Faculdade de Medicina de Olinda

21/08


2019

Sintraf leva a Paulo propostas para melhorar agricultura

O seminário ‘Todos por Pernambuco’, promovido, na manhã de hoje, pelo Governo do Estado, reuniu prefeitos de várias regiões, deputados, vereadores, representantes de sindicatos e a população local na quadra poliesportiva da Escola de Referência em Ensino Médio Professora Maria Wilza Barros de Miranda – inaugurada na ocasião pelo governador Paulo Câmara, no bairro João de Deus, em Petrolina.

Na oportunidade, a presidente do Sindicato dos Agricultores Familiares do município (Sintraf), Isália Damacena, fez um discurso destacando as potencialidades da categoria e os desafios ao desenvolvimento socioeconômico da região.

Assistência técnica aos pequenos produtores; modernização e ampliação do sistema irrigado nas comunidades de Muquém, Porto de Palha e Pedra Grande; políticas públicas voltadas à cultura e ao esporte para jovens da zona rural; a Perenização do Riacho Pontal; e a destinação de recursos para aquisição de equipamentos e qualificação dos apicultores do Vale do São Francisco foram algumas das demandas apresentadas por Isália durante o evento.

Moradora do Núcleo 4 do Perímetro de Irrigação Nilo Coelho, a presidente do Sintraf encerrou sua participação reivindicando ao Governo do Estado e à prefeitura um melhor tratamento da água que abastece as agrovilas, no interior da cidade. “A água que consumimos é totalmente bruta, sai diretamente do Rio São Francisco para nossas torneiras, através dos canais a céu aberto. Até as plantas das áreas empresariais de produção têm acesso à água com melhor tratamento”, salientou. Após seu discurso, a líder sindical entregou um relatório de propostas a Paulo Câmara.

O seminário Todos por Pernambuco continuou com a fala do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, e de outras lideranças regionais. Em seguida houve a participação do chefe do Executivo estadual, que fez um balanço das ações de governo até agora. Sua comitiva está rodando o estado com o objetivo de ouvir a população e nortear as ações governamentais de 2020 a 2023. Durante toda a manhã, foram debatidos pontos importantes nas áreas de Saúde, Segurança Pública, Desenvolvimento Rural, Saneamento e Educação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE

Confira os últimos posts



15/09


2019

Oposição reúne 171 assinaturas para a CPI da Lava jato

Foto/fonte: polemica paraiba

Por Carlos Brickmann

E, para evitar novos incômodos, um grupo de deputados (do PT e partidos anexos, com a única exceção do pedetista cearense André Figueiredo) propôs uma CPI da Lava Jato.

A informação que divulgam é de que já reuniram as 171 assinaturas necessárias.

Tudo agora depende de Rodrigo Maia tocar ou não em frente a instauração da CPI. Sem investigações a vida é bem melhor.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE

15/09


2019

Boatos: presidente da Odebrecht pode perder cargo

A terra treme

A sombra de Marcelo: voltam boatos de que presidente da Odebrecht deve perder o cargo

Heuler Andrey | AFP
O Globo - Por Ancelmo Gois

 

Na semana em que Marcelo Odebrecht obteve progressão de regime e, após quatro anos, visitou a sede da empreiteira, voltaram os boatos de que Luciano Guidolin, presidente da empresa desde 2017, deve perder o cargo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura do cabo

15/09


2019

Bolsonaro avalia indulto a policiais condenados

Bolsonaro avalia conceder indulto individual a policiais condenados. Mesmo usando figura jurídica da graça, alguns dos casos citados não são passíveis de perdão.

(Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)
Folha de S. Paulo - Por Danielle Brant e Gustavo Uribe

O presidente Jair Bolsonaro avalia conceder graça, uma espécie de indulto individual, a policiais condenados.

A possibilidade está em estudo pelo Palácio do Planalto e foi confirmada à Folha por assessores presidenciais. A ideia é que o benefício seja publicado até o final do ano.

No final de agosto, o presidente havia afirmado que pretendia indultar policiais “presos injustamente” no país “por pressão da mídia”.

Dois dias depois, em almoço com jornalistas, citou como exemplos agentes envolvidos nos massacres do Carandiru, em São Paulo, e de Eldorado dos Carajás, no Pará.

E mencionou também policiais acusados –e absolvidos– pela morte de Sandro do Nascimento, responsável pelo sequestro do ônibus 174, no Rio.

Bolsonaro disse que daria o indulto aos que se enquadrassem nos critérios previstos em lei, sejam subordinados ou comandantes policiais condenados por crimes.

Diante das declarações do presidente, especialistas jurídicos e assessores palacianos viram ao menos dois problemas: em primeiro lugar, o indulto é um benefício de aplicação coletiva concedido a presos que tenham esgotado todas as possibilidades de recursos à sua condenação.

No caso do ônibus 174, não haveria por que conceder o indulto, considerando que os policiais foram absolvidos. No Carandiru, o julgamento que condenou os policiais foi anulado e um outro júri ainda está para ser marcado.

Há outro porém: os massacres de Carandiru e Carajás foram considerados homicídios qualificados, o que os torna crimes hediondos, não passíveis de ser indultados.

A saída encontrada pelo Palácio do Planalto foi estudar a concessão da graça presidencial, o que evitaria também uma terceira questão identificada –o indulto não poderia ser aplicado a categorias.

Assim, todos que eventualmente se enquadrassem nos parâmetros estabelecidos pelo texto seriam beneficiados –até mesmo condenados por violência contra policiais.

A graça, assim como o indulto, é de competência do presidente e não pode ser concedida a condenados por crimes hediondos. Segundo a Lei de Execução Penal, a graça, indulto individual, pode ser pedida pelo preso, pelo Ministério Público, por conselho penitenciário, ou pela autoridade administrativa.

Os policiais que não se enquadrassem em critérios para a concessão de indultos coletivos, como cumprimento de parte da pena em crimes sem grave violência, poderiam solicitar o benefício.

Dentro do governo, a possibilidade é vista como um experimento que pode dar certo, principalmente pela falta de regulamentação do benefício –os indultos natalinos são fixados por decretos.

Especialistas avaliam que, ainda assim, a concessão do indulto individual poderia ser contestada no STF (Supremo Tribunal Federal).

“É preciso que os critérios tenham como base a razoabilidade e valores éticos. O STF poderia derrubar graças concedidas que ferissem esses princípios”, afirma o advogado Marcio Sotelo Felippe, ex-procurador-geral do Estado de São Paulo. “Não pode afrontar valores que fundamentam a República.”

Outro risco apontado é o de a concessão da graça beneficiar, por exemplo, milicianos ou que seja vista como incentivo a abusos de autoridade por policiais, afirma o advogado Luciano Santoro, sócio do Fincatti & Santoro.

“É uma carta branca a policiais. E há dúvidas sobre a quais policiais se aplicaria: entraria a Polícia Legislativa? A Polícia Rodoviária Federal?”, questiona.

Apesar de a graça ser mais factível, uma ala dentro do governo ainda se debruça sobre a ideia do indulto, mesmo com as restrições legais já identificadas por especialistas.

Para eles, decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF, sobre o indulto concedido pelo ex-presidente Michel Temer ampararia os planos de Bolsonaro. No final de 2017, Temer publicou indulto beneficiando condenados por crimes do colarinho branco. 

Na decisão, Moraes, que foi acompanhado por seis ministros, reforçou a competência do presidente na concessão do indulto. Para o ministro, não cabe ao STF reescrever o decreto, pois se o presidente tiver extrapolado as restrições previstas em lei, o texto se torna inconstitucional.

Assessores do presidente avaliam que o voto de Moraes dá lastro para o governo defender a posição do presidente de que o poder de conceder indultos e comutação de penas é absoluto. As limitações seriam as previstas na Constituição, como crimes hediondos, tortura, terrorismo e tráfico de drogas.

Outros pontos da decisão são menos pacificados, como o entendimento de que a Constituição não limita o momento em que o presidente pode conceder o indulto, “sendo possível isentar o autor de punibilidade, mesmo antes de qualquer condenação criminal”.

No próprio governo, e parte da jurisprudência reforça a visão, há quem avalie que a graça ou indulto poderiam ser concedidos mesmo sem trânsito em julgado.

Isso porque, durante o processo, o magistrado pode entender que o acusado pode ser enquadrado em outros tipos penais. A concessão do benefício antes de condenação eliminaria a possibilidade.

O presidente da comissão especial de direito processual civil do CFOAB (Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil), Gustavo Badaró, considera que as declarações do presidente são “mais fumaça para gerar polêmica.”

“Com muita boa vontade, talvez ele pudesse indultar a pena antes do trânsito em julgado”, diz. “Ou ele poderia aprovar um projeto de lei que tirasse de determinado crime a natureza de hediondo. Deixando de ser hediondo, ele poderia indultar.”

Com a medida em estudo, Bolsonaro se alinharia a uma prática adotada pelo presidente americano, Donald Trump.

Ele concedeu graças e indultos que já beneficiaram, por exemplo, um comentarista político, um xerife e, a pedido da socialite Kim Kardashian, uma condenada à prisão perpétua por narcotráfico.

Mesmo sem ser um perdão, a decisão abreviou a pena de Alice Marie Johnson, detida no Alabama sem direito a condicional após condenação por lavagem de dinheiro e venda de cocaína em uma quadrilha.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/09


2019

"Decisão do STF sobre Lava Jato pode conturbar processos"

Decisão do STF sobre Lava Jato "pode conturbar processos", diz presidente do TRF-4. A decisão da 2ª Turma em favor de Aldemir Bendine configura uma situação inédita: pela primeira vez o STF anula uma sentença proferida por Moro e parcialmente confirmada pelo TRF-4.

Victor Luiz dos Santos Laus - Foto: Assessoria de Comunicação do TRF-4

Época - Luiz Antônio Araujo


O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) está cercado. Não por batalhões de repórteres e veículos de TVs e rádios como em 24 de janeiro de 2018, quando a 8ª Turma da corte julgou recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à condenação em primeira instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Desta vez, são gaúchos vestidos a caráter e cavalos que rodeiam a sede do tribunal, na orla do lago Guaíba, em Porto Alegre.

O TRF-4 é vizinho do parque da capital que abriga anualmente o acampamento comemorativo do 20 de Setembro, feriado estadual que celebra uma revolta contra o Império brasileiro no século 19.

Num amplo gabinete no nono andar do tribunal, o presidente da corte, desembargador Victor Luiz dos Santos Laus, não se perturba com o cerco. Sua atenção está envolvida por um problema mais incômodo: a proximidade de 2020, ano em que restrições orçamentárias previstas na Emenda Constitucional do Teto de Gastos entrarão em pleno vigor.

Na segunda-feira, 9 de setembro, quando recebeu a BBC News Brasil, Laus tinha dedicado parte da agenda a uma reunião com representantes do Sindicato dos Trabalhadores da Justiça Federal (Sintrajufe) na qual o aperto de cinto do Judiciário havia sido o principal tema.

Catarinense de Joaçaba, Laus recorda-se da abafada quarta-feira de janeiro em que o chamado processo do tríplex foi julgado pelo TRF-4. O presidente do tribunal foi um dos três integrantes da 8ª Turma da corte a apreciar o recurso da defesa do ex-presidente e confirmar a condenação à prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, reduzindo a pena de 12 anos decidida pelo juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, para nove anos e meio.

O desembargador de 56 anos sabe também que, em breve, repórteres voltarão a cercar o prédio quando o TRF-4 julgar o recurso de Lula a uma condenação, desta vez relacionada com o sítio de Atibaia.

Confira a reportagem na íntegra aqui: Decisão do STF sobre Lava Jato 'pode conturbar andamento ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Abreu e Lima

15/09


2019

BB proíbe saia curta para funcionárias do banco

Banco do Brasil proíbe "saia curta" para funcionárias que forem fazer provas do banco.

Fachada de agência do Banco do Brasil | Divulgação
O Globo - Por Lauro Jardim

 

Entre 30 de setembro e 29 de novembro, o Banco do Brasil promove as provas do 25º “programa de certificação de conhecimentos" de parte de seus funcionários.

Beleza.

Neste ano, uma inovação que tem tudo a ver com os ventos conservadores que sopram no governo federal e no próprio BB — a preocupação com os trajes: “não é permitido o acesso de “short, saia curta e chinelo”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Magno coloca pimenta folha

15/09


2019

Tiririca some dos microfones da Câmara dos Deputados

O sumiço de Tiririca nos microfones da Câmara. Deputado não discursa no plenário desde março de 2018.

O deputado federal Tiririca (PR-SP) tentará terceiro mandato na Câmara Foto: Jorge William / Agência O Globo.

Época - Coluna do Guilherme Amado
Por Naomi Matsui

 

Tiririca pode ser acostumado aos palcos, mas não é muito afeito aos microfones da Câmara. O deputado não discursa no plenário desde março do ano passado.

E foi bem rápido, para comemorar o Dia do Circo:

"Sr. Presidente, eu queria fazer uma grande comunicação: hoje é o Dia do Circo. Como artista circense, eu quero desejar aos artistas circenses muita saúde. Hoje é o Dia do Circo. Que venham outros dias, outros dias, mais dias e outros dias!", disse.

Desde 2011, quando assumiu seu primeiro mandato na Câmara, Tiririca só usou o microfone do plenário em irrelevantes cinco vezes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

15/09


2019

Reforma: estados querem fatia maior da arrecadação

Reforma tributária

Estados querem fatia maior da arrecadação do governo federal na reforma tributária, Proposta é manter carga tributária total, de quase 33% do PIB. Mas parcela da União nesse total passaria de 55% para 49%; a dos estados, de 27% para 30%; a dos municípios, de 19% para 21%.

Foto/fonte/Do site contábeis

Por Alexandro Martello, G1

 

A proposta de reforma tributária dos secretários estaduais de Fazenda, encaminhada formalmente nesta quarta-feira (11) aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), prevê a manutenção do nível da carga tributária, que somou cerca de 33% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2017, mas com redução da parcela da União na arrecadação federal e aumento da parcela dos estados.

Segundo o documento, a parcela da arrecadação que caberia ao governo federal (União) no bolo total de arrecadação passaria de 55% para 49% progressivamente ao longo de oito anos. Ao mesmo tempo, fatia dos estados subiria de 27% para 30%, e, dos municípios, de 19% para 21%. (veja abaixo o gráfico divulgado pelos estados

Na justificativa, os estados avaliam que essa proposta pretende "promover a desconcentração da participação da União no total da arrecadação do país, de forma a proporcionar maior parcela das receitas aos entes subnacionais, materializando, assim, a expectativa de efetiva implementação das premissas do federalismo cooperativo no Brasil".

"Estudo nosso demonstra que, nos últimos 20 anos, os estados perderam em torno de cinco pontos [do PIB de arrecadação]. E, ao mesmo tempo, as obrigações não diminuíram. Pelo contrário, aumentaram. Então, a gente entende que tem de haver, ainda que seja de forma transitória, lenta e gradual, uma recomposição dessas receitas", disse ao G1 o presidente do Comitê dos Secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal (Comsefaz), Rafael Fonteles.

Leia a reportagem na íntegra aqui: Estados querem fatia maior da arrecadação do governo ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

15/09


2019

Governo: dinheiro da cultura vai para a propaganda

Governo tira dinheiro da cultura e dá para a propaganda do Planalto. Transporte público, esgoto e agricultura familiar também perderam verbas.

Jair Bolsonaro Foto: ADRIANO MACHADO / REUTERS

Época - coluna de Guilherme Amado
Por Eduardo Barretto

 

A propaganda da Presidência foi a área mais favorecida no remanejamento de R$ 171,3 milhões do governo federal na semana passada. A comunicação do Planalto recebeu R$ 126,3 milhões, 74% desse repasse.

O dinheiro cairia bem em outros órgãos:  o Ministério da Justiça tem mais de R$ 1,2 bilhão bloqueado. Em meio às queimadas na Amazônia, o Ministério do Meio Ambiente está com R$ 195 milhões bloqueados. 

O outro órgão beneficiado no remanejamento foi o Ministério da Infraestrutura, especificamente na estatal Valec, com R$ 45 milhões.

O grosso do dinheiro foi tirado do Ministério da Cidadania — mais de R$ 100 milhões.

Entre as áreas afetadas, estão "promoção e fomento à cultura brasileira", "aquisição e distribuição de alimentos na agricultura familiar" e "apoio a tecnologias sociais de acesso à água para consumo humano e produção de alimentos na zona rural".

O Ministério do Desenvolvimento Regional teve R$ 45 milhões do orçamento cortado das áreas "apoio a sistemas de transporte público coletivo urbano" e "apoio à implantação, ampliação ou melhorias" de sistemas de esgoto em cidades com mais de 50 mil habitantes.

(Por Eduardo Barretto)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/09


2019

Roberto Leal morre aos 67 anos em SP

Cantor, conhecido pelas músicas 'Arrebita' e 'Bate o pé', estava internado havia 5 dias no Hospital Samaritano e morreu em decorrência de insuficiência renal causada por tumor.

Foto/fonte: G1

Por Tahiane Stochero e Abrahão de Oliveira, G1 SP

 

O cantor português Roberto Leal morreu na madrugada deste domingo (15), em São Paulo, aos 67 anos. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do Hospital Samaritano, onde o cantor estava internado. Ele ficou conhecido pelas músicas "Arrebita" e "Bate o pé".

O cantor deixa a mulher, Márcia Lúcia, e três filhos.

A morte ocorreu devido a um melanoma maligno (tumor) que evoluiu, atingindo o fígado e causando síndrome de insuficiência hepato-renal. O cantor fez tratamento contra o câncer por dois anos. Segundo a assessoria de imprensa do cantor, Leal foi internado no hospital na última terça-feira (10).

O velório será na segunda-feira (16) na Casa Portugal, das 7h às 14h. O enterro será à tarde, no Cemitério de Congonhas, na Zona Sul da capital paulista, informou o empresário do cantor há mais de 40 anos, José Sá.

"A luta era uma luta feroz, ia fazer três anos que ele lutava. Começou na vista passou para a perna, coluna e depois descobrimos que tomou o corpo", explicou o empresário, em relação ao tumor.

"Nós mantínhamos a agenda normal. Nesses três anos cancelamos 6 shows que ele teve que ficar no hospital. A cada 15 dias ele vinha, segunda e terça e depois tocava a agenda", disse o empresário.

Confira a íntegra aqui: Roberto Lealcantor português, morre aos 67 anos em SP


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/09


2019

Miller relata omissão de mensagens em investigação

Em depoimento, ex-procurador relatou omissão de mensagens em autos de investigação.

Fotos: Alex Lanza / MPMG (Foto: Leonardo Attuch) Foto/fonte: Brasil247

Da Folha de S. Paulo - Painel
Por Daniela Lima


Depoimento do ex-procurador Marcello Miller no inquérito sobre a delação da JBS pode reforçar a tese de que investigadores omitem do Judiciário dados que podem contrariar os interesses da Procuradoria.

Miller falou ao Supremo em 2018 e rebateu a versão de que o MPF reagiu mal à notícia de que ele atuaria nas negociações do acordo de leniência da JBS. Para corroborar sua narrativa, leu mensagens que trocou com um auxiliar de Rodrigo Janot na véspera de reunião na PGR.

Antes de iniciar a leitura, Miller contou que pediu para um cunhado fotografar a conversa no seu telefone e que lavrou esses registros em ata notarial. Ele fez questão de explicar a precaução.

“Como eu tinha algum tempinho de estrada, pensei o seguinte: ‘Com o Janot na TV, para eu receber uma busca e apreensão, não custa. E, com o que está em jogo, para isso [as mensagens] não aparecer num laudo, não custa’”, disse Miller.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/09


2019

PE: homem é preso com 890 "bananas" de dinamite

Material foi achado em Moreno, no Grande Recife, e seria usado para assaltos a instituições financeiras e resgate de presos. As "bananas" de dinamite foram avaliadas em R$ 267 mil pela polícia.

Bananas de dinamite foram encontradas em Moreno, no Grande Recife — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Do G1 - PE

 

Um homem de 43 anos de idade foi preso em flagrante na cidade de Moreno, no Grande Recife, por comercialização de explosivos que seriam usados para roubos a instituições financeiras.

Com ele, segundo a Polícia Civil, foram apreendidas 890 "emulsões", materiais popularmente conhecidos como "bananas" de dinamite.

Cada unidade do material, segundo a polícia, vale R$ 300. Se fossem vendidos a esse valor, os explosivos renderiam R$ 267 mil.

Ainda segundo a Polícia Civil, Everaldo Souto Maior de Lima Júnior, de 43 anos, tem passagem pelo sistema prisional por crimes como roubo e de receptação. Ele é considerado "perigoso" pela corporação.

A prisão foi comandada pelo delegado Cláudio Castro, após denúncias sobre a venda de artefatos explosivos para assaltos a bancos, carros-fortes e para a explosão de muros de unidades prisionais, para o "resgate" de presos.

Everaldo foi encaminhado ao Departamento de Repressão ao Narcotráfico (Denarc), onde foi autuado em flagrante. Ele seguiu para audiência de custódia em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife.

O G1 entrou em contato com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) para saber o resultado da sessão e aguarda resposta.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/09


2019

RJ: menor número de homicídios em agosto desde 2013

Rio de Janeiro tem o menor número de homicídios em agosto desde 2013.

Arma de fogo | Arquivo Google

O Globo - Por Lauro Jardim
 

Em agosto, houve 318 homicídios dolosos no Rio de Janeiro. É muito. Mas é o melhor resultado para um agosto no estado desde 2013. Em comparação com o mesmo mês do ano passado, representa uma redução de 12%, de acordo com números que o governo Wilson Witzel vai divulgar nos próximos dias.

No acumulado no ano, o resultado foi também o mais positivo desde 1991, com exceção dos números de 2012. A queda em comparação aos primeiros oito meses de 2018 foi de 21%.

As mortes cometidas por policiais também caíram em agosto no Rio de Janeiro — embora ainda sejam escandalosamente altas. Foram 170 registros, 3% a menos ante o mesmo mês de 2018 e 12% inferior a julho deste ano.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/09


2019

Sanharó e o retorno da Festa do Leite

Fonte; Tácio Fernandes

Do Blog O Abelhudo

 

O Blog O Abelhodo acaba de ser informado que esse ano, mais precisamente nos dias 13 a 16 de novembro, será retomada a tradicional e famosa Feira do Leite de Sanharó.

 

A comissão organizadora é formada pelos produtores: Jailton Leite, Lúcio Flávio Foerster e Tácio Fernandes. O local ficou definido: será na sede da ACIAS - Associação Comercial Industrial e Agropecuária de Sanharó.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/09


2019

O violonista, a canção e a paixão revelada

Casado com Fatinha, minha irmã "japonesa" de olhos apertados, Djalma Marques é médico de formação acadêmica, mas seu xodó mesmo é o violão. Desde os tempos em que dedilhava o instrumento em Tabira, onde nasceu, e depois em Afogados da Ingazeira, cidade adotiva de parte da sua infância e adolescência, Dija, como é mais conhecido, se projetou na música clássica.

Foi professor de violão no Conservatório de Música do Recife e na Faculdade Federal da Paraíba, em João Pessoa. Varreu o mundo com o violão debaixo do braço, ganhou certames nacionais e internacionais clássicos, virou celebridade no meio. 

Exerce ainda a Medicina, mas sua grande paixão é a música e agora a Biologicus, empresa de produção de probióticos com sede no Recife e expansão no Sudeste, tendo como carro-chefe  o milagroso Kefir, indicado até para tratamento de enfermidades graves. 

Hoje, ele amanheceu agarrado ao violão, como rotina das suas manhãs, e embalou Beija me muito. Na política, a canção me faz lembrar o episódio de maior repercussão no Governo Collor: foi nesse embalo romântico que os ex-ministros Zélia Cardoso e Bernardo Cabral tornaram público a paixão que todos nós, jornalistas dos bastidores de Brasília, já sabíamos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/09


2019

Boletim médico: Bolsonaro aceita bem dieta cremosa

Bolsonaro aceita bem dieta cremosa e haverá redução da alimentação na veia, diz boletim médico. Presidente recomeçou a alimentação cremosa na noite de sábado, após sete dias internado. 

Foto retirada de rede social/fonte G1

Por G1

 

O presidente Jair Bolsonaro (PSL), que se recupera há sete dias de uma cirurgia realizada no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, aceitou bem o início da dieta cremosa iniciada na noite de sábado (14), quando ele recebeu uma sopa de mandioquinha.

Neste domingo (15), Bolsonaro tomou chá e comeu gelatina e creme de frutas. Até então, ele estava se alimentando apenas de dieta líquida desde sexta-feira (13).

Agora, haverá redução do volume da alimentação parenteral (que ele recebe na veia). O presidente continua tendo melhora progressiva nas funções intestinais.

Confira a íntegra da matéria aqui:  Bolsonaro aceita bem dieta cremosa e haverá redução da ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



Warning: PHP Startup: Unable to load dynamic library '/opt/cpanel/ea-php56/root/usr/lib64/php/modules/mcrypt.so' - /opt/cpanel/ea-php56/root/usr/lib64/php/modules/mcrypt.so: cannot open shared object file: No such file or directory in Unknown on line 0