Ipojuca

18/05


2017

"Não renunciarei", afirma Temer

O presidente Michel Temer afirmou na tarde desta quinta-feira, em pronunciamento em cadeia de rádio e TV, que não vai renunciar.

- Não renunciarei. Repito: Não renunciarei. Sei o que fiz e sei da correção dos meus atos. Exijo investigação plena e muito rápida para os esclarecimentos ao povo brasileiro. Meu único compromisso é com o Brasil, e só este compromisso me guiará.

Temer iniciou sua fala argumentando que demorou a se pronunciar, porque procurou conhecer os detalhes da denúncia. E contou que solicitou ao Supremo Tribunal Federal o acesso à gravação na qual autoriza a compra do silêncio de Eduardo Cunha. Até a tarde desta quinta-feira, porém, seu pedido ao tribunal não tinha sido atendido.

O presidente negou novamente ter autorizado qualquer interlocutor a falar em seu nome e afirmou que não comprou o silêncio de ninguém, porque não tem o que temer e não precisa, segundo ele, de foro privilegiado.

- Repito e ressalto: em nenhum momento autorizei que pagasse a quem quer que seja para ficar calado. Não comprei o silêncio de ninguém por uma razão singelíssima, exata e precisamente, porque não temo nenhuma delação. Não preciso de cargo público nem de foro especial. Não tenho nada a esconder - disse o presidente.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Sertão do Araripe

Confira os últimos posts

22/05


2018

Ribeirão: Paulo Câmara inaugura fábrica de alimentos

Reafirmando a capacidade de diálogo do Governo de Pernambuco e seu compromisso pelo desenvolvimento de Estado por inteiro, o governador Paulo Câmara cumpriu, ontem, uma série de agendas na Zona da Mata Sul. O último município foi Ribeirão, que recebeu obras estruturadoras para o desenvolvimento social e econômico local. 

Na ocasião, Paulo participou da inauguração da fábrica Viva Alimentos, que já está empregando 115 pessoas da região; entregou a nova unidade da Academia Pernambuco; deu por inaugurada a requalificação do Parque Esportivo Vila da Cohab e assinou a ordem de serviço para as obras de adequação de um campo de futebol e construção de uma quadra poliesportiva no município. Também foi autorizada a licitação para substituição da rede de distribuição de água local, e um convênio para desapropriação de imóvel onde será construído um novo hospital municipal. 

"Hoje, realizamos várias atividades aqui, na Mata Sul, e o intuito era justamente esse: ter a oportunidade de estar presente, conversar com as pessoas, dizer o que o Governo está fazendo. E, ao mesmo tempo, fazer obras que dialogam e vão de acordo com o que a gente quer pro futuro. Vim a Ribeirão e vi que a cidade está no caminho certo. Inauguramos uma indústria, sabendo que muitas pessoas daqui estão trabalhando lá e vão ter condições de se desenvolver, se qualificar. Entregamos essa academia, que vai ajudar pessoas a praticar esportes e cuidar da saúde. Vamos iniciar obras de água para que a água chegue em mais casas, e vamos viabilizar a desapropriação do terreno para fazer com o que o hospital daqui seja restaurado e entregue ao município e possa atender as pessoas que aqui moram. Enfim, vamos continuar trabalhando para construir um Pernambuco que queremos, com qualidade, dignidade e cidadania", ratificou o governador.

A nova unidade da Academia Pernambuco, situada dentro do Parque Esportivo Vila da Cohab, conta com 25 equipamentos, instalados em uma área de 250 metros². No local, podem ser realizadas atividades como Musculação, Crossfit, Balance, Aeróbica, Step, Hiit, Ginástica Laboral, Abdominais e Alongamento. A equipe de trabalho é composta por quatro pessoas: três professores e um recepcionista. Já o local onde serão implantados o campo de futebol e a quadra poliesportiva está localizado a menos de 2 km do Centro de Ribeirão. A obra possui um terreno de 13.099,74 m², sendo 10.836,03 m² de área para o Campo de Futebol com arquibancada, vestiário iluminação; e 2.263,71 m² para quadra Poliesportiva com vestiários, alambrado e 28 vagas de estacionamento. Para as obras das duas estruturas, será investido cerca de R$ 1 milhão, com prazo de conclusão de seis meses. 

Para secretária estadual de Turismo, Esporte e Lazer, Manuela Marinho, as entregas significam mais oportunidades e bem estar para a população. "Hoje é um dia de muita alegria, em que estamos entregando mais um equipamento, mais uma Academia Pernambuco, prova de que a população pede e o Governo de Pernambuco atende. É a oitava Academia Pernambuco que entregamos. E isso é mais saúde, lazer e mais emprego para a população. Também assinamos a Ordem de Serviço da qualificação do campo de futebol, onde terá vestiários, arquibancadas e quadra poliesportiva. Daqui a 6 meses, queremos voltar aqui e inaugurá-lo com vocês", declarou. 

O mesmo sentimento foi compartilhado pelo prefeito Marcello Maranhão. "Quando fui ao Recife e vi aquela academia pública na praia de Boa Viagem, comecei a sonhar com uma igual aqui para o nosso povo. Um equipamento que as pessoas mais humildes possam usar e praticar seus exercícios em um ambiente de qualidade. E hoje somos contemplados com uma unidade, que já conta com 400 pessoas inscritas", ressaltou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Agreste Setentrional

22/05


2018

Maus números envenenam candidatura Meirelles

Josias de Souza

O MDB sai de fininho da fábula da reeleição de Michel Temer e oferece a Henrique Meirelles dois meses para se firmar como um candidato viável ao Planalto. O primeiro desafio do ex-ministro da Fazenda será explicar os maus números produzidos pelo triunfalismo econômico do governo. A esperança de Meirelles de chegar a 2018 navegando nas águas da prosperidade bateu no iceberg do desemprego.

Há dois anos, a agenda do governo Temer girava em torno de Meirelles. Sabia-se que ela resultaria em qualquer coisa, menos em popularidade. A equipe econômica prometia austeridade e reformas. Dizia-se, contudo, que a recompensa viria na sucessão, na forma de um pujante crescimento econômico. Hoje, há sobre a mesa ruína fiscal e desemprego. E a previsão do PIB de 2018, que era de 3%, foi revisada. Para baixo.

O rigor fiscal sumiu no ano passado, quando o Planalto teve de comprar —com dinheiro de emendas, favores tributários e benesses ilimitadas— o apoio para congelar na Câmara duas denúncias criminais contra Temer. A mexida na Previdência, mãe das reformas, foi trocada por outra prioridade de Temer: não cair. E o crescimento será insuficiente para recuperar a ruína de Dilma Rousseff.

A efervescência do dólar incomoda. Fez o Banco Central interromper a sequência de podas na taxa de juros após uma dúzia de quedas sucessivas. A oscilação no preço internacional do petróleo, cujas altas são repassadas quase que em tempo real para as bombas, inferniza o consumidor e deixa o governo zonzo. Mas nada se compara ao desastre que infelicita o mercado de trabalho.

Além de sofrer com a radiação da amoralidade impopular de Temer, Meirelles entra na campanha arrastando as correntes das estatísticas do IBGE. Elas revelam um drama em quatro camadas. A primeira, mais visível, exibe 13,7 milhões de pessoas à procura de um emprego.

Na segunda faixa, há 6,2 milhões de brasileiros vivendo de bicos e quebra-galhos enquanto procuram por uma colocação melhor. Na terceira camada, há uma legião de 4,6 milhões de criaturas que, tomadas pelo desalento, desistiram brigar por um contracheque. Na última faixa, há 3,2 milhões de esforçados que não podem trabalhar —mães que não têm onde deixar os filhos, por exemplo.

Quer dizer: Meirelles vai à sorte dos votos com o peso dos 70% de reprovação de Temer sobre os ombros e com as correntes do IBGE amarradas no tornozelo. Há na praça pelo menos 27,7 milhões de eleitores desempregados, subempregados, desalentados e desafortunados que não têm grandes estímulos para votar em alguém que fala sobre o futuro sem entregar no presente a prosperidade que prometera há dois anos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Quentura

Caminhoneiros dando exemplo de como o povo tem que agir, parabéns.


Versão Mata Sul

22/05


2018

MDB: Temer leva vaia hoje se insistir na candidatura

Toda a estrutura do evento foi montada para que Henrique Meirelles brilhe sozinho.

Michel Temer corre o risco de ser vaiado por congressistas do MDB se não anunciar a desistência de sua candidatura à reeleição em evento da sigla hoje.

O Planalto foi avisado de que a expectativa de vê-lo fora do jogo é enorme.

Toda a estrutura do evento foi montada para que Henrique Meirelles brilhe sozinho.

Já o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, encontrou uma desculpa para justificar o mau humor no plenário: a falta de janelas. Sem circulação de ar, o local fica abafado e altera o ânimo dele.

Sites vendem camisetas, bonés e até garrafas de água em apoio ao pré-candidato ao Planalto Jair Bolsonaro (PSL), com preços que variam de R$ 20 a R$ 60.  (Coluna do Estadão – Andrezza Matais)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

sonia

O POVO TEM QUE SE JUNTAR AOS CAMINHONEIROS E PARAR O BRASIL ESSE É O MOMENTO PRA DERRUBAR ESSE GOVERNO COMUNISTA.

sonia

Pela vontade do povo não chega mais para o teu bico.



22/05


2018

Temer: não a aumento de gasolina, não a perder Parente

Discussão sobre gasolina tenta preservar presidente da Petrobrás

“Condições total independência e zero ingerência política”

Coluna do Estadão - Andreza Matais

A discussão no governo sobre o preço do combustível envolve uma preocupação: não melindrar o presidente da Petrobrás, Pedro Parente, que assumiu o cargo há dois anos impondo como condições total independência e zero ingerência política. Qualquer movimento fora do script ele voltaria para casa. E tudo o que o governo não quer é perder um dos seus principais quadros. Um palaciano diz que Temer optou por não convidar Parente para reunião de ontem justamente para evitar a leitura de que há pressões pela mudança na política de preço.

 O governo está entre a cruz e a espada. Ou desagrada a Pedro Parente ou vai ter de reduzir tributos federais que tenham impacto sobre os combustíveis. Algo que a equipe econômica não quer nem ouvir falar.

Os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (MDB), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), que criticaram no fim de semana os sucessivos reajustes de combustível, defendem a redução de impostos como saída. A interlocutores dizem que o governo não correria o risco de perder Parente.

Enquanto o governo estuda como conter a alta na gasolina, o gasto dos deputados com combustível somou R$ 54 milhões de 2015 a 2017. O site Ranking Político calculou que daria para rodar o mundo mais de 3 mil vezes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Quentura

Caminhoneiros dando exemplo de como o povo tem que agir, parabéns.

Quentura

O QUE VOCÊ NÃO VÊ NA MÍDIA - CÁRMEN LÚCIA DIZ QUE TSE NÃO PODE IMPEDIR A CANDIDATURA DE LULA Quanto a isso, a caminhada do ex-presidente Lula não pode ser impedida por que o judiciário não age por contestação prévia, ou seja, deve ser provocado a tomar uma decisão. Dessa maneira, a inscrição de Lula obrigatoriamente deverá ser deferida. Cármen, ainda falou que o STF já discutiu esse tema e não mudou a jurisprudência alterando o entendimento corrente sobre o assunto. Segundo ela, não há motivos para pautar o tema novamente. Dessa maneira, Lula tem caminho eleitoral aberto para ser candidato em 2018, preso ou não.

Quentura

Os direitopatas estão provando do próprio veneno com o os aumentos dos combustíveis, Eu acho é pouco. riririririririri

Quentura

CÁRMEN LÚCIA DIZ QUE TSE NÃO PODE IMPEDIR A CANDIDATURA DE LULA A declaração que deixou a bancada do programa Canal Livre, na Bandeirantes, na noite de , domingo (20), desanimada. Em especial o jornalista Fernando Mitre, com expressão de desgostoso. Segundo a Ministra e Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não tem como impedir a candidatura de Lula, mesmo preso. Lula vai ser presidente de novo!

sonia

É melhor perder um \" Parente\" na trajetória do cargo de que se perder no meio do caminho.


Versão Agreste Central

22/05


2018

Alerta: pode vir por aí a lista do Paulo Preto

Paulo Preto tem lista de quase 90 candidatos que ajudou em eleições passadas

PSDB é o partido com mais nomes no rol do engenheiro, tido como operador do partido tucano

O ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, tem uma lista de quase 90 candidatos, a maioria do PSDB, que ajudou em eleições passadas.

O engenheiro, tido como operador do PSDB, pensou em fazer delação quando ficou preso. Desistiu depois de ganhar a liberdade, no dia 11.

Já o ex-ministro da Justiça de Dilma Rousseff, José Eduardo Cardozo (PT-SP) vai defender a Rodrimar no inquérito dos portos. A investigação apura se a empresa foi beneficiada por um decreto assinado pelo presidente Michel Temer em maio de 2017.

Ele foi convidado para integrar a defesa por Fábio Tofic Simantob. “Como especialista em direito administrativo, Cardozo vai nos ajudar a defender a tese de que a medida não foi direcionada à Rodrimar”, diz o advogado.  (Mônica Begamo – Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Gravatá

22/05


2018

Pegou mal para Alckmin

Tucanos receberam na semana passada pesquisa qualitativa que trouxe mais más notícias para Alckmin. As movimentações no inquérito do Ministério Público que apura se Alckmin recebeu R$ 10,3 milhões da Odebrecht via caixa dois em 2010 e 2014 arranharam a imagem do pré-candidato do PSDB.

Segundo a sondagem, pegou mal para o ex-governador paulista a decisão do procurador-geral de Justiça de São Paulo, Gianpaolo Smanio, de retirar o inquérito da promotoria original e o levá-lo para o próprio gabinete. Dias depois, Smanio voltou atrás.

Enquanto isso, aliados de João Doria (PSDB) dizem que os rumores sobre uma composição que envolva seu nome na corrida presidencial vêm de fora do partido. O ex-prefeito, garantem, está disciplinado e concentrado na disputa pelo governo de SP. 

Estouro da boiada - Revelada pelo “Estado de S. Paulo”, a acusação de que o advogado Antônio Figueiredo Basto recebia dinheiro para evitar citações em delações alarmou clientes do defensor. Eles temem uma devassa em suas colaborações e o questionamento do teor dos acordos na Justiça.(Daniela Lima - Painel - FSP))


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Quentura

CÁRMEN LÚCIA DIZ QUE TSE NÃO PODE IMPEDIR A CANDIDATURA DE LULA A declaração que deixou a bancada do programa Canal Livre, na Bandeirantes, na noite de , domingo (20), desanimada. Em especial o jornalista Fernando Mitre, com expressão de desgostoso. Segundo a Ministra e Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não tem como impedir a candidatura de Lula, mesmo preso. Lula vai ser presidente de novo!

sonia

Alckmin besteira ambulante.


ArcoVerde

22/05


2018

Dilma candidata: me inclua fora dessa

Aliados da ex-presidente Dilma Rousseff dizem que hoje o mais provável é ela não ser candidata ao Senado por Minas.

Foi Lula quem lançou o nome da petista para o posto, num gesto que eriçou o MDB e bagunçou a chapa de Fernando Pimentel.

A propósito, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, defendeu que o TSE estenda ao fundo eleitoral a decisão do STF que garantiu a destinação de no mínimo de 30% do fundo partidário a mulheres.

Dodge ainda sustentou que, caso lancem candidatas em índice superior a esse, as siglas deverão dividir recursos e tempo de TV proporcionalmente.

“A democracia em que metade da população é sub-representada é patologicamente organizada”, escreveu a procuradora-geral.  (Painel - FSP)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Quentura

CÁRMEN LÚCIA DIZ QUE TSE NÃO PODE IMPEDIR A CANDIDATURA DE LULA A declaração que deixou a bancada do programa Canal Livre, na Bandeirantes, na noite de , domingo (20), desanimada. Em especial o jornalista Fernando Mitre, com expressão de desgostoso. Segundo a Ministra e Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não tem como impedir a candidatura de Lula, mesmo preso. Lula vai ser presidente de novo!

sonia

D O I D A



22/05


2018

À procura de um candidato

DEM, PP, PRB e Solidariedade continuam focados em encontrar rumo próprio.

Nesta semana, integrantes dessas siglas voltam a se reunir com o PR para saber se o partido levaria adiante a candidatura de Josué Alencar, PR-MG, (foto) e se o empresário mineiro está disposto a pagar a própria campanha.

Enquanto não define seu destino, o grupo pressiona o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a se manter na disputa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/05


2018

Centrão de olho, discurso de Meirelles é só economia

Sob forte desconfiança de siglas que sustentam o governo, Henrique Meirelles fechou o discurso que fará no evento do MDB desta terça (22), quando assume o posto de presidenciável. Ele diz ter um plano para o aumento da produtividade que, alinhado a um conjunto de reformas, faria a projeção do crescimento médio dos próximos anos saltar de 2% para 4%. E o eleitor vai compreender a fala? “A melhor política social que existe é a geração de emprego. Isso todo mundo entende”.

Aos que dizem que o MDB só topou lançá-lo candidato depois que seu principal estandarte, a economia, tremeu com a alta do dólar, o ex-ministro da Fazenda responde que, se houve arrefecimento, ele se deve à proeminência do que chama de “candidatos dos extremos”. “Isso só reforça nosso discurso de continuidade nas reformas“, diz.

A ascensão de Meirelles ao posto de presidenciável vai fazer o MDB, até agora quieto, se mexer e tentar atrair outras legendas. Romero Jucá (MDB-RR) quer marcar uma série de encontros –especialmente com os partidos do centrão que procuram uma alternativa a Geraldo Alckmin (PSDB).

Na mira de Jucá estão PP, PR, PRB e Solidariedade. O nome do ex-ministro da Fazenda, porém, vai encontrar resistência nessas siglas. Dirigentes do centrão dizem que Meirelles tem pouca viabilidade porque o país não quer “um banqueiro” como presidente.  (Informações de Daniela Lima – Painel – Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/05


2018

Bolsonaro quer mãe PM que matou ladrão candidata

Diretório paulista do PSL quer que Kátia Sastre dispute vaga de deputada estadual

Angela Boldrini – Folha de S.Paulo

O PSL, partido do pré-candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (RJ) convidou a cabo da Polícia Militar Kátia Sastre para ser candidata a deputada estadual pela sigla. Sastre, 42, é a PM que reagiu a um assalto em Suzano (Grande SP) na frente da escola da filha no dia 12 de maio, véspera do Dia das Mães. Na ocasião, ela respondeu quando o assaltante Elivelton Moreira sacou a arma. Ele morreu depois de ser atingido por três tiros da policial.

O convite para Sastre se candidatar a deputada estadual pelo PSL partiu do diretório estadual de São Paulo, que é presidido pelo deputado federal Major Olímpio. 

Segundo o parlamentar, a cabo ainda não definiu se aceitará ou não o convite. Procurada pela Folha para falar sobre o convite, Sastre afirmou que não quer “dar esse tipo de informação ainda”.
 Por ser militar da ativa, a policial não precisa se filiar previamente a um partido para concorrer, bastando o registro de candidatura após escolha pela convenção da sigla. Para civis e militares da reserva, o prazo de filiação para as eleições de 2018 terminou em 7 de abril. 

O PSL de Bolsonaro não tem deputados estaduais em São Paulo. Na Câmara dos Deputados, em Brasília, tem hoje oito parlamentares e tem planos de expandir a bancada nas eleições de 2018.

O partido não foi o único a usar eleitoralmente a PM, celebrada nas redes sociais por ter matado o assaltante. Logo após o incidente, a cabo foi homenageada pelo governador Márcio França (PSB), pré-candidato à reeleição. Ele entregou flores à PM no Dia das Mães, em evento no Comando de Policiamento de Área Metropolitana-4, na zona leste, para cumprimentá-la pela “destreza, técnica e coragem”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Quentura

CÁRMEN LÚCIA DIZ QUE TSE NÃO PODE IMPEDIR A CANDIDATURA DE LULA A declaração que deixou a bancada do programa Canal Livre, na Bandeirantes, na noite de , domingo (20), desanimada. Em especial o jornalista Fernando Mitre, com expressão de desgostoso. Segundo a Ministra e Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não tem como impedir a candidatura de Lula, mesmo preso. Lula vai ser presidente de novo!

Quentura

Bolsoameba não se elege. DOIDO.

sonia

ESTÁ ELEITA. É uma pena eu não votar em São Paulo, meu voto era dela. _____________________________ Bandido morto por mãe-heroína tinha matado e queimado idoso ainda vivo O bandido Elivelton Neves Moreira, de 20 anos, que foi morto por uma policial de folga após sacar uma arma em frente a uma escola particular em Suzano (SP),… NEWS365.COM.BR


bm4 Marketing 5

22/05


2018

Ministro liberou verba da Caixa em negócio de filho

Gilberto Occhi, da Saúde, (foto) usou dinheiro do banco em compra de lotérica; ministro diz que seguiu a lei

Fábio Fabrini- Folha de S.Paulo

Investigações internas da Caixa Econômica Federal apontam que o atual ministro da Saúde, Gilberto Occhi, liberou, quando gestor do banco, recursos que foram usados na compra de casa lotérica vendida por seu filho e seu enteado em Alagoas.

O dinheiro da Caixa, segundo a investigação, foi transferido a uma prefeitura local e, em seguida, por meio da triangulação com um fornecedor, destinado à conta de uma das lotéricas negociadas. O depósito foi de R$ 200 mil.

Gustavo Occhi, filho do ministro, e Diogo Andrade dos Santos, filho da mulher dele, conseguiram concessões para explorar três casas no estado em 2011. 

Na ocasião, Occhi era superintendente nacional de Gestão da Caixa no Nordeste. Depois disso, ele viria a ocupar as funções de vice-presidente e presidente do banco, cargo que deixou em abril deste ano.

As três lotéricas obtidas em 2011 —em Atalaia, Coqueiro Seco e Satuba— foram vendidas pelos parentes de Occhi em janeiro de 2013.   Na mesma época, as contas das empresas receberam R$ 513 mil, referentes às transações. 

Um dos depósitos, de R$ 200 mil, foi feito em 3 de janeiro daquele ano por uma prestadora de serviços da Prefeitura de Atalaia.

Seis dias antes, a fornecedora havia recebido do município um cheque de R$ 376.268,32, assinado pelo prefeito, Francisco Luiz de Albuquerque (MDB), o Chico Vigário, e o filho dele, o então secretário de Finanças Francisco Luiz de Albuquerque Júnior. Era o último dia útil de mandato do prefeito, que se despediria da gestão com a virada do ano —ele foi eleito novamente em 2016 e ainda governa o município.

O repasse só foi possível porque, na véspera da emissão do cheque, a Caixa havia transferido R$ 800 mil para a conta da prefeitura. Os recursos eram referentes à primeira parcela da venda da folha de pagamentos dos servidores de Atalaia para o banco.

Leia a reportagem completa clicando aí ao lado: Ministro liberou verba da Caixa usada em negócio de filho, aponta ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Asfaltos

22/05


2018

Pago para abafar mensalão tucano, delata Valério

Tesoureiro recebeu R$ 700 mil para abafar mensalão tucano

Publicitário afirmou à Justiça que o ex-governador Eduardo Azeredo foi chantageado

Folha de S.Paulo

O publicitário Marcos Valério afirmou à Justiça que Cláudio Mourão, então tesoureiro da campanha do ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB) à reeleição em Minas em 1998, recebeu R$ 700 mil para não fazer revelações que comprometessem os tucanos. 

O depoimento do publicitário foi tomado em abril do ano passado no âmbito do processo do mensalão tucano, no qual Valério é réu, e foi exibido pela Record nesta segunda-feira (21). 

Segundo as investigações, o mensalão tucano é um esquema de desvio de dinheiro de três estatais mineiras (Bemge, Copasa e Comig) para financiar a fracassada campanha de reeleição de Azeredo em 1998. Assim como no mensalão do PT, as empresas de publicidade de Valério participaram na lavagem dos recursos. 

"Depois da eleição, o seu Cláudio Mourão chantageia o seu Eduardo Azeredo. Qual era a chantagem? O porquê que ele recebeu R$ 700 mil. São coisas que teriam que estar nessa denúncia [...]", diz Valério à juíza. 

O publicitário não revela muitos detalhes sobre a chantagem, pois o tema foi objeto da delação premiada acertada com a Polícia Federal e, portanto, está sob sigilo. O acordo de colaboração ainda depende de homologação pelo Supremo Tribunal Federal. 

Valério diz apenas que Mourão tinha um documento que destruía o PSDB de Minas. E que o esquema do mensalão tucano envolvia outras pessoas

"O que o Cláudio Mourão ia apresentar acabava com a história do PSDB em Minas Gerais. Por isso que ele conseguiu receber a grana dele. [...] O PSDB naquela época só se salvou porque nós pagamos R$ 700 mil pra ele", afirma. 

Segundo Valério, as revelações de Mourão não aparecem na denúncia do mensalão tucano e não chegaram a ser investigadas. Ele afirma que Azeredo e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) temiam que o ex-tesoureiro expusesse o que sabia.  

"O que o Cláudio Mourão ia revelar não era o patrocínio do Bemge, da Copasa. Não era isso. [...] Era muito pior do que isso. [...] O medo era do PSDB, o medo era do seu Eduardo, o medo era do senhor Aécio."

Valério afirma que Mourão chegou a cobrar na Justiça uma dívida de R$ 700 mil com Azeredo. O publicitário diz também que ele próprio fez o pagamento ao ex-tesoureiro e foi ressarcido por uma empresa ligada ao ex-ministro Walfrido dos Mares Guia, a Samos. 

"Eu fui usado para pagar a chantagem. Eu sei a chantagem, sei o que era e sei o que Cláudio Mourão ia apresentar. E a Polícia Federal hoje sabe. [...] Quem fez empréstimo na pessoa física fui eu. Eu é que passei os R$ 700 mil para o Cláudio Mourão. A Samos me passou me pagando", diz. 

Marcos Valério já foi condenado a 37 anos de prisão pelo mensalão do PT. No mensalão tucano, é réu e fechou acordos de colaboração com a Polícia Federal e com a Polícia Civil. 

Nesta terça (22), o Tribunal de Justiça de Minas julgará mais um recurso de Azeredo contra sua condenação de 20 anos e 1 mês de prisão por peculato (desvio de dinheiro público) e lavagem de dinheiro. Se perder, o tucano pode ter a prisão decretada. 

OUTRO LADO

A assessoria do ex-ministro Walfrido dos Mares Guia afirma que o pagamento da Samos já consta do processo e que o fato é público. "A defesa apresentou durante o processo documentos comprovando que, em 2002, a Samos emprestou R$ 500 mil para Eduardo Azeredo."

A versão de Walfrido afirma que, como Mourão estava cobrando os R$ 700 mil de Azeredo na Justiça, o tucano não conseguia registrar sua candidatura ao Senado por conta da pendência judicial. Por isso, o ex-governador arrecadou R$ 200 mil entre familiares e amigos e pegou R$ 500 mil emprestado da Samos. Os recursos foram depositados em uma conta do Banco Rural. 

A defesa de Azeredo informou que o ex-governador desconhece qualquer tratativa entre Marcos Valério e Cláudio Mourão e que o tucano nunca teve contato com Valério. "E, ainda, com relação a Cláudio Mourão,

Azeredo ressalta que rompeu ligação com este logo após ter ciência das operações realizadas sem seu consentimento ou ciência durante sua campanha."

Folha não obteve resposta da assessoria do senador Aécio Neves e não conseguiu contato com a defesa de Cláudio Mourão. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/05


2018

Brasil erra ao fazer jogo dos EUA com Venezuela

Itamaraty deveria buscar papel de mediador da crise

Blog do Kennedy

O Brasil erra ao fazer o jogo político dos Estados Unidos em relação à Venezuela por ocasião da reeleição ontem de Nicolas Maduro para novo mandato presidencial de seis anos _pleito cuja lisura é contestada pela maior parte da comunidade internacional.

O papel de mediador deveria ser a prioridade do Brasil. Maduro faz um governo incompetente do ponto de vista econômico e seguiu caminho político ditatorial. Mas a oposição venezuelana não é flor que se cheire. Foi golpista no passado e não fez política para os mais pobres. O chavismo é resultado do descaso das elites venezuelanas com o seu povo.

Ao decretar sanções econômicas contra Caracas, os EUA estão fazendo o jogo deles. É um movimento que se insere na estratégia de Donald Trump, que deseja voltar a ter um governo fantoche em Caracas composto por uma elite que vive e educa seus filhos em Miami.

O Brasil deveria buscar outro caminho. Como líder regional, deveria tentar promover um diálogo entre governo e oposição. Ao bater no governo, perde interlocução e vai a reboque dos Estados Unidos.

Isso é uma burrice da nossa política externa. A paz e o desenvolvimento da Venezuela, nosso vizinho, com o qual temos fronteiras, são do interesse geopolítico e econômico do Brasil. O Itamaraty deveria construir pontes com a Venezuela e não queimá-las, mas essa foi a decisão da política externa da administração Temer. Talvez o próximo presidente brasileiro aborde a questão venezuelana com mais racionalidade e habilidade política e menos ideologia do que fizeram o PT e fazem agora PSDB e MDB.

Maduro governa sem realismo econômico. Já vimos esse filme aqui com a Dilma Rousseff. É um equívoco a defesa que o PT e setores da esquerda fazem da Venezuela e do crescimento do autoritarismo no país vizinho.

Mas é preciso entender que o chavismo ainda tem força porque foi o primeiro governo a olhar para os mais pobres. O erro de Chávez e Maduro, entretanto, foi matar a galinha dos ovos de ouro.

Houve depreciação da infraestrutura da indústria do petróleo. Não teve reinvestimento na PDVSA (Petróleos de Venezuela) para prospecção, por exemplo. Lá, a Petroquímica engatinha. Chávez e Maduro continuaram deixando a Venezuela ser basicamente exportadora de óleo cru.

O país vizinho sofre com a doença holandesa, que é usar os recursos do petróleo sem se industrializar. Embora tenha olhado para os excluídos, o chavismo não completou o ciclo de desenvolvimento. Não industrializou nem diversificou a sua economia. Não rompeu o ciclo histórico de subdesenvolvimento. As maiores reservas de petróleo do mundo estão lá. São maiores do que as da Árabia Saudita.

Maduro se mantém no poder porque tem o apoio do setor mais forte das Forças Armadas. Há uma coesão dessa ala com o chavismo. Resta saber até quando.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Quentura

CÁRMEN LÚCIA DIZ QUE TSE NÃO PODE IMPEDIR A CANDIDATURA DE LULA A declaração que deixou a bancada do programa Canal Livre, na Bandeirantes, na noite de , domingo (20), desanimada. Em especial o jornalista Fernando Mitre, com expressão de desgostoso. Segundo a Ministra e Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não tem como impedir a candidatura de Lula, mesmo preso. Lula vai ser presidente de novo!

sonia

O BRASIL NÃO ERROU !!! OS VENEZUELANOS NÃO PODE MAIS VIVER NESSAS CONDIÇÕES, ESTÃO SENDO MASSACRADOS POR ESSES VERMES COMUNISTAS, O MUNDO TEM QUE REAGIR CONTRA ESSE DITADOR ASSASSINO.



22/05


2018

Por aliança, MDB aceita esconder Temer na campanha

A proposta é que o candidato apoiado pela sigla terá de pregar as reformas e iniciativas da atual gestão

Gustavo Uribe eTalita Fernandes – Folha de S.Paulo

Com dificuldade de encontrar um nome com viabilidade eleitoral que aceite o rótulo de "candidato do governo", o MDB discute com partidos aliados esconder o presidente Michel Temer durante a campanha presidencial.

A proposta na mesa é que o candidato apoiado pela sigla terá de pregar as reformas e iniciativas da atual gestão, mas não precisará defender diretamente o presidente ou colocá-lo em palanques eleitorais e propagandas televisivas.

Segundo relatos de amigos e aliados, o emedebista já se conscientizou que seu apoio é tóxico, ou seja, mais prejudica do que ajuda na disputa presidencial. Com governo considerado ruim ou péssimo por 70% dos brasileiros, segundo o Datafolha, Temer anunciará a sua desistência de concorrer à reeleição.

Embora insista publicamente em uma candidatura própria ou do ex-ministro Henrique Meirelles, o partido reconhece em conversas reservadas que o caminho mais natural é que apoie um nome de outra legenda da chamada —mais para organização do espectro político do que expressão ideológica— de centro-direita.

Nas conversas com partidos da base aliada, o MDB tem aceitado a possibilidade de que pré-candidatos presidenciais evitem defender ou citar o emedebista em discursos. Nas palavras de um dirigente do partido, o papel do presidente no processo eleitoral será "permanecer no Palácio do Planalto".

A postura representa uma mudança no discurso do MDB, que antes cobrava uma defesa pessoal ao presidente dos partidos aliados que reivindicavam uma aliança com a legenda. A alteração deveu-se principalmente ao receio de um desgaste ainda maior de imagem.

A avaliação negativa do governo é um dos principais fatores para que legendas como PSDB e DEM, por exemplo, venham mantendo certo distanciamento do Palácio do Planalto.

Com o novo tom do MDB, os prováveis aliados já não se sentem mais obrigados a utilizar a imagem ou citar o nome do presidente durante a campanha presidencial, o que deve facilitar uma composição com os partidos de centro, entre eles, o PSDB.

Em negociação com o MDB, o pré-candidato tucano à Presidência da República, Geraldo Alckmin, tem sentimentos dúbios sobre uma aliança com o partido do presidente.

Se por um lado ele tem interesse no acréscimo de 1m26s que uma aliança poderia trazer ao seu tempo de propaganda televisiva, há um temor de que sua imagem ligada a Temer possa prejudicar o seu já frágil desempenho eleitoral. Segundo a última pesquisa Datafolha, Alckmin tem entre 6% e 8% das intenções de voto

Os tucanos não são os únicos procurados pelo MDB. Lideranças da legenda têm negociado com o PRB, do empresário Flávio Rocha, e com o Podemos, do senador Álvaro Dias.

Apesar das conversas, os caciques emedebistas acreditam que as alianças só serão costuradas em julho. Até lá, o DEM deve manter o nome do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (RJ), como seu pré-candidato e o MDB, o de Meirelles.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/05


2018

Brasil reage à crise na Venezuela sem método

Josias de Souza

A diplomacia brasileira caducou. A principal evidência de sua senilidade está na forma atabalhoada que lida com o derretimento institucional da Venezuela. Sob Lula e Dilma, vigorou a diplomacia das empreiteiras, levadas a Caracas com o dinheiro barato do BNDES. Deu em calote. Sob Temer, um Itamaraty tucano dedica-se a bicar em público o regime bolivariano. Vai dando em vexame, pois quem briga com gambá, mesmo que ganhe, sai cheirando mal.

Ah, que saudade da diplomacia brasileira. Mesmo nos períodos em que a opinião do Brasil não interessava a ninguém no mundo, como agora, todos sabiam que, se acontecesse o pior, se tudo desse errado, sobrava a coerência da diplomacia brasileira. Num caso como o Venezuela, que mantém com o Brasil algo como 2.200 quilômetros de fronteiras, a antiga diplomacia brasileira não ignoraria que a divergência, quando é inevitável, deve ser exercida com muita calma.

Diante das fraudes que mantiveram Nicolas Maduro no poder, a diplomacia brasileira diverge sem método. Grita em notas oficiais no mesmo timbre dos Estados Unidos. Na base do grito, Brasília arrisca-se a perder o papel de moderador para Washington, que grita a esmo desde que Donald Trump assumiu o comando. Trump quer que a Venezuela se exploda. Sobram para Brasil os estilhaços: o buraco no orçamento do BNDES, coberto com dinheiro do seguro desemprego, e o êxodo dos venezuelanos que cruzam a fronteira em busca de oportunidades inexistentes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Quentura

CÁRMEN LÚCIA DIZ QUE TSE NÃO PODE IMPEDIR A CANDIDATURA DE LULA A declaração que deixou a bancada do programa Canal Livre, na Bandeirantes, na noite de , domingo (20), desanimada. Em especial o jornalista Fernando Mitre, com expressão de desgostoso. Segundo a Ministra e Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não tem como impedir a candidatura de Lula, mesmo preso. Lula vai ser presidente de novo!


Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores