FMO

12/11


2019

Em ebulição

Por Cássio Rizzonuto

A corda que o STF esticou deverá arrebentar em algum lugar, quando menos se esperar. Não se sabe onde nem como, mas não resta dúvida de que a situação nacional é extremamente delicada. As pessoas parecem estar perdendo o rumo. As autoridades perderam a dimensão da realidade e vivem na fantasia.

Como é que Luciano Huck (Rede Globo) acha que irá ganhar a Presidência da República? O governo Bolsonaro cortou milhões e milhões de reais em benefícios que a emissora levava dos nossos impostos, para produzir novelas com sexo quase explícito e desmontar o país. Mas Huck pretende se eleger e levar o dinheiro de volta para lá.

Muito mais grave ainda é saber que o convidado pelo homem da TV Globo, para ser o seu companheiro de chapa (candidato a vice-presidente) é ninguém menos do que o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Sua excelência é lembrada na Lava-Jato como sendo o “Botafogo” da planilha da Odebrecht.

A grande imprensa do Brasil vive toda em cima dos impostos que a população paga, sem oferecer nada de positivo em troca. Na recente soltura de Lula da Silva, o jatinho que levou o ex-presidente de Curitiba para São Paulo é de propriedade de Luciano Huck. O avião foi comprado com dinheiro do BNDES.

Recentemente, o jornal O Estado de S. Paulo condenou a Lava-Jato e defendeu a soltura de todos os presos como o STF decidiu agora. O que está bem claro para todos é que o país não tinha recursos financeiros para a educação, segurança e projetos governamentais porque todo o dinheiro público era destinado a essa gente.

Bolsonaro cortou patrocínios de Fórmula 1 e verbas destinadas à Rede Globo, cessando conluio entre governos corruptos e grandes meios de comunicação. A população começou a ver e entender como tudo é encaminhado: ninguém acusava ou denunciava os grandes roubos e desvios, pois eram pagos a peso de ouro.

De vez em quando, a Rede Globo elege um para posar como boi de piranha e as denúncias prosperam. Não sei como está agora, pois fui acometido por sentimento de repugnância tão grande que não consigo mais ver o Jornal Nacional. O fato é que são muitos os que resolveram tirar a Globo de sintonia e a emissora está sentindo a pancada.

Numa época em que as redes sociais e a internet não deixam pedra sobre pedra, continuam as cobranças ao presidente do STF, Dias Toffoli. Como se sabe, a revista digital Crusoé denunciou e provou que ele recebe propina mensal de R$ 100 mil do escritório de advocacia de sua mulher, advogada Roberta Rangel.

Como é que o presidente da mais alta corte do país (STF) é acusado de crime dessa gravidade e não se pronuncia? Como é que o Senado, em cujas atribuições está o de afastar membros criminosos do STF, nada faz? É caso que está a exigir posicionamento.

Está tudo virado de ponta cabeça. Não há como permanecer cenário de tal natureza de forma indefinida. O Brasil é hoje imenso caldeirão em ebulição. O mais preocupante é ver nossas “autoridades” colocando lenha na fogueira e se acumpliciando com bandidos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Como que vocês tem coragem de torcer e pedir o fim da Globo, vocês sabiam que é a Globo o maior meio de entretenimento dos pobres, que leva divertimento, alegria, lazer para muitos, será que esse desejo é por algum esquema de safadeza com a Record, por que vocês querem tanto essa emissora, que o dono dela sempre foi acusado de todo tipo de safadeza, e vocês defendem tanto, por que será que vocês e os PTralhas odeiam tanto a Globo, se os dois extremos não gostam é porque ela é boa. Por que esse povo que tanto idéia a Globo, não usam o controle remoto, acho que você deve ser um dos que assiste a Globo escondido. Acabar a GLOBO é deixar muito gente sem seu maior divertimento, pense antes de fazer isso com quem precisa. Como que vocês falam tanto em Democracia, e agem feito Ditadura, quem não tem imprensa livre, não é Democracia, imprensa boa, não é a que diz o que a gente quer ver e ouvir, imprensa quanto mais independente melhor. Brasi meu País livre.


Governo de PE

Confira os últimos posts



10/12


2019

Fundo Eleitoral: conheça como se dá a distribuição

Por Diana Câmara*

O Fundo Especial de Financiamento de Campanha, mais conhecido como fundo eleitoral ou simplesmente FEFC, foi instituído com o intuito de repassar recursos do orçamento da União para as Eleições brasileiras e, assim, viabilizar o financiamento público de campanha. Essa semana o Congresso está definindo o montante que será destacado para as Eleições 2020. A opinião pública está emitindo duras críticas sobre o valor exorbitante que os Deputados e Senadores estão pleiteando e estes, em sua defesa, atestam que para financiar minimamente uma eleição do porte das eleições municipais, que envolvem uma infinidade de candidatos, o valor é justo. Esta será a primeira eleição municipal com o uso de FEFC. Mas como, de fato, o FEFC vai ser distribuído para os partidos políticos e utilizado nas campanhas?

Com o fim das doações por pessoas jurídicas, consideradas inconstitucionais pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o Congresso Nacional aprovou em 2017 a criação do FEFC a ser utilizado exclusivamente nas eleições. O pleito de 2018 foi o primeiro em que os partidos políticos e, consequentemente, seus candidatos receberam recursos públicos para utilizar em suas campanhas. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na oportunidade, publicou a Res. nº 23.568/2018, com o objetivo de estabelecer “diretrizes gerais para a gestão e distribuição dos recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC)” e deve lançar outra específica para as próximas eleições.

Para que o candidato tenha acesso aos recursos do FEFC, pela legislação eleitoral, deverá fazer requerimento por escrito solicitando ao órgão partidário respectivo. Todavia, o repasse dos recursos para os candidatos é de livre deliberalidade dos partidos políticos que podem escolher, como melhor lhe convir, quais critérios irá usar para destinar os recursos para os candidatos e os valores. Na prática, cabe às agremiações nacionais decidir em quais candidatos irão apostar e para quais diretórios estaduais e/ou municipais irá enviar os recursos. É de livre decisão partidária, por exemplo, se irá optar por concentrar os valores do FEFC para financiar campanhas na capital, no interior, no Nordeste, no Sudeste, se para eleger o maior número de prefeitos ou se vai apostar nos vereadores. A lei não engessa esta escolha, entende como matéria interna corporis do partido. Entretanto, cabe registrar, a Justiça Eleitoral obriga que 30% dos recursos oriundos do FECF sejam destinados para investir nas campanhas de mulheres. 

Os recursos do FEFC, para o primeiro turno das eleições, serão distribuídos entre os partidos políticos, obedecidos os seguintes critérios: 2% divididos igualitariamente entre todas as legendas com estatutos registrados no Tribunal Superior Eleitoral; 35% divididos entre as siglas que tenham pelo menos um representante na Câmara dos Deputados, na proporção do percentual de votos por eles obtidos na última eleição geral para a Câmara dos Deputados; 48% divididos entre os partidos, na proporção do número de representantes na Câmara dos Deputados, consideradas as legendas dos titulares; 15% divididos entre as agremiações, na proporção do número de representantes no Senado Federal, consideradas as legendas dos titulares.

Para as Eleições 2020, a Lei nº 13.877/2019, chamada de Minirreforma eleitoral, pois alterou regras eleitorais e partidárias, estipulou que a distribuição dos recursos entre os partidos terá por base o número de representantes eleitos para a Câmara dos Deputados na última eleição geral, ressalvados os casos dos detentores de mandato que migraram em razão de a legenda pelo qual foram eleitos não ter cumprido os requisitos da cláusula de barreira, bem como será considerado o número de representantes eleitos para o Senado Federal na última eleição geral, além dos Senadores filiados ao partido que, na data da última eleição geral, encontravam-se no 1º (primeiro) quadriênio de seus mandatos. Assim, por esta regra, os mandatários podem ao longo do mandato trocar de partido, mas sem afetar o direito das siglas que originalmente os elegeram. Atualmente, há um debate sobre essa questão, em especial pela criação da “Aliança pelo Brasil”, do presidente Jair Bolsonaro, onde alguns deputados federais e senadores detentores de mandato querem migrar e levar o direito aos recursos de FEFC, bem como do Fundo Partidário, que é um valor mensal recebido pelas agremiações para sua manutenção.

*Advogada especialista em Direito Eleitoral, presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB/PE, membro fundadora e ex-presidente do Instituto de Direito Eleitoral e Público de Pernambuco (IDEPPE), membro fundadora da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (ABRADEP) e autora de livros.  


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Paulista

10/12


2019

Handebol pernambucano – Orgulho e vergonha

Por Artur Vaz*

Na última semana de novembro, na cidade de Cascavel, no Paraná, aconteceu o Campeonato Brasileiro Adulto de Handebol, onde os adeptos do desporto amador pernambucano tiveram motivos de sobras para se orgulhar e, ao mesmo tempo, se envergonhar dos seus clubes representantes.

Se por um lado tivemos a vitoriosa campanha do Clube Português do Recife, conquistando os títulos nacionais masculino e feminino, fazendo uma dobradinha pernambucana nas terras do Sul,  levantando de forma inquestionável as taças de campeões, o outro representante do Estado na competição, o Sport/Jaguar, impôs um vexame sem precedentes na modalidade.

Foram eliminados da competição, sendo impedidos de entrar em quadra em alguns jogos. Quando conseguiam entrar na quadra, os árbitros não iniciavam a partida. O time estava irregular, causando uma vergonha sem tamanho, com direito de ser assistida pela TV com transmissão pela internet.Toda esta confusão se deu em razão da aventura do dirigente Márcio Ferreira Bezerra. O conhecido “Professor” inscreveu uma pessoa para ser o técnico de sua equipe, mas o mesmo não estava presente no campeonato, numa afronta ao regulamento da competição, que é muito claro quando exige a presença de um técnico registrado para que a equipe possa jogar.

O fato é que, com a ausência do técnico registrado, o “Professor”, assim mesmo, entre aspas, que não tem sequer registro no Conselho Federal de Educação Física, fazia o papel deste profissional, atuando indevidamente como o técnico da equipe.

Comentam que isto já é um costume deste falso profissional, ele exerce indevidamente a profissão, se comportando como um verdadeiro charlatão, um audacioso, desfilando  pelas quadras do Brasil.

O mais vergonhoso deste triste episódio, é que muitos dos atletas do Sport/Jaguar, tanto do masculino, como do feminino, pagaram as passagens do próprio bolso, ou recorreram a ajuda dos pais, parentes e amigos que viram o seu suado dinheiro ir para o ralo por conta da inconsequência deste “Professor”.

E agora, a pergunta premiada: Quem vai pagar a conta destes atletas e dos seus pais?

Que Orgulho! Que Vergonha!

*Ex-atleta de Handebol


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Jorge neto

Quem escreveu essa matéria não sabe oque ocorre no dia a dia do clube e muito menos como o professor Márcio luta para todas as categorias do nosso clube jogarem e evoluírem dentro de um ambiente esportivo com honestidade!! Denegrir a imagem do professor Márcio, mostrasse como o trabalho dele incomoda certas pessoas. PST

Thaisa Vitoria

Orgulho pelo excelentes trabalho de Márcio Bezerra, o qual fez 90% do nome Clube Portugues. Atualmente se encontra em um novo clube e infelizmente não é reconhecido pelo que faz! Não tem nada de vergonhoso, na verdade vergonhoso é essa matéria que é repugnante. Vergonhoso é citar um “falso profissional” onde só houve profissionalismo desde quando o handebol nem sequer era reconhecido, enfim, orgulho de participar dessa esquipe Sport/Jaguar, orgulho de todo dia vê que o trabalho que é concluído, orgulho de uma equipe Masculino e Feminino, que joga limpo, com HONESTIDADE, que tá sempre em busca de melhorias, Orgulho de uma comissão técnica. Paz! Márcio, todos nós temos orgulho do excelente profissional e da pessoa que você é!

Akkaui de Souza Carvalho

Total repúdio sobre esse tipo de matéria! Onde já se viu tentar denegrir a imagem de alguém que fez, faz e planeja fazer muito pelo desporto (no geral) no estado!? Vergonhoso! Sou atleta do próprio Professor, diretor, educador a anos, e vejo seu esforço em fazer tudo em excelência! Invejosos de plantão que fazem de tudo para prejudica-lo, tentam fazer com que seu nome seja sujo por meio de matérias como essas. Pobres coitados, que nao sabem o que é trabalho árduo. Todos os dias quebrando barreiras chulas criadas para prejudicar o crescimento. Sou atleta e estou fechado com esse projeto!

Juliete Milena

eu não sei se fico triste ou com vergonha de ler um texto altamente tendencioso desse, baixo, destorcido, tentando abalar a imagem de uma pessoa como Márcio bezerra, que fez tanto e faz pelo handebol pelo esporte em Pernambuco. Engraçado é que quando se é do “outro lado” tudo é possível, quantos e quantos títulos foram ganhos por professores do clube português que não tinham autorização de estar ali? Vergonha, vexame, falta de caráter, jogo sujo, vocês que estão passando! Lamentável!

Ricardo

Mas como um homem pode falar tão mal de outro sem nem o conhecer, vergonha vc falar de um técnico respeitado em todo o pernambuco principalmente em sua cidade onde fez um belo trabalho e hj continua fazendo no sporte clube , se ele não compareceu ao local teve algum motivo e antes de escrever uma matéria denegrindo alguém procure saber o lado dela .


Prefeitura de Ipojuca

10/12


2019

Sinal dos tempos

Por Alexandre Garcia

Começou dezembro. Começou o fim do ano. E vai terminando o primeiro ano do novo governo. O que fica?

Taxa básica de juros a mais baixa da história da Selic. Inflação abaixo da meta. Contas externas equilibradas. Recuperação da maior recessão da história. 

Ainda endividamento público altíssimo, por causa de um estado gordíssimo. 

Reforma da Previdência feita, mas reformas tributária e administrativa ainda por fazer. Pacote anticrime e prisão em segunda instância ainda por fazer, deixando a impunidade como presente de Natal para assaltantes, corruptos e bandidos em geral.

As iniciativas do presidente, promessas de campanha, ainda esbarram na lentidão do Legislativo, preso a uma cultura que demora a se atualizar.  

Mas a cultura de um novo Brasil já derrubou os homicídios pelo empoderamento das leis e da polícia. 

Ninguém mais meteu a mão na Petrobrás, ou dos fundos dos Correios, ou no Banco do Brasil e na Caixa Econômica. Não precisa de aval do líder do PT para fechar negócio com a Petrobras.

O BNDES voltou a ser banco nacional e não internacional para financiamento de ditaduras amigas. 

Estradas intermináveis por aditamentos contratuais agora são concluídas pelos batalhões de engenharia do Exército e atoladouros foram convertidos de asfalto bem construído. 

A divisão de poderes, característica da democracia, retornou ao sonho de Montesquieu: o Executivo não se mete no Judiciário nem no Legislativo e os respeita. 

Mas quem manda em ministério é o chefe do Executivo e não os chefes de partidos políticos.

A política externa se move pelo pragmatismo, entre Estados Unidos e China, entre árabes e israelenses, entre Mercosul e União Europeia. 

O interesse é o do Brasil, não de ideologia velha e fracassada, como a que inventava o Mais Médicos para financiar a ditadura sessentona. 

Embaixadas deixam de ser diretórios partidários, como a que abrigou Zelaya em Honduras.

Não se compram jornais, como quando estourou o mensalão e se pretendia alugar a omissão ao custo de um punhado de publicidade com os impostos de todos. 

Não se conseguiu ainda deixar escolas sem partido, universidades federais sem a velha ideologia falida – esse será um resgate demorado, num deserto de ideias, inçado por raízes de maus frutos.

Governo conservador nos costumes e liberal na economia. Fórmula de fortalecimento moral de um país que aspira a ordem que leva ao progresso. De outro, a liberdade econômica, que gera pesquisa, trabalho, tecnologia, produtividade e distribuição da renda pela mão invisível do mercado.

Também foi um ano de choro e ranger de dentes dos derrotados, que vivem de disse-me-disse, como candinhas lavadeiras. 

A militância agarra-se a novas matrizes, inventadas pela orfandade da esquerda americana, depois do fim da mãe Kremlin. Seus porta-vozes agitam bandeiras exóticas que empalidecem, divorciadas dos brasileiros que já não aguentam tanto engodo. Tudo isso pode ser sinal do fim de décadas de desmonte de valores nacionais, familiares e pessoais. E prenúncio da alvorada de novos  tempos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/12


2019

Recife sedia entrega do 1º Prêmio Minerva

No Dia Internacional da Declaração Universal dos Direitos Humanos, hoje, das 19h às 21h, na sede da Câmara de Comércio Americana-AMCHAM, no Pina, o presidente Nacional da Academia Brasileira de Ciências Criminais – ABCCRIM, Cristiano Carrilho, comandará a entrega do 1º Prêmio Minerva de Inteligência.

As melhores práticas de legalidade, eficiência e inteligência receberão a homenagem. Pessoas e organizações que contribuíram para os objetivos do desenvolvimento sustentável da agenda 2030 da ONU também. 

Na ocasião, acontecerá apresentação de atrações culturais, musicais, exposições e o lançamento do livro “Previdência e Trabalho em debate”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Abreu e lima

10/12


2019

PF investiga pagamentos da Oi e da Vivo para Lulinha

A Polícia Federal deflagrou, hoje, a 69ª fase da Operação Lava Jato, por ordem da 13ª Vara Federal de Curitiba, na investigação de propinas do grupo Oi/Telemar para uma empresa de Fábio Luis Lula da Silva, o “Lulinha”, um dos filhos do ex-presidente Lula.

Trata-se de desdobramento da 24ª fase da Lava Jato, em que o ex-presidente Lula foi levado a depor coercitivamente. São cumpridos 47 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Distrito Federal.

Também são cumpridos mandados de busca e apreensão para apurar indícios de irregularidades no relacionamento entre o grupo Gamecorp/Gol com a Vivo/Telefônica.

A operação Mapa da Mina, como foi denominada esta fase, investiga corrupção, tráfico de influência e lavagem de dinheiro por meio de contratos da Oi, operadora de telefonia, internet e TV por assinaturas, no Brasil e no exterior, com pagamento de propinas estimadas até agora em R$193 milhões, entre 2005 e 2016.

O Ministério Público Federal (MPF) confirmou que são investigados repasses financeiros suspeitos do grupo Oi/Telemar em favor de empresas do grupo Gamecorp/Gol, controladas por Fábio Luis Lula da Silva, Fernando Bittar, Kalil Bittar e Jonas Suassuna entre 2004 e 2016.

Esse pagamentos ultrapassaram R$132 milhões, sem justificativa econômica plausível. Segundo o MPF, isso ocorreu ao tempo em que o grupo Oi/Telemar foi beneficiado por diversos atos praticados pelo Governo Federal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

10/12


2019

A semente foi plantada e dela brotou o Integree

Por Mariana Teles*

2019 trouxe desafios imensos. Tem sido um ano que combina com tudo, menos com zona de conforto. Essa postagem poderia ser apenas reforçando o convite para nosso lançamento do Instituto Integree logo mais, mas exige uma reflexão maior sobre todo o caminho que nos trouxe até aqui. 

Nunca encarei nada que eu fizesse na vida apenas pela finalidade imediata. Acredito que os fins urgentes nos empurram para meios duvidosos. E aí é impossível construir sentido e estabelecer propósito. 

A advocacia só se torna apaixonante, quando o sentido em ser advogada é maior do que qualquer outro aspecto. Quando atinge o coletivo, quando repensa a cultura e quando deixa de ser apenas a resolução do grande litígio, e passa a ser o caminho que evita que ele desperte. 

Com isso na cabeça, muita coragem e a força absurda dos que me cercam, tiramos do papel a @mtcompliancepe - que já começou abraçando grandes desafios para muito além do que imaginávamos. 

Recrutei um time jovem, pensando à frente e realizando com uma energia incrível. Confesso que tem sido um aprendizado imenso tentar administrar gente, processos, prazos, resultados, contas. 

Mas é justamente nesse redescobrir que tenho me visto sob óticas tão diferentes e realizando um encontro diário com o propósito. 

Já dizia minha mãe que Deus faz e a vida junta. E eu sigo concordando. Nesse ano tão difícil, desafiador e cheio de grandes guerras internas a se vencer todos os dias, a chegada na militância mais próxima do sistema OAB me trouxe Isabela Lessa e Clarissa Lima, exatamente nessa ordem. 

Estávamos as três, com nossos projetos simultâneos começando a acontecer com mais força, consolidando estratégias e caminhando. Mas faltava algo. 

Algo que não seria excludente, mas nos levaria a fortalecer ainda mais nosso propósito dentro do que escolhemos para atuar: a integração.

Surge o INTEGREE – nasce a vontade de integrar, transformar e trabalhar com aquilo que nos rouba os olhos, o tempo, a energia, mas nos devolve uma certeza imensa de caminho certo. 

Hoje vamos reunir os amigos e lançar não um Instituto,  mas uma ideia, um movimento. É hora de dividir e convidar vocês para integrar e transformar. Vamos [email protected]!

*Advogada


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

10/12


2019

Lava Jato mira em contratos de telefonia e internet

A PF está nas ruas, na manhã de hoje, para realizar uma nova etapa da Operação Lava Jato que apura crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e tráfico de influência envolvendo contratos de operadoras de telefonia, internet e TV por assinatura que atuam no Brasil e no exterior.

Agentes cumprem 47 mandados de busca e apreensão expedidos pela 13ª Vara Federal de Curitiba. A ação é um desdobramento da 24ª etapa da Lava Jato, a Aletheia, que, em março de 2016, levou coercitivamente o ex-presidente Lula para depor em uma sala no Aeroporto de Congonhas. Cerca de 200 policiais, além de fiscais da Receita, participam das ações em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e no Distrito Federal, segundo o Blog do Fausto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

10/12


2019

Paulo Câmara estreita relações com o Panamá

O governador Paulo Câmara estará, hoje, na Cidade do Panamá, capital do Panamá, país localizado na América Central, onde terá uma série de compromissos comerciais e institucionais. A visita reforça as relações do Governo de Pernambuco com a administração pública panamenha e com setores da economia local.

Em sua primeira agenda do dia, Paulo Câmara visitará a vice-administradora da Autoridade de Turismo do Panamá, Denise Guillén.

Em seguida, Paulo participará da inauguração da Expologística. A feira de negócios na área de cargas terrestres, aéreas e marítimas contemplará uma série de conferências sobre o setor, entre elas, comércio em geral e importações e exportações.

À tarde, o governador se reúne com o administrador do Canal do Panamá, Ricaurte Vásquez, com o ministro de Assuntos Marítimos do país, Noriel Araúz, e com representantes da Zona Livre de Colón.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Shopping Aragão

10/12


2019

Governo edita MP para legalizar posses rurais

O presidente Jair Bolsonaro marcou para hoje, às 18h, a cerimônia de assinatura da nova medida provisória destinada à regularização de posses em áreas rurais.

A MP da regularização fundiária prevê a legalização de 300 mil posses em assentamentos. Dessas, 147.316 já têm georreferenciamento executado, sendo 127.816 na Amazônia legal, ou seja, cerca de 86%.

Sua edição e de outros dois decretos sobre o tema, que deverão ser anunciados hoje, formam um pacote considerado pelo governo como um de seus mais ambiciosos projetos sociais. Clique aqui e confira a matéria do jornalista Tales Faria na íntegra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/12


2019

Bebendo da fonte do poder

Antes de embarcar, ontem, para a Cidade do  Panamá, capital do Panamá, para celebrar parcerias portuárias, o governador Paulo Câmara antecipou a confraternização de fim de ano com sua base parlamentar na Assembleia Legislativa. Entre os que fizeram tintim entre taças de um bom escocês para um Natal de bênçãos e  2020 na paz política, uma espécime da oposição - João Paulo Costa (Avante), filho do ex-deputado federal, o barulhento Silvio Costa, que morre de saudade do poder, e Alberto Feitosa (SD), que, embora ainda governista, age e trabalha exibindo DNA oposicionista. 

A presença de ambos roubou a cena dos mais destacados nobres parlamentares do banquete, como o presidente Eriberto Medeiros, sucessor de Guilherme Uchoa, já  falecido, fato novo na fauna política do Estado pelo pulso forte na condução do Legislativo sem recorrer ao modismo repugnante de  factóides. 

Por isso, as pitadas de gracinhas e ironias em direção a João Costa e Feitosa predominaram ao longo da confra entre um gole esmaltado e uma garfada no gordo peru preparado em grande estilo pelo chefe da cozinha palaciana. Primeiro, porque o filho de Silvio parece ser carta incluída no baralho governista a ser traçado em 2020.

Segundo, porque nada melhor do que o espírito natalino para quebrar o gelo entre o governador e Feitosa. Um dos parlamentares mais atuantes e preparados da Casa, Alberto Feitosa  anda de relações abaladas com o Governo desde que assumiu o protagonismo dialético em defesa das emendas impositivas. 

Feitosa bate tão acidamente  no Governo e em Câmara que mais parece um bolsonarista. Aliás, o que as paredes do Palácio das Princesas falam e a rádio corredor propala é que o deputado tem roupagem para ser apresentado entre os prefeituráveis no Recife como aquele que vai receber as bênçãos de filho adotivo do presidente Bolsonaro.

Festas de fim de ano tem dessas coisas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/12


2019

Triunfo abraça o romantismo de Moacyr Franco

As festividades do Natal de Luz de Triunfo, a charmosa cidade do frio serrano do Sertão, hoje no comando do piloto automático do sebastiano (integrante da corrente do deputado federal Sebastião Oliveira) João Batista (Avante), foi aberto sábado passado e se estenderá até o próximo dia 6 do novo ano da graça. 

A cidade está muito mais linda ainda, com seus casarões históricos embelezados e floridos pelas cores da celebração do nascimento de Jesus, Salvador da humanidade, dono da chave do portão da eternidade. 

Batista mobilizou alunos do ensino fundamental das escolas municipais para ornamentar o casario de Triunfo. Há muito, o Natal de Triunfo é um dos mais tradicionais e concorridos do Nordeste. A celebração da data, dosada entre o profano e o religioso, foi cuidadosamente pensada para ser harmoniosa e emocionante, com doses capazes de quebrar os mais duros corações, seja ou não cristãos.

No profano, o prefeito caprichou. Entre as atrações nacionais para soltar a voz em praça pública, o cantor Moacyr Franco, que ficou meu amigo depois de abrir o coração numa belíssima entrevista ao Frente a Frente, há dois anos. Sou presença garantida na tietagem.

Seu show, com direito a reprodução do seu melhor repertório de embalar corações apaixonados, acontece no próximo sábado. Minha única dúvida é saber se a histórica pracinha de eventos, margeando o belo e histórico Cine Guarany, recuperado na gestão Eduardo Campos, vai caber a legião de fãs do cantor dor de cotovelo.

Além do astro sagrado do romantismo, as noites natalinas de Triunfo terão Dérico do Jô Soares,  no dia 28, e Dorgival Dantas, no dia 29. 

Um conselho aos desavisados: se não tiver com o coração em dia, melhor fazer antes uma revisão do bichinho. Para suportar tantas emoções, como diz uma música do rei Roberto Carlos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/12


2019

O poderoso jornalista que malufou o Correio

Morreu, ontem, em Brasília, o jornalista Ronaldo Junqueira, meu ex-chefe no Correio Braziliense, jornal que dirigiu por muitos anos, no tempo da pílula dourada do poder da notícia em papel. Junqueira soube usar a carta branca que os caciques dos Diários Associados lhe conferiram, transformando-se no mais poderoso jornalista de Brasília, entre meados dos anos 1980 até a década passada.

Ele dizia que fez o curso de Jornalismo em cinco minutos, numa visita à sucursal brasiliense do extinto Jornal Última Hora, na década de 1970.

“Fui lá vender livros e acabaram me dando uma pauta sobre a visita do casal de príncipes japoneses a Brasília”, contou ele numa entrevista ao site Extra Pauta.

Depois disso, Junqueira passou por redações de várias sucursais do DF, entre elas a do Jornal do Brasil. Mas a história profissional de Ronaldo Martins Junqueira atingiu o auge profissional no período em que dirigiu a redação do Correio Braziliense, época em que o jornalismo impresso tinha mais influência, por não concorrer com a mídia eletrônica dos tempos atuais.

Ele dirigiu o maior e mais influente jornal da Capital Federal em momentos como a eleição da primeira bancada federal do DF, a derrota das Diretas Já no Congresso e a eleição indireta que marcou o fim da era dos presidentes militares com a eleição de Tancredo Neves no colégio eleitoral.

Nesses dois episódios, inclusive, à frente de uma empresa de consultoria política, prestou serviços ao candidato Paulo Maluf. Outro político por quem Junqueira tinha admiração era o ex-governador Joaquim Roriz. 

Quando Roriz foi eleito, em 1991, o jornalista já estava em voo empresarial solo, lançando o semanário Jornal da Comunidade. Em seguida, criou o tabloide diário Coletivo, que também já parou de circular.

Junqueira foi casado três vezes, mas morreu sozinho. No período em que estive no Correio Braziliense nunca me saem da memória suas orientações de pauta para encher a bola de Paulo Maluf, candidato ao Planalto na eleição indireta do colégio eleitoral que elegeu Tancredo Neves.

No meu livro Histórias de Repórter, que traz bastidores que vivi no plano nacional e na aldeia, conto o episódio em que, no auge da disputa no colégio eleitoral, Junqueira reuniu os editores do Correio para mandar um curto recado: o jornal malufou.

Malufar era conjugar corrupção e picaretagem. A cada adesão que Paulo Maluf roubava entre os pares de Tancredo, a manchete "Fulano malufou". O malufismo do Correio Braziliense foi escancarado, levando o jornal mais poderoso da corte ao descrédito.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/12


2019

Avião militar do Chile desaparece com 38 pessoas a bordo

Aeronave, que seguia rumo à Antártida, perdeu contato com radares pouco mais de uma hora após a decolagem. Força Aérea do país admite possibilidade de queda.

Base aérea chilena Presidente Eduardo Frei Montalva, na Antártida Força Aérea do Chile/Reprodução

Da Veja

 

Um avião Hércules C-1130 da Força Aérea Chilena perdeu contato com radares na noite desta segunda-feira 10. A aeronave partiu da cidade de Punta Arenas rumo à base aérea Presidente Eduardo Frei Montalva, na Antártida, com 38 pessoas a bordo. Cerca de sete horas após o desaparecimento dos radares, a corporação admitiu a queda da aeronave, mas segue desconhecendo a localização onde poderia ter ocorrido suposto acidente. Buscas são conduzidas por sobreviventes.

Segundo a Força Aérea Chilena, o avião decolou às 16h55 (horário local e de Brasília) da Base Aérea Chacabuco, em Punta Arenas, e perdeu contato pouco mais de uma hora depois, às 18h13, quando se dirigia à Base Aérea Antártica Presidente Eduardo Frei Montalva.

De acordo com comunicado do órgão militar, o avião cumpria tarefas de apoio logístico rumo à base aérea Presidente Eduardo Frei Montalva, na Antártica.

O presidente do Chile, Sebastian Piñera, e os ministros de Interior e da Defesa, Gonzalo Blumel e Alberto Espina, respectivamente, embarcaram para Punta Arenas para acompanhar os trabalhos de buscas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/12


2019

Doria diz que afastará PMs que participara da ação em Paraisópolis

Governador se encontrou com familiares dos nove mortos durante baile funk.

Governador João Doria em entrevista coletiva antes do GP Brasil de Fórmula 1, no Autódromo de Interlagos Kaio Lakaio/VEJA

Da Redação da Veja

 

Durante reunião no Palácio dos Bandeirantes, nesta segunda-feira 30, com familiares dos nove jovens mortos em ação da PM na comunidade de Paraisópolis, o governador João Doria se comprometeu a afastar dos serviços de rua os 38 policiais militares envolvidos no caso. A promessa de Doria foi registrada por Dimitri Sales, advogado do Conselho Direitos Humanos SP – Condepe, entidade presente no encontro.

“Em reunião com Conselho Direitos Humanos SP – CONDEPE, OAB/SP, familiares e líderes comunitários, o Gov. João Doria assumiu o compromisso de afastar das ruas todos os 38 policiais militares que atuaram na operação que resultou na morte de nove jovens no Massacre de Paraisópolis”, escreveu Sales nas redes sociais.

Parentes das vítimas também confirmaram o compromisso do governador durante o encontro. Em coletiva de imprensa, a procuradora-geral do Estado de São Paulo, Lia Porto, também presente na reunião, declarou que eventuais indenizações não foram abordadas.

Na madrugada do domingo 1º de dezembro, nove jovens morreram em São Paulo durante a realização de um baile funk na comunidade de Paraisópolis, zona sul da cidade. Vídeos divulgados mostram a ação cruel de policiais militares encurralando os jovens em becos sem saída e batendo com cassetetes, chutes e tapas, além do disparo de balas de borrachas e bombas de gás lacrimogêneo. Os militares envolvidos estão sendo investigados.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/12


2019

Podemos expulsa Feliciano, mas direção nacional derruba decisão

O processo disciplinar tem como base acusações que vão de um tratamento dentário de 157 mil reais reembolsado pela Câmara até assédio sexual no gabinete.

Deputado Marco FelicianoArquivo/Agência Brasil

Por Da Redação da Veja

 

O diretório paulista do Podemos decidiu expulsar o deputado federal Marco Feliciano da legenda, na tarde desta segunda-feira 9. Em seguida, porém, a decisão foi avocada pelo diretório nacional do partido. Ou seja, a executiva nacional chamou para si a decisão de julgar a denúncia feita contra o parlamentar.

O processo disciplinar contra Feliciano é baseado em uma série de acusações, entre elas, o reembolso pela Câmara de um tratamento dentário no valor de 157 mil reais. A despesa veio a público em uma reportagem do jornal O Estado de S. Paulo em agosto deste ano.

Contra o deputado pesam também acusações de assédio sexual em seu gabinete, recebimento de propina, pagamento de funcionários fantasmas e até comentários contra o cantor Caetano Veloso. A reunião do diretório paulista acabou na condenação do parlamentar por unanimidade (oito votos). O processo, porém, seguirá novo rito na esfera de comando nacional do partido.

De acordo com nota divulgada pela Executiva Nacional, o diretório estadual não tinha competência para decidir a questão. “O processo disciplinar que pode resultar na expulsão do deputado federal Marco Feliciano foi avocado pela Comissão Executiva Nacional, na forma do artigo 65 do estatuto partidário. Resulta, portanto, na ausência de competência estatutária para a decisão proferida na reunião estadual de São Paulo para este caso específico.”

A tentativa de expulsão de Feliciano ocorre em um momento em que o Podemos tenta se desvencilhar do governo Bolsonaro. O parlamentar, que é pastor evangélico, é bolsonarista fervoroso. A expulsão de Feliciano é uma das principais condições impostas por parlamentares que avaliam ingressar na legenda e que interessam ao Podemos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores