FMO janeiro 2020

27/05


2020

À minha Tabira

Há muitas lendas que povoam o imaginário popular em torno do lendário e poético Rio Pajeú, das flores, das violas e dos repentes. Uma delas, a de que uma viola do período da colonização portuguesa foi enterrada no seu leito seco. Água rima com vida, mas não seria a escassez dela a fonte permanente de inspiração dos seus poetas?

O tempo foi se encarregando de confirmar que essa dúvida nunca existiu. Se um dia a viola foi de fato encravada no Pajeú, certamente terá sido em minha Tabira, que festeja hoje 71 anos do seu grito de independência de Afogados da Ingazeira, a quem teve seu ventre gerado como distrito. Sou cidadão de lá, tenho razão para cantar, orgulho de trovejar, inspiração para escrever.

Tem uma uma música de Petrúcio Amorim na qual diz que foi criado entre o velame e a macambira, dedilhando a viola, comendo tareco e mariola. Fui criado entre o mandacaru e o marmeleiro, plantas que unem Afogados da Ingazeira e Tabira num território universal da poesia  e do amor. 

A primeira me pariu, a segunda me adotou. Mas não sei das duas a mais amada e apaixonante, porque são irmanadas pelo toque da viola em cima de pedras, alicerce sólido de sua fortaleza. Minha infância e adolescência se deram numa conexão permanente entre Afogados e Tabira, como um rio de correntes que só puxam para um lado, o lado que não  afoga, de águas remadas num cordel declaratório e confidente do amor.

Não fiquem São José do Egito e Itapetim enciumadas, mas se Afogados da Ingazeira é a capital da nação cuja bandeira por muito tempo foi da cor do algodão, o ouro branco do Sertão, como cantou Luiz Gonzaga, Tabira é o ventre gerador da poesia. Gerou e projetou ao mundo o papa Dedé Monteiro, dono dos versos que tornam sua poesia universal. 

Tabira é tão poética que elegeu um prefeito que dedilha a viola e dela verte um coração movido a repentes, trocadilhos e canções que transformam fel em mel, pranto em riso, desamor em amor ardente. Um monstro sagrado da poesia, como assim se refere a Sebastião Dias o cantor Fagner, que adotou Canção da Floresta, o hino nacional em defesa do verde e da natureza. 

Regue o chão, faça um pomar, ouça a voz do passarinho, a floresta quer chorar, alerta o poeta-prefeito em seu belo grito de advertência à humanidade que destrói nossas matas por absoluta ganância e má-fé. 

Sebastião se fez gente na vida e da prosa seu negócio ouvindo os irmãos Batista – Lourival, Dimas e Otacílio. Também Manoel Filó, Cancão e fez dobradinha com João Paraibano e Valdir Teles. Mas não dá para homenagear Tabira sem recorrer aos versos de Dedé Monteiro, Patrimônio Vivo de Pernambuco. 

Quem me dera, Tabira, se eu pudesse/Te dizer num poema que eu fizesse/A metade de tudo que acontece/Nas profundas cavernas do meu ser.

Se a mim fosse dado esse direito/Eu faria um poema sem defeito/Pra depois a teu povo oferecer/Mas agora, Tabira, me convenço/
Que não trago comigo dote imenso/De dizer tudo aquilo quanto penso/Que a boca peleja, mas não diz.

Mesmo assim eu te canto em baixo nível/Pois te quero de um modo tão incrível/Que se a felicidade for possível/Só por ser filho teu já sou feliz!

Em seu aniversário, Tabira deve ganhar hoje versos e poemas de amor dos seus vates e repentistas. Uma cidade não é medida pelo seu comprimento e largura, mas pela amplitude de sua visão de sua gente, pelo alto de seus sonhos. Não é uma pandemia do coronavírus que vai nos roubar também o direito de sonhar.

Agustina Bessa, escritora portuguesa, disse que as cidades não são pátrias. É na província, segundo nos ensinou, que se encontra o carácter e a mística duma nação, e os grandes escritores deixam-se amarrar ao espírito das terras nulas e sensatas a que extraem um brilho que a pedra polida da capital não tem.

Viva Tabira!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

Confira os últimos posts



13/07


2020

Asas FM de Lajedo volta ao Frente a Frente

A partir de hoje, a rádio Asas 91,1 FM, localizada em Lajedo, no Agreste Meridional, retorna à Rede Nordeste de Rádio para retransmitir o Frente a Frente, programa que ancoro para mais de 40 emissoras, tendo como cabeça de rede a Hits 103,1 FM, na Grande Recife.

A emissora, que entra hoje em mais de 40 municípios do Agreste, inclusive Garanhuns, é líder de audiência na região com uma programação mesclada no jornalismo com uma boa grade música. Aos nossos parceiros, uma boa volta!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima - Prefeitura - Abreunozap

13/07


2020

Kátia Abreu na live desta segunda no blog

A senadora pelo PP do Tocantins, Kátia Abreu, ex-ministra da Agricultura no Governo Dilma, ex-presidente da CNA, Confederação Nacional da Agricultura, e ex-candidata a vice-presidente da República na chapa de Ciro Gomes, é nossa convidada para a live deste blog, hoje, às 18 horas, pelo Instagram do blog.

A entrevista será transmitida automaticamente pela Rede Nordeste de Rádio, formada por 38 emissoras, tendo como cabeça de rede a Hits 103,1 FM, no Grande Recife. E que hoje passa a contar com mais uma emissora: a Asas 91,1 FM, em Lajedo, no Agreste Meridional. Se você não segue o Instagram do blog, anote o endereço: @blogdomagno.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

13/07


2020

Lá se foi o salvador das minhas broncas

A Covid-19 fez ontem mais uma vítima bem próxima ao meu universo de relação profissional: o competente advogado Djair Pedrosa, 82 anos, que trabalhou grande parte da sua vida para o Grupo EQM, liderado pelo empresário Eduardo Monteiro, proprietário de usinas e da Folha de Pernambuco.

Trabalhei para o mesmo Grupo em três empresas: Diário de Pernambuco, Jornal de Brasília e na própria Folha. Nesta, Djair passou a ser uma figura mais próxima a mim pelos processos que foram se acumulando no meu lombo por políticos que não gostam do jornalismo verdadeiro, só o bajulativo. Cansei de vê-lo entrando na redação, me chamar num cantinho em particular e dizer: "Mais um". Eu já entendia o linguajar.

Mas em seguida, ele dizia: "Isso é bronca safada, a gente resolve". E resolvia mesmo. Djair me salvou até em processos judiciais em Brasília quando atuei no Jornal de Brasília pela segunda vez, sob o comando de Eduardo Monteiro. A primeira se deu quando saí do Correio Braziliense no final dos anos 80, tendo como editor André Gustavo Stump, que mais tarde, por surpresas que a vida proporciona, passou uma temporada no Recife editando o Diário de Pernambuco.

Dei muito trabalho a Djair. Quando meu telefone tocava e ouvia a sua voz já sabia do que se tratava. "Rapaz, você agora entrou numa enrascada grande", disse, certa vez, quando fui processado pelo presidente dos Diários Associados, Paulo Cabral. E tinha razão. Cearense da boa cepa, Cabral já foi um dos mais poderosos da mídia impressa brasileira. Naquela época, além de rádios e TVs do grupo criado por Chateubriand, detinha o controle de quatro jornais poderosos: Correio Braziliense, Estado de Minas, Diário de Pernambuco e o Jornal do Comércio, este do Rio de Janeiro.

Ele me processou por causa de uma série de reportagens que assinei no Jornal de Brasília tendo como enredo a ação judicial movida contra ele por Gilberto Chateubriand, um dos herdeiros de Chatô, que morava no Rio. Filho de Assis Chateaubriand, Gilberto possui a maior coleção de arte brasileira, em torno de sete mil obras.

Cedida em comodato para o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro a partir de 1993, a coleção tornou-se acessível permanentemente ao público e vem sendo mostrada com regularidade também em outras instituições do Brasil e do exterior. Gilberto processou Paulo Cabral por se sentir no direito de fiel e legítimo herdeiro do espólio do pai. Fiquei duas semanas no Rio indo ao fórum diariamente para entender o calhamaço das reclamações judiciais.

Gilberto usou termos agressivos que me levaram à raiz da origem da briga e isso acabou rendendo três páginas seguidas de uma reportagem assinada por mim no Jornal de Brasília que me renderam três processos: injúria, difamação e criminal. Vi o inferno bater à minha frente, porque Cabral era temido por todos, até pelos togados. Muitos me diziam que iria ver o sol nascer quadrado.

Além de Djair, dois advogados do Jornal de Brasília me defenderam até o processo caducar com a morte de Paulo Cabral. Escapei por um triz, como se diz. Mas eu também tinha as provas em mãos, em cima da acusação processual e uma entrevista gravada com o próprio Gilberto, um homem inteligente e destemido, que movia ódio mortal contra o presidente dos Associados por entender que tinha direitos de herança do patrimônio de Chateubriand como herdeiro e que Cabral ignorou a vida inteira.

Djair era tão próximo a Eduardo Monteiro que as vezes se comportava como pai. Nele, Eduardo confiava cegamente. Fumava feito uma caipora, contador de bons causos, abre uma lacuna no universo jurídico e na academia do bom Direito Processual. Dentre os três filhos, deixa como herdeiro Djair Filho, com quem convivi pouco, mas tão dócil, agradável e competente como o pai.

Que Deus abra as portas celestiais em grande estilo para o grande Djair!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/07


2020

Geraudo Covid proíbe o Oceano Atlântico

Se você mergulhar no Oceano Atlântico em Boa Viagem, será preso em primeiríssima instância por sua excelência um guarda geraudinho, eis o mote da cantoria do bicho-grilo Adalbertovsky. “Ao mesmo tempo você está liberado para mergulhar nos formigueiros humanos do metrô e dos ônibus. Também poderá consumir os odores, as catingas e os cheiros dos fregueses nas megas lojas tipo Atacadão e Ferreira Costa. Impossível entender a lógica de Geraudo Covid de liberar o mega comércio e proibir o micro comércio de restaurantes e lanchonetes”.

“Navegar na pista dos parques, onde o oxigênio circula livremente sem pedir licença ao prefeito Covid nem ao secretário João Epaminondas Braga, isto nem pensar. Recife, capital do Nordeste, zil-zil! Isto é passado. O novo lema é o seguinte: Recife, capital das lendárias operações da Polícia Federal”.

“O amor nos tempos do cólera”, do genial Gabriel Garcia Marques, o Coronel Buendia lançava tiros de canhão nos ares para exterminar o vibrião colérico. O prefeito Geraudo Covid proíbe o Oceano Atlântico com medo do Coronavirus. Geraudo Covid é o novo Coronel Buendia. Um passarinho me contou que neste tempo de operações da PF e respiradores, Joãozinho da mamadeira e Geraudo Covid estão se estranhando. Joãozinho é genista e Geraudo é mandão.

“A mando de governadores e prefeitos arbitrários, micros ditadores de quarteirão agem de modo deliberado para aterrorizar pequenos e médios empresários e torturar a economia. DNM – ditadura nunca mais, é slogan politicamente correto, a menos que seja a ditadura do AI-Covid19”. O sermão do bicho-grilo Adalbertovsky está postado no Menu Opinião, na moral.   


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

12/07


2020

Daniel Alves pode ter contas rejeitadas em Chã Grande

Houldine Nascimento, da equipe do blog

Na quarta-feira (15), a Câmara Municipal de Chã Grande vai votar a prestação de contas do ex-prefeito Daniel Alves (PSC) referente ao exercício financeiro em 2015. Há um parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE) recomendando, por unanimidade, a rejeição.

Entre as razões apontadas para a negativa, constam falhas relativas aos registros das receitas, além de déficit de execução orçamentária da ordem de R$ 649.571,49 e irregularidades no recolhimento da contribuição previdenciária dos servidores.

Caso os vereadores de Chã Grande resolvam seguir a orientação do TCE-PE, a pretensão de Daniel em disputar a Prefeitura de Gravatá, para onde transferiu o domicílio eleitoral, corre sério risco de não se concretizar.

Para não ter a prestação rejeitada, Daniel Alves precisa de 2/3 de votos favoráveis. A Câmara Municipal de Chã Grande é composta por 11 legisladores, dos quais apenas três são seus aliados.

Em 2016, ele chegou a tentar a reeleição, mas foi derrotado por Diogo Alexandre (Avante), atual prefeito.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/07


2020

Empresários pressionam Bolsonaro a demitir Salles

Folha de São Paulo

Empresários de frigoríficos e tradings pressionam o presidente Jair Bolsonaro a mudar o comando do Ministério do Meio Ambiente. O movimento pela saída de Ricardo Salles começou em junho por empresas que temem perda de mercado, sobretudo na União Europeia.

Segundo relatos, Bolsonaro disse na última semana a um grupo de ministros que não pretende retirar Salles. Ele salientou que o auxiliar tem apoio na bancada ruralista e que a imagem negativa se deve a uma tentativa de nações estrangeiras de tutelar o país.

Hoje, o setor ruralista está dividido. Se dirigentes de frigoríficos e tradings têm pressionado pela saída de Salles, agricultores e sucroalcooleiros pregam a sua permanência sob o argumento de que ele tem feito mudanças importantes na legislação.

Segundo auxiliares do Palácio do Planalto, o movimento de frigoríficos e tradings tem apoio e é estimulado dentro do Ministério da Agricultura por aliados da ministra Tereza Cristina. Eles defendem que o Meio Ambiente seja incorporado pela pasta.

Em um encontro recente com Bolsonaro, um industrial paulista também defendeu a divisão do Meio Ambiente.

Ele pregou, segundo relato de um assessor presente, que a gestão da floresta amazônica fique a cargo do vice-presidente Hamilton Mourão. Para ele, o restante deve ser incorporado pela Agricultura.

A cúpula militar chegou a endossar o movimento de mudança, mas recuou após a sinalização do presidente de que não pretende fazer alterações no Meio Ambiente.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/07


2020

Prefeito de Serra Talhada é alvo de fake news

O prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), responsabiliza o irmão, José Duque Filho – diretor do Detran no município –, por uma fake news que se espalhou nas redes sociais, hoje. Datada de 2019, a imagem mostra o gestor reunido com amigos. No entanto, o registro correu a cidade como se fosse recente.

Ao comparar uma foto atual com a que viralizou, é possível ver que o cenário difere em ambas. Antes, não havia flores no ambiente. Luciano Duque explicou ao blog que tem cumprido as medidas de isolamento social e está vivendo com o filho em uma chácara mais afastada do centro de Serra Talhada.

Pela calúnia, afirmou que vai processar o irmão, seu adversário político e apoiador do pré-candidato à Prefeitura de Serra pelo Avante, o ex-prefeito Carlos Evandro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Pádua

Grande irmão !



12/07


2020

Clubes sociais reabrem amanhã em Pernambuco

O governo de Pernambuco regulamentou novas medidas relacionadas ao combate à pandemia, na última sexta-feira (11), por meio de decreto publicado no Diário Oficial. A ação vai permitir, a partir de amanhã, a reabertura de clubes sociais em todo o Estado para a prática de atividades esportivas em modalidades individuais, exceto lutas.

A medida também autoriza a realização de aulas práticas e de estágio curricular presenciais relativas ao primeiro semestre letivo nas instituições de ensino superior. Além disso, abrange as instituições de educação profissional e técnica, nos cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) ou de qualificação profissional.

A permissão não se aplica para cursos técnicos de nível médio, em instituições públicas e privadas, e para as demais atividades pedagógicas de instituições de ensino superior, que seguem suspensas até o dia 31 de julho.

MUNICÍPIOS NA FASE 4 - As cidades do Agreste, que estavam na Etapa 2 do Plano de Convivência com a Covid-19, avançam para a Etapa 4 amanhã. Lojas de varejo de rua, salões de beleza e estética, comércio de veículos, incluindo serviço de aluguel e vistoria, com 50% da carga, construção civil com 100% do efetivo e shoppings centers com atendimento presencial poderão abrir as portas. Igrejas e templos religiosos também vão poder realizar celebrações. Tudo isso respeitando os protocolos para conter a disseminação do vírus. As cidades do Sertão pernambucano permanecem ainda nesta mesma fase, na etapa 4.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/07


2020

"Célia faz draminha", reforça Luciano Pacheco

Amigo Magno,

Célia Cardoso já anunciou na Câmara de Vereadores, na última segunda-feira (6), que não vai pedir votos para ninguém. Então, não é novidade que Célia é quem está se desagregando do candidato. Como você mesmo sabe, Célia coleciona inimigos e a cada dia vem cavando sua sepultura. Como disse na matéria, ela fica fazendo esse draminha para barganhar mais apoio.

Não persigo Célia. Na verdade ela é uma política sem palavra e tentou de todas as formas impedir que eu assumisse a Câmara como 1° suplente em algumas ocasiões, e ela sabe disso, bem como os vereadores também sabem. Todos sabem que não aceitaria essas atrocidades que a Câmara vive hoje. 
Como também Celia esvaziou o MDB retirando candidatos para o PSB e estimulando que outros desistam para atrapalhar nossa eleição. DEUS É QUEM TEM ME AJUDADO. 

Então não a persigo. É o contrário, ela é quem não esquece meu nome. Toda segunda-feira, nas sessões, sou alvo de piadinhas, como na última sessão, em que ela me chamou de VERME. Vindo dela não me incomoda. Mas dou respostas à altura e em alto nível.

Luciano Pacheco, advogado e ex-vereador de Arcoverde


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/07


2020

Pianista Biu da Concertina morre em Pesqueira

O pianista Severino Leite de Carvalho, conhecido como Biu da Concertina, faleceu, hoje, aos 80 anos, em Pesqueira. A causa da morte não foi divulgada. Integrante de vários institutos de preservação da música, tinha um trabalho demarcado como historiador. Ele foi organista de algumas dioceses em Pernambuco. O caruaruense Biu da Concertina foi ainda criança para Pesqueira (aos 8 anos) e ajudou na alfabetização de diversos pesqueirenses.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/07


2020

Esposa de candidato em Arcoverde gera crise

Inimigo figadal da presidente da Câmara de Arcoverde, Célia Galindo (PSB), o ex-vereador Luciano Pacheco (MDB), hoje principal cabo eleitoral do pré-candidato emedebista a prefeito, Wellington Maciel, voltou a cobrar mais transparência nos gastos da Câmara, chegando a sugerir a abertura do que classificou de "caixa preta" das contas de Galindo.

Que Luciano persegue a presidente do Legislativo e aliada da prefeita Madalena Britto, também do PSB, não se traduz em nenhuma novidade. O fato novo na sua postagem de hoje é a curtida da esposa do candidato da prefeita. Além de curtir, Célia Rejane Maciel aplaudiu Luciano, gerando um ambiente desagradável para Célia, que espera um posicionamento da prefeita.

Como Wellington é neófito na política, tendo dedicado a vida inteira aos seus negócios, cabe a prefeita administrar esse mal estar. Se Célia Galindo já não andava nada animada para subir num mesmo palanque com Luciano, imagine com suas provocações sendo agora compartilhadas e curtidas pela esposa do candidato.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/07


2020

Radialista entra na corrida eleitoral em Petrolina

Uma novidade da disputa majoritária em Petrolina nestas eleições deve ser a presença do radialista Vinícius Santana, que aceitou o convite do PCdoB para ser pré-candidato da sigla à Prefeitura. Com uma atuação destacada em emissoras de rádio locais, como Grande Rio AM e Ponte FM, Santana já chegou a assessorar o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), pai do prefeito Miguel Coelho (MDB).

Agora, seu nome pode embolar a disputa na cidade do Sertão do São Francisco.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/07


2020

Leitores denunciam crateras na PE-270 e VPE-412

Além da PE-275, que liga Sertânia ao distrito de Albuquerque, e da PE-418, que integra Serra Talhada ao distrito de Santa Rita, outras vias também sofrem com o abandono do governo de Pernambuco. Uma delas é a PE-270, que atravessa as cidades de Itaíba e Tupanatinga. Um leitor enviou um vídeo ao blog, em que mostra a triste situação da pista, com inúmeros buracos.

Já a Rodovia Conselheiro Oliveira Neto (VPE-412) passa por Serra Talhada e dá acesso ao aeroporto. A foto evidencia um trecho com buracos no meio da via.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/07


2020

PE-418 também sofre com buraqueira

Rodovia que atravessa o município de Serra Talhada, a PE-418 também tem sofrido com o abandono. A buraqueira se formou em diversos trechos da pista, que liga a cidade e o distrito de Santa Rita.

O vereador Jaime Inácio (Avante) tem feito o serviço de tapar buracos, como é possível ver nas fotos, cansado de esperar por providências do Departamento de Estradas de Rodagem de Pernambuco (DER), órgão subordinado ao governo do Estado.

No último dia 4, o Blog publicou uma matéria sobre a triste situação da PE-418, que resultou na morte de uma pessoa no final de junho.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/07


2020

Uma zebra chamada hidroxicloroquina

Roberto Vieira*

É SIMPLES do ponto de vista contábil e midiático. Qualquer um pode entender a batalha bíblica entre Davi e Golias.
De um lado, um pobre e pequeno pastor de ovelhas e do outro o colossal guerreiro gigante favoritissimo nas casas de apostas.

De um lado drogas terceuromundistas e do outro a decantada ciência do terceiro milênio.

Um kit de Hidroxicloroquina com Azitromicina e zinco custa 80 reais. Ou 14 dólares, por aí. O kit precisa ser usado precocemente para surtir efeito. Caso seja utilizado em estágios avançados não funciona. Nesses casos temos os corticóides, antigos e baratos.

O tratamento não gera manchetes, holofotes ou Prêmio Nobel - os que tinha de ganhar já ganhou.

Do outro lado temos dois Golias. O primeiro é o Remdesivir da Gilead Sciences aprovado nos EUA e Europa, e agora no Brasil, para tratamento do covid-19. A empresa anunciou bons resultados com o uso da medicação que originalmente tinha como alvo o Ebola.

O custo do tratamento completo com Remdesivir?

Cerca de 15 mil reais.

Por último, a descoberta da solução ideal que será a vacina contra o coronavírus. Mais de duzentas patentes em disputa no planeta cada dia mais apavorado pela pandemia. A maioria delas utiliza as tecnologias mais caras possíveis, ignorando pesquisas antigas sobre o coronavírus feitas, por exemplo, pela Escola Nacional de Medicina Tropical no Texas.

Custo da nova vacina produzida nos super laboratórios? Segundo o Medscape:

'If a COVID-19 vaccine yields a price of, say, $500 a course, vaccinating the entire population would bring a company over $150 billion, almost all of it profit.'

150 bilhões de dólares. E não acreditem no que falam sobre vacina de graça. Não existe café da manhã de graça, já dizia Margareth Thatcher.

Relembrando os tempos da AIDS e ainda seguindo o Medscape:

'When AZT, the first effective drug for combating the virus that causes AIDS, was introduced in 1992, it was priced at up to $10,000 a year or about $800 a month. It was the most expensive prescription drug in history, at that time. '

O AZT foi a droga mais cara na história da Medicina e podem apostar que a nova vacina contra o coronavírus vai superar essa marca.

Portanto, para mídia e laboratórios, é melhor que esse kit da Hidroxicloroquina não sirva mesmo pra nada.

Não existe mais lugar para uma zebra chamada Davi no planeta Terra. Quanto mais uma zebra chamada Hidroxicloroquina...

Onde já se viu!

*Médico oftalmologista, escritor e pesquisador pernambucano.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha