FMO janeiro 2020

27/02


2020

Governo estuda prorrogar presença das Forças Armadas no Ceará

Blog do Camarotti

O governo Jair Bolsonaro deve renovar, por um prazo curto, o decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) que autorizou o envio de tropas das Forças Armadas para reforçar a segurança no Ceará.

O decreto assinado no último dia 10 prevê que as tropas fiquem no Ceará até esta sexta-feira (28). Na quarta, o governador Camilo Santana (PT) encaminhou ao governo federal um pedido de prorrogação.

Segundo articuladores do Palácio do Planalto, chegou-se a cogitar uma extensão da GLO por 30 dias. O governo federal avaliou, no entanto, que um prazo tão extenso poderia até atrapalhar as negociações no estado.

A previsão atual é que os 2,5 mil militares das Forças Armadas sigam no Ceará por mais uma semana. O martelo deve ser batido até esta sexta, prazo limite para a publicação do novo decreto.

A existência de uma operação de Garantia da Lei e da Ordem gera incômodo no governo, já que o instrumento é previsto apenas para casos de necessidade máxima. O Planalto avalia que a situação no Ceará chegou a este patamar, mas diz que, agora, é preciso concluir as negociações o quanto antes.

Integrantes do governo se reuniram com o presidente Jair Bolsonaro na manhã desta quinta, no Ministério da Defesa, por quase duas horas para falar sobre o tema. O governo teme que a demora gere um "efeito-cascata" nas corporações de outros estados.

10 dias de motim

Até o fim da tarde desta quinta, o governo do Ceará ainda não tinha chegado a um acordo com os representantes do grupo de policiais militares em motim. Três batalhões da PM e uma base policial seguiam fechados.

O grupo reivindica um aumento salarial superior ao que foi proposto pelo governo do Ceará. Durante a paralisação ilegal, 43 policiais militares foram presos por deserção – crime militar para quem abandona o posto de trabalho.

Eles passaram por uma audiência de custódia na manhã desta quinta, mas até as 19h a Justiça do Ceará ainda não tinha divulgado se os militares seriam soltos ou não.

Desde o início do movimento, o estado registrou 195 homicídios. O número representa um aumento de 57% em relação aos casos registrados durante a última paralisação de PMs no Ceará, em 2012.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima

Confira os últimos posts



04/04


2020

PE fornece material para Polo Têxtil produzir EPIs

Por Folha PE

O Governo de Pernambuco encontrou uma alternativa para movimentar a produção do polo de confecções do Agreste, fortemente impactado pela suspensão das atividades para combater o coronavírus. O Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções em Pernambuco (NTCPE) produziu e passou a fornecer um caderno técnico com protótipos de equipamentos de proteção, como batas e máscaras, e que podem ser inseridos na linha industrial das fábricas. O documento descreve modelagens e insumos necessários para produzir cada produto. A medida tem como base dois pontos importantes: utilizar a base industrial já instalada e usar matéria-prima existente na região, inclusive com fornecedores locais. Cerca de 50 empresas já vêm cumprindo o protocolo para começar a produzir.

O setor têxtil e de confecções do Agreste movimenta, por ano, quase R$ 6 bilhões, além de ocupar cerca de 250 mil pessoas, entre empregos formais e informais em todo o Estado. Atualmente, é responsável por uma produção anual de mais de 225 milhões de peças. De acordo com o presidente do NTCPE, Wamberto Barbosa, trata-se de um projeto que prevê a reocupação de uma estrutura atualmente ociosa na região, devido ao coronavírus, e que pode aproveitar a demanda de atacadistas e do varejo que não tiveram impedimentos de continuar operando, como supermercados e farmácias. Outro canal de vendas no radar é o das redes sociais.

“O enfrentamento ao coronavírus impactou a economia global, mas a capacidade instalada do polo têxtil tem flexibilidade para atender essa nova demanda. A gente precisou pensar caminhos para reverter a situação e esse é um deles. Muita gente tem se reinventado nessa crise, então estudamos um modelo de produção que tivesse uma demanda que sustentasse a atividade e os empregos, mas que também permitisse aderência massiva do setor produtivo de confecções”, destacou.

O caderno técnico para produção de batas e máscaras pode ser solicitado aos gestores do NTCPE e também está disponível para download no site da instituição (https://www.ntcpe.org.br/). Vale ressaltar: em tempos de crise, a adaptação é uma medida positiva, porque não exige investimentos no ajuste da estrutura das fábricas e utiliza matéria-prima que já está nos estoques das empresas ou de fácil acesso, que são materiais com base no algodão (meia malha e moletinho). Atualmente, esse insumo é utilizado principalmente na produção de roupas de bebês.

Wamberto ressalta que esses produtos não têm os requisitos para atender os profissionais da saúde, mas estão aptos para a população em geral e, também, para serviços essenciais fora da área médica, como segurança pública (policiais e bombeiros), de coleta de lixo e outras atividades que não conseguiram parar totalmente. Segundo ele, as empresas já estão se sensibilizando para essa necessidade.

Selo de Qualidade

Apesar da alteração na produção e de ser uma novidade para boa parte das empresas, o padrão de qualidade seguirá sendo monitorado, reforça Maíra Fischer, secretária executiva de Políticas de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco. “São manuais de produtos novos, de protótipos analisados e estudados para atender a população. Vamos acompanhar e, na medida em que as empresas forem se interessando, deverão passar os protótipos fabricados para o NTCPE, que vai emitir um selo de qualidade e liberar a produção em escala.” O governo também estuda uma linha de crédito para o setor, que será ofertada via Agência de Empreendedorismo de Pernambuco (AGE).

Em paralelo, o NTCPE vai buscar os canais de venda para movimentar essa produção nova, seja compras do governo ou o próprio atacado e o varejo que não foi impactado com a suspensão das atividades, que é o caso de supermercados e farmácias. “As empresas também devem reforçar a divulgação em seus canais próprios”, detalha Wamberto Barbosa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/04


2020

Vereador de Paulista ingressa no PSB e apoia Padilha

No troca-troca partidário da janela de seis meses permitida pela legislação eleitoral aos detentores de mandato no Legislativo, a mudança mais relevante em Paulista foi a travessia do vereador Eudes Farias, do DC para PSB. Alinhado ao prefeito Junior Matuto (PSB), vai para reeleição subindo no palanque de Francisco Padilha, nome já escolhido pelo prefeito para disputar sua sucessão


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

04/04


2020

Obstáculos podem dificultar entrega de auxílio

Por Estadão Conteúdo

Pressionado a pagar logo o auxílio emergencial aos trabalhadores informais, o governo tem pela frente desafios que vão além da localização de 15 milhões a 20 milhões de brasileiros que hoje estão completamente fora do radar dos gestores de políticas sociais. Mesmo para quem já recebe o Bolsa Família, tirar a megaoperação do papel não será simples e vai requerer planejamento e até distribuição de cédulas de dinheiro pelo País.

Nos últimos dias, o governo ficou na linha de tiro com a demora do presidente Jair Bolsonaro em sancionar a lei que cria o auxílio e assinar a medida provisória que libera imediatamente os R$ 98 bilhões para os pagamentos. Especialistas têm dito que o momento é de “jogar dinheiro pela janela o mais rápido possível” e “sem medo de errar”. No entanto, há obstáculos operacionais que, em experiências menos dramáticas e urgentes no passado, levaram mais de um mês para serem vencidos.

O Brasil tem um grande ativo, que é o Cadastro Único, uma ampla base de dados criada em 2001 e que concentra beneficiários de mais de 20 políticas sociais no País. São 74,4 milhões de brasileiros registrados no CadÚnico – o terço mais pobre da população. O banco de informações agora será um apoio estratégico na hora de fazer chegar o dinheiro às famílias mais vulneráveis. O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) estima que quase 82% do público do auxílio emergencial está no cadastro. Mesmo assim, há gente de fora.

Os problemas vão além do cadastro. O sociólogo Luis Henrique Paiva, ex-secretário Nacional de Renda de Cidadania e hoje pesquisador do Ipea, explica que 70% dos beneficiários do Bolsa Família não têm conta e sacam o benefício em dinheiro. O valor médio dos repasses do programa não chega a R$ 200 por família – repasse que, durante três meses, será triplicado.

Com a inclusão de outros trabalhadores elegíveis ao auxílio emergencial, a folha do auxílio deve ser pelo menos cinco vezes maior que a do Bolsa Família. “É preciso reforçar a logística de distribuição de cédulas.”

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse em coletiva na ontem que o banco vai criar poupanças digitais para transferir os recursos aos beneficiários, mas não deu detalhes.

Procurado, o Banco Central informou que “entende que a quantidade de dinheiro em circulação é adequada para fazer frente aos desafios atuais e futuros” e que, desde o início da pandemia da covid-19, “atua e monitora o processo de fornecimento de cédulas e moedas na rede bancária para que não haja nenhuma interrupção”. A autoridade monetária não respondeu aos questionamentos sobre eventual reforço no envio de papel-moeda às regiões.

Paiva também demonstra preocupação com as cidades que não contem com canal de pagamento – o que obrigaria os cidadãos a se deslocarem para resgatar o auxílio. Em dezembro de 2018, 377 municípios brasileiros não tinham atendimento bancário (nem por meio de caixa eletrônico) no País. A Caixa costuma firmar convênios com estabelecimentos para permitir os saques, mas, segundo o pesquisador, “sempre há um resíduo de 40 ou 50 cidades” que ficam alguns meses sem canal de pagamento.

A Caixa deve anunciar o calendário dos pagamentos na semana que vem. Desde já, Paiva recomenda um escalonamento – do contrário, muita gente sairá de casa num único dia, contrariando as recomendações sanitárias para evitar aglomeração. “Não pode ser no mesmo dia, se não vai ser o dia de maior número de transmissões do coronavírus”, afirma. Ele disse entender que os brasileiros necessitam do dinheiro o quanto antes, mas é preciso agir com cautela. “É preciso combinar senso de urgência com senso de responsabilidade.”


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/04


2020

Australianos descobrem medicamento antiparasitário que mata Covid-19

Por Diario de Notícias

Investigadores australianos garantem ter descoberto que um medicamento chamado ivermectina, que está disponível em todo o mundo e é produzido por uma farmacêutica portuguesa, consegue com uma dose única eliminar o covid-19 em dois dias.

Num estudo liderado pelo Biomedicine Discovery Institute (BDI) da Monash University em Melbourne (Austrália), em conjunto coma Peter Doherty Institute of Infection and Immunity (Doherty Institute), foi provado que em culturas de células o medicamento antiparasitário (utilizado por exemplo no combate aos piolhos] mata o vírus que está a causar uma pandemia mundial.

"Descobrimos que mesmo uma dose única poderia eliminar todo o RNA viral dentro de 48 horas e, além disso, às 24 horas há uma redução realmente significativa", disseram os investigadores, cujo trabalho foi publicado na revista Antiviral. Este medicamento, aprovado por várias agências de medicamentos, incluindo a americana, também demonstrou ser eficaz "in vitro", segundo os investigadores, contra uma ampla gama de vírus, incluindo HIV, dengue, influenza e zika. No entanto, os testes ainda não foram realizados em pessoas.

"A ivermectina é amplamente usada e é considerada uma droga segura. Precisamos determinar agora se a dose que pode ser usada em humanos será eficaz, esse é o próximo passo. Agora, quando temos uma pandemia global e não há tratamento aprovado, se tivéssemos um composto que já estava disponível em todo o mundo, isso poderia ajudar as pessoas mais cedo. Realisticamente, levará um tempo até que uma vacina amplamente disponível seja aplicada", afirmam os investigadores.

Medicamento produzido em Portugal

O Ivermectine é um desparasitante produzido pela farmacêutica portuguesa Hovione, segundo a Rádio Renascença, que ouviu o diretor comercial da marca sobre a descoberta australiana. Marco Gil manifestou-se cauteloso perante o estudo sobre este medicamento que é sobejamente conhecido desde os anos 80 do século passado, já que era usado para combater diversas doenças como a cegueira dos rios.

Em declarações à RR, Marco Gil recordou essa bagagem toda que o Ivermectin tem e que, de resto já valeu o prémio Nobel a dois investigadores pela aplicação em África salvando milhares de pessoas. Ainda à rádio, Marco Gil lembrou que "neste momento, têm de ser feitos estudos de fase três - já em pacientes - e terá de descobrir-se a dose terapêutica, para se apurar se, de facto, essa dose está dentro dos limites de toxicidade com que pode ser usado este produto", mas reconhece que o facto de se conhecer a molécula há décadas "acelera o processo". Ainda que tenha apontado um horizonte de seis a nove meses para conhecer o resultado da eficácia do medicamento.

O responsável da Hovione admitiu limitações na produção em grande escala do medicamento num curto espaço de tempo. "Depende das quantidades e da população a tratar e evidentemente haverá depois limitações e um tempo de adaptação para conseguir aumentar de forma exponencial a produção caso venha a ser necessário", disse à RR. Ainda assim, o Ivermectin não tem patente, é um genérico e, por isso, a produção em larga escala poderá ser realizada em outros países e não será cara.

Marco Gil trava expectativas exageradas sobre a administração rápida do medicamento, explicando que, se por um lado o Ivermectin "não tem efeitos secundários relevantes, sendo de administração segura, muito estudado há muitos anos, e, desse ponto vista traz a segurança de ser um produto com toxicidade baixa", por outro lado "dependerá muito da dose terapêutica que será necessário administrar aos doentes da Covid 19".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

04/04


2020

PSB de Tabira nega que tenha definido candidato

Caro Magno Martins,

Quanto à notícia “Sebastião apoia PT em Tabira de olho na Alepe “, postada hoje (4) no seu blog, temos alguns esclarecimentos a fazer. 

Iniciamos afirmando que a posição do PSB em Tabira para o pleito deste ano ainda está sendo debatida internamente para definir as candidaturas  vagas de prefeito, vice-prefeito e vereadores. Os nomes das lideranças de Zé de Bira e do vereador Aldo Santana, este filiado recentemente ao PSB, figuram entre os prováveis candidatos a prefeito ou a vice-prefeito, conforme for o melhor cenário para nossa aliança com o PT.

Todas as lideranças do nosso partido estão dialogando em clima democrático de muita harmonia para apresentar seus nomes para uma aliança promissora, tendo em vista o melhor projeto para nossa cidade. Participam ativamente desse processo os prováveis candidatos, o presidente, Valdeir Tomé da Silva - Pipi da verdura, este que vos escreve, os vereadores Marcílio Pires e Kleber Paulino, entre outros as novas filiações do empresário irmão Oberto, Mário Amaral e do secretário do município Cláudio.

Oportunamente, reafirmamos nosso apoio incondicional ao correligionário e deputado Waldemar Borges, do grupo do PSB  que lhe apoiou na eleição de 2018, Pipi da Verdura, Dr Marcílio Pires, Dr Zé de Bira e do empresário Pedro Bezerra, e alertamos que qualquer notícia acerca de acordo político com o prefeito Sebastião Dias (PTB) é pura especulação, muito embora ele tenha todo direito de candidatar-se a qualquer cargo eletivo como todo cidadão tabirense e brasileiro.

Tais inverdades têm como único propósito implodir nossa vitoriosa aliança com o PT, tendo em vista as eleições 2020. Mas não terão êxito, porque nossa aliança segue firme e forte para fazer Tabira avançar ainda mais! 

Atenciosamente,

Valdeir Tomé da Silva, o Pipi da Verdura 

Presidente do diretório 
PSB de Tabira

Nota do blog 

Da mesma forma que o deputado federal Carlos Veras, responsável pelo novo quadro da sucessão em Tabira, o presidente do PSB no município, Pipi da Verdura, tenta esconder um acordo que até as paredes da praça de Tabira já sabem: o prefeito Sebastião Dias abriu mão da cabeça de chapa para o PT e ingressou no PSB, traindo o ex-senador Armando Monteiro, porque foi picado pela mosca azul de 2022. Quer ser deputado estadual pelo Pajeú diante do vácuo de lideranças na região.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

04/04


2020

Madalena em Arcoverde: um caso sui generis

Na reta final do prazo de filiação partidária, hoje às 19 horas, Arcoverde, chamada a janela do Sertão, a 250 km do Recife, é protagonista de um cenário inédito na política pernambucana: detentora do poder, controlado muito mais pelos filhos do que ela própria, a prefeita Madalena Brito (PSB) está no mato sem cachorro: não tem um nome da sua absoluta confiança e de estufa eleitoral para apoiar como candidato à sua sucessão.

Desde ontem, insiste na alternativa de uma aliança com a vereadora Cybele Roa (Avante), a campeã de votos na eleição de 2016. Neste momento, faltando poucas horas para encerrar a filiação permitida por lei, ou seja, seis meses antes da eleição, continua trancafiada com Cybele e seu esposo, o todo poderoso Rodrigo, um dos homens mais ricos da cidade, dono de clínica e de laboratórios.

O impasse se dá em razão da filiação partidária de Cybele, no Avante. Madalena exige que ela se filie ao PSB para agradar ao Palácio e a cúpula socialista. Acontece que o manda-chuva do Avante, deputado Sebastião Oliveira, não cede. Se Madalena quiser, terá que apoiar Cybele candidata pelo Avante.

"Seria a mesma coisa de eu exigir que no Recife o Avante só apoiaria João Campos na condição dele filiado ao Avante", desabafa Sebastião, para acrescentar; "Que aliança ampla é essa que o PSB tem que ser cabeça de chapa em todos os municípios?"

Madalena teve dois mandatos e não se preocupou em preparar o sucessor. Tudo porque esperava que o seu vice Wellington se consolidasse, o que não aconteceu por se tratar de um político chuchu, sem apatia com a população.

Pressionada pelo PSB e o Palácio, se viu obrigada a apoiar um nome que nunca passou pela sua cabeça: o delegado Israel Rubis, do PP, alternativa imposta pelo presidente estadual da legenda, Eduardo da Fonte, como espécie de compensação ao apoio do partido no Recife à candidatura do príncipe João Campos, do PSB.

Mas a presidente da Câmara, Célia Cardoso, também do PSB, aliada da prefeita, não aceitou e ameaçou romper. Alegou que o delegado perseguiu os vereadores do município e ela própria, criando um clima desagradável na cidade para o poder Legislativo.

Diante disso, só restou Cybele. Madalena fez pressão no Palácio com o governador Paulo Câmara e o chefe da Casa Civil, José Neto, para dobrar as resistências do deputado Sebastião Oliveira. Seu argumento: depois de oito anos no poder, o PSB não
podia abrir mão de ter um candidato próprio em Arcoverde rezando pela cartilha socialista.

Sebá, como é  mais conhecido, não cedeu. Resultado: Madalena terá até às 19 horas de hoje prazo exíguo para ter um candidato que possa chamar de seu. O cenário é mais desalentador para ela: não conseguiu também formar uma chapa competitiva para à Câmara de Vereadores.

Seu adversário, o ex-prefeito Zeca Cavalcanti, do PTB, foi muito mais esperto, atraiu para o seu grupo o líder da prefeita na Câmara, Everaldo Lira, e montou a chama proporcional mais competitiva do município.

Madalena ainda é uma neófita em política.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

04/04


2020

Brasil: 431 mortes; 10.278 casos confirmados de Covid-19

Por G1

O balanço dos casos de Covid-19 divulgados pelo Ministério da Saúde neste sábado (4) aponta:

. 431 mortes

. 10.278 casos confirmados

. 4,2% é a taxa de letalidade

Nesta sexta-feira (3), havia 9.056 casos confirmados e 359 mortes. Em relação ao balanço anterior, foram acrescentadas 72 mortes, o que significa um aumento de 20%.

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Shopping Aragão

04/04


2020

Vice rompe com prefeito de Lagoa Grande

Por Tribuna

A semana política com o fim do prazo da ‘janela partidária’ mexeu com o cenário político no vale do São Francisco. Uma das notícias que chamou a atenção, foi o rompimento do vice-prefeito, ítalo Ferreira, PSD, com o prefeito de Lagoa Grande (Sertão do São Francisco), Vilmar Cappellaro, MDB.

Ítalo, além de vice, ocupava a Secretaria de Governo do município, cargo para o qual foi nomeado para melhorar o diálogo entre a gestão e demais segmentos da sociedade lagoagrandense, ponto que aparece como negativo na gestão de Vilmar que equilibra a opinião pública por ser considerado um bom administrador.

Em conversa com o PORTALTRIBUNNA, Vilmar disse que recebeu a notícia do rompimento com “surpresa”. “Pegou de surpresa sim, pois além de vice, ele era Secretário de Governo”, afirmou o prefeito.

Questionado sobre como ficariam agora os encaminhamentos da campanha para a reeleição, pois o caminho seria manter a chapa de 2016 com ítalo como vice-prefeito, Vilmar disse que a vaga está aberta e que a decisão virá junto com os eleitores que lhe apoiam.

“A vice está aberta e o povo irá dar o direcionamento”, registrou o prefeito Vilmar Cappellaro.

ARRUMAÇÃO

Já o vice-prefeito ítalo Ferreira não teve ainda como dar destalhes do rompimento com Vilmar com a nossa reportagem, porque, segundo explicou, está concluindo a arrumação do partido para as eleições.

“Vou conversar com vocês assim que concluir as coisas aqui do partido. Na segunda a gente se fala”, declarou.

Mas o que pode ocorrer, conforme informações da ‘capital da uva e do vinho no Nordeste’, é o lançamento da pré-candidatura de Ítalo pela oposição, numa construção que deve deixar a disputa em Lagoa Grande ainda mais movimentada.

A oposição conta com outros pré-candidatos, a exemplo do economista Henrique Diniz, DEM, filho da ex-secretária Aparecida Diniz (educação, Governo Rose Garziera e saúde, Governo Vilmar). Henrique construiu seu nome e ganhou força no campo oposicionista que tem junto o ex-prefeito Robsom Amorim e alguns vereadores e lideranças políticas, todas ligadas ao senador Fernando Bezerra Coelho, MDB.

Henrique se movimenta e essa semana, esteve com o prefeito Miguel Coelho MDB (Petrolina), discutindo ações de interesse aos dois municípios no combate à pandemia do Coronavírus e rechaçou comentários que política esteve na pauta da conversa com o gestor petrolinense.

“Miguel é um amigo e abriu as portas para conversarmos sobre o Coronavirus. Ele entendeu minha angustia, meu receio para que nossa comunidade esteja melhor preparada com a evolução desse problema. Politica a gente fala na hora da politica. Eu e Miguel estamos preocupados com as vidas, com as pessoas”, disse Henrique Diniz.

DHONI

E em Lagoa Grande ainda existe outro ex-prefeito em encaminhamentos para uma possível pré-candidatura a prefeito. É Dhoni Amorim que até bateu boca com o pai, Robson, pois não aceitou uma pesquisa que segundo Robson Amorim, o nome de Henrique era o melhor posicionado no campo do grupo que faz parte.

Dhoni não aceitou a escolha nem os números apresentados na pesquisa. Ele questionou bastante, e frisou que pelo levantamento que tem, seu nome é forte e continua posto para a disputa.

GARZIERA

Enquanto isso tudo ocorre, a cidade aguarda uma posição oficial do canal Jorge e Rose Garzeira, peso importante para a definição eleitoral em Lagoa Grande. Atualmente, parte dde pessoas ligada a Jorge e Rose é situação e outra ala, oposição.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/04


2020

Braga Netto atua como presidente no lugar de Bolsonaro

Por Revista Forum

Os desmandos do presidente Jair Bolsonaro diante do surto do novo coronavírus no Brasil irritaram o alto comando das Forças Armadas, que parece ter “eleito” o ministro chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto, como o novo “presidente operacional” do país.

Segundo o jornalista investigativo argentino Horacio Verbitsky, um alto oficial do exército brasileiro comunicou um correlato argentino que o presidente Jair Bolsonaro não está sendo ouvido pelas autoridades na hora de tomarem decisões.

“Houve uma comunicação por telefone de um alto chefe do exército brasileiro com um da Argentina, em que o brasileiro informou que eles haviam tomado a decisão de contornar o presidente Bolsonaro em todas as decisões importantes”, disse o comunicador no programa “Habrá Consecuencias”, da Radio El Destape.

Verbitsky afirma que Bolsonaro atua como “monarca sem poder efetivo” e quem agora comanda o país é o general Walter Braga Netto, da Casa Civil.

Nos últimos dias, a postura de Braga Netto em coletivas de imprensa chamou a atenção da mídia. O general tenta controlar as respostas dos demais presentes e chega a atropelar outros ministros.

Braga Netto, que foi o comandante da intervenção federal no Rio de Janeiro em 2018, foi designado como coordenador o comitê do coronavírus do Governo Federal. Segundo o portal DefesaNet, na realidade, ele hoje atua como “Chefe do Estado-Maior do Planalto”, corroborando com a tese do jornalista argentino.

Segundo o site, Braga Netto chegou ao posto após uma grande costura. “A nova ‘missão informal’ foi produto de um “acordo por cima”, envolvendo ministros e comandantes militares e o próprio presidente da República”, diz trecho de reportagem.

“Sua ‘missão’ busca reduzir a exposição do presidente, deixando-o ‘democraticamente’ (Apud Paulo Guedes) se comportar como se não pertencesse ao seu próprio governo. O general passa a enfeixar as ações do Executivo na crise. Pode, inclusive, contrariar as declarações de Bolsonaro”, aponta a publicação, colocando Bolsonaro na mesma posição de “monarca sem poder efetivo”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/04


2020

A versão esfarrapada do deputado Carlos Veras

Caro Magno Martins

sobre a nota “Sebastião apoia PT em Tabira de olho na Alepe”, publicada neste sábado (4), gostaríamos prestar os seguintes esclarecimentos:

Sobre a aliança PT e PSB na cidade de Tabira para a Eleição 2020, asseguramos que ainda não há candidaturas definidas para a montagem da chapa nem para prefeito e nem para vice-prefeito. Nesse momento, todas as pré-candidaturas estão sendo igualmente consideradas e sendo assim, qualquer uma das duas siglas poderá encabeçar a chapa. 

Essa decisão será baseada nas condições dos candidatos, sendo escolhido aquele que tem maior viabilidade política, aferida por meio de pesquisas de opinião e ouvindo as lideranças políticas que compõem o projeto democrático e popular que desejamos construir.

A liderança de Flávio Marques reúne todas as condições para ser pré-candidato na composição para o pleito majoritário, mas há outros nomes com as mesmas qualidades, como dos vereadores Aristóteles Monteiro e Djalma das Almofadas, além da liderança Zé de Bira e do vereador Aldo Santana, recém filiado ao PSB.

Quanto à vereadora Nelly Sampaio, consideramos um grande quadro e faremos todo esforço para que esteja com o nosso grupo político, cujo nome entrará na disputa em situação de igualdade, caso ingresse em nosso projeto. 

Em tempo: esclarecemos que não há nenhum acordo firmado para que o prefeito de Tabira, Sebastião Dias (PTB), seja candidato a deputado estadual no pleito de 2022. Contudo, ele como cidadão, que goza de todos os direitos políticos, pode de forma autônoma almejar esse projeto, o que também é igualmente legítimo.

Nos mais, nos colocamos à sua disposição para demais esclarecimentos que se façam necessários.

Cordialmente,

Carlos Veras 
Deputado Federal (PT-PE)

 

Nota do blog 

O deputado Carlos Veras está tentando minimizar o impacto do acordão em Tabira, protagonizado por ele com carta branca do Palácio das Princesas e da cúpula do PSB, antecipado por este blog. Tanto é verdade que o prefeito Sebastião Dias traiu Armando Monteiro e está aliado do Governo. 

Veras ganhou envergadura em Tabira para fazer tamanha reviravolta porque defende a manutenção no Recife do PT na aliança com o PSB em apoio ao príncipe João Campos. 

Sua posição contraria a decisão da executiva nacional do PT, que já fechou com a candidatura própria de Marília Arraes.

O resto é balela.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/04


2020

A bandeira branca de Alcolumbre

O Antagonista

“Davi Alcolumbre recebeu na residência oficial do Senado o general Luiz Eduardo Ramos,  ministro-chefe da secretaria de governo”, diz Sonia Racy.

“Alcolumbre pretende intensificar conversas neste fim de semana com intuito de pacificar os ânimos no Congresso – inclusive o dele próprio –, com Bolsonaro”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/04


2020

Guga troca PV por Pros e disputa em Olinda

Candidato a prefeito de Olinda na eleição de 2016 pelo PV, o médico Gustavo Rosas, o Guga, ingressou, há pouco, no PROS. Estimulado pelo ex-deputado João Fernando Coutinho, presidente estadual da legenda, Guga será candidato novamente à sucessão do prefeito Lupércio(SD).

Em ato sem holofotes, em tempos de coronavirus e de isolamento social, Guga assinou a ficha do seu novo partido na presença apenas de Fabio Freitas, Antônio Benedito e o presidente  municipal do Pros em Olinda,  Marcos Rueda. O ato festivo da filiação será logo após o encerramento do isolamento social proposto para o coronavírus em Pernambuco.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/04


2020

Obrigado, Correio!

Por Edinho Magalhães*

E o futuro chegou. Antes mesmo dos efeitos colaterais provocados pelo isolamento social devido ao Coronavírus, uma geração inteira já vivenciava a evolução de uma modernidade usando aplicativos vinte e quatro horas por dia para se alimentar, se comunicar, pagar contas, fazer compras, trabalhar, se relacionar e viver, enfim, com tudo ao alcance das mãos e sem precisar sair de casa. A modernidade que se impõe à sociedade do século 21 nos colocou também diante de um caminho sem volta em direção às mídias digitais. Não se trata tão somente (do início) do fim do jornal impresso, mas de uma mudança de costume e de postura das pessoas. Ir à banca comprar jornal nos dias de hoje, por exemplo, tornou-se um charme. Receber em casa, então, quase um luxo mantido por antigos assinantes e apaixonados pelo papel. O imediatismo ‘on line’ e em ‘tempo real’,  que surgiu como um passe de mágica da tecnologia anos atrás, se tornou parte de nosso cotidiano pela internet. Os ‘smarts phones’ como ficaram conhecidos os aparelhos de celular, completaram esse cenário futurista trazendo ao nosso mundo real toda invenção imaginada para o futuro. E o futuro chegou.

E com ele toda necessidade de se adaptar aos novos tempos. Tempos modernos de uma sociedade  onde cada uma das pessoas pode criar seu próprio mundo nas redes sociais, com sua própria ‘live’, seu ‘history’, seu mural de fotos, suas opiniões, enfim, com sua própria ‘página’.

Pois bem, sou ainda do tempo em que ‘página’ era a grande paixão de todo jornalista e ‘a primeira página’ era a vitrine de todo jornal que balizava a opinião de toda uma sociedade.

Aliás, ‘opinião e cobertura’ são características do jornalismo que nunca vão mudar, pois independe da forma (impresso, digital, virtual, etc), vez que é inerente ao seu mérito.

E mérito, por sua vez, é algo que precisamos resgatar numa reflexão necessária sobre esses novos tempos da sociedade moderna, onde o bom senso está cada vez mais escasso dando lugar à frivolidade de opiniões, com o mundo real perdendo interesse em detrimento das centenas de ‘likes’ de uma foto qualquer no mundo virtual.

É preciso, pois, mudar. Não somente na forma, como a tecnologia e a modernidade nos impõe, alterando o formato do jornalismo impresso para as mídias digitais (sites, blogs e portais), mas também no mérito. Manter a credibilidade sobre o que se escreve é parte do trabalho do bom jornalismo para atrair o interesse do leitor ao que realmente importa em nosso mundo real. Ter a percepção dessa importância é dever de casa das pessoas que precisam ajudar a construir a evolução de nossa sociedade. Esse é o desafio de mérito, ainda mais em tempos de coronavirus.

Ao mesmo tempo em que essa pandemia nos impôs, a todos, um isolamento social, a cobertura jornalística dos fatos políticos vindos da Capital Federal, tornou-se tão importante quanto relevante para acompanharmos as estratégias de defesa nessa guerra que estamos vivendo. As sessões remotas nos plenários da Câmara e do Senado são parte dos efeitos dessa pandemia, mas também, um olhar para o futuro que se avizinha onde a tecnologia e a modernidade que transformam tudo, permitam também a transformação do Parlamento.

Nesse epílogo do jornalismo impresso só tenho que agradecer ao CORREIO pelos melhores momentos profissionais de minha vida. À família Cavalcanti Ribeiro meu muito obrigado. Aos colegas de redação o meu abraço fraterno. E à querida editora Sony Lacerda, em saudosa memória à Lena Guimarães, Walter Galvão, Giovanni Meirelles e Rubens Nóbrega que a antecederam, dizer que foi um honra servir aos leitores paraibanos, ao seu lado.

Obrigado, amigos!

Correio da Paraíba

*Colunista semanal e correspondente do Correio da Paraíba em Brasília


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/04


2020

Casamentos virtuais viram moda em Pernambuco

Épcoa 

"Denise Coutinho Siqueira Guimarães, é de livre e espontânea vontade que deseja se casar com Marcelo Siqueira de Araújo?". A pergunta repetida ao noivo durante a celebração de um casamento em Recife (PE) seria apenas mais uma de praxe do ritual, não fosse por um motivo: o juiz a fez por chamada de vídeo pelo WhatsApp.

Em meio às restrições por conta do coronavírus, essa foi a solução encontrada por magistrados de Pernambuco para unirem casais que já haviam programado a solenidade. Os casamentos virtuais começaram quando o Tribunal de Justiça do Estado suspendeu, em 16 de março, audiências e sessões para reduzir o fluxo de pessoas. No dia seguinte, houve a primeira celebração online.

Os funcionários públicos Denise Guimarães, 37, e Marcelo Siqueira, 40, se programaram para casar oficialmente no dia 18. Na véspera, receberam uma ligação repentina para que fossem o mais breve possível ao cartório. A celebração seria imediata. "Estávamos na rua. Eu, de blusa, short, sandália havaiana e meu marido, de bermuda. Só tínhamos dobrado a esquina da casa do meu cunhado, quando ele me ligou, e saímos correndo. Casamos com roupa de casa", contou Guimarães.

Os casamentos na capital costumam ocorrer às quartas-feiras com média de 40 casais a cada semana. Dessa vez, os noivos imaginavam uma celebração privada, apenas com juiz e testemunhas presentes. "Quando chegamos lá, o oficial disse que ia ser por videochamada. A gente ficou bem surpreso", afirmou Guimarães. O alívio, no entanto, só veio após a entrega da documentação. "Só acreditamos que realmente tinha validade quando o oficial entregou nossa certidão", disse.

A solenidade online dura entre um a dois minutos. Noivos e testemunhas se reúnem no cartório para fazerem uma chamada de vídeo com o magistrado. Já há planos para que os matrimônios ocorram por videoconferência, com todos de suas casas. Responsável pela iniciativa em Recife, o juiz Clicério Bezerra, da 1ª Vara de Família e Registro Civil, explicou que a cerimônia virtual é muito mais simples e rápida, além de preservar os participantes em tempos de isolamento social.

"A diferença básica é que não falo tanto com no presencial, no qual aproveito que é um momento muito importante da vida dos casais, para falar algumas coisas sobre os deveres do casamento, sobre o casamento civil e a diferença do casamento religioso", disse Bezerra. "Infelizmente, no casamento virtual, não. Me atenho somente a saber se eles estão se casando por livre e espontânea vontade", concluiu.

Bezerra já conduziu oito casamentos no formato alternativo. As exigências são as mesmas do matrimônio presencial, bastando apenas o processo de habilitação e apresentação dos documentos requisitados por lei. Não são necessárias justificativas especiais até o momento, o que pode mudar caso o número de pedidos dispare.

"Se a demanda aumentar e não conseguirmos fazer dessa outra forma, teremos que fazer a triagem para ver quem tem uma justificativa plausível para casar de imediato", disse o juiz, que foi convencido a realizar as cerimônias após contato da irmã de Guimarães, funcionária do fórum na capital.

A iniciativa se ampliou a outras localidades. Na comarca de Petrolina, ao menos quatro casamentos virtuais foram realizados nas últimas duas semanas de março. 

Se o sonho do casamento não precisou ser adiado, as comemorações e a lua de mel tiveram de ser reagendadas. Pelo menos no caso de Guimarães e Siqueira. O jantar pós-cerimônia para 70 convidados foi cancelado. A festa ocorreria no salão do prédio onde a irmã da noiva mora, mas o local foi fechado pelo síndico. A viagem para Natal (RN) no último dia 27 também teve de ser reprogramada.

"Estamos em lua de mel de quarentena em Garanhães (cidade onde o casal vai morar). Conseguimos cancelar tudo o que podíamos, menos bolo, doces, flores. Parte do buffet nós pegamos e alguns serviços ficaram como crédito de um ano", contou Guimarães.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/04


2020

PE tem mais 4 mortes e 40 novos casos de Covid 19

Por G1 PE

Pernambuco registrou mais quatro mortes de pacientes com coronavírus (Sars-Cov-2), neste sábado (4). Com isso, subiu para 14 o número de óbitos de pessoas com a Covid-19, doença causada pelo novo vírus. Além disso, houve 40 novos casos confirmados, totalizando 176. Foi o maior aumento em 24 horas, desde os dois primeiros pacientes, no dia 12 de março. Houve, ainda, seis novos pacientes curados, resultando em 23 recuperações

Os 40 novos casos são de pacientes entre 21 e 95 anos, sendo 22 mulheres e 18 homens. Das quatro mortes, três são homens, de 65, 71 e 74 anos. Também morreu uma mulher de 95 anos de idade. Todos moravam no Recife. A mulher tinha fibrose cística e morreu na quinta-feira (2), em uma unidade privada da capital pernambucana.

O homem de 65 anos era ex-fumante e morreu na sexta-feira (3), no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), no Centro do Recife. Enquanto o de 71 tinha cardiopatia, era diabético e hipertenso. Ele morreu na 31, em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Já o idoso de 74 anos tinha doença cardiovascular crônica e morreu na terça-feira (31), em uma Upinha.

Na sexta-feira (4), houve 30 novos casos de coronavírus e, até então, tinha sido o maior aumento em um dia. Uma dos resultados positivos para o Sars-Cov-2 foi o de um bebê de 1 mês de idade.

Pernambuco registrou mais quatro mortes de pacientes com coronavírus (Sars-Cov-2), neste sábado (4). Com isso, subiu para 14 o número de óbitos de pessoas com a Covid-19, doença causada pelo novo vírus. Além disso, houve 40 novos casos confirmados, totalizando 176. Foi o maior aumento em 24 horas, desde os dois primeiros pacientes, no dia 12 de março. Houve, ainda, seis novos pacientes curados, resultando em 23 recuperações 

Atualmente, há 52 pacientes internados, sendo 18 em Unidades de Terapia Intensiva e 34 em leitos de isolamento. Outros 87 estão em isolamento domiciliar.

Até a sexta-feira, a SES havia divulgado a morte de, ao menos, duas pessoas com menos de 60 anos de idade. A primeira foi uma mulher de 37 anos, com histórico de problemas cardíacos. A segunda foi uma paciente de 51 anos, fumante, que tinha histórico de problemas respiratórios.

Há casos confirmados em 14 cidades pernambucanas, além do arquipélago de Fernando de Noronha, que teve dois novos casos, totalizando sete. Também há casos confirmados de Covid-19 de pacientes que moram em outros estados e países, mas que passaram por Pernambuco.

Confira mais aqui: Pernambuco tem mais 4 mortes e 40 novos casos de ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

JN: derrota do Bozonaro na luta à Covid: Mandetta76 % x 33% Bozonaro.

marcos

Somados aos 12 homicídios temos 16 mortes em Pernambuco.