeto nesse momento é cuidar da sua saúde e da saúde de quem você ama.

Ser pai não é só gerar vida, mas cuidar, proteger e, acima de tudo, amar muito. Feliz dia dos pais para todos os que são de verdade."


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/08


2020

Carlinhos Viégas firma pré-candidatura em Goiana

Por meio das redes sociais, o presidente da Câmara Municipal de Goiana, Carlinhos Viégas (PSB), confirmou, ontem, sua pré-candidatura a prefeito. Para ele, há um forte sentimento de mudança na cidade.

Três vezes consecutivas vereador, Viégas justifica a participação no pleito goianense. "Apresentei propostas e conquistei projetos em áreas diversas, como Saúde, Educação, Infraestrutura e Pavimentação, Segurança Pública, entre tantas outras. O povo de Goiana já sofreu e perdeu demais com a atual gestão, que está distante de fazer pelo povo o que ele merece. Por não aguentar mais ver os nossos amigos e amigas goianenses sofrerem, reafirmo que sou pré-candidato a prefeito de Goiana. Não por vaidade pessoal, mas pelo povo, que está cansado de ver a velha política não trazer o bem para a nossa cidade. O nosso projeto é aberto para todos e todas", defende.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/08


2020

Carta a um pai com 98 anos de amor

Papai, 

Neste dia universal da celebração dos pais, de joelhos faço uma oração em agradecimento a Deus pela longevidade do senhor. São 98 anos de uma vida retilínea, de muitas lições, de sacrifícios, de momentos muito mais felizes do que roubados pela tristeza, que infelizmente se fazem presentes no caminhar do dia a dia.

Eu sei que o tempo tingiu seus cabelos de branco, enrugou a sua face, fez seu caminhar lento, sua memória fraca e até seu falar no tom, ritmo e compasso. Mas não nos roubou a convivência, a sua presença sempre a iluminar a vida dos seus nove filhos como um farol, o vaga-lume que clareia a escuridão das noites sertanejas.

Que pena que hoje, vindo eu de tão longe, a debilidade natural de uma vida quase centenária como a sua não permita que leia ou ouça tudo que tenho para lhe dizer. Às vezes, o senhor já nem me reconhece, logo o senhor, que tanto se emocionou a cada texto feito e lido em voz alta por mim, seja num cântico ao Sertão ou mesmo de agradecimento à vida que o senhor me deu, na qual procuro perpetuar o seu legado.

Só resta então abraçar teu corpo magro e beijar a tua face sempre perfumada. Isso vale mais do que mil palavras brotando do coração. Mas se as letras sempre nos serviram de alento para amenizar a saudade de um pai que fincou seus pés na terra seca do Sertão e dela nunca saiu, nem no último pau de arara, e um filho que ganhou o mundo, gostaria de dizer que o senhor é um homem como nenhum outro. 

Me deu a vida, me alimentou, me ensinou, me vestiu, lutou por mim, me segurou, gritou comigo, me beijou, me ama incondicionalmente. Um pai presente como o senhor sempre foi é a luz que guia o peregrino durante sua longa jornada, ajuda a escolher o melhor caminho, oferece o conforto e calor, dá abrigo e segurança nos momentos mais difíceis da vida.

Reconhecer essa luz é a recompensa maior que o senhor pode receber de um filho em mais um Dia dos Pais. Obrigado, pai, por ser a luz presente em minha vida e por me fazer compreender a importância de eu ser a luz na vida de meus filhos.

O senhor não é apenas meu pai, mas também meu melhor amigo, meu mestre e o grande amor da minha. Gosto muito de uma música de Roberto Carlos que o senhor também enchia os olhos de lágrimas de saudade do seu pai, meu querido avô Augusto Cerquinha, um sapateiro que usou a sua arte como meio de vida na criação sacrificada de 15 filhos. "Eu já lhe falei de tudo, mas tudo isso é pouco diante do que sinto. Olhando seus cabelos, tão bonitos, beijo suas mãos e digo: meu querido, meu velho, meu amigo".

Eu queria, por fim, te dizer, meu pai, que continuo no meu ofício de jornalista e cronista a escrever tua história, que tem emocionado muito meus leitores, mas eu poderia escrever milhões de páginas e continuaria sendo incapaz de dizer o quanto eu o amo! Amor de pai exala cheiro de pétalas vermelhas. Descobri o que é amor de verdade depois que fui pai. Amor de pai só sabe quem sente o calor dele ao seu lado, amor esse que não apaga nem mesmo quando às vezes esquecemos dele.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Feliz dia dos Pais a todos.



08/08


2020

Esposa do vice de Correntes recebe auxílio emergencial

EXCLUSIVO

Houldine Nascimento, da equipe do blog

Em Correntes, no Agreste pernambucano, a população de aproximadamente 18 mil habitantes assiste a um escândalo envolvendo o vice-prefeito e pré-candidato à Prefeitura pelo PSB, Hugo Cesar, o Hugo da Bahia (foto). Uma denúncia feita ao blog põe sua esposa, Cileide Gonçalves de Freitas, sob suspeita de fraudar o auxílio emergencial concedido pelo governo federal.

De acordo com o Portal da Transparência, ela chegou a receber R$ 3.600 do benefício, em três parcelas de R$ 1.200. O auxílio atinge essas cifras no caso de mães que são chefes da família. Nas imagens adicionadas a esta reportagem, é possível ver os recursos disponibilizados.

Diante da repercussão negativa na cidade, o valor foi devolvido, ontem, por meio de uma Guia de Recolhimento da União.

O vice-prefeito Hugo da Bahia reconheceu que a esposa recebeu o dinheiro e se pronunciou por meio de nota:

“Prezados amigos e amigas, hoje fui surpreendido com a circulação de informações que eu não tinha o menor conhecimento, mas diante da minha condição de pessoa pública, se faz necessário esclarecer. Todos sabem de minha origem humilde e muitas vezes sofrida, mas também reconhecem minha conduta honesta e trabalhadora.

No dia de hoje, soube que minha esposa, mulher honrada e cumpridora de suas obrigações, havia, há muitos anos, se cadastrado em programas governamentais de transferência de renda e, certamente suas informações já constavam no banco de dados dos órgãos assistenciais, possivelmente isso fez com que, de forma automática, fosse incluída no rol de pessoas aptas a receber o auxílio emergencial do Governo Federal, contudo, identificada essa situação, ela procedeu a imediata devolução do valor aos cofres públicos, como se pode constatar nos comprovantes a seguir.”

Suspeita de propaganda eleitoral antecipada

Além disso, existe um pedido de investigação ao Ministério Público Federal (MPF) para que o órgão verifique a suspeita de propaganda eleitoral extemporânea do prefeito Edimilson da Bahia e de Hugo, na realização de uma live em 14 de julho, na qual teria anunciado o vice como candidato nestas eleições. A denúncia também fala sobre distribuição de kits de saúde e higiene e de cestas básicas feita pela dupla, que caracterizaria propaganda antecipada.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


08/08


2020

Sumiço de Célia cria suspense sobre CPI em Arcoverde

A presidente da Câmara Municipal de Arcoverde, Célia Galindo (PSB), se comprometeu a instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar supostos desvios ocorridos na Secretaria de Assistência Social durante a gestão da prefeita Madalena Britto (PSB). Em entrevista concedida a mim, no programa Frente a Frente, afirmou que criaria a CPI, ontem, o que não ocorreu.

A líder da Câmara tem uma última chance de fazer a coisa certa nesta segunda-feira (10), prazo final para tocar a CPI, e mostrar que honra as promessas que faz. A vereadora Zirleide Monteiro (PTB) é autora do pedido de instalação da Comissão e relatou ao blog a mesma dificuldade que a nossa reportagem teve, hoje: não conseguiu contato com Célia Galindo. Não atende ao telefone nem responde mensagens.

O sumiço da vereadora que preside o parlamento arcoverdense cria um grande suspense sobre o que vai ocorrer segunda-feira. Só há duas possibilidades: ou Célia cumprirá sua palavra e implantará a CPI ou terá sua trajetória política manchada por ceder a pressões do grupo político da prefeita e mentir escancaradamente para a sociedade.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


08/08


2020

Pátria Armada: sem projetos, sobram projéteis

Por Weiller Diniz*

A morte infecta a trajetória viscosa do capitão Jair Bolsonaro. Ao seu redor tudo recende a purulência e necrofilia. Seus ícones – Brilhante Ustra, Major Curió, Alfredo Strossner, Augusto Pinochet – são matadores sanguinários, alguns condenados. Seus amigos e vizinhos são homicidas da milícia carioca, rastilho da decomposição institucional, consumada na execução da vereadora Marielle Franco. A insipiência e inépcia para administrar o morticínio diante da pandemia – prescrevendo ilegalmente medicamentos ineficazes – nos humilhou mundialmente com vexaminosos índices de mortalidade e contaminações. O capitão inventou a modalidade presidencial de vadiagem inanimada.

O gesto da arminha e a simulação de fuzilar oponentes macularam a eleição presidencial. A morte é a meta e o ódio o método, desde quando pregou abertamente o extermínio de 30 mil brasileiros. São quase 100 mil óbitos em 5 meses de pandemia sob gargalhadas escarnecedoras e descaso contemplativo. O genocídio foi o estopim de representações no Tribunal Penal Internacional. Apesar disso, as rajadas reiteradas do capitão é para armar a sociedade. Foram muitos decretos com intuito de abrandar a lei e banalizar o acesso a armas e munições.

Na primeira tentativa de sacar contra o estatuto do desarmamento, Bolsonaro foi alvejado. Com poucos meses de mandato o capitão deu o primeiro tiro no pé. O Senado rejeitou por 47 votos a 28 um decreto assinado em maio de 2019 que buscava flexibilizar a posse e o porte de armas no Brasil. O plenário aprovou o projeto de decreto legislativo que encharcou a pólvora do capitão. O decreto autorizava a concessão de porte a 20 categorias profissionais e aumenta de 50 para 5 mil o número de munições disponíveis anualmente a cada proprietário de arma de fogo.

Após o tiro pela culatra e o capitão revidou multiplicando o arsenal. Muitos decretos posteriores foram judicializados. Recentemente, a justiça de São Paulo abateu um deles, o que aumentava o limite da compra de munição de 200 para 550 unidades mês. A ação popular em que Bolsonaro foi réu em São Paulo é de autoria do deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP). O parlamentar argumentou que o texto do presidente autorizando o aumento da aquisição de munições pela população foi editada com base em um parecer de um militar que já deixou o governo. Desta forma, se a motivação é inválida, a portaria não pode existir.

A obsessão por armar a população tem a mira torta da psicopatia. Na rumorosa reunião ministerial de 22 de abril o capitão levou novamente a mão ao coldre: “Um puta de um recado para esses bostas: estou armando o povo porque não quero uma ditadura, não dá para segurar mais. (…). Por isso que eu quero, ministro da Justiça e ministro da Defesa, que o povo se arme! Que é a garantia que não vai um filho da puta aparecer pra impor uma ditadura aqui!”, disse Bolsonaro a um aparvalhado Sérgio Moro, responsável pelo tiro de misericórdia contra o principal adversário do capitão quando era juiz. No mesmo encontro, Paulo Guedes plantou uma granada no bolso dos servidores.

A cruzada contra a vida não poderia redundar senão em estilhaços trágicos e mórbidos, agravando a pandemia. O número de registro de armas no Brasil explodiu. O aumento foi de 205% apenas no 1 semestre de 2020. O crescimento de homicídios no mesmo período foi de 7%. É inequívoca e histórica a curva do crescimento das mortes violentas atrelada ao aumento do número de armas em circulação. Perto de 40% das apreensões de armamentos em poder dos criminosos têm origem legal.

É pacífico que a posse de arma de fogo não protege quem a detém. Ao contrário, potencializa o risco. O cidadão de bem é sempre o surpreendido e não tem a perícia dos marginais. O próprio capitão Bolsonaro, que faz apologia do tema, foi assaltado no Rio de Janeiro. Dois ladrões roubaram uma motocicleta e uma pistola. “Mesmo armado me senti indefeso”, disse à época. Liberar o acesso às armas significa objetivamente franquear arsenais à milícia amiga, cuja legalização já foi advogada pelo capitão e o filho, Flávio Bolsonaro.

Há 15 anos, a sociedade foi consultada sobre proibir a venda de armas e munição. A tese foi rejeitada por 63, 94% dos eleitores contra 36,06% favoráveis à vedação. A campanha foi marcada pela desinformação e deturpada dolosamente como subtração de direitos. Foi também o primeiro disparo em massa de fake news. A distribuição de e-mails falsos levou pânico à sociedade. Um dos principais foi a fictícia comemoração de traficantes em um morro carioca, festejando que apenas eles teriam armas se a proibição fosse vencedora. Na contramão da morte, as pesquisas recentes continuam a calibrar a alta rejeição ao mascate das armas: Mais 70% se opõem às flexibilizações.

O método de armar a população é a artilharia característica dos regimes totalitários, que camuflam a belicosidade e o fascismo em estampidos que buscam silenciar os alicerces democráticos. Em 2006, Hugo Chávez, ex-presidente da Venezuela, falou ao povo, depois de comprar milhares de fuzis russos: “A Venezuela precisa ter 1 milhão de homens e mulheres bem equipados e bem armados. (…) Os gringos querem nos desarmar. Temos de defender nossa pátria”.

Outro ditador, executado depois de ser capturado fugindo nos últimos dias da guerra, foi o fascista Benito Mussolini, na Itália: “um povo armado é forte e livre”. A pregação foi durante um discurso para cem mil italianos feito na Sicília, segundo um jornal da época. Os franquistas também ruminavam o “viva la muerte”. Nada difere o capitão. Eis o que excreta Jair Bolsonaro: “Eu quero todo mundo armado. O povo armado jamais será escravizado”. O que ele ambiciona é um exército particular, comandado por milicianos, como Fabrício Queiroz. Tudo isso sob o silêncio pusilânime das forças armadas.

O pendor armamentista desses ditadores, antigos e recentes, todos fracassados, converge com o belicismo do capitão que ribomba discursos e éditos a fim reduzir o controle na venda e armas e cartuchos. Recentemente ele foi brindado com um souvenir que sintetiza sua índole mortuária e reúne suas predileções demoníacas: uma arma fake. Na pátria armada, em razão do absoluto vácuo programático e da completa obtusão, o capitão trocou os projetos pelos projéteis. Não descobriu a pólvora.

*Jornalista. Artigo publicado originalmente no site Os divergentes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Aceitem dói menos. bozoloides.

Fernandes

Os direitopatas ficam arretados com a verdade. KKKKKK

Carlos

Lamentável o Blog do Magno publicar um texto como esse, uma enxurrada de informações mentirosas, isso não é opinião, são supostos fatos que na verdade não passam de fake news.

Carlos

Que texto LIXO, uma enxurrada de mentiras e agressões, só pode ser um esquerdopata para escrever tanta M.

marcos

Quanta Merda Senhor Weiller Diniz, bom era o tempo de Dilma Jumenta uma porra louca analfabeta que quebrou o pais. Agora Senhor a culpa das Cem mil mortes é da China, do STF, Governadores e Prefeitos. Essa conversinha pra idiota útil escutar, já não cola mais, vai morar na Venezuela ou em Cuba lá tem Democracia.