Faculdade de Medicina de Olinda 2

20/09


2019

Sudene vai realizar consulta pública na Agrinordeste

A Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste realizou o diagnóstico produtivo, econômico e de políticas públicas para o setor agropecuário e agroindustrial da sua área de atuação, constatando as atuais políticas públicas que interferem no setor e as potencialidades e entraves deste mercado. O Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE) elaborado pela instituição também contempla diretrizes e ações voltadas para o setor.

Agora a Sudene quer ouvir a sociedade, que pode contribuir com a sugestão de ações que possam incorporar esse trabalho. Os interessados devem acessar o site da Sudene (www.sudene.gov.br) e seguir as orientações contidas na página. A agropecuária é uma das principais atividades da economia brasileira, sendo a produção do campo responsável por 5 a 7% do PIB nacional. A contribuição para o PIB chega próximo de 26% quando se agregam as etapas anteriores e posteriores ao campo. O Nordeste, com uma população superior a 50 milhões de habitantes, possui 20% do território brasileiro onde vivem 29% da população do país. Cabe destacar, que na região residem 23,5% da população urbana do Brasil e 46% de sua população é rural.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Detran

Confira os últimos posts



15/10


2019

Frente a Frente na TV

Meu almoço hoje foi de negociações em torno do meu programa de TV no canal YouTube com uma superprodução da produtora ZRG, prestadora de serviços da TV-Globo, sob a coordenação de Marcelo Carvalheira. Aguarde!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

13° Bolsa Familia

15/10


2019

Anderson vê omissão do Estado sobre poluição

Pernambuco é um dos nove estados nordestinos que teve praias atingidas pelas manchas de petróleo, desde setembro. No entanto, não se vê iniciativa do Governo Estadual em defesa dos municípios afetados. A observação é feita pelo prefeito do Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, que está preocupado com o risco de a orla da cidade – e até mesmo os rios – serem tomados pela poluição. Ele lembra que a Bahia já decretou estado de emergência e em Sergipe foi dado prazo ao Governo Federal para encontrar uma solução para evitar a chegada de mais manchas. Por isso Anderson vê omissão por parte do governador Paulo Câmara.

“O País todo está atento ao que está acontecendo nas praias do Nordeste, mas em Pernambuco nossas autoridades estaduais estão omissas. Estamos no período de desova das tartarugas, temos rios desembocando no mar e uma vida marinha incrível que está correndo risco. E qual a atitude que o governador Paulo Câmara tomou? Até agora está omisso. É uma situação preocupante e estou cobrando responsabilidade do Estado”, dispara Anderson Ferreira. No Jaboatão, a fiscalização é realizada diariamente pela Superintendência de Meio Ambiente, ao longo dos oito quilômetros de orla.

O prefeito jaboatonense diz que é preciso que o Governo volte as atenções para o que está acontecendo, “porque não existe orientação de como os moradores da orla possam lidar com esse problema”. “Essas manchas de petróleo, além de causarem crime ambiental, atingem diretamente a economia, causando prejuízos aos setores da pesca e turismo”, comenta.

Nos nove estados do Nordeste, 166 localidades de 72 municípios apresentam manchas de petróleo. Em Pernambuco, foram registrados casos no Recife, Goiana, Ipojuca, Tamandaré, Cabo de Santo Agostinho, Paulista, Itamaracá, Olinda e São José da Coroa Grande.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Roberto de Lima Barros

Só imbecil poderia falar isso 9 estados poluídos e a culpa é de Pernambuco e não do governo federal que só saber dizer que a Venezuela é a culpada e o que de fato esta fazendo para mim deveria ver que isso só prejudica o nordeste e mas nenhum fora do nordeste sera que alguém queria prejudicar o nordeste e quem ganha com o nordeste sendo prejudicado na economia com o turismo e a pesca?


Prefeitura de Limoeiro

15/10


2019

Sivaldo: Marco Aurélio é mestre na arte de destratar

Por Sivaldo Albino*

Com relação ao nervosismo do deputado Marco Aurélio, que é mestre na arte de destratar os colegas, é verdade que sou leal ao governador Paulo Câmara, até porque a lealdade (e não o oportunismo) tem sido minha postura desde quando assumi meu primeiro mandato de vereador, em 2001.

Sou fiel a um líder que tem transformado a vida das pessoas. Não é por acaso que a Folha de São Paulo o considera um dos melhores gestores do país. Sempre fui fiel e leal aos meus atuais líderes e muito grato àqueles a quem servi no passado. É assim que se faz a boa política. Por isso que fico sem saber se a Dilma à qual o companheiro Marco Aurélio se refere, é aquela da qual o senador Fernando Bezerra foi ministro e fiel escudeiro poucos anos atrás. Porque isso só evidencia sua contaminação com a deslealdade e a ingratidão.

Até entendo a agressividade do caro colega, até porque não é fácil explicar o prejuízo de 200 milhões que lamentavelmente seu senador causou ao estado. Oportuno dizer ainda duas coisas: primeiro que não se exerce mandato de deputado quem não o conquista com as bênçãos de Deus e o voto de seus eleitores, razão pela qual, na Alepe, o voto do deputado eleito vale tanto quanto o voto do suplente em exercício de mandato; segundo, que se o povo de Pernambuco não reconhecesse a seriedade e a competência do governador Paulo Câmara, o mesmo não teria sido reeleito em primeiro turno, como poucos tiveram esse privilégio nas últimas eleições, no Brasil".

*Deputado estadual pelo PSB


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/10


2019

Primeiro júri virtual é realizado com sucesso

O primeiro júri virtual após as novas normas estabelecidas pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) serem aprovadas foi realizado com sucesso. O julgamento ocorreu na Comarca de São José do Belmonte, onde o processo tramitou, enquanto o réu que foi julgado encontrava-se em outro Estado.

Os trabalhos do júri foram encerrados ontem, conforme comunicado emitido pelo corregedor-geral da Justiça, desembargador Fernando Cerqueira. Na ocasião, o magistrado manifestou que este é o futuro que já se apresenta como realidade no âmbito da justiça, sendo justo destacar que, para o êxito da iniciativa, foi fundamental o apoio da equipe de informática da Corregedoria.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Magno coloca pimenta folha

15/10


2019

Riva Bezerra deve disputar a Prefeitura do Cedro

O presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, acompanhando da deputada estadual Roberta Arraes, abonaram a ficha de filiação da empresária Riva Bezerra, pré-candidata à Prefeitura do município do Cedro, no Sertão.

Riva é considerada uma revelação nos novos quadros políticos da localidade. Segundo apoiadores, ela oxigena a política local e está sintonizada com as bandeiras defendidas pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

15/10


2019

Operação tem nome de marionete

A Polícia federal batizou de "Guinhol" a operação de busca e apreensão realizada, na manhã de hoje, em endereços ligados ao deputado Luciano Bivar (PSL-PE).

Guinhol é o nome de uma marionete, personagem do teatro de fantoches criado no século XIX em Lion, na França. De fato, a operação investiga marionetes usadas pelo PSL na campanha eleitoral de 2018.

Não está claro ainda quem é exatamente a marionete que a PF busca e de quem são os dedos que operavam os cordões do fantoche. Clique aqui e confira a matéria do jornalista Tales Faria na íntegra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/10


2019

Palavra de ministro não vale nada

Por José Nêumanne*

O baiano Rui Barbosa era um nobre republicano. Tido e havido no Segundo Império como uma espécie de senhor absoluto da palavra justa e da causa mais nobre, cumpriu a missão de escrever a primeira Constituição da República, enfrentando o desafio de transformar monarquia morta em República longeva. Antes de liderar a campanha pela primeira anticandidatura da História, sem vergonha de um improvisado e canhestro Estado de Direito, nisso se antecipando ao caipira paulista Ulysses Guimarães, viu-se às voltas com a inexistência no novo sistema de governo de uma figura como o imperador deposto. Dom Pedro II, amado pelo povo, estadista confiável, exercia o chamado “poder moderador”, ou seja, dava a palavra final nas discussões intermináveis entre “luzias” (liberais) e “saquaremas” (conservadores) empenhando cada fio branco de sua barba.

Constituições sempre constituíram expressões de vencedores na mui briosa e pouco ciosa Realpolitik brasileira, seja sob o brasão da corte dos Bourbons, seja sob o patrocínio positivista, com o qual os republicanos reivindicaram o estilo imposto pelas armas comandadas por um marechal enfermo e outro de espírito tirânico e mão de ferro, ambos egressos da modesta província imperial das Alagoas. E esta ainda nos legaria outro chefe de governo, Fernando Collor, um século depois das desventuras patrocinadas pelos pais do militarismo na gestão pública nacional. Sob o império da lei imposta pelos coronéis da República Velha, assumiram o mando em sequência os tenentes de 1930 e os generais que depuseram o herdeiro do getulismo, que antes havia possuído a própria Constituição, escrita pelo respeitável jurista Francisco Campos, o Chico Ciência, fundador da jurisprudência da ditadura fascistoide do Estado Novo.

Nesta esdrúxula situação em que a chamada Carta Magna reassume diariamente sua denominação da nobiliarquia deposta, o desmoronamento do regime militar instalado em 1964 e constituído em 1967 ressuscitou o dilema que deve ter feito o baixinho baiano cofiar seu encorpado bigode encanecido. Depositário das esperanças na construção do Estado de Direito, o profissional da política Tancredo Neves empenhou sua sabedoria de capiau das Gerais inventando uma comissão de juristas notáveis para redigirem uma proposta de rascunho da Constituição sob cuja égide a chamada Nova República reporia as coisas no lugar, com as bênçãos da deusa grega Atena. O documento resultan