ArcoVerde

05/11


2018

A Casa Civil de Bolsonaro

Pasta é bem maior que biografia de Onyx Lorenzoni. Deputado terá de surpreender no cargo

Leandro Colon - Folha de S.Paulo

O governo Bolsonaro começa a atuar oficialmente nesta segunda-feira (5) em Brasília com a nomeação do deputado Onyx Lorenzoni como ministro extraordinário para coordenar o processo de transição.

Filiado ao DEM do RS, o futuro chefe da Casa Civil é figura conhecida no Congresso há mais de uma década. Ganhou visibilidade inicial em 2005, logo no primeiro mandato, quando dividiu com os então deputados ACM Neto e Eduardo Paes o palanque da gritaria oposicionista da CPI dos Correios, que investigou o mensalão no governo Lula.

 “O que diferencia as pessoas é se elas são corruptas ou não são corruptas, se são éticas ou não são éticas. Se têm padrões morais sérios ou se não têm padrões morais”, disse Onyx em sessão daquela comissão.

Doze anos depois, ele admitiu ter recebido R$ 100 mil em caixa dois da JBS na campanha de 2014 (a empresa, em delação, mencionou R$ 200 mil).

Mesmo tendo liderado a bancada do partido por um período, Onyx nunca foi um personagem do primeiro escalão de comando do DEM. Alijado do pelotão de frente, construiu o próprio caminho na Câmara.

Foi até aqui um parlamentar secundário no campo de decisões do Congresso, embora sua atuação não tenha sido desprezível. Relatou, por exemplo, o projeto de medidas anticorrupção aprovado pela Câmara em 2016.

Protagonizou um embate com Renan Calheiros (PMDB-AL) sobre a proposta, parada no Senado. “Parece nome de chuveiro, mas não é nome de chuveiro”, provocou o senador alagoano ao falar do deputado.

Como futuro ministro de Bolsonaro, Onyx anunciou o corte de 25 mil cargos de confiança no primeiro dia de gestão. Voltou atrás quando revelou-se que existem 23 mil no total.

O chefe da Casa Civil costuma ser o todo poderoso de um governo ao lado de quem comanda a economia. Onyx já foi desautorizado por Paulo Guedes ao dar pitaco na área. E não tem a estatura de Sergio Moro, o superministro da Justiça. Assumirá uma pasta bem maior que a própria biografia. Terá de surpreender.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Não esquecer a JBS, e a propina recebida.


Asfaltos

Confira os últimos posts



27/09


2010

É o PT que já loteia cargos em eventual governo Dilma

 O PT espalhou que o PMDB já brigava por cargos em eventual governo Dilma Rousseff, com o objetivo de estigmatizar o partido do candidato a vice Michel Temer, imobilizando-o, mas são os petistas que promovem a “corrida ao ouro”. Antes cotado para a Casa Civil, por exemplo, o ex-ministro Antonio Palocci usa sua força na coordenação da campanha para garantir a presidência da Petrobras, que vale por mil ministérios.

 

O ministro Guido Mantega deverá entregar a Fazenda a Luciano Coutinho, hoje presidente do BNDES, e retornar ao Planejamento

 

Paulo Bernardo ganhou a confiança de Dilma e conhece como poucos o funcionamento do governo. Deve ir para a Casa Civil.

 

Henrique Meirelles é lembrado para o Ministério da Fazenda, mas Dilma ainda o prefere na presidência do Banco Central.

 

Helena Chagas deve virar ministra no lugar de Franklin Martins, que trama para ele a fusão da Anatel com o Ministério das Comunicações.

 

(Coluna de Cláudio Humberto)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

jose carlos da silva

Em plena campanha eleitoral o feijão subiu de R$2,00 para R$8,00, um produto que em 3 meses é produzido, enquanto isso o responsaveis pelo povão loteiam cargos para angariarem altos salários com vida luxuosas para os seus familiares. E o povão tomando dentro. Bem dentro. As urnas imbecis!



27/09


2010

Debate PE: ausência de Eduardo foi ''''personagem'''' central

O governador de Pernambuco e candidato à reeleição, Eduardo Campos (PSB), não compareceu na noite deste domingo ao debate entre postulantes ao governo do Estado, promovido pela Folha e Rede TV!, em Recife. Ele foi alvo de ataques de seus adversários, que criticaram a ausência. Campos descumpriu acordo assinado de participação no evento e alterou sua agenda de domingo, incluindo em seus compromissos uma carreata e um comício em Petrolina (a 780 km de Recife). A bancada que ele ocuparia no palco ficou vazia.

Os três candidatos que compareceram ao evento, Jarbas Vasconcelos (PMDB), Edilson Silva (PSOL) e Sérgio Xavier (PV) lamentaram a ausência. ''O governador menosprezou os candidatos e, sobretudo, a opinião pública'', disse Jarbas. Silva disse que Campos se ausentou para não explicar problemas na saúde e segurança.

Jarbas aproveitou o evento para elogiar propostas do candidato a Presidência que apoia, José Serra (PSDB).

Ao ser questionado pelo repórter especial da Folha e apresentador da Rede TV!, Kennedy Alencar, sobre a violência no Estado, o senador defendeu a criação do Ministério da Segurança Pública para unificar a política do setor no país.

Respondendo à mesma questão, Silva defendeu uma ação articulada entre os governos federal, estadual e municipal e a melhoria na educação. Xavier disse que, para combater a violência, é preciso investir na família.

Silva defendeu a descriminalização da maconha, afirmando que o problema é ''de saúde pública''. A criminalização, disse, ''contribui para o aumento da criminalidade''. ''Mas isso não significa que vamos incentivar.''

Perguntado sobre os problemas que enfrentou na educação em seus oito anos de governo, Jarbas afirmou que ficou impossibilitado de priorizar o setor porque assumiu um Estado ''quebrado'' em 1998 e que precisou ''cuidar da casa e sanear as finanças''. ''Agora será possível priorizar'', declarou.

Jarbas também atacou o PT e o governo federal pelas denúncias de tráfico de influência e propinas envolvendo a Casa Civil. Ele ainda criticou a ''ofensiva contra a liberdade de imprensa'' e disse que não se calará ''diante de atos de corrupção''. (Informaçoes da Folha.com - Fábio Guibu)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

LUCIANA ALVES

Para que ir a debate onde a audiência politica estava no debate presidencial da Record? A audiência da RedeTv foi traço.



27/09


2010

Debate: presidente do PT aprova ''''tranco'''' de Dilma em Marina

 O presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, estranhou que o candidato José Serra (PSDB) não tenha feito pergunta para a oponente Dilma Rousseff (PT), no debate da Rede Record, no Rio de Janeiro. "Isso pra mim foi uma surpresa. Normalmente em um debate, sempre quem está na frente não pergunta pra quem está em segundo. É óbvio. Eu achava que o Serra tinha que perguntar pra ela", opina Dutra, após o encerramento.

Dilma e Marina protagonizaram os confrontos mais quentes, com respostas duras. Rostos enfezados, elas duelaram sobre casos de corrupção em seus ministérios (Casa Civil e Meio Ambiente), no governo Lula.O presidente petista aprova o "tranco" de Dilma em Marina. No tiroteio, a senadora cobrou Dilma pelos casos de tráfico de influência de Erenice Guerra na Casa Civil. Por sua vez, a ex-ministra relembrou a existência de uma operação da Polícia Federal contra uma quadrilha que liberava a venda de madeiras sem certificação ambiental, o que motivou mudanças no ministério então comandado pela candidata do PV.

"Marina fez parte do governo, não saiu do governo na época do mensalão, continuou no PT, e agora vem criticar? Tem hora que precisa levar um tranco também, né?".(Informaçoes do portal Terra) 

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


27/09


2010

Debate: Serra muda foco e evita confronto direto com Dilma

Candidatos a presidente no debate na Record. Fotos: Fabio Rossi e Reuters

Em segundo nas pesquisas e enfrentando a perspectiva de uma derrota no primeiro turno, o candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, mudou sua estratégia e evitou o confronto direto com a líder nas intenções de voto, Dilma Rousseff (PT), no debate da Rede Record, realizado na noite deste domingo (26).

A nova direção do tucano parece ter afetado a petista, que claramente teve um revés em seu desempenho. De nervosa e sem confiança no primeiro debate (TV Bandeirantes), ela melhorou no TV Gazeta/''Folha de S.Paulo'', onde a confrontação foi mais firme com Serra. Hoje, sem confronto, ela esteve dispersa e não conseguiu elaborar respostas em nível compatível com o apresentado no debate anterior.

Serra, por sua vez, foi mais atacado, e pelos três candidatos. Sua administração à frente do
governo do São Paulo foi bastante questionada no debate. Marina Silva (PV) atacou uma suposta redução dos investimentos sociais no Estado. Dilma questionou o alto número de professores temporários no quadro da Secretaria de Educação paulista e Plínio de Arruda Sampaio (PSol) ironizou o alto índice (30%, segundo ele) de alunos que saem das escolas paulistas sem estarem devidamente alfabetizados.

Em todas as ocasiões, Serra foi extremamente defensivo. O tucano também se mostrou, em várias ocasiões, alheio às réplicas de seus interlocutores. Por vezes, o candidato do PSDB parecia estar discursando ao invés de debatendo. Na ofensiva, ele somente esteve quando foi questionado sobre o ''mensalão'' de seu aliado
DEM, em Brasília. Ele afirmou que, ao contrário do que o PT fez com o seu ''mensalão'', os acusados, entre eles o ex-governador José Roberto Arruda, foram expulsos dos quadros do Democratas.

Quem mais parece ter se beneficiado do não confronto entre Serra e Dilma foi a candidata do PV,
Marina Silva. Ela aproveitou a omissão de ambos para fortalecer sua imagem de terceira via e ligar sua candidatura à causa do desenvolvimento sustentável. Mais confiante do que em outras ocasiões, ela mostrou estar ''afiada'' para o último e decisivo debate, que ocorrerá na próxima quinta-feira (30), na Rede Globo, que deve ter a maior audiência entre os encontros presidenciais deste tipo.

Em questão de temperatura, o clima só subiu mesmo quando
Marina Silva questionou Dilma Rousseff sobre as denúncias de corrupção na Casa Civil, ministério que foi chefiado pela petista durante boa parte do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A candidata do PT defendeu-se, dizendo que a administração atual investigou mais casos de corrupção em detrimento da anterior, de Fernando Henrique Cardoso.

Ante da firmeza de Marina, que não recuou das acusações durante a réplica, Dilma disparou que as acusações de
corrupção em seu ministério foram investigadas da mesma forma que as que relacionavam funcionários do Ministério do Meio Ambiente à venda ilegal de madeira, isso durante a gestão da candidata do PV frente à pasta.

Menos confronto não significa mais propostas
Como tem se tornado uma constante nos debates presidenciais, as propostas não tem sido o centro das discussões. Nesta noite, apesar do confronto ter sido mais ameno do que nas ocasiões anteriores, os candidatos avançaram pouco em termos de expor o que pretendem fazer se assumirem a Presidência da República.

Empurrado por uma claque presente ao auditório - e que o aplaudia a cada frase de efeito, Plínio de
Arruda Sampaio aproveitou para aprofundar suas propostas, que são bandeiras da extrema-esquerda no País. Ele defendeu o salário mínimo ''necessário'' de R$ 2 mil, investimento de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) em educação, calote da dívida pública e a desapropriação de grandes propriedades.

Marina Silva reforçou sua proposta de desenvolvimento sustentável, aliando ecologia ao crescimento econômico e reforçando que estes não são conceitos antagônicos.

Dilma afirmou que pretende usar o modelo energético norueguês (hidreletrecidade, matriz mais limpa e
exportação de derivados de petróleo) em concomitância com a exploração do pré-sal. Ela também falou sobre a promessa de construir 2 milhões de moradias com o ''Minha Casa, Minha Vida 2''. A petista também disse que quer trabalhar com os governos estaduais para valorizar o salários dos professores e erradicar o analfabetismo.

Já o tucano
José Serra reforçou algumas de suas bandeiras na atual campanha, como o aumento para R$ 600 do salário mínimo no ano que vem, o reajuste de 10% para todas as pensões e aposentadorias, além da expansão do ensino técnico pelo País. (Informações do portal abril.com)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Julio Povoas de Arruda Miranda

Não consigo entender os governistas, se Serra questiona Dilma eles não gostam, se a ignora idem, por favor se decidam. Serra não precisou atacar Dilma, porque ela já estava desnorteada com as perguntas de Marina e Plínio. Acho que no final Serra foi mais propositivo e não escondeu FHC. Parabéns!!!!!

LUCIANA ALVES

Já. Por que mudou a estratégiaP. Passou a i9ncumbência para seus larajas nos estados, como jarbas.



26/09


2010

Serra agradece o apoio do jornal O Estado de S.Paulo

 O candidato do PSDB à presidência, José Serra, agradeceu o editorial, publicado neste domingo (26), em que o jornal O Estado de S. Paulo declarou apoio a sua candidatura. ''Só tenho a agradecer o reconhecimento de meu trabalho na vida pública. Isso é o editorial, a opinião do jornal, embora o noticiário seja sempre equilibrado, como deve ser. Fico muito satisfeito e muito orgulhoso em ser reconhecido por um órgão tão responsável'', afirmou Serra, defendendo a liberdade de imprensa e citando-a como ''dever de todo democrata''.

''Não há país democrático no mundo sem imprensa livre. A imprensa no Brasil tem sido assediada. E não só os jornais, mas todos aqueles que são democratas devem defender a liberdade de imprensa'', afirmou o tucano.

O candidato defendeu também o aumento de 10% para aposentados e pensionistas do INSS ao chegar, por volta das 19 horas deste domingo (26),ao aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, onde participará do debate entre os candidatos na TV Record.

Fernando Henrique 

Serra fez questão de ressaltar que sua proposta de aumento é o dobro da oferecida pelo atual governo, mas não explicou como o viabilizaria no orçamento da União. ''Amanhã (27) é o Dia Internacional do Idoso. Aqui no Brasil os idosos estão ficando para trás. No Brasil, os idosos foram os que construíram nosso País e até hoje, muitos ainda contribuem com suas famílias. Por isso, tenho defendido um aumento do INSS dos pensionistas da ordem de 10%, que é o dobro do que o governo quer. E também muitas ações da saúde, como fiz no passado'', afirmou, relembrando da vacina da gripe e da regulamentação dos medicamentos genéricos, introduzidos quando era ministro da Saúde. Além disso, falou do Centro de Referência da Saúde do Idoso, feito por ele já no governo de São Paulo.

Quanto à entrevista do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso admitindo uma vitória da petista Dilma Rousseff, o candidato tucano afirmou que ''não foi isso'' exatamente o que FHC dissera.

(Informações do portal Terra)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

evandro valdevino bernardo

Esses tubarões da mídia nacional fazem beicinho para as folclóricas bravatas do presidente Lula,porém é inquestionável que vivem em um regime democrático, aqui vai uma sugestão para a imprensa gopista :mudem-se para a Venezuela ou Argentina ou quem sabe Irã.Vão sentir falta de Lula

LUCIANA ALVES

E precisava? O Estadão apoia Serra desde 2002.

Severino Isidoro Fernandes Guedes

... Só as Organizações Globo tem um peso que nenhum outro veículo de comunicação tem no país. E ainda pode, embora esteja perdendo audiência e credibilidade, destruir muitas reputações e carreiras, seja no mundo artístico, intelecutal, político ou econômico. E isso não é bom pra democracia.

Severino Isidoro Fernandes Guedes

... E devia ser seguida por outros veículos de imprensa (tamto de um lado quanto de outro). Faço apenas uma ressalva de que o poder de fogo dos veículos de imprensa que apóiam Serra (declaradamente ou não) é infinitamente maior que os que supostamente apóiam Dilma. Não tem nem comparação...

Severino Isidoro Fernandes Guedes

... Dá sim, e isso é o que deve ser feito em qualquer circunstância. Todavia esse negócio de imparcialidade e isenção nunca existiu nem existirá. Porque todo profissional e todo o veículo de comunicação tem seus interesses e sua ideologia em jogo. Por isso a atitude do Estadão foi honesta...



26/09


2010

Com chapeu de cangaceiro, Dilma faz visita tumultuada a feira

A candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff visitou a Feira de São Cristóvão, no Rio de Janeiro. Foto: Roberto Stuckert Filho/Divulgação 

Com chapéu de cangaceiro, a candidata à presidência pelo PT, Dilma Roussef, fez o mais tumultuado corpo a corpo de sua campanha na feira nordestina de São Cristovão, no Rio de Janeiro, no início deste domingo (26). A visita deixou um rastro de pratos e copos quebrados, mesas viradas e plantas derrubadas.

Acompanhada pelo candidato à reeleição ao governo fluminense Sérgio Cabral (PMDB) e de Lindberg Farias (PT), que concorre ao Senado, Dilma comentou sobre suas propostas para a cultura.

"Você hoje tem poucas cidades pequenas no Brasil com salas de cinema, quando a gente sabe que elas existiam antes. E voltamos a fazer isso: abrimos linhas de financiamento do BNDES. Se for eleita, vou ampliar no meu governo, o acesso da população à cultura".

Durante a visita da presidenciável, que fez uma passagem de apenas 30 minutos, foi proibido o ingresso de visitantes com bandeiras no pavilhão, já que o espaço é uma concessão pública.

Ao longo do trajeto, Dilma foi assediada pelos frequentadores da feira para fotos e beijos, mas se demonstrou assustada com a confusão, semelhante a ocorrida na abertura de sua campanha, no Mercado Público de Porto Alegre.

"Aqui o Nordeste está falando para o Brasil inteiro", disse a candidata que, na noite deste domingo, participará de debate na Rede Record na capital fluminense.(Portal Terra)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/09


2010

Ao votar, Chávez cita Lula para defender seu país

 O presidente venezuelano, Hugo Chávez, após votar na tarde de hoje para as eleições legislativas do país, citou o colega Luiz Inácio Lula da Silva, ao argumentar que seu governo é "o mais democrático" do país "senão do mundo". Ao falar sobre o pleito, em coletiva de imprensa, Chávez reiterou que a participação cidadã em seu país, diferentemente das acusações que o chamam "de tirano ou ditador", é plena.

"Aqui a democracia é plena, os grupos de cidadãos organizados podem dizer [o que querem]. Um senhor no Equador disse que vai tirar [o presidente Rafael] Correa, podem dizer, há liberdades. Podem dizer que vão tirar Chávez, mas quem decide é que o povo. Isso é a democracia", enfatizou.

"Uma vez, Lula disse (...) que na América Latina não existe uma democracia como a venezuelana", continuou Chávez, aproveitando a ocasião para enviar cumprimentos ao Brasil e ao colega que "tem feito um ótimo trabalho".

"Lula disse: todos os anos há eleições, e quando não há eleições Chávez a inventa, na Venezuela há excesso de democracia", lembrou líder venezuelano. Ao iniciar suas declarações, Chávez recordou também que "há 20 anos, eu vi com estes olhos quando a direita roubou os votos descaradamente da esquerda".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

evandro valdevino bernardo

Agora eu entendi qual o tipo de imprensa que Chàvez estatiza,ele enquadra a imprensa canalha que toma partido em eleições e que promove candidatos que a financiam com assinaturas para colégios e órgaos públicos e com publicidade institucional,qualquer semelhança com o Brasi não é mera coincidência.

JANDILSON DE ALBUQUERQUE CORDEIRO

Eu nã0 sei qual o mais canalha, eles se merecem, CHAVES DILMA E LULA. Jandilsoni

uilma

É isso ai Marcilio. isso um cara de pau igual ao lula cachaça.

Marcilio Paulino dos Santos

Esse safado está igual ao seu comparsa Lula, dizendo que é democrático. Esse ditador fechou rede de televisão e tomou supermercado, prendeu seu opositor político e mandou matar quem o criticou, Lula, aqui no Brasil, quer calar a imprensa e acabar com os seus adversários políticos.


Bm4 Marketing 2

26/09


2010

Vox Populi: Dilma cai de 50% para 49%; Serra 24%

Pela primeira vez, desde o início da pesquisa Tracking Vox Populi/Band/iG no começo do mês, a candidata do PT, Dilma Rousseff, ficou abaixo da casa dos 50% nas intenções de voto. A presidenciável petista recuou de 50% para 49%, enquanto o candidato tucano, José Serra, subiu de 23% para 24% e a presidenciável do PV, Marina Silva, passou de 11% para 12%, chegando a essa pontuação pela primeira vez.

Com isso, a diferença entre os votos em Dilma e a soma dos demais candidatos (contando com 1% atribuído a “outros”) caiu de 15 para 12 pontos percentuais, reduzindo a vantagem da petista de se eleger no primeiro turno.

O Tracking Vox Populi/Band/iG também mostra que 11% estão indecisos e 3% votam em branco ou nulo.

Espontânea

Na consulta espontânea, quando a lista com os nomes dos candidatos não é apresentada ao entrevistado, Dilma oscilou negativamente de 43% para 42%, Serra manteve-se estável em 20% e Marina avançou de 9% para 10%.

O Tracking Vox Populi/Band/iG conta com 2.000 entrevistas, sendo que um quarto dessa amostra é renovada diariamente. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.(Informações do portal IG)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Lucas Queiroz e Silva.

Marina já passou dos 15% em todo o Brasil, se preparem quando as urnas se abrirem.

uilma

TOMA DILMENTE, VAI RELINCHAR FICAR DIZENDO QUE NEM JESUS TIRA TUA VITÓRIA, MAIS RESPEITO COM O FILHO DE DEUS. ELE NÃO TEU IGUAL. TOMA TENTO.

Alex Falcão

Dilma tem alguns minutos no guia eleitoral. Serra tem todo o PiG, 24 horas por dia, 7 dias por semana, bombardeando Lula e Dilma. E ela caiu só 1 pontinho???? Esse Lula é o cara mesmo viu... vai ser popular assim noutro planeta!!!! kkkkkkkkkk

marcelo lima

ESSA MULHER TEM QUE CARIE MESMO É UMA DESCONTROLADA E VAI LASCAR O BRASIL LULA É UMA COISA E ELA É SIMPLESMENTE OUTRA LEMBRE DO QUE JOÃO DA COSTA FEZ COM JOÃO PAULO PT QUER PODER E NAO QUER NEM SABER DAS CONSIDERAÇÕES

Pedro Araújo

Memória curta é de lasca, ou não? Quem lembra aqui quando eu disse que se a Marina Silva atingisse os 15% haveria segundo turno nas próximas eleições presidenciais? Lembram



26/09


2010

A pauta do debate livre

Alberto Dines

 

 A mídia impressa assumiu o papel de oposição? As denúncias da mídia impressa são infundadas? O governo federal ameaça a democracia?

Estas três questões hoje comandam a disputa eleitoral e estão mais presentes no debate político do que na atuação dos candidatos. É uma perigosa distorção que poderá deixar marcas indeléveis em nosso processo político porque não estão sendo formuladas com a intenção de desarmar os espíritos – ao contrário, só aparecem para exacerbar os ânimos.

Resposta à primeira questão: a mídia impressa assumiu, sim, o papel de oposição, o que não é correto, mas a mídia impressa está reagindo a uma fortíssima e indevida intervenção do chefe do Executivo, o presidente Lula, em favor de seus candidatos.

O presidente Lula joga pesado quando esquece que é presidente de todos os brasileiros e a mídia está reagindo da mesma maneira, jogando pesado e pisoteando seus compromissos com o equilíbrio jornalístico.

Valor das sutilezas

Resposta à pergunta dois: as denúncias da mídia impressa não são infundadas, são geralmente consistentes, tanto assim que o governo reage com uma inédita rapidez para punir e apurar as malfeitorias. A formulação das denúncias, porém, desrespeita todos os postulados do jornalismo ao valorizar suposições, ilações e inferências.

Resposta à pergunta três: a retórica de palanque utilizada pelo presidente Lula constitui uma ameaça à democracia ou à liberdade de expressão? Esta retórica enfezada é imprópria, não há duvidas, mas quando o governo esperneia mas demite quem prevaricou está apenas disfarçando o seu desconforto.

Se a imprensa não consegue perceber nem valorizar estas sutilezas, só lhe resta apelar para a radicalização.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

evandro valdevino bernardo

Esse sim é um jornalista como poucos já era fã de seu progrma observatório da imprensa,e agoro pela primeira vez alguém diagnostica com precisão o cenário dessa campanha,prabéns Dimes.

Severino Isidoro Fernandes Guedes

O risco de calar a imprensa é zero. Agora tá na hora sim do governo rever as verbas de publicidade para certos veículos de comunicação (insaciáveis por se apropriar do dinheiro público) e regulamentar o que a Constituição prevê, a democratização dos meios de comunicação.

Marcilio Paulino dos Santos

Cuidado, o PT e seus seguidores querem calar a imprensa, querem calar a mídia, só porque descobriram as safadezas e falcatruas desses bandidos da gangue chamada PTralhas.

Carlos Odair da Luz Sá

Gostaria de ver tais "críticas consistentes" também no governo FHC e não as ví, porque será?????

Wellington Antunes

De hoje a oito dias o grande derrotado não será José Serra e sim essa mídia velhaca.



26/09


2010

Eduardo encerra campanha no Recife com carreata gigante

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A sete dias da eleição, o governador-candidato Eduardo Campos liderou a maior carreata da história política de Pernambuco durante a manhã e início da tarde de hoje. De cima de um caminhão, Eduardo cruzou a cidade do Recife de Norte a Sul, acompanhado pelos filhos, pela esposa Renata e pelos seus candidatos a senadores Humberto Costa (PT) e Armando Monteiro (PTB).

 

 

 

 

 

 

 

O percurso de mais de 22 quilômetros teve início em frente à Fábrica Tacaruna, próximo à divisa do Recife com Olinda. De lá, seguiu pela Avenida Agamenon Magalhães e Avenida Domingos Ferreira, reunindo cada vez mais veículos.Eduardo chegou à concentração às 11h15, dando largada à carreata que reuniu aproximadamente quatro mil carros e mais de 500 motos.

 

 

 

 

 

 

A carreata terminou por volta das 14h40, com Eduardo seguindo direto para Petrolina, no Sertão do São Francisco, onde uma outra carreata, marcada para as 18h, irá marcar o encerramento da campanha da Frente Popular naquela região.

Além da militância, que participou da carreata do Recife em quatro grandes alas – reunindo a Juventude Socialista, as Mulheres da Frente Popular, o Movimento LGBT e o Movimento Afro – o evento coordenado pela Frente Popular fez muitos saírem de casa para se juntarem à onda amarela.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

uilma

S.C.B.S, EU SEMPRE DIGO AQUI PARA POVO DA HOLANDA, SE NO BRASIL VOCÊ É RICO O BRASIL É UM PARAISO, SE VOCÊ É POBRE O BRASIL É VISÃO DO INFERNOKKKKKKKKK, PRINCIPALMENTE QUANDO NESSECITA DE HOSPITAL. TRISTE POVO BRASILEIRO.

Jair Lima Lopes de Vasconcelos

Com certeza, essas pessoas que colocaram seus carros na rua não fizeram à toa.

S. C. B. M.

É COMO DIZ O VELHO DITADO, COM A PÓLVORA ALHEIA, O TIRO É DE ARREBENTAR O CANO DO CANHÃO.DURANTE ESTAS FESTANÇAS TODAS, NÃO FEZ NEM UMA VISITA A NENHUM HOSPITAL ;MUITO MENOS FOI NOS CORREDORES DO HOSPITAL DA RESTAURAÇÃO.ELEITORES QUE TEM PARENTES LÁ, GRITEM PELOS SEUS DIREITOS E EM DEFESA DOS SEUS.



26/09


2010

Questões e questões

 Questão de lógica - Curioso: no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, justo ali, houve uma manifestação contra a imprensa. Parece que querem imprensa livre - como anunciou o PCdoB, que segue a linha chinesa do comunismo. Ou a ex-prefeita de São Paulo Luiza Erundina, do mesmo Partido Socialista de Paulo Skaf, o "patrão dos patrões", presidente da Federação das Indústrias. Jornalistas? Talvez houvesse. Mas, como disse com precisão o repórter Rubens Valente, como pode um jornalista apoiar um movimento que chama de "lixeira" o lugar onde ele trabalha?

Questão de opção - Grande barulho na Internet: uma senhora afirmou que Dilma Rousseff é lésbica e teve um longo caso com ela. Pede indenização pelo abandono. Só que:

1 - a história é falsa. O nome do advogado da referida senhora não consta na lista da OAB. E, num país como o Brasil, não dá para imaginar que uma secretária de Estado, como Dilma, tivesse uma amante e ninguém soubesse disso;

2 - se a história fosse verdadeira, ninguém teria nada com isso. Cada um tem suas opções sexuais e pronto. Já tivemos um presidente com fama de homossexual, a primeira-ministra da Islândia é assumidamente homossexual, um dos mais importantes executivos da União Européia foi casado com um brasileiro. E daí? Daí que, além de a história ser falsa, inventada, tem forte teor de preconceito: seu objetivo é, claramente, criar rejeição homofóbica à candidata do PT.

Questão de números - Há 135.804.433 eleitores em condições de votar no próximo dia 3 de outubro. Estarão distribuídos em 420.182 seções, todas equipadas com urnas eletrônicas. Haverá também urnas em 154 cidades do Exterior, onde pouco mais de 200 mil brasileiros, que para lá transferiram o domicílio eleitoral, terão direito a voto.

Questão de cargos - Estarão em disputa a Presidência da República, 27 Governos estaduais, 54 vagas no Senado (duas por Estado), 513 vagas na Câmara dos Deputados, 1.059 vagas nas Assembléias Legislativas e 24 vagas na Câmara Distrital de Brasília.

(Coluna Carlos Brickmann)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

uilma

ISSO NÃO VEM AO CASO, SE DILMENTE É SAPATONA É PROBLEMA SEXUAL DELA E DEUS. O BRASILEIRO É MUITO TÊM COM TUDO, NEGRO, POBRE HOMO. BRASILEIRO É IDIOTA.



26/09


2010

Segundo turno só Dilma perdendo meio milhão de votos por dia

Radar - VEJA - Lauro Jardim

 E então,  vai ter segundo turno?

A resposta mais provável é “não”, por mais que os serristas odeiem ouvi-la. Mas e as pesquisas dos últimos dias, todas mostrando a diminuição da diferença de Dilma Rousseff para José Serra e Marina Silva?

O.k., as pesquisas foram unânimes em verificar esse estreitamento, mas ainda não é algo que se configure em tendência. Quem tem acesso às pesquisas diárias feitas por encomenda dos partidos observa, por exemplo, que a flutuação de pontos entre Serra e Dilma fica sempre entre 25 e 30 pontos percentuais. Essa diferença manteve-se nas pesquisas divulgadas nos últimos dias.

Para que haja segundo turno, é obrigatório que Dilma perca mais de meio milhão de votos por dia até domingo que vem (ou mais precisamente 715 000 votos diariamente). Apesar de as revelações do escândalo de Erenice e seu bando (de familiares) serem chocantes, o grosso do eleitorado não se comoveu. Não é  pouca coisa, portanto, virar tanto voto de Dilma.

Até porque o PT também aprendeu com erros da campanha de 2006 – e não se imagina que irá repeti-los. Não está se falando aqui dos aloprados: essa estrepolia – ou crime – petista acabou sendo repetida, sim, no caso da quebra de sigilo de tucanos. O erro que o PT não tornará a fazer é fugir do debate da Globo, coisa que, somado ao escândalo dos aloprados, efetivamente tirou das mãos de Lula a vitória no primeiro turno quatro anos atrás.

Pesquisas do próprio PT indicaram isso. Mostraram que o eleitor não aprovou a estratégia de candidato-fujão adotada, então, por Lula. Por isso, Dilma irá ao debate de quinta-feira na Globo, o único que realmente importa nesta eleição.

Por todos esses motivos, a fatura parece liquidada. Mas há fatores externos que não podem ser desconsiderados. Por exemplo, ninguém sabe de verdade o real impacto da exigência de o eleitor votar levando para a zona eleitoral um documento com foto – uma novidade implantada pelo TSE nesta eleição.

Segundo uma pesquisa do Ibope, 95% dos eleitores sabem dessa obrigação. Beleza. Mas as coisas não são tão simples. Do contrário, o PT não teria entrado na sexta-feira com uma ação direta de inconstitucionalidade no STF para derrubar essa exigência.

Na ação, o PT alegou “cerceamento legal do direito político do cidadão”. Como o PT não está de fato minimamente preocupado com, repita-se, “cerceamento legal do direito político do cidadão”, é fácil imaginar que algum temor maior tenha motivado a ida ao STF. Aparentemente, a eleição presidencial caminha para terminar no domingo que vem. É o que diz a lógica – o que não significa que ela irá prevalecer. Façam suas apostas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

uilma

MORTO NÃO PENSA.

Severino Isidoro Fernandes Guedes

É verdade Jair, só que Santa e Náutico são administrados de forma amadora. O Sport é administrado de forma menos amadora, mas não tem pernas pra se tornar grande. E a Federação não tem projeto (nem vontade) de fortalecer o futebol do estado. O resultado é esse que estamos vendo.

Jair Lima Lopes de Vasconcelos

Severino.... eduardo investe milhões da contriuição dos pernambucanos no sport, nautico e sta cruz... e ainda esse resultado pífio.

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Ruy, você é parente do saudoso Bayron Sarinho? Se for o que você acha que ele estaria pensando de seu amigo Bob Freire e da linha neo-direitista que tomou o PPS renegando o seu passado de esquerda? Conheci Bayron nas campanhas aqui em Goiana. Era um político decente, combativo e respeitável.

Severino Isidoro Fernandes Guedes

... O futebol pernambucano está sem graça e não pode continuar sendo o campeonato de um time só. Como não temos condições de nos equipararmos aos grandes centros, ou reativamos a competitivade e a saudável rivalidade entre nossos clubes ou todos perdemos (inclusive o Sport).



26/09


2010

Vote e nos ajude a ganhar o Top Blog

Este blog está participando do concurso anual do “Top Blog”, que seleciona os melhores sites do País nas diversas categorias. Se você quiser votar neste blog, faça o seguinte: clique no primeiro banner do lado direito da página e em seguida na seta “Votar”, que está logo abaixo. Basta fornecer o seu nome e email para votar. Depois, você recebe um email para validar o seu voto. Serão escolhidos os mais votados por categoria. O site Top Blog é da Unversidade Paulista e tem a sua sede em São Paulo. Vote apenas se você gosta do nosso trabalho! Agradecemos a sua participação!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/09


2010

PT trabalha contra tese da divisão entre ricos e pobres

 Por causa da diminuição nas intenções de voto em Dilma Rousseff no eleitorado de mais alta renda e escolaridade, a campanha da petista está preocupada em evitar a disseminação da ideia de que a candidata se sustenta na população pobre, especialmente do Nordeste, que não se importou com as denúncias que derrubaram a ex-chefe da Casa Civil Erenice Guerra. “Não vamos entrar no clima de divisão que eles querem. Dilma vai bem em todas as faixas do eleitorado”, diz um ministro petista. Já o PSDB está voltado para o discurso de que Serra, se eleito, governará para o País inteiro e não se preocupará apenas com São Paulo, como sustentam os adversários. Marina Silva (PV) aposta na subida, principalmente nas capitais, com a tese de que a política não é exclusividade de PT, PSDB e seus aliados.

(Do blog Radar Político - Luciana Nunes Leal)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Carlos Odair da Luz Sá

Conheço um bom veterinário...

uilma

graag.kkkkkkk

uilma

graag.

uilma

graag.

uilma

graag.



26/09


2010

Roriz e Weslian proclamam-se o novo Casal 20

Do site de campanha de Jaqueline Roriz (PMN), candidata a deputada federal:

“Começou pela Ceilândia a arrancada da candidata ao governo do Distrito Federal, Dona Weslian Roriz (PSC-20), que assumiu a disputa pela Coligação Esperança Renovada no lugar do marido, o ex-governador Joaquim Roriz. Ela visitou, na manhã deste sábado (25), a tradicional Feira Central da Ceilândia, aonde foi recebida com entusiasmo por feirantes e consumidores. ‘Chegou a Mamãe Roriz’, recepcionaram os feirantes, enquanto outros, ao vê-la junto com o ex-governador, saudavam: ‘Chegou o Casal 20′, carinhoso apelido que foi incorporado à campanha da coligação''.”

Pois é, Casal 20… Lembra?

(Do blog Poder Online - Tales Faria)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha